Aché Digeplus

7mg + 40mg + 50mg, caixa contendo 30 cápsulas gelatinosas duras com microgrânulos

Princípio ativo
:
Dimeticona + Metoclopramida + Pepsina
Classe Terapêutica
:
Digestivos, Incluindo Enzimas Digestivas
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Aparelho Digestivo
Especialidade
:
Gastroenterologia e Clínica Médica

Bula do medicamento

Digeplus, para o que é indicado e para o que serve?

Digeplus é indicado para pessoas com problemas digestivos, tais como:

  • <li>Dificuldades de digest&#xE3;o;</li> <li>Sensa&#xE7;&#xE3;o de peso e em pachamento ap&#xF3;s alimenta&#xE7;&#xE3;o no est&#xF4;mago;</li> <li>Distens&#xE3;o abdominal;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/gases/" rel="noopener" target="_blank">Flatul&#xEA;ncia</a> (forma&#xE7;&#xE3;o excessiva de gases);</li> <li>Eructa&#xE7;&#xE3;o (arroto).</li>

Como o Digeplus&nbsp;funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Digeplus tem como principais subst&#xE2;ncias ativas a metoclopramida, a dimeticona e a pepsina. Elas agem em colabora&#xE7;&#xE3;o entre si de modo a melhorar algumas etapas importantes do processo de digest&#xE3;o. A a&#xE7;&#xE3;o do produto se inicia cerca de meia hora ap&#xF3;s sua tomada, durando por 4 a 6 horas.</p> <p>A metoclopramida &#xE9; &#xFA;til no tratamento e p reven&#xE7;&#xE3;o de n&#xE1;useas (enj&#xF4;os) e <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c\" target=\"_blank\">v&#xF4;mitos</a>, mas tamb&#xE9;m atua melhorando a movimenta&#xE7;&#xE3;o do est&#xF4;mago durante a digest&#xE3;o, acelerando o seu tempo de esvaziamento (reduzindo a sensa&#xE7;&#xE3;o de peso no est&#xF4;mago ap&#xF3;s as refei&#xE7;&#xF5;es) e contribuindo para impedir o refluxo para o es&#xF4;fago que pode causar <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/azia/c\" target=\"_blank\">azia</a>&amp;nbsp;e regurgita&#xE7;&#xE3;o alimentar.</p> <p>A dimeticona tem como principal a&#xE7;&#xE3;o a destrui&#xE7;&#xE3;o de bolhas de g&#xE1;s que se formam dentro do est&#xF4;mago e dos intestinos, reduzindo a sensa&#xE7;&#xE3;o de estufamento causada pelos gases e os ru&#xED;dos percebidos ap&#xF3;s as refei&#xE7;&#xF5;es.</p> <p>A pepsina &#xE9; uma subst&#xE2;ncia capaz de quebrar as <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/proteinas/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">prote&#xED;nas</a> da dieta (geralmente vindas de produtos de origem animal e de gr&#xE3;os como soja e feij&#xE3;o), ajudando a acelerar o processo de digest&#xE3;o, reduzindo a sensa&#xE7;&#xE3;o de desconforto que pode durar v&#xE1;rias horas ap&#xF3;s uma refei&#xE7;&#xE3;o rica em prote&#xED;nas.</p> "}

Quais as contraindicações do Digeplus?

Digeplus é contraindicado em pacientes que apresentem hipersensibilidade (alergia) a quaisquer produtos da sua fórmula e nos casos de hemorragia (sangramento) e bloqueio ou perfuração gastrintestinal.

Digeplus também é contraindicado em pacientes com doença de Parkinson e com história de epilepsia&nbsp;(convulsões).

Digeplus (particularmente a metoclopramida, por ter ação sistema nervoso central) pode comprometer as habilidades mentais e/ou físicas nos pacientes com história de depressão, devendo ser utilizado com atenção neste caso.

Com base nos efeitos conhecidos, supõe-se que Digeplus em doses terapêuticas não afeta a capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas. Contudo, é recomendável que nos primeiros dias de uso da medicação sejam observados possíveis sinais de sonolência, tremores ou outras alterações que possam vir a comprometer a capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas. Caso isto ocorra, o médico deverá ser informado antes da continuidade da medicação.

Este medicamento é contraindicado para crianças e adolescentes.

Como usar o Digeplus?

A recomendação para o uso de Digeplus é de em média 1 a 2 cápsulas antes das principais refeições. A dose diária máxima não deve ultrapassar tal recomendação.

Não há limite definido na duração do tratamento.

A dose deverá ser individualizada e ajustada de acordo com o grau de dificuldade de digestão ou gravidade da doença.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Digeplus?

{"tag":"hr","value":" <p>Caso voc&#xEA; se esque&#xE7;a de tomar a c&#xE1;psula de Digeplus, aguarde a pr&#xF3;xima refei&#xE7;&#xE3;o para administrar o medicamento. Em nenhuma hip&#xF3;tese a dose dever&#xE1; ser tomada em dobro em virtude de esquecimento da tomada anterior.</p> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico, ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> "}

Quais cuidados devo ter ao usar o Digeplus?

O uso de metoclopramida antes da anestesia local ou regional deve ser evitado em crianças, jovens e pacientes idosos, pois o medicamento pode causar diminuição da atividade cerebral bem como reações extrapiramidais (alterações motoras).

Como um dos principais efeitos colaterais da metoclopramida (princípio-ativo presente no medicamento) é a sonolência, pacientes que possuem algum tipo de risco para tal sintoma devem ter cuidado na utilização do medicamento. O uso de bebidas alcoólicas pode potencializar o efeito de sonolência.

Digeplus pode comprometer as habilidades mentais e/ou físicas nos pacientes com história de depressão, devendo ser utilizado com cautela neste caso.

Pacientes portadores de insuficiência renal devem ter suas doses corrigidas, o que não é necessário para pacientes em tratamento dialítico (realizando hemodiálise).

Não há necessidade de correção de doses para portadores de insuficiência hepática.

O uso de Digeplus em conjunto com as drogas listadas abaixo, pode resultar nos em alguns efeitos indesejáveis.

Uso na gravidez

Evitar o uso de Digeplus até o terceiro mês de gravidez. Nas fases posteriores o uso da medicação deverá ser avaliado pelo médico quanto aos riscos e benefícios do tratamento.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Pacientes idosos

Movimentos anormais ou perturbados foram relatados em pacientes idosos tratados por períodos prolongados. Entretanto, não há recomendações especiais sobre o uso adequado desse medicamento por pacientes idosos.

Crianças e adultos jovens

As reações extrapiramidais (como inquietude, movimentos involuntários, fala enrolada, etc.) podem ser mais frequentes em crianças e adultos jovens, podendo ocorrer após uma única dose.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Digeplus?

A seguir são listadas as principais reações adversas relacionadas aos componentes de Digeplus:

Efeitos Cardíacos
  • <li>Taquicardia supraventricular;</li> <li>Bradicardia;</li> <li>Palpita&#xE7;&#xF5;es;</li> <li>Bloqueio atrioventricular (dist&#xFA;rbios do ritmo do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-tipos-cerebral-pulmonar-etc-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">Edema</a> (incha&#xE7;o);</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">Insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> congestiva aguda (defici&#xEA;ncia contr&#xE1;til do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotensao-pressao-baixa-sintomas-na-gravidez-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">Hipotens&#xE3;o</a> (queda de press&#xE3;o arterial);</li> <li>Hipertens&#xE3;o maligna foram relatados.</li>

Crises hipertensivas foram relatadas em pacientes com feocromocitoma&nbsp;após o uso de metoclopramida.

Efeitos Dermatológicos

Alguns casos de erupções cutâneas e urticária (ferida na pele) têm sido relatados.

Efeitos Endocrinológicos
  • <li>Reten&#xE7;&#xE3;o h&#xED;drica;</li> <li>Hiperprolactinemia (excesso do horm&#xF4;nio respons&#xE1;vel pela produ&#xE7;&#xE3;o do leite) podem ocorrer e desaparecem com a interrup&#xE7;&#xE3;o do tratamento;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/porfiria/" rel="noopener" target="_blank">Porfiria</a> (dist&#xFA;rbio do metabolismo) intermitente aguda;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c" target="_blank">Febre</a>;</li> <li>Galactorreia (produ&#xE7;&#xE3;o de leite);</li> <li>Aumento dos n&#xED;veis de aldosterona foram relatados.</li>
Efeitos Gastrintestinais
  • <li>Constipa&#xE7;&#xE3;o (<a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">pris&#xE3;o de ventre</a>);</li> <li>Diarr&#xE9;ia;</li> <li>N&#xE1;useas e v&#xF4;mitos foram verificados.</li>
Efeitos Hematológicos
  • <li>Agranulocitose (diminui&#xE7;&#xE3;o da produ&#xE7;&#xE3;o de componentes do sangue);</li> <li>Metemoglobinemia (altera&#xE7;&#xE3;o dos gl&#xF3;bulos vermelhos) podem ocorrer.</li>
Efeitos musculoesqueléticos

Síndrome extrapiramidal (trismo) foi relatada com manifestações de espasmos musculares mastigatórios.

Efeitos Neurológicos
  • <li>Sonol&#xEA;ncia;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-muscular-cronica-adrenal-etc-e-como-tratar/" rel="noopener" target="_blank">Fadiga</a>;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/cansaco/" rel="noopener" target="_blank">Cansa&#xE7;o</a>;</li> <li>Inquieta&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Tonturas;</li> <li>Desmaios;</li> <li>Cefal&#xE9;ia;</li> <li>Aumento da press&#xE3;o intracraniana;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es agudas dist&#xF4;nicas foram relatadas ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o de doses terap&#xEA;uticas de metoclopramida.</li>
Efeitos no Sistema Nervoso Central

Sintomas parkinsonianos como discinesias (movimentos desordenados involuntários), tremores, coréia (movimentos vigorosos involuntários) e bradicinesia (lentificação de movimentos) podem ocorrer com o uso prolongado de Digeplus e o desaparecimento dos sintomas pode levar meses após a interrupção do tratamento.

Outros sintomas incluem tontura, depressão e ataxia (falta de coordenação dos movimentos). Casos raros de síndrome neuroléptica maligna foram notificados. Os sintomas incluem rigidez muscular, hipertermia, e alterações da consciência.

Discinesia tardia também foi relatada. Os sintomas foram caracterizados por movimentos involuntários da língua, face, boca e maxila. Houve uma maior prevalência em pacientes diabéticos.

Efeitos Oftamológicos

Casos de crises oculógiras (movimentos rápidos e rotatórios dos olhos) foram notificados.

Efeitos Psiquiátricos
  • <li>Depress&#xE3;o;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/ansiedade/c" target="_blank">Ansiedade</a>;</li> <li>Agita&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Falta de ar;</li> <li>Dist&#xFA;rbios do sono;</li> <li>Dificuldade de concentra&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Desconforto epig&#xE1;strico;</li> <li>Sede seguido por polidipsia;</li> <li>Poli&#xFA;ria foram relatadas ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de metoclopramida.</li>
Efeitos Renais

Incontinência urinária e retenção urinária foram verificadas.

Efeitos Reprodutivos

Casos de impotência foram relatados com o uso da metoclopramida. A normalidade da função sexual retornou após parar seu uso.

Efeitos Respiratórios
  • <li>Angiodema;</li> <li>Broncoespasmo;</li> <li>Insufici&#xEA;ncia respirat&#xF3;ria foram relatadas ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de metoclopramida.</li>
Teratogenicidade / Efeitos na Gravidez e Lactação

Não há estudos em gestantes que eliminem o risco fetal. Os efeitos da droga sobre o lactente são desconhecidos, mas pode ser motivo de preocupação.

Qual a composição do Digeplus?

Cada cápsula gelatinosa dura com microgrânulos de Digeplus contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:220px\"><a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-metoclopramida/bula\" target=\"_blank\">Cloridrato de metoclopramida</a>*</td> <td style=\"width:220px\"> <p style=\"text-align:center\">7 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:220px\">Dimeticona</td> <td style=\"width:220px\"> <p style=\"text-align:center\">40 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:220px\">Pepsina 1:10.000</td> <td style=\"width:220px\"> <p style=\"text-align:center\">50 mg</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

*Equivalente a 5,9 mg de metoclopramida base.

Excipientes: amido, talco, povidona, dióxido de silício, dióxido de titânio, metabissulfito de sódio, goma laca, cloreto de sódio, corante indigotina laca de alumínio, microgrânulo neutro de amido e sacarose.

Apresentação do&nbsp;Digeplus

{"tag":"hr","value":" <p>C&#xE1;psulas gelatinosas duras com microgr&#xE2;nulos 7 mg + 40 mg + 50 mg. Embalagens com 12 e 30 c&#xE1;psulas.</p> <p><strong>Uso oral.</strong></p> <p><strong>Uso adulto.</strong></p> "}

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Digeplus maior do que a recomendada?

Os sintomas de superdose ocorrem em decorrência do cloridrato de metoclopramida e são eles:

Hipertonia (rigidez muscular), agitação, confusão mental, irritabilidade, além dos sintomas extrapiramidais.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Digeplus com outros remédios?

O uso de Digeplus em conjunto com as drogas listadas abaixo, pode resultar nos seguintes efeitos indesejáveis:

Relacionadas à dimeticona
Gravidade&nbsp;moderada
Pode reduzir a eficácia terapêutica:

Levotiroxina.

Relacionadas à metoclopramida
Gravidade&nbsp;maior
Não devem ser utilizados em conjunto:
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-venlafaxina/bula" target="_blank">Venlafaxina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/maleato-de-fluvoxamina/bula" target="_blank">Fluvoxamina</a>;</li> <li>Bupropiona;</li> <li>Rivastigmina;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/mirtazapina/bula" target="_blank">Mirtazapina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-duloxetina/bula" target="_blank">Duloxetina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-fluoxetina/bula" target="_blank">Fluoxetina</a>;</li> <li>Anti-depressivos tric&#xED;clicos;</li> <li>Trimetobenzamida;</li> <li>Prometazina;</li> <li>Nefazodona;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-paroxetina/bula" target="_blank">Paroxetina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/bromidrato-de-citalopram/bula" target="_blank">Citalopram</a>;</li> <li>Desvenlafaxina;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/oxalato-de-escitalopram/bula" target="_blank">Escitalopram</a>;</li> <li>Trazodona;</li> <li>Trifluoroperazina;</li> <li>Mapotrilina;</li> <li>Sertralina;</li> <li>Proclorperazina;</li> <li>Trimetobenzamida;</li> <li>Antipsic&#xF3;ticos (ex: loxapina, <a href="https://consultaremedios.com.br/haloperidol/bula" target="_blank">haloperidol</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-clorpromazina/bula" target="_blank">clorpromazina</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/aripiprazol/bula" target="_blank">aripiprazol</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/clozapina/bula" target="_blank">clozapina</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/risperidona/bula" target="_blank">risperidona</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/olanzapina/bula" target="_blank">olanzapina</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/hemifumarato-de-quetiapina/bula" target="_blank">quetiapina</a>, ziprasidona).</li>
Podem aumentar o risco de elevação pressórica:
  • <li>Rasagilina;</li> <li>Selegilina e <a href="https://consultaremedios.com.br/tranilcipromina/bula" target="_blank">tranilcipromina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/bromocriptina/bula" target="_blank">Bromocriptina</a>;</li> <li>Fenelezina.</li>
Podem potencializar efeitos serotoninérgicos (confusão mental, hipertermia, hiperreflexia, contrações musculares):
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/linezolida/bula" target="_blank">Linezolida</a>;</li> <li>Minalcipram.</li>
Gravidade moderada
Podem reduzir o efeito terapêutico da medicação:
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cabergolina/bula" target="_blank">Cabergolina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/digoxina/bula" target="_blank">Digoxina</a>;</li> <li>Fosfomicina.</li>
Podem aumentar o efeito, causar risco de reações adversas ou tóxicas:
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/ciclosporina/bula" target="_blank">Ciclosporina</a>;</li> <li>Didanosina;</li> <li>Tracolimus e sirolimus;</li> <li>Levodopa;</li> <li>Mivac&#xFA;rio;</li> <li>Succinilcolina;</li> <li>Sertralina;</li> <li>Tramadol.</li>
Podem aumentar o risco de sedação:
  • <li>Morfina;</li> <li>Tiopental;</li> <li>Kava-kava.</li>
Gravidade menor
Pode diminuir os efeitos da medicação:
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cimetidina/bula" target="_blank">Cimetidina</a>;</li> <li> <em>Lithospermum</em>;</li> <li> <em>Vitex</em>.</li>

Exames de laboratórios

Não há dados disponíveis até o momento sobre a interferência de Digeplus em testes laboratoriais.

Como um dos principais efeitos colaterais da metoclopramida (princípio-ativo presente no medicamento) é a sonolência, pacientes que possuem algum tipo de risco para tal sintoma devem ter cuidado na utilização do medicamento. O uso de bebidas alcoólicas pode potencializar o efeito de sonolência.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Digeplus (Dimeticona + Metoclopramida + Pepsina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>Por apresentar um mecanismo de a&#xE7;&#xE3;o central e gastrocin&#xE9;tico, os resultados de efic&#xE1;cia nos estudos realizados com a metoclopramida foram relacionados quanto &#xE0; efici&#xEA;ncia do esvaziamento g&#xE1;strico para situa&#xE7;&#xF5;es que determinavam sintomas disp&#xE9;pticos. Estudos comparativos com outros procin&#xE9;ticos demonstraram que a efic&#xE1;cia da metoclopramida nos sintomas disp&#xE9;pticos decorrentes de situa&#xE7;&#xF5;es cl&#xED;nicas variadas foi de 59% a 65%.</p> <p>A dimeticona se mostrou eficaz em diferentes estudos de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/dispepsia-indigestao-o-que-e-sintomas-remedios-e-tipos/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">dispepsia</a> funcional, principalmente no al&#xED;vio da flatul&#xEA;ncia. A suplementa&#xE7;&#xE3;o de pepsina mostrou-se, em diferentes estudos, favor&#xE1;vel na redu&#xE7;&#xE3;o de sintomas disp&#xE9;pticos funcionais.</p> <p>Recente estudo multic&#xEA;ntrico brasileiro, duplo-cego, prospectivo, randomizado controlado com 320 pacientes disp&#xE9;pticos funcionais divididos em dois grupos de tratamento: grupo MDP com a combina&#xE7;&#xE3;o metoclopramida 7mg + dimeticona 40mg + pepsina 50mg e grupo M com metoclopramida 7 mg seguidos por 4 semanas.</p> <p>Os desfechos avaliados foram a melhora dos sintomas isoladamente, a melhora da qualidade de vida e a melhora global dos sintomas. Foi tamb&#xE9;m avaliada a seguran&#xE7;a do tratamento. As an&#xE1;lises foram por Inten&#xE7;&#xE3;o de Tratar (ITT).</p> <p>A propor&#xE7;&#xE3;o de pacientes com melhora igual ou superior que 50% no PADyQ no grupo MDP foi de 68%, maior que no grupo M, de 59,4% (p=0,051). Houve maior propor&#xE7;&#xE3;o de pacientes com melhora do sintoma dor ao final do tratamento com o uso da combina&#xE7;&#xE3;o (MDP) em rela&#xE7;&#xE3;o ao grupo com tratamento isolado (M) (63,7% vs 55,0%, p=0,0694). A melhora pela avalia&#xE7;&#xE3;o global dos sintomas foi significativamente maior no grupo tratado com a combina&#xE7;&#xE3;o do que no grupo em monoterapia&amp;nbsp;(p=0,0032) e o grupo de terapia combinada tamb&#xE9;m teve uma melhora de qualidade de vida com rela&#xE7;&#xE3;o ao dom&#xED;nio mental, significativamente maior do que no grupo com metoclopramida isolada.</p> <p>O perfil de seguran&#xE7;a foi excelente, com a maioria dos efeitos adversos, considerados leves, n&#xE3;o havendo diferen&#xE7;as estatisticamente significantes entre os dois grupos.</p> <p>O estudo evidenciou, em portadores de dispepsia funcional, segundo os crit&#xE9;rios de Roma &#x2013; III melhora cl&#xED;nica e estatisticamente significante em rela&#xE7;&#xE3;o &#xE0; satisfa&#xE7;&#xE3;o geral com o tratamento ao longo do acompanhamento dos pacientes, atingindo as maiores diferen&#xE7;as ao final do acompanhamento (90.1% contra 84.7%; p=0.033).</p> <p>Diferentes aspectos avaliados no mesmo protocolo demonstraram, segundo os autores, clara superioridade cl&#xED;nica em favor de Dimeticona + Metoclopramida + Pepsina, embora em muitas das situa&#xE7;&#xF5;es a signific&#xE2;ncia estat&#xED;stica n&#xE3;o tenha sido claramente atingida. Pela clareza de tais tend&#xEA;ncias, estudos com popula&#xE7;&#xF5;es mais numerosas poder&#xE3;o elucidar tamb&#xE9;m de forma estat&#xED;stica as diferen&#xE7;as clinicamente relevantes encontradas, como superioridade geral de resposta de 73.2% contra 65.2%; e melhora da dor abdominal de 63.7% contra 55.0%, ambos em rela&#xE7;&#xE3;o &#xE0; metoclopramida isolada. Quando avaliada a qualidade de vida, o Dimeticona + Metoclopramida + Pepsina tamb&#xE9;m se mostrou clinicamente superior &#xE0; metoclopramida isolada no quesito dom&#xED;nio mental, com indicativos de atingimento de diferen&#xE7;as estatisticamente significativas em estudos de popula&#xE7;&#xF5;es maiores (p=0.051).</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">Blasi, A. Studio multicentrico dell&apos;efficacia di bromopride nel trattamento dell&apos;ulcera duodenale: confronto con metoclopramide e placebo. Clin Ter; 101:167-177, 1982.<br> Karp, J.M., Perkel, M.S., Hersh, T. et al. Metoclopramide treatment of tardive dyskinesia. JAMA; 246:1934-1935, 1981.<br> Arienti, V. et al. Valutazione del dimeticone sul sintomo (meteorismo): La Clinica Terapeutica: 108: 291- 296, 1984.<br> Brewer, R.A. A Study of gastrointestinal gas in the aged. Clin Med; 80:18, 1973<br> Schulze-Delrieu, K. Metoclopramide. N.Engl. J. Med.; 305(1): 28-33, 1981.<br> Lauristen, K., Laursen, L., Rask-Madsen, J. Clinical pharmacokinetics of drugs used in the treatment of gastrointestinal diseases -1. Clin. Pharmacokinet.; 19(1): 11-31, 1990.<br> Chevrel, B. Inter&#xE9;t du spasmenzyme en gastroenterology. MCD; 5(1): 63-66, 1976<br/></br></br></br></br></br></br></span></p>"}

7mg + 40mg + 50mg, caixa contendo 12 cápsulas gelatinosas duras com microgrânulos

Princípio ativo
:
Dimeticona + Metoclopramida + Pepsina
Classe Terapêutica
:
Digestivos, Incluindo Enzimas Digestivas
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Aparelho Digestivo
Especialidade
:
Gastroenterologia e Clínica Médica

Bula do medicamento

Digeplus, para o que é indicado e para o que serve?

Digeplus é indicado para pessoas com problemas digestivos, tais como:

  • <li>Dificuldades de digest&#xE3;o;</li> <li>Sensa&#xE7;&#xE3;o de peso e em pachamento ap&#xF3;s alimenta&#xE7;&#xE3;o no est&#xF4;mago;</li> <li>Distens&#xE3;o abdominal;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/gases/" rel="noopener" target="_blank">Flatul&#xEA;ncia</a> (forma&#xE7;&#xE3;o excessiva de gases);</li> <li>Eructa&#xE7;&#xE3;o (arroto).</li>

Como o Digeplus&nbsp;funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Digeplus tem como principais subst&#xE2;ncias ativas a metoclopramida, a dimeticona e a pepsina. Elas agem em colabora&#xE7;&#xE3;o entre si de modo a melhorar algumas etapas importantes do processo de digest&#xE3;o. A a&#xE7;&#xE3;o do produto se inicia cerca de meia hora ap&#xF3;s sua tomada, durando por 4 a 6 horas.</p> <p>A metoclopramida &#xE9; &#xFA;til no tratamento e p reven&#xE7;&#xE3;o de n&#xE1;useas (enj&#xF4;os) e <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c\" target=\"_blank\">v&#xF4;mitos</a>, mas tamb&#xE9;m atua melhorando a movimenta&#xE7;&#xE3;o do est&#xF4;mago durante a digest&#xE3;o, acelerando o seu tempo de esvaziamento (reduzindo a sensa&#xE7;&#xE3;o de peso no est&#xF4;mago ap&#xF3;s as refei&#xE7;&#xF5;es) e contribuindo para impedir o refluxo para o es&#xF4;fago que pode causar <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/azia/c\" target=\"_blank\">azia</a>&amp;nbsp;e regurgita&#xE7;&#xE3;o alimentar.</p> <p>A dimeticona tem como principal a&#xE7;&#xE3;o a destrui&#xE7;&#xE3;o de bolhas de g&#xE1;s que se formam dentro do est&#xF4;mago e dos intestinos, reduzindo a sensa&#xE7;&#xE3;o de estufamento causada pelos gases e os ru&#xED;dos percebidos ap&#xF3;s as refei&#xE7;&#xF5;es.</p> <p>A pepsina &#xE9; uma subst&#xE2;ncia capaz de quebrar as <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/proteinas/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">prote&#xED;nas</a> da dieta (geralmente vindas de produtos de origem animal e de gr&#xE3;os como soja e feij&#xE3;o), ajudando a acelerar o processo de digest&#xE3;o, reduzindo a sensa&#xE7;&#xE3;o de desconforto que pode durar v&#xE1;rias horas ap&#xF3;s uma refei&#xE7;&#xE3;o rica em prote&#xED;nas.</p> "}

Quais as contraindicações do Digeplus?

Digeplus é contraindicado em pacientes que apresentem hipersensibilidade (alergia) a quaisquer produtos da sua fórmula e nos casos de hemorragia (sangramento) e bloqueio ou perfuração gastrintestinal.

Digeplus também é contraindicado em pacientes com doença de Parkinson e com história de epilepsia&nbsp;(convulsões).

Digeplus (particularmente a metoclopramida, por ter ação sistema nervoso central) pode comprometer as habilidades mentais e/ou físicas nos pacientes com história de depressão, devendo ser utilizado com atenção neste caso.

Com base nos efeitos conhecidos, supõe-se que Digeplus em doses terapêuticas não afeta a capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas. Contudo, é recomendável que nos primeiros dias de uso da medicação sejam observados possíveis sinais de sonolência, tremores ou outras alterações que possam vir a comprometer a capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas. Caso isto ocorra, o médico deverá ser informado antes da continuidade da medicação.

Este medicamento é contraindicado para crianças e adolescentes.

Como usar o Digeplus?

A recomendação para o uso de Digeplus é de em média 1 a 2 cápsulas antes das principais refeições. A dose diária máxima não deve ultrapassar tal recomendação.

Não há limite definido na duração do tratamento.

A dose deverá ser individualizada e ajustada de acordo com o grau de dificuldade de digestão ou gravidade da doença.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Digeplus?

{"tag":"hr","value":" <p>Caso voc&#xEA; se esque&#xE7;a de tomar a c&#xE1;psula de Digeplus, aguarde a pr&#xF3;xima refei&#xE7;&#xE3;o para administrar o medicamento. Em nenhuma hip&#xF3;tese a dose dever&#xE1; ser tomada em dobro em virtude de esquecimento da tomada anterior.</p> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico, ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> "}

Quais cuidados devo ter ao usar o Digeplus?

O uso de metoclopramida antes da anestesia local ou regional deve ser evitado em crianças, jovens e pacientes idosos, pois o medicamento pode causar diminuição da atividade cerebral bem como reações extrapiramidais (alterações motoras).

Como um dos principais efeitos colaterais da metoclopramida (princípio-ativo presente no medicamento) é a sonolência, pacientes que possuem algum tipo de risco para tal sintoma devem ter cuidado na utilização do medicamento. O uso de bebidas alcoólicas pode potencializar o efeito de sonolência.

Digeplus pode comprometer as habilidades mentais e/ou físicas nos pacientes com história de depressão, devendo ser utilizado com cautela neste caso.

Pacientes portadores de insuficiência renal devem ter suas doses corrigidas, o que não é necessário para pacientes em tratamento dialítico (realizando hemodiálise).

Não há necessidade de correção de doses para portadores de insuficiência hepática.

O uso de Digeplus em conjunto com as drogas listadas abaixo, pode resultar nos em alguns efeitos indesejáveis.

Uso na gravidez

Evitar o uso de Digeplus até o terceiro mês de gravidez. Nas fases posteriores o uso da medicação deverá ser avaliado pelo médico quanto aos riscos e benefícios do tratamento.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Pacientes idosos

Movimentos anormais ou perturbados foram relatados em pacientes idosos tratados por períodos prolongados. Entretanto, não há recomendações especiais sobre o uso adequado desse medicamento por pacientes idosos.

Crianças e adultos jovens

As reações extrapiramidais (como inquietude, movimentos involuntários, fala enrolada, etc.) podem ser mais frequentes em crianças e adultos jovens, podendo ocorrer após uma única dose.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Digeplus?

A seguir são listadas as principais reações adversas relacionadas aos componentes de Digeplus:

Efeitos Cardíacos
  • <li>Taquicardia supraventricular;</li> <li>Bradicardia;</li> <li>Palpita&#xE7;&#xF5;es;</li> <li>Bloqueio atrioventricular (dist&#xFA;rbios do ritmo do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-tipos-cerebral-pulmonar-etc-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">Edema</a> (incha&#xE7;o);</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">Insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> congestiva aguda (defici&#xEA;ncia contr&#xE1;til do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotensao-pressao-baixa-sintomas-na-gravidez-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">Hipotens&#xE3;o</a> (queda de press&#xE3;o arterial);</li> <li>Hipertens&#xE3;o maligna foram relatados.</li>

Crises hipertensivas foram relatadas em pacientes com feocromocitoma&nbsp;após o uso de metoclopramida.

Efeitos Dermatológicos

Alguns casos de erupções cutâneas e urticária (ferida na pele) têm sido relatados.

Efeitos Endocrinológicos
  • <li>Reten&#xE7;&#xE3;o h&#xED;drica;</li> <li>Hiperprolactinemia (excesso do horm&#xF4;nio respons&#xE1;vel pela produ&#xE7;&#xE3;o do leite) podem ocorrer e desaparecem com a interrup&#xE7;&#xE3;o do tratamento;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/porfiria/" rel="noopener" target="_blank">Porfiria</a> (dist&#xFA;rbio do metabolismo) intermitente aguda;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c" target="_blank">Febre</a>;</li> <li>Galactorreia (produ&#xE7;&#xE3;o de leite);</li> <li>Aumento dos n&#xED;veis de aldosterona foram relatados.</li>
Efeitos Gastrintestinais
  • <li>Constipa&#xE7;&#xE3;o (<a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">pris&#xE3;o de ventre</a>);</li> <li>Diarr&#xE9;ia;</li> <li>N&#xE1;useas e v&#xF4;mitos foram verificados.</li>
Efeitos Hematológicos
  • <li>Agranulocitose (diminui&#xE7;&#xE3;o da produ&#xE7;&#xE3;o de componentes do sangue);</li> <li>Metemoglobinemia (altera&#xE7;&#xE3;o dos gl&#xF3;bulos vermelhos) podem ocorrer.</li>
Efeitos musculoesqueléticos

Síndrome extrapiramidal (trismo) foi relatada com manifestações de espasmos musculares mastigatórios.

Efeitos Neurológicos
  • <li>Sonol&#xEA;ncia;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-muscular-cronica-adrenal-etc-e-como-tratar/" rel="noopener" target="_blank">Fadiga</a>;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/cansaco/" rel="noopener" target="_blank">Cansa&#xE7;o</a>;</li> <li>Inquieta&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Tonturas;</li> <li>Desmaios;</li> <li>Cefal&#xE9;ia;</li> <li>Aumento da press&#xE3;o intracraniana;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es agudas dist&#xF4;nicas foram relatadas ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o de doses terap&#xEA;uticas de metoclopramida.</li>
Efeitos no Sistema Nervoso Central

Sintomas parkinsonianos como discinesias (movimentos desordenados involuntários), tremores, coréia (movimentos vigorosos involuntários) e bradicinesia (lentificação de movimentos) podem ocorrer com o uso prolongado de Digeplus e o desaparecimento dos sintomas pode levar meses após a interrupção do tratamento.

Outros sintomas incluem tontura, depressão e ataxia (falta de coordenação dos movimentos). Casos raros de síndrome neuroléptica maligna foram notificados. Os sintomas incluem rigidez muscular, hipertermia, e alterações da consciência.

Discinesia tardia também foi relatada. Os sintomas foram caracterizados por movimentos involuntários da língua, face, boca e maxila. Houve uma maior prevalência em pacientes diabéticos.

Efeitos Oftamológicos

Casos de crises oculógiras (movimentos rápidos e rotatórios dos olhos) foram notificados.

Efeitos Psiquiátricos
  • <li>Depress&#xE3;o;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/ansiedade/c" target="_blank">Ansiedade</a>;</li> <li>Agita&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Falta de ar;</li> <li>Dist&#xFA;rbios do sono;</li> <li>Dificuldade de concentra&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Desconforto epig&#xE1;strico;</li> <li>Sede seguido por polidipsia;</li> <li>Poli&#xFA;ria foram relatadas ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de metoclopramida.</li>
Efeitos Renais

Incontinência urinária e retenção urinária foram verificadas.

Efeitos Reprodutivos

Casos de impotência foram relatados com o uso da metoclopramida. A normalidade da função sexual retornou após parar seu uso.

Efeitos Respiratórios
  • <li>Angiodema;</li> <li>Broncoespasmo;</li> <li>Insufici&#xEA;ncia respirat&#xF3;ria foram relatadas ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de metoclopramida.</li>
Teratogenicidade / Efeitos na Gravidez e Lactação

Não há estudos em gestantes que eliminem o risco fetal. Os efeitos da droga sobre o lactente são desconhecidos, mas pode ser motivo de preocupação.

Qual a composição do Digeplus?

Cada cápsula gelatinosa dura com microgrânulos de Digeplus contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:220px\"><a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-metoclopramida/bula\" target=\"_blank\">Cloridrato de metoclopramida</a>*</td> <td style=\"width:220px\"> <p style=\"text-align:center\">7 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:220px\">Dimeticona</td> <td style=\"width:220px\"> <p style=\"text-align:center\">40 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:220px\">Pepsina 1:10.000</td> <td style=\"width:220px\"> <p style=\"text-align:center\">50 mg</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

*Equivalente a 5,9 mg de metoclopramida base.

Excipientes: amido, talco, povidona, dióxido de silício, dióxido de titânio, metabissulfito de sódio, goma laca, cloreto de sódio, corante indigotina laca de alumínio, microgrânulo neutro de amido e sacarose.

Apresentação do&nbsp;Digeplus

{"tag":"hr","value":" <p>C&#xE1;psulas gelatinosas duras com microgr&#xE2;nulos 7 mg + 40 mg + 50 mg. Embalagens com 12 e 30 c&#xE1;psulas.</p> <p><strong>Uso oral.</strong></p> <p><strong>Uso adulto.</strong></p> "}

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Digeplus maior do que a recomendada?

Os sintomas de superdose ocorrem em decorrência do cloridrato de metoclopramida e são eles:

Hipertonia (rigidez muscular), agitação, confusão mental, irritabilidade, além dos sintomas extrapiramidais.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Digeplus com outros remédios?

O uso de Digeplus em conjunto com as drogas listadas abaixo, pode resultar nos seguintes efeitos indesejáveis:

Relacionadas à dimeticona
Gravidade&nbsp;moderada
Pode reduzir a eficácia terapêutica:

Levotiroxina.

Relacionadas à metoclopramida
Gravidade&nbsp;maior
Não devem ser utilizados em conjunto:
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-venlafaxina/bula" target="_blank">Venlafaxina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/maleato-de-fluvoxamina/bula" target="_blank">Fluvoxamina</a>;</li> <li>Bupropiona;</li> <li>Rivastigmina;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/mirtazapina/bula" target="_blank">Mirtazapina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-duloxetina/bula" target="_blank">Duloxetina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-fluoxetina/bula" target="_blank">Fluoxetina</a>;</li> <li>Anti-depressivos tric&#xED;clicos;</li> <li>Trimetobenzamida;</li> <li>Prometazina;</li> <li>Nefazodona;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-paroxetina/bula" target="_blank">Paroxetina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/bromidrato-de-citalopram/bula" target="_blank">Citalopram</a>;</li> <li>Desvenlafaxina;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/oxalato-de-escitalopram/bula" target="_blank">Escitalopram</a>;</li> <li>Trazodona;</li> <li>Trifluoroperazina;</li> <li>Mapotrilina;</li> <li>Sertralina;</li> <li>Proclorperazina;</li> <li>Trimetobenzamida;</li> <li>Antipsic&#xF3;ticos (ex: loxapina, <a href="https://consultaremedios.com.br/haloperidol/bula" target="_blank">haloperidol</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-clorpromazina/bula" target="_blank">clorpromazina</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/aripiprazol/bula" target="_blank">aripiprazol</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/clozapina/bula" target="_blank">clozapina</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/risperidona/bula" target="_blank">risperidona</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/olanzapina/bula" target="_blank">olanzapina</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/hemifumarato-de-quetiapina/bula" target="_blank">quetiapina</a>, ziprasidona).</li>
Podem aumentar o risco de elevação pressórica:
  • <li>Rasagilina;</li> <li>Selegilina e <a href="https://consultaremedios.com.br/tranilcipromina/bula" target="_blank">tranilcipromina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/bromocriptina/bula" target="_blank">Bromocriptina</a>;</li> <li>Fenelezina.</li>
Podem potencializar efeitos serotoninérgicos (confusão mental, hipertermia, hiperreflexia, contrações musculares):
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/linezolida/bula" target="_blank">Linezolida</a>;</li> <li>Minalcipram.</li>
Gravidade moderada
Podem reduzir o efeito terapêutico da medicação:
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cabergolina/bula" target="_blank">Cabergolina</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/digoxina/bula" target="_blank">Digoxina</a>;</li> <li>Fosfomicina.</li>
Podem aumentar o efeito, causar risco de reações adversas ou tóxicas:
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/ciclosporina/bula" target="_blank">Ciclosporina</a>;</li> <li>Didanosina;</li> <li>Tracolimus e sirolimus;</li> <li>Levodopa;</li> <li>Mivac&#xFA;rio;</li> <li>Succinilcolina;</li> <li>Sertralina;</li> <li>Tramadol.</li>
Podem aumentar o risco de sedação:
  • <li>Morfina;</li> <li>Tiopental;</li> <li>Kava-kava.</li>
Gravidade menor
Pode diminuir os efeitos da medicação:
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cimetidina/bula" target="_blank">Cimetidina</a>;</li> <li> <em>Lithospermum</em>;</li> <li> <em>Vitex</em>.</li>

Exames de laboratórios

Não há dados disponíveis até o momento sobre a interferência de Digeplus em testes laboratoriais.

Como um dos principais efeitos colaterais da metoclopramida (princípio-ativo presente no medicamento) é a sonolência, pacientes que possuem algum tipo de risco para tal sintoma devem ter cuidado na utilização do medicamento. O uso de bebidas alcoólicas pode potencializar o efeito de sonolência.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Digeplus (Dimeticona + Metoclopramida + Pepsina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>Por apresentar um mecanismo de a&#xE7;&#xE3;o central e gastrocin&#xE9;tico, os resultados de efic&#xE1;cia nos estudos realizados com a metoclopramida foram relacionados quanto &#xE0; efici&#xEA;ncia do esvaziamento g&#xE1;strico para situa&#xE7;&#xF5;es que determinavam sintomas disp&#xE9;pticos. Estudos comparativos com outros procin&#xE9;ticos demonstraram que a efic&#xE1;cia da metoclopramida nos sintomas disp&#xE9;pticos decorrentes de situa&#xE7;&#xF5;es cl&#xED;nicas variadas foi de 59% a 65%.</p> <p>A dimeticona se mostrou eficaz em diferentes estudos de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/dispepsia-indigestao-o-que-e-sintomas-remedios-e-tipos/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">dispepsia</a> funcional, principalmente no al&#xED;vio da flatul&#xEA;ncia. A suplementa&#xE7;&#xE3;o de pepsina mostrou-se, em diferentes estudos, favor&#xE1;vel na redu&#xE7;&#xE3;o de sintomas disp&#xE9;pticos funcionais.</p> <p>Recente estudo multic&#xEA;ntrico brasileiro, duplo-cego, prospectivo, randomizado controlado com 320 pacientes disp&#xE9;pticos funcionais divididos em dois grupos de tratamento: grupo MDP com a combina&#xE7;&#xE3;o metoclopramida 7mg + dimeticona 40mg + pepsina 50mg e grupo M com metoclopramida 7 mg seguidos por 4 semanas.</p> <p>Os desfechos avaliados foram a melhora dos sintomas isoladamente, a melhora da qualidade de vida e a melhora global dos sintomas. Foi tamb&#xE9;m avaliada a seguran&#xE7;a do tratamento. As an&#xE1;lises foram por Inten&#xE7;&#xE3;o de Tratar (ITT).</p> <p>A propor&#xE7;&#xE3;o de pacientes com melhora igual ou superior que 50% no PADyQ no grupo MDP foi de 68%, maior que no grupo M, de 59,4% (p=0,051). Houve maior propor&#xE7;&#xE3;o de pacientes com melhora do sintoma dor ao final do tratamento com o uso da combina&#xE7;&#xE3;o (MDP) em rela&#xE7;&#xE3;o ao grupo com tratamento isolado (M) (63,7% vs 55,0%, p=0,0694). A melhora pela avalia&#xE7;&#xE3;o global dos sintomas foi significativamente maior no grupo tratado com a combina&#xE7;&#xE3;o do que no grupo em monoterapia&amp;nbsp;(p=0,0032) e o grupo de terapia combinada tamb&#xE9;m teve uma melhora de qualidade de vida com rela&#xE7;&#xE3;o ao dom&#xED;nio mental, significativamente maior do que no grupo com metoclopramida isolada.</p> <p>O perfil de seguran&#xE7;a foi excelente, com a maioria dos efeitos adversos, considerados leves, n&#xE3;o havendo diferen&#xE7;as estatisticamente significantes entre os dois grupos.</p> <p>O estudo evidenciou, em portadores de dispepsia funcional, segundo os crit&#xE9;rios de Roma &#x2013; III melhora cl&#xED;nica e estatisticamente significante em rela&#xE7;&#xE3;o &#xE0; satisfa&#xE7;&#xE3;o geral com o tratamento ao longo do acompanhamento dos pacientes, atingindo as maiores diferen&#xE7;as ao final do acompanhamento (90.1% contra 84.7%; p=0.033).</p> <p>Diferentes aspectos avaliados no mesmo protocolo demonstraram, segundo os autores, clara superioridade cl&#xED;nica em favor de Dimeticona + Metoclopramida + Pepsina, embora em muitas das situa&#xE7;&#xF5;es a signific&#xE2;ncia estat&#xED;stica n&#xE3;o tenha sido claramente atingida. Pela clareza de tais tend&#xEA;ncias, estudos com popula&#xE7;&#xF5;es mais numerosas poder&#xE3;o elucidar tamb&#xE9;m de forma estat&#xED;stica as diferen&#xE7;as clinicamente relevantes encontradas, como superioridade geral de resposta de 73.2% contra 65.2%; e melhora da dor abdominal de 63.7% contra 55.0%, ambos em rela&#xE7;&#xE3;o &#xE0; metoclopramida isolada. Quando avaliada a qualidade de vida, o Dimeticona + Metoclopramida + Pepsina tamb&#xE9;m se mostrou clinicamente superior &#xE0; metoclopramida isolada no quesito dom&#xED;nio mental, com indicativos de atingimento de diferen&#xE7;as estatisticamente significativas em estudos de popula&#xE7;&#xF5;es maiores (p=0.051).</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">Blasi, A. Studio multicentrico dell&apos;efficacia di bromopride nel trattamento dell&apos;ulcera duodenale: confronto con metoclopramide e placebo. Clin Ter; 101:167-177, 1982.<br> Karp, J.M., Perkel, M.S., Hersh, T. et al. Metoclopramide treatment of tardive dyskinesia. JAMA; 246:1934-1935, 1981.<br> Arienti, V. et al. Valutazione del dimeticone sul sintomo (meteorismo): La Clinica Terapeutica: 108: 291- 296, 1984.<br> Brewer, R.A. A Study of gastrointestinal gas in the aged. Clin Med; 80:18, 1973<br> Schulze-Delrieu, K. Metoclopramide. N.Engl. J. Med.; 305(1): 28-33, 1981.<br> Lauristen, K., Laursen, L., Rask-Madsen, J. Clinical pharmacokinetics of drugs used in the treatment of gastrointestinal diseases -1. Clin. Pharmacokinet.; 19(1): 11-31, 1990.<br> Chevrel, B. Inter&#xE9;t du spasmenzyme en gastroenterology. MCD; 5(1): 63-66, 1976<br> Asante, A. Optimal management of patients with non-ulcer dyspepsia. Drugs Aging; 18(11): 819-26, 2001.<br> Nizzo, M.C., Mavillo, R., Lepore, R. Sperimentazione clinica sull&#xED;mpiego in gastroenterologia di un preparato di associazione. Cl. Terap.; 84: 491-500, 1978.<br> Perez, M.G. Tratamiento de los syndromes disp&#xE9;pticos con Diskilene. Rev. Esp. Ap. Digest., 44: 187- 192, 1974.<br> Quilici, F.A., Cordeiro, F., Francisconi, C.F.M., Mazzoleni, L.F., Eisig, J.N., Moraes, J.P.F., Meneguelli, U., Aprille, L.O.R. Dispepsia Funcional: Estudo prospectivo, randomizado, duplo-cego, comparativo entre metoclopramida + dimeticona + pepsina e a metoclopramida isolada. RBM &#x2013; REV. BRAS. MED., 64 (3): 124&#x2013;131; 2007.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <p>Dimeticona + Metoclopramida + Pepsina tem como princ&#xED;pios ativos o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-metoclopramida/bula\" target=\"_blank\">cloridrato de metoclopramida</a>, a dimeticona e a pepsina, os quais atuam sinergicamente de modo sequencial em todos os n&#xED;veis do processo de digest&#xE3;o. O cloridrato de metoclopramida &#xE9; um princ&#xED;pio ativo com a&#xE7;&#xE3;o no sistema nervoso central e no tubo gastrintestinal. No sistema nervoso central age como antagonista dopamin&#xE9;rgico, o que explica sua a&#xE7;&#xE3;o antiem&#xE9;tica central e, em parte, suas rea&#xE7;&#xF5;es adversas centrais. No tubo gastrintestinal, age liberando acetilcolina dos plexos mioent&#xE9;ricos, o que resulta em contra&#xE7;&#xE3;o da musculatura lisa e nas seguintes a&#xE7;&#xF5;es: aumento do t&#xF4;nus de relaxamento do esf&#xED;ncter esofageano; aumento do t&#xF4;nus e da peristalse g&#xE1;strica e duodenal al&#xE9;m do relaxamento do esf&#xED;ncter pil&#xF3;rico. Essas a&#xE7;&#xF5;es diminuem o tempo de esvaziamento g&#xE1;strico e o tempo de tr&#xE2;nsito alimentar atrav&#xE9;s do duodeno, jejuno e &#xED;leo. O cloridrato de metoclopramida &#xE9; absorvido pelo trato gastrintestinal. A metoclopramida &#xE9; rapidamente absorvida ap&#xF3;s ingest&#xE3;o oral, com muitos pacientes apresentando concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas terap&#xEA;uticas ap&#xF3;s a ingest&#xE3;o de uma &#xFA;nica dose. O pico de concentra&#xE7;&#xE3;o plasm&#xE1;tica oral &#xE9; de 40 a 120 minutos e a biodisponibilidade apresenta varia&#xE7;&#xF5;es individuais que v&#xE3;o de 32 a 97%. O volume de distribui&#xE7;&#xE3;o &#xE9; de 2 a 4 l/kg. Sua metaboliza&#xE7;&#xE3;o &#xE9; hep&#xE1;tica e todos os metab&#xF3;litos s&#xE3;o inativos. A excre&#xE7;&#xE3;o &#xE9; urin&#xE1;ria em 80% em 24 horas, como droga inalterada em 20% ou como conjugados sulfato ou glucoronida. Sua meia-vida de elimina&#xE7;&#xE3;o &#xE9; de 2,5 a 5 horas.</p> <p>A dimeticona &#xE9; um di&#xF3;xido de silicone capaz de alterar a tens&#xE3;o superficial dos gases e das bolhas&amp;nbsp;mucosas, favorecendo sua coalesc&#xEA;ncia e dispers&#xE3;o. Desta maneira, &#xE9; empregada para dist&#xFA;rbios gastrintestinais ligados &#xE0; flatul&#xEA;ncia, como dispepsia funcional. Em muitas situa&#xE7;&#xF5;es costuma ser empregada em associa&#xE7;&#xF5;es com outros ativos. A dimeticona n&#xE3;o &#xE9; absorvida, sendo eliminada nas fezes.</p> <p>A pepsina &#xE9; uma enzima proteol&#xED;tica do est&#xF4;mago, sendo efetiva na lise e digest&#xE3;o de diferentes compostos prot&#xE9;icos. Sua suplementa&#xE7;&#xE3;o foi eficaz em diversos sintomas de dispepsias, particularmente naqueles ligados ao empachamento p&#xF3;s-prandial e na sensa&#xE7;&#xE3;o de m&#xE1; digest&#xE3;o.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Digeplus?

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do medicamento

As cápsulas de Digeplus são de corpo e tampa cor amarelo transparente, com gravação Digeplus, contendo microgrânulos branco e azul claro.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Dizeres Legais do Digeplus

Reg. MS - 1.0573.0365

Farmacêutica Responsável:
Dra.&nbsp;Gabriela Mallmann.
CRF-SP n° 30.138.

Fabricado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.
Guarulhos - SP

Registrado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.
Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 - 20º andar
São Paulo - SP
CNPJ 60.659.463/0029-92
Indústria Brasileira




Ou

Registrado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.
Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 – 20° andar – São Paulo
CNPJ 60.659.463/0029-92
Indústria Brasileira



Fabricado por:
Valpharma S.p.A.
Serravalle – República de San Marino
Importado e embalado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.
Guarulhos – SP




Venda sob prescrição médica.

Fabricante: Aché

© 2021 Medicamento Lab.