Actelion Zavesca

100mg, caixa com 90 cápsulas gelatinosas duras

Princípio ativo
:
Miglustate
Classe Terapêutica
:
Outros Produtos para o Aparelho Digestório e Metabolismo
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Sistema Nervoso
Especialidade
:
Genética médica e Neurologia

Bula do medicamento

Zavesca, para o que é indicado e para o que serve?

Zavesca é indicado para o tratamento oral da doença de Gaucher do tipo 1 leve a moderada para as quais a terapia de substituição enzimática é considerada inadequada.

Zavesca é indicado para o tratamento das manifestações neurológicas progressivas em pacientes adultos e pediátricos com doença de Niemann-Pick tipo C.

Quais as contraindicações do Zavesca?

Você não deve utilizar Zavesca:

  • <li>Se voc&#xEA; &#xE9; al&#xE9;rgico (hipersens&#xED;vel) ao <a href="https://consultaremedios.com.br/miglustate/bula" target="_blank">miglustate</a> ou a qualquer um dos excipientes da formula&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Se voc&#xEA; estiver gr&#xE1;vida;</li> <li>Se voc&#xEA; estiver amamentando, a menos que recomendado por seus m&#xE9;dicos;</li> <li>Se voc&#xEA; est&#xE1; pensando em engravidar.</li>

Este medicamento não pode ser tomado por mulheres grávidas ou que estão pensando em engravidar durante o tratamento.

Como usar o Zavesca?

As cápsulas inteiras de Zavesca tem que ser engolidas com água.

Siga a orientação do seu médico, respeitando horários, as doses e a duração do tratamento.

Para a doença de Gaucher tipo 1

A dose inicial recomendada para o tratamento de pacientes com a doença de Gaucher tipo 1 é de 100 mg, três vezes ao dia (manhã, tarde e noite), em intervalos regulares. Se você tem deficiências renais, informe o seu médico.

Para a doença de Niemann- Pick tipo C

Para adultos e adolescentes, a dose habitual é de duas cápsulas (200 mg), três vezes ao dia (manhã, tarde e noite). Isto significa uma dose diária máxima de seis cápsulas (600 mg).

Se você tem menos de 12 anos de idade, o seu médico irá ajustar a dose para a doença de Niemann Picktipo C.

Se você tem problema nos rins você pode receber uma dose inicial mais baixa. O seu médico pode reduzir a dose, por exemplo, para uma cápsula (100 mg) uma ou duas vezes ao dia, se você sofre de diarreia ao tomar Zavesca. O seu médico irá dizer quanto tempo o seu tratamento irá durar.

Não interrompa o tratamento sem falar com o seu médico.

Zavesca não deve ser dividido ou mastigado.

Se você tomar mais cápsulas de Zavesca do que o recomendado, consulte imediatamente o seu médico.

Zavesca tem sido utilizado em doses dez maiores do que a recomendada em estudos clínicos: isto causou uma redução das células sanguíneas e outras reações adversas descritas nesta bula.

Como o Zavesca funciona?

Zavesca pertence a um grupo de medicamentos que tratam desordens metabólicas. Zavesca inibe a enzima glucosilceramida sintase, responsável pela formação da glucosilceramida também chamada glucocerebrósido.

É utilizado para o tratamento de duas condições:

  • <li>Zavesca &#xE9; usado no tratamento da doen&#xE7;a de Gaucher tipo 1 leve a moderada: A doen&#xE7;a de Gaucher &#xE9;&amp;nbsp;uma condi&#xE7;&#xE3;o em que h&#xE1; um ac&#xFA;mulo de glucocerebr&#xF3;sido em certas c&#xE9;lulas do <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-imunologico/c" target="_blank">sistema imunol&#xF3;gico</a> chamadas macr&#xF3;fagos. Isto conduz &#xE0; deposi&#xE7;&#xE3;o da subst&#xE2;ncia nos &#xF3;rg&#xE3;os do corpo, produzindo, por exemplo, aumento do <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c" target="_blank">f&#xED;gado</a> e ba&#xE7;o, altera&#xE7;&#xF5;es no sangue, e doen&#xE7;as &#xF3;sseas.</li> <li>Zavesca &#xE9; usado no tratamento de sintomas neurol&#xF3;gicos progressivos em Niemann-Pick C: Niemann-Pick C &#xE9; uma condi&#xE7;&#xE3;o em que h&#xE1; um ac&#xFA;mulo de glucocerebr&#xF3;sido nas c&#xE9;lulas cerebrais. Isto leva a dist&#xFA;rbios das fun&#xE7;&#xF5;es neurol&#xF3;gicas como o movimento dos olhos, equil&#xED;brio, degluti&#xE7;&#xE3;o, mem&#xF3;ria e convuls&#xF5;es.</li>

Quais cuidados devo ter ao usar o Zavesca?

Zavesca não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou mulheres que estão tentando engravidar. Os homens tratados com Zavesca devem utilizar métodos contraceptivos seguros durante o tratamento, incluindo três meses após a interrupção do tratamento.

Você pode pedir para seu médico a avaliação antes e durante o tratamento com Zavesca dos nervos dos braços e pernas, os níveis de vitamina B12, monitoramento do crescimento em crianças e adolescentes portadores de Niemann-Pick C, monitoramento da contagem de plaquetas em pacientes com Niemann-Pick C. A razão para solicitar estes testes é que alguns pacientes tiveram dormência ou formigamento nas mãos ou pernas e redução de peso durante o tratamento com Zavesca. Estes testes irão ajudar o médico a avaliar se esses efeitos são devidos à doença ou outras condições existentes, ou tratar reações adversas a medicamentos.

Se você tiver diarreia, o médico pode recomendar uma mudança na dieta para reduzir a ingestão de lactose e de carboidratos, ou não tomar Zavesca com alimentos ou reduzir temporariamente a dose. Em alguns casos, o médico pode prescrever um anti-diarreico tal como a loperamida. Se você não melhorar, ou apresentar dor abdominal, consulte o seu médico. O seu médico poderá investigar mais.

Zavesca pode causar tonturas. Se você sentir tonturas, não dirigir ou operar máquinas durante o tratamento com Zavesca.

Antes de utilizar Zavesca, informe o seu médico se:

  • <li>Voc&#xEA; est&#xE1; gr&#xE1;vida ou pretende engravidar;</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; amamentando;</li> <li>Voc&#xEA; n&#xE3;o est&#xE1; utilizando um m&#xE9;todo contraceptivo confi&#xE1;vel;</li> <li>Voc&#xEA; apresentar problemas renais ou hep&#xE1;ticos;</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; tomando ou tomou recentemente outros medicamentos.</li>

Os eventos adversos devem ser comunicados ao seu médico.

Informe ao seu médico ou dentista se você estiver usando qualquer outro medicamento.

Cerezyme* administrado em conjunto com Zavesca pode diminuir a exposição do seu corpo ao Zavesca.

Não use medicamento sem informar ao seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Gravidez e amamentação

Você não deve tomar Zavesca se você está grávida ou pretende engravidar. Seu médico pode dar-lhe informações adicionais. Você deve usar um método contraceptivo confiável durante o tratamento com Zavesca.

Não amamente enquanto estiver tomando Zavesca.

Consulte o seu médico antes de tomar qualquer medicamento.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Zavesca?

Como todos os medicamentos, Zavesca pode causar reações adversas, embora nem todas as pessoas apresentem.

Se você perder peso no início do tratamento com Zavesca, não se preocupe. Os pacientes geralmente não conseguem perder peso durante o tratamento.

Se você tiver um tremor leve, mais comumente nas mãos, informe o seu médico assim que possível. Tipicamente, o tremor desaparece sem a necessidade de interrupção do tratamento. Pode ser que seu médico necessite reduzir a dose ou interromper Zavesca para parar o tremor.

Os efeitos indesejáveis são listados por frequência, usando a seguinte convenção:

  • <li>Muito comum (&#x2265; 1/10);</li> <li>Comum (1/100 &#x2264; x &lt; 1/10);</li> <li>Pouco comum (&gt; 1/10.000, &#x2264; 1/1.000);</li> <li>Muito raros (&#x2264; 1/10.000).</li>

As reações adversas estão organizadas de acordo com a frequência (das mais frequente para as menos frequentes).

Distúrbios Sanguíneos e do Sistema Linfático

Comum
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/trombocitopenia/" rel="noopener" target="_blank">Trombocitopenia</a>.</li>

Distúrbios do Metabolismo e Nutrição

Muito Comum
  • <li>Perda de peso;</li> <li>Diminui&#xE7;&#xE3;o do apetite.</li>

Distúrbios Psiquiátricos

Comum
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/depressao/" rel="noopener" target="_blank">Depress&#xE3;o</a>;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/insonia/c" target="_blank">Ins&#xF4;nia</a>;</li> <li>Diminui&#xE7;&#xE3;o da libido.</li>

Distúrbios do Sistema Nervoso

Muito Comum
  • <li>Tremor.</li>
Comum
  • <li>Neuropatia perif&#xE9;rica;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/dor-de-cabeca-e-enxaqueca/c" target="_blank">Dor de cabe&#xE7;a</a>;</li> <li>Parestesia;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/tontura-o-que-pode-ser/" rel="noopener" target="_blank">Tontura</a>;</li> <li>Coordena&#xE7;&#xE3;o anormal;</li> <li>Hipoestesia;</li> <li>Amn&#xE9;sia.</li>

Distúrbios Gastrointestinais

Muito Comum
  • <li>Diarreia;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/gases/" rel="noopener" target="_blank">Flatul&#xEA;ncia</a>;</li> <li>Dor abdominal.</li>
Comum
  • <li>N&#xE1;usea;</li> <li>V&#xF4;mito;</li> <li>Disten&#xE7;&#xE3;o/desconforto abdominal;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">Constipa&#xE7;&#xE3;o</a>;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/dispepsia-indigestao-o-que-e-sintomas-remedios-e-tipos/" rel="noopener" target="_blank">Dispepsia</a>.</li>

Distúrbios músculo-esqueléticos e de tecidos conjuntivos

Comum
  • <li>Espasmos musculares;</li> <li>Fraqueza muscular.</li>

Distúrbios Gerais e reações no local de administração

Comum
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-muscular-cronica-adrenal-etc-e-como-tratar/" rel="noopener" target="_blank">Fadiga</a>;</li> <li>Astenia;</li> <li>Calafrios;</li> <li>Mal estar.</li>

Investigações

Comum
  • <li>Condu&#xE7;&#xE3;o nervosa (anormal).</li>

As reações adversas mais comuns são:

  • <li>Perda de peso, tremores, diarreia, flatul&#xEA;ncia (gases intestinais) e dor abdominal (est&#xF4;mago). Entre as rea&#xE7;&#xF5;es adversas comuns est&#xE3;o inclu&#xED;das: <a href="https://minutosaudavel.com.br/anorexia/" rel="noopener" target="_blank">anorexia</a> (perda de apetite), diminui&#xE7;&#xE3;o do apetite, dor de cabe&#xE7;a, tonturas, neuropatia perif&#xE9;rica, parestesia (incluindo dorm&#xEA;ncia e altera&#xE7;&#xF5;es da sensibilidade), coordena&#xE7;&#xE3;o anormal, hipoestesia (diminui&#xE7;&#xE3;o da sensibilidade ao tato), dispepsia, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/azia/c" target="_blank">azia</a>, n&#xE1;useas, constipa&#xE7;&#xE3;o e <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">v&#xF4;mitos</a>, incha&#xE7;o ou desconforto no abd&#xF4;men (barriga) e trombocitopenia (redu&#xE7;&#xE3;o nos n&#xED;veis de plaquetas). Os sintomas neurol&#xF3;gicos e trombocitopenia podem ser devidos &#xE0; pr&#xF3;pria doen&#xE7;a. Outras rea&#xE7;&#xF5;es adversas poss&#xED;veis incluem: espasmos musculares (ou fraqueza), fadiga, dificuldade em <a href="https://minutosaudavel.com.br/dormir/" rel="noopener" target="_blank">dormir</a>, e diminui&#xE7;&#xE3;o da libido.</li>

A maior parte dos pacientes apresentou um ou mais destes efeitos adversos, tipicamente, no início do tratamento e a intervalos regulares durante o tratamento. A maioria dos casos são leves e desaparecem muito rápido. Se algum destes efeitos colaterais causar problemas, consulte o seu médico. Ele ou ela pode reduzir a dose de Zavesca ou recomendar um medicamento para ajudar no controle das reações adversas.

Alguns pacientes apresentaram alterações na sensibilidade e formigamento nas mãos e pés. Essas reações podem ser sinais de neuropatia periférica devido aos efeitos adversos de Zavesca ou pode surgir a partir de condições existentes. O seu médico irá realizar alguns testes antes e durante o tratamento com Zavesca para uma melhor avaliação. Se você sentir qualquer uma destas reações adversas, informe o seu médico assim que possível.

Se algum dos efeitos colaterais se agravar ou se você detectar quaisquer efeitos indesejáveis não mencionados nesta bula, informe o seu médico.

Atenção: este é um medicamento novo e, embora estudos clínicos tenham demonstrado eficácia e segurança aceitáveis , podem ocorrer efeitos indesejáveis e desconhecidos. Neste caso, informe seu médico.

Informe o seu médico, dentista ou farmacêutico quaisquer reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço ao cliente.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Zavesca?

Se&nbsp;você esqueceu qualquer dose, tome a próxima cápsula no horário habitual. Não tome o dobro da dose para compensar uma dose que você esqueceu.

Se você parar de tomar Zavesca: Não pare de tomar Zavesca&nbsp;sem falar com o seu médico.

Em caso de dúvidas, ligue para o seu médico ou farmacêutico.

Qual a composição do Zavesca?

Cada cápsula de Zavesca contém:

100 mg de miglustate.

Excipientes: amido glicolato de sódio, povidona (K 30), e estearato de magnésio.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Zavesca maior do que a recomendada?

Se tomar mais cápsulas do que lhe prescrito, consulte o seu médico imediatamente. Zavesca tem sido utilizado em estudos clínicos em doses dez vezes maiores do que a dose recomendada: Isto causou diminuição nas células brancas do sangue e outros efeitos colaterais similares.

Não há experiência de sobredosagem com Zavesca em pacientes. Zavesca foi utilizado em ensaios clínicos em doses superiores a 10 vezes a dose recomendada. A redução na contagem de células brancas foi observada nestas doses. Todas as outras reações adversas foram semelhantes às descritas no item Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Zavesca?.

Em caso de sobredosagem, o médico deve ser chamado ou um hospital de emergência deve ser procurado imediatamente.

Todos os medicamentos devem ser mantidos fora do alcance das crianças.

Em caso de intoxicação ligue 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Zavesca com outros remédios?

Informe o seu médico se você tiver usado Cerezyme*, ou qualquer outro medicamento que contenha&nbsp;imiglucerase. Imiglucerase pode diminuir a exposição ao Zavesca. Informe ao seu médico se você estiver usando ou usou recentemente qualquer outro medicamento, incluindo medicamentos sem prescrição médica.

Zavesca pode ser tomado com ou sem alimentos.

Alterações laboratoriais

Não foi encontrada interação de miglustate em testes laboratoriais.

Interação alimentícia: posso usar o Zavesca com alimentos?

Miglustate pode ser tomado com ou sem alimentos.

Qual a ação da substância do Zavesca (Miglustate)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>A seguran&#xE7;a e a efic&#xE1;cia do Miglustate na doen&#xE7;a de Gaucher tipo 1 foram investigadas em tr&#xEA;s estudos abertos, n&#xE3;o comparativos e um estudo aberto, randomizado, controlado com terapia de reposi&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica (reposi&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica com imiglucerase). Par&#xE2;metros de efic&#xE1;cia inclu&#xED;ram a avalia&#xE7;&#xE3;o dos volumes do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a> e do ba&#xE7;o, a concentra&#xE7;&#xE3;o de hemoglobina e contagem de plaquetas. Estudos abertos, n&#xE3;o controlados, em monoterapia.</p> <p>No Estudo OGT 918-001, Miglustate foi administrado na dose de 100 mg, tr&#xEA;s vezes ao dia, para pacientes incapazes ou n&#xE3;o dispostos a receber a terapia de reposi&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica, ou que n&#xE3;o tinham tomado a terapia de reposi&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica nos &#xFA;ltimos 3 meses. Vinte e oito pacientes com doen&#xE7;a de Gaucher tipo I leve a moderada foram inclu&#xED;dos neste estudo de 12 meses, 22 pacientes completaram o estudo. Em 12 meses, houve um percentual m&#xE9;dio de redu&#xE7;&#xE3;o significativo a partir do basal no volume do f&#xED;gado de 12,1% e no volume do ba&#xE7;o de 19,0%, um aumento do basal na concentra&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia de hemoglobina de 0,26 g/dL e um aumento na contagem m&#xE9;dia das plaquetas de 8,29 x 10<sup>9</sup>/L. Dezoito pacientes continuaram a receber Miglustate em um protocolo opcional de extens&#xE3;o de tratamento. O benef&#xED;cio cl&#xED;nico foi avaliado em 24 e 36 meses, em 13 pacientes. Ap&#xF3;s 3 anos de tratamento cont&#xED;nuo com Miglustate, as redu&#xE7;&#xF5;es m&#xE9;dias nos volumes de f&#xED;gado e ba&#xE7;o foram significativas em 17.5 % e 29,6 %, respectivamente. Houve aumentos m&#xE9;dios significativos de 22,2 x 10<sup>9</sup>/L na contagem de plaquetas e de 0,95 g/dL na concentra&#xE7;&#xE3;o de hemoglobina.</p> <p>No Estudo OGT 918-003, Miglustate foi administrado na dose de 50 mg, tr&#xEA;s vezes ao dia, durante 6 meses a 18 pacientes adultos com doen&#xE7;a de Gaucher tipo 1 leve a moderada que n&#xE3;o podiam ou n&#xE3;o queriam receber terapia de reposi&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica, ou que n&#xE3;o tinham tomado a terapia de reposi&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica nos &#xFA;ltimos 3 meses. Dezessete pacientes completaram o estudo. Ap&#xF3;s 6 meses de tratamento, os resultados mostraram percentual m&#xE9;dio de redu&#xE7;&#xE3;o significativo a partir do basal no volume do f&#xED;gado de 6% e no volume do ba&#xE7;o de 5%. Houve uma diminui&#xE7;&#xE3;o absoluta m&#xE9;dia n&#xE3;o significativa a partir do basal na concentra&#xE7;&#xE3;o de hemoglobina de 0,13 g/dL e um aumento n&#xE3;o significativo a partir do basal na&amp;nbsp;contagem de plaquetas de 5 x 10<sup>9</sup>/L na dose utilizada neste estudo (50 mg, tr&#xEA;s vezes ao dia). Dezesseis pacientes continuaram a receber Miglustate em um protocolo opcional de extens&#xE3;o de 6 meses de tratamento. Ap&#xF3;s 12 meses de tratamento cont&#xED;nuo com Miglustate, houve uma redu&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia do volume do ba&#xE7;o de 10 %, enquanto que a redu&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia do volume do f&#xED;gado ficou em 6%.</p> <p>Os resultados do Estudo OGT 918-001 e do Estudo OGT 918-003 indicam uma maior efic&#xE1;cia associada a miglustate 100 mg, tr&#xEA;s vezes ao dia, em compara&#xE7;&#xE3;o com 50 mg, tr&#xEA;s vezes ao dia.</p> <p>No Estudo OGT 918-005, Miglustate foi administrado na dose de 100 mg, tr&#xEA;s vezes ao dia, para 10 pacientes com doen&#xE7;a de Gaucher tipo 1 leve a moderada que n&#xE3;o podiam ou n&#xE3;o queriam receber a terapia de reposi&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica, ou que n&#xE3;o tinham tomado a terapia de reposi&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica nos 3 meses anteriores. Sete pacientes completaram a fase central do estudo de 12 meses e o per&#xED;odo opcional de extens&#xE3;o do estudo de at&#xE9; 24 meses. As redu&#xE7;&#xF5;es m&#xE9;dias percentuais a partir do basal no volume de f&#xED;gado foram avaliadas nos Meses 6, 12, 18 e 24. Estas redu&#xE7;&#xF5;es foram significativas ao m&#xEA;s 6 (8,4%) e M&#xEA;s 18 (15,1%). Redu&#xE7;&#xF5;es no volume do f&#xED;gado no M&#xEA;s 12 e M&#xEA;s 24 indicaram um efeito consistente do tratamento. As redu&#xE7;&#xF5;es absolutas m&#xE9;dias e percentuais a partir do basal no volume do ba&#xE7;o foram avaliadas nos Meses 6, 12, 18 e 24. Redu&#xE7;&#xF5;es m&#xE9;dias significativas foram observadas no M&#xEA;s 6 (19,0%) e M&#xEA;s 18 (24,3%). As concentra&#xE7;&#xF5;es m&#xE9;dias de hemoglobina, que eram normais no basal, mantiveram-se est&#xE1;veis durante o curso do estudo. Houve um aumento m&#xE9;dio significativo na contagem de plaquetas no M&#xEA;s 12 (13,9 x 10<sup>9</sup>/L). O envolvimento &#xF3;sseo avaliado por MRI/BMD manteve-se est&#xE1;vel durante os 24 meses do estudo.</p> <h3>Estudo aberto, controlado com ativo</h3> <p>O Estudo OGT 918-004 foi um estudo aberto, randomizado, controlado por ativo em 36 pacientes com a doen&#xE7;a de Gaucher tipo 1 que receberam um m&#xED;nimo de dois anos de tratamento com TRE com terapia de reposi&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica com imiglucerase antes do in&#xED;cio do estudo cl&#xED;nico e que estavam em uma dose est&#xE1;vel desde pelo menos seis meses. O estudo teve duas fases: uma fase comparativa de seis meses, e uma fase de longa dura&#xE7;&#xE3;o, permitindo o tratamento com Miglustate como monoterapia por at&#xE9; 24 meses ap&#xF3;s a retirada da TRE.</p> <h4>Na fase inicial de 6 meses, 36 pacientes foram randomizados 1:1:1 para um dos tr&#xEA;s grupos de tratamento, como se segue:</h4> <ul> <li>Continua&#xE7;&#xE3;o da monoterapia com imiglucerase (na dose usual utilizada pelo paciente);</li> <li>Combina&#xE7;&#xE3;o de imiglucerase (na dose usual utilizada pelo paciente) com Miglustate (100 mg, tr&#xEA;s vezes ao dia);</li> <li>Mudar para monoterapia com Miglustate (100 mg, tr&#xEA;s vezes ao dia).</li> </ul> <p>Trinta e tr&#xEA;s pacientes completaram a fase inicial de 6 meses do estudo, dos quais 29 foram inclu&#xED;dos na fase de extens&#xE3;o inicial de 6 meses. Vinte e oito desses 29 pacientes, posteriormente, entraram em uma segunda fase de extens&#xE3;o por mais 12 meses recebendo miglustate isoladamente.</p> <p>Na fase inicial de 6 meses do estudo, as altera&#xE7;&#xF5;es m&#xE9;dias nos volumes do f&#xED;gado e ba&#xE7;o e nos par&#xE2;metros hematol&#xF3;gicos foram pequenas e clinicamente n&#xE3;o significativas em todos os tr&#xEA;s grupos de tratamento.</p> <p>Uma an&#xE1;lise retrospectiva dos dados individuais do paciente foi realizada para os 29 pacientes que contribu&#xED;ram com dados sobre Miglustate em monoterapia de manuten&#xE7;&#xE3;o para avaliar os desfechos em rela&#xE7;&#xE3;o &#xE0; estabilidade da doen&#xE7;a no momento da retirada da TRE.</p> <h4>Os crit&#xE9;rios foram baseados em relat&#xF3;rios de consenso publicado para TRE e discuss&#xE3;o de especialistas, como se segue:</h4> <h5>Crit&#xE9;rios para a estabiliza&#xE7;&#xE3;o da doen&#xE7;a na retirada da TRE (todos dos seguintes):</h5> <ul> <li>Tratamento com TRE por pelo menos tr&#xEA;s anos.</li> </ul> <h6>Doen&#xE7;a est&#xE1;vel nos &#xFA;ltimos dois anos:</h6> <ul> <li>Volumes do f&#xED;gado e ba&#xE7;o: &#xDA;ltimos 3 valores dentro de 10% da m&#xE9;dia desses 3 valores;</li> <li>Doen&#xE7;a &#xF3;ssea: Sem sinais e sintomas de doen&#xE7;a &#xF3;ssea grave (crises &#xF3;sseas, necrose avascular, fratura&amp;nbsp;patol&#xF3;gica) nos dois anos anteriores. Aus&#xEA;ncia de dor &#xF3;ssea atual exigindo medicamento para a dor cr&#xF4;nica ou que interfere com a vida cotidiana;</li> <li>Hemoglobina: controlada e est&#xE1;vel acima de 11 g/dL;</li> <li>Plaquetas: controladas e est&#xE1;veis, pelo menos, 100 x 10<sup>9</sup>/L;</li> <li>Quitotriosidase: &#xDA;ltimos 3 valores dentro de 20% da m&#xE9;dia desses 3 valores.</li> </ul> <h5>Crit&#xE9;rios para a efic&#xE1;cia do Miglustate em monoterapia de manuten&#xE7;&#xE3;o:</h5> <p>Foram definidos crit&#xE9;rios de sinal de potencial falha para manter a doen&#xE7;a est&#xE1;vel durante a monoterapia com Miglustate (pelo menos uma das seguintes). Tais sinais devem solicitar novas investiga&#xE7;&#xF5;es e revis&#xE3;o do tratamento.</p> <ul> <li>Aumento do basal no volume do f&#xED;gado de pelo menos 10%;</li> <li>Aumento do basal no volume do ba&#xE7;o de pelo menos 10%;</li> <li>Redu&#xE7;&#xE3;o do basal de Hb &#x2265; 1 g/dL desde que a concentra&#xE7;&#xE3;o resultante seja menor do que o intervalo do limite inferior do normal;</li> <li>Redu&#xE7;&#xE3;o do basal na contagem de plaquetas: <ul> <li>Abaixo de 120x10<sup>9</sup>/L, se o valor inicial estiver dentro da faixa normal de &#x2265; 30x10<sup>9</sup>/L, se o valor basal foi menor do que o limite inferior do normal;</li> <li>Qualquer redu&#xE7;&#xE3;o que leva a um valor &lt; 50x10<sup>9</sup>/L ou associada a hematomas ou hemorragias clinicamente significativas.</li> </ul> </li> <li>Quaisquer outros sinais cl&#xED;nicos significativos e sintomas sugestivos de agravamento da doen&#xE7;a.</li> </ul> <p>Quinze dos 29 pacientes preencheram os crit&#xE9;rios acima para a estabiliza&#xE7;&#xE3;o da doen&#xE7;a na retirada da TRE. A exposi&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia ao Miglustate em monoterapia foi de 19 meses. A manuten&#xE7;&#xE3;o do estado de doen&#xE7;a no basal foi atingida com miglustate em monoterapia na maioria dos pacientes (11/15). Os outros quatro pacientes desenvolveram um ou mais sinais de potencial de falha para manter a doen&#xE7;a est&#xE1;vel. Independentemente do grau de estabiliza&#xE7;&#xE3;o da doen&#xE7;a durante o per&#xED;odo de retirada da TRE, nenhum dos pacientes desenvolveu uma deteriora&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pida ap&#xF3;s a troca para a terapia com miglustate.</p> <p>Os dados para apoiar a seguran&#xE7;a e a efic&#xE1;cia do Miglustate na doen&#xE7;a de Niemann- Pick tipo C vem de um estudo cl&#xED;nico aberto e prospectivo e um estudo retrospectivo. O estudo cl&#xED;nico incluiu 29 pacientes adultos e juvenis em um per&#xED;odo controlado de 12 meses, seguido por terapia de extens&#xE3;o para uma dura&#xE7;&#xE3;o total m&#xE9;dia de 3,9 anos e at&#xE9; 5,6 anos. Al&#xE9;m disso, 12 pacientes pedi&#xE1;tricos foram inclu&#xED;dos em um subestudo n&#xE3;o controlado por uma dura&#xE7;&#xE3;o geral m&#xE9;dia de 3,1 anos e at&#xE9; 4,4 anos. Entre os 41 pacientes inclu&#xED;dos no estudo, 14 pacientes foram tratados com Miglustate por mais de 3 anos. A pesquisa incluiu uma s&#xE9;rie de casos de 66 pacientes tratados com Miglustate fora do estudo cl&#xED;nico para uma dura&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia de 1,5 anos. Em ambos os conjuntos de dados foram inclu&#xED;dos pacientes pedi&#xE1;tricos, adolescentes e adultos com idade entre 1 ano a 43 anos. A dose habitual de Miglustate em pacientes adultos &#xE9; de 200 mg, tr&#xEA;s vezes ao dia, e foi ajustada de acordo com a &#xE1;rea de superf&#xED;cie corporal em pacientes pedi&#xE1;tricos.</p> <p>O desfecho prim&#xE1;rio avaliou a mudan&#xE7;a do basal na velocidade de movimento sac&#xE1;dico horizontal olho (HSEM), expressa em HSEM - &#x3B1;. Em pacientes tratados com Miglustate uma melhoria significativa (redu&#xE7;&#xE3;o da HSEM - &#x3B1;) em compara&#xE7;&#xE3;o com o valor basal foi observada contra uma deteriora&#xE7;&#xE3;o no grupo n&#xE3;o tratado. Pacientes pedi&#xE1;tricos tratados com Miglustate tamb&#xE9;m mostraram melhora a partir do basal.</p> <p><strong>Tabela 1: Mudan&#xE7;a a partir do basal no HSEM - &#x3B1; por at&#xE9; 12 meses, Estudo OGT 918-007</strong></p> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:196px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Par&#xE2;metro</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:197px\"><strong>-</strong></td> <td colspan=\"2\" rowspan=\"1\" style=\"width:455px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Mudan&#xE7;a media ajustada a partir do basal (IC 95%) Pacientes adultos/jovens</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:198px\"><strong>Diferen&#xE7;a estimada do tratamento (IC 95%)</strong></td> <td style=\"width:211px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Mudan&#xE7;a m&#xE9;dia a partir do basal (IC 95%) Pacientes pedi&#xE1;tricos</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:196px\"><strong>-</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:197px\"><strong>-</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:201px\"><strong>Sem tratamento (n = 8)</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:203px\"><strong>Miglustate (n = 18)</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:198px\"><strong>-</strong></td> <td style=\"width:211px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Miglustate (n = 10)</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:196px\"> <p style=\"text-align:center\">HSEM-&#x3B1; (ANCOVA com termos para basal, idade, tratamento)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:197px\">&#xDA;ltimo valor de a</td> <td style=\"text-align:center; width:201px\">&#x2212;0,050 (&#x2212;0,608, 0,509)</td> <td style=\"text-align:center; width:203px\">&#x2212;,376 (&#x2212;0,746, &#x2212;0,005)</td> <td style=\"text-align:center; width:198px\">&#x2212;0,326 (&#x2212;1,000, 0,348) p = 0,327</td> <td style=\"width:211px\"> <p style=\"text-align:center\">&#x2212;0,465 (&#x2212;0,752, &#x2212;0,178)</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:196px\"> <p style=\"text-align:center\">HSEM-&#x3B1; (ANCOVA cm termos para basal, centro, tratamento)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:197px\">&#xDA;ltimo valor de a</td> <td style=\"text-align:center; width:201px\">0,055 (&#x2212;0,443, 0,553)</td> <td style=\"text-align:center; width:203px\">&#x2212;0,463 (&#x2212;0,796, &#x2212;0,129)</td> <td style=\"text-align:center; width:198px\">&#x2212;0,518 (&#x2212;1,125, 0,089) p = 0,091</td> <td style=\"text-align:center; width:211px\">-</td> </tr> </tbody> </table> <p><sup>a</sup> &#xDA;ltimo valor &#xE9; o &#xFA;ltimo valor p&#xF3;s-basal at&#xE9; ao M&#xEA;s 12. O aumento do basal indica piora. IC = intervalo de confian&#xE7;a; HSEM = movimento sac&#xE1;dico horizontal do olho.</p> <p>A fun&#xE7;&#xE3;o degluti&#xE7;&#xE3;o foi avaliada numa escala de classifica&#xE7;&#xE3;o, avaliando a capacidade do paciente em engolir &#xE1;gua e comida de diferentes consist&#xEA;ncias. A melhor manuten&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o de degluti&#xE7;&#xE3;o foi observada com o tratamento com Miglustate <em>versus</em> nenhum tratamento (risco relativo de qualquer deteriora&#xE7;&#xE3;o at&#xE9; M&#xEA;s 12: 0,4 [IC 95% 0,13, 1,22, p = 0,17]). No geral, cerca de 80 % dos pacientes adultos / juvenil e <a href=\"https://consultaremedios.com.br/infantil/c\" target=\"_blank\">infantil</a> mantiveram pelo menos degluti&#xE7;&#xE3;o est&#xE1;vel em 24 meses de tratamento com Miglustate.</p> <p>A defici&#xEA;ncia motora foi avaliada com o &#xCD;ndice de Hauser Standard Ambulation (SAI). A melhor manuten&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o deambula&#xE7;&#xE3;o (menor deteriora&#xE7;&#xE3;o a partir do basal na m&#xE9;dia SAI) foi observada com o tratamento com Miglustate <em>versus</em> nenhum tratamento durante o estudo controlado de 12 meses em pacientes adultos/juvenis (Miglustate: 0,087 [IC 95% - 0,287, 0,461 ], nenhum tratamento: 0,802 [IC 95% 0,220, 1,385], efeito do tratamento [ANCOVA com os termos basal, centro, grupo de tratamento]: - 0,715 [IC 95% - 1,438, 0,007, p = 0,052]). Ap&#xF3;s 2 anos de tratamento com Miglustate, dois ter&#xE7;os dos pacientes adultos/juvenis e infantis mantiveram pelo menos a capacidade de deambula&#xE7;&#xE3;o est&#xE1;vel.</p>"}

Apresentações do Zavesca

Cápsula

100 mg, embalagem com 5 blisters com 18 cápsulas em cada blister.

Para administração oral.

Uso adulto e pediátrico.

Fabricante: Actelion

© 2021 Medicamento Lab.