Aspen Pharma Ultiva

2mg, caixa com 5 frascos-ampolas com pó para solução de uso intravenoso (embalagem hospitalar)

Princípio ativo
:
Cloridrato De Remifentanila
Classe Terapêutica
:
Anestésicos Gerais Injetáveis
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
A1 Amarela (Dispensação Sob Prescrição Médica Restrito a Hospitais - Este medicamento pode causar Dependência Física ou Psíquica)
Categoria
:
Anestésicos
Especialidade
:
Anestesiologia, Cirurgia cardiovascular e Cirurgia geral

Bula do medicamento

Ultiva, para o que é indicado e para o que serve?

Ultiva é um medicamento indicado para produzir ou manter a anestesia durante cirurgias, inclusive a do coração, e para o alívio da dor imediatamente após a operação. Ultiva também é indicado para promover alívio da dor e sedação em pacientes mecanicamente ventilados (ou seja, que respiram com ajuda de aparelhos) em unidade de terapia intensiva (UTI).

Como o Ultiva funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Ultiva&amp;nbsp;apresenta como subst&#xE2;ncia ativa a remifentanila, que pertence a um grupo de medicamentos chamados de agonistas opioides. Esses medicamentos s&#xE3;o capazes de promover anestesia, assim como al&#xED;vio da dor e seda&#xE7;&#xE3;o, durante as cirurgias. A remifentanila tem in&#xED;cio de a&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pido, e seu efeito &#xE9; curto.</p> "}

Quais as contraindicações do Ultiva?

O uso de Ultiva não é indicado caso você tenha sensibilidade conhecida à remifentanila, a outros&nbsp;compostos semelhantes ou a qualquer componente da formulação.

O médico não deve administrar Ultiva&nbsp;por via epidural, um tipo de anestesia em que a injeção é aplicada nas costas e serve principalmente para aliviar as dores do parto. Este medicamento também não pode ser usado por via intratecal (no espaço entre duas membranas que revestem o cérebro, chamado de espaço subaracnoide).A administração de Ultiva deve ser feita somente por via intravenosa, ou seja, no interior de uma veia.

Este medicamento é contraindicado para menores de 1 ano de idade.

Gravidez e lactação

O médico somente deve utilizar Ultiva&nbsp;em mulheres grávidas quando os benefícios potenciais para a mãe superarem os possíveis riscos para o feto.

Deve haver cuidado na administração de Ultiva&nbsp;a mulheres que estejam amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e sua atenção podem estar prejudicadas.

Como usar o Ultiva?

Ultiva deve ser utilizado somente por via intravenosa, ou seja, no interior de uma veia.

O médico não deve administrar Ultiva por via epidural, um tipo de anestesia em que a injeção é aplicada nas costas e serve principalmente para aliviar as dores do parto. Também não deve ser usado por via intratecal, isto é, injetado no espaço compreendido entre as membranas que revestem o cérebro, o chamado espaço subaracnoide.

Ultiva sempre deve ser utilizado no ambiente hospitalar e por um profissional habilitado, que tenha treinamento adequado para usar o medicamento e controlar os efeitos adversos que podem manifestar-se.

O médico deve utilizá-lo somente com equipamentos capazes de monitorar e manter as funções do seu organismo, como as respiratórias e as relacionadas ao coração.

Ultiva permanece estável por 24 horas, em temperatura ambiente (25ºC), após a reconstituição e a posterior diluição entre 20 e 250 µg/mL (50 µg/mL é a diluição adequada para adultos e 20-25 µg/mL para crianças maiores de 1 ano de idade). Recomenda-se uma das seguintes soluções para administração intravenosa:

  • <li>&#xC1;gua est&#xE9;ril para inje&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de <a href="https://consultaremedios.com.br/glicose/bula" target="_blank">glicose</a> a 5%;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o glicofisiol&#xF3;gica a 5% (solu&#xE7;&#xE3;o de glicose a 5% e de <a href="https://consultaremedios.com.br/cloreto-de-sodio/bula" target="_blank">cloreto de s&#xF3;dio</a> a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o fisiol&#xF3;gica (solu&#xE7;&#xE3;o de cloreto de s&#xF3;dio a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%.</li>

Ultiva só deve ser administrado com as soluções para infusão mostradas acima.

Ultiva não deve ser misturado a outros medicamentos antes da administração.

As tabelas seguintes fornecem instruções sobre as velocidades de infusão de Ultiva.

Tabela 1. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/kg/h):

Tabela 2. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 20 µg/mL:

Tabela 3. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 25µg/mL:

Tabela 4. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 50µg/mL:

Tabela 5. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 250µg/mL:

Posologia do&nbsp;Ultiva

{"tag":"hr","value":" <p>A dosagem de Ultiva depende da opera&#xE7;&#xE3;o que voc&#xEA; vai fazer. Seu m&#xE9;dico saber&#xE1; utilizar a dose adequada.</p> <h3>Adultos</h3> <p>A tabela seguinte resume a velocidade de infus&#xE3;o inicial e a dosagem.</p> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para adultos</h4> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fcaa6dc4c3000887dec3/original_ultiva-6-consulta-remedios.jpg?1497889961\" style=\"width:100%\">* CAM = concentra&#xE7;&#xE3;o alveolar m&#xED;nima.</img></p> <p>O tempo de administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva em bolus na indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia n&#xE3;o deve ser menor que 30 segundos.</p> <p>Nas doses recomendadas, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/isoflurano/bula\" target=\"_blank\">isoflurano</a> e o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/propofol/bula\" target=\"_blank\">propofol</a> como descrito acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre as dosagens recomend&#xE1;veis para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos e de remifentanila.</p> <h4>Indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>O m&#xE9;dico deve administrar Ultiva com um agente hipn&#xF3;tico, como propofol, tiopental ou isoflurano, na indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia. A velocidade de infus&#xE3;o pode ser de 0,5 a 1 &#xB5;g/kg/min, com ou sem bolus de infus&#xE3;o inicial de 1 &#xB5;g/kg, por no m&#xED;nimo 30 segundos. Se o m&#xE9;dico previr a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal (introdu&#xE7;&#xE3;o de tubo na traqu&#xE9;ia) entre 8 e 10 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o de Ultiva, o bolus n&#xE3;o ser&#xE1; necess&#xE1;rio.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, o m&#xE9;dico deve diminuir a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de acordo com a t&#xE9;cnica anest&#xE9;sica, como foi indicado na tabela acima. Devido ao in&#xED;cio r&#xE1;pido e &#xE0; curta dura&#xE7;&#xE3;o da a&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico pode ajustar a velocidade de administra&#xE7;&#xE3;o durante a anestesia em incrementos de 25% a 100% ou diminui&#xE7;&#xF5;es de 25% a 50%, a intervalos de 2 a 5 minutos, para obter o n&#xED;vel desej&#xE1;vel de resposta &#xB5;-opi&#xE1;cea. Em resposta &#xE0; anestesia leve, infus&#xF5;es suplementares na forma de bolus podem ser administradas a intervalos de 2 a 5 minutos.</p> <h4>Anestesia de pacientes que respiram sem ajuda de aparelhos e com via a&#xE9;rea protegida (por m&#xE1;scara lar&#xED;ngea, por exemplo)</h4> <p>Os pacientes anestesiados que respiram sem ajuda de aparelhos e com via a&#xE9;rea protegida podem ter <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/depressao/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">depress&#xE3;o</a> respirat&#xF3;ria. Se isso ocorrer, o m&#xE9;dico deve ter cuidado especial para ajustar a dose &#xE0;s necessidades do paciente, e talvez seja preciso auxiliar a respira&#xE7;&#xE3;o por meio de aparelho. A taxa de infus&#xE3;o inicial recomend&#xE1;vel para analgesia suplementar de pacientes anestesiados que respiram espontaneamente &#xE9; de 0,04 &#xB5;g/kg/min, e o m&#xE9;dico deve ajust&#xE1;-la at&#xE9; obter o efeito desejado. Estudouse uma varia&#xE7;&#xE3;o de velocidades de infus&#xE3;o de 0,025 a 0,1 &#xB5;g/kg/min. N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o de bolus em pacientes anestesiados que respiram sem ajuda de aparelhos.</p> <h4>Continua&#xE7;&#xE3;o at&#xE9; o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio imediato</h4> <p>Caso o m&#xE9;dico n&#xE3;o inicie a analgesia de longa dura&#xE7;&#xE3;o antes do final da cirurgia, pode ser necess&#xE1;ria a administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva para mant&#xEA;-la durante o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio imediato at&#xE9; que o analg&#xE9;sico de longa dura&#xE7;&#xE3;o atinja o efeito m&#xE1;ximo.</p> <p>Os pacientes ventilados mecanicamente (ou seja, que respiram com ajuda de aparelhos), o m&#xE9;dico deve ajustar a velocidade de infus&#xE3;o at&#xE9; atingir o efeito desejado.</p> <p>Nos pacientes que respiram de forma espont&#xE2;nea, o m&#xE9;dico deve diminuir a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva, inicialmente, para 0,1 &#xB5;g/kg/min. A velocidade de infus&#xE3;o pode ent&#xE3;o ser aumentada ou diminu&#xED;da, no m&#xE1;ximo em 0,025 &#xB5;g/kg/min, a intervalos de 5 minutos, para ajustar o n&#xED;vel de analgesia&amp;nbsp;ou a frequ&#xEA;ncia respirat&#xF3;ria do paciente. Ultivadever&#xE1; ser administrado apenas em ambientes completamente equipados para monitoramento e suporte das fun&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias e cardiovasculares, sob restrita supervis&#xE3;o de profissionais especificamente treinados no reconhecimento e no controle dos efeitos adversos esperados dos opioides potentes.</p> <p>N&#xE3;o se recomenda o uso de inje&#xE7;&#xF5;es de bolus de Ultiva para tratar a dor, durante o per&#xED;odo p&#xF3;soperat&#xF3;rio, de pacientes que respiram espontaneamente.</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Ultiva diminui as quantidades de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/anestesicos/c\" target=\"_blank\">anest&#xE9;sicos</a> vol&#xE1;teis, hipn&#xF3;ticos ou benzodiazep&#xED;nicos necess&#xE1;rias&amp;nbsp;para promover a anestesia.</p> <p>As doses de alguns agentes utilizados em anestesia, como isoflurano, tiopental, propofol e temazepam,&amp;nbsp;atingiram redu&#xE7;&#xE3;o de 75% quando usadas com a remifentanila.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Devido &#xE0; cessa&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pida da a&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, n&#xE3;o haver&#xE1; nenhuma atividade opi&#xE1;cea residual de 5 a 10 minutos ap&#xF3;s a sua descontinua&#xE7;&#xE3;o (suspens&#xE3;o). Se voc&#xEA; for submetido a procedimentos cir&#xFA;rgicos nos quais se espera a ocorr&#xEA;ncia de dor p&#xF3;s-operat&#xF3;ria, seu m&#xE9;dico dever&#xE1; administrar-lhe <a href=\"https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/analgesicos/c\" target=\"_blank\">analg&#xE9;sicos</a> antes ou imediatamente ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva. Ser&#xE1; preciso esperar o tempo necess&#xE1;rio para que os analg&#xE9;sicos de longa dura&#xE7;&#xE3;o atinjam o efeito m&#xE1;ximo. O m&#xE9;dico deve escolher o analg&#xE9;sico de acordo com o procedimento cir&#xFA;rgico e o n&#xED;vel de cuidados p&#xF3;s-operat&#xF3;rios.</p> <h3>Crian&#xE7;as (de 1 a 12 anos de idade)</h3> <h4>Indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>N&#xE3;o existem dados suficientes para fazer recomenda&#xE7;&#xF5;es de dosagem.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <h5>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para manuten&#xE7;&#xE3;o de anestesia em pacientes pedi&#xE1;tricos (1-12 anos de idade)</h5> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fd066dc4c3000f87dee1/original_ultiva-7-consulta-remedios.jpg?1497890053\" style=\"width:100%\"/></p> <p>Quando o m&#xE9;dico administrar Ultivaem bolus, a infus&#xE3;o deve ser, no m&#xED;nimo, de 30 segundos. Caso&amp;nbsp;n&#xE3;o tenha administrado uma dose simult&#xE2;nea de bolus, ele s&#xF3; deve come&#xE7;ar a cirurgia pelo menos 5 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o de Ultiva. Os pacientes pedi&#xE1;tricos precisam ser monitorados e a dose ajustada para a profundidade de analgesia apropriada ao procedimento cir&#xFA;rgico.</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Nas doses recomendadas acima, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o isoflurano, o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/halotano/bula\" target=\"_blank\">halotano</a> e o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sevoflurano/bula\" target=\"_blank\">sevoflurano</a> de acordo com as instru&#xE7;&#xF5;es constantes da tabela acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre dosagens recomend&#xE1;veis para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos e da remifentanila.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o da infus&#xE3;o, a compensa&#xE7;&#xE3;o do efeito analg&#xE9;sico de Ultiva &#xE9; r&#xE1;pida e similar &#xE0; dos pacientes adultos. O m&#xE9;dico deve prever a necessidade e efetuar a administra&#xE7;&#xE3;o de analg&#xE9;sicos apropriados para o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio.</p> <h3>Neonatos (beb&#xEA;s de at&#xE9; 28 dias) e crian&#xE7;as (menores de 1 ano)</h3> <p>O perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila em neonatos e crian&#xE7;as menores de 1 ano de idade &#xE9; compar&#xE1;vel ao dos pacientes adultos ap&#xF3;s as corre&#xE7;&#xF5;es das diferen&#xE7;as de peso corporal. Entretanto, n&#xE3;o existem dados cl&#xED;nicos suficientes para estabelecer dosagens adequadas a essa faixa et&#xE1;ria.</p> <h3>Anestesia card&#xED;aca de adultos</h3> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para anestesia card&#xED;aca</h4> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fd416dc4c3000887dec5/original_ultiva-8-consulta-remedios.jpg?1497890112\" style=\"width:100%\"/></p> <h4>Per&#xED;odo de indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o do hipn&#xF3;tico at&#xE9; o come&#xE7;o da perda da consci&#xEA;ncia, o m&#xE9;dico deve administrar Ultiva em velocidade inicial de infus&#xE3;o de 1 &#xB5;g/kg/min. N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o em bolus de Ultiva durante a indu&#xE7;&#xE3;o, em cirurgia card&#xED;aca. A entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal s&#xF3; deve ser feita 5 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o.</p> <h4>Per&#xED;odo de manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, o m&#xE9;dico deve ajustar a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de acordo com a condi&#xE7;&#xE3;o do paciente. Doses suplementares de bolus tamb&#xE9;m podem ser administradas conforme a necessidade. Para pacientes card&#xED;acos de alto risco, como os que apresentam fun&#xE7;&#xE3;o ventricular deficiente, dose m&#xE1;xima em bolus &#xE9; de 0,5 &#xB5;g/kg. Essas recomenda&#xE7;&#xF5;es de dosagem tamb&#xE9;m se aplicam durante a perman&#xEA;ncia na circula&#xE7;&#xE3;o extracorp&#xF3;rea (m&#xE1;quina que mant&#xE9;m a circula&#xE7;&#xE3;o do sangue enquanto o cora&#xE7;&#xE3;o est&#xE1; parado).</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Nas doses recomendadas acima, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o isoflurano e o propofol conforme instru&#xE7;&#xF5;es constantes da tabela acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre dosagens recomendadas para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos de remifentanila.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da analgesia p&#xF3;s-operat&#xF3;ria antes da extuba&#xE7;&#xE3;o (retirada do tubo localizado na traqu&#xE9;ia e que auxilia a respira&#xE7;&#xE3;o durante a cirurgia)</h4> <p>Recomenda-se que a infus&#xE3;o de Ultiva se mantenha no n&#xED;vel final intraoperat&#xF3;rio durante a transfer&#xEA;ncia do paciente para a &#xE1;rea de recupera&#xE7;&#xE3;o p&#xF3;s-anest&#xE9;sica. Quando o paciente chegar a essa &#xE1;rea, o m&#xE9;dico deve fazer monitoramento estrito do n&#xED;vel de analgesia e de seda&#xE7;&#xE3;o, assim como ajustar a velocidade de infus&#xE3;o &#xE0;s necessidades particulares do paciente.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Antes da descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico deve administrar agentes <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/sedativos/c\" target=\"_blank\">sedativos</a> e analg&#xE9;sicos alternativos com anteced&#xEA;ncia suficiente. A escolha e a dose do analg&#xE9;sico devem adequar-se ao n&#xED;vel de cuidados p&#xF3;s-operat&#xF3;rios requeridos pelo paciente.</p> <p>Recomenda-se que o m&#xE9;dico descontinue a infus&#xE3;o de Ultiva reduzindo a velocidade em 25%, a intervalos de pelo menos 10 minutos, at&#xE9; faz&#xEA;-la cessar completamente. Durante a retirada do ventilador mec&#xE2;nico, o m&#xE9;dico n&#xE3;o deve aumentar a infus&#xE3;o de Ultiva fazendo apenas ajustes de diminui&#xE7;&#xE3;o e suplementando o procedimento com analg&#xE9;sicos alternativos conforme a necessidade.</p> <p>Recomenda-se que altera&#xE7;&#xF5;es hemodin&#xE2;micas, como hipertens&#xE3;o e taquicardia, sejam tratadas com agentes alternativos apropriados.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca pedi&#xE1;trica</h4> <p>N&#xE3;o existem dados suficientes para recomendar o uso de Ultiva durante cirurgias card&#xED;acas pedi&#xE1;tricas.</p> <h4>Unidade de terapia intensiva</h4> <p>A infus&#xE3;o de Ultiva controlada por alvo (TCI, ou <em>target controlled infusion</em>) n&#xE3;o foi estudada em pacientes sob terapia intensiva.</p> <h3>Adultos</h3> <p>Ultiva pode ser usado isoladamente, de in&#xED;cio, para promover analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o em pacientes mecanicamente ventilados (que respiram atrav&#xE9;s de aparelhos) internados em unidade de terapia intensiva (UTI).</p> <p>Recomenda-se que a administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva tenha in&#xED;cio na velocidade de infus&#xE3;o de 0,1 a 0,15 &#xB5;g/kg/min. Essa velocidade deve ser ajustada em incrementos de 0,025 &#xB5;g/kg/min at&#xE9; atingir o n&#xED;vel ideal de analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o. O m&#xE9;dico deve manter um intervalo m&#xED;nimo de 5 minutos entre os ajustes de dose. O n&#xED;vel de analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o deve ser cuidadosamente monitorado e reavaliado com regularidade, ajustando-se adequadamente a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva. Se o n&#xED;vel de seda&#xE7;&#xE3;o desej&#xE1;vel n&#xE3;o for alcan&#xE7;ado com a velocidade de infus&#xE3;o de 0,2 &#xB5;g/kg/min, recomenda-se a administra&#xE7;&#xE3;o de um agente sedativo apropriado. O m&#xE9;dico deve ajustar a dose do agente sedativo at&#xE9; obter o n&#xED;vel ideal de seda&#xE7;&#xE3;o. Pode-se efetuar aumentos posteriores da velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva em incrementos de 0,025 &#xB5;g/kg/min caso seja necess&#xE1;ria a analgesia adicional.</p> <p>Ultiva tem sido estudado em pacientes de UTI durante pesquisas cl&#xED;nicas bem controladas por at&#xE9; tr&#xEA;s dias. Os dados adicionais de estudos cl&#xED;nicos feitos durante per&#xED;odos mais longos s&#xE3;o limitados. A tabela abaixo resume a velocidade de infus&#xE3;o inicial e a faixa t&#xED;pica de dosagens de analgesia e&amp;nbsp;seda&#xE7;&#xE3;o para cada paciente.</p> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para pacientes sob terapia intensiva</h4> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td colspan=\"2\" style=\"text-align:center\"><strong>Infus&#xE3;o cont&#xED;nua &#xB5;g/kg/min</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:551px\"><strong>Velocidade inicial</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:554px\"><strong>Faixa</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:551px\">0,1 a 0,15</td> <td style=\"text-align:center; width:554px\">0,006 a 0,74</td> </tr> </tbody> </table> <p>O uso de Ultiva pode reduzir a necessidade de administra&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea de qualquer outro agente sedativo. As dosagens iniciais t&#xED;picas de agentes sedativos, se necess&#xE1;rio, s&#xE3;o dadas abaixo.N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o de dose de Ultiva em bolus nas unidades de terapia intensiva.</p> <h4>Dosagem inicial recomendada de agentes sedativos (se necess&#xE1;rios)</h4> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center\"><strong>Agente sedativo</strong></td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Bolus (mg/kg)</strong></td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Infus&#xE3;o (mg/kg/h)</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">Propofol</td> <td style=\"text-align:center\">At&#xE9; 0,5</td> <td style=\"text-align:center\">0,5</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">Midazolam</td> <td style=\"text-align:center\">At&#xE9; 0,03</td> <td style=\"text-align:center\">0,03</td> </tr> </tbody> </table> <h4>Analgesia adicional de pacientes ventilados submetidos a procedimentos estimulantes</h4> <p>Pode ser necess&#xE1;rio aumentar a velocidade de infus&#xE3;o pr&#xE9;-estabelecida de Ultiva para controlar a dor de pacientes em ventila&#xE7;&#xE3;o mec&#xE2;nica submetidos a procedimentos estimulantes e/ou dolorosos, como suc&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, troca de curativo e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/fisioterapia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">fisioterapia</a>. Recomenda-se manter velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de no m&#xED;nimo 0,1 &#xB5;g/kg/min por pelo menos 5 minutos antes do in&#xED;cio do procedimento estimulante. O m&#xE9;dico deve fazer ajustes de dose posteriores, a intervalos de 2 a 5 minutos e em incrementos de 25% a 50%, como antecipa&#xE7;&#xE3;o ou resposta &#xE0; necessidade de analgesia adicional. Para fornecer maior anestesia durante os procedimentos estimulantes, tem-se usado a velocidade de infus&#xE3;o m&#xE9;dia de 0,25 &#xB5;g/kg/min e m&#xE1;xima de 0,75 &#xB5;g/kg/min.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Antes da descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico deve administrar agentes sedativos e analg&#xE9;sicos alternativos com anteced&#xEA;ncia suficiente. A escolha do agente apropriado e das doses deve ser feita antecipadamente. Para assegurar a superficializa&#xE7;&#xE3;o suave do regime &#xE0; base de Ultiva, recomenda-se o ajuste da velocidade de infus&#xE3;o em est&#xE1;gios de 0,1 &#xB5;g/kg/min, por at&#xE9; 1 hora, antes da extuba&#xE7;&#xE3;o. Ap&#xF3;s a retirada do tubo da traqu&#xE9;ia, o m&#xE9;dico deve reduzir a velocidade de infus&#xE3;o em decr&#xE9;scimos de 25%, a intervalos de no m&#xED;nimo 10 minutos, at&#xE9; descontinuar a infus&#xE3;o. Durante a retirada do ventilador mec&#xE2;nico, n&#xE3;o se deve aumentar a infus&#xE3;o de Ultiva, fazendo-se somente ajustes de diminui&#xE7;&#xE3;o, suplementados com analg&#xE9;sicos alternativos, conforme a necessidade.</p> <h4>Crian&#xE7;as na unidade de terapia intensiva</h4> <p>N&#xE3;o existem dados dispon&#xED;veis sobre o uso de Ultiva em pacientes pedi&#xE1;tricos.</p> <h3>Idosos (acima de 65 anos)</h3> <h4>Anestesia geral</h4> <p>A dose inicial de remifentanila administrada a pacientes maiores de 65 anos de idade deve conter a metade da recomendada a adultos, sendo depois ajustada &#xE0;s necessidades do paciente, uma vez que h&#xE1; aumento de sensibilidade aos efeitos farmacol&#xF3;gicos do medicamento entre os idosos. Esse ajuste de dosagem se aplica a todas as fases da anestesia, inclusive indu&#xE7;&#xE3;o, manuten&#xE7;&#xE3;o e analgesia p&#xF3;soperat&#xF3;ria.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <h4>Unidade de terapia intensiva</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <h3>Obesos</h3> <p>Recomenda-se a redu&#xE7;&#xE3;o da dosagem de Ultiva para pacientes obesos com base no peso ideal, pois o <em>clearance</em> (capacidade de elimina&#xE7;&#xE3;o do medicamento pelo organismo) e o volume de distribui&#xE7;&#xE3;o da remifentanila est&#xE3;o mais bem correlacionados com o peso ideal do que com o peso real nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <h3>Pacientes com insufici&#xEA;ncia renal</h3> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;rio nenhum ajuste de dose para pacientes com insufici&#xEA;ncia renal (mau funcionamento do rim), uma vez que o perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila permanece inalterado nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <h3>Pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h3> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;rio nenhum ajuste de dose para pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica (mau funcionamento do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a>), uma vez que o perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila permanece inalterado nessa popula&#xE7;&#xE3;o. Entretanto, os pacientes com insufici&#xEA;ncia grave podem ser levemente mais sens&#xED;veis ao efeito depressor do sistema respirat&#xF3;rio provocado pela remifentanila. O m&#xE9;dico deve monitorar cuidadosamente esses pacientes, ajustando a dose do medicamento &#xE0;s necessidades deles.</p> <h3>Pacientes submetidos a neurocirurgia</h3> <p>As experi&#xEA;ncias cl&#xED;nicas com pacientes submetidos a neurocirurgia, embora limitadas, mostraram que n&#xE3;o s&#xE3;o necess&#xE1;rias dosagens especiais.</p> <h3>Pacientes ASA III/IV</h3> <h4>Anestesia geral</h4> <p>Uma vez que se espera que os efeitos hemodin&#xE2;micos dos opi&#xE1;ceos potentes sejam mais pronunciados nos pacientes classificados pelos crit&#xE9;rios da Sociedade Americana de Anestesiologistas (ASA, na sigla em ingl&#xEA;s) como de n&#xED;vel III (com doen&#xE7;a sist&#xEA;mica grave) ou IV (doen&#xE7;a sist&#xEA;mica grave com constante risco de morte), o m&#xE9;dico deve ter cautela na administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>Recomenda-se a redu&#xE7;&#xE3;o da dosagem inicial e ajuste de acordo com o efeito.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o do seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento.</strong></p> <p><strong>N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m&#xE9;dico.</strong></p> <h2>O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Ultiva?</h2> <hr> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> </hr>"}

Quais cuidados devo ter ao usar o Ultiva?

Se você responder “sim” a qualquer uma das perguntas a seguir, informe seu médico sobre esse assunto antes da operação:

  • <li>Voc&#xEA; j&#xE1; teve alguma rea&#xE7;&#xE3;o adversa, ou seja rea&#xE7;&#xE3;o indesej&#xE1;vel durante uma opera&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Voc&#xEA; sabe se &#xE9; al&#xE9;rgico a algum medicamento usado durante uma opera&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Voc&#xEA; j&#xE1; teve algum problema de respira&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Os batimentos do seu cora&#xE7;&#xE3;o s&#xE3;o lentos ou irregulares?</li> <li>Voc&#xEA; sabe se sua press&#xE3;o arterial &#xE9; baixa?</li> <li>Voc&#xEA; tomou recentemente outros tipos de medicamento conhecidos, como betabloqueadores ou bloqueadores dos canais de c&#xE1;lcio?</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; gr&#xE1;vida ou pretende engravidar em breve?</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; amamentando?</li>

Ultiva deve ser administrado somente no hospital, onde há equipamentos para monitorar e manter as funções da respiração, do coração e dos vasos sanguíneos. Apenas o profissional treinado no uso de anestésicos deve administrar Ultiva, pois é importante que saiba reconhecer as possíveis reações adversas ao medicamento e agir de forma correta caso uma delas ocorra. Ele também deve ter sido treinado na abertura das vias respiratórias e sua manutenção e na ventilação assistida.

Como todos os outros medicamentos da mesma classe, Ultiva não é recomendável como agente único na anestesia geral.

Se você tiver rigidez muscular causada por Ultiva, um profissional de saúde capacitado deve tomar as medidas de suporte adequadas para sua condição clínica. Ele pode administrar outros medicamentos para tratar essa reação, se for intensa, ou diminuir a velocidade de uso Ultiva e até interrompê-lo (neste caso, a rigidez muscular é resolvida em alguns minutos).

Ultiva deve ser administrado somente em locais com equipamentos para monitorar e tratar os possíveis casos de depressão respiratória (comprometimento da respiração). O tratamento deve ser feito por pessoa capacitada e inclui a diminuição da velocidade de infusão ou sua interrupção temporária. É importante que o paciente recupere totalmente a consciência e a respiração espontânea antes de ser liberado da sala de recuperação anestésica.

Pode ocorrer de algum efeito adverso afetar sua pressão arterial e seu coração, como queda de pressão e diminuição da frequência dos batimentos cardíacos. Esses efeitos podem ser controlados pela redução da velocidade da infusão de Ultiva ou da dose dos anestésicos utilizados em conjunto ou ainda pela administração intravenosa (na veia) de outros medicamentos apropriados.

Em certos tipos de cirurgia o paciente pode sentir dor após a operação logo que Ultiva é suspenso.

Nesses casos, é necessário o uso de medicamentos para alívio da dor antes ou logo depois da interrupção de Ultiva. O médico deve fazer a escolha adequada do medicamento de acordo com a cirurgia e o nível de cuidados exigidos no período pós-operatório.

A administração de Ultiva deve ser feita com equipamento exclusivo para evitar que resíduos do medicamento permaneçam na linha de infusão ou no equipo, se estes forem utilizados para fluidos ou outras drogas, e provoquem reações adversas.

Assim como outros medicamentos da mesma classe, Ultiva pode causar dependência.

Pacientes com hipersensibilidade conhecida a opioides de diferentes classes podem apresentar reação seguida da administração de Ultiva. Recomenda-se cautela antes do uso de remifentanila nesses pacientes.

Uso em pacientes com problemas nos rins

Não é necessário ajustar a dose de Ultiva para esses pacientes.

Uso em pacientes com problemas de fígado

Esses pacientes podem ser um pouco mais sensíveis à depressão respiratória causada por Ultiva e o médico deve monitorá-los de perto. Deve também ajustar a dose de Ultiva de acordo com as necessidades de cada paciente.

Este medicamento pode causar doping.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Ultiva?

As reações adversas mais frequentemente observadas com o uso de Ultiva são a continuação dos&nbsp;efeitos farmacológicos característicos dos medicamentos dessa classe.

Essas reações adversas são revertidas minutos após a interrupção ou a diminuição da velocidade de administração de Ultiva.

Reações muito comuns (ocorrem em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Rigidez dos m&#xFA;sculos esquel&#xE9;ticos (que est&#xE3;o sobre os ossos e as cartilagens);</li> <li>Press&#xE3;o baixa;</li> <li>N&#xE1;usea (enjoo);</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">V&#xF4;mito</a>.</li>

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia dos batimentos card&#xED;acos;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">Press&#xE3;o alta</a> ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Depress&#xE3;o respirat&#xF3;ria aguda, que compromete o funcionamento da respira&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Apneia (suspens&#xE3;o ou aus&#xEA;ncia de respira&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Coceira;</li> <li>Calafrios ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o.</li>

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Baixos n&#xED;veis de oxig&#xEA;nio no organismo;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">Pris&#xE3;o de ventre</a>;</li> <li>Dores ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o.</li>

Reações raras (ocorrem de 0,01% a 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Seda&#xE7;&#xE3;o (durante o per&#xED;odo de recupera&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s a anestesia geral);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas, inclusive <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-anafilaxia-reacao-anafilatica-sintomas-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">anafilaxia</a> (que &#xE9; uma rea&#xE7;&#xE3;o grave e generalizada)*;</li> <li>Parada abrupta do cora&#xE7;&#xE3;o, geralmente precedida de diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia dos batimentos card&#xED;acos*.</li>

*Essas reações adversas foram relatadas quando houve administração de Ultiva em conjunto com um ou mais agentes anestésicos.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC) pelo telefone 0800 701 22 33.&nbsp;

População Especial

Uso em pacientes idosos

O médico deve reduzir a dose inicial de Ultiva nos idosos e depois ajustá-la cuidadosamente de acordo com as necessidades de cada paciente.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

O paciente só poderá dirigir veículos e operar máquinas algum tempo após o término da administração de Ultiva, isto é, quando os efeitos do medicamento forem eliminados. Esta orientação fica a critério médico.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e sua atenção podem estar prejudicadas.

Gravidez e lactação

Ultiva somente deve ser utilizado em mulheres grávidas quando, a critério do médico, os benefícios potenciais para a mãe superarem os possíveis riscos para o feto. O uso deste medicamento também não é recomendável durante trabalhos de parto nem cesarianas.

Seu médico deve ter cuidado ao administrar Ultiva se você estiver amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Qual a composição do Ultiva?

Apresentação

Pó liófilo a ser reconstituído antes do uso, para injeção intravenosa, na seguinte concentração:

Ultiva&nbsp;2 mg – embalagem com 5 frascos-ampola.

Uso intravenoso.

Uso adulto e pediátrico acima de 1 ano de idade.

Composição

Cada frasco-ampola de 2mg de Ultiva&nbsp;contém:
{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:645px\"><a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-remifentanila/bula\" target=\"_blank\">Cloridrato de remifentanila</a> (equivalente a 2mg de remifentanila)</td> <td style=\"text-align:center; width:581px\">2,194mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:645px\">Excipientes*</td> <td style=\"text-align:center; width:581px\">1 frasco-ampola</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

*Excipientes: glicina, ácido clorídrico.

Diluente: água para injeção.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Ultiva maior do que a recomendada?

Devido à ação muito curta de Ultiva, o potencial de efeitos nocivos no caso de superdosagem está limitado ao período imediatamente posterior à administração do medicamento. Com a interrupção da administração, retorno à condição normal é rápido (10 minutos).

No caso de superdosagem ou suspeita de superdosagem, o médico deve conduzir os procedimentos necessários para o tratamento do caso. Ele deve tomar as seguintes medidas: interromper a administração de Ultiva, manter as vias respiratórias desobstruídas, iniciar ventilação assistida ou controlada com oxigênio e manter as funções relacionadas ao coração em níveis adequados. Se houver comprometimento da respiração associado com rigidez dos músculos, o médico poderá aplicar um bloqueador neuromuscular para facilitar a respiração assistida (por uso de aparelhos) ou controlada. Se ocorrer pressão baixa, outros medicamentos e medidas apropriadas podem ser utilizados no tratamento.

É possível administrar, por via intravenosa (na veia), um medicamento da classe dos antagonistas opiáceos, como a naloxona, como antídoto específico no controle da depressão respiratória grave e da rigidez dos músculos. O médico saberá indicar o tratamento adequado para cada caso.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento se possível.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001 se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Ultiva com outros remédios?

Como ocorre com outros medicamentos da mesma classe, o uso de Ultiva&nbsp;diminui as quantidades ou doses de anestésicos voláteis ou intravenosos necessários à anestesia.

Os efeitos adversos de Ultiva que afetam o coração e a pressão arterial podem agravar-se caso você esteja tomando drogas depressoras cardíacas, como betabloqueadores ou bloqueadores do canal de cálcio.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Ultiva (Cloridrato de Remifentanila)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>Cloridrato de Remifentanila mostrou ser eficaz na seda&#xE7;&#xE3;o analg&#xE9;sica e bem tolerado, apresentando semelhan&#xE7;a de efeitos adversos em compara&#xE7;&#xE3;o aos hipn&#xF3;ticos<sup>1</sup>.</p> <p>Cloridrato de Remifentanila mostrou-se tamb&#xE9;m eficaz na preven&#xE7;&#xE3;o do aumento da press&#xE3;o arterial m&#xE9;dia (sem efeitos adversos como a bradicardia<sup>2</sup>).</p> <p>Cloridrato de Remifentanila, em associa&#xE7;&#xE3;o com hipn&#xF3;ticos, reduz de forma significativa o tempo de ventila&#xE7;&#xE3;o mec&#xE2;nica<sup>3</sup>.</p> <p>Cloridrato de Remifentanila &#xE9; eficaz no controle da dor p&#xF3;s-operat&#xF3;ria depois de extuba&#xE7;&#xE3;o orotraqueal e n&#xE3;o causa comprometimento respirat&#xF3;rio<sup>4</sup>.</p> <p>A infus&#xE3;o cont&#xED;nua de Cloridrato de Remifentanila &#xE9; efetiva no controle da dor em pacientes extubados, ap&#xF3;s cirurgia card&#xED;aca, sem resultar em complica&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias<sup>4</sup>.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Karabinis, A. et al. Safety and efficacy of analgesia-based sedation with remifentanil versus standard hypnotic-based regimens in intensive care unit patients with brain injuries: a randomised, controlled trial [ISRCTN50308308]. Crit Care, 8(4): R268-80, 2004.<br> 2. Wiel, E. et al. Comparison of remifentanil and alfentanil during anaesthesia for patients undergoing direct laryngoscopy without intubation. Br J Anaesth, 91(3):421-3, 2003.<br> 3. Muellejans, B. et al. Sedation in the intensive care unit with remifentanil/propofol versus midazolam/fentanyl: a randomised, open-label, pharmacoeconomic trial. Crit Care, 10(3): R91, 2006.<br> 4. Steinlechner, B. et al. Postoperative analgesia with remifentanil in patients undergoing cardiac surgery. Anesth Analg, 100(5): 1230-5, 2005.</br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>A Cloridrato de Remifentanila &#xE9; um agonista &#x3BC;-opi&#xE1;ceo seletivo de in&#xED;cio r&#xE1;pido de a&#xE7;&#xE3;o e dura&#xE7;&#xE3;o muito curta. A atividade &#x3BC;-opi&#xE1;cea &#xE9; antagonizada pelo naloxona, um antagonista de opioide.</p> <p>Testes de histamina feitos em pacientes e em volunt&#xE1;rios normais demonstraram n&#xE3;o haver eleva&#xE7;&#xE3;o dessa subst&#xE2;ncia ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de Cloridrato de Remifentanila em <em>bolus</em> de at&#xE9; 30 &#x3BC;g/kg.</p> <h3>Propriedades farmacocin&#xE9;ticas</h3> <h4>Absor&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Em toda a faixa de doses recomendadas, as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas de Cloridrato de Remifentanila s&#xE3;o proporcionais &#xE0; dose utilizada. Para cada incremento de 0,1 &#x3BC;g/kg/min na velocidade de infus&#xE3;o, a concentra&#xE7;&#xE3;o plasm&#xE1;tica da Cloridrato de Remifentanila aumenta em 2,5 ng/mL.</p> <h4>Distribui&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>O volume de distribui&#xE7;&#xE3;o central &#xE9; de 100 mL/kg, enquanto o volume de distribui&#xE7;&#xE3;o no estado de equil&#xED;brio &#xE9; de 350 mL/kg.</p> <p>A Cloridrato de Remifentanila liga-se &#xE0;s <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/proteinas/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">prote&#xED;nas</a> plasm&#xE1;ticas em aproximadamente 70%.</p> <h4>Metabolismo</h4> <p>Opi&#xE1;ceo metabolizado por esterases, a Cloridrato de Remifentanila &#xE9; suscet&#xED;vel &#xE0; metaboliza&#xE7;&#xE3;o por esterases n&#xE3;o espec&#xED;ficas do sangue e dos tecidos. O metabolismo dessa droga resulta na forma&#xE7;&#xE3;o de um metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico essencialmente inativo (4.600 vezes menos potente que a drogam&#xE3;e), cuja meia-vida em adultos sadios &#xE9; de 2 horas.</p> <p>Aproximadamente 95% de Cloridrato de Remifentanila &#xE9; excretada na urina na forma desse metab&#xF3;lito. Essa droga n&#xE3;o &#xE9; um substrato da colinesterase plasm&#xE1;tica.</p> <h4>Elimina&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o das doses recomendadas, a meia-vida biol&#xF3;gica efetiva de Cloridrato de Remifentanila &#xE9; de 3 a 10 minutos. O <em>clearance </em>m&#xE9;dio desse f&#xE1;rmaco em adultos jovens sadios &#xE9; de 40 mL/kg/min.</p> <h4>Grupos especiais</h4> <h5>Anestesia card&#xED;aca</h5> <p>O<em> clearance</em> da Cloridrato de Remifentanila se reduz em at&#xE9; 20% durante o bypass cardiovascular hipot&#xE9;rmico (28&#xBA;C). A diminui&#xE7;&#xE3;o da temperatura corporal tamb&#xE9;m reduz o <em>clearance</em> em 3% por grau Celsius.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia renal</h5> <p>A r&#xE1;pida recupera&#xE7;&#xE3;o da seda&#xE7;&#xE3;o e da analgesia induzidas pela Cloridrato de Remifentanila n&#xE3;o &#xE9; afetada pelo<em> status</em> renal. A farmacocin&#xE9;tica da Cloridrato de Remifentanila n&#xE3;o &#xE9; significantemente alterada em pacientes com v&#xE1;rios graus de insufici&#xEA;ncia renal, mesmo ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o do f&#xE1;rmaco por at&#xE9; tr&#xEA;s dias em unidade de terapia intensiva.</p> <p>O <em>clearance </em>do metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico se reduz nos pacientes com disfun&#xE7;&#xE3;o renal. Nos internados em UTI com disfun&#xE7;&#xE3;o renal de moderada a grave a concentra&#xE7;&#xE3;o do metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico pode exceder 250 vezes o n&#xED;vel da Cloridrato de Remifentanila no estado de equil&#xED;brio em alguns pacientes. Dados cl&#xED;nicos demonstraram que o ac&#xFA;mulo do metab&#xF3;lito n&#xE3;o resulta em efeitos clinicamente relevantes dos &#x3BC;-opi&#xE1;ceos nem mesmo ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de infus&#xF5;es de Cloridrato de Remifentanila por at&#xE9; tr&#xEA;s dias nesses pacientes.</p> <p>N&#xE3;o existem evid&#xEA;ncias de que a Cloridrato de Remifentanila seja eliminada durante a <a href=\"https://consultaremedios.com.br/produtos-hospitalares/hemodialise/c\" target=\"_blank\">hemodi&#xE1;lise</a>. O metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico, por outro lado, &#xE9; excretado na hemodi&#xE1;lise (30% no m&#xED;nimo).</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h5> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Cloridrato de Remifentanila n&#xE3;o se altera em pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica grave que aguardam transplante nem na fase anep&#xE1;tica (durante o transplante de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a>). Os pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica grave podem ser um pouco mais sens&#xED;veis ao efeito depressor respirat&#xF3;rio da Cloridrato de Remifentanila. Esses pacientes devem ser monitorados de perto, ajustando-se a dose do anest&#xE9;sico a suas necessidades individuais.</p> <h5>Pacientes pedi&#xE1;tricos</h5> <p>Em pacientes pedi&#xE1;tricos de 5 dias a 17 anos de idade, o <em>clearance</em> m&#xE9;dio e o volume de distribui&#xE7;&#xE3;o no estado de equil&#xED;brio da Cloridrato de Remifentanila aumentam nas crian&#xE7;as mais jovens e diminuem nos adolescentes sadios de 17 anos. A meia-vida do f&#xE1;rmaco n&#xE3;o &#xE9; significativamente diferente nos neonatos, e isso sugere que as altera&#xE7;&#xF5;es do efeito analg&#xE9;sico ap&#xF3;s as mudan&#xE7;as de velocidade de infus&#xE3;o devem ser r&#xE1;pidas e similares &#xE0;s observadas em adultos jovens sadios. A farmacocin&#xE9;tica do metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico em pacientes pedi&#xE1;tricos de 2 a 17 anos de idade &#xE9; similar &#xE0; observada em adultos ap&#xF3;s a corre&#xE7;&#xE3;o das diferen&#xE7;as de peso.</p> <h5>Pacientes idosos</h5> <p>O<em> clearance </em>da Cloridrato de Remifentanila se reduz levemente (cerca de 25%) nos pacientes idosos (maiores de 65 anos) em compara&#xE7;&#xE3;o aos mais jovens. A atividade farmacodin&#xE2;mica desse anest&#xE9;sico aumenta com a idade.</p> <p>Os pacientes idosos apresentam CE<sub>50</sub> (concentra&#xE7;&#xE3;o efetiva de 50%) da Cloridrato de Remifentanila para a forma&#xE7;&#xE3;o de ondas delta no <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/eletroencefalograma-eeg-o-que-e-tipos-e-para-que-serve-o-exame-2/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">eletroencefalograma</a> 50% menor que a dos pacientes mais jovens; portanto, a dose inicial de Cloridrato de Remifentanila deve ser reduzida em 50% nesses pacientes e depois ajustada cuidadosamente a suas necessidades individuais.</p> <h5>Passagem para a placenta e para o leite materno</h5> <p>Em um ensaio cl&#xED;nico realizado com seres humanos, verificou-se que a concentra&#xE7;&#xE3;o da Cloridrato de Remifentanila no sangue fetal atingia aproximadamente 50% da concentra&#xE7;&#xE3;o desse anest&#xE9;sico no sangue materno. A rela&#xE7;&#xE3;o da concentra&#xE7;&#xE3;o arteriovenosa fetal da Cloridrato de Remifentanila foi de cerca de 30%, o que sugere a ocorr&#xEA;ncia de metaboliza&#xE7;&#xE3;o da droga pelo rec&#xE9;m-nascido.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Ultiva?

Este medicamento deve ser guardado dentro da embalagem original e conservado em temperatura inferior a 25°C. Com a reconstituição e a posterior diluição, Ultiva&nbsp;permanece estável por 24 horas em temperatura ambiente (25°C).

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas

Massa branca ou esbranquiçada que pode estar intacta ou fragmentada. Quando reconstituído com água esterilizada para injeção, o produto é um líquido transparente, incolor e praticamente livre de matéria particulada.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Dizeres Legais do Ultiva

Registro MS nº 1.3764.0167

Farm. Resp.:
Dra. Viviane Letícia Santiago Ferreira
CRF-ES 5139

Fabricado por:
GlaxoSmithKline Manufacturing S.P.A.
Strada Provinciale Asolana n.º 90 (loc. San Polo), 43056 Torrile (PR) – Parma – Itália

Registrado e Importado por:
Aspen Pharma Indústria Farmacêutica Ltda.
Avenida Acesso Rodoviário, Módulo 01, Quadra 09, TIMS – Serra/ES
CNPJ: 02.433.631/0001-20
Indústria Brasileira



Uso restrito a hospitais.

Atenção: Pode causar dependencia física ou psíquica.

Venda sob prescrição médica com notificação de receita "A".

1mg, caixa com 5 ampolas com pó para solução de uso intravenoso (embalagem hospitalar)

Princípio ativo
:
Cloridrato De Remifentanila
Classe Terapêutica
:
Anestésicos Gerais Injetáveis
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
A1 Amarela (Dispensação Sob Prescrição Médica Restrito a Hospitais - Este medicamento pode causar Dependência Física ou Psíquica)
Categoria
:
Anestésicos
Especialidade
:
Anestesiologia, Cirurgia cardiovascular e Cirurgia geral

Bula do medicamento

Ultiva, para o que é indicado e para o que serve?

Ultiva&nbsp;é um medicamento indicado para produzir ou manter a anestesia durante cirurgias, inclusive a do coração, e para o alívio da dor imediatamente após a operação. Ultiva&nbsp;também é indicado para promover alívio da dor e sedação em pacientes mecanicamente ventilados (ou seja, que respiram com ajuda de aparelhos) em unidade de terapia intensiva (UTI).

Como o Ultiva funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Ultiva&amp;nbsp;apresenta como subst&#xE2;ncia ativa a remifentanila, que pertence a um grupo de medicamentos chamados de agonistas opioides. Esses medicamentos s&#xE3;o capazes de promover anestesia, assim como al&#xED;vio da dor e seda&#xE7;&#xE3;o, durante as cirurgias. A remifentanila tem in&#xED;cio de a&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pido, e seu efeito &#xE9; curto.</p> "}

Quais as contraindicações do Ultiva?

O uso de Ultiva não é indicado caso você tenha sensibilidade conhecida à remifentanila, a outros&nbsp;compostos semelhantes ou a qualquer componente da formulação.

O médico não deve administrar Ultiva&nbsp;por via epidural, um tipo de anestesia em que a injeção é aplicada nas costas e serve principalmente para aliviar as dores do parto. Este medicamento também não pode ser usado por via intratecal (no espaço entre duas membranas que revestem o cérebro, chamado de espaço subaracnoide).A administração de Ultiva deve ser feita somente por via intravenosa, ou seja, no interior de uma veia.

Este medicamento é contraindicado para menores de 1 ano de idade.

Gravidez e lactação

O médico somente deve utilizar Ultiva&nbsp;em mulheres grávidas quando os benefícios potenciais para a mãe superarem os possíveis riscos para o feto.

Deve haver cuidado na administração de Ultiva&nbsp;a mulheres que estejam amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e sua atenção podem estar prejudicadas.

Como usar o Ultiva?

Ultiva deve ser utilizado somente por via intravenosa, ou seja, no interior de uma veia.

O médico não deve administrar Ultiva por via epidural, um tipo de anestesia em que a injeção é aplicada nas costas e serve principalmente para aliviar as dores do parto. Também não deve ser usado por via intratecal, isto é, injetado no espaço compreendido entre as membranas que revestem o cérebro, o chamado espaço subaracnoide.

Ultiva sempre deve ser utilizado no ambiente hospitalar e por um profissional habilitado, que tenha treinamento adequado para usar o medicamento e controlar os efeitos adversos que podem manifestar-se.

O médico deve utilizá-lo somente com equipamentos capazes de monitorar e manter as funções do seu organismo, como as respiratórias e as relacionadas ao coração.

Ultiva permanece estável por 24 horas, em temperatura ambiente (25ºC), após a reconstituição e a posterior diluição entre 20 e 250 µg/mL (50 µg/mL é a diluição adequada para adultos e 20-25 µg/mL para crianças maiores de 1 ano de idade). Recomenda-se uma das seguintes soluções para administração intravenosa:

  • <li>&#xC1;gua est&#xE9;ril para inje&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de <a href="https://consultaremedios.com.br/glicose/bula" target="_blank">glicose</a> a 5%;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o glicofisiol&#xF3;gica a 5% (solu&#xE7;&#xE3;o de glicose a 5% e de <a href="https://consultaremedios.com.br/cloreto-de-sodio/bula" target="_blank">cloreto de s&#xF3;dio</a> a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o fisiol&#xF3;gica (solu&#xE7;&#xE3;o de cloreto de s&#xF3;dio a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%.</li>

Ultiva só deve ser administrado com as soluções para infusão mostradas acima.

Ultiva não deve ser misturado a outros medicamentos antes da administração.

As tabelas seguintes fornecem instruções sobre as velocidades de infusão de Ultiva.

Tabela 1. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/kg/h):

Tabela 2. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 20 µg/mL:

Tabela 3. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 25µg/mL:

Tabela 4. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 50µg/mL:

Tabela 5. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 250µg/mL:

Posologia do&nbsp;Ultiva

{"tag":"hr","value":" <p>A dosagem de Ultiva depende da opera&#xE7;&#xE3;o que voc&#xEA; vai fazer. Seu m&#xE9;dico saber&#xE1; utilizar a dose adequada.</p> <h3>Adultos</h3> <p>A tabela seguinte resume a velocidade de infus&#xE3;o inicial e a dosagem.</p> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para adultos</h4> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fcaa6dc4c3000887dec3/original_ultiva-6-consulta-remedios.jpg?1497889961\" style=\"width:100%\">* CAM = concentra&#xE7;&#xE3;o alveolar m&#xED;nima.</img></p> <p>O tempo de administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva em bolus na indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia n&#xE3;o deve ser menor que 30 segundos.</p> <p>Nas doses recomendadas, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/isoflurano/bula\" target=\"_blank\">isoflurano</a> e o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/propofol/bula\" target=\"_blank\">propofol</a> como descrito acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre as dosagens recomend&#xE1;veis para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos e de remifentanila.</p> <h4>Indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>O m&#xE9;dico deve administrar Ultiva com um agente hipn&#xF3;tico, como propofol, tiopental ou isoflurano, na indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia. A velocidade de infus&#xE3;o pode ser de 0,5 a 1 &#xB5;g/kg/min, com ou sem bolus de infus&#xE3;o inicial de 1 &#xB5;g/kg, por no m&#xED;nimo 30 segundos. Se o m&#xE9;dico previr a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal (introdu&#xE7;&#xE3;o de tubo na traqu&#xE9;ia) entre 8 e 10 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o de Ultiva, o bolus n&#xE3;o ser&#xE1; necess&#xE1;rio.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, o m&#xE9;dico deve diminuir a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de acordo com a t&#xE9;cnica anest&#xE9;sica, como foi indicado na tabela acima. Devido ao in&#xED;cio r&#xE1;pido e &#xE0; curta dura&#xE7;&#xE3;o da a&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico pode ajustar a velocidade de administra&#xE7;&#xE3;o durante a anestesia em incrementos de 25% a 100% ou diminui&#xE7;&#xF5;es de 25% a 50%, a intervalos de 2 a 5 minutos, para obter o n&#xED;vel desej&#xE1;vel de resposta &#xB5;-opi&#xE1;cea. Em resposta &#xE0; anestesia leve, infus&#xF5;es suplementares na forma de bolus podem ser administradas a intervalos de 2 a 5 minutos.</p> <h4>Anestesia de pacientes que respiram sem ajuda de aparelhos e com via a&#xE9;rea protegida (por m&#xE1;scara lar&#xED;ngea, por exemplo)</h4> <p>Os pacientes anestesiados que respiram sem ajuda de aparelhos e com via a&#xE9;rea protegida podem ter <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/depressao/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">depress&#xE3;o</a> respirat&#xF3;ria. Se isso ocorrer, o m&#xE9;dico deve ter cuidado especial para ajustar a dose &#xE0;s necessidades do paciente, e talvez seja preciso auxiliar a respira&#xE7;&#xE3;o por meio de aparelho. A taxa de infus&#xE3;o inicial recomend&#xE1;vel para analgesia suplementar de pacientes anestesiados que respiram espontaneamente &#xE9; de 0,04 &#xB5;g/kg/min, e o m&#xE9;dico deve ajust&#xE1;-la at&#xE9; obter o efeito desejado. Estudouse uma varia&#xE7;&#xE3;o de velocidades de infus&#xE3;o de 0,025 a 0,1 &#xB5;g/kg/min. N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o de bolus em pacientes anestesiados que respiram sem ajuda de aparelhos.</p> <h4>Continua&#xE7;&#xE3;o at&#xE9; o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio imediato</h4> <p>Caso o m&#xE9;dico n&#xE3;o inicie a analgesia de longa dura&#xE7;&#xE3;o antes do final da cirurgia, pode ser necess&#xE1;ria a administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva para mant&#xEA;-la durante o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio imediato at&#xE9; que o analg&#xE9;sico de longa dura&#xE7;&#xE3;o atinja o efeito m&#xE1;ximo.</p> <p>Os pacientes ventilados mecanicamente (ou seja, que respiram com ajuda de aparelhos), o m&#xE9;dico deve ajustar a velocidade de infus&#xE3;o at&#xE9; atingir o efeito desejado.</p> <p>Nos pacientes que respiram de forma espont&#xE2;nea, o m&#xE9;dico deve diminuir a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva, inicialmente, para 0,1 &#xB5;g/kg/min. A velocidade de infus&#xE3;o pode ent&#xE3;o ser aumentada ou diminu&#xED;da, no m&#xE1;ximo em 0,025 &#xB5;g/kg/min, a intervalos de 5 minutos, para ajustar o n&#xED;vel de analgesia&amp;nbsp;ou a frequ&#xEA;ncia respirat&#xF3;ria do paciente. Ultivadever&#xE1; ser administrado apenas em ambientes completamente equipados para monitoramento e suporte das fun&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias e cardiovasculares, sob restrita supervis&#xE3;o de profissionais especificamente treinados no reconhecimento e no controle dos efeitos adversos esperados dos opioides potentes.</p> <p>N&#xE3;o se recomenda o uso de inje&#xE7;&#xF5;es de bolus de Ultiva para tratar a dor, durante o per&#xED;odo p&#xF3;soperat&#xF3;rio, de pacientes que respiram espontaneamente.</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Ultiva diminui as quantidades de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/anestesicos/c\" target=\"_blank\">anest&#xE9;sicos</a> vol&#xE1;teis, hipn&#xF3;ticos ou benzodiazep&#xED;nicos necess&#xE1;rias&amp;nbsp;para promover a anestesia.</p> <p>As doses de alguns agentes utilizados em anestesia, como isoflurano, tiopental, propofol e temazepam,&amp;nbsp;atingiram redu&#xE7;&#xE3;o de 75% quando usadas com a remifentanila.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Devido &#xE0; cessa&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pida da a&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, n&#xE3;o haver&#xE1; nenhuma atividade opi&#xE1;cea residual de 5 a 10 minutos ap&#xF3;s a sua descontinua&#xE7;&#xE3;o (suspens&#xE3;o). Se voc&#xEA; for submetido a procedimentos cir&#xFA;rgicos nos quais se espera a ocorr&#xEA;ncia de dor p&#xF3;s-operat&#xF3;ria, seu m&#xE9;dico dever&#xE1; administrar-lhe <a href=\"https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/analgesicos/c\" target=\"_blank\">analg&#xE9;sicos</a> antes ou imediatamente ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva. Ser&#xE1; preciso esperar o tempo necess&#xE1;rio para que os analg&#xE9;sicos de longa dura&#xE7;&#xE3;o atinjam o efeito m&#xE1;ximo. O m&#xE9;dico deve escolher o analg&#xE9;sico de acordo com o procedimento cir&#xFA;rgico e o n&#xED;vel de cuidados p&#xF3;s-operat&#xF3;rios.</p> <h3>Crian&#xE7;as (de 1 a 12 anos de idade)</h3> <h4>Indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>N&#xE3;o existem dados suficientes para fazer recomenda&#xE7;&#xF5;es de dosagem.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <h5>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para manuten&#xE7;&#xE3;o de anestesia em pacientes pedi&#xE1;tricos (1-12 anos de idade)</h5> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fd066dc4c3000f87dee1/original_ultiva-7-consulta-remedios.jpg?1497890053\" style=\"width:100%\"/></p> <p>Quando o m&#xE9;dico administrar Ultivaem bolus, a infus&#xE3;o deve ser, no m&#xED;nimo, de 30 segundos. Caso&amp;nbsp;n&#xE3;o tenha administrado uma dose simult&#xE2;nea de bolus, ele s&#xF3; deve come&#xE7;ar a cirurgia pelo menos 5 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o de Ultiva. Os pacientes pedi&#xE1;tricos precisam ser monitorados e a dose ajustada para a profundidade de analgesia apropriada ao procedimento cir&#xFA;rgico.</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Nas doses recomendadas acima, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o isoflurano, o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/halotano/bula\" target=\"_blank\">halotano</a> e o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sevoflurano/bula\" target=\"_blank\">sevoflurano</a> de acordo com as instru&#xE7;&#xF5;es constantes da tabela acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre dosagens recomend&#xE1;veis para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos e da remifentanila.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o da infus&#xE3;o, a compensa&#xE7;&#xE3;o do efeito analg&#xE9;sico de Ultiva &#xE9; r&#xE1;pida e similar &#xE0; dos pacientes adultos. O m&#xE9;dico deve prever a necessidade e efetuar a administra&#xE7;&#xE3;o de analg&#xE9;sicos apropriados para o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio.</p> <h3>Neonatos (beb&#xEA;s de at&#xE9; 28 dias) e crian&#xE7;as (menores de 1 ano)</h3> <p>O perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila em neonatos e crian&#xE7;as menores de 1 ano de idade &#xE9; compar&#xE1;vel ao dos pacientes adultos ap&#xF3;s as corre&#xE7;&#xF5;es das diferen&#xE7;as de peso corporal. Entretanto, n&#xE3;o existem dados cl&#xED;nicos suficientes para estabelecer dosagens adequadas a essa faixa et&#xE1;ria.</p> <h3>Anestesia card&#xED;aca de adultos</h3> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para anestesia card&#xED;aca</h4> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fd416dc4c3000887dec5/original_ultiva-8-consulta-remedios.jpg?1497890112\" style=\"width:100%\"/></p> <h4>Per&#xED;odo de indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o do hipn&#xF3;tico at&#xE9; o come&#xE7;o da perda da consci&#xEA;ncia, o m&#xE9;dico deve administrar Ultiva em velocidade inicial de infus&#xE3;o de 1 &#xB5;g/kg/min. N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o em bolus de Ultiva durante a indu&#xE7;&#xE3;o, em cirurgia card&#xED;aca. A entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal s&#xF3; deve ser feita 5 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o.</p> <h4>Per&#xED;odo de manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, o m&#xE9;dico deve ajustar a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de acordo com a condi&#xE7;&#xE3;o do paciente. Doses suplementares de bolus tamb&#xE9;m podem ser administradas conforme a necessidade. Para pacientes card&#xED;acos de alto risco, como os que apresentam fun&#xE7;&#xE3;o ventricular deficiente, dose m&#xE1;xima em bolus &#xE9; de 0,5 &#xB5;g/kg. Essas recomenda&#xE7;&#xF5;es de dosagem tamb&#xE9;m se aplicam durante a perman&#xEA;ncia na circula&#xE7;&#xE3;o extracorp&#xF3;rea (m&#xE1;quina que mant&#xE9;m a circula&#xE7;&#xE3;o do sangue enquanto o cora&#xE7;&#xE3;o est&#xE1; parado).</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Nas doses recomendadas acima, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o isoflurano e o propofol conforme instru&#xE7;&#xF5;es constantes da tabela acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre dosagens recomendadas para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos de remifentanila.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da analgesia p&#xF3;s-operat&#xF3;ria antes da extuba&#xE7;&#xE3;o (retirada do tubo localizado na traqu&#xE9;ia e que auxilia a respira&#xE7;&#xE3;o durante a cirurgia)</h4> <p>Recomenda-se que a infus&#xE3;o de Ultiva se mantenha no n&#xED;vel final intraoperat&#xF3;rio durante a transfer&#xEA;ncia do paciente para a &#xE1;rea de recupera&#xE7;&#xE3;o p&#xF3;s-anest&#xE9;sica. Quando o paciente chegar a essa &#xE1;rea, o m&#xE9;dico deve fazer monitoramento estrito do n&#xED;vel de analgesia e de seda&#xE7;&#xE3;o, assim como ajustar a velocidade de infus&#xE3;o &#xE0;s necessidades particulares do paciente.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Antes da descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico deve administrar agentes <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/sedativos/c\" target=\"_blank\">sedativos</a> e analg&#xE9;sicos alternativos com anteced&#xEA;ncia suficiente. A escolha e a dose do analg&#xE9;sico devem adequar-se ao n&#xED;vel de cuidados p&#xF3;s-operat&#xF3;rios requeridos pelo paciente.</p> <p>Recomenda-se que o m&#xE9;dico descontinue a infus&#xE3;o de Ultiva reduzindo a velocidade em 25%, a intervalos de pelo menos 10 minutos, at&#xE9; faz&#xEA;-la cessar completamente. Durante a retirada do ventilador mec&#xE2;nico, o m&#xE9;dico n&#xE3;o deve aumentar a infus&#xE3;o de Ultiva fazendo apenas ajustes de diminui&#xE7;&#xE3;o e suplementando o procedimento com analg&#xE9;sicos alternativos conforme a necessidade.</p> <p>Recomenda-se que altera&#xE7;&#xF5;es hemodin&#xE2;micas, como hipertens&#xE3;o e taquicardia, sejam tratadas com agentes alternativos apropriados.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca pedi&#xE1;trica</h4> <p>N&#xE3;o existem dados suficientes para recomendar o uso de Ultiva durante cirurgias card&#xED;acas pedi&#xE1;tricas.</p> <h4>Unidade de terapia intensiva</h4> <p>A infus&#xE3;o de Ultiva controlada por alvo (TCI, ou <em>target controlled infusion</em>) n&#xE3;o foi estudada em pacientes sob terapia intensiva.</p> <h3>Adultos</h3> <p>Ultiva pode ser usado isoladamente, de in&#xED;cio, para promover analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o em pacientes mecanicamente ventilados (que respiram atrav&#xE9;s de aparelhos) internados em unidade de terapia intensiva (UTI).</p> <p>Recomenda-se que a administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva tenha in&#xED;cio na velocidade de infus&#xE3;o de 0,1 a 0,15 &#xB5;g/kg/min. Essa velocidade deve ser ajustada em incrementos de 0,025 &#xB5;g/kg/min at&#xE9; atingir o n&#xED;vel ideal de analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o. O m&#xE9;dico deve manter um intervalo m&#xED;nimo de 5 minutos entre os ajustes de dose. O n&#xED;vel de analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o deve ser cuidadosamente monitorado e reavaliado com regularidade, ajustando-se adequadamente a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva. Se o n&#xED;vel de seda&#xE7;&#xE3;o desej&#xE1;vel n&#xE3;o for alcan&#xE7;ado com a velocidade de infus&#xE3;o de 0,2 &#xB5;g/kg/min, recomenda-se a administra&#xE7;&#xE3;o de um agente sedativo apropriado. O m&#xE9;dico deve ajustar a dose do agente sedativo at&#xE9; obter o n&#xED;vel ideal de seda&#xE7;&#xE3;o. Pode-se efetuar aumentos posteriores da velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva em incrementos de 0,025 &#xB5;g/kg/min caso seja necess&#xE1;ria a analgesia adicional.</p> <p>Ultiva tem sido estudado em pacientes de UTI durante pesquisas cl&#xED;nicas bem controladas por at&#xE9; tr&#xEA;s dias. Os dados adicionais de estudos cl&#xED;nicos feitos durante per&#xED;odos mais longos s&#xE3;o limitados. A tabela abaixo resume a velocidade de infus&#xE3;o inicial e a faixa t&#xED;pica de dosagens de analgesia e&amp;nbsp;seda&#xE7;&#xE3;o para cada paciente.</p> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para pacientes sob terapia intensiva</h4> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td colspan=\"2\" style=\"text-align:center\"><strong>Infus&#xE3;o cont&#xED;nua &#xB5;g/kg/min</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:551px\"><strong>Velocidade inicial</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:554px\"><strong>Faixa</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:551px\">0,1 a 0,15</td> <td style=\"text-align:center; width:554px\">0,006 a 0,74</td> </tr> </tbody> </table> <p>O uso de Ultiva pode reduzir a necessidade de administra&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea de qualquer outro agente sedativo. As dosagens iniciais t&#xED;picas de agentes sedativos, se necess&#xE1;rio, s&#xE3;o dadas abaixo.N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o de dose de Ultiva em bolus nas unidades de terapia intensiva.</p> <h4>Dosagem inicial recomendada de agentes sedativos (se necess&#xE1;rios)</h4> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center\"><strong>Agente sedativo</strong></td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Bolus (mg/kg)</strong></td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Infus&#xE3;o (mg/kg/h)</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">Propofol</td> <td style=\"text-align:center\">At&#xE9; 0,5</td> <td style=\"text-align:center\">0,5</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">Midazolam</td> <td style=\"text-align:center\">At&#xE9; 0,03</td> <td style=\"text-align:center\">0,03</td> </tr> </tbody> </table> <h4>Analgesia adicional de pacientes ventilados submetidos a procedimentos estimulantes</h4> <p>Pode ser necess&#xE1;rio aumentar a velocidade de infus&#xE3;o pr&#xE9;-estabelecida de Ultiva para controlar a dor de pacientes em ventila&#xE7;&#xE3;o mec&#xE2;nica submetidos a procedimentos estimulantes e/ou dolorosos, como suc&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, troca de curativo e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/fisioterapia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">fisioterapia</a>. Recomenda-se manter velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de no m&#xED;nimo 0,1 &#xB5;g/kg/min por pelo menos 5 minutos antes do in&#xED;cio do procedimento estimulante. O m&#xE9;dico deve fazer ajustes de dose posteriores, a intervalos de 2 a 5 minutos e em incrementos de 25% a 50%, como antecipa&#xE7;&#xE3;o ou resposta &#xE0; necessidade de analgesia adicional. Para fornecer maior anestesia durante os procedimentos estimulantes, tem-se usado a velocidade de infus&#xE3;o m&#xE9;dia de 0,25 &#xB5;g/kg/min e m&#xE1;xima de 0,75 &#xB5;g/kg/min.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Antes da descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico deve administrar agentes sedativos e analg&#xE9;sicos alternativos com anteced&#xEA;ncia suficiente. A escolha do agente apropriado e das doses deve ser feita antecipadamente. Para assegurar a superficializa&#xE7;&#xE3;o suave do regime &#xE0; base de Ultiva, recomenda-se o ajuste da velocidade de infus&#xE3;o em est&#xE1;gios de 0,1 &#xB5;g/kg/min, por at&#xE9; 1 hora, antes da extuba&#xE7;&#xE3;o. Ap&#xF3;s a retirada do tubo da traqu&#xE9;ia, o m&#xE9;dico deve reduzir a velocidade de infus&#xE3;o em decr&#xE9;scimos de 25%, a intervalos de no m&#xED;nimo 10 minutos, at&#xE9; descontinuar a infus&#xE3;o. Durante a retirada do ventilador mec&#xE2;nico, n&#xE3;o se deve aumentar a infus&#xE3;o de Ultiva, fazendo-se somente ajustes de diminui&#xE7;&#xE3;o, suplementados com analg&#xE9;sicos alternativos, conforme a necessidade.</p> <h4>Crian&#xE7;as na unidade de terapia intensiva</h4> <p>N&#xE3;o existem dados dispon&#xED;veis sobre o uso de Ultiva em pacientes pedi&#xE1;tricos.</p> <h3>Idosos (acima de 65 anos)</h3> <h4>Anestesia geral</h4> <p>A dose inicial de remifentanila administrada a pacientes maiores de 65 anos de idade deve conter a metade da recomendada a adultos, sendo depois ajustada &#xE0;s necessidades do paciente, uma vez que h&#xE1; aumento de sensibilidade aos efeitos farmacol&#xF3;gicos do medicamento entre os idosos. Esse ajuste de dosagem se aplica a todas as fases da anestesia, inclusive indu&#xE7;&#xE3;o, manuten&#xE7;&#xE3;o e analgesia p&#xF3;soperat&#xF3;ria.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <h4>Unidade de terapia intensiva</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <h3>Obesos</h3> <p>Recomenda-se a redu&#xE7;&#xE3;o da dosagem de Ultiva para pacientes obesos com base no peso ideal, pois o <em>clearance</em> (capacidade de elimina&#xE7;&#xE3;o do medicamento pelo organismo) e o volume de distribui&#xE7;&#xE3;o da remifentanila est&#xE3;o mais bem correlacionados com o peso ideal do que com o peso real nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <h3>Pacientes com insufici&#xEA;ncia renal</h3> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;rio nenhum ajuste de dose para pacientes com insufici&#xEA;ncia renal (mau funcionamento do rim), uma vez que o perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila permanece inalterado nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <h3>Pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h3> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;rio nenhum ajuste de dose para pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica (mau funcionamento do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a>), uma vez que o perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila permanece inalterado nessa popula&#xE7;&#xE3;o. Entretanto, os pacientes com insufici&#xEA;ncia grave podem ser levemente mais sens&#xED;veis ao efeito depressor do sistema respirat&#xF3;rio provocado pela remifentanila. O m&#xE9;dico deve monitorar cuidadosamente esses pacientes, ajustando a dose do medicamento &#xE0;s necessidades deles.</p> <h3>Pacientes submetidos a neurocirurgia</h3> <p>As experi&#xEA;ncias cl&#xED;nicas com pacientes submetidos a neurocirurgia, embora limitadas, mostraram que n&#xE3;o s&#xE3;o necess&#xE1;rias dosagens especiais.</p> <h3>Pacientes ASA III/IV</h3> <h4>Anestesia geral</h4> <p>Uma vez que se espera que os efeitos hemodin&#xE2;micos dos opi&#xE1;ceos potentes sejam mais pronunciados nos pacientes classificados pelos crit&#xE9;rios da Sociedade Americana de Anestesiologistas (ASA, na sigla em ingl&#xEA;s) como de n&#xED;vel III (com doen&#xE7;a sist&#xEA;mica grave) ou IV (doen&#xE7;a sist&#xEA;mica grave com constante risco de morte), o m&#xE9;dico deve ter cautela na administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>Recomenda-se a redu&#xE7;&#xE3;o da dosagem inicial e ajuste de acordo com o efeito.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o do seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento.</strong></p> <p><strong>N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m&#xE9;dico.</strong></p> <h2>O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Ultiva?</h2> <hr> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> </hr>"}

Quais cuidados devo ter ao usar o Ultiva?

Se você responder “sim” a qualquer uma das perguntas a seguir, informe seu médico sobre esse assunto antes da operação:

  • <li>Voc&#xEA; j&#xE1; teve alguma rea&#xE7;&#xE3;o adversa, ou seja rea&#xE7;&#xE3;o indesej&#xE1;vel durante uma opera&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Voc&#xEA; sabe se &#xE9; al&#xE9;rgico a algum medicamento usado durante uma opera&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Voc&#xEA; j&#xE1; teve algum problema de respira&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Os batimentos do seu cora&#xE7;&#xE3;o s&#xE3;o lentos ou irregulares?</li> <li>Voc&#xEA; sabe se sua press&#xE3;o arterial &#xE9; baixa?</li> <li>Voc&#xEA; tomou recentemente outros tipos de medicamento conhecidos, como betabloqueadores ou bloqueadores dos canais de c&#xE1;lcio?</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; gr&#xE1;vida ou pretende engravidar em breve?</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; amamentando?</li>

Ultiva deve ser administrado somente no hospital, onde há equipamentos para monitorar e manter as funções da respiração, do coração e dos vasos sanguíneos. Apenas o profissional treinado no uso de anestésicos deve administrar Ultiva, pois é importante que saiba reconhecer as possíveis reações adversas ao medicamento e agir de forma correta caso uma delas ocorra. Ele também deve ter sido treinado na abertura das vias respiratórias e sua manutenção e na ventilação assistida.

Como todos os outros medicamentos da mesma classe, Ultiva não é recomendável como agente único na anestesia geral.

Se você tiver rigidez muscular causada por Ultiva, um profissional de saúde capacitado deve tomar as medidas de suporte adequadas para sua condição clínica. Ele pode administrar outros medicamentos para tratar essa reação, se for intensa, ou diminuir a velocidade de uso Ultiva e até interrompê-lo (neste caso, a rigidez muscular é resolvida em alguns minutos).

Ultiva deve ser administrado somente em locais com equipamentos para monitorar e tratar os possíveis casos de depressão respiratória (comprometimento da respiração). O tratamento deve ser feito por pessoa capacitada e inclui a diminuição da velocidade de infusão ou sua interrupção temporária. É importante que o paciente recupere totalmente a consciência e a respiração espontânea antes de ser liberado da sala de recuperação anestésica.

Pode ocorrer de algum efeito adverso afetar sua pressão arterial e seu coração, como queda de pressão e diminuição da frequência dos batimentos cardíacos. Esses efeitos podem ser controlados pela redução da velocidade da infusão de Ultiva ou da dose dos anestésicos utilizados em conjunto ou ainda pela administração intravenosa (na veia) de outros medicamentos apropriados.

Em certos tipos de cirurgia o paciente pode sentir dor após a operação logo que Ultiva é suspenso.

Nesses casos, é necessário o uso de medicamentos para alívio da dor antes ou logo depois da interrupção de Ultiva. O médico deve fazer a escolha adequada do medicamento de acordo com a cirurgia e o nível de cuidados exigidos no período pós-operatório.

A administração de Ultiva deve ser feita com equipamento exclusivo para evitar que resíduos do medicamento permaneçam na linha de infusão ou no equipo, se estes forem utilizados para fluidos ou outras drogas, e provoquem reações adversas.

Assim como outros medicamentos da mesma classe, Ultiva pode causar dependência.

Pacientes com hipersensibilidade conhecida a opioides de diferentes classes podem apresentar reação seguida da administração de Ultiva. Recomenda-se cautela antes do uso de remifentanila nesses pacientes.

Uso em pacientes com problemas nos rins

Não é necessário ajustar a dose de Ultiva para esses pacientes.

Uso em pacientes com problemas de fígado

Esses pacientes podem ser um pouco mais sensíveis à depressão respiratória causada por Ultiva e o médico deve monitorá-los de perto. Deve também ajustar a dose de Ultiva de acordo com as necessidades de cada paciente.

Este medicamento pode causar doping.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Ultiva?

As reações adversas mais frequentemente observadas com o uso de Ultiva são a continuação dos&nbsp;efeitos farmacológicos característicos dos medicamentos dessa classe.

Essas reações adversas são revertidas minutos após a interrupção ou a diminuição da velocidade de administração de Ultiva.

Reações muito comuns (ocorrem em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Rigidez dos m&#xFA;sculos esquel&#xE9;ticos (que est&#xE3;o sobre os ossos e as cartilagens);</li> <li>Press&#xE3;o baixa;</li> <li>N&#xE1;usea (enjoo);</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">V&#xF4;mito</a>.</li>

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia dos batimentos card&#xED;acos;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">Press&#xE3;o alta</a> ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Depress&#xE3;o respirat&#xF3;ria aguda, que compromete o funcionamento da respira&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Apneia (suspens&#xE3;o ou aus&#xEA;ncia de respira&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Coceira;</li> <li>Calafrios ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o.</li>

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Baixos n&#xED;veis de oxig&#xEA;nio no organismo;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">Pris&#xE3;o de ventre</a>;</li> <li>Dores ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o.</li>

Reações raras (ocorrem de 0,01% a 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Seda&#xE7;&#xE3;o (durante o per&#xED;odo de recupera&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s a anestesia geral);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas, inclusive <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-anafilaxia-reacao-anafilatica-sintomas-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">anafilaxia</a> (que &#xE9; uma rea&#xE7;&#xE3;o grave e generalizada)*;</li> <li>Parada abrupta do cora&#xE7;&#xE3;o, geralmente precedida de diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia dos batimentos card&#xED;acos*.</li>

*Essas reações adversas foram relatadas quando houve administração de Ultiva em conjunto com um ou mais agentes anestésicos.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC) pelo telefone 0800 701 22 33.&nbsp;

População Especial

Uso em pacientes idosos

O médico deve reduzir a dose inicial de Ultiva nos idosos e depois ajustá-la cuidadosamente de acordo com as necessidades de cada paciente.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

O paciente só poderá dirigir veículos e operar máquinas algum tempo após o término da administração de Ultiva, isto é, quando os efeitos do medicamento forem eliminados. Esta orientação fica a critério médico.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e sua atenção podem estar prejudicadas.

Gravidez e lactação

Ultiva somente deve ser utilizado em mulheres grávidas quando, a critério do médico, os benefícios potenciais para a mãe superarem os possíveis riscos para o feto. O uso deste medicamento também não é recomendável durante trabalhos de parto nem cesarianas.

Seu médico deve ter cuidado ao administrar Ultiva se você estiver amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Qual a composição do Ultiva?

Apresentação

Pó liófilo a ser reconstituído antes do uso, para injeção intravenosa, na seguinte concentração:

Ultiva&nbsp;2 mg – embalagem com 5 frascos-ampola.

Uso intravenoso.

Uso adulto e pediátrico acima de 1 ano de idade.

Composição

Cada frasco-ampola de 2mg de Ultiva&nbsp;contém:
{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:645px\"><a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-remifentanila/bula\" target=\"_blank\">Cloridrato de remifentanila</a> (equivalente a 2mg de remifentanila)</td> <td style=\"text-align:center; width:581px\">2,194mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:645px\">Excipientes*</td> <td style=\"text-align:center; width:581px\">1 frasco-ampola</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

*Excipientes: glicina, ácido clorídrico.

Diluente: água para injeção.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Ultiva maior do que a recomendada?

Devido à ação muito curta de Ultiva, o potencial de efeitos nocivos no caso de superdosagem está limitado ao período imediatamente posterior à administração do medicamento. Com a interrupção da administração, retorno à condição normal é rápido (10 minutos).

No caso de superdosagem ou suspeita de superdosagem, o médico deve conduzir os procedimentos necessários para o tratamento do caso. Ele deve tomar as seguintes medidas: interromper a administração de Ultiva, manter as vias respiratórias desobstruídas, iniciar ventilação assistida ou controlada com oxigênio e manter as funções relacionadas ao coração em níveis adequados. Se houver comprometimento da respiração associado com rigidez dos músculos, o médico poderá aplicar um bloqueador neuromuscular para facilitar a respiração assistida (por uso de aparelhos) ou controlada. Se ocorrer pressão baixa, outros medicamentos e medidas apropriadas podem ser utilizados no tratamento.

É possível administrar, por via intravenosa (na veia), um medicamento da classe dos antagonistas opiáceos, como a naloxona, como antídoto específico no controle da depressão respiratória grave e da rigidez dos músculos. O médico saberá indicar o tratamento adequado para cada caso.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento se possível.

5mg, caixa com 5 frascos-ampolas com pó para solução de uso intravenoso (embalagem hospitalar)

Princípio ativo
:
Cloridrato De Remifentanila
Classe Terapêutica
:
Anestésicos Gerais Injetáveis
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
A1 Amarela (Dispensação Sob Prescrição Médica Restrito a Hospitais - Este medicamento pode causar Dependência Física ou Psíquica)
Categoria
:
Anestésicos
Especialidade
:
Anestesiologia, Cirurgia cardiovascular e Cirurgia geral

Bula do medicamento

Ultiva, para o que é indicado e para o que serve?

Ultiva&nbsp;é um medicamento indicado para produzir ou manter a anestesia durante cirurgias, inclusive a do coração, e para o alívio da dor imediatamente após a operação. Ultiva&nbsp;também é indicado para promover alívio da dor e sedação em pacientes mecanicamente ventilados (ou seja, que respiram com ajuda de aparelhos) em unidade de terapia intensiva (UTI).

Como o Ultiva funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Ultiva&amp;nbsp;apresenta como subst&#xE2;ncia ativa a remifentanila, que pertence a um grupo de medicamentos chamados de agonistas opioides. Esses medicamentos s&#xE3;o capazes de promover anestesia, assim como al&#xED;vio da dor e seda&#xE7;&#xE3;o, durante as cirurgias. A remifentanila tem in&#xED;cio de a&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pido, e seu efeito &#xE9; curto.</p> "}

Quais as contraindicações do Ultiva?

O uso de Ultiva não é indicado caso você tenha sensibilidade conhecida à remifentanila, a outros&nbsp;compostos semelhantes ou a qualquer componente da formulação.

O médico não deve administrar Ultiva&nbsp;por via epidural, um tipo de anestesia em que a injeção é aplicada nas costas e serve principalmente para aliviar as dores do parto. Este medicamento também não pode ser usado por via intratecal (no espaço entre duas membranas que revestem o cérebro, chamado de espaço subaracnoide).A administração de Ultiva deve ser feita somente por via intravenosa, ou seja, no interior de uma veia.

Este medicamento é contraindicado para menores de 1 ano de idade.

Gravidez e lactação

O médico somente deve utilizar Ultiva&nbsp;em mulheres grávidas quando os benefícios potenciais para a mãe superarem os possíveis riscos para o feto.

Deve haver cuidado na administração de Ultiva&nbsp;a mulheres que estejam amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e sua atenção podem estar prejudicadas.

Como usar o Ultiva?

Ultiva deve ser utilizado somente por via intravenosa, ou seja, no interior de uma veia.

O médico não deve administrar Ultiva por via epidural, um tipo de anestesia em que a injeção é aplicada nas costas e serve principalmente para aliviar as dores do parto. Também não deve ser usado por via intratecal, isto é, injetado no espaço compreendido entre as membranas que revestem o cérebro, o chamado espaço subaracnoide.

Ultiva sempre deve ser utilizado no ambiente hospitalar e por um profissional habilitado, que tenha treinamento adequado para usar o medicamento e controlar os efeitos adversos que podem manifestar-se.

O médico deve utilizá-lo somente com equipamentos capazes de monitorar e manter as funções do seu organismo, como as respiratórias e as relacionadas ao coração.

Ultiva permanece estável por 24 horas, em temperatura ambiente (25ºC), após a reconstituição e a posterior diluição entre 20 e 250 µg/mL (50 µg/mL é a diluição adequada para adultos e 20-25 µg/mL para crianças maiores de 1 ano de idade). Recomenda-se uma das seguintes soluções para administração intravenosa:

  • <li>&#xC1;gua est&#xE9;ril para inje&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de <a href="https://consultaremedios.com.br/glicose/bula" target="_blank">glicose</a> a 5%;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o glicofisiol&#xF3;gica a 5% (solu&#xE7;&#xE3;o de glicose a 5% e de <a href="https://consultaremedios.com.br/cloreto-de-sodio/bula" target="_blank">cloreto de s&#xF3;dio</a> a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o fisiol&#xF3;gica (solu&#xE7;&#xE3;o de cloreto de s&#xF3;dio a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%.</li>

Ultiva só deve ser administrado com as soluções para infusão mostradas acima.

Ultiva não deve ser misturado a outros medicamentos antes da administração.

As tabelas seguintes fornecem instruções sobre as velocidades de infusão de Ultiva.

Tabela 1. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/kg/h):

Tabela 2. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 20 µg/mL:

Tabela 3. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 25µg/mL:

Tabela 4. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 50µg/mL:

Tabela 5. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 250µg/mL:

Posologia do&nbsp;Ultiva

{"tag":"hr","value":" <p>A dosagem de Ultiva depende da opera&#xE7;&#xE3;o que voc&#xEA; vai fazer. Seu m&#xE9;dico saber&#xE1; utilizar a dose adequada.</p> <h3>Adultos</h3> <p>A tabela seguinte resume a velocidade de infus&#xE3;o inicial e a dosagem.</p> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para adultos</h4> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fcaa6dc4c3000887dec3/original_ultiva-6-consulta-remedios.jpg?1497889961\" style=\"width:100%\">* CAM = concentra&#xE7;&#xE3;o alveolar m&#xED;nima.</img></p> <p>O tempo de administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva em bolus na indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia n&#xE3;o deve ser menor que 30 segundos.</p> <p>Nas doses recomendadas, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/isoflurano/bula\" target=\"_blank\">isoflurano</a> e o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/propofol/bula\" target=\"_blank\">propofol</a> como descrito acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre as dosagens recomend&#xE1;veis para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos e de remifentanila.</p> <h4>Indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>O m&#xE9;dico deve administrar Ultiva com um agente hipn&#xF3;tico, como propofol, tiopental ou isoflurano, na indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia. A velocidade de infus&#xE3;o pode ser de 0,5 a 1 &#xB5;g/kg/min, com ou sem bolus de infus&#xE3;o inicial de 1 &#xB5;g/kg, por no m&#xED;nimo 30 segundos. Se o m&#xE9;dico previr a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal (introdu&#xE7;&#xE3;o de tubo na traqu&#xE9;ia) entre 8 e 10 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o de Ultiva, o bolus n&#xE3;o ser&#xE1; necess&#xE1;rio.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, o m&#xE9;dico deve diminuir a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de acordo com a t&#xE9;cnica anest&#xE9;sica, como foi indicado na tabela acima. Devido ao in&#xED;cio r&#xE1;pido e &#xE0; curta dura&#xE7;&#xE3;o da a&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico pode ajustar a velocidade de administra&#xE7;&#xE3;o durante a anestesia em incrementos de 25% a 100% ou diminui&#xE7;&#xF5;es de 25% a 50%, a intervalos de 2 a 5 minutos, para obter o n&#xED;vel desej&#xE1;vel de resposta &#xB5;-opi&#xE1;cea. Em resposta &#xE0; anestesia leve, infus&#xF5;es suplementares na forma de bolus podem ser administradas a intervalos de 2 a 5 minutos.</p> <h4>Anestesia de pacientes que respiram sem ajuda de aparelhos e com via a&#xE9;rea protegida (por m&#xE1;scara lar&#xED;ngea, por exemplo)</h4> <p>Os pacientes anestesiados que respiram sem ajuda de aparelhos e com via a&#xE9;rea protegida podem ter <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/depressao/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">depress&#xE3;o</a> respirat&#xF3;ria. Se isso ocorrer, o m&#xE9;dico deve ter cuidado especial para ajustar a dose &#xE0;s necessidades do paciente, e talvez seja preciso auxiliar a respira&#xE7;&#xE3;o por meio de aparelho. A taxa de infus&#xE3;o inicial recomend&#xE1;vel para analgesia suplementar de pacientes anestesiados que respiram espontaneamente &#xE9; de 0,04 &#xB5;g/kg/min, e o m&#xE9;dico deve ajust&#xE1;-la at&#xE9; obter o efeito desejado. Estudouse uma varia&#xE7;&#xE3;o de velocidades de infus&#xE3;o de 0,025 a 0,1 &#xB5;g/kg/min. N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o de bolus em pacientes anestesiados que respiram sem ajuda de aparelhos.</p> <h4>Continua&#xE7;&#xE3;o at&#xE9; o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio imediato</h4> <p>Caso o m&#xE9;dico n&#xE3;o inicie a analgesia de longa dura&#xE7;&#xE3;o antes do final da cirurgia, pode ser necess&#xE1;ria a administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva para mant&#xEA;-la durante o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio imediato at&#xE9; que o analg&#xE9;sico de longa dura&#xE7;&#xE3;o atinja o efeito m&#xE1;ximo.</p> <p>Os pacientes ventilados mecanicamente (ou seja, que respiram com ajuda de aparelhos), o m&#xE9;dico deve ajustar a velocidade de infus&#xE3;o at&#xE9; atingir o efeito desejado.</p> <p>Nos pacientes que respiram de forma espont&#xE2;nea, o m&#xE9;dico deve diminuir a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva, inicialmente, para 0,1 &#xB5;g/kg/min. A velocidade de infus&#xE3;o pode ent&#xE3;o ser aumentada ou diminu&#xED;da, no m&#xE1;ximo em 0,025 &#xB5;g/kg/min, a intervalos de 5 minutos, para ajustar o n&#xED;vel de analgesia&amp;nbsp;ou a frequ&#xEA;ncia respirat&#xF3;ria do paciente. Ultivadever&#xE1; ser administrado apenas em ambientes completamente equipados para monitoramento e suporte das fun&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias e cardiovasculares, sob restrita supervis&#xE3;o de profissionais especificamente treinados no reconhecimento e no controle dos efeitos adversos esperados dos opioides potentes.</p> <p>N&#xE3;o se recomenda o uso de inje&#xE7;&#xF5;es de bolus de Ultiva para tratar a dor, durante o per&#xED;odo p&#xF3;soperat&#xF3;rio, de pacientes que respiram espontaneamente.</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Ultiva diminui as quantidades de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/anestesicos/c\" target=\"_blank\">anest&#xE9;sicos</a> vol&#xE1;teis, hipn&#xF3;ticos ou benzodiazep&#xED;nicos necess&#xE1;rias&amp;nbsp;para promover a anestesia.</p> <p>As doses de alguns agentes utilizados em anestesia, como isoflurano, tiopental, propofol e temazepam,&amp;nbsp;atingiram redu&#xE7;&#xE3;o de 75% quando usadas com a remifentanila.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Devido &#xE0; cessa&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pida da a&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, n&#xE3;o haver&#xE1; nenhuma atividade opi&#xE1;cea residual de 5 a 10 minutos ap&#xF3;s a sua descontinua&#xE7;&#xE3;o (suspens&#xE3;o). Se voc&#xEA; for submetido a procedimentos cir&#xFA;rgicos nos quais se espera a ocorr&#xEA;ncia de dor p&#xF3;s-operat&#xF3;ria, seu m&#xE9;dico dever&#xE1; administrar-lhe <a href=\"https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/analgesicos/c\" target=\"_blank\">analg&#xE9;sicos</a> antes ou imediatamente ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva. Ser&#xE1; preciso esperar o tempo necess&#xE1;rio para que os analg&#xE9;sicos de longa dura&#xE7;&#xE3;o atinjam o efeito m&#xE1;ximo. O m&#xE9;dico deve escolher o analg&#xE9;sico de acordo com o procedimento cir&#xFA;rgico e o n&#xED;vel de cuidados p&#xF3;s-operat&#xF3;rios.</p> <h3>Crian&#xE7;as (de 1 a 12 anos de idade)</h3> <h4>Indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>N&#xE3;o existem dados suficientes para fazer recomenda&#xE7;&#xF5;es de dosagem.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <h5>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para manuten&#xE7;&#xE3;o de anestesia em pacientes pedi&#xE1;tricos (1-12 anos de idade)</h5> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fd066dc4c3000f87dee1/original_ultiva-7-consulta-remedios.jpg?1497890053\" style=\"width:100%\"/></p> <p>Quando o m&#xE9;dico administrar Ultivaem bolus, a infus&#xE3;o deve ser, no m&#xED;nimo, de 30 segundos. Caso&amp;nbsp;n&#xE3;o tenha administrado uma dose simult&#xE2;nea de bolus, ele s&#xF3; deve come&#xE7;ar a cirurgia pelo menos 5 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o de Ultiva. Os pacientes pedi&#xE1;tricos precisam ser monitorados e a dose ajustada para a profundidade de analgesia apropriada ao procedimento cir&#xFA;rgico.</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Nas doses recomendadas acima, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o isoflurano, o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/halotano/bula\" target=\"_blank\">halotano</a> e o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sevoflurano/bula\" target=\"_blank\">sevoflurano</a> de acordo com as instru&#xE7;&#xF5;es constantes da tabela acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre dosagens recomend&#xE1;veis para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos e da remifentanila.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o da infus&#xE3;o, a compensa&#xE7;&#xE3;o do efeito analg&#xE9;sico de Ultiva &#xE9; r&#xE1;pida e similar &#xE0; dos pacientes adultos. O m&#xE9;dico deve prever a necessidade e efetuar a administra&#xE7;&#xE3;o de analg&#xE9;sicos apropriados para o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio.</p> <h3>Neonatos (beb&#xEA;s de at&#xE9; 28 dias) e crian&#xE7;as (menores de 1 ano)</h3> <p>O perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila em neonatos e crian&#xE7;as menores de 1 ano de idade &#xE9; compar&#xE1;vel ao dos pacientes adultos ap&#xF3;s as corre&#xE7;&#xF5;es das diferen&#xE7;as de peso corporal. Entretanto, n&#xE3;o existem dados cl&#xED;nicos suficientes para estabelecer dosagens adequadas a essa faixa et&#xE1;ria.</p> <h3>Anestesia card&#xED;aca de adultos</h3> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para anestesia card&#xED;aca</h4> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fd416dc4c3000887dec5/original_ultiva-8-consulta-remedios.jpg?1497890112\" style=\"width:100%\"/></p> <h4>Per&#xED;odo de indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o do hipn&#xF3;tico at&#xE9; o come&#xE7;o da perda da consci&#xEA;ncia, o m&#xE9;dico deve administrar Ultiva em velocidade inicial de infus&#xE3;o de 1 &#xB5;g/kg/min. N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o em bolus de Ultiva durante a indu&#xE7;&#xE3;o, em cirurgia card&#xED;aca. A entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal s&#xF3; deve ser feita 5 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o.</p> <h4>Per&#xED;odo de manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, o m&#xE9;dico deve ajustar a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de acordo com a condi&#xE7;&#xE3;o do paciente. Doses suplementares de bolus tamb&#xE9;m podem ser administradas conforme a necessidade. Para pacientes card&#xED;acos de alto risco, como os que apresentam fun&#xE7;&#xE3;o ventricular deficiente, dose m&#xE1;xima em bolus &#xE9; de 0,5 &#xB5;g/kg. Essas recomenda&#xE7;&#xF5;es de dosagem tamb&#xE9;m se aplicam durante a perman&#xEA;ncia na circula&#xE7;&#xE3;o extracorp&#xF3;rea (m&#xE1;quina que mant&#xE9;m a circula&#xE7;&#xE3;o do sangue enquanto o cora&#xE7;&#xE3;o est&#xE1; parado).</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Nas doses recomendadas acima, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o isoflurano e o propofol conforme instru&#xE7;&#xF5;es constantes da tabela acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre dosagens recomendadas para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos de remifentanila.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da analgesia p&#xF3;s-operat&#xF3;ria antes da extuba&#xE7;&#xE3;o (retirada do tubo localizado na traqu&#xE9;ia e que auxilia a respira&#xE7;&#xE3;o durante a cirurgia)</h4> <p>Recomenda-se que a infus&#xE3;o de Ultiva se mantenha no n&#xED;vel final intraoperat&#xF3;rio durante a transfer&#xEA;ncia do paciente para a &#xE1;rea de recupera&#xE7;&#xE3;o p&#xF3;s-anest&#xE9;sica. Quando o paciente chegar a essa &#xE1;rea, o m&#xE9;dico deve fazer monitoramento estrito do n&#xED;vel de analgesia e de seda&#xE7;&#xE3;o, assim como ajustar a velocidade de infus&#xE3;o &#xE0;s necessidades particulares do paciente.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Antes da descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico deve administrar agentes <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/sedativos/c\" target=\"_blank\">sedativos</a> e analg&#xE9;sicos alternativos com anteced&#xEA;ncia suficiente. A escolha e a dose do analg&#xE9;sico devem adequar-se ao n&#xED;vel de cuidados p&#xF3;s-operat&#xF3;rios requeridos pelo paciente.</p> <p>Recomenda-se que o m&#xE9;dico descontinue a infus&#xE3;o de Ultiva reduzindo a velocidade em 25%, a intervalos de pelo menos 10 minutos, at&#xE9; faz&#xEA;-la cessar completamente. Durante a retirada do ventilador mec&#xE2;nico, o m&#xE9;dico n&#xE3;o deve aumentar a infus&#xE3;o de Ultiva fazendo apenas ajustes de diminui&#xE7;&#xE3;o e suplementando o procedimento com analg&#xE9;sicos alternativos conforme a necessidade.</p> <p>Recomenda-se que altera&#xE7;&#xF5;es hemodin&#xE2;micas, como hipertens&#xE3;o e taquicardia, sejam tratadas com agentes alternativos apropriados.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca pedi&#xE1;trica</h4> <p>N&#xE3;o existem dados suficientes para recomendar o uso de Ultiva durante cirurgias card&#xED;acas pedi&#xE1;tricas.</p> <h4>Unidade de terapia intensiva</h4> <p>A infus&#xE3;o de Ultiva controlada por alvo (TCI, ou <em>target controlled infusion</em>) n&#xE3;o foi estudada em pacientes sob terapia intensiva.</p> <h3>Adultos</h3> <p>Ultiva pode ser usado isoladamente, de in&#xED;cio, para promover analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o em pacientes mecanicamente ventilados (que respiram atrav&#xE9;s de aparelhos) internados em unidade de terapia intensiva (UTI).</p> <p>Recomenda-se que a administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva tenha in&#xED;cio na velocidade de infus&#xE3;o de 0,1 a 0,15 &#xB5;g/kg/min. Essa velocidade deve ser ajustada em incrementos de 0,025 &#xB5;g/kg/min at&#xE9; atingir o n&#xED;vel ideal de analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o. O m&#xE9;dico deve manter um intervalo m&#xED;nimo de 5 minutos entre os ajustes de dose. O n&#xED;vel de analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o deve ser cuidadosamente monitorado e reavaliado com regularidade, ajustando-se adequadamente a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva. Se o n&#xED;vel de seda&#xE7;&#xE3;o desej&#xE1;vel n&#xE3;o for alcan&#xE7;ado com a velocidade de infus&#xE3;o de 0,2 &#xB5;g/kg/min, recomenda-se a administra&#xE7;&#xE3;o de um agente sedativo apropriado. O m&#xE9;dico deve ajustar a dose do agente sedativo at&#xE9; obter o n&#xED;vel ideal de seda&#xE7;&#xE3;o. Pode-se efetuar aumentos posteriores da velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva em incrementos de 0,025 &#xB5;g/kg/min caso seja necess&#xE1;ria a analgesia adicional.</p> <p>Ultiva tem sido estudado em pacientes de UTI durante pesquisas cl&#xED;nicas bem controladas por at&#xE9; tr&#xEA;s dias. Os dados adicionais de estudos cl&#xED;nicos feitos durante per&#xED;odos mais longos s&#xE3;o limitados. A tabela abaixo resume a velocidade de infus&#xE3;o inicial e a faixa t&#xED;pica de dosagens de analgesia e&amp;nbsp;seda&#xE7;&#xE3;o para cada paciente.</p> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para pacientes sob terapia intensiva</h4> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td colspan=\"2\" style=\"text-align:center\"><strong>Infus&#xE3;o cont&#xED;nua &#xB5;g/kg/min</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:551px\"><strong>Velocidade inicial</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:554px\"><strong>Faixa</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:551px\">0,1 a 0,15</td> <td style=\"text-align:center; width:554px\">0,006 a 0,74</td> </tr> </tbody> </table> <p>O uso de Ultiva pode reduzir a necessidade de administra&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea de qualquer outro agente sedativo. As dosagens iniciais t&#xED;picas de agentes sedativos, se necess&#xE1;rio, s&#xE3;o dadas abaixo.N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o de dose de Ultiva em bolus nas unidades de terapia intensiva.</p> <h4>Dosagem inicial recomendada de agentes sedativos (se necess&#xE1;rios)</h4> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center\"><strong>Agente sedativo</strong></td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Bolus (mg/kg)</strong></td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Infus&#xE3;o (mg/kg/h)</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">Propofol</td> <td style=\"text-align:center\">At&#xE9; 0,5</td> <td style=\"text-align:center\">0,5</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">Midazolam</td> <td style=\"text-align:center\">At&#xE9; 0,03</td> <td style=\"text-align:center\">0,03</td> </tr> </tbody> </table> <h4>Analgesia adicional de pacientes ventilados submetidos a procedimentos estimulantes</h4> <p>Pode ser necess&#xE1;rio aumentar a velocidade de infus&#xE3;o pr&#xE9;-estabelecida de Ultiva para controlar a dor de pacientes em ventila&#xE7;&#xE3;o mec&#xE2;nica submetidos a procedimentos estimulantes e/ou dolorosos, como suc&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, troca de curativo e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/fisioterapia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">fisioterapia</a>. Recomenda-se manter velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de no m&#xED;nimo 0,1 &#xB5;g/kg/min por pelo menos 5 minutos antes do in&#xED;cio do procedimento estimulante. O m&#xE9;dico deve fazer ajustes de dose posteriores, a intervalos de 2 a 5 minutos e em incrementos de 25% a 50%, como antecipa&#xE7;&#xE3;o ou resposta &#xE0; necessidade de analgesia adicional. Para fornecer maior anestesia durante os procedimentos estimulantes, tem-se usado a velocidade de infus&#xE3;o m&#xE9;dia de 0,25 &#xB5;g/kg/min e m&#xE1;xima de 0,75 &#xB5;g/kg/min.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Antes da descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico deve administrar agentes sedativos e analg&#xE9;sicos alternativos com anteced&#xEA;ncia suficiente. A escolha do agente apropriado e das doses deve ser feita antecipadamente. Para assegurar a superficializa&#xE7;&#xE3;o suave do regime &#xE0; base de Ultiva, recomenda-se o ajuste da velocidade de infus&#xE3;o em est&#xE1;gios de 0,1 &#xB5;g/kg/min, por at&#xE9; 1 hora, antes da extuba&#xE7;&#xE3;o. Ap&#xF3;s a retirada do tubo da traqu&#xE9;ia, o m&#xE9;dico deve reduzir a velocidade de infus&#xE3;o em decr&#xE9;scimos de 25%, a intervalos de no m&#xED;nimo 10 minutos, at&#xE9; descontinuar a infus&#xE3;o. Durante a retirada do ventilador mec&#xE2;nico, n&#xE3;o se deve aumentar a infus&#xE3;o de Ultiva, fazendo-se somente ajustes de diminui&#xE7;&#xE3;o, suplementados com analg&#xE9;sicos alternativos, conforme a necessidade.</p> <h4>Crian&#xE7;as na unidade de terapia intensiva</h4> <p>N&#xE3;o existem dados dispon&#xED;veis sobre o uso de Ultiva em pacientes pedi&#xE1;tricos.</p> <h3>Idosos (acima de 65 anos)</h3> <h4>Anestesia geral</h4> <p>A dose inicial de remifentanila administrada a pacientes maiores de 65 anos de idade deve conter a metade da recomendada a adultos, sendo depois ajustada &#xE0;s necessidades do paciente, uma vez que h&#xE1; aumento de sensibilidade aos efeitos farmacol&#xF3;gicos do medicamento entre os idosos. Esse ajuste de dosagem se aplica a todas as fases da anestesia, inclusive indu&#xE7;&#xE3;o, manuten&#xE7;&#xE3;o e analgesia p&#xF3;soperat&#xF3;ria.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <h4>Unidade de terapia intensiva</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <h3>Obesos</h3> <p>Recomenda-se a redu&#xE7;&#xE3;o da dosagem de Ultiva para pacientes obesos com base no peso ideal, pois o <em>clearance</em> (capacidade de elimina&#xE7;&#xE3;o do medicamento pelo organismo) e o volume de distribui&#xE7;&#xE3;o da remifentanila est&#xE3;o mais bem correlacionados com o peso ideal do que com o peso real nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <h3>Pacientes com insufici&#xEA;ncia renal</h3> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;rio nenhum ajuste de dose para pacientes com insufici&#xEA;ncia renal (mau funcionamento do rim), uma vez que o perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila permanece inalterado nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <h3>Pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h3> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;rio nenhum ajuste de dose para pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica (mau funcionamento do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a>), uma vez que o perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila permanece inalterado nessa popula&#xE7;&#xE3;o. Entretanto, os pacientes com insufici&#xEA;ncia grave podem ser levemente mais sens&#xED;veis ao efeito depressor do sistema respirat&#xF3;rio provocado pela remifentanila. O m&#xE9;dico deve monitorar cuidadosamente esses pacientes, ajustando a dose do medicamento &#xE0;s necessidades deles.</p> <h3>Pacientes submetidos a neurocirurgia</h3> <p>As experi&#xEA;ncias cl&#xED;nicas com pacientes submetidos a neurocirurgia, embora limitadas, mostraram que n&#xE3;o s&#xE3;o necess&#xE1;rias dosagens especiais.</p> <h3>Pacientes ASA III/IV</h3> <h4>Anestesia geral</h4> <p>Uma vez que se espera que os efeitos hemodin&#xE2;micos dos opi&#xE1;ceos potentes sejam mais pronunciados nos pacientes classificados pelos crit&#xE9;rios da Sociedade Americana de Anestesiologistas (ASA, na sigla em ingl&#xEA;s) como de n&#xED;vel III (com doen&#xE7;a sist&#xEA;mica grave) ou IV (doen&#xE7;a sist&#xEA;mica grave com constante risco de morte), o m&#xE9;dico deve ter cautela na administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>Recomenda-se a redu&#xE7;&#xE3;o da dosagem inicial e ajuste de acordo com o efeito.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o do seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento.</strong></p> <p><strong>N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m&#xE9;dico.</strong></p> <h2>O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Ultiva?</h2> <hr> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> </hr>"}

Quais cuidados devo ter ao usar o Ultiva?

Se você responder “sim” a qualquer uma das perguntas a seguir, informe seu médico sobre esse assunto antes da operação:

  • <li>Voc&#xEA; j&#xE1; teve alguma rea&#xE7;&#xE3;o adversa, ou seja rea&#xE7;&#xE3;o indesej&#xE1;vel durante uma opera&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Voc&#xEA; sabe se &#xE9; al&#xE9;rgico a algum medicamento usado durante uma opera&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Voc&#xEA; j&#xE1; teve algum problema de respira&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Os batimentos do seu cora&#xE7;&#xE3;o s&#xE3;o lentos ou irregulares?</li> <li>Voc&#xEA; sabe se sua press&#xE3;o arterial &#xE9; baixa?</li> <li>Voc&#xEA; tomou recentemente outros tipos de medicamento conhecidos, como betabloqueadores ou bloqueadores dos canais de c&#xE1;lcio?</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; gr&#xE1;vida ou pretende engravidar em breve?</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; amamentando?</li>

Ultiva deve ser administrado somente no hospital, onde há equipamentos para monitorar e manter as funções da respiração, do coração e dos vasos sanguíneos. Apenas o profissional treinado no uso de anestésicos deve administrar Ultiva, pois é importante que saiba reconhecer as possíveis reações adversas ao medicamento e agir de forma correta caso uma delas ocorra. Ele também deve ter sido treinado na abertura das vias respiratórias e sua manutenção e na ventilação assistida.

Como todos os outros medicamentos da mesma classe, Ultiva não é recomendável como agente único na anestesia geral.

Se você tiver rigidez muscular causada por Ultiva, um profissional de saúde capacitado deve tomar as medidas de suporte adequadas para sua condição clínica. Ele pode administrar outros medicamentos para tratar essa reação, se for intensa, ou diminuir a velocidade de uso Ultiva e até interrompê-lo (neste caso, a rigidez muscular é resolvida em alguns minutos).

Ultiva deve ser administrado somente em locais com equipamentos para monitorar e tratar os possíveis casos de depressão respiratória (comprometimento da respiração). O tratamento deve ser feito por pessoa capacitada e inclui a diminuição da velocidade de infusão ou sua interrupção temporária. É importante que o paciente recupere totalmente a consciência e a respiração espontânea antes de ser liberado da sala de recuperação anestésica.

Pode ocorrer de algum efeito adverso afetar sua pressão arterial e seu coração, como queda de pressão e diminuição da frequência dos batimentos cardíacos. Esses efeitos podem ser controlados pela redução da velocidade da infusão de Ultiva ou da dose dos anestésicos utilizados em conjunto ou ainda pela administração intravenosa (na veia) de outros medicamentos apropriados.

Em certos tipos de cirurgia o paciente pode sentir dor após a operação logo que Ultiva é suspenso.

Nesses casos, é necessário o uso de medicamentos para alívio da dor antes ou logo depois da interrupção de Ultiva. O médico deve fazer a escolha adequada do medicamento de acordo com a cirurgia e o nível de cuidados exigidos no período pós-operatório.

A administração de Ultiva deve ser feita com equipamento exclusivo para evitar que resíduos do medicamento permaneçam na linha de infusão ou no equipo, se estes forem utilizados para fluidos ou outras drogas, e provoquem reações adversas.

Assim como outros medicamentos da mesma classe, Ultiva pode causar dependência.

Pacientes com hipersensibilidade conhecida a opioides de diferentes classes podem apresentar reação seguida da administração de Ultiva. Recomenda-se cautela antes do uso de remifentanila nesses pacientes.

Uso em pacientes com problemas nos rins

Não é necessário ajustar a dose de Ultiva para esses pacientes.

Uso em pacientes com problemas de fígado

Esses pacientes podem ser um pouco mais sensíveis à depressão respiratória causada por Ultiva e o médico deve monitorá-los de perto. Deve também ajustar a dose de Ultiva de acordo com as necessidades de cada paciente.

Este medicamento pode causar doping.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Ultiva?

As reações adversas mais frequentemente observadas com o uso de Ultiva são a continuação dos&nbsp;efeitos farmacológicos característicos dos medicamentos dessa classe.

Essas reações adversas são revertidas minutos após a interrupção ou a diminuição da velocidade de administração de Ultiva.

Reações muito comuns (ocorrem em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Rigidez dos m&#xFA;sculos esquel&#xE9;ticos (que est&#xE3;o sobre os ossos e as cartilagens);</li> <li>Press&#xE3;o baixa;</li> <li>N&#xE1;usea (enjoo);</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">V&#xF4;mito</a>.</li>

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia dos batimentos card&#xED;acos;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">Press&#xE3;o alta</a> ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Depress&#xE3;o respirat&#xF3;ria aguda, que compromete o funcionamento da respira&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Apneia (suspens&#xE3;o ou aus&#xEA;ncia de respira&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Coceira;</li> <li>Calafrios ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o.</li>

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Baixos n&#xED;veis de oxig&#xEA;nio no organismo;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">Pris&#xE3;o de ventre</a>;</li> <li>Dores ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o.</li>

Reações raras (ocorrem de 0,01% a 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Seda&#xE7;&#xE3;o (durante o per&#xED;odo de recupera&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s a anestesia geral);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas, inclusive <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-anafilaxia-reacao-anafilatica-sintomas-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">anafilaxia</a> (que &#xE9; uma rea&#xE7;&#xE3;o grave e generalizada)*;</li> <li>Parada abrupta do cora&#xE7;&#xE3;o, geralmente precedida de diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia dos batimentos card&#xED;acos*.</li>

*Essas reações adversas foram relatadas quando houve administração de Ultiva em conjunto com um ou mais agentes anestésicos.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC) pelo telefone 0800 701 22 33.&nbsp;

População Especial

Uso em pacientes idosos

O médico deve reduzir a dose inicial de Ultiva nos idosos e depois ajustá-la cuidadosamente de acordo com as necessidades de cada paciente.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

O paciente só poderá dirigir veículos e operar máquinas algum tempo após o término da administração de Ultiva, isto é, quando os efeitos do medicamento forem eliminados. Esta orientação fica a critério médico.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e sua atenção podem estar prejudicadas.

Gravidez e lactação

Ultiva somente deve ser utilizado em mulheres grávidas quando, a critério do médico, os benefícios potenciais para a mãe superarem os possíveis riscos para o feto. O uso deste medicamento também não é recomendável durante trabalhos de parto nem cesarianas.

Seu médico deve ter cuidado ao administrar Ultiva se você estiver amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Qual a composição do Ultiva?

Apresentação

Pó liófilo a ser reconstituído antes do uso, para injeção intravenosa, na seguinte concentração:

Ultiva&nbsp;2 mg – embalagem com 5 frascos-ampola.

Uso intravenoso.

Uso adulto e pediátrico acima de 1 ano de idade.

Composição

Cada frasco-ampola de 2mg de Ultiva&nbsp;contém:
{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:645px\"><a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-remifentanila/bula\" target=\"_blank\">Cloridrato de remifentanila</a> (equivalente a 2mg de remifentanila)</td> <td style=\"text-align:center; width:581px\">2,194mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:645px\">Excipientes*</td> <td style=\"text-align:center; width:581px\">1 frasco-ampola</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

*Excipientes: glicina, ácido clorídrico.

Diluente: água para injeção.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Ultiva maior do que a recomendada?

Devido à ação muito curta de Ultiva, o potencial de efeitos nocivos no caso de superdosagem está limitado ao período imediatamente posterior à administração do medicamento. Com a interrupção da administração, retorno à condição normal é rápido (10 minutos).

No caso de superdosagem ou suspeita de superdosagem, o médico deve conduzir os procedimentos necessários para o tratamento do caso. Ele deve tomar as seguintes medidas: interromper a administração de Ultiva, manter as vias respiratórias desobstruídas, iniciar ventilação assistida ou controlada com oxigênio e manter as funções relacionadas ao coração em níveis adequados. Se houver comprometimento da respiração associado com rigidez dos músculos, o médico poderá aplicar um bloqueador neuromuscular para facilitar a respiração assistida (por uso de aparelhos) ou controlada. Se ocorrer pressão baixa, outros medicamentos e medidas apropriadas podem ser utilizados no tratamento.

É possível administrar, por via intravenosa (na veia), um medicamento da classe dos antagonistas opiáceos, como a naloxona, como antídoto específico no controle da depressão respiratória grave e da rigidez dos músculos. O médico saberá indicar o tratamento adequado para cada caso.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento se possível.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001 se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Ultiva com outros remédios?

Como ocorre com outros medicamentos da mesma classe, o uso de Ultiva&nbsp;diminui as quantidades ou doses de anestésicos voláteis ou intravenosos necessários à anestesia.

Os efeitos adversos de Ultiva que afetam o coração e a pressão arterial podem agravar-se caso você esteja tomando drogas depressoras cardíacas, como betabloqueadores ou bloqueadores do canal de cálcio.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Ultiva (Cloridrato de Remifentanila)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>Cloridrato de Remifentanila mostrou ser eficaz na seda&#xE7;&#xE3;o analg&#xE9;sica e bem tolerado, apresentando semelhan&#xE7;a de efeitos adversos em compara&#xE7;&#xE3;o aos hipn&#xF3;ticos<sup>1</sup>.</p> <p>Cloridrato de Remifentanila mostrou-se tamb&#xE9;m eficaz na preven&#xE7;&#xE3;o do aumento da press&#xE3;o arterial m&#xE9;dia (sem efeitos adversos como a bradicardia<sup>2</sup>).</p> <p>Cloridrato de Remifentanila, em associa&#xE7;&#xE3;o com hipn&#xF3;ticos, reduz de forma significativa o tempo de ventila&#xE7;&#xE3;o mec&#xE2;nica<sup>3</sup>.</p> <p>Cloridrato de Remifentanila &#xE9; eficaz no controle da dor p&#xF3;s-operat&#xF3;ria depois de extuba&#xE7;&#xE3;o orotraqueal e n&#xE3;o causa comprometimento respirat&#xF3;rio<sup>4</sup>.</p> <p>A infus&#xE3;o cont&#xED;nua de Cloridrato de Remifentanila &#xE9; efetiva no controle da dor em pacientes extubados, ap&#xF3;s cirurgia card&#xED;aca, sem resultar em complica&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias<sup>4</sup>.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Karabinis, A. et al. Safety and efficacy of analgesia-based sedation with remifentanil versus standard hypnotic-based regimens in intensive care unit patients with brain injuries: a randomised, controlled trial [ISRCTN50308308]. Crit Care, 8(4): R268-80, 2004.<br> 2. Wiel, E. et al. Comparison of remifentanil and alfentanil during anaesthesia for patients undergoing direct laryngoscopy without intubation. Br J Anaesth, 91(3):421-3, 2003.<br> 3. Muellejans, B. et al. Sedation in the intensive care unit with remifentanil/propofol versus midazolam/fentanyl: a randomised, open-label, pharmacoeconomic trial. Crit Care, 10(3): R91, 2006.<br> 4. Steinlechner, B. et al. Postoperative analgesia with remifentanil in patients undergoing cardiac surgery. Anesth Analg, 100(5): 1230-5, 2005.</br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>A Cloridrato de Remifentanila &#xE9; um agonista &#x3BC;-opi&#xE1;ceo seletivo de in&#xED;cio r&#xE1;pido de a&#xE7;&#xE3;o e dura&#xE7;&#xE3;o muito curta. A atividade &#x3BC;-opi&#xE1;cea &#xE9; antagonizada pelo naloxona, um antagonista de opioide.</p> <p>Testes de histamina feitos em pacientes e em volunt&#xE1;rios normais demonstraram n&#xE3;o haver eleva&#xE7;&#xE3;o dessa subst&#xE2;ncia ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de Cloridrato de Remifentanila em <em>bolus</em> de at&#xE9; 30 &#x3BC;g/kg.</p> <h3>Propriedades farmacocin&#xE9;ticas</h3> <h4>Absor&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Em toda a faixa de doses recomendadas, as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas de Cloridrato de Remifentanila s&#xE3;o proporcionais &#xE0; dose utilizada. Para cada incremento de 0,1 &#x3BC;g/kg/min na velocidade de infus&#xE3;o, a concentra&#xE7;&#xE3;o plasm&#xE1;tica da Cloridrato de Remifentanila aumenta em 2,5 ng/mL.</p> <h4>Distribui&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>O volume de distribui&#xE7;&#xE3;o central &#xE9; de 100 mL/kg, enquanto o volume de distribui&#xE7;&#xE3;o no estado de equil&#xED;brio &#xE9; de 350 mL/kg.</p> <p>A Cloridrato de Remifentanila liga-se &#xE0;s <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/proteinas/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">prote&#xED;nas</a> plasm&#xE1;ticas em aproximadamente 70%.</p> <h4>Metabolismo</h4> <p>Opi&#xE1;ceo metabolizado por esterases, a Cloridrato de Remifentanila &#xE9; suscet&#xED;vel &#xE0; metaboliza&#xE7;&#xE3;o por esterases n&#xE3;o espec&#xED;ficas do sangue e dos tecidos. O metabolismo dessa droga resulta na forma&#xE7;&#xE3;o de um metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico essencialmente inativo (4.600 vezes menos potente que a drogam&#xE3;e), cuja meia-vida em adultos sadios &#xE9; de 2 horas.</p> <p>Aproximadamente 95% de Cloridrato de Remifentanila &#xE9; excretada na urina na forma desse metab&#xF3;lito. Essa droga n&#xE3;o &#xE9; um substrato da colinesterase plasm&#xE1;tica.</p> <h4>Elimina&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o das doses recomendadas, a meia-vida biol&#xF3;gica efetiva de Cloridrato de Remifentanila &#xE9; de 3 a 10 minutos. O <em>clearance </em>m&#xE9;dio desse f&#xE1;rmaco em adultos jovens sadios &#xE9; de 40 mL/kg/min.</p> <h4>Grupos especiais</h4> <h5>Anestesia card&#xED;aca</h5> <p>O<em> clearance</em> da Cloridrato de Remifentanila se reduz em at&#xE9; 20% durante o bypass cardiovascular hipot&#xE9;rmico (28&#xBA;C). A diminui&#xE7;&#xE3;o da temperatura corporal tamb&#xE9;m reduz o <em>clearance</em> em 3% por grau Celsius.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia renal</h5> <p>A r&#xE1;pida recupera&#xE7;&#xE3;o da seda&#xE7;&#xE3;o e da analgesia induzidas pela Cloridrato de Remifentanila n&#xE3;o &#xE9; afetada pelo<em> status</em> renal. A farmacocin&#xE9;tica da Cloridrato de Remifentanila n&#xE3;o &#xE9; significantemente alterada em pacientes com v&#xE1;rios graus de insufici&#xEA;ncia renal, mesmo ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o do f&#xE1;rmaco por at&#xE9; tr&#xEA;s dias em unidade de terapia intensiva.</p> <p>O <em>clearance </em>do metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico se reduz nos pacientes com disfun&#xE7;&#xE3;o renal. Nos internados em UTI com disfun&#xE7;&#xE3;o renal de moderada a grave a concentra&#xE7;&#xE3;o do metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico pode exceder 250 vezes o n&#xED;vel da Cloridrato de Remifentanila no estado de equil&#xED;brio em alguns pacientes. Dados cl&#xED;nicos demonstraram que o ac&#xFA;mulo do metab&#xF3;lito n&#xE3;o resulta em efeitos clinicamente relevantes dos &#x3BC;-opi&#xE1;ceos nem mesmo ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de infus&#xF5;es de Cloridrato de Remifentanila por at&#xE9; tr&#xEA;s dias nesses pacientes.</p> <p/></hr>"}

2mg, caixa com 5 frascos-ampolas com pó para solução de uso intravenso (embalagem hospitalar)

Princípio ativo
:
Cloridrato De Remifentanila
Classe Terapêutica
:
Anestésicos Gerais Injetáveis
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
A1 Amarela (Dispensação Sob Prescrição Médica Restrito a Hospitais - Este medicamento pode causar Dependência Física ou Psíquica)
Categoria
:
Anestésicos
Especialidade
:
Anestesiologia, Cirurgia cardiovascular e Cirurgia geral

Bula do medicamento

Ultiva, para o que é indicado e para o que serve?

Ultiva&nbsp;é um medicamento indicado para produzir ou manter a anestesia durante cirurgias, inclusive a do coração, e para o alívio da dor imediatamente após a operação. Ultiva&nbsp;também é indicado para promover alívio da dor e sedação em pacientes mecanicamente ventilados (ou seja, que respiram com ajuda de aparelhos) em unidade de terapia intensiva (UTI).

Como o Ultiva funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Ultiva&amp;nbsp;apresenta como subst&#xE2;ncia ativa a remifentanila, que pertence a um grupo de medicamentos chamados de agonistas opioides. Esses medicamentos s&#xE3;o capazes de promover anestesia, assim como al&#xED;vio da dor e seda&#xE7;&#xE3;o, durante as cirurgias. A remifentanila tem in&#xED;cio de a&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pido, e seu efeito &#xE9; curto.</p> "}

Quais as contraindicações do Ultiva?

O uso de Ultiva não é indicado caso você tenha sensibilidade conhecida à remifentanila, a outros&nbsp;compostos semelhantes ou a qualquer componente da formulação.

O médico não deve administrar Ultiva&nbsp;por via epidural, um tipo de anestesia em que a injeção é aplicada nas costas e serve principalmente para aliviar as dores do parto. Este medicamento também não pode ser usado por via intratecal (no espaço entre duas membranas que revestem o cérebro, chamado de espaço subaracnoide).A administração de Ultiva deve ser feita somente por via intravenosa, ou seja, no interior de uma veia.

Este medicamento é contraindicado para menores de 1 ano de idade.

Gravidez e lactação

O médico somente deve utilizar Ultiva&nbsp;em mulheres grávidas quando os benefícios potenciais para a mãe superarem os possíveis riscos para o feto.

Deve haver cuidado na administração de Ultiva&nbsp;a mulheres que estejam amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e sua atenção podem estar prejudicadas.

Como usar o Ultiva?

Ultiva deve ser utilizado somente por via intravenosa, ou seja, no interior de uma veia.

O médico não deve administrar Ultiva por via epidural, um tipo de anestesia em que a injeção é aplicada nas costas e serve principalmente para aliviar as dores do parto. Também não deve ser usado por via intratecal, isto é, injetado no espaço compreendido entre as membranas que revestem o cérebro, o chamado espaço subaracnoide.

Ultiva sempre deve ser utilizado no ambiente hospitalar e por um profissional habilitado, que tenha treinamento adequado para usar o medicamento e controlar os efeitos adversos que podem manifestar-se.

O médico deve utilizá-lo somente com equipamentos capazes de monitorar e manter as funções do seu organismo, como as respiratórias e as relacionadas ao coração.

Ultiva permanece estável por 24 horas, em temperatura ambiente (25ºC), após a reconstituição e a posterior diluição entre 20 e 250 µg/mL (50 µg/mL é a diluição adequada para adultos e 20-25 µg/mL para crianças maiores de 1 ano de idade). Recomenda-se uma das seguintes soluções para administração intravenosa:

  • <li>&#xC1;gua est&#xE9;ril para inje&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de <a href="https://consultaremedios.com.br/glicose/bula" target="_blank">glicose</a> a 5%;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o glicofisiol&#xF3;gica a 5% (solu&#xE7;&#xE3;o de glicose a 5% e de <a href="https://consultaremedios.com.br/cloreto-de-sodio/bula" target="_blank">cloreto de s&#xF3;dio</a> a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o fisiol&#xF3;gica (solu&#xE7;&#xE3;o de cloreto de s&#xF3;dio a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%.</li>

Ultiva só deve ser administrado com as soluções para infusão mostradas acima.

Ultiva não deve ser misturado a outros medicamentos antes da administração.

As tabelas seguintes fornecem instruções sobre as velocidades de infusão de Ultiva.

Tabela 1. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/kg/h):

Tabela 2. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 20 µg/mL:

Tabela 3. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 25µg/mL:

Tabela 4. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 50µg/mL:

Tabela 5. Velocidade de infusão de Ultiva injetável (mL/h) em uma solução de 250µg/mL:

Posologia do&nbsp;Ultiva

{"tag":"hr","value":" <p>A dosagem de Ultiva depende da opera&#xE7;&#xE3;o que voc&#xEA; vai fazer. Seu m&#xE9;dico saber&#xE1; utilizar a dose adequada.</p> <h3>Adultos</h3> <p>A tabela seguinte resume a velocidade de infus&#xE3;o inicial e a dosagem.</p> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para adultos</h4> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fcaa6dc4c3000887dec3/original_ultiva-6-consulta-remedios.jpg?1497889961\" style=\"width:100%\">* CAM = concentra&#xE7;&#xE3;o alveolar m&#xED;nima.</img></p> <p>O tempo de administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva em bolus na indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia n&#xE3;o deve ser menor que 30 segundos.</p> <p>Nas doses recomendadas, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/isoflurano/bula\" target=\"_blank\">isoflurano</a> e o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/propofol/bula\" target=\"_blank\">propofol</a> como descrito acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre as dosagens recomend&#xE1;veis para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos e de remifentanila.</p> <h4>Indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>O m&#xE9;dico deve administrar Ultiva com um agente hipn&#xF3;tico, como propofol, tiopental ou isoflurano, na indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia. A velocidade de infus&#xE3;o pode ser de 0,5 a 1 &#xB5;g/kg/min, com ou sem bolus de infus&#xE3;o inicial de 1 &#xB5;g/kg, por no m&#xED;nimo 30 segundos. Se o m&#xE9;dico previr a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal (introdu&#xE7;&#xE3;o de tubo na traqu&#xE9;ia) entre 8 e 10 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o de Ultiva, o bolus n&#xE3;o ser&#xE1; necess&#xE1;rio.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, o m&#xE9;dico deve diminuir a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de acordo com a t&#xE9;cnica anest&#xE9;sica, como foi indicado na tabela acima. Devido ao in&#xED;cio r&#xE1;pido e &#xE0; curta dura&#xE7;&#xE3;o da a&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico pode ajustar a velocidade de administra&#xE7;&#xE3;o durante a anestesia em incrementos de 25% a 100% ou diminui&#xE7;&#xF5;es de 25% a 50%, a intervalos de 2 a 5 minutos, para obter o n&#xED;vel desej&#xE1;vel de resposta &#xB5;-opi&#xE1;cea. Em resposta &#xE0; anestesia leve, infus&#xF5;es suplementares na forma de bolus podem ser administradas a intervalos de 2 a 5 minutos.</p> <h4>Anestesia de pacientes que respiram sem ajuda de aparelhos e com via a&#xE9;rea protegida (por m&#xE1;scara lar&#xED;ngea, por exemplo)</h4> <p>Os pacientes anestesiados que respiram sem ajuda de aparelhos e com via a&#xE9;rea protegida podem ter <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/depressao/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">depress&#xE3;o</a> respirat&#xF3;ria. Se isso ocorrer, o m&#xE9;dico deve ter cuidado especial para ajustar a dose &#xE0;s necessidades do paciente, e talvez seja preciso auxiliar a respira&#xE7;&#xE3;o por meio de aparelho. A taxa de infus&#xE3;o inicial recomend&#xE1;vel para analgesia suplementar de pacientes anestesiados que respiram espontaneamente &#xE9; de 0,04 &#xB5;g/kg/min, e o m&#xE9;dico deve ajust&#xE1;-la at&#xE9; obter o efeito desejado. Estudouse uma varia&#xE7;&#xE3;o de velocidades de infus&#xE3;o de 0,025 a 0,1 &#xB5;g/kg/min. N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o de bolus em pacientes anestesiados que respiram sem ajuda de aparelhos.</p> <h4>Continua&#xE7;&#xE3;o at&#xE9; o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio imediato</h4> <p>Caso o m&#xE9;dico n&#xE3;o inicie a analgesia de longa dura&#xE7;&#xE3;o antes do final da cirurgia, pode ser necess&#xE1;ria a administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva para mant&#xEA;-la durante o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio imediato at&#xE9; que o analg&#xE9;sico de longa dura&#xE7;&#xE3;o atinja o efeito m&#xE1;ximo.</p> <p>Os pacientes ventilados mecanicamente (ou seja, que respiram com ajuda de aparelhos), o m&#xE9;dico deve ajustar a velocidade de infus&#xE3;o at&#xE9; atingir o efeito desejado.</p> <p>Nos pacientes que respiram de forma espont&#xE2;nea, o m&#xE9;dico deve diminuir a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva, inicialmente, para 0,1 &#xB5;g/kg/min. A velocidade de infus&#xE3;o pode ent&#xE3;o ser aumentada ou diminu&#xED;da, no m&#xE1;ximo em 0,025 &#xB5;g/kg/min, a intervalos de 5 minutos, para ajustar o n&#xED;vel de analgesia&amp;nbsp;ou a frequ&#xEA;ncia respirat&#xF3;ria do paciente. Ultivadever&#xE1; ser administrado apenas em ambientes completamente equipados para monitoramento e suporte das fun&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias e cardiovasculares, sob restrita supervis&#xE3;o de profissionais especificamente treinados no reconhecimento e no controle dos efeitos adversos esperados dos opioides potentes.</p> <p>N&#xE3;o se recomenda o uso de inje&#xE7;&#xF5;es de bolus de Ultiva para tratar a dor, durante o per&#xED;odo p&#xF3;soperat&#xF3;rio, de pacientes que respiram espontaneamente.</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Ultiva diminui as quantidades de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/anestesicos/c\" target=\"_blank\">anest&#xE9;sicos</a> vol&#xE1;teis, hipn&#xF3;ticos ou benzodiazep&#xED;nicos necess&#xE1;rias&amp;nbsp;para promover a anestesia.</p> <p>As doses de alguns agentes utilizados em anestesia, como isoflurano, tiopental, propofol e temazepam,&amp;nbsp;atingiram redu&#xE7;&#xE3;o de 75% quando usadas com a remifentanila.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Devido &#xE0; cessa&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pida da a&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, n&#xE3;o haver&#xE1; nenhuma atividade opi&#xE1;cea residual de 5 a 10 minutos ap&#xF3;s a sua descontinua&#xE7;&#xE3;o (suspens&#xE3;o). Se voc&#xEA; for submetido a procedimentos cir&#xFA;rgicos nos quais se espera a ocorr&#xEA;ncia de dor p&#xF3;s-operat&#xF3;ria, seu m&#xE9;dico dever&#xE1; administrar-lhe <a href=\"https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/analgesicos/c\" target=\"_blank\">analg&#xE9;sicos</a> antes ou imediatamente ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva. Ser&#xE1; preciso esperar o tempo necess&#xE1;rio para que os analg&#xE9;sicos de longa dura&#xE7;&#xE3;o atinjam o efeito m&#xE1;ximo. O m&#xE9;dico deve escolher o analg&#xE9;sico de acordo com o procedimento cir&#xFA;rgico e o n&#xED;vel de cuidados p&#xF3;s-operat&#xF3;rios.</p> <h3>Crian&#xE7;as (de 1 a 12 anos de idade)</h3> <h4>Indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>N&#xE3;o existem dados suficientes para fazer recomenda&#xE7;&#xF5;es de dosagem.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <h5>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para manuten&#xE7;&#xE3;o de anestesia em pacientes pedi&#xE1;tricos (1-12 anos de idade)</h5> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fd066dc4c3000f87dee1/original_ultiva-7-consulta-remedios.jpg?1497890053\" style=\"width:100%\"/></p> <p>Quando o m&#xE9;dico administrar Ultivaem bolus, a infus&#xE3;o deve ser, no m&#xED;nimo, de 30 segundos. Caso&amp;nbsp;n&#xE3;o tenha administrado uma dose simult&#xE2;nea de bolus, ele s&#xF3; deve come&#xE7;ar a cirurgia pelo menos 5 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o de Ultiva. Os pacientes pedi&#xE1;tricos precisam ser monitorados e a dose ajustada para a profundidade de analgesia apropriada ao procedimento cir&#xFA;rgico.</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Nas doses recomendadas acima, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o isoflurano, o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/halotano/bula\" target=\"_blank\">halotano</a> e o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sevoflurano/bula\" target=\"_blank\">sevoflurano</a> de acordo com as instru&#xE7;&#xF5;es constantes da tabela acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre dosagens recomend&#xE1;veis para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos e da remifentanila.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o da infus&#xE3;o, a compensa&#xE7;&#xE3;o do efeito analg&#xE9;sico de Ultiva &#xE9; r&#xE1;pida e similar &#xE0; dos pacientes adultos. O m&#xE9;dico deve prever a necessidade e efetuar a administra&#xE7;&#xE3;o de analg&#xE9;sicos apropriados para o per&#xED;odo p&#xF3;s-operat&#xF3;rio.</p> <h3>Neonatos (beb&#xEA;s de at&#xE9; 28 dias) e crian&#xE7;as (menores de 1 ano)</h3> <p>O perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila em neonatos e crian&#xE7;as menores de 1 ano de idade &#xE9; compar&#xE1;vel ao dos pacientes adultos ap&#xF3;s as corre&#xE7;&#xF5;es das diferen&#xE7;as de peso corporal. Entretanto, n&#xE3;o existem dados cl&#xED;nicos suficientes para estabelecer dosagens adequadas a essa faixa et&#xE1;ria.</p> <h3>Anestesia card&#xED;aca de adultos</h3> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para anestesia card&#xED;aca</h4> <p><img alt=\"\" src=\"https://uploads.consultaremedios.com.br/ckeditor_assets/pictures/5947fd416dc4c3000887dec5/original_ultiva-8-consulta-remedios.jpg?1497890112\" style=\"width:100%\"/></p> <h4>Per&#xED;odo de indu&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o do hipn&#xF3;tico at&#xE9; o come&#xE7;o da perda da consci&#xEA;ncia, o m&#xE9;dico deve administrar Ultiva em velocidade inicial de infus&#xE3;o de 1 &#xB5;g/kg/min. N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o em bolus de Ultiva durante a indu&#xE7;&#xE3;o, em cirurgia card&#xED;aca. A entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal s&#xF3; deve ser feita 5 minutos ap&#xF3;s o in&#xED;cio da infus&#xE3;o.</p> <h4>Per&#xED;odo de manuten&#xE7;&#xE3;o da anestesia</h4> <p>Ap&#xF3;s a entuba&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, o m&#xE9;dico deve ajustar a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de acordo com a condi&#xE7;&#xE3;o do paciente. Doses suplementares de bolus tamb&#xE9;m podem ser administradas conforme a necessidade. Para pacientes card&#xED;acos de alto risco, como os que apresentam fun&#xE7;&#xE3;o ventricular deficiente, dose m&#xE1;xima em bolus &#xE9; de 0,5 &#xB5;g/kg. Essas recomenda&#xE7;&#xF5;es de dosagem tamb&#xE9;m se aplicam durante a perman&#xEA;ncia na circula&#xE7;&#xE3;o extracorp&#xF3;rea (m&#xE1;quina que mant&#xE9;m a circula&#xE7;&#xE3;o do sangue enquanto o cora&#xE7;&#xE3;o est&#xE1; parado).</p> <h4>Medica&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea</h4> <p>Nas doses recomendadas acima, a remifentanila reduz significativamente a quantidade de hipn&#xF3;tico necess&#xE1;ria para manter a anestesia. Portanto, o m&#xE9;dico deve administrar o isoflurano e o propofol conforme instru&#xE7;&#xF5;es constantes da tabela acima para evitar anestesia excessivamente profunda. N&#xE3;o h&#xE1; dados dispon&#xED;veis sobre dosagens recomendadas para uso simult&#xE2;neo de outros hipn&#xF3;ticos de remifentanila.</p> <h4>Manuten&#xE7;&#xE3;o da analgesia p&#xF3;s-operat&#xF3;ria antes da extuba&#xE7;&#xE3;o (retirada do tubo localizado na traqu&#xE9;ia e que auxilia a respira&#xE7;&#xE3;o durante a cirurgia)</h4> <p>Recomenda-se que a infus&#xE3;o de Ultiva se mantenha no n&#xED;vel final intraoperat&#xF3;rio durante a transfer&#xEA;ncia do paciente para a &#xE1;rea de recupera&#xE7;&#xE3;o p&#xF3;s-anest&#xE9;sica. Quando o paciente chegar a essa &#xE1;rea, o m&#xE9;dico deve fazer monitoramento estrito do n&#xED;vel de analgesia e de seda&#xE7;&#xE3;o, assim como ajustar a velocidade de infus&#xE3;o &#xE0;s necessidades particulares do paciente.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Antes da descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico deve administrar agentes <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/sedativos/c\" target=\"_blank\">sedativos</a> e analg&#xE9;sicos alternativos com anteced&#xEA;ncia suficiente. A escolha e a dose do analg&#xE9;sico devem adequar-se ao n&#xED;vel de cuidados p&#xF3;s-operat&#xF3;rios requeridos pelo paciente.</p> <p>Recomenda-se que o m&#xE9;dico descontinue a infus&#xE3;o de Ultiva reduzindo a velocidade em 25%, a intervalos de pelo menos 10 minutos, at&#xE9; faz&#xEA;-la cessar completamente. Durante a retirada do ventilador mec&#xE2;nico, o m&#xE9;dico n&#xE3;o deve aumentar a infus&#xE3;o de Ultiva fazendo apenas ajustes de diminui&#xE7;&#xE3;o e suplementando o procedimento com analg&#xE9;sicos alternativos conforme a necessidade.</p> <p>Recomenda-se que altera&#xE7;&#xF5;es hemodin&#xE2;micas, como hipertens&#xE3;o e taquicardia, sejam tratadas com agentes alternativos apropriados.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca pedi&#xE1;trica</h4> <p>N&#xE3;o existem dados suficientes para recomendar o uso de Ultiva durante cirurgias card&#xED;acas pedi&#xE1;tricas.</p> <h4>Unidade de terapia intensiva</h4> <p>A infus&#xE3;o de Ultiva controlada por alvo (TCI, ou <em>target controlled infusion</em>) n&#xE3;o foi estudada em pacientes sob terapia intensiva.</p> <h3>Adultos</h3> <p>Ultiva pode ser usado isoladamente, de in&#xED;cio, para promover analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o em pacientes mecanicamente ventilados (que respiram atrav&#xE9;s de aparelhos) internados em unidade de terapia intensiva (UTI).</p> <p>Recomenda-se que a administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva tenha in&#xED;cio na velocidade de infus&#xE3;o de 0,1 a 0,15 &#xB5;g/kg/min. Essa velocidade deve ser ajustada em incrementos de 0,025 &#xB5;g/kg/min at&#xE9; atingir o n&#xED;vel ideal de analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o. O m&#xE9;dico deve manter um intervalo m&#xED;nimo de 5 minutos entre os ajustes de dose. O n&#xED;vel de analgesia e seda&#xE7;&#xE3;o deve ser cuidadosamente monitorado e reavaliado com regularidade, ajustando-se adequadamente a velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva. Se o n&#xED;vel de seda&#xE7;&#xE3;o desej&#xE1;vel n&#xE3;o for alcan&#xE7;ado com a velocidade de infus&#xE3;o de 0,2 &#xB5;g/kg/min, recomenda-se a administra&#xE7;&#xE3;o de um agente sedativo apropriado. O m&#xE9;dico deve ajustar a dose do agente sedativo at&#xE9; obter o n&#xED;vel ideal de seda&#xE7;&#xE3;o. Pode-se efetuar aumentos posteriores da velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva em incrementos de 0,025 &#xB5;g/kg/min caso seja necess&#xE1;ria a analgesia adicional.</p> <p>Ultiva tem sido estudado em pacientes de UTI durante pesquisas cl&#xED;nicas bem controladas por at&#xE9; tr&#xEA;s dias. Os dados adicionais de estudos cl&#xED;nicos feitos durante per&#xED;odos mais longos s&#xE3;o limitados. A tabela abaixo resume a velocidade de infus&#xE3;o inicial e a faixa t&#xED;pica de dosagens de analgesia e&amp;nbsp;seda&#xE7;&#xE3;o para cada paciente.</p> <h4>Orienta&#xE7;&#xE3;o de dosagem para pacientes sob terapia intensiva</h4> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td colspan=\"2\" style=\"text-align:center\"><strong>Infus&#xE3;o cont&#xED;nua &#xB5;g/kg/min</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:551px\"><strong>Velocidade inicial</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:554px\"><strong>Faixa</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:551px\">0,1 a 0,15</td> <td style=\"text-align:center; width:554px\">0,006 a 0,74</td> </tr> </tbody> </table> <p>O uso de Ultiva pode reduzir a necessidade de administra&#xE7;&#xE3;o simult&#xE2;nea de qualquer outro agente sedativo. As dosagens iniciais t&#xED;picas de agentes sedativos, se necess&#xE1;rio, s&#xE3;o dadas abaixo.N&#xE3;o se recomenda a administra&#xE7;&#xE3;o de dose de Ultiva em bolus nas unidades de terapia intensiva.</p> <h4>Dosagem inicial recomendada de agentes sedativos (se necess&#xE1;rios)</h4> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center\"><strong>Agente sedativo</strong></td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Bolus (mg/kg)</strong></td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Infus&#xE3;o (mg/kg/h)</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">Propofol</td> <td style=\"text-align:center\">At&#xE9; 0,5</td> <td style=\"text-align:center\">0,5</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">Midazolam</td> <td style=\"text-align:center\">At&#xE9; 0,03</td> <td style=\"text-align:center\">0,03</td> </tr> </tbody> </table> <h4>Analgesia adicional de pacientes ventilados submetidos a procedimentos estimulantes</h4> <p>Pode ser necess&#xE1;rio aumentar a velocidade de infus&#xE3;o pr&#xE9;-estabelecida de Ultiva para controlar a dor de pacientes em ventila&#xE7;&#xE3;o mec&#xE2;nica submetidos a procedimentos estimulantes e/ou dolorosos, como suc&#xE7;&#xE3;o endotraqueal, troca de curativo e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/fisioterapia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">fisioterapia</a>. Recomenda-se manter velocidade de infus&#xE3;o de Ultiva de no m&#xED;nimo 0,1 &#xB5;g/kg/min por pelo menos 5 minutos antes do in&#xED;cio do procedimento estimulante. O m&#xE9;dico deve fazer ajustes de dose posteriores, a intervalos de 2 a 5 minutos e em incrementos de 25% a 50%, como antecipa&#xE7;&#xE3;o ou resposta &#xE0; necessidade de analgesia adicional. Para fornecer maior anestesia durante os procedimentos estimulantes, tem-se usado a velocidade de infus&#xE3;o m&#xE9;dia de 0,25 &#xB5;g/kg/min e m&#xE1;xima de 0,75 &#xB5;g/kg/min.</p> <h4>Descontinua&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Antes da descontinua&#xE7;&#xE3;o de Ultiva, o m&#xE9;dico deve administrar agentes sedativos e analg&#xE9;sicos alternativos com anteced&#xEA;ncia suficiente. A escolha do agente apropriado e das doses deve ser feita antecipadamente. Para assegurar a superficializa&#xE7;&#xE3;o suave do regime &#xE0; base de Ultiva, recomenda-se o ajuste da velocidade de infus&#xE3;o em est&#xE1;gios de 0,1 &#xB5;g/kg/min, por at&#xE9; 1 hora, antes da extuba&#xE7;&#xE3;o. Ap&#xF3;s a retirada do tubo da traqu&#xE9;ia, o m&#xE9;dico deve reduzir a velocidade de infus&#xE3;o em decr&#xE9;scimos de 25%, a intervalos de no m&#xED;nimo 10 minutos, at&#xE9; descontinuar a infus&#xE3;o. Durante a retirada do ventilador mec&#xE2;nico, n&#xE3;o se deve aumentar a infus&#xE3;o de Ultiva, fazendo-se somente ajustes de diminui&#xE7;&#xE3;o, suplementados com analg&#xE9;sicos alternativos, conforme a necessidade.</p> <h4>Crian&#xE7;as na unidade de terapia intensiva</h4> <p>N&#xE3;o existem dados dispon&#xED;veis sobre o uso de Ultiva em pacientes pedi&#xE1;tricos.</p> <h3>Idosos (acima de 65 anos)</h3> <h4>Anestesia geral</h4> <p>A dose inicial de remifentanila administrada a pacientes maiores de 65 anos de idade deve conter a metade da recomendada a adultos, sendo depois ajustada &#xE0;s necessidades do paciente, uma vez que h&#xE1; aumento de sensibilidade aos efeitos farmacol&#xF3;gicos do medicamento entre os idosos. Esse ajuste de dosagem se aplica a todas as fases da anestesia, inclusive indu&#xE7;&#xE3;o, manuten&#xE7;&#xE3;o e analgesia p&#xF3;soperat&#xF3;ria.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <h4>Unidade de terapia intensiva</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <h3>Obesos</h3> <p>Recomenda-se a redu&#xE7;&#xE3;o da dosagem de Ultiva para pacientes obesos com base no peso ideal, pois o <em>clearance</em> (capacidade de elimina&#xE7;&#xE3;o do medicamento pelo organismo) e o volume de distribui&#xE7;&#xE3;o da remifentanila est&#xE3;o mais bem correlacionados com o peso ideal do que com o peso real nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <h3>Pacientes com insufici&#xEA;ncia renal</h3> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;rio nenhum ajuste de dose para pacientes com insufici&#xEA;ncia renal (mau funcionamento do rim), uma vez que o perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila permanece inalterado nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <h3>Pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h3> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;rio nenhum ajuste de dose para pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica (mau funcionamento do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a>), uma vez que o perfil farmacocin&#xE9;tico da remifentanila permanece inalterado nessa popula&#xE7;&#xE3;o. Entretanto, os pacientes com insufici&#xEA;ncia grave podem ser levemente mais sens&#xED;veis ao efeito depressor do sistema respirat&#xF3;rio provocado pela remifentanila. O m&#xE9;dico deve monitorar cuidadosamente esses pacientes, ajustando a dose do medicamento &#xE0;s necessidades deles.</p> <h3>Pacientes submetidos a neurocirurgia</h3> <p>As experi&#xEA;ncias cl&#xED;nicas com pacientes submetidos a neurocirurgia, embora limitadas, mostraram que n&#xE3;o s&#xE3;o necess&#xE1;rias dosagens especiais.</p> <h3>Pacientes ASA III/IV</h3> <h4>Anestesia geral</h4> <p>Uma vez que se espera que os efeitos hemodin&#xE2;micos dos opi&#xE1;ceos potentes sejam mais pronunciados nos pacientes classificados pelos crit&#xE9;rios da Sociedade Americana de Anestesiologistas (ASA, na sigla em ingl&#xEA;s) como de n&#xED;vel III (com doen&#xE7;a sist&#xEA;mica grave) ou IV (doen&#xE7;a sist&#xEA;mica grave com constante risco de morte), o m&#xE9;dico deve ter cautela na administra&#xE7;&#xE3;o de Ultiva nessa popula&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>Recomenda-se a redu&#xE7;&#xE3;o da dosagem inicial e ajuste de acordo com o efeito.</p> <h4>Anestesia card&#xED;aca</h4> <p>N&#xE3;o &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose inicial.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o do seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento.</strong></p> <p><strong>N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m&#xE9;dico.</strong></p> <h2>O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Ultiva?</h2> <hr> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> </hr>"}

Quais cuidados devo ter ao usar o Ultiva?

Se você responder “sim” a qualquer uma das perguntas a seguir, informe seu médico sobre esse assunto antes da operação:

  • <li>Voc&#xEA; j&#xE1; teve alguma rea&#xE7;&#xE3;o adversa, ou seja rea&#xE7;&#xE3;o indesej&#xE1;vel durante uma opera&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Voc&#xEA; sabe se &#xE9; al&#xE9;rgico a algum medicamento usado durante uma opera&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Voc&#xEA; j&#xE1; teve algum problema de respira&#xE7;&#xE3;o?</li> <li>Os batimentos do seu cora&#xE7;&#xE3;o s&#xE3;o lentos ou irregulares?</li> <li>Voc&#xEA; sabe se sua press&#xE3;o arterial &#xE9; baixa?</li> <li>Voc&#xEA; tomou recentemente outros tipos de medicamento conhecidos, como betabloqueadores ou bloqueadores dos canais de c&#xE1;lcio?</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; gr&#xE1;vida ou pretende engravidar em breve?</li> <li>Voc&#xEA; est&#xE1; amamentando?</li>

Ultiva deve ser administrado somente no hospital, onde há equipamentos para monitorar e manter as funções da respiração, do coração e dos vasos sanguíneos. Apenas o profissional treinado no uso de anestésicos deve administrar Ultiva, pois é importante que saiba reconhecer as possíveis reações adversas ao medicamento e agir de forma correta caso uma delas ocorra. Ele também deve ter sido treinado na abertura das vias respiratórias e sua manutenção e na ventilação assistida.

Como todos os outros medicamentos da mesma classe, Ultiva não é recomendável como agente único na anestesia geral.

Se você tiver rigidez muscular causada por Ultiva, um profissional de saúde capacitado deve tomar as medidas de suporte adequadas para sua condição clínica. Ele pode administrar outros medicamentos para tratar essa reação, se for intensa, ou diminuir a velocidade de uso Ultiva e até interrompê-lo (neste caso, a rigidez muscular é resolvida em alguns minutos).

Ultiva deve ser administrado somente em locais com equipamentos para monitorar e tratar os possíveis casos de depressão respiratória (comprometimento da respiração). O tratamento deve ser feito por pessoa capacitada e inclui a diminuição da velocidade de infusão ou sua interrupção temporária. É importante que o paciente recupere totalmente a consciência e a respiração espontânea antes de ser liberado da sala de recuperação anestésica.

Pode ocorrer de algum efeito adverso afetar sua pressão arterial e seu coração, como queda de pressão e diminuição da frequência dos batimentos cardíacos. Esses efeitos podem ser controlados pela redução da velocidade da infusão de Ultiva ou da dose dos anestésicos utilizados em conjunto ou ainda pela administração intravenosa (na veia) de outros medicamentos apropriados.

Em certos tipos de cirurgia o paciente pode sentir dor após a operação logo que Ultiva é suspenso.

Nesses casos, é necessário o uso de medicamentos para alívio da dor antes ou logo depois da interrupção de Ultiva. O médico deve fazer a escolha adequada do medicamento de acordo com a cirurgia e o nível de cuidados exigidos no período pós-operatório.

A administração de Ultiva deve ser feita com equipamento exclusivo para evitar que resíduos do medicamento permaneçam na linha de infusão ou no equipo, se estes forem utilizados para fluidos ou outras drogas, e provoquem reações adversas.

Assim como outros medicamentos da mesma classe, Ultiva pode causar dependência.

Pacientes com hipersensibilidade conhecida a opioides de diferentes classes podem apresentar reação seguida da administração de Ultiva. Recomenda-se cautela antes do uso de remifentanila nesses pacientes.

Uso em pacientes com problemas nos rins

Não é necessário ajustar a dose de Ultiva para esses pacientes.

Uso em pacientes com problemas de fígado

Esses pacientes podem ser um pouco mais sensíveis à depressão respiratória causada por Ultiva e o médico deve monitorá-los de perto. Deve também ajustar a dose de Ultiva de acordo com as necessidades de cada paciente.

Este medicamento pode causar doping.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Ultiva?

As reações adversas mais frequentemente observadas com o uso de Ultiva são a continuação dos&nbsp;efeitos farmacológicos característicos dos medicamentos dessa classe.

Essas reações adversas são revertidas minutos após a interrupção ou a diminuição da velocidade de administração de Ultiva.

Reações muito comuns (ocorrem em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Rigidez dos m&#xFA;sculos esquel&#xE9;ticos (que est&#xE3;o sobre os ossos e as cartilagens);</li> <li>Press&#xE3;o baixa;</li> <li>N&#xE1;usea (enjoo);</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">V&#xF4;mito</a>.</li>

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia dos batimentos card&#xED;acos;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">Press&#xE3;o alta</a> ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Depress&#xE3;o respirat&#xF3;ria aguda, que compromete o funcionamento da respira&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Apneia (suspens&#xE3;o ou aus&#xEA;ncia de respira&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Coceira;</li> <li>Calafrios ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o.</li>

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Baixos n&#xED;veis de oxig&#xEA;nio no organismo;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">Pris&#xE3;o de ventre</a>;</li> <li>Dores ap&#xF3;s a opera&#xE7;&#xE3;o.</li>

Reações raras (ocorrem de 0,01% a 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Seda&#xE7;&#xE3;o (durante o per&#xED;odo de recupera&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s a anestesia geral);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas, inclusive <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-anafilaxia-reacao-anafilatica-sintomas-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">anafilaxia</a> (que &#xE9; uma rea&#xE7;&#xE3;o grave e generalizada)*;</li> <li>Parada abrupta do cora&#xE7;&#xE3;o, geralmente precedida de diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia dos batimentos card&#xED;acos*.</li>

*Essas reações adversas foram relatadas quando houve administração de Ultiva em conjunto com um ou mais agentes anestésicos.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC) pelo telefone 0800 701 22 33.&nbsp;

População Especial

Uso em pacientes idosos

O médico deve reduzir a dose inicial de Ultiva nos idosos e depois ajustá-la cuidadosamente de acordo com as necessidades de cada paciente.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

O paciente só poderá dirigir veículos e operar máquinas algum tempo após o término da administração de Ultiva, isto é, quando os efeitos do medicamento forem eliminados. Esta orientação fica a critério médico.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e sua atenção podem estar prejudicadas.

Gravidez e lactação

Ultiva somente deve ser utilizado em mulheres grávidas quando, a critério do médico, os benefícios potenciais para a mãe superarem os possíveis riscos para o feto. O uso deste medicamento também não é recomendável durante trabalhos de parto nem cesarianas.

Seu médico deve ter cuidado ao administrar Ultiva se você estiver amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Qual a composição do Ultiva?

Apresentação

Pó liófilo a ser reconstituído antes do uso, para injeção intravenosa, na seguinte concentração:

Ultiva&nbsp;2 mg – embalagem com 5 frascos-ampola.

Uso intravenoso.

Uso adulto e pediátrico acima de 1 ano de idade.

Composição

Cada frasco-ampola de 2mg de Ultiva&nbsp;contém:
{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:645px\"><a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-remifentanila/bula\" target=\"_blank\">Cloridrato de remifentanila</a> (equivalente a 2mg de remifentanila)</td> <td style=\"text-align:center; width:581px\">2,194mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:645px\">Excipientes*</td> <td style=\"text-align:center; width:581px\">1 frasco-ampola</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

*Excipientes: glicina, ácido clorídrico.

Diluente: água para injeção.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Ultiva maior do que a recomendada?

Devido à ação muito curta de Ultiva, o potencial de efeitos nocivos no caso de superdosagem está limitado ao período imediatamente posterior à administração do medicamento. Com a interrupção da administração, retorno à condição normal é rápido (10 minutos).

No caso de superdosagem ou suspeita de superdosagem, o médico deve conduzir os procedimentos necessários para o tratamento do caso. Ele deve tomar as seguintes medidas: interromper a administração de Ultiva, manter as vias respiratórias desobstruídas, iniciar ventilação assistida ou controlada com oxigênio e manter as funções relacionadas ao coração em níveis adequados. Se houver comprometimento da respiração associado com rigidez dos músculos, o médico poderá aplicar um bloqueador neuromuscular para facilitar a respiração assistida (por uso de aparelhos) ou controlada. Se ocorrer pressão baixa, outros medicamentos e medidas apropriadas podem ser utilizados no tratamento.

É possível administrar, por via intravenosa (na veia), um medicamento da classe dos antagonistas opiáceos, como a naloxona, como antídoto específico no controle da depressão respiratória grave e da rigidez dos músculos. O médico saberá indicar o tratamento adequado para cada caso.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento se possível.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001 se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Ultiva com outros remédios?

Como ocorre com outros medicamentos da mesma classe, o uso de Ultiva&nbsp;diminui as quantidades ou doses de anestésicos voláteis ou intravenosos necessários à anestesia.

Os efeitos adversos de Ultiva que afetam o coração e a pressão arterial podem agravar-se caso você esteja tomando drogas depressoras cardíacas, como betabloqueadores ou bloqueadores do canal de cálcio.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Ultiva (Cloridrato de Remifentanila)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>Cloridrato de Remifentanila mostrou ser eficaz na seda&#xE7;&#xE3;o analg&#xE9;sica e bem tolerado, apresentando semelhan&#xE7;a de efeitos adversos em compara&#xE7;&#xE3;o aos hipn&#xF3;ticos<sup>1</sup>.</p> <p>Cloridrato de Remifentanila mostrou-se tamb&#xE9;m eficaz na preven&#xE7;&#xE3;o do aumento da press&#xE3;o arterial m&#xE9;dia (sem efeitos adversos como a bradicardia<sup>2</sup>).</p> <p>Cloridrato de Remifentanila, em associa&#xE7;&#xE3;o com hipn&#xF3;ticos, reduz de forma significativa o tempo de ventila&#xE7;&#xE3;o mec&#xE2;nica<sup>3</sup>.</p> <p>Cloridrato de Remifentanila &#xE9; eficaz no controle da dor p&#xF3;s-operat&#xF3;ria depois de extuba&#xE7;&#xE3;o orotraqueal e n&#xE3;o causa comprometimento respirat&#xF3;rio<sup>4</sup>.</p> <p>A infus&#xE3;o cont&#xED;nua de Cloridrato de Remifentanila &#xE9; efetiva no controle da dor em pacientes extubados, ap&#xF3;s cirurgia card&#xED;aca, sem resultar em complica&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias<sup>4</sup>.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Karabinis, A. et al. Safety and efficacy of analgesia-based sedation with remifentanil versus standard hypnotic-based regimens in intensive care unit patients with brain injuries: a randomised, controlled trial [ISRCTN50308308]. Crit Care, 8(4): R268-80, 2004.<br> 2. Wiel, E. et al. Comparison of remifentanil and alfentanil during anaesthesia for patients undergoing direct laryngoscopy without intubation. Br J Anaesth, 91(3):421-3, 2003.<br> 3. Muellejans, B. et al. Sedation in the intensive care unit with remifentanil/propofol versus midazolam/fentanyl: a randomised, open-label, pharmacoeconomic trial. Crit Care, 10(3): R91, 2006.<br> 4. Steinlechner, B. et al. Postoperative analgesia with remifentanil in patients undergoing cardiac surgery. Anesth Analg, 100(5): 1230-5, 2005.</br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>A Cloridrato de Remifentanila &#xE9; um agonista &#x3BC;-opi&#xE1;ceo seletivo de in&#xED;cio r&#xE1;pido de a&#xE7;&#xE3;o e dura&#xE7;&#xE3;o muito curta. A atividade &#x3BC;-opi&#xE1;cea &#xE9; antagonizada pelo naloxona, um antagonista de opioide.</p> <p>Testes de histamina feitos em pacientes e em volunt&#xE1;rios normais demonstraram n&#xE3;o haver eleva&#xE7;&#xE3;o dessa subst&#xE2;ncia ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de Cloridrato de Remifentanila em <em>bolus</em> de at&#xE9; 30 &#x3BC;g/kg.</p> <h3>Propriedades farmacocin&#xE9;ticas</h3> <h4>Absor&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Em toda a faixa de doses recomendadas, as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas de Cloridrato de Remifentanila s&#xE3;o proporcionais &#xE0; dose utilizada. Para cada incremento de 0,1 &#x3BC;g/kg/min na velocidade de infus&#xE3;o, a concentra&#xE7;&#xE3;o plasm&#xE1;tica da Cloridrato de Remifentanila aumenta em 2,5 ng/mL.</p> <h4>Distribui&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>O volume de distribui&#xE7;&#xE3;o central &#xE9; de 100 mL/kg, enquanto o volume de distribui&#xE7;&#xE3;o no estado de equil&#xED;brio &#xE9; de 350 mL/kg.</p> <p>A Cloridrato de Remifentanila liga-se &#xE0;s <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/proteinas/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">prote&#xED;nas</a> plasm&#xE1;ticas em aproximadamente 70%.</p> <h4>Metabolismo</h4> <p>Opi&#xE1;ceo metabolizado por esterases, a Cloridrato de Remifentanila &#xE9; suscet&#xED;vel &#xE0; metaboliza&#xE7;&#xE3;o por esterases n&#xE3;o espec&#xED;ficas do sangue e dos tecidos. O metabolismo dessa droga resulta na forma&#xE7;&#xE3;o de um metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico essencialmente inativo (4.600 vezes menos potente que a drogam&#xE3;e), cuja meia-vida em adultos sadios &#xE9; de 2 horas.</p> <p>Aproximadamente 95% de Cloridrato de Remifentanila &#xE9; excretada na urina na forma desse metab&#xF3;lito. Essa droga n&#xE3;o &#xE9; um substrato da colinesterase plasm&#xE1;tica.</p> <h4>Elimina&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o das doses recomendadas, a meia-vida biol&#xF3;gica efetiva de Cloridrato de Remifentanila &#xE9; de 3 a 10 minutos. O <em>clearance </em>m&#xE9;dio desse f&#xE1;rmaco em adultos jovens sadios &#xE9; de 40 mL/kg/min.</p> <h4>Grupos especiais</h4> <h5>Anestesia card&#xED;aca</h5> <p>O<em> clearance</em> da Cloridrato de Remifentanila se reduz em at&#xE9; 20% durante o bypass cardiovascular hipot&#xE9;rmico (28&#xBA;C). A diminui&#xE7;&#xE3;o da temperatura corporal tamb&#xE9;m reduz o <em>clearance</em> em 3% por grau Celsius.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia renal</h5> <p>A r&#xE1;pida recupera&#xE7;&#xE3;o da seda&#xE7;&#xE3;o e da analgesia induzidas pela Cloridrato de Remifentanila n&#xE3;o &#xE9; afetada pelo<em> status</em> renal. A farmacocin&#xE9;tica da Cloridrato de Remifentanila n&#xE3;o &#xE9; significantemente alterada em pacientes com v&#xE1;rios graus de insufici&#xEA;ncia renal, mesmo ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o do f&#xE1;rmaco por at&#xE9; tr&#xEA;s dias em unidade de terapia intensiva.</p> <p>O <em>clearance </em>do metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico se reduz nos pacientes com disfun&#xE7;&#xE3;o renal. Nos internados em UTI com disfun&#xE7;&#xE3;o renal de moderada a grave a concentra&#xE7;&#xE3;o do metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico pode exceder 250 vezes o n&#xED;vel da Cloridrato de Remifentanila no estado de equil&#xED;brio em alguns pacientes. Dados cl&#xED;nicos demonstraram que o ac&#xFA;mulo do metab&#xF3;lito n&#xE3;o resulta em efeitos clinicamente relevantes dos &#x3BC;-opi&#xE1;ceos nem mesmo ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o de infus&#xF5;es de Cloridrato de Remifentanila por at&#xE9; tr&#xEA;s dias nesses pacientes.</p> <p>N&#xE3;o existem evid&#xEA;ncias de que a Cloridrato de Remifentanila seja eliminada durante a <a href=\"https://consultaremedios.com.br/produtos-hospitalares/hemodialise/c\" target=\"_blank\">hemodi&#xE1;lise</a>. O metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico, por outro lado, &#xE9; excretado na hemodi&#xE1;lise (30% no m&#xED;nimo).</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h5> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Cloridrato de Remifentanila n&#xE3;o se altera em pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica grave que aguardam transplante nem na fase anep&#xE1;tica (durante o transplante de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a>). Os pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica grave podem ser um pouco mais sens&#xED;veis ao efeito depressor respirat&#xF3;rio da Cloridrato de Remifentanila. Esses pacientes devem ser monitorados de perto, ajustando-se a dose do anest&#xE9;sico a suas necessidades individuais.</p> <h5>Pacientes pedi&#xE1;tricos</h5> <p>Em pacientes pedi&#xE1;tricos de 5 dias a 17 anos de idade, o <em>clearance</em> m&#xE9;dio e o volume de distribui&#xE7;&#xE3;o no estado de equil&#xED;brio da Cloridrato de Remifentanila aumentam nas crian&#xE7;as mais jovens e diminuem nos adolescentes sadios de 17 anos. A meia-vida do f&#xE1;rmaco n&#xE3;o &#xE9; significativamente diferente nos neonatos, e isso sugere que as altera&#xE7;&#xF5;es do efeito analg&#xE9;sico ap&#xF3;s as mudan&#xE7;as de velocidade de infus&#xE3;o devem ser r&#xE1;pidas e similares &#xE0;s observadas em adultos jovens sadios. A farmacocin&#xE9;tica do metab&#xF3;lito &#xE1;cido carbox&#xED;lico em pacientes pedi&#xE1;tricos de 2 a 17 anos de idade &#xE9; similar &#xE0; observada em adultos ap&#xF3;s a corre&#xE7;&#xE3;o das diferen&#xE7;as de peso.</p> <h5>Pacientes idosos</h5> <p>O<em> clearance </em>da Cloridrato de Remifentanila se reduz levemente (cerca de 25%) nos pacientes idosos (maiores de 65 anos) em compara&#xE7;&#xE3;o aos mais jovens. A atividade farmacodin&#xE2;mica desse anest&#xE9;sico aumenta com a idade.</p> <p>Os pacientes idosos apresentam CE<sub>50</sub> (concentra&#xE7;&#xE3;o efetiva de 50%) da Cloridrato de Remifentanila para a forma&#xE7;&#xE3;o de ondas delta no <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/eletroencefalograma-eeg-o-que-e-tipos-e-para-que-serve-o-exame-2/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">eletroencefalograma</a> 50% menor que a dos pacientes mais jovens; portanto, a dose inicial de Cloridrato de Remifentanila deve ser reduzida em 50% nesses pacientes e depois ajustada cuidadosamente a suas necessidades individuais.</p> <h5>Passagem para a placenta e para o leite materno</h5> <p>Em um ensaio cl&#xED;nico realizado com seres humanos, verificou-se que a concentra&#xE7;&#xE3;o da Cloridrato de Remifentanila no sangue fetal atingia aproximadamente 50% da concentra&#xE7;&#xE3;o desse anest&#xE9;sico no sangue materno. A rela&#xE7;&#xE3;o da concentra&#xE7;&#xE3;o arteriovenosa fetal da Cloridrato de Remifentanila foi de cerca de 30%, o que sugere a ocorr&#xEA;ncia de metaboliza&#xE7;&#xE3;o da droga pelo rec&#xE9;m-nascido.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Ultiva?

Este medicamento deve ser guardado dentro da embalagem original e conservado em temperatura inferior a 25°C. Com a reconstituição e a posterior diluição, Ultiva&nbsp;permanece estável por 24 horas em temperatura ambiente (25°C).

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas

Massa branca ou esbranquiçada que pode estar intacta ou fragmentada. Quando reconstituído com água esterilizada para injeção, o produto é um líquido transparente, incolor e praticamente livre de matéria particulada.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Dizeres Legais do Ultiva

Registro MS nº 1.3764.0167

Farm. Resp.:
Dra. Viviane Letícia Santiago Ferreira
CRF-ES 5139

Fabricado por:
GlaxoSmithKline Manufacturing S.P.A.
Strada Provinciale Asolana n.º 90 (loc. San Polo), 43056 Torrile (PR) – Parma – Itália

Registrado e Importado por:
Aspen Pharma Indústria Farmacêutica Ltda.
Avenida Acesso Rodoviário, Módulo 01, Quadra 09, TIMS – Serra/ES
CNPJ: 02.433.631/0001-20
Indústria Brasileira



Uso restrito a hospitais.

Atenção: Pode causar dependencia física ou psíquica.

Venda sob prescrição médica com notificação de receita "A".

Fabricante: Aspen Pharma

© 2021 Medicamento Lab.