Baldacci Amiobal

200mg, caixa com 30 comprimidos

Princípio ativo
:
Cloridrato De Amiodarona
Classe Terapêutica
:
Antiarrítmicos Cardíacos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Sistema Cardiovascular (Circulação)
Especialidade
:
Cardiologia

Bula do medicamento

Amiobal, para o que é indicado e para o que serve?

Amiobal® é indicado para os seguintes casos:

  • <li>Dist&#xFA;rbios graves do ritmo card&#xED;aco, inclusive aqueles resistentes a outras terap&#xEA;uticas;</li> <li>Taquicardia ventricular sintom&#xE1;tica (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca que se origina nos ventr&#xED;culos do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Taquicardia supraventricular sintom&#xE1;tica (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca que se origina nos &#xE1;trios do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Altera&#xE7;&#xF5;es do ritmo card&#xED;aco associadas &#xE0; s&#xED;ndrome de Wolff-Parkinson-White (uma forma de arritmia, que &#xE9; uma altera&#xE7;&#xE3;o na frequ&#xEA;ncia ou no ritmo dos batimentos card&#xED;acos).</li>

Devido às propriedades farmacológicas da amiodarona, Amiobal® é particularmente indicado quando os distúrbios do ritmo forem capazes de agravar uma patologia clínica subjacente [insuficiência coronariana (dor no peito é o sintoma mais comum), insuficiência cardíaca].

Quais as contraindicações do Amiobal?

Você não deve utilizar Amiobal® nos seguintes casos:

  • <li>Alergia conhecida ao <a href="https://consultaremedios.com.br/b/iodo" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/iodo/pa" target="_blank">iodo</a>, &#xE0; amiodarona ou a quaisquer componentes da f&#xF3;rmula.</li>

Este medicamento é contraindicado para o uso por pacientes:

  • <li>Com bradicardia sinusal (diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca), bloqueio sinoatrial (bloqueio na propaga&#xE7;&#xE3;o dos impulsos el&#xE9;tricos nesta parte do cora&#xE7;&#xE3;o) e doen&#xE7;a do n&#xF3; sinusal (estrutura do cora&#xE7;&#xE3;o respons&#xE1;vel pela fun&#xE7;&#xE3;o de marcar o passo natural), devido ao risco de parada sinusal, dist&#xFA;rbios severos de condu&#xE7;&#xE3;o atrioventricular (na condu&#xE7;&#xE3;o dos impulsos el&#xE9;tricos nesta parte do cora&#xE7;&#xE3;o), a menos que voc&#xEA; esteja com um marcapasso implantado;</li> <li>Que fazem uso de associa&#xE7;&#xE3;o com medicamentos que possam induzir &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D; (altera&#xE7;&#xE3;o grave nos batimentos card&#xED;acos);</li> <li>Com disfun&#xE7;&#xE3;o da <a href="https://consultaremedios.com.br/tireoide/c" target="_blank">tireoide</a>;</li> <li>Gr&#xE1;vidas, exceto em circunst&#xE2;ncias excepcionais;</li> <li>Que amamentam.</li>

Todas estas contraindicações listadas não se aplicam quando a amiodarona é utilizada na sala de emergência, em casos de fibrilação ventricular resistente a ressuscitação cardiopulmonar por choque (desfibrilador).

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez.

Como usar o Amiobal?

Você deve tomar os comprimidos inteiros com quantidade suficiente de líquido, durante ou após as refeições, por via oral.

Dose inicial de ataque

A dose de ataque usual varia de 600 a 1000 mg ao dia durante 8 a 10 dias.

Dose de manutenção

Determinar a dose mínima eficaz, que pode variar de 100 a 400 mg diários.

Considerando a longa meia-vida da amiodarona, o tratamento pode ser administrado em dias alternados (200 mg em dias alternados quando a posologia recomendada é de 100 mg por dia). Também tem sido adotado o esquema de “janela terapêutica”, administrando-se o medicamento durante 5 dias e instituindo intervalo de 2 dias sem medicação.

Risco de uso por via de administração não recomendada

Não há estudos dos efeitos de cloridrato de amiodarona administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via oral, conforme recomendado pelo seu médico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser mastigado.

Como o Amiobal funciona?

Amiobal® é um produto que contém em sua fórmula o cloridrato de amiodarona. Esta substância tem a finalidade de regularizar as alterações dos batimentos cardíacos (arritmias), que podem ocorrer em alguns tipos de doença.

A ação inicial após administração oral varia de 2-3 dias até 3-6 semanas. O efeito terapêutico de Amiobal® deve-se ao acúmulo do cloridrato de amiodarona nos tecidos.

Quais cuidados devo ter ao usar o Amiobal?

Uma vez que os efeitos adversos são geralmente dose-relacionados, deve ser administrada a dose mínima efetiva de manutenção.

Durante o tratamento com Amiobal®, você deve evitar a exposição aos raios solares e utilizar medidas de proteção.

Monitoramento

Antes do início do tratamento com amiodarona, é recomendada a realização de ECG (eletrocardiograma) e avaliação de potássio sérico. O monitoramento das transaminases e ECG é recomendado durante o tratamento.

Além disso, como a amiodarona pode induzir o hipotireoidismo (produção insuficiente de hormônio tireoide) ou hipertireoidismo (produção excessiva de hormônio tireoide), particularmente em pacientes com histórico de distúrbios da tireoide, o monitoramento clínico e biológico (TSH ultrassensível) é recomendado antes de iniciar o tratamento com amiodarona. Este monitoramento deve ser conduzido durante o tratamento e&nbsp;por vários meses após a sua descontinuação. O nível sérico de TSH ultrassensível deve ser avaliado quando há suspeita de disfunção da tireoide.

Em particular, no contexto da administração crônica de medicamentos antiarrítmicos, foram relatados casos de aumento na desfibrilação ventricular e/ou limiar de estimulação do marcapasso ou do dispositivo cardioversor desfibrilador implantável, afetando potencialmente sua eficácia. Portanto, verificações repetidas da função do aparelho são recomendadas antes do início e durante o tratamento com amiodarona.

Anormalidades do hormônio tireoidiano

A presença de iodo na molécula da amiodarona pode alterar o resultado de alguns testes tireoidianos (fixação do iodo radioativo, PBI), mas isto não impede a avaliação da função da tireoide através de outros testes (T3 livre, T4 livre e TSH ultrassensível).

A amiodarona inibe a conversão periférica de tiroxina (T4) em triiodotiroxina (T3) (hormônios produzidos pela tireoide) e pode causar alterações bioquímicas isoladas (aumento do nível sérico de T4 livre, com leve redução ou mesmo nível normal de T3 livre), em pacientes clinicamente eutireoidianos (função normal da tireoide). Nesses casos, não há razão para a descontinuação do tratamento.

Deve-se suspeitar de hipotireoidismo se os seguintes sinais clínicos, geralmente leves, ocorrerem: ganho de peso, intolerância ao frio, diminuição das atividades, bradicardia excessiva. O diagnóstico é comprovado pelo claro aumento do nível sérico de TSH ultrassensível. O eutireoidismo é geralmente obtido dentro de 1 a 3 meses após a descontinuação do tratamento. Em situações onde haja risco de vida, a terapia com amiodarona pode ser continuada, em combinação com L-tiroxina. A dose de L-tiroxina deve ser ajustada de acordo com os níveis de TSH.

Anestesia

Antes da cirurgia, o anestesista deve ser informado sobre o tratamento com amiodarona.

Gravidez e amamentação

A amiodarona é contraindicada durante a gravidez em virtude de seus efeitos na glândula tireoide do feto a menos que, a critério médico, os benefícios superem os riscos ao feto. A amiodarona é excretada no leite materno em quantidades significativas e por isso, é contraindicada em lactantes.

Alterações na capacidade de dirigir e operar máquinas

De acordo com os dados de segurança da amiodarona, não existem evidências de que a amiodarona prejudique a habilidade de dirigir veículos ou operar máquinas.

Advertências do&nbsp;Amiobal

{"tag":"hr","value":" <h3>Dist&#xFA;rbios card&#xED;acos</h3> <p>Foi reportado o aparecimento de novas arritmias (altera&#xE7;&#xE3;o na frequ&#xEA;ncia ou no ritmo dos batimentos card&#xED;acos) ou a piora de arritmias tratadas, algumas vezes de forma fatal. &#xC9; importante, por&#xE9;m dif&#xED;cil, diferenciar uma falta de efeito do medicamento de um efeito pr&#xF3;-arr&#xED;tmico associado ou n&#xE3;o a uma piora da condi&#xE7;&#xE3;o card&#xED;aca. Os efeitos pr&#xF3;-arr&#xED;tmicos s&#xE3;o mais raramente reportados com amiodarona do que com outros agentes antiarr&#xED;tmicos, e geralmente ocorrem no contexto de fatores que prolongam o intervalo QT, tais como intera&#xE7;&#xF5;es medicamentosas e/ou dist&#xFA;rbios eletrol&#xED;ticos. Apesar do prolongamento do intervalo QT, a amiodarona exibe baixa atividade torsadog&#xEA;nica (capacidade de provocar altera&#xE7;&#xF5;es no eletrocardiograma chamadas &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D;).</p> <p>A a&#xE7;&#xE3;o farmacol&#xF3;gica da amiodarona induz altera&#xE7;&#xF5;es no eletrocardiograma (exame que avalia a varia&#xE7;&#xE3;o dos potenciais el&#xE9;tricos gerados pela atividade el&#xE9;trica do cora&#xE7;&#xE3;o), tais como prolongamento do intervalo QT (relacionado ao prolongamento da repolariza&#xE7;&#xE3;o) com poss&#xED;vel desenvolvimento de onda U (um dos eventos avaliados no eletrocardiograma). Entretanto, estas altera&#xE7;&#xF5;es n&#xE3;o indicam intoxica&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>Em pacientes idosos, a redu&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca pode ser mais pronunciada.</p> <p>O tratamento deve ser descontinuado no caso de aparecimento de bloqueio atrioventricular de 2&#xBA; ou 3&#xBA; grau, bloqueio sinoatrial ou de bloqueio bi-fascicular (altera&#xE7;&#xF5;es eletrocardiogr&#xE1;ficas identificadas pelo profissional de sa&#xFA;de).</p> <h3>Bradicardia (diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca) severa</h3> <p>Casos de bradicardia severa, potencialmente com risco de vida e bloqueio card&#xED;aco foram observados quando a amiodarona &#xE9; administrada em combina&#xE7;&#xE3;o com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sofosbuvir/bula\" target=\"_blank\">sofosbuvir</a> (medicamento para tratar a <a href=\"https://consultaremedios.com.br/infectologia/hepatite/hepatite-c/c\" target=\"_blank\">hepatite C</a>) em combina&#xE7;&#xE3;o com outro antiviral (s&#xE3;o f&#xE1;rmacos usados para o tratamento de infec&#xE7;&#xF5;es por v&#xED;rus) de a&#xE7;&#xE3;o direta contra o v&#xED;rus da hepatite C, tais como <a href=\"https://consultaremedios.com.br/daclatasvir/bula\" target=\"_blank\">daclatasvir</a>, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/simeprevir-sodico/bula\" target=\"_blank\">simeprevir</a>, ou ledipasvir. Portanto, a coadministra&#xE7;&#xE3;o destes agentes com amiodarona n&#xE3;o &#xE9; recomendada.</p> <p>Se o uso concomitante (ao mesmo tempo) com amiodarona n&#xE3;o puder ser evitado, recomenda-se que os pacientes sejam cuidadosamente monitorados quando se iniciar o uso de sofosbuvir em combina&#xE7;&#xE3;o com outros antivirais de a&#xE7;&#xE3;o direta. Pacientes identificados com alto risco de bradiarritmia (altera&#xE7;&#xE3;o na frequ&#xEA;ncia e ritmo card&#xED;aco) devem ser monitorados continuamente por pelo menos 48 horas em um ambiente cl&#xED;nico adequado, ap&#xF3;s o in&#xED;cio do tratamento concomitante com sofosbuvir.</p> <p>Devido &#xE0; meia vida (medida usada para indicar a elimina&#xE7;&#xE3;o) longa da amiodarona, um monitoramento apropriado tamb&#xE9;m deve ser realizado em pacientes que descontinuaram amiodarona dentro dos &#xFA;ltimos meses, e que iniciar&#xE3;o com sofosbuvir em combina&#xE7;&#xE3;o com outros antivirais de a&#xE7;&#xE3;o direta.</p> <p>Os pacientes que recebem esses <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/medicamentos-hepatite\" target=\"_blank\">medicamentos para </a><a href=\"https://consultaremedios.com.br/infectologia/hepatite/c\" target=\"_blank\">hepatite</a> C com amiodarona, com ou sem outros medicamentos que diminuem a frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca, devem ser advertidos sobre os sintomas de bradicardia e bloqueio card&#xED;aco e, caso ocorra, devem ser orientados a procurar imediatamente um m&#xE9;dico.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios pulmonares</h3> <p>O aparecimento de dispneia (falta de ar) ou <a href=\"https://consultaremedios.com.br/gripes-e-resfriados/tosse/c\" target=\"_blank\">tosse</a> n&#xE3;o produtiva pode estar relacionado &#xE0; toxicidade pulmonar tal como pneumonite intersticial (tipo de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c\" target=\"_blank\">pneumonia</a>). Casos muito raros de pneumonite intersticial t&#xEA;m sido relatados com o uso intravenoso de amiodarona. Deve-se realizar raio-X de t&#xF3;rax, quando h&#xE1; suspeita de pneumonite em pacientes que desenvolveram dispneia de esfor&#xE7;o, isolada ou associada com piora do estado geral (<a href=\"https://minutosaudavel.com.br/cansaco/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">cansa&#xE7;o</a>, perda de peso, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c\" target=\"_blank\">febre</a>). A terapia com amidarona deve ser reavaliada visto que a pneumonite intersticial &#xE9; geralmente revers&#xED;vel ap&#xF3;s a retirada precoce de amiodarona (sinais cl&#xED;nicos geralmente regridem dentro de 3 a 4 semanas, seguido por lenta melhora da fun&#xE7;&#xE3;o pulmonar e radiol&#xF3;gica dentro de alguns meses), e deve ser considerado um tratamento com corticosteroides.</p> <p>Foram observados casos muito raros de complica&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias severas, &#xE0;s vezes fatais, geralmente no per&#xED;odo imediato ap&#xF3;s uma cirurgia (s&#xED;ndrome de ang&#xFA;stia respirat&#xF3;ria do adulto); isto pode estar relacionado com altas concentra&#xE7;&#xF5;es de oxig&#xEA;nio.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a></h3> <p>Um monitoramento cuidadoso dos testes de fun&#xE7;&#xE3;o hep&#xE1;tica (transaminases - enzimas do f&#xED;gado) &#xE9; recomend&#xE1;vel assim que o uso da amiodarona for iniciado e regularmente durante o tratamento. Podem ocorrer dist&#xFA;rbios hep&#xE1;ticos agudos (incluindo insufici&#xEA;ncia hepatocelular severa ou insufici&#xEA;ncia do f&#xED;gado, algumas vezes fatal) e cr&#xF4;nicos, com o uso de amiodarona nas formas oral e intravenosa e nas primeiras 24 horas da administra&#xE7;&#xE3;o por via IV. Portanto, a dose de amiodarona deve ser reduzida ou o tratamento descontinuado se o aumento de transaminases exceder tr&#xEA;s vezes o valor normal.</p> <p>Os sinais cl&#xED;nicos e biol&#xF3;gicos de insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica cr&#xF4;nica decorrentes do uso oral de amiodarona podem ser m&#xED;nimos (aumento do f&#xED;gado, aumento das transaminases em at&#xE9; 5 vezes os valores normais) e revers&#xED;veis ap&#xF3;s a suspens&#xE3;o do tratamento, contudo foram relatados casos fatais.</p> <h3>Rea&#xE7;&#xF5;es bolhosas severas</h3> <p>Rea&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas com risco de morte ou at&#xE9; mesmo fatais S&#xED;ndrome de Stevens-Johnson (SSJ - forma grave de rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica caracterizada por bolhas em mucosas e em grandes &#xE1;reas do corpo) e necr&#xF3;lise&amp;nbsp;epid&#xE9;rmica t&#xF3;xica (NET - quadro grave, caracterizado por erup&#xE7;&#xE3;o generalizada, com bolhas rasas extensas e &#xE1;reas de necrose epid&#xE9;rmica, &#xE0; semelhan&#xE7;a do grande queimado, resultante principalmente de uma rea&#xE7;&#xE3;o t&#xF3;xica a v&#xE1;rios medicamentos).</p> <p>Se sinais ou sintomas de SSJ ou NET (erup&#xE7;&#xE3;o cut&#xE2;nea progressiva frequentemente com bolha ou les&#xE3;o na mucosa) aparecerem, o tratamento com amiodarona deve ser descontinuado imediatamente.</p> <h3>Intera&#xE7;&#xF5;es medicamentosas</h3> <p>O uso concomitante de amiodarona n&#xE3;o &#xE9; recomendado com os seguintes f&#xE1;rmacos: betabloqueadores (classe de medicamentos que diminuem os batimentos card&#xED;acos), bloqueadores de canais de c&#xE1;lcio que diminuem a frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca (<a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-verapamil/bula\" target=\"_blank\">verapamil</a>, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-diltiazem/bula\" target=\"_blank\">diltiazem</a>), <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/laxantes/c\" target=\"_blank\">laxantes</a> que podem causar <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipocalemia-sintomas-tratamento-causas-prevencao-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">hipocalemia</a> (redu&#xE7;&#xE3;o dos n&#xED;veis de pot&#xE1;ssio no sangue).</p> <h3>Hipertireoidismo&amp;nbsp;</h3> <p>O hipertireoidismo pode ocorrer durante o tratamento com amiodarona ou em at&#xE9; alguns meses ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o. As caracter&#xED;sticas cl&#xED;nicas, normalmente leves, como a perda de peso, princ&#xED;pio de arritmia, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/angina/c\" target=\"_blank\">angina</a> e insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca congestiva devem alertar o m&#xE9;dico.&amp;nbsp;</p> <p>&amp;nbsp;diagn&#xF3;stico &#xE9; sustentado por uma diminui&#xE7;&#xE3;o clara nos n&#xED;veis s&#xE9;ricos de TSH ultrassens&#xED;vel (horm&#xF4;nio que induz a maior ou menor atividade da tireoide). Nesse caso, a administra&#xE7;&#xE3;o de amiodarona deve ser suspensa. A recupera&#xE7;&#xE3;o geralmente ocorre dentro de alguns meses ap&#xF3;s a suspens&#xE3;o do tratamento; a recupera&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica antecede a normaliza&#xE7;&#xE3;o dos testes da fun&#xE7;&#xE3;o tireoidiana. Casos graves, com presen&#xE7;a cl&#xED;nica de tireotoxicose (disfun&#xE7;&#xE3;o da gl&#xE2;ndula tireoide), &#xE0;s vezes fatais, requerem tratamento terap&#xEA;utico de emerg&#xEA;ncia. O tratamento deve ser ajustado individualmente: medicamentos antitireoidianos (que nem sempre s&#xE3;o efetivos), terapia com corticosteroides, betabloqueadores.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios neuromusculares</h3> <p>A amiodarona pode induzir a neuropatia (doen&#xE7;a do sistema nervoso) sensitivo-motora perif&#xE9;rica e/ou miopatia (doen&#xE7;a muscular). A recupera&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s suspens&#xE3;o do tratamento geralmente ocorre dentro de alguns meses, mas algumas vezes de forma incompleta.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios oculares (dos olhos)</h3> <p>Se ocorrer diminui&#xE7;&#xE3;o da vis&#xE3;o ou a mesma ficar emba&#xE7;ada, deve-se fazer prontamente um exame oftalmol&#xF3;gico completo, incluindo fundoscopia (avalia&#xE7;&#xE3;o do fundo do olho). O aparecimento de neuropatia &#xF3;ptica e/ou neurite (inflama&#xE7;&#xE3;o do nervo) &#xF3;ptica que s&#xE3;o dist&#xFA;rbios do nervo &#xF3;ptico (do olho) requer a suspens&#xE3;o do tratamento com amiodarona, j&#xE1; que pode levar a cegueira.</p> "}

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Amiobal?

As seguintes definições de frequência são usadas:

Muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes), comum (ocorre entre 1 e 10% dos pacientes), incomum (ocorre entre 0,1 e 1% dos pacientes), rara (ocorre entre 0,01 e 0,1% dos pacientes) e muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes) e desconhecida (não pode ser estimada pelos dados disponíveis).

Distúrbios sanguíneos e do sistema linfático

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: <a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-hemolitica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-do-sangue/anemia/c" target="_blank">anemia</a> hemol&#xED;tica (anemia devido &#xE0; quebra anormal de hem&#xE1;cias nos vasos sangu&#xED;neos), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-aplastica" target="_blank">anemia apl&#xE1;stica</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o da produ&#xE7;&#xE3;o de gl&#xF3;bulos vermelhos do sangue) e <a href="https://minutosaudavel.com.br/trombocitopenia/" rel="noopener" target="_blank">trombocitopenia</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de plaquetas);</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: neutropenia (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de neutr&#xF3;filos no sangue) e agranulocitose (diminui&#xE7;&#xE3;o acentuada na contagem de c&#xE9;lulas brancas do sangue).</li>

Distúrbios do coração

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: bradicardia (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de batimentos card&#xED;acos) geralmente moderada e dose dependente;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es incomuns: aparecimento ou piora da arritmia (dist&#xFA;rbios do ritmo card&#xED;aco), seguida, &#xE0;s vezes, por parada card&#xED;aca; altera&#xE7;&#xF5;es da condu&#xE7;&#xE3;o (bloqueio sinoatrial e atrioventricular de v&#xE1;rios graus);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: bradicardia acentuada ou parada sinusal em pacientes com disfun&#xE7;&#xE3;o do n&#xF3;dulo sinusal e/ou em pacientes idosos;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es com frequ&#xEA;ncia desconhecida: &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D; (tipo de altera&#xE7;&#xE3;o grave nos batimentos card&#xED;acos).</li>

Distúrbios endócrinos (glandulares)

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: hipotireoidismo (diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o da gl&#xE2;ndula tireoide); hipertireoidismo (aumento da fun&#xE7;&#xE3;o da gl&#xE2;ndula tireoide), algumas vezes fatal;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: s&#xED;ndrome de secre&#xE7;&#xE3;o inapropriada do horm&#xF4;nio antidiur&#xE9;tico (SIADH).</li>

Distúrbios oculares

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns: microdep&#xF3;sitos na c&#xF3;rnea (parte transparente do olho que est&#xE1; na frente da &#xED;ris, que &#xE9; a &#x201C;cor do olho&#x201D;), geralmente limitados &#xE0; &#xE1;rea subpupilar. Eles podem ser associados com a percep&#xE7;&#xE3;o de halos coloridos, sob luz intensa ou de vis&#xE3;o turva. Os microdep&#xF3;sitos na c&#xF3;rnea consistem em dep&#xF3;sitos de complexos lip&#xED;dicos e s&#xE3;o revers&#xED;veis algum tempo ap&#xF3;s a suspens&#xE3;o do tratamento;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: neuropatia &#xF3;ptica/ neurite (doen&#xE7;a do sistema nervoso/les&#xE3;o inflamat&#xF3;ria ou degenerativa dos nervos), que pode progredir para a cegueira.</li>

Distúrbios gastrintestinais (do aparelho digestivo)

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns: Dist&#xFA;rbios gastrintestinais benignos (n&#xE1;useas, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">v&#xF4;mitos</a>, paladar f&#xE9;tido para alimentos saud&#xE1;veis) podem ocorrer em decorr&#xEA;ncia da dose de ataque e desaparecem com a redu&#xE7;&#xE3;o da dose;</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o do p&#xE2;ncreas) /pancreatite aguda, boca seca e constipa&#xE7;&#xE3;o (<a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">pris&#xE3;o de ventre</a>).</li>

Distúrbios gerais

  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o de frequ&#xEA;ncia desconhecida: Granuloma (pequeno n&#xF3;dulo inflamat&#xF3;rio), incluindo granuloma de medula &#xF3;ssea.</li>

Distúrbios hepatobiliares (do fígado e da bile)

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns: aumento isolado das transaminases s&#xE9;ricas (enzimas do f&#xED;gado), que s&#xE3;onormalmente moderados (1,5 a 3 vezes o valor normal) no in&#xED;cio da terapia. Os n&#xED;veis podem retornar ao normal com redu&#xE7;&#xE3;o da dose ou mesmo espontaneamente;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: dist&#xFA;rbios hep&#xE1;ticos agudos com aumento das transaminases s&#xE9;ricas e/ou <a href="https://minutosaudavel.com.br/ictericia/" rel="noopener" target="_blank">icter&#xED;cia</a> (colora&#xE7;&#xE3;o amarelada da pele), incluindo insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica, que &#xE0;s vezes pode ser fatal;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: doen&#xE7;a hep&#xE1;tica cr&#xF4;nica (pseudo <a href="https://consultaremedios.com.br/b/hepatite-alcoolica" target="_blank">hepatite alco&#xF3;lica</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/cirrose/c" target="_blank">cirrose</a>), &#xE0;s vezes fatal.</li>

Distúrbios do sistema imunológico

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-tipos-cerebral-pulmonar-etc-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">edema</a> angioneur&#xF3;tico - Edema de Quincke (incha&#xE7;o n&#xE3;o-inflamat&#xF3;rio da pele, mucosas, v&#xED;sceras e c&#xE9;rebro, de in&#xED;cio s&#xFA;bito e com dura&#xE7;&#xE3;o de horas a dias, acompanhado de outros sintomas como por exemplo, febre), rea&#xE7;&#xF5;es anafil&#xE1;ticas/anafilactoides (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica grave e imediata), incluindo choque;</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito rara: aumento do n&#xED;vel s&#xE9;rico de creatinina.</li>

Distúrbios do metabolismo e nutrição

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: diminui&#xE7;&#xE3;o do apetite.</li>

Distúrbios musculoesqueléticos e do tecido conjuntivo

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: s&#xED;ndrome &#x201C;lupus-like&#x201D; (um tipo de doen&#xE7;a auto-imune).</li>

Distúrbios do sistema nervoso

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: tremor extra-piramidal, pesadelos e dist&#xFA;rbios do sono;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es incomuns: neuropatia perif&#xE9;rica sensorimotor (dist&#xFA;rbio dos nervos perif&#xE9;ricos) e/ou miopatia s&#xE3;o geralmente revers&#xED;veis com a descontinua&#xE7;&#xE3;o do tratamento;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: ataxia cerebelar (falta de controle sobre os m&#xFA;sculos), hipertens&#xE3;o intracraniana benigna (caracterizada por <a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/dor-de-cabeca-e-enxaqueca/c" target="_blank">dor de cabe&#xE7;a</a>, n&#xE1;usea, altera&#xE7;&#xE3;o dos campos visuais, obscura&#xE7;&#xF5;es visuais transit&#xF3;rias e <a href="https://consultaremedios.com.br/doenca-nos-ouvidos/zumbido/c" target="_blank">zumbido</a> puls&#xE1;til), cefaleia (dor de cabe&#xE7;a);</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: parkinsonismo, parosmia (dist&#xFA;rbio do olfato).</li>

Distúrbios psiquiátricos

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: del&#xED;rio/estado confusional, alucina&#xE7;&#xE3;o.</li>

Distúrbios mamários e do sistema reprodutivo

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: epididimites (inflama&#xE7;&#xE3;o do epid&#xED;dimo, uma estrutura do test&#xED;culo), impot&#xEA;ncia;</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: diminui&#xE7;&#xE3;o da libido.</li>

Distúrbios respiratórios, torácicos e no mediastino

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: toxicidade pulmonar (pneumonite alveolar/intersticial ou fibrose, pleurite, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-bronquiolite-obliterante-e-viral-sintomas-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">bronquiolite</a> obliterante com pneumonia em organiza&#xE7;&#xE3;o) &#xE0;s vezes fatal;</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: hemorragia pulmonar;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: broncoespasmo (inflama&#xE7;&#xE3;o dos br&#xF4;nquios) em pacientes com insufici&#xEA;nciarespirat&#xF3;ria severa, especialmente em pacientes asm&#xE1;ticos. S&#xED;ndrome de ang&#xFA;stia respirat&#xF3;ria aguda do adulto (tipo de insufici&#xEA;ncia pulmonar), algumas vezes fatal, geralmente no per&#xED;odo p&#xF3;s cir&#xFA;rgico imediato (poss&#xED;vel intera&#xE7;&#xE3;o com elevadas concentra&#xE7;&#xF5;es de oxig&#xEA;nio).</li>

Distúrbios da pele e tecidos subcutâneos

  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito comum: fotossensibilidade (<a href="https://minutosaudavel.com.br/fotofobia/" rel="noopener" target="_blank">sensibilidade &#xE0; luz</a>);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: pigmenta&#xE7;&#xE3;o gris&#xE1;cea (colora&#xE7;&#xE3;o acinzentada) ou azulada da pele no caso de utiliza&#xE7;&#xE3;o prolongada ou de altas doses di&#xE1;rias. Com a interrup&#xE7;&#xE3;o do tratamento essa pigmenta&#xE7;&#xE3;o desaparece lentamente;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: eritema durante o uso de radioterapia, erup&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas, normalmente inespec&#xED;ficos, <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/dermatites/c" target="_blank">dermatite</a> esfoliativa, alopecia (<a href="https://consultaremedios.com.br/saude-do-homem/queda-de-cabelo-e-calvicie/c" target="_blank">queda de cabelo</a>);</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/eczema/c" target="_blank">eczema</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o da pele na qual ela fica vermelha, escamosa e algumas vezes com rachaduras ou pequenas bolhas), <a href="https://minutosaudavel.com.br/urticaria/" rel="noopener" target="_blank">urtic&#xE1;ria</a> (erup&#xE7;&#xE3;o na pele, geralmente de origem al&#xE9;rgica, que causa coceira), rea&#xE7;&#xF5;es de pele severas &#xE0;s vezes fatal incluindo necr&#xF3;lise epid&#xE9;rmica t&#xF3;xica/s&#xED;ndrome de Stevens- Johnson, dermatite bolhosa e rea&#xE7;&#xE3;o medicamentosa com eosinofilia e sintomas sist&#xEA;micos.</li>

Distúrbios vasculares

  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito rara: vasculite (inflama&#xE7;&#xE3;o do vaso sangu&#xED;neo).</li>

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Pacientes idosos

Em pacientes idosos, a redução da frequência cardíaca pode ser mais pronunciada com o uso da amiodarona.

Crianças

A segurança e eficácia da amiodarona em pacientes pediátricos não foram estabelecidas, portanto a sua utilização não é recomendada.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Amiobal?

Caso esqueça de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia. Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Amiobal?

Amiobal® 100 mg:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Cloridrato de amiodarona (equivalente a 94,65 mg de amiodarona)</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">100 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">1 comprimido</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: ácido esteárico, amido, amidoglicolato de sódio, azul brilhante 133 laca de alumínio, dióxido de silício, lactose monoidratada e povidona.

Amiobal® 200 mg:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Cloridrato de amiodarona (equivalente a 189,29 mg de amiodarona)</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">200 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">1 comprimido</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: ácido esteárico, amido, amidoglicolato de sódio, azul brilhante 133 laca de alumínio, dióxido de silício, lactose monoidratada e povidona.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Amiobal maior do que a recomendada?

Sintomas

Não há muitos dados disponíveis sobre superdose de amiodarona oral. Foram relatados raros casos de bradicardia sinusal (diminuição do número de batimentos cardíacos), bloqueio cardíaco, taquicardia ventricular (aumento do número de batimentos cardíacos), “torsade de pointes”, insuficiência circulatória e disfunção hepática.

Tratamento

O tratamento deve ser sintomático. A amiodarona e seus metabólitos não são removidos em diálise.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Amiobal com outros remédios?

Interações Farmacodinâmicas

Interações medicamento-medicamento
Medicamentos que induzem “torsade de pointes” ou prolongamento do QT
Medicamentos que induzem “torsade de pointes”. As associações com medicamentos que podem induzir “torsade de pointes” são contraindicadas:
  • <li>Medicamentos antiarr&#xED;tmicos tais como os da Classe Ia, sotalol, bepridil;</li> <li>Medicamentos n&#xE3;o antiarr&#xED;tmicos tais como: vincamina, alguns agentes neurol&#xE9;pticos, cisaprida, <a href="https://consultaremedios.com.br/eritromicina/bula" target="_blank">eritromicina</a> IV, pentamidina (quando administradas por via parenteral), uma vez que existe um aumento no risco de ocorrer &#x201C;torsade de pointes&#x201D; potencialmente letal.</li>
Medicamentos que causam prolongamento QT
  • <li>A administra&#xE7;&#xE3;o concomitante de amiodarona com medicamentos conhecidos por prolongar o intervalo QTdeve estar baseada em uma avalia&#xE7;&#xE3;o cuidadosa dos riscos e benef&#xED;cios potenciais para cada paciente, pois o risco de &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D; pode aumentar e os pacientes devem ser monitorados quanto ao prolongamento do intervalo QT.</li> <li>Fluoroquinolonas (classe de <a href="https://consultaremedios.com.br/infeccoes/antibioticos/c" target="_blank">antibi&#xF3;tico</a>) devem ser evitadas por pacientes recebendo amiodarona.</li>
Medicamentos que reduzem a frequência cardíaca ou que causam distúrbios de automatismo ou condução
As associações com estes medicamentos não são recomendadas:
  • <li>Betabloqueadores e bloqueadores do canal de c&#xE1;lcio que reduzem a frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca (verapamil, diltiazem), uma vez que podem ocorrer dist&#xFA;rbios de automatismo (bradicardia excessiva) e de condu&#xE7;&#xE3;o.</li>
Medicamentos que podem induzir hipocalemia:
As associações com os seguintes medicamentos não são recomendadas:
  • <li>Laxativos estimulantes podem levar a hipocalemia (diminui&#xE7;&#xE3;o da concentra&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio no sangue) e consequentemente, ao aumento do risco de &#x201C;torsade de pointes&#x201D;. Por isso, devem ser utilizados outros tipos de laxantes.</li>
Deve-se ter cautela quando os seguintes medicamentos são utilizados em associação com Amiobal®:
  • <li>Alguns <a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/diureticos/c" target="_blank">diur&#xE9;ticos</a> indutores de hipocalemia, isolados ou combinados;</li> <li>Corticosteroides sist&#xEA;micos (gluco-, mineralo-), tetracosactida;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/anfotericina-b/bula" target="_blank">Anfotericina B</a> (IV).</li>

Deve-se prevenir o início de hipocalemia (e corrigir a hipocalemia); o intervalo QT (intervalo específico do eletrocardiograma) deve ser monitorado e, em caso de “torsade de pointes”, não administrar antiarrítmicos (instituir marcapasso ventricular; pode ser administrado magnésio IV).

Anestesia geral
Foram relatadas complicações potencialmente severas em pacientes submetidos à anestesia geral:
  • <li>Bradicardia (irresponsiva &#xE0; atropina), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotensao-pressao-baixa-sintomas-na-gravidez-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipotens&#xE3;o</a>, dist&#xFA;rbios da condu&#xE7;&#xE3;o, redu&#xE7;&#xE3;o do d&#xE9;bito card&#xED;aco (volume de sangue bombeado pelo cora&#xE7;&#xE3;o).</li>

Foram observados casos muito raros de complicações respiratórias severas (síndrome de angústia respiratória aguda do adulto), às vezes fatais, geralmente no período pós-cirúrgico imediato. Isto pode estar relacionado com uma possível interação com altas concentrações de oxigênio.

Efeito de Amiobal® sobre outros produtos

A amiodarona e/ou seu metabólito, a desetilamiodarona, inibem os CYP1A1, CYP1A2, CYP3A4, CYP2C9, CYP2D6 e a glicoproteína P e podem aumentar a exposição de seus substratos.

Devido à longa meia-vida da amiodarona, as interações podem ser observadas por vários meses após a descontinuação do amiodarona.

Substratos P-gp

A amiodarona é um inibidor da P-gp. A administração concomitante com substratos da P-gp deverá resultar em aumento de suas exposições.

Digitálicos

Pode ocorrer perturbação no automatismo (bradicardia excessiva) e na condução atrioventricular (ação sinérgica). Além disso, um aumento na concentração plasmática da digoxina é possível devido à redução da depuração de digoxina.

Devem ser monitorados os níveis de digoxina plasmática e ECG. Os pacientes devem ser observados quanto aos sinais clínicos de toxicidade digitálica. Pode ser necessário ajuste posológico do digitálico.

Dabigatrana

Deve-se ter cautela quando a amiodarona é administrada com dabigatrana devido ao risco de sangramento.

Se necessário, ajustar a dose de dabigatrana de acordo com as informações de sua bula.

Substratos do CYP2C9

A amiodarona aumenta as concentrações de substratos da CYP2C9 tais como varfarina ou fenitoína através da inibição do citocromo P450 2C9.

Varfarina

A combinação de varfarina com amiodarona pode exacerbar o efeito do anticoagulante oral, elevando o risco de sangramento. É necessário monitorar os níveis de protrombina (INR) regularmente e ajustar as doses orais de anticoagulante durante e após o tratamento com amiodarona.

Fenitoína (utilizado no tratamento da epilepsia)

A combinação de fenitoína com amiodarona pode resultar em superdose de fenitoína, resultando em sinais neurológicos. Deve ser empregada monitoração clínica e a dose de fenitoína deve ser reduzida logo que surgirem sinais de superdose. Devem ser determinados os níveis de fenitoína plasmática.

Substratos do CYP2D6
Flecainida (utilizado no tratamento de arritmia cardíaca)

A amiodarona aumenta as concentrações plasmáticas da flecainida pela inibição do citocromo CYP2D6.

Portanto, a dose de flecainida deve ser ajustada.

Substratos do CP450 3A4 (enzimas do fígado)
  • <li>Quando tais subst&#xE2;ncias s&#xE3;o administradas concomitantemente com amiodarona, um inibidor do CYP3A4, pode ocorrer um aumento de suas concentra&#xE7;&#xF5;es no plasma, o que poder&#xE1; acarretar num poss&#xED;vel aumento de sua toxicidade.</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/ciclosporina/bula" target="_blank">Ciclosporina</a> (medicamento imunossupressor): a combina&#xE7;&#xE3;o com amiodarona pode aumentar os n&#xED;veis plasm&#xE1;ticos de ciclosporina. A dose deve ser ajustada.</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/fentanila/bula" target="_blank">Fentanila</a> (analg&#xE9;sico e anest&#xE9;sico): a combina&#xE7;&#xE3;o com amiodarona pode acentuar os efeitos farmacol&#xF3;gicos da fentanila e aumentar o risco de toxicidade.</li> <li>Estatinas (utilizados no tratamento do <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/colesterol/c" target="_blank">colesterol</a> elevado): o risco de toxicidade muscular [ex.: <a href="https://minutosaudavel.com.br/rabdomiolise/" rel="noopener" target="_blank">rabdomi&#xF3;lise</a> (les&#xE3;o muscular que pode levar a insufici&#xEA;ncia dos rins)] &#xE9; aumentado pela administra&#xE7;&#xE3;o concomitante de amiodarona e estatinas metabolizadas pelo CYP3A4 tais como <a href="https://consultaremedios.com.br/sinvastatina/bula" target="_blank">sinvastatina</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/atorvastatina-calcica/bula" target="_blank">atorvastatina</a> e <a href="https://consultaremedios.com.br/lovastatina/bula" target="_blank">lovastatina</a>. Recomenda-se o uso de estatinas n&#xE3;o metabolizadas pelo CYP3A4 quando administrado com amiodarona.</li> <li>Outros medicamentos metabolizados pelo CYP3A4: <a href="https://consultaremedios.com.br/lidocaina/bula" target="_blank"/></li>

Apresentações do Amiobal

Amiobal® 100 mg

Com 30 comprimidos.

Amiobal®&nbsp;200 mg

Com 20 ou 30 comprimidos.

Via oral.

Uso adulto.

Medicamento similar equivalente ao medicamento de referência.

100mg, caixa com 30 comprimidos

Princípio ativo
:
Cloridrato De Amiodarona
Classe Terapêutica
:
Antiarrítmicos Cardíacos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Sistema Cardiovascular (Circulação)
Especialidade
:
Cardiologia

Bula do medicamento

Amiobal, para o que é indicado e para o que serve?

Amiobal® é indicado para os seguintes casos:

  • <li>Dist&#xFA;rbios graves do ritmo card&#xED;aco, inclusive aqueles resistentes a outras terap&#xEA;uticas;</li> <li>Taquicardia ventricular sintom&#xE1;tica (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca que se origina nos ventr&#xED;culos do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Taquicardia supraventricular sintom&#xE1;tica (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca que se origina nos &#xE1;trios do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Altera&#xE7;&#xF5;es do ritmo card&#xED;aco associadas &#xE0; s&#xED;ndrome de Wolff-Parkinson-White (uma forma de arritmia, que &#xE9; uma altera&#xE7;&#xE3;o na frequ&#xEA;ncia ou no ritmo dos batimentos card&#xED;acos).</li>

Devido às propriedades farmacológicas da amiodarona, Amiobal® é particularmente indicado quando os distúrbios do ritmo forem capazes de agravar uma patologia clínica subjacente [insuficiência coronariana (dor no peito é o sintoma mais comum), insuficiência cardíaca].

Quais as contraindicações do Amiobal?

Você não deve utilizar Amiobal® nos seguintes casos:

  • <li>Alergia conhecida ao <a href="https://consultaremedios.com.br/b/iodo" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/iodo/pa" target="_blank">iodo</a>, &#xE0; amiodarona ou a quaisquer componentes da f&#xF3;rmula.</li>

Este medicamento é contraindicado para o uso por pacientes:

  • <li>Com bradicardia sinusal (diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca), bloqueio sinoatrial (bloqueio na propaga&#xE7;&#xE3;o dos impulsos el&#xE9;tricos nesta parte do cora&#xE7;&#xE3;o) e doen&#xE7;a do n&#xF3; sinusal (estrutura do cora&#xE7;&#xE3;o respons&#xE1;vel pela fun&#xE7;&#xE3;o de marcar o passo natural), devido ao risco de parada sinusal, dist&#xFA;rbios severos de condu&#xE7;&#xE3;o atrioventricular (na condu&#xE7;&#xE3;o dos impulsos el&#xE9;tricos nesta parte do cora&#xE7;&#xE3;o), a menos que voc&#xEA; esteja com um marcapasso implantado;</li> <li>Que fazem uso de associa&#xE7;&#xE3;o com medicamentos que possam induzir &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D; (altera&#xE7;&#xE3;o grave nos batimentos card&#xED;acos);</li> <li>Com disfun&#xE7;&#xE3;o da <a href="https://consultaremedios.com.br/tireoide/c" target="_blank">tireoide</a>;</li> <li>Gr&#xE1;vidas, exceto em circunst&#xE2;ncias excepcionais;</li> <li>Que amamentam.</li>

Todas estas contraindicações listadas não se aplicam quando a amiodarona é utilizada na sala de emergência, em casos de fibrilação ventricular resistente a ressuscitação cardiopulmonar por choque (desfibrilador).

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez.

Como usar o Amiobal?

Você deve tomar os comprimidos inteiros com quantidade suficiente de líquido, durante ou após as refeições, por via oral.

Dose inicial de ataque

A dose de ataque usual varia de 600 a 1000 mg ao dia durante 8 a 10 dias.

Dose de manutenção

Determinar a dose mínima eficaz, que pode variar de 100 a 400 mg diários.

Considerando a longa meia-vida da amiodarona, o tratamento pode ser administrado em dias alternados (200 mg em dias alternados quando a posologia recomendada é de 100 mg por dia). Também tem sido adotado o esquema de “janela terapêutica”, administrando-se o medicamento durante 5 dias e instituindo intervalo de 2 dias sem medicação.

Risco de uso por via de administração não recomendada

Não há estudos dos efeitos de cloridrato de amiodarona administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via oral, conforme recomendado pelo seu médico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser mastigado.

Como o Amiobal funciona?

Amiobal® é um produto que contém em sua fórmula o cloridrato de amiodarona. Esta substância tem a finalidade de regularizar as alterações dos batimentos cardíacos (arritmias), que podem ocorrer em alguns tipos de doença.

A ação inicial após administração oral varia de 2-3 dias até 3-6 semanas. O efeito terapêutico de Amiobal® deve-se ao acúmulo do cloridrato de amiodarona nos tecidos.

Quais cuidados devo ter ao usar o Amiobal?

Uma vez que os efeitos adversos são geralmente dose-relacionados, deve ser administrada a dose mínima efetiva de manutenção.

Durante o tratamento com Amiobal®, você deve evitar a exposição aos raios solares e utilizar medidas de proteção.

Monitoramento

Antes do início do tratamento com amiodarona, é recomendada a realização de ECG (eletrocardiograma) e avaliação de potássio sérico. O monitoramento das transaminases e ECG é recomendado durante o tratamento.

Além disso, como a amiodarona pode induzir o hipotireoidismo (produção insuficiente de hormônio tireoide) ou hipertireoidismo (produção excessiva de hormônio tireoide), particularmente em pacientes com histórico de distúrbios da tireoide, o monitoramento clínico e biológico (TSH ultrassensível) é recomendado antes de iniciar o tratamento com amiodarona. Este monitoramento deve ser conduzido durante o tratamento e&nbsp;por vários meses após a sua descontinuação. O nível sérico de TSH ultrassensível deve ser avaliado quando há suspeita de disfunção da tireoide.

Em particular, no contexto da administração crônica de medicamentos antiarrítmicos, foram relatados casos de aumento na desfibrilação ventricular e/ou limiar de estimulação do marcapasso ou do dispositivo cardioversor desfibrilador implantável, afetando potencialmente sua eficácia. Portanto, verificações repetidas da função do aparelho são recomendadas antes do início e durante o tratamento com amiodarona.

Anormalidades do hormônio tireoidiano

A presença de iodo na molécula da amiodarona pode alterar o resultado de alguns testes tireoidianos (fixação do iodo radioativo, PBI), mas isto não impede a avaliação da função da tireoide através de outros testes (T3 livre, T4 livre e TSH ultrassensível).

A amiodarona inibe a conversão periférica de tiroxina (T4) em triiodotiroxina (T3) (hormônios produzidos pela tireoide) e pode causar alterações bioquímicas isoladas (aumento do nível sérico de T4 livre, com leve redução ou mesmo nível normal de T3 livre), em pacientes clinicamente eutireoidianos (função normal da tireoide). Nesses casos, não há razão para a descontinuação do tratamento.

Deve-se suspeitar de hipotireoidismo se os seguintes sinais clínicos, geralmente leves, ocorrerem: ganho de peso, intolerância ao frio, diminuição das atividades, bradicardia excessiva. O diagnóstico é comprovado pelo claro aumento do nível sérico de TSH ultrassensível. O eutireoidismo é geralmente obtido dentro de 1 a 3 meses após a descontinuação do tratamento. Em situações onde haja risco de vida, a terapia com amiodarona pode ser continuada, em combinação com L-tiroxina. A dose de L-tiroxina deve ser ajustada de acordo com os níveis de TSH.

Anestesia

Antes da cirurgia, o anestesista deve ser informado sobre o tratamento com amiodarona.

Gravidez e amamentação

A amiodarona é contraindicada durante a gravidez em virtude de seus efeitos na glândula tireoide do feto a menos que, a critério médico, os benefícios superem os riscos ao feto. A amiodarona é excretada no leite materno em quantidades significativas e por isso, é contraindicada em lactantes.

Alterações na capacidade de dirigir e operar máquinas

De acordo com os dados de segurança da amiodarona, não existem evidências de que a amiodarona prejudique a habilidade de dirigir veículos ou operar máquinas.

Advertências do&nbsp;Amiobal

{"tag":"hr","value":" <h3>Dist&#xFA;rbios card&#xED;acos</h3> <p>Foi reportado o aparecimento de novas arritmias (altera&#xE7;&#xE3;o na frequ&#xEA;ncia ou no ritmo dos batimentos card&#xED;acos) ou a piora de arritmias tratadas, algumas vezes de forma fatal. &#xC9; importante, por&#xE9;m dif&#xED;cil, diferenciar uma falta de efeito do medicamento de um efeito pr&#xF3;-arr&#xED;tmico associado ou n&#xE3;o a uma piora da condi&#xE7;&#xE3;o card&#xED;aca. Os efeitos pr&#xF3;-arr&#xED;tmicos s&#xE3;o mais raramente reportados com amiodarona do que com outros agentes antiarr&#xED;tmicos, e geralmente ocorrem no contexto de fatores que prolongam o intervalo QT, tais como intera&#xE7;&#xF5;es medicamentosas e/ou dist&#xFA;rbios eletrol&#xED;ticos. Apesar do prolongamento do intervalo QT, a amiodarona exibe baixa atividade torsadog&#xEA;nica (capacidade de provocar altera&#xE7;&#xF5;es no eletrocardiograma chamadas &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D;).</p> <p>A a&#xE7;&#xE3;o farmacol&#xF3;gica da amiodarona induz altera&#xE7;&#xF5;es no eletrocardiograma (exame que avalia a varia&#xE7;&#xE3;o dos potenciais el&#xE9;tricos gerados pela atividade el&#xE9;trica do cora&#xE7;&#xE3;o), tais como prolongamento do intervalo QT (relacionado ao prolongamento da repolariza&#xE7;&#xE3;o) com poss&#xED;vel desenvolvimento de onda U (um dos eventos avaliados no eletrocardiograma). Entretanto, estas altera&#xE7;&#xF5;es n&#xE3;o indicam intoxica&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>Em pacientes idosos, a redu&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca pode ser mais pronunciada.</p> <p>O tratamento deve ser descontinuado no caso de aparecimento de bloqueio atrioventricular de 2&#xBA; ou 3&#xBA; grau, bloqueio sinoatrial ou de bloqueio bi-fascicular (altera&#xE7;&#xF5;es eletrocardiogr&#xE1;ficas identificadas pelo profissional de sa&#xFA;de).</p> <h3>Bradicardia (diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca) severa</h3> <p>Casos de bradicardia severa, potencialmente com risco de vida e bloqueio card&#xED;aco foram observados quando a amiodarona &#xE9; administrada em combina&#xE7;&#xE3;o com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sofosbuvir/bula\" target=\"_blank\">sofosbuvir</a> (medicamento para tratar a <a href=\"https://consultaremedios.com.br/infectologia/hepatite/hepatite-c/c\" target=\"_blank\">hepatite C</a>) em combina&#xE7;&#xE3;o com outro antiviral (s&#xE3;o f&#xE1;rmacos usados para o tratamento de infec&#xE7;&#xF5;es por v&#xED;rus) de a&#xE7;&#xE3;o direta contra o v&#xED;rus da hepatite C, tais como <a href=\"https://consultaremedios.com.br/daclatasvir/bula\" target=\"_blank\">daclatasvir</a>, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/simeprevir-sodico/bula\" target=\"_blank\">simeprevir</a>, ou ledipasvir. Portanto, a coadministra&#xE7;&#xE3;o destes agentes com amiodarona n&#xE3;o &#xE9; recomendada.</p> <p>Se o uso concomitante (ao mesmo tempo) com amiodarona n&#xE3;o puder ser evitado, recomenda-se que os pacientes sejam cuidadosamente monitorados quando se iniciar o uso de sofosbuvir em combina&#xE7;&#xE3;o com outros antivirais de a&#xE7;&#xE3;o direta. Pacientes identificados com alto risco de bradiarritmia (altera&#xE7;&#xE3;o na frequ&#xEA;ncia e ritmo card&#xED;aco) devem ser monitorados continuamente por pelo menos 48 horas em um ambiente cl&#xED;nico adequado, ap&#xF3;s o in&#xED;cio do tratamento concomitante com sofosbuvir.</p> <p>Devido &#xE0; meia vida (medida usada para indicar a elimina&#xE7;&#xE3;o) longa da amiodarona, um monitoramento apropriado tamb&#xE9;m deve ser realizado em pacientes que descontinuaram amiodarona dentro dos &#xFA;ltimos meses, e que iniciar&#xE3;o com sofosbuvir em combina&#xE7;&#xE3;o com outros antivirais de a&#xE7;&#xE3;o direta.</p> <p>Os pacientes que recebem esses <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/medicamentos-hepatite\" target=\"_blank\">medicamentos para </a><a href=\"https://consultaremedios.com.br/infectologia/hepatite/c\" target=\"_blank\">hepatite</a> C com amiodarona, com ou sem outros medicamentos que diminuem a frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca, devem ser advertidos sobre os sintomas de bradicardia e bloqueio card&#xED;aco e, caso ocorra, devem ser orientados a procurar imediatamente um m&#xE9;dico.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios pulmonares</h3> <p>O aparecimento de dispneia (falta de ar) ou <a href=\"https://consultaremedios.com.br/gripes-e-resfriados/tosse/c\" target=\"_blank\">tosse</a> n&#xE3;o produtiva pode estar relacionado &#xE0; toxicidade pulmonar tal como pneumonite intersticial (tipo de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c\" target=\"_blank\">pneumonia</a>). Casos muito raros de pneumonite intersticial t&#xEA;m sido relatados com o uso intravenoso de amiodarona. Deve-se realizar raio-X de t&#xF3;rax, quando h&#xE1; suspeita de pneumonite em pacientes que desenvolveram dispneia de esfor&#xE7;o, isolada ou associada com piora do estado geral (<a href=\"https://minutosaudavel.com.br/cansaco/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">cansa&#xE7;o</a>, perda de peso, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c\" target=\"_blank\">febre</a>). A terapia com amidarona deve ser reavaliada visto que a pneumonite intersticial &#xE9; geralmente revers&#xED;vel ap&#xF3;s a retirada precoce de amiodarona (sinais cl&#xED;nicos geralmente regridem dentro de 3 a 4 semanas, seguido por lenta melhora da fun&#xE7;&#xE3;o pulmonar e radiol&#xF3;gica dentro de alguns meses), e deve ser considerado um tratamento com corticosteroides.</p> <p>Foram observados casos muito raros de complica&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias severas, &#xE0;s vezes fatais, geralmente no per&#xED;odo imediato ap&#xF3;s uma cirurgia (s&#xED;ndrome de ang&#xFA;stia respirat&#xF3;ria do adulto); isto pode estar relacionado com altas concentra&#xE7;&#xF5;es de oxig&#xEA;nio.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a></h3> <p>Um monitoramento cuidadoso dos testes de fun&#xE7;&#xE3;o hep&#xE1;tica (transaminases - enzimas do f&#xED;gado) &#xE9; recomend&#xE1;vel assim que o uso da amiodarona for iniciado e regularmente durante o tratamento. Podem ocorrer dist&#xFA;rbios hep&#xE1;ticos agudos (incluindo insufici&#xEA;ncia hepatocelular severa ou insufici&#xEA;ncia do f&#xED;gado, algumas vezes fatal) e cr&#xF4;nicos, com o uso de amiodarona nas formas oral e intravenosa e nas primeiras 24 horas da administra&#xE7;&#xE3;o por via IV. Portanto, a dose de amiodarona deve ser reduzida ou o tratamento descontinuado se o aumento de transaminases exceder tr&#xEA;s vezes o valor normal.</p> <p>Os sinais cl&#xED;nicos e biol&#xF3;gicos de insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica cr&#xF4;nica decorrentes do uso oral de amiodarona podem ser m&#xED;nimos (aumento do f&#xED;gado, aumento das transaminases em at&#xE9; 5 vezes os valores normais) e revers&#xED;veis ap&#xF3;s a suspens&#xE3;o do tratamento, contudo foram relatados casos fatais.</p> <h3>Rea&#xE7;&#xF5;es bolhosas severas</h3> <p>Rea&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas com risco de morte ou at&#xE9; mesmo fatais S&#xED;ndrome de Stevens-Johnson (SSJ - forma grave de rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica caracterizada por bolhas em mucosas e em grandes &#xE1;reas do corpo) e necr&#xF3;lise&amp;nbsp;epid&#xE9;rmica t&#xF3;xica (NET - quadro grave, caracterizado por erup&#xE7;&#xE3;o generalizada, com bolhas rasas extensas e &#xE1;reas de necrose epid&#xE9;rmica, &#xE0; semelhan&#xE7;a do grande queimado, resultante principalmente de uma rea&#xE7;&#xE3;o t&#xF3;xica a v&#xE1;rios medicamentos).</p> <p>Se sinais ou sintomas de SSJ ou NET (erup&#xE7;&#xE3;o cut&#xE2;nea progressiva frequentemente com bolha ou les&#xE3;o na mucosa) aparecerem, o tratamento com amiodarona deve ser descontinuado imediatamente.</p> <h3>Intera&#xE7;&#xF5;es medicamentosas</h3> <p>O uso concomitante de amiodarona n&#xE3;o &#xE9; recomendado com os seguintes f&#xE1;rmacos: betabloqueadores (classe de medicamentos que diminuem os batimentos card&#xED;acos), bloqueadores de canais de c&#xE1;lcio que diminuem a frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca (<a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-verapamil/bula\" target=\"_blank\">verapamil</a>, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-diltiazem/bula\" target=\"_blank\">diltiazem</a>), <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/laxantes/c\" target=\"_blank\">laxantes</a> que podem causar <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipocalemia-sintomas-tratamento-causas-prevencao-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">hipocalemia</a> (redu&#xE7;&#xE3;o dos n&#xED;veis de pot&#xE1;ssio no sangue).</p> <h3>Hipertireoidismo&amp;nbsp;</h3> <p>O hipertireoidismo pode ocorrer durante o tratamento com amiodarona ou em at&#xE9; alguns meses ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o. As caracter&#xED;sticas cl&#xED;nicas, normalmente leves, como a perda de peso, princ&#xED;pio de arritmia, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/angina/c\" target=\"_blank\">angina</a> e insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca congestiva devem alertar o m&#xE9;dico.&amp;nbsp;</p> <p>&amp;nbsp;diagn&#xF3;stico &#xE9; sustentado por uma diminui&#xE7;&#xE3;o clara nos n&#xED;veis s&#xE9;ricos de TSH ultrassens&#xED;vel (horm&#xF4;nio que induz a maior ou menor atividade da tireoide). Nesse caso, a administra&#xE7;&#xE3;o de amiodarona deve ser suspensa. A recupera&#xE7;&#xE3;o geralmente ocorre dentro de alguns meses ap&#xF3;s a suspens&#xE3;o do tratamento; a recupera&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica antecede a normaliza&#xE7;&#xE3;o dos testes da fun&#xE7;&#xE3;o tireoidiana. Casos graves, com presen&#xE7;a cl&#xED;nica de tireotoxicose (disfun&#xE7;&#xE3;o da gl&#xE2;ndula tireoide), &#xE0;s vezes fatais, requerem tratamento terap&#xEA;utico de emerg&#xEA;ncia. O tratamento deve ser ajustado individualmente: medicamentos antitireoidianos (que nem sempre s&#xE3;o efetivos), terapia com corticosteroides, betabloqueadores.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios neuromusculares</h3> <p>A amiodarona pode induzir a neuropatia (doen&#xE7;a do sistema nervoso) sensitivo-motora perif&#xE9;rica e/ou miopatia (doen&#xE7;a muscular). A recupera&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s suspens&#xE3;o do tratamento geralmente ocorre dentro de alguns meses, mas algumas vezes de forma incompleta.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios oculares (dos olhos)</h3> <p>Se ocorrer diminui&#xE7;&#xE3;o da vis&#xE3;o ou a mesma ficar emba&#xE7;ada, deve-se fazer prontamente um exame oftalmol&#xF3;gico completo, incluindo fundoscopia (avalia&#xE7;&#xE3;o do fundo do olho). O aparecimento de neuropatia &#xF3;ptica e/ou neurite (inflama&#xE7;&#xE3;o do nervo) &#xF3;ptica que s&#xE3;o dist&#xFA;rbios do nervo &#xF3;ptico (do olho) requer a suspens&#xE3;o do tratamento com amiodarona, j&#xE1; que pode levar a cegueira.</p> "}

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Amiobal?

As seguintes definições de frequência são usadas:

Muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes), comum (ocorre entre 1 e 10% dos pacientes), incomum (ocorre entre 0,1 e 1% dos pacientes), rara (ocorre entre 0,01 e 0,1% dos pacientes) e muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes) e desconhecida (não pode ser estimada pelos dados disponíveis).

Distúrbios sanguíneos e do sistema linfático

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: <a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-hemolitica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-do-sangue/anemia/c" target="_blank">anemia</a> hemol&#xED;tica (anemia devido &#xE0; quebra anormal de hem&#xE1;cias nos vasos sangu&#xED;neos), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-aplastica" target="_blank">anemia apl&#xE1;stica</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o da produ&#xE7;&#xE3;o de gl&#xF3;bulos vermelhos do sangue) e <a href="https://minutosaudavel.com.br/trombocitopenia/" rel="noopener" target="_blank">trombocitopenia</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de plaquetas);</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: neutropenia (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de neutr&#xF3;filos no sangue) e agranulocitose (diminui&#xE7;&#xE3;o acentuada na contagem de c&#xE9;lulas brancas do sangue).</li>

Distúrbios do coração

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: bradicardia (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de batimentos card&#xED;acos) geralmente moderada e dose dependente;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es incomuns: aparecimento ou piora da arritmia (dist&#xFA;rbios do ritmo card&#xED;aco), seguida, &#xE0;s vezes, por parada card&#xED;aca; altera&#xE7;&#xF5;es da condu&#xE7;&#xE3;o (bloqueio sinoatrial e atrioventricular de v&#xE1;rios graus);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: bradicardia acentuada ou parada sinusal em pacientes com disfun&#xE7;&#xE3;o do n&#xF3;dulo sinusal e/ou em pacientes idosos;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es com frequ&#xEA;ncia desconhecida: &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D; (tipo de altera&#xE7;&#xE3;o grave nos batimentos card&#xED;acos).</li>

Distúrbios endócrinos (glandulares)

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: hipotireoidismo (diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o da gl&#xE2;ndula tireoide); hipertireoidismo (aumento da fun&#xE7;&#xE3;o da gl&#xE2;ndula tireoide), algumas vezes fatal;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: s&#xED;ndrome de secre&#xE7;&#xE3;o inapropriada do horm&#xF4;nio antidiur&#xE9;tico (SIADH).</li>

Distúrbios oculares

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns: microdep&#xF3;sitos na c&#xF3;rnea (parte transparente do olho que est&#xE1; na frente da &#xED;ris, que &#xE9; a &#x201C;cor do olho&#x201D;), geralmente limitados &#xE0; &#xE1;rea subpupilar. Eles podem ser associados com a percep&#xE7;&#xE3;o de halos coloridos, sob luz intensa ou de vis&#xE3;o turva. Os microdep&#xF3;sitos na c&#xF3;rnea consistem em dep&#xF3;sitos de complexos lip&#xED;dicos e s&#xE3;o revers&#xED;veis algum tempo ap&#xF3;s a suspens&#xE3;o do tratamento;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: neuropatia &#xF3;ptica/ neurite (doen&#xE7;a do sistema nervoso/les&#xE3;o inflamat&#xF3;ria ou degenerativa dos nervos), que pode progredir para a cegueira.</li>

Distúrbios gastrintestinais (do aparelho digestivo)

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns: Dist&#xFA;rbios gastrintestinais benignos (n&#xE1;useas, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">v&#xF4;mitos</a>, paladar f&#xE9;tido para alimentos saud&#xE1;veis) podem ocorrer em decorr&#xEA;ncia da dose de ataque e desaparecem com a redu&#xE7;&#xE3;o da dose;</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o do p&#xE2;ncreas) /pancreatite aguda, boca seca e constipa&#xE7;&#xE3;o (<a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">pris&#xE3;o de ventre</a>).</li>

Distúrbios gerais

  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o de frequ&#xEA;ncia desconhecida: Granuloma (pequeno n&#xF3;dulo inflamat&#xF3;rio), incluindo granuloma de medula &#xF3;ssea.</li>

Distúrbios hepatobiliares (do fígado e da bile)

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns: aumento isolado das transaminases s&#xE9;ricas (enzimas do f&#xED;gado), que s&#xE3;onormalmente moderados (1,5 a 3 vezes o valor normal) no in&#xED;cio da terapia. Os n&#xED;veis podem retornar ao normal com redu&#xE7;&#xE3;o da dose ou mesmo espontaneamente;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: dist&#xFA;rbios hep&#xE1;ticos agudos com aumento das transaminases s&#xE9;ricas e/ou <a href="https://minutosaudavel.com.br/ictericia/" rel="noopener" target="_blank">icter&#xED;cia</a> (colora&#xE7;&#xE3;o amarelada da pele), incluindo insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica, que &#xE0;s vezes pode ser fatal;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: doen&#xE7;a hep&#xE1;tica cr&#xF4;nica (pseudo <a href="https://consultaremedios.com.br/b/hepatite-alcoolica" target="_blank">hepatite alco&#xF3;lica</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/cirrose/c" target="_blank">cirrose</a>), &#xE0;s vezes fatal.</li>

Distúrbios do sistema imunológico

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-tipos-cerebral-pulmonar-etc-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">edema</a> angioneur&#xF3;tico - Edema de Quincke (incha&#xE7;o n&#xE3;o-inflamat&#xF3;rio da pele, mucosas, v&#xED;sceras e c&#xE9;rebro, de in&#xED;cio s&#xFA;bito e com dura&#xE7;&#xE3;o de horas a dias, acompanhado de outros sintomas como por exemplo, febre), rea&#xE7;&#xF5;es anafil&#xE1;ticas/anafilactoides (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica grave e imediata), incluindo choque;</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito rara: aumento do n&#xED;vel s&#xE9;rico de creatinina.</li>

Distúrbios do metabolismo e nutrição

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: diminui&#xE7;&#xE3;o do apetite.</li>

Distúrbios musculoesqueléticos e do tecido conjuntivo

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: s&#xED;ndrome &#x201C;lupus-like&#x201D; (um tipo de doen&#xE7;a auto-imune).</li>

Distúrbios do sistema nervoso

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: tremor extra-piramidal, pesadelos e dist&#xFA;rbios do sono;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es incomuns: neuropatia perif&#xE9;rica sensorimotor (dist&#xFA;rbio dos nervos perif&#xE9;ricos) e/ou miopatia s&#xE3;o geralmente revers&#xED;veis com a descontinua&#xE7;&#xE3;o do tratamento;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: ataxia cerebelar (falta de controle sobre os m&#xFA;sculos), hipertens&#xE3;o intracraniana benigna (caracterizada por <a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/dor-de-cabeca-e-enxaqueca/c" target="_blank">dor de cabe&#xE7;a</a>, n&#xE1;usea, altera&#xE7;&#xE3;o dos campos visuais, obscura&#xE7;&#xF5;es visuais transit&#xF3;rias e <a href="https://consultaremedios.com.br/doenca-nos-ouvidos/zumbido/c" target="_blank">zumbido</a> puls&#xE1;til), cefaleia (dor de cabe&#xE7;a);</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: parkinsonismo, parosmia (dist&#xFA;rbio do olfato).</li>

Distúrbios psiquiátricos

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: del&#xED;rio/estado confusional, alucina&#xE7;&#xE3;o.</li>

Distúrbios mamários e do sistema reprodutivo

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: epididimites (inflama&#xE7;&#xE3;o do epid&#xED;dimo, uma estrutura do test&#xED;culo), impot&#xEA;ncia;</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: diminui&#xE7;&#xE3;o da libido.</li>

Distúrbios respiratórios, torácicos e no mediastino

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: toxicidade pulmonar (pneumonite alveolar/intersticial ou fibrose, pleurite, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-bronquiolite-obliterante-e-viral-sintomas-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">bronquiolite</a> obliterante com pneumonia em organiza&#xE7;&#xE3;o) &#xE0;s vezes fatal;</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: hemorragia pulmonar;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: broncoespasmo (inflama&#xE7;&#xE3;o dos br&#xF4;nquios) em pacientes com insufici&#xEA;nciarespirat&#xF3;ria severa, especialmente em pacientes asm&#xE1;ticos. S&#xED;ndrome de ang&#xFA;stia respirat&#xF3;ria aguda do adulto (tipo de insufici&#xEA;ncia pulmonar), algumas vezes fatal, geralmente no per&#xED;odo p&#xF3;s cir&#xFA;rgico imediato (poss&#xED;vel intera&#xE7;&#xE3;o com elevadas concentra&#xE7;&#xF5;es de oxig&#xEA;nio).</li>

Distúrbios da pele e tecidos subcutâneos

  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito comum: fotossensibilidade (<a href="https://minutosaudavel.com.br/fotofobia/" rel="noopener" target="_blank">sensibilidade &#xE0; luz</a>);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: pigmenta&#xE7;&#xE3;o gris&#xE1;cea (colora&#xE7;&#xE3;o acinzentada) ou azulada da pele no caso de utiliza&#xE7;&#xE3;o prolongada ou de altas doses di&#xE1;rias. Com a interrup&#xE7;&#xE3;o do tratamento essa pigmenta&#xE7;&#xE3;o desaparece lentamente;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: eritema durante o uso de radioterapia, erup&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas, normalmente inespec&#xED;ficos, <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/dermatites/c" target="_blank">dermatite</a> esfoliativa, alopecia (<a href="https://consultaremedios.com.br/saude-do-homem/queda-de-cabelo-e-calvicie/c" target="_blank">queda de cabelo</a>);</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/eczema/c" target="_blank">eczema</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o da pele na qual ela fica vermelha, escamosa e algumas vezes com rachaduras ou pequenas bolhas), <a href="https://minutosaudavel.com.br/urticaria/" rel="noopener" target="_blank">urtic&#xE1;ria</a> (erup&#xE7;&#xE3;o na pele, geralmente de origem al&#xE9;rgica, que causa coceira), rea&#xE7;&#xF5;es de pele severas &#xE0;s vezes fatal incluindo necr&#xF3;lise epid&#xE9;rmica t&#xF3;xica/s&#xED;ndrome de Stevens- Johnson, dermatite bolhosa e rea&#xE7;&#xE3;o medicamentosa com eosinofilia e sintomas sist&#xEA;micos.</li>

Distúrbios vasculares

  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito rara: vasculite (inflama&#xE7;&#xE3;o do vaso sangu&#xED;neo).</li>

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Pacientes idosos

Em pacientes idosos, a redução da frequência cardíaca pode ser mais pronunciada com o uso da amiodarona.

Crianças

A segurança e eficácia da amiodarona em pacientes pediátricos não foram estabelecidas, portanto a sua utilização não é recomendada.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Amiobal?

Caso esqueça de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia. Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Amiobal?

Amiobal® 100 mg:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Cloridrato de amiodarona (equivalente a 94,65 mg de amiodarona)</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">100 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">1 comprimido</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: ácido esteárico, amido, amidoglicolato de sódio, azul brilhante 133 laca de alumínio, dióxido de silício, lactose monoidratada e povidona.

Amiobal® 200 mg:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Cloridrato de amiodarona (equivalente a 189,29 mg de amiodarona)</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">200 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">1 comprimido</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: ácido esteárico, amido, amidoglicolato de sódio, azul brilhante 133 laca de alumínio, dióxido de silício, lactose monoidratada e povidona.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Amiobal maior do que a recomendada?

Sintomas

Não há muitos dados disponíveis sobre superdose de amiodarona oral. Foram relatados raros casos de bradicardia sinusal (diminuição do número de batimentos cardíacos), bloqueio cardíaco, taquicardia ventricular (aumento do número de batimentos cardíacos), “torsade de pointes”, insuficiência circulatória e disfunção hepática.

Tratamento

O tratamento deve ser sintomático. A amiodarona e seus metabólitos não são removidos em diálise.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Amiobal com outros remédios?

Interações Farmacodinâmicas

Interações medicamento-medicamento
Medicamentos que induzem “torsade de pointes” ou prolongamento do QT
Medicamentos que induzem “torsade de pointes”. As associações com medicamentos que podem induzir “torsade de pointes” são contraindicadas:
  • <li>Medicamentos antiarr&#xED;tmicos tais como os da Classe Ia, sotalol, bepridil;</li> <li>Medicamentos n&#xE3;o antiarr&#xED;tmicos tais como: vincamina, alguns agentes neurol&#xE9;pticos, cisaprida, <a href="https://consultaremedios.com.br/eritromicina/bula" target="_blank">eritromicina</a> IV, pentamidina (quando administradas por via parenteral), uma vez que existe um aumento no risco de ocorrer &#x201C;torsade de pointes&#x201D; potencialmente letal.</li>
Medicamentos que causam prolongamento QT
  • <li>A administra&#xE7;&#xE3;o concomitante de amiodarona com medicamentos conhecidos por prolongar o intervalo QTdeve estar baseada em uma avalia&#xE7;&#xE3;o cuidadosa dos riscos e benef&#xED;cios potenciais para cada paciente, pois o risco de &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D; pode aumentar e os pacientes devem ser monitorados quanto ao prolongamento do intervalo QT.</li> <li>Fluoroquinolonas (classe de <a href="https://consultaremedios.com.br/infeccoes/antibioticos/c" target="_blank">antibi&#xF3;tico</a>) devem ser evitadas por pacientes recebendo amiodarona.</li>
Medicamentos que reduzem a frequência cardíaca ou que causam distúrbios de automatismo ou condução
As associações com estes medicamentos não são recomendadas:
  • <li>Betabloqueadores e bloqueadores do canal de c&#xE1;lcio que reduzem a frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca (verapamil, diltiazem), uma vez que podem ocorrer dist&#xFA;rbios de automatismo (bradicardia excessiva) e de condu&#xE7;&#xE3;o.</li>
Medicamentos que podem induzir hipocalemia:
As associações com os seguintes medicamentos não são recomendadas:
  • <li>Laxativos estimulantes podem levar a hipocalemia (diminui&#xE7;&#xE3;o da concentra&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio no sangue) e consequentemente, ao aumento do risco de &#x201C;torsade de pointes&#x201D;. Por isso, devem ser utilizados outros tipos de laxantes.</li>
Deve-se ter cautela quando os seguintes medicamentos são utilizados em associação com Amiobal®:
  • <li>Alguns <a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/diureticos/c" target="_blank">diur&#xE9;ticos</a> indutores de hipocalemia, isolados ou combinados;</li> <li>Corticosteroides sist&#xEA;micos (gluco-, mineralo-), tetracosactida;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/anfotericina-b/bula" target="_blank">Anfotericina B</a> (IV).</li>

Deve-se prevenir o início de hipocalemia (e corrigir a hipocalemia); o intervalo QT (intervalo específico do eletrocardiograma) deve ser monitorado e, em caso de “torsade de pointes”, não administrar antiarrítmicos (instituir marcapasso ventricular; pode ser administrado magnésio IV).

Anestesia geral
Foram relatadas complicações potencialmente severas em pacientes submetidos à anestesia geral:
  • <li>Bradicardia (irresponsiva &#xE0; atropina), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotensao-pressao-baixa-sintomas-na-gravidez-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipotens&#xE3;o</a>, dist&#xFA;rbios da condu&#xE7;&#xE3;o, redu&#xE7;&#xE3;o do d&#xE9;bito card&#xED;aco (volume de sangue bombeado pelo cora&#xE7;&#xE3;o).</li>

Foram observados casos muito raros de complicações respiratórias severas (síndrome de angústia respiratória aguda do adulto), às vezes fatais, geralmente no período pós-cirúrgico imediato. Isto pode estar relacionado com uma possível interação com altas concentrações de oxigênio.

Efeito de Amiobal® sobre outros produtos

A amiodarona e/ou seu metabólito, a desetilamiodarona, inibem os CYP1A1, CYP1A2, CYP3A4, CYP2C9, CYP2D6 e a glicoproteína P e podem aumentar a exposição de seus substratos.

Devido à longa meia-vida da amiodarona, as interações podem ser observadas por vários meses após a descontinuação do amiodarona.

Substratos P-gp

A amiodarona é um inibidor da P-gp. A administração concomitante com substratos da P-gp deverá resultar em aumento de suas exposições.

Digitálicos

Pode ocorrer perturbação no automatismo (bradicardia excessiva) e na condução atrioventricular (ação sinérgica). Além disso, um aumento na concentração plasmática da digoxina é possível devido à redução da depuração de digoxina.

Devem ser monitorados os níveis de digoxina plasmática e ECG. Os pacientes devem ser observados quanto aos sinais clínicos de toxicidade digitálica. Pode ser necessário ajuste posológico do digitálico.

Dabigatrana

Apresentações do Amiobal

Amiobal® 100 mg

Com 30 comprimidos.

Amiobal®&nbsp;200 mg

Com 20 ou 30 comprimidos.

Via oral.

Uso adulto.

Medicamento similar equivalente ao medicamento de referência.

200mg caixa com 30 comprimidos

Princípio ativo
:
Cloridrato De Amiodarona
Classe Terapêutica
:
Antiarrítmicos Cardíacos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Sistema Cardiovascular (Circulação)
Especialidade
:
Cardiologia

Bula do medicamento

Amiobal, para o que é indicado e para o que serve?

Amiobal® é indicado para os seguintes casos:

  • <li>Dist&#xFA;rbios graves do ritmo card&#xED;aco, inclusive aqueles resistentes a outras terap&#xEA;uticas;</li> <li>Taquicardia ventricular sintom&#xE1;tica (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca que se origina nos ventr&#xED;culos do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Taquicardia supraventricular sintom&#xE1;tica (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca que se origina nos &#xE1;trios do cora&#xE7;&#xE3;o);</li> <li>Altera&#xE7;&#xF5;es do ritmo card&#xED;aco associadas &#xE0; s&#xED;ndrome de Wolff-Parkinson-White (uma forma de arritmia, que &#xE9; uma altera&#xE7;&#xE3;o na frequ&#xEA;ncia ou no ritmo dos batimentos card&#xED;acos).</li>

Devido às propriedades farmacológicas da amiodarona, Amiobal® é particularmente indicado quando os distúrbios do ritmo forem capazes de agravar uma patologia clínica subjacente [insuficiência coronariana (dor no peito é o sintoma mais comum), insuficiência cardíaca].

Quais as contraindicações do Amiobal?

Você não deve utilizar Amiobal® nos seguintes casos:

  • <li>Alergia conhecida ao <a href="https://consultaremedios.com.br/b/iodo" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/iodo/pa" target="_blank">iodo</a>, &#xE0; amiodarona ou a quaisquer componentes da f&#xF3;rmula.</li>

Este medicamento é contraindicado para o uso por pacientes:

  • <li>Com bradicardia sinusal (diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca), bloqueio sinoatrial (bloqueio na propaga&#xE7;&#xE3;o dos impulsos el&#xE9;tricos nesta parte do cora&#xE7;&#xE3;o) e doen&#xE7;a do n&#xF3; sinusal (estrutura do cora&#xE7;&#xE3;o respons&#xE1;vel pela fun&#xE7;&#xE3;o de marcar o passo natural), devido ao risco de parada sinusal, dist&#xFA;rbios severos de condu&#xE7;&#xE3;o atrioventricular (na condu&#xE7;&#xE3;o dos impulsos el&#xE9;tricos nesta parte do cora&#xE7;&#xE3;o), a menos que voc&#xEA; esteja com um marcapasso implantado;</li> <li>Que fazem uso de associa&#xE7;&#xE3;o com medicamentos que possam induzir &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D; (altera&#xE7;&#xE3;o grave nos batimentos card&#xED;acos);</li> <li>Com disfun&#xE7;&#xE3;o da <a href="https://consultaremedios.com.br/tireoide/c" target="_blank">tireoide</a>;</li> <li>Gr&#xE1;vidas, exceto em circunst&#xE2;ncias excepcionais;</li> <li>Que amamentam.</li>

Todas estas contraindicações listadas não se aplicam quando a amiodarona é utilizada na sala de emergência, em casos de fibrilação ventricular resistente a ressuscitação cardiopulmonar por choque (desfibrilador).

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez.

Como usar o Amiobal?

Você deve tomar os comprimidos inteiros com quantidade suficiente de líquido, durante ou após as refeições, por via oral.

Dose inicial de ataque

A dose de ataque usual varia de 600 a 1000 mg ao dia durante 8 a 10 dias.

Dose de manutenção

Determinar a dose mínima eficaz, que pode variar de 100 a 400 mg diários.

Considerando a longa meia-vida da amiodarona, o tratamento pode ser administrado em dias alternados (200 mg em dias alternados quando a posologia recomendada é de 100 mg por dia). Também tem sido adotado o esquema de “janela terapêutica”, administrando-se o medicamento durante 5 dias e instituindo intervalo de 2 dias sem medicação.

Risco de uso por via de administração não recomendada

Não há estudos dos efeitos de cloridrato de amiodarona administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via oral, conforme recomendado pelo seu médico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser mastigado.

Como o Amiobal funciona?

Amiobal® é um produto que contém em sua fórmula o cloridrato de amiodarona. Esta substância tem a finalidade de regularizar as alterações dos batimentos cardíacos (arritmias), que podem ocorrer em alguns tipos de doença.

A ação inicial após administração oral varia de 2-3 dias até 3-6 semanas. O efeito terapêutico de Amiobal® deve-se ao acúmulo do cloridrato de amiodarona nos tecidos.

Quais cuidados devo ter ao usar o Amiobal?

Uma vez que os efeitos adversos são geralmente dose-relacionados, deve ser administrada a dose mínima efetiva de manutenção.

Durante o tratamento com Amiobal®, você deve evitar a exposição aos raios solares e utilizar medidas de proteção.

Monitoramento

Antes do início do tratamento com amiodarona, é recomendada a realização de ECG (eletrocardiograma) e avaliação de potássio sérico. O monitoramento das transaminases e ECG é recomendado durante o tratamento.

Além disso, como a amiodarona pode induzir o hipotireoidismo (produção insuficiente de hormônio tireoide) ou hipertireoidismo (produção excessiva de hormônio tireoide), particularmente em pacientes com histórico de distúrbios da tireoide, o monitoramento clínico e biológico (TSH ultrassensível) é recomendado antes de iniciar o tratamento com amiodarona. Este monitoramento deve ser conduzido durante o tratamento e&nbsp;por vários meses após a sua descontinuação. O nível sérico de TSH ultrassensível deve ser avaliado quando há suspeita de disfunção da tireoide.

Em particular, no contexto da administração crônica de medicamentos antiarrítmicos, foram relatados casos de aumento na desfibrilação ventricular e/ou limiar de estimulação do marcapasso ou do dispositivo cardioversor desfibrilador implantável, afetando potencialmente sua eficácia. Portanto, verificações repetidas da função do aparelho são recomendadas antes do início e durante o tratamento com amiodarona.

Anormalidades do hormônio tireoidiano

A presença de iodo na molécula da amiodarona pode alterar o resultado de alguns testes tireoidianos (fixação do iodo radioativo, PBI), mas isto não impede a avaliação da função da tireoide através de outros testes (T3 livre, T4 livre e TSH ultrassensível).

A amiodarona inibe a conversão periférica de tiroxina (T4) em triiodotiroxina (T3) (hormônios produzidos pela tireoide) e pode causar alterações bioquímicas isoladas (aumento do nível sérico de T4 livre, com leve redução ou mesmo nível normal de T3 livre), em pacientes clinicamente eutireoidianos (função normal da tireoide). Nesses casos, não há razão para a descontinuação do tratamento.

Deve-se suspeitar de hipotireoidismo se os seguintes sinais clínicos, geralmente leves, ocorrerem: ganho de peso, intolerância ao frio, diminuição das atividades, bradicardia excessiva. O diagnóstico é comprovado pelo claro aumento do nível sérico de TSH ultrassensível. O eutireoidismo é geralmente obtido dentro de 1 a 3 meses após a descontinuação do tratamento. Em situações onde haja risco de vida, a terapia com amiodarona pode ser continuada, em combinação com L-tiroxina. A dose de L-tiroxina deve ser ajustada de acordo com os níveis de TSH.

Anestesia

Antes da cirurgia, o anestesista deve ser informado sobre o tratamento com amiodarona.

Gravidez e amamentação

A amiodarona é contraindicada durante a gravidez em virtude de seus efeitos na glândula tireoide do feto a menos que, a critério médico, os benefícios superem os riscos ao feto. A amiodarona é excretada no leite materno em quantidades significativas e por isso, é contraindicada em lactantes.

Alterações na capacidade de dirigir e operar máquinas

De acordo com os dados de segurança da amiodarona, não existem evidências de que a amiodarona prejudique a habilidade de dirigir veículos ou operar máquinas.

Advertências do&nbsp;Amiobal

{"tag":"hr","value":" <h3>Dist&#xFA;rbios card&#xED;acos</h3> <p>Foi reportado o aparecimento de novas arritmias (altera&#xE7;&#xE3;o na frequ&#xEA;ncia ou no ritmo dos batimentos card&#xED;acos) ou a piora de arritmias tratadas, algumas vezes de forma fatal. &#xC9; importante, por&#xE9;m dif&#xED;cil, diferenciar uma falta de efeito do medicamento de um efeito pr&#xF3;-arr&#xED;tmico associado ou n&#xE3;o a uma piora da condi&#xE7;&#xE3;o card&#xED;aca. Os efeitos pr&#xF3;-arr&#xED;tmicos s&#xE3;o mais raramente reportados com amiodarona do que com outros agentes antiarr&#xED;tmicos, e geralmente ocorrem no contexto de fatores que prolongam o intervalo QT, tais como intera&#xE7;&#xF5;es medicamentosas e/ou dist&#xFA;rbios eletrol&#xED;ticos. Apesar do prolongamento do intervalo QT, a amiodarona exibe baixa atividade torsadog&#xEA;nica (capacidade de provocar altera&#xE7;&#xF5;es no eletrocardiograma chamadas &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D;).</p> <p>A a&#xE7;&#xE3;o farmacol&#xF3;gica da amiodarona induz altera&#xE7;&#xF5;es no eletrocardiograma (exame que avalia a varia&#xE7;&#xE3;o dos potenciais el&#xE9;tricos gerados pela atividade el&#xE9;trica do cora&#xE7;&#xE3;o), tais como prolongamento do intervalo QT (relacionado ao prolongamento da repolariza&#xE7;&#xE3;o) com poss&#xED;vel desenvolvimento de onda U (um dos eventos avaliados no eletrocardiograma). Entretanto, estas altera&#xE7;&#xF5;es n&#xE3;o indicam intoxica&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>Em pacientes idosos, a redu&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca pode ser mais pronunciada.</p> <p>O tratamento deve ser descontinuado no caso de aparecimento de bloqueio atrioventricular de 2&#xBA; ou 3&#xBA; grau, bloqueio sinoatrial ou de bloqueio bi-fascicular (altera&#xE7;&#xF5;es eletrocardiogr&#xE1;ficas identificadas pelo profissional de sa&#xFA;de).</p> <h3>Bradicardia (diminui&#xE7;&#xE3;o da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca) severa</h3> <p>Casos de bradicardia severa, potencialmente com risco de vida e bloqueio card&#xED;aco foram observados quando a amiodarona &#xE9; administrada em combina&#xE7;&#xE3;o com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sofosbuvir/bula\" target=\"_blank\">sofosbuvir</a> (medicamento para tratar a <a href=\"https://consultaremedios.com.br/infectologia/hepatite/hepatite-c/c\" target=\"_blank\">hepatite C</a>) em combina&#xE7;&#xE3;o com outro antiviral (s&#xE3;o f&#xE1;rmacos usados para o tratamento de infec&#xE7;&#xF5;es por v&#xED;rus) de a&#xE7;&#xE3;o direta contra o v&#xED;rus da hepatite C, tais como <a href=\"https://consultaremedios.com.br/daclatasvir/bula\" target=\"_blank\">daclatasvir</a>, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/simeprevir-sodico/bula\" target=\"_blank\">simeprevir</a>, ou ledipasvir. Portanto, a coadministra&#xE7;&#xE3;o destes agentes com amiodarona n&#xE3;o &#xE9; recomendada.</p> <p>Se o uso concomitante (ao mesmo tempo) com amiodarona n&#xE3;o puder ser evitado, recomenda-se que os pacientes sejam cuidadosamente monitorados quando se iniciar o uso de sofosbuvir em combina&#xE7;&#xE3;o com outros antivirais de a&#xE7;&#xE3;o direta. Pacientes identificados com alto risco de bradiarritmia (altera&#xE7;&#xE3;o na frequ&#xEA;ncia e ritmo card&#xED;aco) devem ser monitorados continuamente por pelo menos 48 horas em um ambiente cl&#xED;nico adequado, ap&#xF3;s o in&#xED;cio do tratamento concomitante com sofosbuvir.</p> <p>Devido &#xE0; meia vida (medida usada para indicar a elimina&#xE7;&#xE3;o) longa da amiodarona, um monitoramento apropriado tamb&#xE9;m deve ser realizado em pacientes que descontinuaram amiodarona dentro dos &#xFA;ltimos meses, e que iniciar&#xE3;o com sofosbuvir em combina&#xE7;&#xE3;o com outros antivirais de a&#xE7;&#xE3;o direta.</p> <p>Os pacientes que recebem esses <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/medicamentos-hepatite\" target=\"_blank\">medicamentos para </a><a href=\"https://consultaremedios.com.br/infectologia/hepatite/c\" target=\"_blank\">hepatite</a> C com amiodarona, com ou sem outros medicamentos que diminuem a frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca, devem ser advertidos sobre os sintomas de bradicardia e bloqueio card&#xED;aco e, caso ocorra, devem ser orientados a procurar imediatamente um m&#xE9;dico.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios pulmonares</h3> <p>O aparecimento de dispneia (falta de ar) ou <a href=\"https://consultaremedios.com.br/gripes-e-resfriados/tosse/c\" target=\"_blank\">tosse</a> n&#xE3;o produtiva pode estar relacionado &#xE0; toxicidade pulmonar tal como pneumonite intersticial (tipo de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c\" target=\"_blank\">pneumonia</a>). Casos muito raros de pneumonite intersticial t&#xEA;m sido relatados com o uso intravenoso de amiodarona. Deve-se realizar raio-X de t&#xF3;rax, quando h&#xE1; suspeita de pneumonite em pacientes que desenvolveram dispneia de esfor&#xE7;o, isolada ou associada com piora do estado geral (<a href=\"https://minutosaudavel.com.br/cansaco/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">cansa&#xE7;o</a>, perda de peso, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c\" target=\"_blank\">febre</a>). A terapia com amidarona deve ser reavaliada visto que a pneumonite intersticial &#xE9; geralmente revers&#xED;vel ap&#xF3;s a retirada precoce de amiodarona (sinais cl&#xED;nicos geralmente regridem dentro de 3 a 4 semanas, seguido por lenta melhora da fun&#xE7;&#xE3;o pulmonar e radiol&#xF3;gica dentro de alguns meses), e deve ser considerado um tratamento com corticosteroides.</p> <p>Foram observados casos muito raros de complica&#xE7;&#xF5;es respirat&#xF3;rias severas, &#xE0;s vezes fatais, geralmente no per&#xED;odo imediato ap&#xF3;s uma cirurgia (s&#xED;ndrome de ang&#xFA;stia respirat&#xF3;ria do adulto); isto pode estar relacionado com altas concentra&#xE7;&#xF5;es de oxig&#xEA;nio.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a></h3> <p>Um monitoramento cuidadoso dos testes de fun&#xE7;&#xE3;o hep&#xE1;tica (transaminases - enzimas do f&#xED;gado) &#xE9; recomend&#xE1;vel assim que o uso da amiodarona for iniciado e regularmente durante o tratamento. Podem ocorrer dist&#xFA;rbios hep&#xE1;ticos agudos (incluindo insufici&#xEA;ncia hepatocelular severa ou insufici&#xEA;ncia do f&#xED;gado, algumas vezes fatal) e cr&#xF4;nicos, com o uso de amiodarona nas formas oral e intravenosa e nas primeiras 24 horas da administra&#xE7;&#xE3;o por via IV. Portanto, a dose de amiodarona deve ser reduzida ou o tratamento descontinuado se o aumento de transaminases exceder tr&#xEA;s vezes o valor normal.</p> <p>Os sinais cl&#xED;nicos e biol&#xF3;gicos de insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica cr&#xF4;nica decorrentes do uso oral de amiodarona podem ser m&#xED;nimos (aumento do f&#xED;gado, aumento das transaminases em at&#xE9; 5 vezes os valores normais) e revers&#xED;veis ap&#xF3;s a suspens&#xE3;o do tratamento, contudo foram relatados casos fatais.</p> <h3>Rea&#xE7;&#xF5;es bolhosas severas</h3> <p>Rea&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas com risco de morte ou at&#xE9; mesmo fatais S&#xED;ndrome de Stevens-Johnson (SSJ - forma grave de rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica caracterizada por bolhas em mucosas e em grandes &#xE1;reas do corpo) e necr&#xF3;lise&amp;nbsp;epid&#xE9;rmica t&#xF3;xica (NET - quadro grave, caracterizado por erup&#xE7;&#xE3;o generalizada, com bolhas rasas extensas e &#xE1;reas de necrose epid&#xE9;rmica, &#xE0; semelhan&#xE7;a do grande queimado, resultante principalmente de uma rea&#xE7;&#xE3;o t&#xF3;xica a v&#xE1;rios medicamentos).</p> <p>Se sinais ou sintomas de SSJ ou NET (erup&#xE7;&#xE3;o cut&#xE2;nea progressiva frequentemente com bolha ou les&#xE3;o na mucosa) aparecerem, o tratamento com amiodarona deve ser descontinuado imediatamente.</p> <h3>Intera&#xE7;&#xF5;es medicamentosas</h3> <p>O uso concomitante de amiodarona n&#xE3;o &#xE9; recomendado com os seguintes f&#xE1;rmacos: betabloqueadores (classe de medicamentos que diminuem os batimentos card&#xED;acos), bloqueadores de canais de c&#xE1;lcio que diminuem a frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca (<a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-verapamil/bula\" target=\"_blank\">verapamil</a>, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-diltiazem/bula\" target=\"_blank\">diltiazem</a>), <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/laxantes/c\" target=\"_blank\">laxantes</a> que podem causar <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipocalemia-sintomas-tratamento-causas-prevencao-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">hipocalemia</a> (redu&#xE7;&#xE3;o dos n&#xED;veis de pot&#xE1;ssio no sangue).</p> <h3>Hipertireoidismo&amp;nbsp;</h3> <p>O hipertireoidismo pode ocorrer durante o tratamento com amiodarona ou em at&#xE9; alguns meses ap&#xF3;s a descontinua&#xE7;&#xE3;o. As caracter&#xED;sticas cl&#xED;nicas, normalmente leves, como a perda de peso, princ&#xED;pio de arritmia, <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/angina/c\" target=\"_blank\">angina</a> e insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca congestiva devem alertar o m&#xE9;dico.&amp;nbsp;</p> <p>&amp;nbsp;diagn&#xF3;stico &#xE9; sustentado por uma diminui&#xE7;&#xE3;o clara nos n&#xED;veis s&#xE9;ricos de TSH ultrassens&#xED;vel (horm&#xF4;nio que induz a maior ou menor atividade da tireoide). Nesse caso, a administra&#xE7;&#xE3;o de amiodarona deve ser suspensa. A recupera&#xE7;&#xE3;o geralmente ocorre dentro de alguns meses ap&#xF3;s a suspens&#xE3;o do tratamento; a recupera&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica antecede a normaliza&#xE7;&#xE3;o dos testes da fun&#xE7;&#xE3;o tireoidiana. Casos graves, com presen&#xE7;a cl&#xED;nica de tireotoxicose (disfun&#xE7;&#xE3;o da gl&#xE2;ndula tireoide), &#xE0;s vezes fatais, requerem tratamento terap&#xEA;utico de emerg&#xEA;ncia. O tratamento deve ser ajustado individualmente: medicamentos antitireoidianos (que nem sempre s&#xE3;o efetivos), terapia com corticosteroides, betabloqueadores.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios neuromusculares</h3> <p>A amiodarona pode induzir a neuropatia (doen&#xE7;a do sistema nervoso) sensitivo-motora perif&#xE9;rica e/ou miopatia (doen&#xE7;a muscular). A recupera&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s suspens&#xE3;o do tratamento geralmente ocorre dentro de alguns meses, mas algumas vezes de forma incompleta.</p> <h3>Dist&#xFA;rbios oculares (dos olhos)</h3> <p>Se ocorrer diminui&#xE7;&#xE3;o da vis&#xE3;o ou a mesma ficar emba&#xE7;ada, deve-se fazer prontamente um exame oftalmol&#xF3;gico completo, incluindo fundoscopia (avalia&#xE7;&#xE3;o do fundo do olho). O aparecimento de neuropatia &#xF3;ptica e/ou neurite (inflama&#xE7;&#xE3;o do nervo) &#xF3;ptica que s&#xE3;o dist&#xFA;rbios do nervo &#xF3;ptico (do olho) requer a suspens&#xE3;o do tratamento com amiodarona, j&#xE1; que pode levar a cegueira.</p> "}

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Amiobal?

As seguintes definições de frequência são usadas:

Muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes), comum (ocorre entre 1 e 10% dos pacientes), incomum (ocorre entre 0,1 e 1% dos pacientes), rara (ocorre entre 0,01 e 0,1% dos pacientes) e muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes) e desconhecida (não pode ser estimada pelos dados disponíveis).

Distúrbios sanguíneos e do sistema linfático

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: <a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-hemolitica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-do-sangue/anemia/c" target="_blank">anemia</a> hemol&#xED;tica (anemia devido &#xE0; quebra anormal de hem&#xE1;cias nos vasos sangu&#xED;neos), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-aplastica" target="_blank">anemia apl&#xE1;stica</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o da produ&#xE7;&#xE3;o de gl&#xF3;bulos vermelhos do sangue) e <a href="https://minutosaudavel.com.br/trombocitopenia/" rel="noopener" target="_blank">trombocitopenia</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de plaquetas);</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: neutropenia (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de neutr&#xF3;filos no sangue) e agranulocitose (diminui&#xE7;&#xE3;o acentuada na contagem de c&#xE9;lulas brancas do sangue).</li>

Distúrbios do coração

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: bradicardia (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de batimentos card&#xED;acos) geralmente moderada e dose dependente;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es incomuns: aparecimento ou piora da arritmia (dist&#xFA;rbios do ritmo card&#xED;aco), seguida, &#xE0;s vezes, por parada card&#xED;aca; altera&#xE7;&#xF5;es da condu&#xE7;&#xE3;o (bloqueio sinoatrial e atrioventricular de v&#xE1;rios graus);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: bradicardia acentuada ou parada sinusal em pacientes com disfun&#xE7;&#xE3;o do n&#xF3;dulo sinusal e/ou em pacientes idosos;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es com frequ&#xEA;ncia desconhecida: &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D; (tipo de altera&#xE7;&#xE3;o grave nos batimentos card&#xED;acos).</li>

Distúrbios endócrinos (glandulares)

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: hipotireoidismo (diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o da gl&#xE2;ndula tireoide); hipertireoidismo (aumento da fun&#xE7;&#xE3;o da gl&#xE2;ndula tireoide), algumas vezes fatal;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: s&#xED;ndrome de secre&#xE7;&#xE3;o inapropriada do horm&#xF4;nio antidiur&#xE9;tico (SIADH).</li>

Distúrbios oculares

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns: microdep&#xF3;sitos na c&#xF3;rnea (parte transparente do olho que est&#xE1; na frente da &#xED;ris, que &#xE9; a &#x201C;cor do olho&#x201D;), geralmente limitados &#xE0; &#xE1;rea subpupilar. Eles podem ser associados com a percep&#xE7;&#xE3;o de halos coloridos, sob luz intensa ou de vis&#xE3;o turva. Os microdep&#xF3;sitos na c&#xF3;rnea consistem em dep&#xF3;sitos de complexos lip&#xED;dicos e s&#xE3;o revers&#xED;veis algum tempo ap&#xF3;s a suspens&#xE3;o do tratamento;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: neuropatia &#xF3;ptica/ neurite (doen&#xE7;a do sistema nervoso/les&#xE3;o inflamat&#xF3;ria ou degenerativa dos nervos), que pode progredir para a cegueira.</li>

Distúrbios gastrintestinais (do aparelho digestivo)

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns: Dist&#xFA;rbios gastrintestinais benignos (n&#xE1;useas, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">v&#xF4;mitos</a>, paladar f&#xE9;tido para alimentos saud&#xE1;veis) podem ocorrer em decorr&#xEA;ncia da dose de ataque e desaparecem com a redu&#xE7;&#xE3;o da dose;</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o do p&#xE2;ncreas) /pancreatite aguda, boca seca e constipa&#xE7;&#xE3;o (<a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">pris&#xE3;o de ventre</a>).</li>

Distúrbios gerais

  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o de frequ&#xEA;ncia desconhecida: Granuloma (pequeno n&#xF3;dulo inflamat&#xF3;rio), incluindo granuloma de medula &#xF3;ssea.</li>

Distúrbios hepatobiliares (do fígado e da bile)

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns: aumento isolado das transaminases s&#xE9;ricas (enzimas do f&#xED;gado), que s&#xE3;onormalmente moderados (1,5 a 3 vezes o valor normal) no in&#xED;cio da terapia. Os n&#xED;veis podem retornar ao normal com redu&#xE7;&#xE3;o da dose ou mesmo espontaneamente;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: dist&#xFA;rbios hep&#xE1;ticos agudos com aumento das transaminases s&#xE9;ricas e/ou <a href="https://minutosaudavel.com.br/ictericia/" rel="noopener" target="_blank">icter&#xED;cia</a> (colora&#xE7;&#xE3;o amarelada da pele), incluindo insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica, que &#xE0;s vezes pode ser fatal;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: doen&#xE7;a hep&#xE1;tica cr&#xF4;nica (pseudo <a href="https://consultaremedios.com.br/b/hepatite-alcoolica" target="_blank">hepatite alco&#xF3;lica</a>, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/cirrose/c" target="_blank">cirrose</a>), &#xE0;s vezes fatal.</li>

Distúrbios do sistema imunológico

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-tipos-cerebral-pulmonar-etc-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">edema</a> angioneur&#xF3;tico - Edema de Quincke (incha&#xE7;o n&#xE3;o-inflamat&#xF3;rio da pele, mucosas, v&#xED;sceras e c&#xE9;rebro, de in&#xED;cio s&#xFA;bito e com dura&#xE7;&#xE3;o de horas a dias, acompanhado de outros sintomas como por exemplo, febre), rea&#xE7;&#xF5;es anafil&#xE1;ticas/anafilactoides (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica grave e imediata), incluindo choque;</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito rara: aumento do n&#xED;vel s&#xE9;rico de creatinina.</li>

Distúrbios do metabolismo e nutrição

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: diminui&#xE7;&#xE3;o do apetite.</li>

Distúrbios musculoesqueléticos e do tecido conjuntivo

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: s&#xED;ndrome &#x201C;lupus-like&#x201D; (um tipo de doen&#xE7;a auto-imune).</li>

Distúrbios do sistema nervoso

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: tremor extra-piramidal, pesadelos e dist&#xFA;rbios do sono;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es incomuns: neuropatia perif&#xE9;rica sensorimotor (dist&#xFA;rbio dos nervos perif&#xE9;ricos) e/ou miopatia s&#xE3;o geralmente revers&#xED;veis com a descontinua&#xE7;&#xE3;o do tratamento;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: ataxia cerebelar (falta de controle sobre os m&#xFA;sculos), hipertens&#xE3;o intracraniana benigna (caracterizada por <a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/dor-de-cabeca-e-enxaqueca/c" target="_blank">dor de cabe&#xE7;a</a>, n&#xE1;usea, altera&#xE7;&#xE3;o dos campos visuais, obscura&#xE7;&#xF5;es visuais transit&#xF3;rias e <a href="https://consultaremedios.com.br/doenca-nos-ouvidos/zumbido/c" target="_blank">zumbido</a> puls&#xE1;til), cefaleia (dor de cabe&#xE7;a);</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: parkinsonismo, parosmia (dist&#xFA;rbio do olfato).</li>

Distúrbios psiquiátricos

  • <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: del&#xED;rio/estado confusional, alucina&#xE7;&#xE3;o.</li>

Distúrbios mamários e do sistema reprodutivo

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: epididimites (inflama&#xE7;&#xE3;o do epid&#xED;dimo, uma estrutura do test&#xED;culo), impot&#xEA;ncia;</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: diminui&#xE7;&#xE3;o da libido.</li>

Distúrbios respiratórios, torácicos e no mediastino

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: toxicidade pulmonar (pneumonite alveolar/intersticial ou fibrose, pleurite, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-bronquiolite-obliterante-e-viral-sintomas-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">bronquiolite</a> obliterante com pneumonia em organiza&#xE7;&#xE3;o) &#xE0;s vezes fatal;</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: hemorragia pulmonar;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: broncoespasmo (inflama&#xE7;&#xE3;o dos br&#xF4;nquios) em pacientes com insufici&#xEA;nciarespirat&#xF3;ria severa, especialmente em pacientes asm&#xE1;ticos. S&#xED;ndrome de ang&#xFA;stia respirat&#xF3;ria aguda do adulto (tipo de insufici&#xEA;ncia pulmonar), algumas vezes fatal, geralmente no per&#xED;odo p&#xF3;s cir&#xFA;rgico imediato (poss&#xED;vel intera&#xE7;&#xE3;o com elevadas concentra&#xE7;&#xF5;es de oxig&#xEA;nio).</li>

Distúrbios da pele e tecidos subcutâneos

  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito comum: fotossensibilidade (<a href="https://minutosaudavel.com.br/fotofobia/" rel="noopener" target="_blank">sensibilidade &#xE0; luz</a>);</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es comuns: pigmenta&#xE7;&#xE3;o gris&#xE1;cea (colora&#xE7;&#xE3;o acinzentada) ou azulada da pele no caso de utiliza&#xE7;&#xE3;o prolongada ou de altas doses di&#xE1;rias. Com a interrup&#xE7;&#xE3;o do tratamento essa pigmenta&#xE7;&#xE3;o desaparece lentamente;</li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito raras: eritema durante o uso de radioterapia, erup&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas, normalmente inespec&#xED;ficos, <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/dermatites/c" target="_blank">dermatite</a> esfoliativa, alopecia (<a href="https://consultaremedios.com.br/saude-do-homem/queda-de-cabelo-e-calvicie/c" target="_blank">queda de cabelo</a>);</li> <li>Frequ&#xEA;ncia desconhecida: <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/eczema/c" target="_blank">eczema</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o da pele na qual ela fica vermelha, escamosa e algumas vezes com rachaduras ou pequenas bolhas), <a href="https://minutosaudavel.com.br/urticaria/" rel="noopener" target="_blank">urtic&#xE1;ria</a> (erup&#xE7;&#xE3;o na pele, geralmente de origem al&#xE9;rgica, que causa coceira), rea&#xE7;&#xF5;es de pele severas &#xE0;s vezes fatal incluindo necr&#xF3;lise epid&#xE9;rmica t&#xF3;xica/s&#xED;ndrome de Stevens- Johnson, dermatite bolhosa e rea&#xE7;&#xE3;o medicamentosa com eosinofilia e sintomas sist&#xEA;micos.</li>

Distúrbios vasculares

  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito rara: vasculite (inflama&#xE7;&#xE3;o do vaso sangu&#xED;neo).</li>

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Pacientes idosos

Em pacientes idosos, a redução da frequência cardíaca pode ser mais pronunciada com o uso da amiodarona.

Crianças

A segurança e eficácia da amiodarona em pacientes pediátricos não foram estabelecidas, portanto a sua utilização não é recomendada.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Amiobal?

Caso esqueça de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia. Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Amiobal?

Amiobal® 100 mg:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Cloridrato de amiodarona (equivalente a 94,65 mg de amiodarona)</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">100 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">1 comprimido</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: ácido esteárico, amido, amidoglicolato de sódio, azul brilhante 133 laca de alumínio, dióxido de silício, lactose monoidratada e povidona.

Amiobal® 200 mg:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Cloridrato de amiodarona (equivalente a 189,29 mg de amiodarona)</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">200 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:447px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p</p> </td> <td style=\"width:363px\"> <p style=\"text-align:center\">1 comprimido</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: ácido esteárico, amido, amidoglicolato de sódio, azul brilhante 133 laca de alumínio, dióxido de silício, lactose monoidratada e povidona.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Amiobal maior do que a recomendada?

Sintomas

Não há muitos dados disponíveis sobre superdose de amiodarona oral. Foram relatados raros casos de bradicardia sinusal (diminuição do número de batimentos cardíacos), bloqueio cardíaco, taquicardia ventricular (aumento do número de batimentos cardíacos), “torsade de pointes”, insuficiência circulatória e disfunção hepática.

Tratamento

O tratamento deve ser sintomático. A amiodarona e seus metabólitos não são removidos em diálise.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Amiobal com outros remédios?

Interações Farmacodinâmicas

Interações medicamento-medicamento
Medicamentos que induzem “torsade de pointes” ou prolongamento do QT
Medicamentos que induzem “torsade de pointes”. As associações com medicamentos que podem induzir “torsade de pointes” são contraindicadas:
  • <li>Medicamentos antiarr&#xED;tmicos tais como os da Classe Ia, sotalol, bepridil;</li> <li>Medicamentos n&#xE3;o antiarr&#xED;tmicos tais como: vincamina, alguns agentes neurol&#xE9;pticos, cisaprida, <a href="https://consultaremedios.com.br/eritromicina/bula" target="_blank">eritromicina</a> IV, pentamidina (quando administradas por via parenteral), uma vez que existe um aumento no risco de ocorrer &#x201C;torsade de pointes&#x201D; potencialmente letal.</li>
Medicamentos que causam prolongamento QT
  • <li>A administra&#xE7;&#xE3;o concomitante de amiodarona com medicamentos conhecidos por prolongar o intervalo QTdeve estar baseada em uma avalia&#xE7;&#xE3;o cuidadosa dos riscos e benef&#xED;cios potenciais para cada paciente, pois o risco de &#x201C;<em>torsade de pointes</em>&#x201D; pode aumentar e os pacientes devem ser monitorados quanto ao prolongamento do intervalo QT.</li> <li>Fluoroquinolonas (classe de <a href="https://consultaremedios.com.br/infeccoes/antibioticos/c" target="_blank">antibi&#xF3;tico</a>) devem ser evitadas por pacientes recebendo amiodarona.</li>
Medicamentos que reduzem a frequência cardíaca ou que causam distúrbios de automatismo ou condução
As associações com estes medicamentos não são recomendadas:
  • <li>Betabloqueadores e bloqueadores do canal de c&#xE1;lcio que reduzem a frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca (verapamil, diltiazem), uma vez que podem ocorrer dist&#xFA;rbios de automatismo (bradicardia excessiva) e de condu&#xE7;&#xE3;o.</li>
Medicamentos que podem induzir hipocalemia:
As associações com os seguintes medicamentos não são recomendadas:
  • <li>Laxativos estimulantes podem levar a hipocalemia (diminui&#xE7;&#xE3;o da concentra&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio no sangue) e consequentemente, ao aumento do risco de &#x201C;torsade de pointes&#x201D;. Por isso, devem ser utilizados outros tipos de laxantes.</li>
Deve-se ter cautela quando os seguintes medicamentos são utilizados em associação com Amiobal®:
  • <li>Alguns <a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/diureticos/c" target="_blank">diur&#xE9;ticos</a> indutores de hipocalemia, isolados ou combinados;</li> <li>Corticosteroides sist&#xEA;micos (gluco-, mineralo-), tetracosactida;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/anfotericina-b/bula" target="_blank">Anfotericina B</a> (IV).</li>

Deve-se prevenir o início de hipocalemia (e corrigir a hipocalemia); o intervalo QT (intervalo específico do eletrocardiograma) deve ser monitorado e, em caso de “torsade de pointes”, não administrar antiarrítmicos (instituir marcapasso ventricular; pode ser administrado magnésio IV).

Anestesia geral
Foram relatadas complicações potencialmente severas em pacientes submetidos à anestesia geral:
  • <li>Bradicardia (irresponsiva &#xE0; atropina), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotensao-pressao-baixa-sintomas-na-gravidez-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipotens&#xE3;o</a>, dist&#xFA;rbios da condu&#xE7;&#xE3;o, redu&#xE7;&#xE3;o do d&#xE9;bito card&#xED;aco (volume de sangue bombeado pelo cora&#xE7;&#xE3;o).</li>

Foram observados casos muito raros de complicações respiratórias severas (síndrome de angústia respiratória aguda do adulto), às vezes fatais, geralmente no período pós-cirúrgico imediato. Isto pode estar relacionado com uma possível interação com altas concentrações de oxigênio.

Efeito de Amiobal® sobre outros produtos

A amiodarona e/ou seu metabólito, a desetilamiodarona, inibem os CYP1A1, CYP1A2, CYP3A4, CYP2C9, CYP2D6 e a glicoproteína P e podem aumentar a exposição de seus substratos.

Devido à longa meia-vida da amiodarona, as interações podem ser observadas por vários meses após a descontinuação do amiodarona.

Substratos P-gp

A amiodarona é um inibidor da P-gp. A administração concomitante com substratos da P-gp deverá resultar em aumento de suas exposições.

Digitálicos

Pode ocorrer perturbação no automatismo (bradicardia excessiva) e na condução atrioventricular (ação sinérgica). Além disso, um aumento na concentração plasmática da digoxina é possível devido à redução da depuração de digoxina.

Apresentações do Amiobal

Amiobal® 100 mg

Com 30 comprimidos.

Amiobal®&nbsp;200 mg

Com 20 ou 30 comprimidos.

Via oral.

Uso adulto.

Medicamento similar equivalente ao medicamento de referência.

Fabricante: Baldacci

© 2021 Medicamento Lab.