Allergan Sulfato de Gentamicina Allergan

5mg/g, caixa com 1 bisnaga com 3,5g de pomada de uso oftálmico

Princípio ativo
:
Sulfato De Gentamicina
Classe Terapêutica
:
Antiinfeccios Oftalmológicos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia e Oftalmologia

Bula do medicamento

Sulfato de Gentamicina Allergan, para o que é indicado e para o que serve?

Sulfato de Gentamicina é indicado no tratamento de infecções externas do globo ocular e seus anexos, causadas por microorganismos sensíveis à gentamicina. É indicado também para o tratamento de conjuntivite, ceratite (inflamação da córnea), ceratoconjuntivite (inflamação dos olhos), úlcera de córnea, blefarite (inflamação da pálpebra), blefaroconjuntivite (inflamação conjunta da pálpebra e conjuntiva) e dacriocistite (inflamação do saco lacrimal).

Quais as contraindicações do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Sulfato de Gentamicina é contraindicado para pessoas que apresentam alergia a qualquer um dos componentes da sua fórmula.

Como usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Pomada

  • <li>Voc&#xEA; deve usar este medicamento exclusivamente nos olhos;</li> <li>Antes de usar o medicamento, confira o nome no r&#xF3;tulo para n&#xE3;o haver enganos. N&#xE3;o utilize Sulfato de Gentamicina caso haja sinais de viola&#xE7;&#xE3;o e/ou danifica&#xE7;&#xF5;es do tubo;</li> <li>A pomada j&#xE1; vem pronta para uso. N&#xE3;o encoste a abertura do tubo nos olhos, nos dedos e nem em outra superf&#xED;cie qualquer para evitar a contamina&#xE7;&#xE3;o do tubo e da pomada;</li> <li>Voc&#xEA; deve aplicar a quantidade da dose recomendada pelo seu m&#xE9;dico em um ou ambos os olhos: <ul> <li>A dose usual &#xE9; uma pequena quantidade aplicadas no saco conjuntival do(s) olho(s) afetado(s), de acordo com a indica&#xE7;&#xE3;o do m&#xE9;dico;</li> <li>O tempo de tratamento ser&#xE1; estabelecido pelo seu m&#xE9;dico pois ele varia de acordo com a intensidade da infec&#xE7;&#xE3;o e/ ou evolu&#xE7;&#xE3;o do paciente. Geralmente o tempo de tratamento &#xE9; de 7 dias, vari&#xE1;vel a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>Para maior comodidade, pode-se usar Sulfato de Gentamicina solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica durante o dia e Sulfato de Gentamicina pomada oft&#xE1;lmica &#xE0; noite, ao deitar-se;</li> </ul> </li> <li>Feche bem o tubo depois de usar.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Solução Gotas

  • <li>Voc&#xEA; deve usar esse medicamento exclusivamente nos olhos;</li> <li>Antes de usar o medicamento, confira o nome no r&#xF3;tulo para n&#xE3;o haver enganos. N&#xE3;o utilize Sulfato de Gentamicina caso haja sinais de viola&#xE7;&#xE3;o e/ou danifica&#xE7;&#xF5;es do frasco;</li> <li>A solu&#xE7;&#xE3;o j&#xE1; vem pronta para uso. N&#xE3;o encoste a ponta do frasco nos olhos, nos dedos e nem em outra superf&#xED;cie qualquer para evitar a contamina&#xE7;&#xE3;o do frasco e do <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-olhos/lubrificante-ocular/c" target="_blank">col&#xED;rio</a>;</li> <li>Voc&#xEA; deve aplicar o n&#xFA;mero de gotas da dose recomendada pelo seu m&#xE9;dico em um ou ambos os olhos;</li> <li>A dose usual &#xE9; de 2 gotas aplicadas no(s) olho(s) afetado(s), tr&#xEA;s a quatro vezes por dia, ou a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>O tempo de tratamento ser&#xE1; estabelecido pelo seu m&#xE9;dico pois ele varia de acordo com a intensidade da infec&#xE7;&#xE3;o e/ou evolu&#xE7;&#xE3;o do paciente. Geralmente o tempo de tratamento &#xE9; de 7 dias, vari&#xE1;vel a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>Feche bem o frasco depois de usar.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Como o Sulfato de Gentamicina Allergan funciona?

Sulfato de Gentamicina apresenta ação antibiótica - ativo contra uma ampla gama de bactérias Gram-positivas e Gram-negativas. Possui atividade contra Staphylococcus coagulase-positivos e coagulase-negativos, inclusive algumas cepas resistentes a penicilina, Streptococcus grupo A betahemolítico e não-hemolítico, Diplococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Proteus spp, Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Haemophilus influenzae, Haemophilus aegyptis, Aerobacter aerogenes, Moraxella lacunata e Neisseria spp, inclusive Neisseria gonorrhoeae.

A ação do medicamento inicia-se no primeiro dia de tratamento.

Quais cuidados devo ter ao usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Para não contaminar a pomada evite o contato da abertura do tubo com qualquer superfície. Não permita que a abertura do tubo entre em contato direto com os olhos.

Sulfato de Gentamicina é um medicamento de uso exclusivamente tópico ocular.

O uso prolongado de antibióticos pode ocasionalmente favorecer a infecção por microrganismos não sensíveis, inclusive fungos. A gentamicina pode provocar agressão ao epitélio de córneas mais sensíveis.

Uso durante a Gravidez e Lactação

Na ocorrência de gravidez ou se estiver amamentando, consulte o médico antes de fazer uso de medicamentos.

Este medicamento é contraindicado para uso por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Não deve ser utilizado durante a gravidez e lactação.

Uso em idosos

Não existem restrições de uso em pacientes idosos. A posologia é a mesma que a recomendada para as outras faixas etárias.

Pacientes que utilizam lentes de contato

Tire as lentes antes de aplicar Sulfato de Gentamicina em um ou ambos os olhos e aguarde pelo menos 15 minutos para recolocá-las.

Pacientes com insuficiência hepática ou renal

O medicamento não foi estudado em pacientes com quadros de insuficiência renal ou hepática, por isso deve ser usado com cautela nestes pacientes.

Pacientes neonatos

Reações de hipersensibilidade ocular severa foram reportadas quando Sulfato de Gentamicina foi utilizada para profilaxia neonatal. Sulfato de Gentamicina não é indicado para profilaxia neonatal, portanto não deve ser usado para profilaxia de oftalmia neonatal.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Assim como qualquer medicamento, podem ocorrer reações indesejáveis com a aplicação de Sulfato de Gentamicina.

Foram relatados casos de irritação dos olhos transitória (irritação passageira), infecções secundárias por microrganismos não sensíveis e reações alérgicas (incluindo edema (inchaço) dos olhos, edema (inchaço) das pálpebras, eritema (vermelhidão) das pálpebras e secreção dos olhos).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Você deve retornar a utilização do medicamento assim que se lembrar seguindo normalmente os intervalos de horários entre as aplicações até o final do dia. No dia seguinte, retornar aos horários regulares.

Em caso de dúvidas, procure a orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Pomada Oftálmica Estéril

Cada g contém:

5 mg de sulfato de gentamicina (equivalente a 3,0 mg de gentamicina base).

Veículo q.s.p.: lanolina, cera microcristalina, vaselina sólida e metilparabeno.

Solução Oftálmica Estéril

Cada mL (28 gotas) contém:

5 mg de sulfato de gentamicina* (0,178 mg/gota).

*Equivalente a 3,0 mg de gentamicina base.

Veículo q.s.p.: álcool polivinílico, fosfato de sódio dibásico heptaidratado, cloreto de sódio, edetato dissódico, cloreto de benzalcônio, hidróxido de sódio, ácido cloridríco e água purificada.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Sulfato de Gentamicina Allergan maior do que a recomendada?

Em geral, superdosagens não provocam problemas agudos. Se acidentalmente, for ingerido, beba bastante líquido para diluir, ou procure orientação médica.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Sulfato de Gentamicina Allergan com outros remédios?

Não são conhecidas interações com outros medicamentos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Sulfato de Gentamicina Allergan (Sulfato de Gentamicina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Solu&#xE7;&#xE3;o Oft&#xE1;lmica</h3> <p>Em um estudo randomizado, duplo-cego, 488 pacientes portadores de sinais cl&#xED;nicos de conjuntivite ou blefarite bacteriana aguda, ou de ambos, foram tratados com solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica de gentamicina 0,3% (n=243) ou solu&#xE7;&#xE3;o de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/norfloxacino/bula\" target=\"_blank\">norfloxacino</a> 0,3% (n=245) durante uma semana. Dos pacientes com cultura positiva, 71% (85/120) dos pacientes do grupo do norfloxacino e 65% (86/133) dos pacientes tratados com gentamicina foram curados clinicamente. Um adicional de 25% (30/120) no grupo do norfloxacino e de 32% (43/133) no grupo da gentamicina foram considerados melhorados clinicamente. A condi&#xE7;&#xE3;o de cinco pacientes tratados com norfloxacino n&#xE3;o melhorou clinicamente em compara&#xE7;&#xE3;o com oito pacientes no grupo da gentamicina. Ambos os antibi&#xF3;ticos apresentaram efic&#xE1;cia semelhante contra microorganismos gram-positivos e gram-negativos. A conclus&#xE3;o do estudo foi de que a gentamicina e o norfloxacino s&#xE3;o igualmente eficazes do ponto de vista clinico e bacteriol&#xF3;gico, no tratamento das infec&#xE7;&#xF5;es oft&#xE1;lmicas.<sup>1</sup></p> <p>Em outro estudo, 158 pacientes portadores de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/conjuntivite-bacteriana\" target=\"_blank\">conjuntivite bacteriana</a> comprovada por cultura, foram tratados com solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica de sulfato de gentamicina, ou trimetoprima+polimixina B, ou sulfacetamida s&#xF3;dica durante 10 dias. A resposta cl&#xED;nica em 3 a 6 dias ap&#xF3;s o in&#xED;cio do tratamento foi semelhante para os tr&#xEA;s agentes testados: com a gentamicina, 28/57 (49%) pacientes foram curados e 26/57 (46%) pacientes melhorados; com a trimetoprima+polimixina B, 26/55 (47%) foram curados e 25/55 (45%) melhorados; com a sulfacetamida s&#xF3;dica 19/46 (41%) foram curados e 22/46 (48%) melhorados. Os &#xED;ndices de resposta cl&#xED;nica e bacteriol&#xF3;gica em 2 a 7 dias ap&#xF3;s o t&#xE9;rmino do tratamento tamb&#xE9;m foram semelhantes nos tr&#xEA;s grupos. Cura bacteriol&#xF3;gica ocorreu em 39/57 (58%) no grupo da gentamicina, em 44/55 (83%) para a trimetoprima+polimixina B e em 33/46 (72%) para a sulfacetamida s&#xF3;dica.<sup>2</sup></p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Miller IM, Vogel R, Cook TJ, Wittreich J. Topically administered norfloxacin compared with topically administered gentamicina for the treatment of external ocular bacterial infections. Am J Ophthalmol 1992;113(6):638-644.<br> 2. Lohr J&#xC1;, Austin RD, Grossman M, Hayden GF, Knowlton GM, Dulley SM. Comparison of three topical antimicrobials for acute bacterial conjunctiviis. Pediatr Infect Dis J; 1998;7(9):626-629.</br></span></p> <h3>Creme</h3> <p>O uso de Sulfato de Gentamicina est&#xE1; embasado em estudos realizados e literaturas publicadas.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Behl, P.N. and Bhatia, R.K., Gentamicin &#x2013; A New Topical Antibiotic, Indian J. Dermatol. 15:17-20, 1969.<br> 2. 2. Bodian, E., Gentamicin Sulfate: A New, Potent Topical Antibiotic, Curr. Ther. Res. 8:575-580, 1966.<br> 3. Fattah, A.A. et al, Treatment of Pyogenic Skin Infections with Topical Gentamicin, Chemotherapy 13:81-89, 1968.<br> 4. Gould, A., Gentamicin Sulfate, A New Topical Antibiotic for Pyodemas, Cutis 2:104 107, 1966.<br> 5. Helfand, A. et al., Gentamicin Sulfate for Infected Lesions of the Foot, J. Am. Pod Assoc. 58:295-297, 1968.<br> 6. Holder, F.A. et al., Eighteen Months of Routine Topical Antimicrobial Susceptibility Testing of Isolate from Burn Patients: Results and Conclusions, J. Antimicrobial Chemotherapy 5:455-463, 1979.<br> 7. Hough, C. et al., Treatment of Pyodema with Gentamicin Sulfate: Suvey of Clinical Experience, Clin. Med. 73:55-58, 1966.<br> 8. Liberi, E. and Sittner, M., A Topical Antibiotic for Industrial Infected Wouds, J. Med. Soc. New Jersey 66:269-270, 1969.<br> 9. McMillan, B., Gentamicin in the Management of Thermal Injuries, J. Inf. Dis. 119:492-503, 1969.<br> 10. Nierman, M., Treatment of Pyogenic Skin Infections with Topical Gentamicin, III. Med. J. 126:672-675, 1964.<br> 11. Olansky, S., Topical Therapy of Pyodemas Due to Resistant Bacterial Strains, Cutis 2:674-676, 1966.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h3>Injet&#xE1;vel</h3> <p>Os dados da ampla literatura dispon&#xED;vel sobre o emprego terap&#xEA;utico da Sulfato de Gentamicina Injet&#xE1;vel contendo sulfato de gentamicina, mostram que esse aminoglicos&#xED;deo de uso consagrado apresenta &#xED;ndices de efic&#xE1;cia elevados nas diferentes indica&#xE7;&#xF5;es e usos terap&#xEA;uticos, quando administrado por via intramuscular, intravenosa, subconjuntival, subcapsular (c&#xE1;psula de Tenon), nebuliza&#xE7;&#xE3;o ou instila&#xE7;&#xE3;o intratraqueal direta. Assim, na literatura, est&#xE3;o documentados resultados favor&#xE1;veis com o emprego da gentamicina no tratamento de septicemia, bacteremia (incluindo sepse neonatal), infec&#xE7;&#xF5;es graves do sistema nervoso (incluindo meningite), infec&#xE7;&#xE3;o nos rins e trato genitourin&#xE1;rio (incluindo infec&#xE7;&#xF5;es p&#xE9;lvicas), infec&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias, infec&#xE7;&#xF5;es gastrintestinais, infec&#xE7;&#xF5;es na pele, ossos ou tecidos moles (incluindo queimaduras e feridas infectadas), infec&#xE7;&#xF5;es intra-abdominais (incluindo peritonite) e infec&#xE7;&#xF5;es oculares.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Barn, D., A., Klastersky, J.: Concentration of gentamicin in bronchial secretions of children with cystic fibrosis or tracheostomy. In J. Clin, Pharmacol Biopharm 12:336-341, 1975.<br> 2. Boxerbaum, B. et al: Use of gentamicin in children with cystic fibrosis. J. Infect. Dis. 124, 293-295, Dec. 1971. (Supplement).<br> 3. Burns, M.W.: Gentamicin in respiratory tract infections. 52-55, 1973.<br> 4. Chang, M.J., et al.: Kanamycin and gentamicin treatment of neonatal sepsis. Pediatrics 56: 695-699, November, 1975.<br> 5. Corbeel, L. et al.: Treatment of purulent meningitis in infants. Lancet 1:663, March 24, 1979.<br> 6. Dachy, A. et al: La gentamicine en pediatrie. Proc. 12th Swiss Gentamicin Symp. Interlaken 80-82, 1972.<br> 7. Dachy, A. et al: Les indications de la gentamicine en pediatrie hospialiere. In Table Ronde Gentamicine Ars Medici 76-90, 1972.<br> 8. Danish, M. A. et al: Aerosolized gentamicin in cystic fibrosis. Abstract submitted to the American Pediatric Society, Jan. 1977.<br> 9. Dichiro, G.: Cisternography: from early tribulations to a useful diagnostic procedure. J. Hopkins Med. J. 133:1-15, 1973;<br> 10. Eeckels, R. et al.: Intraventricular and/or intralumbar treatment of purulent meningitis in infants. Acta Paediatr. Belg. 33:243-251, 1980.<br> 11. Fasano, V.A.: &#x201C;Gentamicin in the treatment of infections complicating neurosurgery and neurotraumatology,&#x201D; Gentamicin: First International Symposium, Paris, January 1967, Essex Chemie AG, Lucerne, 1967, pp. 162-168.<br> 12. Goitein, K., et al.: The intrathecal antibiotic route in meningitis. Harefuah 85:1 165-167, 202, August 15, 1973.<br> 13. Hodges, G.R. an Watanabe, I.: Neurotoxicity of Intrathecal Gentamicin in the Rabbbit, Veterans Administration Hospital, Kansas City, Missouri, U.S.A., 1978. D-11818.<br> 14. Kaiser, A.B. and McGee, Z.A.: Aminoglycoside therapy of gram-negative bacillary meningitis. The New Eng. J. of Med. 293: 1215-1220, December, 1975.<br> 15. Klastersky, J. et al: Endotracheally administered gentamicin for the prevention of infections of the respiratory tract in patients with tracheostomy. Chest 65: 650-654, 1974.<br> 16. Klastersky, J. et al: Endotracheal gentamicin for the prevention of bronchial infections in patients with tracheotomy. Int Z Klin Pharmakol Ther Toxicol 7:279-86, 1973;<br> 17. Klastersky, J, et al: Prevention of infections in tracheototamicin patients with endotracheal gentamicin. Abs. Proc. 12th Interscience Conf. on Antimicrobial Agents and Chemotherapy, Atlantic City, N.J., September 26-29, 1972.<br> 18. Klastersky, J. et al: Endotracheal gentamicin in bronchial infections in patients with tracheostomy. Chest 61: 117-120, 1972.<br> Sulfato de Gentamicina _INJ-AD_1.7287.0526_VPS_BU01 3<br> 19. Lake, K.B., Van Dyke, J.J., Rumsteld, JA.: Combined topical pulmonary and systemic gentamicin. Chest 68: 62-64, 1975.<br> 20. Liggins, M.R.: Relearning to cope with meningitis. Patient Care 9:138-139, 142-43, 145, 147, 1512, April 15, 1975.<br> 21. Mangi, R., et al: Intrathecal gentamicin in bacterial meningitis. Clin. Res. 22: 707A, December, 1974.<br> 22. McCracken, G.H., et al.: Pharmacologic evaluation of gentamicin in new born infants. J. Infect. Dis. 124:214-223, 1971.<br> 23. McCracken, G.H.: Pharmacological basis for antimicrobial therapy in newborn infants. Am. J. Dis. Child. 128:407-19, Sept., 1974.<br> 24. McCracken, G.H., Jr., and Mize, Susan G.: A controlled study of intrathecal antibiotic therapy in gram-negative enteric meningitis of infancy. J. Ped. 89(1):66-72, July, 1976.<br> 25. Melillo, G., Seccia, A.: Sull&#x2019;uso topico della gentamicinia in broncopneumologia. Gazz Med Italiana 133: 129-31, 1974.<br> 26. Moellering, R.C., et al.: Relationship of intraventricular gentamicin levels to cure a meningites. J. Pediatr. 81:534-37, Sept., 1972.<br> 27. Nelson, J. And McCracken, G.H.: The current status of gentamicin for neonate and young infants. J. Infect. Dis. 124:13-14, July 1972.<br> 28. Newman, R.L., et al.: Gentamicin in pediatrics I Report on intrathecal gentamicin. J. Infect. Dis. 124:S254-S256, Dec., 1971 (Suppl.).<br> 29. Odio, W., Van Laer, E., Klastersky, J.: Concentrations of gentamicin in bronchial secretions after intramuscular and endotracheal administration. J. Clin. Pharmacol 15:518-524, 1975.<br> 30. Rahal, J.J. Jr., et al.: Combined intrathecal and intra-muscular gentamicin for gram negative meningitis. New Eng. J. Med. 290:1394-98, June 20, 1974.<br> 31. Rahal, J.J. Jr.: Treatment of gram-negative bacillary meningitis in adults: Ann. Intern. Med 77:295-302, August, 1972.<br> 32. Ray, C.G.: Sepsis and meningitis in the newborn. Northwest Med. 71:686-88, September, 1972.<br> 33. Regula, H. Et al.: Pharmakokinetische unterschungen uber sputum-, serum und urinkonzentration von gentamycin nach aerosol-inhalation. Int. z. Klin Pharmakol Ther Toxikol 7:95-100, 1973.<br> 34. Rubenfires, M. et al.: Gentamicin therapy of paracolobactrum epidural abscess and meningites. Amer. J. Med. Sci. 257:191-197 (Mar.) 1969.<br> 35. Saad, A.F., et al.: Intracisternal and intrathecal injections of gentamicin in enterobacter meningites. Arch. Intern. Med. 134:738-40, October, 1974.<br> 36. Salmon, J.H.: Ventriculitis complicationg meningitis. Abs. Paper Presented 5th Int. Cong. Neurological Surgery, Tokyo, October 7-13, 1973. Excerpt Medica. N&#xB0; 293, pp. 211-12.<br> 37. Seligman, S.: The rapid differential diagnossis of meningitis. Med. Clin. North Am. 57:1417-24, November 1973.<br> 38. Sim, Bo Sung., et al.: Clinical use of gentamicin in neuro-surgery. Presented 1st Asian Symp. Gentamicin, New Delhi, December 10, 1973 and Bombay, December 12, 1973, pp. 40-41.<br> 39. Truckenbrodt, H., Legler, F., Stephan, U.: Investigations on the absorption of gentamicin in children after administration as an aerosol. 13th Int. Kongress fuer Paediatrie, Vienna., Proc Klinische Pharmakologie von Gentamicin in der Paediatrie 19:55-63, 1971.<br> 40. Vacek V., et al.: Penetration of antibiotics into the cerebrospinal fluid in inflammatory conditions. Int. J. Clin. Pharmacol. 2:277-79, 1969.<br> 41. Weiss, M.H. et al.: Antibiotic Neurotoxicity; Laboratory and Clinical study, J. Neurosurg., 41:486, 1974.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Solu&#xE7;&#xE3;o Oft&#xE1;lmica</h3> <p>Sulfato de Gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo, ativo contra uma ampla gama de bact&#xE9;rias Gram-positivas e Gram-negativas. Possui atividade contra Staphylococcus coagulase-positivos e coagulase-negativos, inclusive algumas cepas resistentes a penicilina, <em>Streptococcus</em> grupo A betahemol&#xED;tico e n&#xE3;o hemol&#xED;tico, <em>Diplococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Proteus</em> spp, <em>Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Haemophilus influenzae, Haemophilus aegyptius, Aerobacter aerogenes, Moraxella lacunata</em> e <em>Neisseria</em> spp, inclusive <em>Neisseria gonorrhoeae</em>.</p> <p>A a&#xE7;&#xE3;o do medicamento inicia-se no primeiro dia de tratamento.</p> <h3>Creme</h3> <p>A gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico de amplo espectro que proporciona tratamento t&#xF3;pico altamente eficaz em infec&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas prim&#xE1;rias e secund&#xE1;rias da pele.</p> <p>As bact&#xE9;rias sens&#xED;veis incluem algumas cepas <em>Staphylococcus aureus</em> (coagulase positivo, coagulase-negativo e certas cepas produtoras de penicilinase) e as bact&#xE9;rias Gram-negativas: <em>Pseudomonas aeruginosa, Aerobacter aerogenes, Escherichia coli, Proteus vulgaris</em> e <em>Klebsiella pneumoniae</em>.</p> <p>Foi demonstrado que a atividade antibacteriana <em>in vitro</em> da gentamicina &#xE9; bactericida para uma grande variedade de bact&#xE9;rias Gram-positivas e Gram-negativas. Nas concentra&#xE7;&#xF5;es de 4 mcg/mL ou menos, a gentamicina inibiu 95% da cepas de <em>Staphylococcus aureus</em> e 70-90% das cepas de <em>Escherichia coli</em> e <em>Aerobacter aerogenes</em>.</p> <p>Estudos toxicol&#xF3;gicos em animais e humanos revelaram que n&#xE3;o h&#xE1; evid&#xEA;ncia de irrita&#xE7;&#xE3;o da pele ap&#xF3;s a aplica&#xE7;&#xE3;o local de gentamicina duas vezes ao dia durante 3 dias, em concentra&#xE7;&#xF5;es muito mais elevadas que as formuladas para uso terap&#xEA;utico.</p> <p>Resultados de um teste cut&#xE2;neo oclusivo realizado em 100 pacientes mostraram que a gentamicina n&#xE3;o &#xE9; um irritante prim&#xE1;rio; al&#xE9;m disso, a gentamicina possui um baixo &#xED;ndice de sensibiliza&#xE7;&#xE3;o cut&#xE2;nea.</p> <h3>Injet&#xE1;vel</h3> <p>Sulfato de Gentamicina Injet&#xE1;vel &#xE9; uma solu&#xE7;&#xE3;o aquosa est&#xE9;ril para administra&#xE7;&#xE3;o parenteral, contendo o antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo gentamicina sob a forma de sulfato.</p> <p>Testes <em>in vitro </em>demonstraram que a gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo bactericida que atua inibindo a s&#xED;ntese proteica bacteriana em microorganismos sens&#xED;veis. &#xC9; ativa contra ampla variedade de bact&#xE9;rias patog&#xEA;nicas, Gram-negativas e Grampositivas, incluindo: <em>Escherichia coli, Proteus</em> sp. (indol-positivo e indol-negativo), incluindo Proteus mirabilis, P. morganii e P. vulgaris, Pseudomonas aeruginosa, esp&#xE9;cies do grupo <em>Klebsiella-Enterobacter-Serratia</em> sp., <em>Citrobacter </em>sp., <em>Providencia</em> sp. incluindo <em>Providencia rettger, Staphylococcus</em> sp. (coagulase-positivo e coagulase negativo), <em>Neisseria gonorrhoeae, Salmonella</em> e <em>Shigella</em>. A gentamicina pode ser ativa contra isolados cl&#xED;nicos de bact&#xE9;rias resistentes a outros aminoglicos&#xED;deos.</p> <p>Estudos <em>in vitro</em> demonstraram que um aminoglicos&#xED;deo, combinado com um antibi&#xF3;tico que interfere na s&#xED;ntese da parede celular, pode agir sinergicamente contra algumas cepas estreptoc&#xF3;cicas do grupo D. A associa&#xE7;&#xE3;o de gentamicina e penicilina G resulta em um efeito bactericida sin&#xE9;rgico contra quase todas as cepas de <em>Streptococcus faecalis</em> e suas variedades (<em>S. faecalis</em> var. liquefaciens, <em>S. faecalis var. zymogenes</em>) <em>S. faecium</em> e <em>S. durans</em>. Tamb&#xE9;m foi demonstrado <em>in vitro</em> maior efeito bactericida contra as cepas desses pat&#xF3;genos com a associa&#xE7;&#xE3;o de gentamicina e ampicilina, carbenicilina, nafcilina e <a href=\"https://consultaremedios.com.br/oxacilina-sodica/bula\" target=\"_blank\">oxacilina</a>.</p> <p>O efeito combinado da gentamicina e carbenicilina &#xE9; sin&#xE9;rgico para muitas cepas de Pseudomonas aeruginosa. Foi demonstrado, tamb&#xE9;m, o sinergismo <em>in vitro</em> contra outros microorganismos Gram-negativos com associa&#xE7;&#xF5;es de gentamicina e cefalosporinas.</p> <p>A gentamicina pode ser ativa contra cepas de bact&#xE9;rias resistentes a outros aminoglicos&#xED;deos. A resist&#xEA;ncia bacteriana &#xE0; gentamicina desenvolve-se lentamente.</p> <h4>Teste de sensibilidade</h4> <p>De acordo com o m&#xE9;todo descrito, um disco de 10 mcg de gentamicina deve produzir uma zona de inibi&#xE7;&#xE3;o de 13 mm ou mais, para indicar a sensibilidade do microorganismo. Uma zona de 12 mm ou menos indica que o organismo infectante provavelmente seja resistente. Em certas condi&#xE7;&#xF5;es, pode ser desej&#xE1;vel fazer um teste de sensibilidade adicional pelo m&#xE9;todo do tubo ou dilui&#xE7;&#xE3;o de Agar.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Sulfato de Gentamicina deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C) e ao abrigo da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Após aberto, válido por 28 dias.

Características do medicamento

Pomada

Sulfato de Gentamicina&nbsp;é uma pomada estéril branca a levemente amarelada.

Solução Gotas

Sulfato de Gentamicina é uma solução oftálmica estéril límpida, incolor a levemente amarelada.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Sulfato de Gentamicina Allergan

Pomada Oftálmica Estéril

Tubo contendo 3,5 g de pomada oftálmica estéril de sulfato de gentamicina (5 mg/g).

Via de administração tópica ocular.

Uso adulto e pediátrico.

Solução Oftálmica Estéril

Frasco plástico conta-gotas contendo 5 mL de solução oftálmica estéril de sulfato de gentamicina (5 mg/mL).

Via de administração oftálmica

Uso adulto e pediátrico.

Dizeres Legais do Sulfato de Gentamicina Allergan

Reg. Anvisa/MS - 1.0147.0069

Farm. Resp.:
Elizabeth Mesquita
CRF-SP nº 14.337

Registrado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 105 Torre 3 - 18º andar
Cidade Monções São Paulo
CEP 04571-900
CNPJ: 43.426.626/0001-77




Fabricado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Guarulhos - São Paulo
Indústria Brasileira


SAC:
0800-14-4077

Venda sob prescrição médica - Só pode ser vendido com retenção da receita.

Exclusivo Pomada:&nbsp;®Marca Registrada de Allergan, Inc.

Exclusivo Solução Gotas:&nbsp;© 2018 Allergan. Todos os direitos reservados. Todas as marcas registradas são de propriedade de seus respectivos donos.

5mg/mL, caixa com 1 frasco gotejador com 5mL de solução de uso oftálmico

Princípio ativo
:
Sulfato De Gentamicina
Classe Terapêutica
:
Antiinfeccios Oftalmológicos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia e Oftalmologia

Bula do medicamento

Sulfato de Gentamicina Allergan, para o que é indicado e para o que serve?

Sulfato de Gentamicina é indicado no tratamento de infecções externas do globo ocular e seus anexos, causadas por microorganismos sensíveis à gentamicina. É indicado também para o tratamento de conjuntivite, ceratite (inflamação da córnea), ceratoconjuntivite (inflamação dos olhos), úlcera de córnea, blefarite (inflamação da pálpebra), blefaroconjuntivite (inflamação conjunta da pálpebra e conjuntiva) e dacriocistite (inflamação do saco lacrimal).

Quais as contraindicações do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Sulfato de Gentamicina é contraindicado para pessoas que apresentam alergia a qualquer um dos componentes da sua fórmula.

Como usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Pomada

  • <li>Voc&#xEA; deve usar este medicamento exclusivamente nos olhos;</li> <li>Antes de usar o medicamento, confira o nome no r&#xF3;tulo para n&#xE3;o haver enganos. N&#xE3;o utilize Sulfato de Gentamicina caso haja sinais de viola&#xE7;&#xE3;o e/ou danifica&#xE7;&#xF5;es do tubo;</li> <li>A pomada j&#xE1; vem pronta para uso. N&#xE3;o encoste a abertura do tubo nos olhos, nos dedos e nem em outra superf&#xED;cie qualquer para evitar a contamina&#xE7;&#xE3;o do tubo e da pomada;</li> <li>Voc&#xEA; deve aplicar a quantidade da dose recomendada pelo seu m&#xE9;dico em um ou ambos os olhos: <ul> <li>A dose usual &#xE9; uma pequena quantidade aplicadas no saco conjuntival do(s) olho(s) afetado(s), de acordo com a indica&#xE7;&#xE3;o do m&#xE9;dico;</li> <li>O tempo de tratamento ser&#xE1; estabelecido pelo seu m&#xE9;dico pois ele varia de acordo com a intensidade da infec&#xE7;&#xE3;o e/ ou evolu&#xE7;&#xE3;o do paciente. Geralmente o tempo de tratamento &#xE9; de 7 dias, vari&#xE1;vel a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>Para maior comodidade, pode-se usar Sulfato de Gentamicina solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica durante o dia e Sulfato de Gentamicina pomada oft&#xE1;lmica &#xE0; noite, ao deitar-se;</li> </ul> </li> <li>Feche bem o tubo depois de usar.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Solução Gotas

  • <li>Voc&#xEA; deve usar esse medicamento exclusivamente nos olhos;</li> <li>Antes de usar o medicamento, confira o nome no r&#xF3;tulo para n&#xE3;o haver enganos. N&#xE3;o utilize Sulfato de Gentamicina caso haja sinais de viola&#xE7;&#xE3;o e/ou danifica&#xE7;&#xF5;es do frasco;</li> <li>A solu&#xE7;&#xE3;o j&#xE1; vem pronta para uso. N&#xE3;o encoste a ponta do frasco nos olhos, nos dedos e nem em outra superf&#xED;cie qualquer para evitar a contamina&#xE7;&#xE3;o do frasco e do <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-olhos/lubrificante-ocular/c" target="_blank">col&#xED;rio</a>;</li> <li>Voc&#xEA; deve aplicar o n&#xFA;mero de gotas da dose recomendada pelo seu m&#xE9;dico em um ou ambos os olhos;</li> <li>A dose usual &#xE9; de 2 gotas aplicadas no(s) olho(s) afetado(s), tr&#xEA;s a quatro vezes por dia, ou a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>O tempo de tratamento ser&#xE1; estabelecido pelo seu m&#xE9;dico pois ele varia de acordo com a intensidade da infec&#xE7;&#xE3;o e/ou evolu&#xE7;&#xE3;o do paciente. Geralmente o tempo de tratamento &#xE9; de 7 dias, vari&#xE1;vel a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>Feche bem o frasco depois de usar.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Como o Sulfato de Gentamicina Allergan funciona?

Sulfato de Gentamicina apresenta ação antibiótica - ativo contra uma ampla gama de bactérias Gram-positivas e Gram-negativas. Possui atividade contra Staphylococcus coagulase-positivos e coagulase-negativos, inclusive algumas cepas resistentes a penicilina, Streptococcus grupo A betahemolítico e não-hemolítico, Diplococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Proteus spp, Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Haemophilus influenzae, Haemophilus aegyptis, Aerobacter aerogenes, Moraxella lacunata e Neisseria spp, inclusive Neisseria gonorrhoeae.

A ação do medicamento inicia-se no primeiro dia de tratamento.

Quais cuidados devo ter ao usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Para não contaminar a pomada evite o contato da abertura do tubo com qualquer superfície. Não permita que a abertura do tubo entre em contato direto com os olhos.

Sulfato de Gentamicina é um medicamento de uso exclusivamente tópico ocular.

O uso prolongado de antibióticos pode ocasionalmente favorecer a infecção por microrganismos não sensíveis, inclusive fungos. A gentamicina pode provocar agressão ao epitélio de córneas mais sensíveis.

Uso durante a Gravidez e Lactação

Na ocorrência de gravidez ou se estiver amamentando, consulte o médico antes de fazer uso de medicamentos.

Este medicamento é contraindicado para uso por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Não deve ser utilizado durante a gravidez e lactação.

Uso em idosos

Não existem restrições de uso em pacientes idosos. A posologia é a mesma que a recomendada para as outras faixas etárias.

Pacientes que utilizam lentes de contato

Tire as lentes antes de aplicar Sulfato de Gentamicina em um ou ambos os olhos e aguarde pelo menos 15 minutos para recolocá-las.

Pacientes com insuficiência hepática ou renal

O medicamento não foi estudado em pacientes com quadros de insuficiência renal ou hepática, por isso deve ser usado com cautela nestes pacientes.

Pacientes neonatos

Reações de hipersensibilidade ocular severa foram reportadas quando Sulfato de Gentamicina foi utilizada para profilaxia neonatal. Sulfato de Gentamicina não é indicado para profilaxia neonatal, portanto não deve ser usado para profilaxia de oftalmia neonatal.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Assim como qualquer medicamento, podem ocorrer reações indesejáveis com a aplicação de Sulfato de Gentamicina.

Foram relatados casos de irritação dos olhos transitória (irritação passageira), infecções secundárias por microrganismos não sensíveis e reações alérgicas (incluindo edema (inchaço) dos olhos, edema (inchaço) das pálpebras, eritema (vermelhidão) das pálpebras e secreção dos olhos).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Você deve retornar a utilização do medicamento assim que se lembrar seguindo normalmente os intervalos de horários entre as aplicações até o final do dia. No dia seguinte, retornar aos horários regulares.

Em caso de dúvidas, procure a orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Pomada Oftálmica Estéril

Cada g contém:

5 mg de sulfato de gentamicina (equivalente a 3,0 mg de gentamicina base).

Veículo q.s.p.: lanolina, cera microcristalina, vaselina sólida e metilparabeno.

Solução Oftálmica Estéril

Cada mL (28 gotas) contém:

5 mg de sulfato de gentamicina* (0,178 mg/gota).

*Equivalente a 3,0 mg de gentamicina base.

Veículo q.s.p.: álcool polivinílico, fosfato de sódio dibásico heptaidratado, cloreto de sódio, edetato dissódico, cloreto de benzalcônio, hidróxido de sódio, ácido cloridríco e água purificada.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Sulfato de Gentamicina Allergan maior do que a recomendada?

Em geral, superdosagens não provocam problemas agudos. Se acidentalmente, for ingerido, beba bastante líquido para diluir, ou procure orientação médica.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Sulfato de Gentamicina Allergan com outros remédios?

Não são conhecidas interações com outros medicamentos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Sulfato de Gentamicina Allergan (Sulfato de Gentamicina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Solu&#xE7;&#xE3;o Oft&#xE1;lmica</h3> <p>Em um estudo randomizado, duplo-cego, 488 pacientes portadores de sinais cl&#xED;nicos de conjuntivite ou blefarite bacteriana aguda, ou de ambos, foram tratados com solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica de gentamicina 0,3% (n=243) ou solu&#xE7;&#xE3;o de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/norfloxacino/bula\" target=\"_blank\">norfloxacino</a> 0,3% (n=245) durante uma semana. Dos pacientes com cultura positiva, 71% (85/120) dos pacientes do grupo do norfloxacino e 65% (86/133) dos pacientes tratados com gentamicina foram curados clinicamente. Um adicional de 25% (30/120) no grupo do norfloxacino e de 32% (43/133) no grupo da gentamicina foram considerados melhorados clinicamente. A condi&#xE7;&#xE3;o de cinco pacientes tratados com norfloxacino n&#xE3;o melhorou clinicamente em compara&#xE7;&#xE3;o com oito pacientes no grupo da gentamicina. Ambos os antibi&#xF3;ticos apresentaram efic&#xE1;cia semelhante contra microorganismos gram-positivos e gram-negativos. A conclus&#xE3;o do estudo foi de que a gentamicina e o norfloxacino s&#xE3;o igualmente eficazes do ponto de vista clinico e bacteriol&#xF3;gico, no tratamento das infec&#xE7;&#xF5;es oft&#xE1;lmicas.<sup>1</sup></p> <p>Em outro estudo, 158 pacientes portadores de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/conjuntivite-bacteriana\" target=\"_blank\">conjuntivite bacteriana</a> comprovada por cultura, foram tratados com solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica de sulfato de gentamicina, ou trimetoprima+polimixina B, ou sulfacetamida s&#xF3;dica durante 10 dias. A resposta cl&#xED;nica em 3 a 6 dias ap&#xF3;s o in&#xED;cio do tratamento foi semelhante para os tr&#xEA;s agentes testados: com a gentamicina, 28/57 (49%) pacientes foram curados e 26/57 (46%) pacientes melhorados; com a trimetoprima+polimixina B, 26/55 (47%) foram curados e 25/55 (45%) melhorados; com a sulfacetamida s&#xF3;dica 19/46 (41%) foram curados e 22/46 (48%) melhorados. Os &#xED;ndices de resposta cl&#xED;nica e bacteriol&#xF3;gica em 2 a 7 dias ap&#xF3;s o t&#xE9;rmino do tratamento tamb&#xE9;m foram semelhantes nos tr&#xEA;s grupos. Cura bacteriol&#xF3;gica ocorreu em 39/57 (58%) no grupo da gentamicina, em 44/55 (83%) para a trimetoprima+polimixina B e em 33/46 (72%) para a sulfacetamida s&#xF3;dica.<sup>2</sup></p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Miller IM, Vogel R, Cook TJ, Wittreich J. Topically administered norfloxacin compared with topically administered gentamicina for the treatment of external ocular bacterial infections. Am J Ophthalmol 1992;113(6):638-644.<br> 2. Lohr J&#xC1;, Austin RD, Grossman M, Hayden GF, Knowlton GM, Dulley SM. Comparison of three topical antimicrobials for acute bacterial conjunctiviis. Pediatr Infect Dis J; 1998;7(9):626-629.</br></span></p> <h3>Creme</h3> <p>O uso de Sulfato de Gentamicina est&#xE1; embasado em estudos realizados e literaturas publicadas.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Behl, P.N. and Bhatia, R.K., Gentamicin &#x2013; A New Topical Antibiotic, Indian J. Dermatol. 15:17-20, 1969.<br> 2. 2. Bodian, E., Gentamicin Sulfate: A New, Potent Topical Antibiotic, Curr. Ther. Res. 8:575-580, 1966.<br> 3. Fattah, A.A. et al, Treatment of Pyogenic Skin Infections with Topical Gentamicin, Chemotherapy 13:81-89, 1968.<br> 4. Gould, A., Gentamicin Sulfate, A New Topical Antibiotic for Pyodemas, Cutis 2:104 107, 1966.<br> 5. Helfand, A. et al., Gentamicin Sulfate for Infected Lesions of the Foot, J. Am. Pod Assoc. 58:295-297, 1968.<br> 6. Holder, F.A. et al., Eighteen Months of Routine Topical Antimicrobial Susceptibility Testing of Isolate from Burn Patients: Results and Conclusions, J. Antimicrobial Chemotherapy 5:455-463, 1979.<br> 7. Hough, C. et al., Treatment of Pyodema with Gentamicin Sulfate: Suvey of Clinical Experience, Clin. Med. 73:55-58, 1966.<br> 8. Liberi, E. and Sittner, M., A Topical Antibiotic for Industrial Infected Wouds, J. Med. Soc. New Jersey 66:269-270, 1969.<br> 9. McMillan, B., Gentamicin in the Management of Thermal Injuries, J. Inf. Dis. 119:492-503, 1969.<br> 10. Nierman, M., Treatment of Pyogenic Skin Infections with Topical Gentamicin, III. Med. J. 126:672-675, 1964.<br> 11. Olansky, S., Topical Therapy of Pyodemas Due to Resistant Bacterial Strains, Cutis 2:674-676, 1966.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h3>Injet&#xE1;vel</h3> <p>Os dados da ampla literatura dispon&#xED;vel sobre o emprego terap&#xEA;utico da Sulfato de Gentamicina Injet&#xE1;vel contendo sulfato de gentamicina, mostram que esse aminoglicos&#xED;deo de uso consagrado apresenta &#xED;ndices de efic&#xE1;cia elevados nas diferentes indica&#xE7;&#xF5;es e usos terap&#xEA;uticos, quando administrado por via intramuscular, intravenosa, subconjuntival, subcapsular (c&#xE1;psula de Tenon), nebuliza&#xE7;&#xE3;o ou instila&#xE7;&#xE3;o intratraqueal direta. Assim, na literatura, est&#xE3;o documentados resultados favor&#xE1;veis com o emprego da gentamicina no tratamento de septicemia, bacteremia (incluindo sepse neonatal), infec&#xE7;&#xF5;es graves do sistema nervoso (incluindo meningite), infec&#xE7;&#xE3;o nos rins e trato genitourin&#xE1;rio (incluindo infec&#xE7;&#xF5;es p&#xE9;lvicas), infec&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias, infec&#xE7;&#xF5;es gastrintestinais, infec&#xE7;&#xF5;es na pele, ossos ou tecidos moles (incluindo queimaduras e feridas infectadas), infec&#xE7;&#xF5;es intra-abdominais (incluindo peritonite) e infec&#xE7;&#xF5;es oculares.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Barn, D., A., Klastersky, J.: Concentration of gentamicin in bronchial secretions of children with cystic fibrosis or tracheostomy. In J. Clin, Pharmacol Biopharm 12:336-341, 1975.<br> 2. Boxerbaum, B. et al: Use of gentamicin in children with cystic fibrosis. J. Infect. Dis. 124, 293-295, Dec. 1971. (Supplement).<br> 3. Burns, M.W.: Gentamicin in respiratory tract infections. 52-55, 1973.<br> 4. Chang, M.J., et al.: Kanamycin and gentamicin treatment of neonatal sepsis. Pediatrics 56: 695-699, November, 1975.<br> 5. Corbeel, L. et al.: Treatment of purulent meningitis in infants. Lancet 1:663, March 24, 1979.<br> 6. Dachy, A. et al: La gentamicine en pediatrie. Proc. 12th Swiss Gentamicin Symp. Interlaken 80-82, 1972.<br> 7. Dachy, A. et al: Les indications de la gentamicine en pediatrie hospialiere. In Table Ronde Gentamicine Ars Medici 76-90, 1972.<br> 8. Danish, M. A. et al: Aerosolized gentamicin in cystic fibrosis. Abstract submitted to the American Pediatric Society, Jan. 1977.<br> 9. Dichiro, G.: Cisternography: from early tribulations to a useful diagnostic procedure. J. Hopkins Med. J. 133:1-15, 1973;<br> 10. Eeckels, R. et al.: Intraventricular and/or intralumbar treatment of purulent meningitis in infants. Acta Paediatr. Belg. 33:243-251, 1980.<br> 11. Fasano, V.A.: &#x201C;Gentamicin in the treatment of infections complicating neurosurgery and neurotraumatology,&#x201D; Gentamicin: First International Symposium, Paris, January 1967, Essex Chemie AG, Lucerne, 1967, pp. 162-168.<br> 12. Goitein, K., et al.: The intrathecal antibiotic route in meningitis. Harefuah 85:1 165-167, 202, August 15, 1973.<br> 13. Hodges, G.R. an Watanabe, I.: Neurotoxicity of Intrathecal Gentamicin in the Rabbbit, Veterans Administration Hospital, Kansas City, Missouri, U.S.A., 1978. D-11818.<br> 14. Kaiser, A.B. and McGee, Z.A.: Aminoglycoside therapy of gram-negative bacillary meningitis. The New Eng. J. of Med. 293: 1215-1220, December, 1975.<br> 15. Klastersky, J. et al: Endotracheally administered gentamicin for the prevention of infections of the respiratory tract in patients with tracheostomy. Chest 65: 650-654, 1974.<br> 16. Klastersky, J. et al: Endotracheal gentamicin for the prevention of bronchial infections in patients with tracheotomy. Int Z Klin Pharmakol Ther Toxicol 7:279-86, 1973;<br> 17. Klastersky, J, et al: Prevention of infections in tracheototamicin patients with endotracheal gentamicin. Abs. Proc. 12th Interscience Conf. on Antimicrobial Agents and Chemotherapy, Atlantic City, N.J., September 26-29, 1972.<br> 18. Klastersky, J. et al: Endotracheal gentamicin in bronchial infections in patients with tracheostomy. Chest 61: 117-120, 1972.<br> Sulfato de Gentamicina _INJ-AD_1.7287.0526_VPS_BU01 3<br> 19. Lake, K.B., Van Dyke, J.J., Rumsteld, JA.: Combined topical pulmonary and systemic gentamicin. Chest 68: 62-64, 1975.<br> 20. Liggins, M.R.: Relearning to cope with meningitis. Patient Care 9:138-139, 142-43, 145, 147, 1512, April 15, 1975.<br> 21. Mangi, R., et al: Intrathecal gentamicin in bacterial meningitis. Clin. Res. 22: 707A, December, 1974.<br> 22. McCracken, G.H., et al.: Pharmacologic evaluation of gentamicin in new born infants. J. Infect. Dis. 124:214-223, 1971.<br> 23. McCracken, G.H.: Pharmacological basis for antimicrobial therapy in newborn infants. Am. J. Dis. Child. 128:407-19, Sept., 1974.<br> 24. McCracken, G.H., Jr., and Mize, Susan G.: A controlled study of intrathecal antibiotic therapy in gram-negative enteric meningitis of infancy. J. Ped. 89(1):66-72, July, 1976.<br> 25. Melillo, G., Seccia, A.: Sull&#x2019;uso topico della gentamicinia in broncopneumologia. Gazz Med Italiana 133: 129-31, 1974.<br> 26. Moellering, R.C., et al.: Relationship of intraventricular gentamicin levels to cure a meningites. J. Pediatr. 81:534-37, Sept., 1972.<br> 27. Nelson, J. And McCracken, G.H.: The current status of gentamicin for neonate and young infants. J. Infect. Dis. 124:13-14, July 1972.<br> 28. Newman, R.L., et al.: Gentamicin in pediatrics I Report on intrathecal gentamicin. J. Infect. Dis. 124:S254-S256, Dec., 1971 (Suppl.).<br> 29. Odio, W., Van Laer, E., Klastersky, J.: Concentrations of gentamicin in bronchial secretions after intramuscular and endotracheal administration. J. Clin. Pharmacol 15:518-524, 1975.<br> 30. Rahal, J.J. Jr., et al.: Combined intrathecal and intra-muscular gentamicin for gram negative meningitis. New Eng. J. Med. 290:1394-98, June 20, 1974.<br> 31. Rahal, J.J. Jr.: Treatment of gram-negative bacillary meningitis in adults: Ann. Intern. Med 77:295-302, August, 1972.<br> 32. Ray, C.G.: Sepsis and meningitis in the newborn. Northwest Med. 71:686-88, September, 1972.<br> 33. Regula, H. Et al.: Pharmakokinetische unterschungen uber sputum-, serum und urinkonzentration von gentamycin nach aerosol-inhalation. Int. z. Klin Pharmakol Ther Toxikol 7:95-100, 1973.<br> 34. Rubenfires, M. et al.: Gentamicin therapy of paracolobactrum epidural abscess and meningites. Amer. J. Med. Sci. 257:191-197 (Mar.) 1969.<br> 35. Saad, A.F., et al.: Intracisternal and intrathecal injections of gentamicin in enterobacter meningites. Arch. Intern. Med. 134:738-40, October, 1974.<br> 36. Salmon, J.H.: Ventriculitis complicationg meningitis. Abs. Paper Presented 5th Int. Cong. Neurological Surgery, Tokyo, October 7-13, 1973. Excerpt Medica. N&#xB0; 293, pp. 211-12.<br> 37. Seligman, S.: The rapid differential diagnossis of meningitis. Med. Clin. North Am. 57:1417-24, November 1973.<br> 38. Sim, Bo Sung., et al.: Clinical use of gentamicin in neuro-surgery. Presented 1st Asian Symp. Gentamicin, New Delhi, December 10, 1973 and Bombay, December 12, 1973, pp. 40-41.<br> 39. Truckenbrodt, H., Legler, F., Stephan, U.: Investigations on the absorption of gentamicin in children after administration as an aerosol. 13th Int. Kongress fuer Paediatrie, Vienna., Proc Klinische Pharmakologie von Gentamicin in der Paediatrie 19:55-63, 1971.<br> 40. Vacek V., et al.: Penetration of antibiotics into the cerebrospinal fluid in inflammatory conditions. Int. J. Clin. Pharmacol. 2:277-79, 1969.<br> 41. Weiss, M.H. et al.: Antibiotic Neurotoxicity; Laboratory and Clinical study, J. Neurosurg., 41:486, 1974.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Solu&#xE7;&#xE3;o Oft&#xE1;lmica</h3> <p>Sulfato de Gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo, ativo contra uma ampla gama de bact&#xE9;rias Gram-positivas e Gram-negativas. Possui atividade contra Staphylococcus coagulase-positivos e coagulase-negativos, inclusive algumas cepas resistentes a penicilina, <em>Streptococcus</em> grupo A betahemol&#xED;tico e n&#xE3;o hemol&#xED;tico, <em>Diplococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Proteus</em> spp, <em>Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Haemophilus influenzae, Haemophilus aegyptius, Aerobacter aerogenes, Moraxella lacunata</em> e <em>Neisseria</em> spp, inclusive <em>Neisseria gonorrhoeae</em>.</p> <p>A a&#xE7;&#xE3;o do medicamento inicia-se no primeiro dia de tratamento.</p> <h3>Creme</h3> <p>A gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico de amplo espectro que proporciona tratamento t&#xF3;pico altamente eficaz em infec&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas prim&#xE1;rias e secund&#xE1;rias da pele.</p> <p>As bact&#xE9;rias sens&#xED;veis incluem algumas cepas <em>Staphylococcus aureus</em> (coagulase positivo, coagulase-negativo e certas cepas produtoras de penicilinase) e as bact&#xE9;rias Gram-negativas: <em>Pseudomonas aeruginosa, Aerobacter aerogenes, Escherichia coli, Proteus vulgaris</em> e <em>Klebsiella pneumoniae</em>.</p> <p>Foi demonstrado que a atividade antibacteriana <em>in vitro</em> da gentamicina &#xE9; bactericida para uma grande variedade de bact&#xE9;rias Gram-positivas e Gram-negativas. Nas concentra&#xE7;&#xF5;es de 4 mcg/mL ou menos, a gentamicina inibiu 95% da cepas de <em>Staphylococcus aureus</em> e 70-90% das cepas de <em>Escherichia coli</em> e <em>Aerobacter aerogenes</em>.</p> <p>Estudos toxicol&#xF3;gicos em animais e humanos revelaram que n&#xE3;o h&#xE1; evid&#xEA;ncia de irrita&#xE7;&#xE3;o da pele ap&#xF3;s a aplica&#xE7;&#xE3;o local de gentamicina duas vezes ao dia durante 3 dias, em concentra&#xE7;&#xF5;es muito mais elevadas que as formuladas para uso terap&#xEA;utico.</p> <p>Resultados de um teste cut&#xE2;neo oclusivo realizado em 100 pacientes mostraram que a gentamicina n&#xE3;o &#xE9; um irritante prim&#xE1;rio; al&#xE9;m disso, a gentamicina possui um baixo &#xED;ndice de sensibiliza&#xE7;&#xE3;o cut&#xE2;nea.</p> <h3>Injet&#xE1;vel</h3> <p>Sulfato de Gentamicina Injet&#xE1;vel &#xE9; uma solu&#xE7;&#xE3;o aquosa est&#xE9;ril para administra&#xE7;&#xE3;o parenteral, contendo o antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo gentamicina sob a forma de sulfato.</p> <p>Testes <em>in vitro </em>demonstraram que a gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo bactericida que atua inibindo a s&#xED;ntese proteica bacteriana em microorganismos sens&#xED;veis. &#xC9; ativa contra ampla variedade de bact&#xE9;rias patog&#xEA;nicas, Gram-negativas e Grampositivas, incluindo: <em>Escherichia coli, Proteus</em> sp. (indol-positivo e indol-negativo), incluindo Proteus mirabilis, P. morganii e P. vulgaris, Pseudomonas aeruginosa, esp&#xE9;cies do grupo <em>Klebsiella-Enterobacter-Serratia</em> sp., <em>Citrobacter </em>sp., <em>Providencia</em> sp. incluindo <em>Providencia rettger, Staphylococcus</em> sp. (coagulase-positivo e coagulase negativo), <em>Neisseria gonorrhoeae, Salmonella</em> e <em>Shigella</em>. A gentamicina pode ser ativa contra isolados cl&#xED;nicos de bact&#xE9;rias resistentes a outros aminoglicos&#xED;deos.</p> <p>Estudos <em>in vitro</em> demonstraram que um aminoglicos&#xED;deo, combinado com um antibi&#xF3;tico que interfere na s&#xED;ntese da parede celular, pode agir sinergicamente contra algumas cepas estreptoc&#xF3;cicas do grupo D. A associa&#xE7;&#xE3;o de gentamicina e penicilina G resulta em um efeito bactericida sin&#xE9;rgico contra quase todas as cepas de <em>Streptococcus faecalis</em> e suas variedades (<em>S. faecalis</em> var. liquefaciens, <em>S. faecalis var. zymogenes</em>) <em>S. faecium</em> e <em>S. durans</em>. Tamb&#xE9;m foi demonstrado <em>in vitro</em> maior efeito bactericida contra as cepas desses pat&#xF3;genos com a associa&#xE7;&#xE3;o de gentamicina e ampicilina, carbenicilina, nafcilina e <a href=\"https://consultaremedios.com.br/oxacilina-sodica/bula\" target=\"_blank\">oxacilina</a>.</p> <p>O efeito combinado da gentamicina e carbenicilina &#xE9; sin&#xE9;rgico para muitas cepas de Pseudomonas aeruginosa. Foi demonstrado, tamb&#xE9;m, o sinergismo <em>in vitro</em> contra outros microorganismos Gram-negativos com associa&#xE7;&#xF5;es de gentamicina e cefalosporinas.</p> <p>A gentamicina pode ser ativa contra cepas de bact&#xE9;rias resistentes a outros aminoglicos&#xED;deos. A resist&#xEA;ncia bacteriana &#xE0; gentamicina desenvolve-se lentamente.</p> <h4>Teste de sensibilidade</h4> <p>De acordo com o m&#xE9;todo descrito, um disco de 10 mcg de gentamicina deve produzir uma zona de inibi&#xE7;&#xE3;o de 13 mm ou mais, para indicar a sensibilidade do microorganismo. Uma zona de 12 mm ou menos indica que o organismo infectante provavelmente seja resistente. Em certas condi&#xE7;&#xF5;es, pode ser desej&#xE1;vel fazer um teste de sensibilidade adicional pelo m&#xE9;todo do tubo ou dilui&#xE7;&#xE3;o de Agar.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Sulfato de Gentamicina deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C) e ao abrigo da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Após aberto, válido por 28 dias.

Características do medicamento

Pomada

Sulfato de Gentamicina&nbsp;é uma pomada estéril branca a levemente amarelada.

Solução Gotas

Sulfato de Gentamicina é uma solução oftálmica estéril límpida, incolor a levemente amarelada.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Sulfato de Gentamicina Allergan

Pomada Oftálmica Estéril

Tubo contendo 3,5 g de pomada oftálmica estéril de sulfato de gentamicina (5 mg/g).

Via de administração tópica ocular.

Uso adulto e pediátrico.

Solução Oftálmica Estéril

Frasco plástico conta-gotas contendo 5 mL de solução oftálmica estéril de sulfato de gentamicina (5 mg/mL).

Via de administração oftálmica

Uso adulto e pediátrico.

Dizeres Legais do Sulfato de Gentamicina Allergan

Reg. Anvisa/MS - 1.0147.0069

Farm. Resp.:
Elizabeth Mesquita
CRF-SP nº 14.337

Registrado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 105 Torre 3 - 18º andar
Cidade Monções São Paulo
CEP 04571-900
CNPJ: 43.426.626/0001-77




Fabricado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Guarulhos - São Paulo
Indústria Brasileira


SAC:
0800-14-4077

Venda sob prescrição médica - Só pode ser vendido com retenção da receita.

Exclusivo Pomada:&nbsp;®Marca Registrada de Allergan, Inc.

Exclusivo Solução Gotas:&nbsp;© 2018 Allergan. Todos os direitos reservados. Todas as marcas registradas são de propriedade de seus respectivos donos.

5mg/g, caixa com 1 bisnaga com 3,5g de pomada de uso oftálmico

Princípio ativo
:
Sulfato De Gentamicina
Classe Terapêutica
:
Antiinfeccios Oftalmológicos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia e Oftalmologia

Bula do medicamento

Sulfato de Gentamicina Allergan, para o que é indicado e para o que serve?

Sulfato de Gentamicina é indicado no tratamento de infecções externas do globo ocular e seus anexos, causadas por microorganismos sensíveis à gentamicina. É indicado também para o tratamento de conjuntivite, ceratite (inflamação da córnea), ceratoconjuntivite (inflamação dos olhos), úlcera de córnea, blefarite (inflamação da pálpebra), blefaroconjuntivite (inflamação conjunta da pálpebra e conjuntiva) e dacriocistite (inflamação do saco lacrimal).

Quais as contraindicações do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Sulfato de Gentamicina é contraindicado para pessoas que apresentam alergia a qualquer um dos componentes da sua fórmula.

Como usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Pomada

  • <li>Voc&#xEA; deve usar este medicamento exclusivamente nos olhos;</li> <li>Antes de usar o medicamento, confira o nome no r&#xF3;tulo para n&#xE3;o haver enganos. N&#xE3;o utilize Sulfato de Gentamicina caso haja sinais de viola&#xE7;&#xE3;o e/ou danifica&#xE7;&#xF5;es do tubo;</li> <li>A pomada j&#xE1; vem pronta para uso. N&#xE3;o encoste a abertura do tubo nos olhos, nos dedos e nem em outra superf&#xED;cie qualquer para evitar a contamina&#xE7;&#xE3;o do tubo e da pomada;</li> <li>Voc&#xEA; deve aplicar a quantidade da dose recomendada pelo seu m&#xE9;dico em um ou ambos os olhos: <ul> <li>A dose usual &#xE9; uma pequena quantidade aplicadas no saco conjuntival do(s) olho(s) afetado(s), de acordo com a indica&#xE7;&#xE3;o do m&#xE9;dico;</li> <li>O tempo de tratamento ser&#xE1; estabelecido pelo seu m&#xE9;dico pois ele varia de acordo com a intensidade da infec&#xE7;&#xE3;o e/ ou evolu&#xE7;&#xE3;o do paciente. Geralmente o tempo de tratamento &#xE9; de 7 dias, vari&#xE1;vel a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>Para maior comodidade, pode-se usar Sulfato de Gentamicina solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica durante o dia e Sulfato de Gentamicina pomada oft&#xE1;lmica &#xE0; noite, ao deitar-se;</li> </ul> </li> <li>Feche bem o tubo depois de usar.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Solução Gotas

  • <li>Voc&#xEA; deve usar esse medicamento exclusivamente nos olhos;</li> <li>Antes de usar o medicamento, confira o nome no r&#xF3;tulo para n&#xE3;o haver enganos. N&#xE3;o utilize Sulfato de Gentamicina caso haja sinais de viola&#xE7;&#xE3;o e/ou danifica&#xE7;&#xF5;es do frasco;</li> <li>A solu&#xE7;&#xE3;o j&#xE1; vem pronta para uso. N&#xE3;o encoste a ponta do frasco nos olhos, nos dedos e nem em outra superf&#xED;cie qualquer para evitar a contamina&#xE7;&#xE3;o do frasco e do <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-olhos/lubrificante-ocular/c" target="_blank">col&#xED;rio</a>;</li> <li>Voc&#xEA; deve aplicar o n&#xFA;mero de gotas da dose recomendada pelo seu m&#xE9;dico em um ou ambos os olhos;</li> <li>A dose usual &#xE9; de 2 gotas aplicadas no(s) olho(s) afetado(s), tr&#xEA;s a quatro vezes por dia, ou a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>O tempo de tratamento ser&#xE1; estabelecido pelo seu m&#xE9;dico pois ele varia de acordo com a intensidade da infec&#xE7;&#xE3;o e/ou evolu&#xE7;&#xE3;o do paciente. Geralmente o tempo de tratamento &#xE9; de 7 dias, vari&#xE1;vel a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>Feche bem o frasco depois de usar.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Como o Sulfato de Gentamicina Allergan funciona?

Sulfato de Gentamicina apresenta ação antibiótica - ativo contra uma ampla gama de bactérias Gram-positivas e Gram-negativas. Possui atividade contra Staphylococcus coagulase-positivos e coagulase-negativos, inclusive algumas cepas resistentes a penicilina, Streptococcus grupo A betahemolítico e não-hemolítico, Diplococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Proteus spp, Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Haemophilus influenzae, Haemophilus aegyptis, Aerobacter aerogenes, Moraxella lacunata e Neisseria spp, inclusive Neisseria gonorrhoeae.

A ação do medicamento inicia-se no primeiro dia de tratamento.

Quais cuidados devo ter ao usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Para não contaminar a pomada evite o contato da abertura do tubo com qualquer superfície. Não permita que a abertura do tubo entre em contato direto com os olhos.

Sulfato de Gentamicina é um medicamento de uso exclusivamente tópico ocular.

O uso prolongado de antibióticos pode ocasionalmente favorecer a infecção por microrganismos não sensíveis, inclusive fungos. A gentamicina pode provocar agressão ao epitélio de córneas mais sensíveis.

Uso durante a Gravidez e Lactação

Na ocorrência de gravidez ou se estiver amamentando, consulte o médico antes de fazer uso de medicamentos.

Este medicamento é contraindicado para uso por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Não deve ser utilizado durante a gravidez e lactação.

Uso em idosos

Não existem restrições de uso em pacientes idosos. A posologia é a mesma que a recomendada para as outras faixas etárias.

Pacientes que utilizam lentes de contato

Tire as lentes antes de aplicar Sulfato de Gentamicina em um ou ambos os olhos e aguarde pelo menos 15 minutos para recolocá-las.

Pacientes com insuficiência hepática ou renal

O medicamento não foi estudado em pacientes com quadros de insuficiência renal ou hepática, por isso deve ser usado com cautela nestes pacientes.

Pacientes neonatos

Reações de hipersensibilidade ocular severa foram reportadas quando Sulfato de Gentamicina foi utilizada para profilaxia neonatal. Sulfato de Gentamicina não é indicado para profilaxia neonatal, portanto não deve ser usado para profilaxia de oftalmia neonatal.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Assim como qualquer medicamento, podem ocorrer reações indesejáveis com a aplicação de Sulfato de Gentamicina.

Foram relatados casos de irritação dos olhos transitória (irritação passageira), infecções secundárias por microrganismos não sensíveis e reações alérgicas (incluindo edema (inchaço) dos olhos, edema (inchaço) das pálpebras, eritema (vermelhidão) das pálpebras e secreção dos olhos).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Você deve retornar a utilização do medicamento assim que se lembrar seguindo normalmente os intervalos de horários entre as aplicações até o final do dia. No dia seguinte, retornar aos horários regulares.

Em caso de dúvidas, procure a orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Pomada Oftálmica Estéril

Cada g contém:

5 mg de sulfato de gentamicina (equivalente a 3,0 mg de gentamicina base).

Veículo q.s.p.: lanolina, cera microcristalina, vaselina sólida e metilparabeno.

Solução Oftálmica Estéril

Cada mL (28 gotas) contém:

5 mg de sulfato de gentamicina* (0,178 mg/gota).

*Equivalente a 3,0 mg de gentamicina base.

Veículo q.s.p.: álcool polivinílico, fosfato de sódio dibásico heptaidratado, cloreto de sódio, edetato dissódico, cloreto de benzalcônio, hidróxido de sódio, ácido cloridríco e água purificada.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Sulfato de Gentamicina Allergan maior do que a recomendada?

Em geral, superdosagens não provocam problemas agudos. Se acidentalmente, for ingerido, beba bastante líquido para diluir, ou procure orientação médica.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Sulfato de Gentamicina Allergan com outros remédios?

Não são conhecidas interações com outros medicamentos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Sulfato de Gentamicina Allergan (Sulfato de Gentamicina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Solu&#xE7;&#xE3;o Oft&#xE1;lmica</h3> <p>Em um estudo randomizado, duplo-cego, 488 pacientes portadores de sinais cl&#xED;nicos de conjuntivite ou blefarite bacteriana aguda, ou de ambos, foram tratados com solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica de gentamicina 0,3% (n=243) ou solu&#xE7;&#xE3;o de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/norfloxacino/bula\" target=\"_blank\">norfloxacino</a> 0,3% (n=245) durante uma semana. Dos pacientes com cultura positiva, 71% (85/120) dos pacientes do grupo do norfloxacino e 65% (86/133) dos pacientes tratados com gentamicina foram curados clinicamente. Um adicional de 25% (30/120) no grupo do norfloxacino e de 32% (43/133) no grupo da gentamicina foram considerados melhorados clinicamente. A condi&#xE7;&#xE3;o de cinco pacientes tratados com norfloxacino n&#xE3;o melhorou clinicamente em compara&#xE7;&#xE3;o com oito pacientes no grupo da gentamicina. Ambos os antibi&#xF3;ticos apresentaram efic&#xE1;cia semelhante contra microorganismos gram-positivos e gram-negativos. A conclus&#xE3;o do estudo foi de que a gentamicina e o norfloxacino s&#xE3;o igualmente eficazes do ponto de vista clinico e bacteriol&#xF3;gico, no tratamento das infec&#xE7;&#xF5;es oft&#xE1;lmicas.<sup>1</sup></p> <p>Em outro estudo, 158 pacientes portadores de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/conjuntivite-bacteriana\" target=\"_blank\">conjuntivite bacteriana</a> comprovada por cultura, foram tratados com solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica de sulfato de gentamicina, ou trimetoprima+polimixina B, ou sulfacetamida s&#xF3;dica durante 10 dias. A resposta cl&#xED;nica em 3 a 6 dias ap&#xF3;s o in&#xED;cio do tratamento foi semelhante para os tr&#xEA;s agentes testados: com a gentamicina, 28/57 (49%) pacientes foram curados e 26/57 (46%) pacientes melhorados; com a trimetoprima+polimixina B, 26/55 (47%) foram curados e 25/55 (45%) melhorados; com a sulfacetamida s&#xF3;dica 19/46 (41%) foram curados e 22/46 (48%) melhorados. Os &#xED;ndices de resposta cl&#xED;nica e bacteriol&#xF3;gica em 2 a 7 dias ap&#xF3;s o t&#xE9;rmino do tratamento tamb&#xE9;m foram semelhantes nos tr&#xEA;s grupos. Cura bacteriol&#xF3;gica ocorreu em 39/57 (58%) no grupo da gentamicina, em 44/55 (83%) para a trimetoprima+polimixina B e em 33/46 (72%) para a sulfacetamida s&#xF3;dica.<sup>2</sup></p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Miller IM, Vogel R, Cook TJ, Wittreich J. Topically administered norfloxacin compared with topically administered gentamicina for the treatment of external ocular bacterial infections. Am J Ophthalmol 1992;113(6):638-644.<br> 2. Lohr J&#xC1;, Austin RD, Grossman M, Hayden GF, Knowlton GM, Dulley SM. Comparison of three topical antimicrobials for acute bacterial conjunctiviis. Pediatr Infect Dis J; 1998;7(9):626-629.</br></span></p> <h3>Creme</h3> <p>O uso de Sulfato de Gentamicina est&#xE1; embasado em estudos realizados e literaturas publicadas.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Behl, P.N. and Bhatia, R.K., Gentamicin &#x2013; A New Topical Antibiotic, Indian J. Dermatol. 15:17-20, 1969.<br> 2. 2. Bodian, E., Gentamicin Sulfate: A New, Potent Topical Antibiotic, Curr. Ther. Res. 8:575-580, 1966.<br> 3. Fattah, A.A. et al, Treatment of Pyogenic Skin Infections with Topical Gentamicin, Chemotherapy 13:81-89, 1968.<br> 4. Gould, A., Gentamicin Sulfate, A New Topical Antibiotic for Pyodemas, Cutis 2:104 107, 1966.<br> 5. Helfand, A. et al., Gentamicin Sulfate for Infected Lesions of the Foot, J. Am. Pod Assoc. 58:295-297, 1968.<br> 6. Holder, F.A. et al., Eighteen Months of Routine Topical Antimicrobial Susceptibility Testing of Isolate from Burn Patients: Results and Conclusions, J. Antimicrobial Chemotherapy 5:455-463, 1979.<br> 7. Hough, C. et al., Treatment of Pyodema with Gentamicin Sulfate: Suvey of Clinical Experience, Clin. Med. 73:55-58, 1966.<br> 8. Liberi, E. and Sittner, M., A Topical Antibiotic for Industrial Infected Wouds, J. Med. Soc. New Jersey 66:269-270, 1969.<br> 9. McMillan, B., Gentamicin in the Management of Thermal Injuries, J. Inf. Dis. 119:492-503, 1969.<br> 10. Nierman, M., Treatment of Pyogenic Skin Infections with Topical Gentamicin, III. Med. J. 126:672-675, 1964.<br> 11. Olansky, S., Topical Therapy of Pyodemas Due to Resistant Bacterial Strains, Cutis 2:674-676, 1966.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h3>Injet&#xE1;vel</h3> <p>Os dados da ampla literatura dispon&#xED;vel sobre o emprego terap&#xEA;utico da Sulfato de Gentamicina Injet&#xE1;vel contendo sulfato de gentamicina, mostram que esse aminoglicos&#xED;deo de uso consagrado apresenta &#xED;ndices de efic&#xE1;cia elevados nas diferentes indica&#xE7;&#xF5;es e usos terap&#xEA;uticos, quando administrado por via intramuscular, intravenosa, subconjuntival, subcapsular (c&#xE1;psula de Tenon), nebuliza&#xE7;&#xE3;o ou instila&#xE7;&#xE3;o intratraqueal direta. Assim, na literatura, est&#xE3;o documentados resultados favor&#xE1;veis com o emprego da gentamicina no tratamento de septicemia, bacteremia (incluindo sepse neonatal), infec&#xE7;&#xF5;es graves do sistema nervoso (incluindo meningite), infec&#xE7;&#xE3;o nos rins e trato genitourin&#xE1;rio (incluindo infec&#xE7;&#xF5;es p&#xE9;lvicas), infec&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias, infec&#xE7;&#xF5;es gastrintestinais, infec&#xE7;&#xF5;es na pele, ossos ou tecidos moles (incluindo queimaduras e feridas infectadas), infec&#xE7;&#xF5;es intra-abdominais (incluindo peritonite) e infec&#xE7;&#xF5;es oculares.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Barn, D., A., Klastersky, J.: Concentration of gentamicin in bronchial secretions of children with cystic fibrosis or tracheostomy. In J. Clin, Pharmacol Biopharm 12:336-341, 1975.<br> 2. Boxerbaum, B. et al: Use of gentamicin in children with cystic fibrosis. J. Infect. Dis. 124, 293-295, Dec. 1971. (Supplement).<br> 3. Burns, M.W.: Gentamicin in respiratory tract infections. 52-55, 1973.<br> 4. Chang, M.J., et al.: Kanamycin and gentamicin treatment of neonatal sepsis. Pediatrics 56: 695-699, November, 1975.<br> 5. Corbeel, L. et al.: Treatment of purulent meningitis in infants. Lancet 1:663, March 24, 1979.<br> 6. Dachy, A. et al: La gentamicine en pediatrie. Proc. 12th Swiss Gentamicin Symp. Interlaken 80-82, 1972.<br> 7. Dachy, A. et al: Les indications de la gentamicine en pediatrie hospialiere. In Table Ronde Gentamicine Ars Medici 76-90, 1972.<br> 8. Danish, M. A. et al: Aerosolized gentamicin in cystic fibrosis. Abstract submitted to the American Pediatric Society, Jan. 1977.<br> 9. Dichiro, G.: Cisternography: from early tribulations to a useful diagnostic procedure. J. Hopkins Med. J. 133:1-15, 1973;<br> 10. Eeckels, R. et al.: Intraventricular and/or intralumbar treatment of purulent meningitis in infants. Acta Paediatr. Belg. 33:243-251, 1980.<br> 11. Fasano, V.A.: &#x201C;Gentamicin in the treatment of infections complicating neurosurgery and neurotraumatology,&#x201D; Gentamicin: First International Symposium, Paris, January 1967, Essex Chemie AG, Lucerne, 1967, pp. 162-168.<br> 12. Goitein, K., et al.: The intrathecal antibiotic route in meningitis. Harefuah 85:1 165-167, 202, August 15, 1973.<br> 13. Hodges, G.R. an Watanabe, I.: Neurotoxicity of Intrathecal Gentamicin in the Rabbbit, Veterans Administration Hospital, Kansas City, Missouri, U.S.A., 1978. D-11818.<br> 14. Kaiser, A.B. and McGee, Z.A.: Aminoglycoside therapy of gram-negative bacillary meningitis. The New Eng. J. of Med. 293: 1215-1220, December, 1975.<br> 15. Klastersky, J. et al: Endotracheally administered gentamicin for the prevention of infections of the respiratory tract in patients with tracheostomy. Chest 65: 650-654, 1974.<br> 16. Klastersky, J. et al: Endotracheal gentamicin for the prevention of bronchial infections in patients with tracheotomy. Int Z Klin Pharmakol Ther Toxicol 7:279-86, 1973;<br> 17. Klastersky, J, et al: Prevention of infections in tracheototamicin patients with endotracheal gentamicin. Abs. Proc. 12th Interscience Conf. on Antimicrobial Agents and Chemotherapy, Atlantic City, N.J., September 26-29, 1972.<br> 18. Klastersky, J. et al: Endotracheal gentamicin in bronchial infections in patients with tracheostomy. Chest 61: 117-120, 1972.<br> Sulfato de Gentamicina _INJ-AD_1.7287.0526_VPS_BU01 3<br> 19. Lake, K.B., Van Dyke, J.J., Rumsteld, JA.: Combined topical pulmonary and systemic gentamicin. Chest 68: 62-64, 1975.<br> 20. Liggins, M.R.: Relearning to cope with meningitis. Patient Care 9:138-139, 142-43, 145, 147, 1512, April 15, 1975.<br> 21. Mangi, R., et al: Intrathecal gentamicin in bacterial meningitis. Clin. Res. 22: 707A, December, 1974.<br> 22. McCracken, G.H., et al.: Pharmacologic evaluation of gentamicin in new born infants. J. Infect. Dis. 124:214-223, 1971.<br> 23. McCracken, G.H.: Pharmacological basis for antimicrobial therapy in newborn infants. Am. J. Dis. Child. 128:407-19, Sept., 1974.<br> 24. McCracken, G.H., Jr., and Mize, Susan G.: A controlled study of intrathecal antibiotic therapy in gram-negative enteric meningitis of infancy. J. Ped. 89(1):66-72, July, 1976.<br> 25. Melillo, G., Seccia, A.: Sull&#x2019;uso topico della gentamicinia in broncopneumologia. Gazz Med Italiana 133: 129-31, 1974.<br> 26. Moellering, R.C., et al.: Relationship of intraventricular gentamicin levels to cure a meningites. J. Pediatr. 81:534-37, Sept., 1972.<br> 27. Nelson, J. And McCracken, G.H.: The current status of gentamicin for neonate and young infants. J. Infect. Dis. 124:13-14, July 1972.<br> 28. Newman, R.L., et al.: Gentamicin in pediatrics I Report on intrathecal gentamicin. J. Infect. Dis. 124:S254-S256, Dec., 1971 (Suppl.).<br> 29. Odio, W., Van Laer, E., Klastersky, J.: Concentrations of gentamicin in bronchial secretions after intramuscular and endotracheal administration. J. Clin. Pharmacol 15:518-524, 1975.<br> 30. Rahal, J.J. Jr., et al.: Combined intrathecal and intra-muscular gentamicin for gram negative meningitis. New Eng. J. Med. 290:1394-98, June 20, 1974.<br> 31. Rahal, J.J. Jr.: Treatment of gram-negative bacillary meningitis in adults: Ann. Intern. Med 77:295-302, August, 1972.<br> 32. Ray, C.G.: Sepsis and meningitis in the newborn. Northwest Med. 71:686-88, September, 1972.<br> 33. Regula, H. Et al.: Pharmakokinetische unterschungen uber sputum-, serum und urinkonzentration von gentamycin nach aerosol-inhalation. Int. z. Klin Pharmakol Ther Toxikol 7:95-100, 1973.<br> 34. Rubenfires, M. et al.: Gentamicin therapy of paracolobactrum epidural abscess and meningites. Amer. J. Med. Sci. 257:191-197 (Mar.) 1969.<br> 35. Saad, A.F., et al.: Intracisternal and intrathecal injections of gentamicin in enterobacter meningites. Arch. Intern. Med. 134:738-40, October, 1974.<br> 36. Salmon, J.H.: Ventriculitis complicationg meningitis. Abs. Paper Presented 5th Int. Cong. Neurological Surgery, Tokyo, October 7-13, 1973. Excerpt Medica. N&#xB0; 293, pp. 211-12.<br> 37. Seligman, S.: The rapid differential diagnossis of meningitis. Med. Clin. North Am. 57:1417-24, November 1973.<br> 38. Sim, Bo Sung., et al.: Clinical use of gentamicin in neuro-surgery. Presented 1st Asian Symp. Gentamicin, New Delhi, December 10, 1973 and Bombay, December 12, 1973, pp. 40-41.<br> 39. Truckenbrodt, H., Legler, F., Stephan, U.: Investigations on the absorption of gentamicin in children after administration as an aerosol. 13th Int. Kongress fuer Paediatrie, Vienna., Proc Klinische Pharmakologie von Gentamicin in der Paediatrie 19:55-63, 1971.<br> 40. Vacek V., et al.: Penetration of antibiotics into the cerebrospinal fluid in inflammatory conditions. Int. J. Clin. Pharmacol. 2:277-79, 1969.<br> 41. Weiss, M.H. et al.: Antibiotic Neurotoxicity; Laboratory and Clinical study, J. Neurosurg., 41:486, 1974.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Solu&#xE7;&#xE3;o Oft&#xE1;lmica</h3> <p>Sulfato de Gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo, ativo contra uma ampla gama de bact&#xE9;rias Gram-positivas e Gram-negativas. Possui atividade contra Staphylococcus coagulase-positivos e coagulase-negativos, inclusive algumas cepas resistentes a penicilina, <em>Streptococcus</em> grupo A betahemol&#xED;tico e n&#xE3;o hemol&#xED;tico, <em>Diplococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Proteus</em> spp, <em>Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Haemophilus influenzae, Haemophilus aegyptius, Aerobacter aerogenes, Moraxella lacunata</em> e <em>Neisseria</em> spp, inclusive <em>Neisseria gonorrhoeae</em>.</p> <p>A a&#xE7;&#xE3;o do medicamento inicia-se no primeiro dia de tratamento.</p> <h3>Creme</h3> <p>A gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico de amplo espectro que proporciona tratamento t&#xF3;pico altamente eficaz em infec&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas prim&#xE1;rias e secund&#xE1;rias da pele.</p> <p>As bact&#xE9;rias sens&#xED;veis incluem algumas cepas <em>Staphylococcus aureus</em> (coagulase positivo, coagulase-negativo e certas cepas produtoras de penicilinase) e as bact&#xE9;rias Gram-negativas: <em>Pseudomonas aeruginosa, Aerobacter aerogenes, Escherichia coli, Proteus vulgaris</em> e <em>Klebsiella pneumoniae</em>.</p> <p>Foi demonstrado que a atividade antibacteriana <em>in vitro</em> da gentamicina &#xE9; bactericida para uma grande variedade de bact&#xE9;rias Gram-positivas e Gram-negativas. Nas concentra&#xE7;&#xF5;es de 4 mcg/mL ou menos, a gentamicina inibiu 95% da cepas de <em>Staphylococcus aureus</em> e 70-90% das cepas de <em>Escherichia coli</em> e <em>Aerobacter aerogenes</em>.</p> <p>Estudos toxicol&#xF3;gicos em animais e humanos revelaram que n&#xE3;o h&#xE1; evid&#xEA;ncia de irrita&#xE7;&#xE3;o da pele ap&#xF3;s a aplica&#xE7;&#xE3;o local de gentamicina duas vezes ao dia durante 3 dias, em concentra&#xE7;&#xF5;es muito mais elevadas que as formuladas para uso terap&#xEA;utico.</p> <p>Resultados de um teste cut&#xE2;neo oclusivo realizado em 100 pacientes mostraram que a gentamicina n&#xE3;o &#xE9; um irritante prim&#xE1;rio; al&#xE9;m disso, a gentamicina possui um baixo &#xED;ndice de sensibiliza&#xE7;&#xE3;o cut&#xE2;nea.</p> <h3>Injet&#xE1;vel</h3> <p>Sulfato de Gentamicina Injet&#xE1;vel &#xE9; uma solu&#xE7;&#xE3;o aquosa est&#xE9;ril para administra&#xE7;&#xE3;o parenteral, contendo o antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo gentamicina sob a forma de sulfato.</p> <p>Testes <em>in vitro </em>demonstraram que a gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo bactericida que atua inibindo a s&#xED;ntese proteica bacteriana em microorganismos sens&#xED;veis. &#xC9; ativa contra ampla variedade de bact&#xE9;rias patog&#xEA;nicas, Gram-negativas e Grampositivas, incluindo: <em>Escherichia coli, Proteus</em> sp. (indol-positivo e indol-negativo), incluindo Proteus mirabilis, P. morganii e P. vulgaris, Pseudomonas aeruginosa, esp&#xE9;cies do grupo <em>Klebsiella-Enterobacter-Serratia</em> sp., <em>Citrobacter </em>sp., <em>Providencia</em> sp. incluindo <em>Providencia rettger, Staphylococcus</em> sp. (coagulase-positivo e coagulase negativo), <em>Neisseria gonorrhoeae, Salmonella</em> e <em>Shigella</em>. A gentamicina pode ser ativa contra isolados cl&#xED;nicos de bact&#xE9;rias resistentes a outros aminoglicos&#xED;deos.</p> <p>Estudos <em>in vitro</em> demonstraram que um aminoglicos&#xED;deo, combinado com um antibi&#xF3;tico que interfere na s&#xED;ntese da parede celular, pode agir sinergicamente contra algumas cepas estreptoc&#xF3;cicas do grupo D. A associa&#xE7;&#xE3;o de gentamicina e penicilina G resulta em um efeito bactericida sin&#xE9;rgico contra quase todas as cepas de <em>Streptococcus faecalis</em> e suas variedades (<em>S. faecalis</em> var. liquefaciens, <em>S. faecalis var. zymogenes</em>) <em>S. faecium</em> e <em>S. durans</em>. Tamb&#xE9;m foi demonstrado <em>in vitro</em> maior efeito bactericida contra as cepas desses pat&#xF3;genos com a associa&#xE7;&#xE3;o de gentamicina e ampicilina, carbenicilina, nafcilina e <a href=\"https://consultaremedios.com.br/oxacilina-sodica/bula\" target=\"_blank\">oxacilina</a>.</p> <p>O efeito combinado da gentamicina e carbenicilina &#xE9; sin&#xE9;rgico para muitas cepas de Pseudomonas aeruginosa. Foi demonstrado, tamb&#xE9;m, o sinergismo <em>in vitro</em> contra outros microorganismos Gram-negativos com associa&#xE7;&#xF5;es de gentamicina e cefalosporinas.</p> <p>A gentamicina pode ser ativa contra cepas de bact&#xE9;rias resistentes a outros aminoglicos&#xED;deos. A resist&#xEA;ncia bacteriana &#xE0; gentamicina desenvolve-se lentamente.</p> <h4>Teste de sensibilidade</h4> <p>De acordo com o m&#xE9;todo descrito, um disco de 10 mcg de gentamicina deve produzir uma zona de inibi&#xE7;&#xE3;o de 13 mm ou mais, para indicar a sensibilidade do microorganismo. Uma zona de 12 mm ou menos indica que o organismo infectante provavelmente seja resistente. Em certas condi&#xE7;&#xF5;es, pode ser desej&#xE1;vel fazer um teste de sensibilidade adicional pelo m&#xE9;todo do tubo ou dilui&#xE7;&#xE3;o de Agar.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Sulfato de Gentamicina deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C) e ao abrigo da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Após aberto, válido por 28 dias.

Características do medicamento

Pomada

Sulfato de Gentamicina&nbsp;é uma pomada estéril branca a levemente amarelada.

Solução Gotas

Sulfato de Gentamicina é uma solução oftálmica estéril límpida, incolor a levemente amarelada.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Sulfato de Gentamicina Allergan

Pomada Oftálmica Estéril

Tubo contendo 3,5 g de pomada oftálmica estéril de sulfato de gentamicina (5 mg/g).

Via de administração tópica ocular.

Uso adulto e pediátrico.

Solução Oftálmica Estéril

Frasco plástico conta-gotas contendo 5 mL de solução oftálmica estéril de sulfato de gentamicina (5 mg/mL).

Via de administração oftálmica

Uso adulto e pediátrico.

Dizeres Legais do Sulfato de Gentamicina Allergan

Reg. Anvisa/MS - 1.0147.0069

Farm. Resp.:
Elizabeth Mesquita
CRF-SP nº 14.337

Registrado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 105 Torre 3 - 18º andar
Cidade Monções São Paulo
CEP 04571-900
CNPJ: 43.426.626/0001-77




Fabricado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Guarulhos - São Paulo
Indústria Brasileira


SAC:
0800-14-4077

Venda sob prescrição médica - Só pode ser vendido com retenção da receita.

Exclusivo Pomada:&nbsp;®Marca Registrada de Allergan, Inc.

Exclusivo Solução Gotas:&nbsp;© 2018 Allergan. Todos os direitos reservados. Todas as marcas registradas são de propriedade de seus respectivos donos.

5mg/mL, caixa com 1 frasco gotejador com 5mL de solução de uso oftálmico

Princípio ativo
:
Sulfato De Gentamicina
Classe Terapêutica
:
Antiinfeccios Oftalmológicos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia e Oftalmologia

Bula do medicamento

Sulfato de Gentamicina Allergan, para o que é indicado e para o que serve?

Sulfato de Gentamicina é indicado no tratamento de infecções externas do globo ocular e seus anexos, causadas por microorganismos sensíveis à gentamicina. É indicado também para o tratamento de conjuntivite, ceratite (inflamação da córnea), ceratoconjuntivite (inflamação dos olhos), úlcera de córnea, blefarite (inflamação da pálpebra), blefaroconjuntivite (inflamação conjunta da pálpebra e conjuntiva) e dacriocistite (inflamação do saco lacrimal).

Quais as contraindicações do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Sulfato de Gentamicina é contraindicado para pessoas que apresentam alergia a qualquer um dos componentes da sua fórmula.

Como usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Pomada

  • <li>Voc&#xEA; deve usar este medicamento exclusivamente nos olhos;</li> <li>Antes de usar o medicamento, confira o nome no r&#xF3;tulo para n&#xE3;o haver enganos. N&#xE3;o utilize Sulfato de Gentamicina caso haja sinais de viola&#xE7;&#xE3;o e/ou danifica&#xE7;&#xF5;es do tubo;</li> <li>A pomada j&#xE1; vem pronta para uso. N&#xE3;o encoste a abertura do tubo nos olhos, nos dedos e nem em outra superf&#xED;cie qualquer para evitar a contamina&#xE7;&#xE3;o do tubo e da pomada;</li> <li>Voc&#xEA; deve aplicar a quantidade da dose recomendada pelo seu m&#xE9;dico em um ou ambos os olhos: <ul> <li>A dose usual &#xE9; uma pequena quantidade aplicadas no saco conjuntival do(s) olho(s) afetado(s), de acordo com a indica&#xE7;&#xE3;o do m&#xE9;dico;</li> <li>O tempo de tratamento ser&#xE1; estabelecido pelo seu m&#xE9;dico pois ele varia de acordo com a intensidade da infec&#xE7;&#xE3;o e/ ou evolu&#xE7;&#xE3;o do paciente. Geralmente o tempo de tratamento &#xE9; de 7 dias, vari&#xE1;vel a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>Para maior comodidade, pode-se usar Sulfato de Gentamicina solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica durante o dia e Sulfato de Gentamicina pomada oft&#xE1;lmica &#xE0; noite, ao deitar-se;</li> </ul> </li> <li>Feche bem o tubo depois de usar.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Solução Gotas

  • <li>Voc&#xEA; deve usar esse medicamento exclusivamente nos olhos;</li> <li>Antes de usar o medicamento, confira o nome no r&#xF3;tulo para n&#xE3;o haver enganos. N&#xE3;o utilize Sulfato de Gentamicina caso haja sinais de viola&#xE7;&#xE3;o e/ou danifica&#xE7;&#xF5;es do frasco;</li> <li>A solu&#xE7;&#xE3;o j&#xE1; vem pronta para uso. N&#xE3;o encoste a ponta do frasco nos olhos, nos dedos e nem em outra superf&#xED;cie qualquer para evitar a contamina&#xE7;&#xE3;o do frasco e do <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-olhos/lubrificante-ocular/c" target="_blank">col&#xED;rio</a>;</li> <li>Voc&#xEA; deve aplicar o n&#xFA;mero de gotas da dose recomendada pelo seu m&#xE9;dico em um ou ambos os olhos;</li> <li>A dose usual &#xE9; de 2 gotas aplicadas no(s) olho(s) afetado(s), tr&#xEA;s a quatro vezes por dia, ou a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>O tempo de tratamento ser&#xE1; estabelecido pelo seu m&#xE9;dico pois ele varia de acordo com a intensidade da infec&#xE7;&#xE3;o e/ou evolu&#xE7;&#xE3;o do paciente. Geralmente o tempo de tratamento &#xE9; de 7 dias, vari&#xE1;vel a crit&#xE9;rio m&#xE9;dico;</li> <li>Feche bem o frasco depois de usar.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Como o Sulfato de Gentamicina Allergan funciona?

Sulfato de Gentamicina apresenta ação antibiótica - ativo contra uma ampla gama de bactérias Gram-positivas e Gram-negativas. Possui atividade contra Staphylococcus coagulase-positivos e coagulase-negativos, inclusive algumas cepas resistentes a penicilina, Streptococcus grupo A betahemolítico e não-hemolítico, Diplococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Proteus spp, Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Haemophilus influenzae, Haemophilus aegyptis, Aerobacter aerogenes, Moraxella lacunata e Neisseria spp, inclusive Neisseria gonorrhoeae.

A ação do medicamento inicia-se no primeiro dia de tratamento.

Quais cuidados devo ter ao usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Para não contaminar a pomada evite o contato da abertura do tubo com qualquer superfície. Não permita que a abertura do tubo entre em contato direto com os olhos.

Sulfato de Gentamicina é um medicamento de uso exclusivamente tópico ocular.

O uso prolongado de antibióticos pode ocasionalmente favorecer a infecção por microrganismos não sensíveis, inclusive fungos. A gentamicina pode provocar agressão ao epitélio de córneas mais sensíveis.

Uso durante a Gravidez e Lactação

Na ocorrência de gravidez ou se estiver amamentando, consulte o médico antes de fazer uso de medicamentos.

Este medicamento é contraindicado para uso por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Não deve ser utilizado durante a gravidez e lactação.

Uso em idosos

Não existem restrições de uso em pacientes idosos. A posologia é a mesma que a recomendada para as outras faixas etárias.

Pacientes que utilizam lentes de contato

Tire as lentes antes de aplicar Sulfato de Gentamicina em um ou ambos os olhos e aguarde pelo menos 15 minutos para recolocá-las.

Pacientes com insuficiência hepática ou renal

O medicamento não foi estudado em pacientes com quadros de insuficiência renal ou hepática, por isso deve ser usado com cautela nestes pacientes.

Pacientes neonatos

Reações de hipersensibilidade ocular severa foram reportadas quando Sulfato de Gentamicina foi utilizada para profilaxia neonatal. Sulfato de Gentamicina não é indicado para profilaxia neonatal, portanto não deve ser usado para profilaxia de oftalmia neonatal.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Assim como qualquer medicamento, podem ocorrer reações indesejáveis com a aplicação de Sulfato de Gentamicina.

Foram relatados casos de irritação dos olhos transitória (irritação passageira), infecções secundárias por microrganismos não sensíveis e reações alérgicas (incluindo edema (inchaço) dos olhos, edema (inchaço) das pálpebras, eritema (vermelhidão) das pálpebras e secreção dos olhos).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Você deve retornar a utilização do medicamento assim que se lembrar seguindo normalmente os intervalos de horários entre as aplicações até o final do dia. No dia seguinte, retornar aos horários regulares.

Em caso de dúvidas, procure a orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Sulfato de Gentamicina Allergan?

Pomada Oftálmica Estéril

Cada g contém:

5 mg de sulfato de gentamicina (equivalente a 3,0 mg de gentamicina base).

Veículo q.s.p.: lanolina, cera microcristalina, vaselina sólida e metilparabeno.

Solução Oftálmica Estéril

Cada mL (28 gotas) contém:

5 mg de sulfato de gentamicina* (0,178 mg/gota).

*Equivalente a 3,0 mg de gentamicina base.

Veículo q.s.p.: álcool polivinílico, fosfato de sódio dibásico heptaidratado, cloreto de sódio, edetato dissódico, cloreto de benzalcônio, hidróxido de sódio, ácido cloridríco e água purificada.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Sulfato de Gentamicina Allergan maior do que a recomendada?

Em geral, superdosagens não provocam problemas agudos. Se acidentalmente, for ingerido, beba bastante líquido para diluir, ou procure orientação médica.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Sulfato de Gentamicina Allergan com outros remédios?

Não são conhecidas interações com outros medicamentos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Sulfato de Gentamicina Allergan (Sulfato de Gentamicina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Solu&#xE7;&#xE3;o Oft&#xE1;lmica</h3> <p>Em um estudo randomizado, duplo-cego, 488 pacientes portadores de sinais cl&#xED;nicos de conjuntivite ou blefarite bacteriana aguda, ou de ambos, foram tratados com solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica de gentamicina 0,3% (n=243) ou solu&#xE7;&#xE3;o de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/norfloxacino/bula\" target=\"_blank\">norfloxacino</a> 0,3% (n=245) durante uma semana. Dos pacientes com cultura positiva, 71% (85/120) dos pacientes do grupo do norfloxacino e 65% (86/133) dos pacientes tratados com gentamicina foram curados clinicamente. Um adicional de 25% (30/120) no grupo do norfloxacino e de 32% (43/133) no grupo da gentamicina foram considerados melhorados clinicamente. A condi&#xE7;&#xE3;o de cinco pacientes tratados com norfloxacino n&#xE3;o melhorou clinicamente em compara&#xE7;&#xE3;o com oito pacientes no grupo da gentamicina. Ambos os antibi&#xF3;ticos apresentaram efic&#xE1;cia semelhante contra microorganismos gram-positivos e gram-negativos. A conclus&#xE3;o do estudo foi de que a gentamicina e o norfloxacino s&#xE3;o igualmente eficazes do ponto de vista clinico e bacteriol&#xF3;gico, no tratamento das infec&#xE7;&#xF5;es oft&#xE1;lmicas.<sup>1</sup></p> <p>Em outro estudo, 158 pacientes portadores de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/conjuntivite-bacteriana\" target=\"_blank\">conjuntivite bacteriana</a> comprovada por cultura, foram tratados com solu&#xE7;&#xE3;o oft&#xE1;lmica de sulfato de gentamicina, ou trimetoprima+polimixina B, ou sulfacetamida s&#xF3;dica durante 10 dias. A resposta cl&#xED;nica em 3 a 6 dias ap&#xF3;s o in&#xED;cio do tratamento foi semelhante para os tr&#xEA;s agentes testados: com a gentamicina, 28/57 (49%) pacientes foram curados e 26/57 (46%) pacientes melhorados; com a trimetoprima+polimixina B, 26/55 (47%) foram curados e 25/55 (45%) melhorados; com a sulfacetamida s&#xF3;dica 19/46 (41%) foram curados e 22/46 (48%) melhorados. Os &#xED;ndices de resposta cl&#xED;nica e bacteriol&#xF3;gica em 2 a 7 dias ap&#xF3;s o t&#xE9;rmino do tratamento tamb&#xE9;m foram semelhantes nos tr&#xEA;s grupos. Cura bacteriol&#xF3;gica ocorreu em 39/57 (58%) no grupo da gentamicina, em 44/55 (83%) para a trimetoprima+polimixina B e em 33/46 (72%) para a sulfacetamida s&#xF3;dica.<sup>2</sup></p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Miller IM, Vogel R, Cook TJ, Wittreich J. Topically administered norfloxacin compared with topically administered gentamicina for the treatment of external ocular bacterial infections. Am J Ophthalmol 1992;113(6):638-644.<br> 2. Lohr J&#xC1;, Austin RD, Grossman M, Hayden GF, Knowlton GM, Dulley SM. Comparison of three topical antimicrobials for acute bacterial conjunctiviis. Pediatr Infect Dis J; 1998;7(9):626-629.</br></span></p> <h3>Creme</h3> <p>O uso de Sulfato de Gentamicina est&#xE1; embasado em estudos realizados e literaturas publicadas.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Behl, P.N. and Bhatia, R.K., Gentamicin &#x2013; A New Topical Antibiotic, Indian J. Dermatol. 15:17-20, 1969.<br> 2. 2. Bodian, E., Gentamicin Sulfate: A New, Potent Topical Antibiotic, Curr. Ther. Res. 8:575-580, 1966.<br> 3. Fattah, A.A. et al, Treatment of Pyogenic Skin Infections with Topical Gentamicin, Chemotherapy 13:81-89, 1968.<br> 4. Gould, A., Gentamicin Sulfate, A New Topical Antibiotic for Pyodemas, Cutis 2:104 107, 1966.<br> 5. Helfand, A. et al., Gentamicin Sulfate for Infected Lesions of the Foot, J. Am. Pod Assoc. 58:295-297, 1968.<br> 6. Holder, F.A. et al., Eighteen Months of Routine Topical Antimicrobial Susceptibility Testing of Isolate from Burn Patients: Results and Conclusions, J. Antimicrobial Chemotherapy 5:455-463, 1979.<br> 7. Hough, C. et al., Treatment of Pyodema with Gentamicin Sulfate: Suvey of Clinical Experience, Clin. Med. 73:55-58, 1966.<br> 8. Liberi, E. and Sittner, M., A Topical Antibiotic for Industrial Infected Wouds, J. Med. Soc. New Jersey 66:269-270, 1969.<br> 9. McMillan, B., Gentamicin in the Management of Thermal Injuries, J. Inf. Dis. 119:492-503, 1969.<br> 10. Nierman, M., Treatment of Pyogenic Skin Infections with Topical Gentamicin, III. Med. J. 126:672-675, 1964.<br> 11. Olansky, S., Topical Therapy of Pyodemas Due to Resistant Bacterial Strains, Cutis 2:674-676, 1966.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h3>Injet&#xE1;vel</h3> <p>Os dados da ampla literatura dispon&#xED;vel sobre o emprego terap&#xEA;utico da Sulfato de Gentamicina Injet&#xE1;vel contendo sulfato de gentamicina, mostram que esse aminoglicos&#xED;deo de uso consagrado apresenta &#xED;ndices de efic&#xE1;cia elevados nas diferentes indica&#xE7;&#xF5;es e usos terap&#xEA;uticos, quando administrado por via intramuscular, intravenosa, subconjuntival, subcapsular (c&#xE1;psula de Tenon), nebuliza&#xE7;&#xE3;o ou instila&#xE7;&#xE3;o intratraqueal direta. Assim, na literatura, est&#xE3;o documentados resultados favor&#xE1;veis com o emprego da gentamicina no tratamento de septicemia, bacteremia (incluindo sepse neonatal), infec&#xE7;&#xF5;es graves do sistema nervoso (incluindo meningite), infec&#xE7;&#xE3;o nos rins e trato genitourin&#xE1;rio (incluindo infec&#xE7;&#xF5;es p&#xE9;lvicas), infec&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias, infec&#xE7;&#xF5;es gastrintestinais, infec&#xE7;&#xF5;es na pele, ossos ou tecidos moles (incluindo queimaduras e feridas infectadas), infec&#xE7;&#xF5;es intra-abdominais (incluindo peritonite) e infec&#xE7;&#xF5;es oculares.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Barn, D., A., Klastersky, J.: Concentration of gentamicin in bronchial secretions of children with cystic fibrosis or tracheostomy. In J. Clin, Pharmacol Biopharm 12:336-341, 1975.<br> 2. Boxerbaum, B. et al: Use of gentamicin in children with cystic fibrosis. J. Infect. Dis. 124, 293-295, Dec. 1971. (Supplement).<br> 3. Burns, M.W.: Gentamicin in respiratory tract infections. 52-55, 1973.<br> 4. Chang, M.J., et al.: Kanamycin and gentamicin treatment of neonatal sepsis. Pediatrics 56: 695-699, November, 1975.<br> 5. Corbeel, L. et al.: Treatment of purulent meningitis in infants. Lancet 1:663, March 24, 1979.<br> 6. Dachy, A. et al: La gentamicine en pediatrie. Proc. 12th Swiss Gentamicin Symp. Interlaken 80-82, 1972.<br> 7. Dachy, A. et al: Les indications de la gentamicine en pediatrie hospialiere. In Table Ronde Gentamicine Ars Medici 76-90, 1972.<br> 8. Danish, M. A. et al: Aerosolized gentamicin in cystic fibrosis. Abstract submitted to the American Pediatric Society, Jan. 1977.<br> 9. Dichiro, G.: Cisternography: from early tribulations to a useful diagnostic procedure. J. Hopkins Med. J. 133:1-15, 1973;<br> 10. Eeckels, R. et al.: Intraventricular and/or intralumbar treatment of purulent meningitis in infants. Acta Paediatr. Belg. 33:243-251, 1980.<br> 11. Fasano, V.A.: &#x201C;Gentamicin in the treatment of infections complicating neurosurgery and neurotraumatology,&#x201D; Gentamicin: First International Symposium, Paris, January 1967, Essex Chemie AG, Lucerne, 1967, pp. 162-168.<br> 12. Goitein, K., et al.: The intrathecal antibiotic route in meningitis. Harefuah 85:1 165-167, 202, August 15, 1973.<br> 13. Hodges, G.R. an Watanabe, I.: Neurotoxicity of Intrathecal Gentamicin in the Rabbbit, Veterans Administration Hospital, Kansas City, Missouri, U.S.A., 1978. D-11818.<br> 14. Kaiser, A.B. and McGee, Z.A.: Aminoglycoside therapy of gram-negative bacillary meningitis. The New Eng. J. of Med. 293: 1215-1220, December, 1975.<br> 15. Klastersky, J. et al: Endotracheally administered gentamicin for the prevention of infections of the respiratory tract in patients with tracheostomy. Chest 65: 650-654, 1974.<br> 16. Klastersky, J. et al: Endotracheal gentamicin for the prevention of bronchial infections in patients with tracheotomy. Int Z Klin Pharmakol Ther Toxicol 7:279-86, 1973;<br> 17. Klastersky, J, et al: Prevention of infections in tracheototamicin patients with endotracheal gentamicin. Abs. Proc. 12th Interscience Conf. on Antimicrobial Agents and Chemotherapy, Atlantic City, N.J., September 26-29, 1972.<br> 18. Klastersky, J. et al: Endotracheal gentamicin in bronchial infections in patients with tracheostomy. Chest 61: 117-120, 1972.<br> Sulfato de Gentamicina _INJ-AD_1.7287.0526_VPS_BU01 3<br> 19. Lake, K.B., Van Dyke, J.J., Rumsteld, JA.: Combined topical pulmonary and systemic gentamicin. Chest 68: 62-64, 1975.<br> 20. Liggins, M.R.: Relearning to cope with meningitis. Patient Care 9:138-139, 142-43, 145, 147, 1512, April 15, 1975.<br> 21. Mangi, R., et al: Intrathecal gentamicin in bacterial meningitis. Clin. Res. 22: 707A, December, 1974.<br> 22. McCracken, G.H., et al.: Pharmacologic evaluation of gentamicin in new born infants. J. Infect. Dis. 124:214-223, 1971.<br> 23. McCracken, G.H.: Pharmacological basis for antimicrobial therapy in newborn infants. Am. J. Dis. Child. 128:407-19, Sept., 1974.<br> 24. McCracken, G.H., Jr., and Mize, Susan G.: A controlled study of intrathecal antibiotic therapy in gram-negative enteric meningitis of infancy. J. Ped. 89(1):66-72, July, 1976.<br> 25. Melillo, G., Seccia, A.: Sull&#x2019;uso topico della gentamicinia in broncopneumologia. Gazz Med Italiana 133: 129-31, 1974.<br> 26. Moellering, R.C., et al.: Relationship of intraventricular gentamicin levels to cure a meningites. J. Pediatr. 81:534-37, Sept., 1972.<br> 27. Nelson, J. And McCracken, G.H.: The current status of gentamicin for neonate and young infants. J. Infect. Dis. 124:13-14, July 1972.<br> 28. Newman, R.L., et al.: Gentamicin in pediatrics I Report on intrathecal gentamicin. J. Infect. Dis. 124:S254-S256, Dec., 1971 (Suppl.).<br> 29. Odio, W., Van Laer, E., Klastersky, J.: Concentrations of gentamicin in bronchial secretions after intramuscular and endotracheal administration. J. Clin. Pharmacol 15:518-524, 1975.<br> 30. Rahal, J.J. Jr., et al.: Combined intrathecal and intra-muscular gentamicin for gram negative meningitis. New Eng. J. Med. 290:1394-98, June 20, 1974.<br> 31. Rahal, J.J. Jr.: Treatment of gram-negative bacillary meningitis in adults: Ann. Intern. Med 77:295-302, August, 1972.<br> 32. Ray, C.G.: Sepsis and meningitis in the newborn. Northwest Med. 71:686-88, September, 1972.<br> 33. Regula, H. Et al.: Pharmakokinetische unterschungen uber sputum-, serum und urinkonzentration von gentamycin nach aerosol-inhalation. Int. z. Klin Pharmakol Ther Toxikol 7:95-100, 1973.<br> 34. Rubenfires, M. et al.: Gentamicin therapy of paracolobactrum epidural abscess and meningites. Amer. J. Med. Sci. 257:191-197 (Mar.) 1969.<br> 35. Saad, A.F., et al.: Intracisternal and intrathecal injections of gentamicin in enterobacter meningites. Arch. Intern. Med. 134:738-40, October, 1974.<br> 36. Salmon, J.H.: Ventriculitis complicationg meningitis. Abs. Paper Presented 5th Int. Cong. Neurological Surgery, Tokyo, October 7-13, 1973. Excerpt Medica. N&#xB0; 293, pp. 211-12.<br> 37. Seligman, S.: The rapid differential diagnossis of meningitis. Med. Clin. North Am. 57:1417-24, November 1973.<br> 38. Sim, Bo Sung., et al.: Clinical use of gentamicin in neuro-surgery. Presented 1st Asian Symp. Gentamicin, New Delhi, December 10, 1973 and Bombay, December 12, 1973, pp. 40-41.<br> 39. Truckenbrodt, H., Legler, F., Stephan, U.: Investigations on the absorption of gentamicin in children after administration as an aerosol. 13th Int. Kongress fuer Paediatrie, Vienna., Proc Klinische Pharmakologie von Gentamicin in der Paediatrie 19:55-63, 1971.<br> 40. Vacek V., et al.: Penetration of antibiotics into the cerebrospinal fluid in inflammatory conditions. Int. J. Clin. Pharmacol. 2:277-79, 1969.<br> 41. Weiss, M.H. et al.: Antibiotic Neurotoxicity; Laboratory and Clinical study, J. Neurosurg., 41:486, 1974.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Solu&#xE7;&#xE3;o Oft&#xE1;lmica</h3> <p>Sulfato de Gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo, ativo contra uma ampla gama de bact&#xE9;rias Gram-positivas e Gram-negativas. Possui atividade contra Staphylococcus coagulase-positivos e coagulase-negativos, inclusive algumas cepas resistentes a penicilina, <em>Streptococcus</em> grupo A betahemol&#xED;tico e n&#xE3;o hemol&#xED;tico, <em>Diplococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Proteus</em> spp, <em>Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Haemophilus influenzae, Haemophilus aegyptius, Aerobacter aerogenes, Moraxella lacunata</em> e <em>Neisseria</em> spp, inclusive <em>Neisseria gonorrhoeae</em>.</p> <p>A a&#xE7;&#xE3;o do medicamento inicia-se no primeiro dia de tratamento.</p> <h3>Creme</h3> <p>A gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico de amplo espectro que proporciona tratamento t&#xF3;pico altamente eficaz em infec&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas prim&#xE1;rias e secund&#xE1;rias da pele.</p> <p>As bact&#xE9;rias sens&#xED;veis incluem algumas cepas <em>Staphylococcus aureus</em> (coagulase positivo, coagulase-negativo e certas cepas produtoras de penicilinase) e as bact&#xE9;rias Gram-negativas: <em>Pseudomonas aeruginosa, Aerobacter aerogenes, Escherichia coli, Proteus vulgaris</em> e <em>Klebsiella pneumoniae</em>.</p> <p>Foi demonstrado que a atividade antibacteriana <em>in vitro</em> da gentamicina &#xE9; bactericida para uma grande variedade de bact&#xE9;rias Gram-positivas e Gram-negativas. Nas concentra&#xE7;&#xF5;es de 4 mcg/mL ou menos, a gentamicina inibiu 95% da cepas de <em>Staphylococcus aureus</em> e 70-90% das cepas de <em>Escherichia coli</em> e <em>Aerobacter aerogenes</em>.</p> <p>Estudos toxicol&#xF3;gicos em animais e humanos revelaram que n&#xE3;o h&#xE1; evid&#xEA;ncia de irrita&#xE7;&#xE3;o da pele ap&#xF3;s a aplica&#xE7;&#xE3;o local de gentamicina duas vezes ao dia durante 3 dias, em concentra&#xE7;&#xF5;es muito mais elevadas que as formuladas para uso terap&#xEA;utico.</p> <p>Resultados de um teste cut&#xE2;neo oclusivo realizado em 100 pacientes mostraram que a gentamicina n&#xE3;o &#xE9; um irritante prim&#xE1;rio; al&#xE9;m disso, a gentamicina possui um baixo &#xED;ndice de sensibiliza&#xE7;&#xE3;o cut&#xE2;nea.</p> <h3>Injet&#xE1;vel</h3> <p>Sulfato de Gentamicina Injet&#xE1;vel &#xE9; uma solu&#xE7;&#xE3;o aquosa est&#xE9;ril para administra&#xE7;&#xE3;o parenteral, contendo o antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo gentamicina sob a forma de sulfato.</p> <p>Testes <em>in vitro </em>demonstraram que a gentamicina &#xE9; um antibi&#xF3;tico aminoglicos&#xED;deo bactericida que atua inibindo a s&#xED;ntese proteica bacteriana em microorganismos sens&#xED;veis. &#xC9; ativa contra ampla variedade de bact&#xE9;rias patog&#xEA;nicas, Gram-negativas e Grampositivas, incluindo: <em>Escherichia coli, Proteus</em> sp. (indol-positivo e indol-negativo), incluindo Proteus mirabilis, P. morganii e P. vulgaris, Pseudomonas aeruginosa, esp&#xE9;cies do grupo <em>Klebsiella-Enterobacter-Serratia</em> sp., <em>Citrobacter </em>sp., <em>Providencia</em> sp. incluindo <em>Providencia rettger, Staphylococcus</em> sp. (coagulase-positivo e coagulase negativo), <em>Neisseria gonorrhoeae, Salmonella</em> e <em>Shigella</em>. A gentamicina pode ser ativa contra isolados cl&#xED;nicos de bact&#xE9;rias resistentes a outros aminoglicos&#xED;deos.</p> <p>Estudos <em>in vitro</em> demonstraram que um aminoglicos&#xED;deo, combinado com um antibi&#xF3;tico que interfere na s&#xED;ntese da parede celular, pode agir sinergicamente contra algumas cepas estreptoc&#xF3;cicas do grupo D. A associa&#xE7;&#xE3;o de gentamicina e penicilina G resulta em um efeito bactericida sin&#xE9;rgico contra quase todas as cepas de <em>Streptococcus faecalis</em> e suas variedades (<em>S. faecalis</em> var. liquefaciens, <em>S. faecalis var. zymogenes</em>) <em>S. faecium</em> e <em>S. durans</em>. Tamb&#xE9;m foi demonstrado <em>in vitro</em> maior efeito bactericida contra as cepas desses pat&#xF3;genos com a associa&#xE7;&#xE3;o de gentamicina e ampicilina, carbenicilina, nafcilina e <a href=\"https://consultaremedios.com.br/oxacilina-sodica/bula\" target=\"_blank\">oxacilina</a>.</p> <p>O efeito combinado da gentamicina e carbenicilina &#xE9; sin&#xE9;rgico para muitas cepas de Pseudomonas aeruginosa. Foi demonstrado, tamb&#xE9;m, o sinergismo <em>in vitro</em> contra outros microorganismos Gram-negativos com associa&#xE7;&#xF5;es de gentamicina e cefalosporinas.</p> <p>A gentamicina pode ser ativa contra cepas de bact&#xE9;rias resistentes a outros aminoglicos&#xED;deos. A resist&#xEA;ncia bacteriana &#xE0; gentamicina desenvolve-se lentamente.</p> <h4>Teste de sensibilidade</h4> <p>De acordo com o m&#xE9;todo descrito, um disco de 10 mcg de gentamicina deve produzir uma zona de inibi&#xE7;&#xE3;o de 13 mm ou mais, para indicar a sensibilidade do microorganismo. Uma zona de 12 mm ou menos indica que o organismo infectante provavelmente seja resistente. Em certas condi&#xE7;&#xF5;es, pode ser desej&#xE1;vel fazer um teste de sensibilidade adicional pelo m&#xE9;todo do tubo ou dilui&#xE7;&#xE3;o de Agar.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Sulfato de Gentamicina Allergan?

Sulfato de Gentamicina deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C) e ao abrigo da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Após aberto, válido por 28 dias.

Características do medicamento

Pomada

Sulfato de Gentamicina&nbsp;é uma pomada estéril branca a levemente amarelada.

Solução Gotas

Sulfato de Gentamicina é uma solução oftálmica estéril límpida, incolor a levemente amarelada.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Sulfato de Gentamicina Allergan

Pomada Oftálmica Estéril

Tubo contendo 3,5 g de pomada oftálmica estéril de sulfato de gentamicina (5 mg/g).

Via de administração tópica ocular.

Uso adulto e pediátrico.

Solução Oftálmica Estéril

Frasco plástico conta-gotas contendo 5 mL de solução oftálmica estéril de sulfato de gentamicina (5 mg/mL).

Via de administração oftálmica

Uso adulto e pediátrico.

Dizeres Legais do Sulfato de Gentamicina Allergan

Reg. Anvisa/MS - 1.0147.0069

Farm. Resp.:
Elizabeth Mesquita
CRF-SP nº 14.337

Registrado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 105 Torre 3 - 18º andar
Cidade Monções São Paulo
CEP 04571-900
CNPJ: 43.426.626/0001-77




Fabricado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Guarulhos - São Paulo
Indústria Brasileira


SAC:
0800-14-4077

Venda sob prescrição médica - Só pode ser vendido com retenção da receita.

Exclusivo Pomada:&nbsp;®Marca Registrada de Allergan, Inc.

Exclusivo Solução Gotas:&nbsp;© 2018 Allergan. Todos os direitos reservados. Todas as marcas registradas são de propriedade de seus respectivos donos.

Fabricante: Allergan

© 2021 Medicamento Lab.