Aché Glicolive

1500mg/g, caixa com 30 envelopes com 4g de pó para solução de uso oral

Princípio ativo
:
Sulfato De Glicosamina
Classe Terapêutica
:
Todos Os Outros Fármacos Com Ação Músculo-Esquelética
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Doenças Dos Ossos
Especialidade
:
Ortopedia e traumatologia e Reumatologia

Bula do medicamento

Glicolive, para o que é indicado e para o que serve?

Glicolive é indicado no tratamento de artrose (doença degenerativa nas articulações) ou osteoartrite (inflamação grave da articulação com lesão óssea) primária e secundária, e suas manifestações.

Quais as contraindicações do Glicolive?

Você não deve usar Glicolive se apresentar uma das situações abaixo:

  • <li>Alergia a glicosamina ou a qualquer componente da formula&#xE7;&#xE3;o;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/fenilcetonuria/" rel="noopener" target="_blank">Fenilceton&#xFA;ria</a>.</li>

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Como usar o Glicolive?

Glicolive deve ser administrado por via oral.

Deve-se adicionar o conteúdo do envelope em um copo com aproximadamente 250 mL de água em temperatura ambiente, aguardar entre 2 e 5 minutos e só então mexer com o auxílio de uma colher.

Posologia do Glicolive

{"tag":"hr","value":" <ul> <li>Tomar 1 envelope por dia segundo indica&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dica.</li> </ul> <p>A dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento fica a crit&#xE9;rio do m&#xE9;dico. Voc&#xEA; n&#xE3;o deve tomar mais do que um envelope por dia.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o de seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento. N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu m&#xE9;dico.</strong></p> "}

Como o Glicolive funciona?

Glicolive é um medicamento que age sobre a cartilagem que reveste as articulações fazendo com que o processo degenerativo aconteça mais lentamente.

Desta maneira, Glicolive causa a diminuição da dor e da limitação dos movimentos, sintomas que geralmente acontecem em doenças que atingem a cartilagem.

Quais cuidados devo ter ao usar o Glicolive?

Você deve usar Glicolive com cuidado se apresentar uma das situações abaixo:

  • <li>Dist&#xFA;rbios gastrintestinais (na regi&#xE3;o do est&#xF4;mago e intestino);</li> <li>Hist&#xF3;rico de <a href="https://consultaremedios.com.br/b/ulcera-gastrica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/ulcera/c" target="_blank">&#xFA;lcera</a> g&#xE1;strica (no est&#xF4;mago) ou intestinal;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/diabetes/c" target="_blank">Diabetes</a> <em>mellitus</em>;</li> <li>Insufici&#xEA;ncia renal, hep&#xE1;tica ou card&#xED;aca (problemas nos rins, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c" target="_blank">f&#xED;gado</a> ou cora&#xE7;&#xE3;o).</li>

Se você apresentar úlcera péptica (úlcera na mucosa do estômago ou duodeno) ou sangramento gastrintestinal durante o tratamento, informe imediatamente ao seu médico. Poderá ser necessária a suspensão do uso de Glicolive.

Você deve evitar ingerir bebidas alcoólicas durante o tratamento com Glicolive.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Informe ao seu médico caso esteja amamentando.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Glicolive?

As reações adversas mais comuns são:

  • <li>Desconforto g&#xE1;strico, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/diarreia/c" target="_blank">diarreia</a>, n&#xE1;usea, prurido (coceira) e cefaleia (<a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/dor-de-cabeca-e-enxaqueca/c" target="_blank">dor de cabe&#xE7;a</a>). Estas rea&#xE7;&#xF5;es geralmente s&#xE3;o de intensidade leve a moderada.</li>

Pode ocorrer o surgimento de reações alérgicas manifestadas como erupções na pele (rash).

Também foram verificadas reações incomuns como edema periférico (inchaço nas extremidades) e taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos); reações raras como sonolência e insônia; reações leves como dispepsia (dificuldade de digestão), vômito, dor abdominal, constipação (prisão de ventre), azia e anorexia (marcada diminuição ou perda do apetite).

Informe ao seu médico ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Glicolive?

Caso haja esquecimento na tomada da dose diária, continuar o tratamento no dia seguinte e tomar apenas o conteúdo de um envelope por dia.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico.

Qual a composição do Glicolive?

Cada envelope de Glicolive contém:

1500 mg de&nbsp;sulfato de glicosamina (equivalente a 1884 mg de sulfato de glicosamina cloreto de sódio).

Excipientes: ácido cítrico, sorbitol, macrogol e sucralose.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Glicolive maior do que a recomendada?

Não é conhecido antídoto específico para este medicamento. Em caso de superdosagem recomendam-se as medidas de suporte clínico.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Glicolive com outros remédios?

Você deve utilizar Glicolive com cuidado e informar ao seu médico se estiver tomando os seguintes medicamentos: tetraciclinas, penicilina, cloranfenicol e diuréticos (como, por exemplo, hidroclorotiazida).

Você pode utilizar Glicolive juntamente com medicamentos analgésicos (para dor) ou anti-inflamatórios esteroidais e não esteroidais.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde.

Qual a ação da substância do Glicolive (Sulfato de Glicosamina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>V&#xE1;rios estudos cl&#xED;nicos avaliaram os efeitos do sulfato de glicosamina 5,6,7. Estudos recentes t&#xEA;m sugerido que a glicosamina impede eficientemente a progress&#xE3;o de longo prazo da osteoartrite<sup>5,6,7</sup>. Uma meta-an&#xE1;lise de 15 estudos placebo-controlados, randomizados avaliaram a efic&#xE1;cia estrutural e sintom&#xE1;tica da glicosamina oral na osteoartrite de joelho e demonstrou efic&#xE1;cia para a glicosamina no &#xED;ndice de estreitamento do espa&#xE7;o articular e no &#xED;ndice WOMAC (Western Ontario Macmaster University Osteoarthritis). Efic&#xE1;cias semelhantes foram demonstradas para a glicosamina no &#xED;ndice Lequesne (algo-funcional) e escala anal&#xF3;gica visual para dor e mobilidade. A degenera&#xE7;&#xE3;o da cartilagem articular foi mais lenta com a administra&#xE7;&#xE3;o di&#xE1;ria em longo prazo da glicosamina oral na dose m&#xED;nima de 1.500 mg durante um per&#xED;odo m&#xED;nimo de tr&#xEA;s anos<sup>5</sup> .</p> <p>Por meio de um estudo randomizado, duplo-cego, placebo-controlado, 202 pacientes com osteoartrite moderada do joelho foram tratados com 1.500 mg de sulfato de glicosamina ou placebo uma vez ao dia. A glicosamina reduziu o estreitamento do espa&#xE7;o articular no fim de cada ano do estudo. No 3&#xBA; ano do estudo, os pacientes que receberam placebo tiveram um estreitamento do espa&#xE7;o articular de - 0,19 mm enquanto que os pacientes que tomaram a glicosamina apresentaram um aumento discreto (+0,04 mm) (p=0,001 entre os grupos). Os sintomas foram avaliados pelos &#xED;ndices WOMAC e Lequesne, os quais melhoraram 15% e 20% em rela&#xE7;&#xE3;o ao basal com glicosamina (p&lt;0,0001 e p=0,002, respectivamente) comparado com o placebo<sup>6</sup> .</p> <p>Em outro estudo randomizado, duplo-cego, placebo-controlado, a administra&#xE7;&#xE3;o por via oral de 1.500 mg de sulfato de glicosamina, uma vez ao dia, impediu significantemente as modifica&#xE7;&#xF5;es estruturais da articula&#xE7;&#xE3;o do joelho em indiv&#xED;duos com osteoartrite por um per&#xED;odo de tr&#xEA;s anos. O grupo placebo (n=106) teve um estreitamento progressivo do espa&#xE7;o articular e uma perda m&#xE9;dia ap&#xF3;s tr&#xEA;s anos de 0,31 mm (95% de Intervalo de confian&#xE7;a (IC) -0,48 a -0,13). O grupo glicosamina (n=106) n&#xE3;o apresentou perda significante do espa&#xE7;o articular (- 0.06 mm (95% IC -0.22 a -0.09)). Os sintomas avaliados pelos escores de WOMAC pioraram discretamente no grupo placebo, mas melhoraram 20% a 25% no grupo glicosamina. A diferen&#xE7;a entre os escores de sintomas do grupo placebo e glicosamina foi significante (p=0,016). Os escores da subescala WOMAC que mediram a dor e a fun&#xE7;&#xE3;o f&#xED;sica foram melhores significantemente com o grupo glicosamina comparado com o placebo (p=0.047 para a dor e p=0.020 para a fun&#xE7;&#xE3;o f&#xED;sica), mas somente modifica&#xE7;&#xF5;es m&#xED;nimas na rigidez articular foram notadas entre os grupos<sup>7</sup>.</p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades Farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>A glicosamina &#xE9; uma mol&#xE9;cula naturalmente presente no organismo humano como glicosamina 6-fosfato e &#xE9; o fator mais importante para a bioss&#xED;ntese de uma classe de compostos como glicolip&#xED;deos, glicoprote&#xED;nas, glicosaminoglicanos (denominados mucopolissacar&#xED;deos), hialuronatos e proteoglicanos. Estas subst&#xE2;ncias t&#xEA;m um papel importante na forma&#xE7;&#xE3;o das superf&#xED;cies articulares, tend&#xF5;es, ligamentos, tecido sinovial, pele, ossos, unhas, v&#xE1;lvulas card&#xED;acas e secre&#xE7;&#xE3;o da mucosa do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/c\" target=\"_blank\">aparelho digestivo</a>, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/c\" target=\"_blank\">aparelho respirat&#xF3;rio</a> e trato urin&#xE1;rio<sup>1</sup>. Como a glicosamina estimula a s&#xED;ntese de proteoglicanos da cartilagem, ela acaba inibindo sua deteriora&#xE7;&#xE3;o provocada pela osteoartrose e ajuda a manter um equil&#xED;brio entre os processos catab&#xF3;licos e anab&#xF3;licos da cartilagem<sup>8</sup>.</p> <p>Normalmente a chegada da glicosamina na articula&#xE7;&#xE3;o est&#xE1; assegurada pelo processo de biotransforma&#xE7;&#xE3;o da <a href=\"https://consultaremedios.com.br/glicose/bula\" target=\"_blank\">glicose</a>. Na artrose ou osteoartrite tem sido observada aus&#xEA;ncia local de glicosamina devido a uma diminui&#xE7;&#xE3;o da permeabilidade da c&#xE1;psula articular e por altera&#xE7;&#xF5;es enzim&#xE1;ticas nas c&#xE9;lulas da membrana sinovial da cartilagem. Nestas situa&#xE7;&#xF5;es prop&#xF5;e-se a entrada ex&#xF3;gena de sulfato de glicosamina1 . O sulfato de glicosamina &#xE9; uma mol&#xE9;cula pequena (peso molecular = 456,42) e uma subst&#xE2;ncia pura obtida mediante s&#xED;ntese qu&#xED;mica, diferenciando-se assim de outras subst&#xE2;ncias farmacol&#xF3;gicas que foram propostas para o tratamento de osteoartrite e que s&#xE3;o polissacar&#xED;deos de alto peso molecular, principalmente obtidos por extra&#xE7;&#xE3;o<sup>2</sup>.</p> <p>O sulfato de glicosamina pode ser utilizado como suplemento das car&#xEA;ncias end&#xF3;genas de glicosamina, para estimular a bioss&#xED;ntese dos proteoglicanos, com o efeito de desenvolver uma a&#xE7;&#xE3;o tr&#xF3;fica nos sulcos articulares e para favorecer a fixa&#xE7;&#xE3;o de enxofre na s&#xED;ntese do &#xE1;cido condroitinsulf&#xFA;rico e a disposi&#xE7;&#xE3;o normal de c&#xE1;lcio no tecido &#xF3;sseo. A experi&#xEA;ncia cl&#xED;nica tamb&#xE9;m confirma a &#xF3;tima toler&#xE2;ncia de glicosamina devido a sua origem natural<sup>1</sup> .</p> <p>Uma a&#xE7;&#xE3;o anti-inflamat&#xF3;ria de glicosamina tamb&#xE9;m foi proposta em estudos farmacol&#xF3;gicos, mas esta a&#xE7;&#xE3;o n&#xE3;o estaria relacionada com a inibi&#xE7;&#xE3;o da ciclo-oxigenase<sup>9</sup> .</p> <h3>Propriedades Farmacocin&#xE9;ticas</h3> <p>A glicosamina &#xE9; rapidamente absorvida ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o oral e tem uma biodisponibilidade de 26%, enquanto a administra&#xE7;&#xE3;o intramuscular resulta em uma biodisponibilidade de 96%. Quando a glicosamina foi administrada por via oral (250 mg), via intravenosa (i.v.) (400 mg) ou via intramuscular (i.m.) (400 mg), as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas m&#xE1;ximas (Cmax) foram de 31, 128 e 130 mol/L, respectivamente. O Cmax foi atingido dentro de 8 horas a partir da administra&#xE7;&#xE3;o intramuscular 18, 19. Em volunt&#xE1;rios saud&#xE1;veis, a meia-vida de elimina&#xE7;&#xE3;o (t&#xBD;) da glicosamina (C14) administrada por via i.m. teve um valor levemente menor, 57 horas, quando comparada com a administrada por via i.v. ou oral (70 horas) <sup>19</sup>.</p> <p>A incorpora&#xE7;&#xE3;o &#xE0; cartilagem articular &#xE9; observada rapidamente ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o tanto i.v. como oral e persiste em quantidades not&#xE1;veis a longo prazo. Outros &#xF3;rg&#xE3;os que podem concentrar a glicosamina s&#xE3;o o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a> e os rins. A fra&#xE7;&#xE3;o de glicosamina que n&#xE3;o se emprega no processo de bioss&#xED;ntese (em torno de 30%) &#xE9; excretada na urina, e s&#xF3; uma pequena por&#xE7;&#xE3;o &#xE9; excretada nas fezes<sup>18, 20</sup>.</p> <p>A excre&#xE7;&#xE3;o fecal da radioatividade acumulada foi de menos de 1% de uma dose administrada i.v. ou i.m.. Aproximadamente 11% da radioatividade da glicosamina oral foram excretadas nas fezes 24 a 72 horas ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o por via oral. A excre&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria da radioatividade foi mais alta ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o i.m.: 37% da dose administrada foram recuperadas na urina e fezes comparadas com 28% e&amp;nbsp;21% da glicosamina i.v. e oral, respectivamente18, 19. N&#xE3;o existem dados dispon&#xED;veis do perfil farmacocin&#xE9;tico da glicosamina em pacientes idosos com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica e renal <sup>18</sup>.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1- Matheson AJ, Perry CM. Glucosamine: a review of its use in the management of osteoarthritis. Drugs Aging. 2003;20(14):1041-60.<br> 2- Deal CL, Moskowitz RW. Nutraceuticals as therapeutic agents in osteoarthritis. The role of glucosamine, chondroitin sulfate, and collagen hydrolysate. Rheum Dis Clin North Am.1999;25(2):379-95.<br> 3- Setnikar I, Rovati LC. Absorption, distribution, metabolism and excretion of glucosamine sulfate. A review. Arzneimittelforschung. 2001;51(9):699-725.<br> 4- Drugdex Drug Evaluations; Glucosamine, Micromedex, 2007.<br> 5- Richy F, Bruyere O, Ethgen O, Cucherat M, Henrotin Y, Reginster JY. Structural and symptomatic efficacy of glucosamine and chondroitin in knee osteoarthritis: a comprehensive meta-analysis. Arch Intern Med. 2003;163(13):1514-22.<br> 6- Pavelka K, Gatterova J, Olejarova M, Machacek S, Giacovelli G, Rovati LC. Glucosamine sulfate use and delay of progression of knee osteoarthritis: a 3- year, randomized, placebo-controlled, double-blind study. Arch Intern Med. 2002;162(18):2113-23.<br> 7- Reginster JY, Deroisy R, Rovati LC, Lee RL, Lejeune E, Bruyere O, Giacovelli G, Henrotin Y, Dacre JE, Gossett C. Long-term effects of glucosamine sulphate on osteoarthritis progression: a randomised, placebo-controlled clinical trial. Lancet. 2001;357(9252):251-6.<br> 8- Vidal y Plana RR, KARZEL K: Glucosamine: its importance for the metabolism of articular cartilage. 2. Studies on articular cartilage. Fortschr Med. 1980 Jun 5;98(21):801-6. German.<br> 9- Reichelt A, Forster KK, &amp; Fischer M: Efficacy and safety of intramuscular glucosamine sulfate in osteoarthritis of the knee: a randomised, placebo-controlled, double-blind study. Arzneimittelforschung 1994; 44:75-80.<br> 10- Reyes G C, Koda RT, Lien E J: Glucosamine and chondroitin sulfates in the treatment of osteoarthritis: a survey. Progress in Drug Research. 2000; 55:81-103.<br> 11- RTECS: Registry of Toxic Effects of Chemical Substances. National Institute for Occupational Safety and Health. Cincinnati, OH (Internet Version). Edition expires 2001; provided by Thomson Healthcare Inc., Greenwood Village, CO.<br> 12- S Fabro: The Reproductive Toxicology Center (eds): REPROTOX (electronic version). Georgetown University Medical Center and Reproductive Toxicology Center, Columbia Hospital for Women Medical Center. Washington, DC (Internet Version). Edition expires Feb/28/1999; provided by Thomson Healthcare Inc., Greenwood Village, CO.<br> 13- Tapadinhas MJ, Rivera IC, &amp; Bignamini AA: Oral glucosamine sulphate in the management of arthrosis: report on a multi-centre open investigation in Portugal. Pharmatherapeutica 1982; 3:157-168.<br> 14- Qiu GX, Gao SN, &amp; Giacovelli G: Efficacy and safety of glucosamine sulfate versus ibuprofen in patients with knee osteoarthritis. Arzneim-Forsch/Drug Res 1998; 48:469-474.<br> 15- Barclay TS, Tsourounis C, &amp; McCart GM: Glucosamine. Ann Pharmacother 1998; 32:574-580.<br> 16- Drovanti A, Bignamini AA, &amp; Rovati AL: Therapeutic activity of oral glucosamine sulfate in osteoarthritis: a placebo-controlled doubleblind investigation. Clin Ther 1980; 3:260-272.<br> 17- da Camara CC, Dowless GV: Glucosamine sulfate for osteoarthritis. Ann Pharmacother. 1998 May;32(5):602-3.<br> 18- Matheson AJ &amp; Perry CM. Glucosamine. A review of its use in the management of osteoarthritis. Drugs Aging 2000; 20 (14): 1041-1060.<br> 19- Setnikar I et al. Pharmacokinetics of glucosamine in man. Arzneimittelforschung 1993; 43(10):1109-<br> 20- Drugdex Drug Evaluations, Glucosamine; Micromedex, 2007.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> </hr>"}

Como devo armazenar o Glicolive?

Glicolive deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas

Glicolive apresenta-se na forma de pó branco a levemente amarelado.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Glicolive

Medicamento similar equivalente ao medicamento de referência.

Pó para solução oral&nbsp;1500 mg

Embalagem com 30 envelopes de 3,95 g cada.

Uso oral.

Uso adulto.

Dizeres Legais do Glicolive

M.S - 1.0573.0403

Farmacêutica Responsável:
Gabriela Mallmann
CRF-SP n° 30.138

Registrado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A
Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 - 20º andar
São Paulo - SP
CNPJ 60.659.463/0029-92
Indústria Brasileira




Fabricado e embalado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A
Guarulhos - SP

Ou

Embalado por:
Mappel Indústria de Embalagens Ltda
São Bernardo do Campo - SP

Venda sob prescrição médica.

1500mg/g, caixa com 10 envelopes com 4g de pó para solução de uso oral

Princípio ativo
:
Sulfato De Glicosamina
Classe Terapêutica
:
Todos Os Outros Fármacos Com Ação Músculo-Esquelética
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Doenças Dos Ossos
Especialidade
:
Ortopedia e traumatologia e Reumatologia

Bula do medicamento

Glicolive, para o que é indicado e para o que serve?

Glicolive é indicado no tratamento de artrose (doença degenerativa nas articulações) ou osteoartrite (inflamação grave da articulação com lesão óssea) primária e secundária, e suas manifestações.

Quais as contraindicações do Glicolive?

Você não deve usar Glicolive se apresentar uma das situações abaixo:

  • <li>Alergia a glicosamina ou a qualquer componente da formula&#xE7;&#xE3;o;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/fenilcetonuria/" rel="noopener" target="_blank">Fenilceton&#xFA;ria</a>.</li>

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Como usar o Glicolive?

Glicolive deve ser administrado por via oral.

Deve-se adicionar o conteúdo do envelope em um copo com aproximadamente 250 mL de água em temperatura ambiente, aguardar entre 2 e 5 minutos e só então mexer com o auxílio de uma colher.

Posologia do Glicolive

{"tag":"hr","value":" <ul> <li>Tomar 1 envelope por dia segundo indica&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dica.</li> </ul> <p>A dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento fica a crit&#xE9;rio do m&#xE9;dico. Voc&#xEA; n&#xE3;o deve tomar mais do que um envelope por dia.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o de seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento. N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu m&#xE9;dico.</strong></p> "}

Como o Glicolive funciona?

Glicolive é um medicamento que age sobre a cartilagem que reveste as articulações fazendo com que o processo degenerativo aconteça mais lentamente.

Desta maneira, Glicolive causa a diminuição da dor e da limitação dos movimentos, sintomas que geralmente acontecem em doenças que atingem a cartilagem.

Quais cuidados devo ter ao usar o Glicolive?

Você deve usar Glicolive com cuidado se apresentar uma das situações abaixo:

  • <li>Dist&#xFA;rbios gastrintestinais (na regi&#xE3;o do est&#xF4;mago e intestino);</li> <li>Hist&#xF3;rico de <a href="https://consultaremedios.com.br/b/ulcera-gastrica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/ulcera/c" target="_blank">&#xFA;lcera</a> g&#xE1;strica (no est&#xF4;mago) ou intestinal;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/diabetes/c" target="_blank">Diabetes</a> <em>mellitus</em>;</li> <li>Insufici&#xEA;ncia renal, hep&#xE1;tica ou card&#xED;aca (problemas nos rins, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c" target="_blank">f&#xED;gado</a> ou cora&#xE7;&#xE3;o).</li>

Se você apresentar úlcera péptica (úlcera na mucosa do estômago ou duodeno) ou sangramento gastrintestinal durante o tratamento, informe imediatamente ao seu médico. Poderá ser necessária a suspensão do uso de Glicolive.

Você deve evitar ingerir bebidas alcoólicas durante o tratamento com Glicolive.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Informe ao seu médico caso esteja amamentando.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Glicolive?

As reações adversas mais comuns são:

  • <li>Desconforto g&#xE1;strico, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/diarreia/c" target="_blank">diarreia</a>, n&#xE1;usea, prurido (coceira) e cefaleia (<a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/dor-de-cabeca-e-enxaqueca/c" target="_blank">dor de cabe&#xE7;a</a>). Estas rea&#xE7;&#xF5;es geralmente s&#xE3;o de intensidade leve a moderada.</li>

Pode ocorrer o surgimento de reações alérgicas manifestadas como erupções na pele (rash).

Também foram verificadas reações incomuns como edema periférico (inchaço nas extremidades) e taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos); reações raras como sonolência e insônia; reações leves como dispepsia (dificuldade de digestão), vômito, dor abdominal, constipação (prisão de ventre), azia e anorexia (marcada diminuição ou perda do apetite).

Informe ao seu médico ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Glicolive?

Caso haja esquecimento na tomada da dose diária, continuar o tratamento no dia seguinte e tomar apenas o conteúdo de um envelope por dia.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico.

Qual a composição do Glicolive?

Cada envelope de Glicolive contém:

1500 mg de&nbsp;sulfato de glicosamina (equivalente a 1884 mg de sulfato de glicosamina cloreto de sódio).

Excipientes: ácido cítrico, sorbitol, macrogol e sucralose.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Glicolive maior do que a recomendada?

Não é conhecido antídoto específico para este medicamento. Em caso de superdosagem recomendam-se as medidas de suporte clínico.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Glicolive com outros remédios?

Você deve utilizar Glicolive com cuidado e informar ao seu médico se estiver tomando os seguintes medicamentos: tetraciclinas, penicilina, cloranfenicol e diuréticos (como, por exemplo, hidroclorotiazida).

Você pode utilizar Glicolive juntamente com medicamentos analgésicos (para dor) ou anti-inflamatórios esteroidais e não esteroidais.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde.

Qual a ação da substância do Glicolive (Sulfato de Glicosamina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>V&#xE1;rios estudos cl&#xED;nicos avaliaram os efeitos do sulfato de glicosamina 5,6,7. Estudos recentes t&#xEA;m sugerido que a glicosamina impede eficientemente a progress&#xE3;o de longo prazo da osteoartrite<sup>5,6,7</sup>. Uma meta-an&#xE1;lise de 15 estudos placebo-controlados, randomizados avaliaram a efic&#xE1;cia estrutural e sintom&#xE1;tica da glicosamina oral na osteoartrite de joelho e demonstrou efic&#xE1;cia para a glicosamina no &#xED;ndice de estreitamento do espa&#xE7;o articular e no &#xED;ndice WOMAC (Western Ontario Macmaster University Osteoarthritis). Efic&#xE1;cias semelhantes foram demonstradas para a glicosamina no &#xED;ndice Lequesne (algo-funcional) e escala anal&#xF3;gica visual para dor e mobilidade. A degenera&#xE7;&#xE3;o da cartilagem articular foi mais lenta com a administra&#xE7;&#xE3;o di&#xE1;ria em longo prazo da glicosamina oral na dose m&#xED;nima de 1.500 mg durante um per&#xED;odo m&#xED;nimo de tr&#xEA;s anos<sup>5</sup> .</p> <p>Por meio de um estudo randomizado, duplo-cego, placebo-controlado, 202 pacientes com osteoartrite moderada do joelho foram tratados com 1.500 mg de sulfato de glicosamina ou placebo uma vez ao dia. A glicosamina reduziu o estreitamento do espa&#xE7;o articular no fim de cada ano do estudo. No 3&#xBA; ano do estudo, os pacientes que receberam placebo tiveram um estreitamento do espa&#xE7;o articular de - 0,19 mm enquanto que os pacientes que tomaram a glicosamina apresentaram um aumento discreto (+0,04 mm) (p=0,001 entre os grupos). Os sintomas foram avaliados pelos &#xED;ndices WOMAC e Lequesne, os quais melhoraram 15% e 20% em rela&#xE7;&#xE3;o ao basal com glicosamina (p&lt;0,0001 e p=0,002, respectivamente) comparado com o placebo<sup>6</sup> .</p> <p>Em outro estudo randomizado, duplo-cego, placebo-controlado, a administra&#xE7;&#xE3;o por via oral de 1.500 mg de sulfato de glicosamina, uma vez ao dia, impediu significantemente as modifica&#xE7;&#xF5;es estruturais da articula&#xE7;&#xE3;o do joelho em indiv&#xED;duos com osteoartrite por um per&#xED;odo de tr&#xEA;s anos. O grupo placebo (n=106) teve um estreitamento progressivo do espa&#xE7;o articular e uma perda m&#xE9;dia ap&#xF3;s tr&#xEA;s anos de 0,31 mm (95% de Intervalo de confian&#xE7;a (IC) -0,48 a -0,13). O grupo glicosamina (n=106) n&#xE3;o apresentou perda significante do espa&#xE7;o articular (- 0.06 mm (95% IC -0.22 a -0.09)). Os sintomas avaliados pelos escores de WOMAC pioraram discretamente no grupo placebo, mas melhoraram 20% a 25% no grupo glicosamina. A diferen&#xE7;a entre os escores de sintomas do grupo placebo e glicosamina foi significante (p=0,016). Os escores da subescala WOMAC que mediram a dor e a fun&#xE7;&#xE3;o f&#xED;sica foram melhores significantemente com o grupo glicosamina comparado com o placebo (p=0.047 para a dor e p=0.020 para a fun&#xE7;&#xE3;o f&#xED;sica), mas somente modifica&#xE7;&#xF5;es m&#xED;nimas na rigidez articular foram notadas entre os grupos<sup>7</sup>.</p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades Farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>A glicosamina &#xE9; uma mol&#xE9;cula naturalmente presente no organismo humano como glicosamina 6-fosfato e &#xE9; o fator mais importante para a bioss&#xED;ntese de uma classe de compostos como glicolip&#xED;deos, glicoprote&#xED;nas, glicosaminoglicanos (denominados mucopolissacar&#xED;deos), hialuronatos e proteoglicanos. Estas subst&#xE2;ncias t&#xEA;m um papel importante na forma&#xE7;&#xE3;o das superf&#xED;cies articulares, tend&#xF5;es, ligamentos, tecido sinovial, pele, ossos, unhas, v&#xE1;lvulas card&#xED;acas e secre&#xE7;&#xE3;o da mucosa do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/c\" target=\"_blank\">aparelho digestivo</a>, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/c\" target=\"_blank\">aparelho respirat&#xF3;rio</a> e trato urin&#xE1;rio<sup>1</sup>. Como a glicosamina estimula a s&#xED;ntese de proteoglicanos da cartilagem, ela acaba inibindo sua deteriora&#xE7;&#xE3;o provocada pela osteoartrose e ajuda a manter um equil&#xED;brio entre os processos catab&#xF3;licos e anab&#xF3;licos da cartilagem<sup>8</sup>.</p> <p>Normalmente a chegada da glicosamina na articula&#xE7;&#xE3;o est&#xE1; assegurada pelo processo de biotransforma&#xE7;&#xE3;o da <a href=\"https://consultaremedios.com.br/glicose/bula\" target=\"_blank\">glicose</a>. Na artrose ou osteoartrite tem sido observada aus&#xEA;ncia local de glicosamina devido a uma diminui&#xE7;&#xE3;o da permeabilidade da c&#xE1;psula articular e por altera&#xE7;&#xF5;es enzim&#xE1;ticas nas c&#xE9;lulas da membrana sinovial da cartilagem. Nestas situa&#xE7;&#xF5;es prop&#xF5;e-se a entrada ex&#xF3;gena de sulfato de glicosamina1 . O sulfato de glicosamina &#xE9; uma mol&#xE9;cula pequena (peso molecular = 456,42) e uma subst&#xE2;ncia pura obtida mediante s&#xED;ntese qu&#xED;mica, diferenciando-se assim de outras subst&#xE2;ncias farmacol&#xF3;gicas que foram propostas para o tratamento de osteoartrite e que s&#xE3;o polissacar&#xED;deos de alto peso molecular, principalmente obtidos por extra&#xE7;&#xE3;o<sup>2</sup>.</p> <p>O sulfato de glicosamina pode ser utilizado como suplemento das car&#xEA;ncias end&#xF3;genas de glicosamina, para estimular a bioss&#xED;ntese dos proteoglicanos, com o efeito de desenvolver uma a&#xE7;&#xE3;o tr&#xF3;fica nos sulcos articulares e para favorecer a fixa&#xE7;&#xE3;o de enxofre na s&#xED;ntese do &#xE1;cido condroitinsulf&#xFA;rico e a disposi&#xE7;&#xE3;o normal de c&#xE1;lcio no tecido &#xF3;sseo. A experi&#xEA;ncia cl&#xED;nica tamb&#xE9;m confirma a &#xF3;tima toler&#xE2;ncia de glicosamina devido a sua origem natural<sup>1</sup> .</p> <p>Uma a&#xE7;&#xE3;o anti-inflamat&#xF3;ria de glicosamina tamb&#xE9;m foi proposta em estudos farmacol&#xF3;gicos, mas esta a&#xE7;&#xE3;o n&#xE3;o estaria relacionada com a inibi&#xE7;&#xE3;o da ciclo-oxigenase<sup>9</sup> .</p> <h3>Propriedades Farmacocin&#xE9;ticas</h3> <p>A glicosamina &#xE9; rapidamente absorvida ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o oral e tem uma biodisponibilidade de 26%, enquanto a administra&#xE7;&#xE3;o intramuscular resulta em uma biodisponibilidade de 96%. Quando a glicosamina foi administrada por via oral (250 mg), via intravenosa (i.v.) (400 mg) ou via intramuscular (i.m.) (400 mg), as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas m&#xE1;ximas (Cmax) foram de 31, 128 e 130 mol/L, respectivamente. O Cmax foi atingido dentro de 8 horas a partir da administra&#xE7;&#xE3;o intramuscular 18, 19. Em volunt&#xE1;rios saud&#xE1;veis, a meia-vida de elimina&#xE7;&#xE3;o (t&#xBD;) da glicosamina (C14) administrada por via i.m. teve um valor levemente menor, 57 horas, quando comparada com a administrada por via i.v. ou oral (70 horas) <sup>19</sup>.</p> <p>A incorpora&#xE7;&#xE3;o &#xE0; cartilagem articular &#xE9; observada rapidamente ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o tanto i.v. como oral e persiste em quantidades not&#xE1;veis a longo prazo. Outros &#xF3;rg&#xE3;os que podem concentrar a glicosamina s&#xE3;o o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a> e os rins. A fra&#xE7;&#xE3;o de glicosamina que n&#xE3;o se emprega no processo de bioss&#xED;ntese (em torno de 30%) &#xE9; excretada na urina, e s&#xF3; uma pequena por&#xE7;&#xE3;o &#xE9; excretada nas fezes<sup>18, 20</sup>.</p> <p>A excre&#xE7;&#xE3;o fecal da radioatividade acumulada foi de menos de 1% de uma dose administrada i.v. ou i.m.. Aproximadamente 11% da radioatividade da glicosamina oral foram excretadas nas fezes 24 a 72 horas ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o por via oral. A excre&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria da radioatividade foi mais alta ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o i.m.: 37% da dose administrada foram recuperadas na urina e fezes comparadas com 28% e&amp;nbsp;21% da glicosamina i.v. e oral, respectivamente18, 19. N&#xE3;o existem dados dispon&#xED;veis do perfil farmacocin&#xE9;tico da glicosamina em pacientes idosos com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica e renal <sup>18</sup>.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1- Matheson AJ, Perry CM. Glucosamine: a review of its use in the management of osteoarthritis. Drugs Aging. 2003;20(14):1041-60.<br> 2- Deal CL, Moskowitz RW. Nutraceuticals as therapeutic agents in osteoarthritis. The role of glucosamine, chondroitin sulfate, and collagen hydrolysate. Rheum Dis Clin North Am.1999;25(2):379-95.<br> 3- Setnikar I, Rovati LC. Absorption, distribution, metabolism and excretion of glucosamine sulfate. A review. Arzneimittelforschung. 2001;51(9):699-725.<br> 4- Drugdex Drug Evaluations; Glucosamine, Micromedex, 2007.<br> 5- Richy F, Bruyere O, Ethgen O, Cucherat M, Henrotin Y, Reginster JY. Structural and symptomatic efficacy of glucosamine and chondroitin in knee osteoarthritis: a comprehensive meta-analysis. Arch Intern Med. 2003;163(13):1514-22.<br> 6- Pavelka K, Gatterova J, Olejarova M, Machacek S, Giacovelli G, Rovati LC. Glucosamine sulfate use and delay of progression of knee osteoarthritis: a 3- year, randomized, placebo-controlled, double-blind study. Arch Intern Med. 2002;162(18):2113-23.<br> 7- Reginster JY, Deroisy R, Rovati LC, Lee RL, Lejeune E, Bruyere O, Giacovelli G, Henrotin Y, Dacre JE, Gossett C. Long-term effects of glucosamine sulphate on osteoarthritis progression: a randomised, placebo-controlled clinical trial. Lancet. 2001;357(9252):251-6.<br> 8- Vidal y Plana RR, KARZEL K: Glucosamine: its importance for the metabolism of articular cartilage. 2. Studies on articular cartilage. Fortschr Med. 1980 Jun 5;98(21):801-6. German.<br> 9- Reichelt A, Forster KK, &amp; Fischer M: Efficacy and safety of intramuscular glucosamine sulfate in osteoarthritis of the knee: a randomised, placebo-controlled, double-blind study. Arzneimittelforschung 1994; 44:75-80.<br> 10- Reyes G C, Koda RT, Lien E J: Glucosamine and chondroitin sulfates in the treatment of osteoarthritis: a survey. Progress in Drug Research. 2000; 55:81-103.<br> 11- RTECS: Registry of Toxic Effects of Chemical Substances. National Institute for Occupational Safety and Health. Cincinnati, OH (Internet Version). Edition expires 2001; provided by Thomson Healthcare Inc., Greenwood Village, CO.<br> 12- S Fabro: The Reproductive Toxicology Center (eds): REPROTOX (electronic version). Georgetown University Medical Center and Reproductive Toxicology Center, Columbia Hospital for Women Medical Center. Washington, DC (Internet Version). Edition expires Feb/28/1999; provided by Thomson Healthcare Inc., Greenwood Village, CO.<br> 13- Tapadinhas MJ, Rivera IC, &amp; Bignamini AA: Oral glucosamine sulphate in the management of arthrosis: report on a multi-centre open investigation in Portugal. Pharmatherapeutica 1982; 3:157-168.<br> 14- Qiu GX, Gao SN, &amp; Giacovelli G: Efficacy and safety of glucosamine sulfate versus ibuprofen in patients with knee osteoarthritis. Arzneim-Forsch/Drug Res 1998; 48:469-474.<br> 15- Barclay TS, Tsourounis C, &amp; McCart GM: Glucosamine. Ann Pharmacother 1998; 32:574-580.<br> 16- Drovanti A, Bignamini AA, &amp; Rovati AL: Therapeutic activity of oral glucosamine sulfate in osteoarthritis: a placebo-controlled doubleblind investigation. Clin Ther 1980; 3:260-272.<br> 17- da Camara CC, Dowless GV: Glucosamine sulfate for osteoarthritis. Ann Pharmacother. 1998 May;32(5):602-3.<br> 18- Matheson AJ &amp; Perry CM. Glucosamine. A review of its use in the management of osteoarthritis. Drugs Aging 2000; 20 (14): 1041-1060.<br> 19- Setnikar I et al. Pharmacokinetics of glucosamine in man. Arzneimittelforschung 1993; 43(10):1109-<br> 20- Drugdex Drug Evaluations, Glucosamine; Micromedex, 2007.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> </hr>"}

Como devo armazenar o Glicolive?

Glicolive deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas

Glicolive apresenta-se na forma de pó branco a levemente amarelado.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Glicolive

Medicamento similar equivalente ao medicamento de referência.

Pó para solução oral&nbsp;1500 mg

Embalagem com 30 envelopes de 3,95 g cada.

Uso oral.

Uso adulto.

Dizeres Legais do Glicolive

M.S - 1.0573.0403

Farmacêutica Responsável:
Gabriela Mallmann
CRF-SP n° 30.138

Registrado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A
Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 - 20º andar
São Paulo - SP
CNPJ 60.659.463/0029-92
Indústria Brasileira




Fabricado e embalado por:
Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A
Guarulhos - SP

Ou

Embalado por:
Mappel Indústria de Embalagens Ltda
São Bernardo do Campo - SP

Venda sob prescrição médica.

Fabricante: Aché

© 2021 Medicamento Lab.