Blau Cefariston

1000mg, caixa com 50 frascos-ampola com pó para solução de uso intramuscular ou intravenoso + 50 frascos-ampola com 5mL de diluente

Princípio ativo
:
Cefalotina Sódica
Classe Terapêutica
:
Cefalosporinas Injetáveis
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia e Clínica Médica

Bula do medicamento

Cefariston, para o que é indicado e para o que serve?

Cefariston é indicado para:

  • <li>Tratamento de infec&#xE7;&#xE3;o nos pulm&#xF5;es;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o da pele e tecidos moles;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-urinario/infeccao-urinaria/c" target="_blank">Infec&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria</a>;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o no sangue;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o gastrintestinal;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/infectologia/meningite/c" target="_blank">Meningite</a>;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o nas juntas, infec&#xE7;&#xE3;o nos ossos;</li> <li>Preven&#xE7;&#xE3;o de infec&#xE7;&#xE3;o durante cirurgia.</li>

Como o Cefariston funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Cefariston &#xE9; um antibacteriano da classe das cefalosporinas. Em doses adequadas promove a destrui&#xE7;&#xE3;o das bact&#xE9;rias. O tempo para cura da infec&#xE7;&#xE3;o pode variar de dias a meses, dependendo do local e do tipo de bact&#xE9;ria causadora da infec&#xE7;&#xE3;o e das condi&#xE7;&#xF5;es do paciente.</p> "}

Quais as contraindicações do Cefariston?

Cefariston não deve ser usado por pacientes com histórico de reação&nbsp;alérgica a penicilinas, derivados da penicilina, penicilamina ou a outras cefalosporinas.

Como usar o Cefariston?

Cefariston é de uso injetável, portanto deve ser administrado somente em serviços profissionais autorizados.

Atenção: o produto preparado em capela de fluxo unidirecional (laminar) validado pode ser armazenado pelos tempos descritos a seguir. Para produtos preparados fora desta condição, recomenda-se o uso imediato.

Com a finalidade de evitar o aparecimento de partículas de borracha após a inserção de agulha no frasco-ampola, proceder da seguinte forma

{"tag":"ol","value":" <li>Encaixar uma agulha de inje&#xE7;&#xE3;o de no m&#xE1;ximo 0,8 mm de calibre.</li> <li>Encher a seringa com o diluente apropriado.</li> <li>Segurar a seringa verticalmente &#xE0; borracha.</li> <li>Perfurar a tampa dentro da &#xE1;rea marcada, deixando o frasco-ampola firmemente na posi&#xE7;&#xE3;o vertical.</li> <li>&#xC9; recomendado n&#xE3;o perfurar mais de 4 vezes a &#xE1;rea demarcada (ISO 7864).</li> "}

Veja abaixo o procedimento:

Cefariston 1 g - via intramuscular / via intravenosa direta

Reconstituição
Diluente

Água para injetáveis.

Volume

5 mL.

Após reconstituição, o produto tem volume final de aproximadamente 5,7 mL e concentração de aproximadamente 175 mg/mL.

Aparência da solução reconstituída

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Estabilidade após reconstituição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

96 horas.

Administração Intramuscular

Injetar em grande massa muscular.

Em adultos, nas nádegas (quadrante superior externo); em crianças, na face lateral da coxa.

Administração Intravenosa Direta

Injetar direto na veia durante 3 a 5 minutos. A administração pode também ser feita diretamente através do tubo do equipo quando o paciente estiver recebendo soluções por via intravenosa.

Cefariston 1 g - infusão intravenosa

Reconstituição
Diluente

Água para injetáveis.

Volume

5 mL.

Após reconstituição, o produto tem volume final de aproximadamente 5,7 mL e concentração de aproximadamente 175 mg/mL.

Aparência da solução reconstituída

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Estabilidade após reconstituição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

96 horas.

Diluição

Diluente

Cloreto de Sódio 0,9% e Glicose 5%.

Volume

100 mL.

Após diluição, o produto tem concentração de aproximadamente 9,5 mg/mL.

Aparência da solução diluída

Incolor. A solução diluída pode sofrer uma ligeira alteração de cor (escurecer de incolor a levemente amarelada). Esta ligeira mudança de cor da solução não altera a potência do medicamento.

Estabilidade após diluição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

7 dias.

Administração

Infundir durante 30 minutos.

Incompatibilidades

Não se recomenda a mistura de cefalotina com outras medicações. A mistura de antibacterianos betalactâmicos (penicilinas e cefalosporinas) e aminoglicosídeos pode resultar em inativação de ambas as substâncias. Se clinicamente necessário, elas devem ser administradas separadamente (não misturá-las no mesmo frasco ou numa mesma bolsa intravenosa). Se estiver utilizando a técnica em Y, suspender temporariamente a administração de uma substância enquanto se administra a outra.

Posologia do&nbsp;Cefariston

{"tag":"hr","value":" <p><strong>Aten&#xE7;&#xE3;o:&amp;nbsp;</strong>as doses s&#xE3;o dadas em termos de cefalotina.</p> <h3>Adultos e Adolescentes</h3> <ul> <li><a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c\" target=\"_blank\">Pneumonia</a> n&#xE3;o complicada;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o do trato urin&#xE1;rio;</li> <li>Furunculose com <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/celulite-e-celulite-infecciosa-o-que-e-tratamento-remedios-e-cremes/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">celulite</a> - 500 mg a cada 6 horas, via intramuscular ou intravenosa.</li> </ul> <h3>Preven&#xE7;&#xE3;o de infec&#xE7;&#xE3;o em cirurgia (via intravenosa)</h3> <ul> <li>Antes da cirurgia - 2 g, 30 a 60 minutos antes do in&#xED;cio da cirurgia;</li> <li>Durante a cirurgia (procedimentos com dura&#xE7;&#xE3;o de 2 horas ou mais) - 2 g;</li> <li>Depois da cirurgia - 2 g a cada 6 horas, ap&#xF3;s a cirurgia, durante at&#xE9; 48 horas.</li> </ul> <h3>Outras infec&#xE7;&#xF5;es</h3> <p>500 mg a 2 g, a cada 4 a 6 horas, via intramuscular ou intravenosa.</p> <h3>Limite de dose para adultos</h3> <p>12 g por dia.</p> <h3>Adultos com diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o renal</h3> <p>Ap&#xF3;s uma dose inicial de 1 a 2 g por via intravenosa, pode ser necess&#xE1;rio o ajuste de dose de acordo com o esquema abaixo que considera o <em>clearance </em>de creatinina (ver Tabela 1).</p> <p><strong>Tabela 1: Ajuste de dose para adultos com diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o renal.</strong></p> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong><em>Clearance</em> de creatinina (mL/min)</strong></p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Dose</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">50 &#x2013; 80</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 2 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">25 &#x2013; 50</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 1,5 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">10 &#x2013; 25</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 1 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">2 &#x2013; 10</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 500 mg a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">&lt; 2</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:178px\">At&#xE9; 500 mg a cada 8 horas</td> </tr> </tbody> </table> <h3>Crian&#xE7;as</h3> <h4>Infec&#xE7;&#xF5;es bacterianas em geral</h4> <p>20 a 40 mg por kg de peso, a cada 6 horas, por via intramuscular ou intravenosa; ou 12 a 25 mg por kg de peso, a cada 4 horas, por via intramuscular ou intravenosa.</p> <h3>Idosos</h3> <p>Ver doses para Adultos e Adolescentes. Pacientes idosos t&#xEA;m maior probabilidade de ter a fun&#xE7;&#xE3;o renal diminu&#xED;da, por isso pode ser necess&#xE1;rio o ajuste de dose de acordo com o <em>clearance </em>de creatinina.</p> <h3>Dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento</h3> <p>A dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento ser&#xE1; determinada pelo m&#xE9;dico. Como na terapia com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/infeccoes/antibioticos/c\" target=\"_blank\">antibi&#xF3;ticos</a> em geral, o tratamento com Cefariston deve ser prolongado por um m&#xED;nimo de 48 a 72 horas ap&#xF3;s abaixar a temperatura do paciente, ou ap&#xF3;s a constata&#xE7;&#xE3;o da elimina&#xE7;&#xE3;o das bact&#xE9;rias causadoras da infec&#xE7;&#xE3;o.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o de seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento. </strong></p> <p><strong>N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m&#xE9;dico.</strong></p> <h2>O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Cefariston?</h2> <hr> <p>Se voc&#xEA; se esquecer de usar este medicamento, entre em contato com seu m&#xE9;dico.</p> <p>Deixar de tomar uma ou mais doses ou n&#xE3;o completar o tratamento pode comprometer o resultado.</p> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico, ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> </hr>"}

Quais cuidados devo ter ao usar o Cefariston?

Antes que o tratamento com Cefariston seja iniciado, informe ao seu médico se você já apresentou reações alérgicas anteriores a algum medicamento, especialmente à cefalotina, a outras cefalosporinas, às penicilinas ou à penicilamina.

Pacientes alérgicos a penicilinas podem ser alérgicos também à cefalotina. Se uma reação alérgica ocorrer, interrompa o tratamento com o medicamento.

O tratamento com cefalotina pode levar ao crescimento da bactéria Clostridium difficile, a principal causa de colite associada ao uso de antibiótico (caracterizada por dor na barriga e no estômago,&nbsp;cólica,&nbsp;diarreia aquosa, podendo conter sangue,&nbsp;febre).

É importante considerar este diagnóstico caso você apresente diarreia durante ou até dois meses após o uso de antibiótico.

Informe ao seu médico se você já apresentou doença gastrintestinal, particularmente colite.

Pacientes com diminuição da função renal podem precisar de doses menores que pacientes com a função renal normal. A administração de altas doses, especialmente nestes pacientes, pode provocar convulsões.

A administração de doses intravenosas de cefalotina maiores que 6 gramas por dia, por mais de 3 dias, poderá levar ao aparecimento de tromboflebite (inflamação da veia associada com a formação de trombos), devendo-se, por este motivo, usar as veias alternadamente.

O uso prolongado de cefalotina poderá resultar em crescimento excessivo de microrganismos resistentes. Se durante a terapia ocorrer uma superinfecção, devem-se tomar as medidas apropriadas.

Uso na amamentação

A cefalotina está presente em níveis muito baixos no leite materno. Entretanto não foram documentados problemas.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Cefariston?

Reações adversas raras

Alérgicas

Erupções na pele, urticária, reações semelhantes às da doença do soro (febre, dor nas juntas e urticária) e anafilaxia (urticária, coceira, diminuição grave da respiração e da pressão). Eosinofilia (aumento dos eosinófilos no sangue) e febre medicamentosa foram observadas associadas a outras reações alérgicas. Há maior probabilidade dessas reações ocorrerem em pacientes com história de alergia, particularmente à penicilina.

Reações Locais

Dor, endurecimento do tecido, sensibilidade e elevação da temperatura têm sido relatadas após injeções intramusculares repetidas. Há relatos de tromboflebite (inflamação da veia com formação de coágulo de sangue), geralmente associada a doses diárias acima de 6 gramas, administradas por infusão contínua por mais de 3 dias.

Gastrintestinais

Diarreia, náuseas e vômitos têm sido relatados raramente. Podem aparecer sintomas de colite pseudomembranosa (dor na barriga e no estômago; diarreia aquosa, podendo conter sangue; febre), durante ou após o tratamento.

Reações adversas muito raras

Sangue

Neutropenia (diminuição de neutrófilos no sangue), trombocitopenia (diminuição de plaquetas no sangue) e anemia hemolítica (diminuição das células vermelhas no sangue).

Fígado

Aumento passageiro de enzimas do fígado (aspartato aminotransferase – AST e fosfatase alcalina).

Rim

Aumento de nitrogênio ureico no sangue (BUN) e diminuição do clearance de creatinina, principalmente em pacientes que apresentaram insuficiência renal anterior.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Gravidez

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Idosos

Pacientes idosos têm maior probabilidade de ter a função renal diminuída, por isso recomenda-se a avaliação da função renal destes pacientes antes que se inicie a terapia com cefalotina.

Insuficiência renal

Para pacientes com diminuição na função renal pode ser necessário o ajuste de dose de acordo com o clearance de creatinina.

Uso em crianças

A segurança e eficácia em prematuros ainda não foram estabelecidas.

Qual a composição do Cefariston?

Cada frasco-ampola contém:

1055 mg de Cefalotina sódica (equivalente a 1000 mg de cefalotina base).

Cada frasco-ampola contém 30 mg de bicarbonato de sódio como tamponante.

Apresentação do Cefariston

{"tag":"hr","value":" <p>P&#xF3; injet&#xE1;vel. Embalagem com 100 frascos-ampola de 1000 mg de cefalotina base.</p> <p><strong>Via de administra&#xE7;&#xE3;o: intravenosa ou intramuscular.</strong></p> <p><strong>Uso adulto e pedi&#xE1;trico.</strong></p> <p><strong>Medicamento similar equivalente ao medicamento de refer&#xEA;ncia.</strong></p> "}

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Cefariston maior do que a recomendada?

Sinais e sintomas

Após uma superdose de cefalotina, o paciente pode apresentar dor, inflamação e flebite (inflamação da veia) no local da injeção.

A administração de grandes doses inadequadas de cefalosporinas por via injetável pode causar tontura, parestesia (formigamento) e cefaleia (dor de cabeça). Algumas cefalosporinas podem causar convulsões quando uma superdose é administrada, particularmente em pacientes com insuficiência renal.

Tratamento

Procurar um Hospital ou Centro de Controle de Intoxicações para tratamento dos sintomas. Se ocorrerem convulsões, a droga deve ser suspensa imediatamente e quando indicado, um tratamento com medicamento anticonvulsivante deve ser administrado. Os sinais vitais, a função respiratória e os eletrólitos no sangue devem ser monitorados.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Cefariston com outros remédios?

Aminoglicosídeos (ex.: amicacina, gentamicina, tobramicina)

Há maior chance de ocorrerem reações tóxicas para os rins com a administração conjunta de cefalotina e aminoglicosídeos. Não se recomenda a mistura de cefalotina com aminoglicosídeos, pois pode ocorrer inativação de ambas as substâncias.

Probenecida

A probenecida aumenta as concentrações de cefalotina e pode aumentar os riscos de reações tóxicas.

Interações com testes laboratoriais

A cefalotina pode alterar o resultado de exames que detectam glicose na urina através da solução de Benedict ou Fehling ou de comprimidos de Clinitest. A cefalotina também pode alterar o resultado da concentração de creatinina no soro e na urina, quando determinada pela reação de Jaffé. Pode ocorrer alteração dos resultados dos testes de Coombs diretos, realizados durante o tratamento com cefalotina.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Cefariston (Cefalotina Sódica)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>A Cefalotina &#xE9; altamente ativa contra estafilococos, incluindo os produtores de penicilinase; enterococos e<em> E. coli.</em> Em um estudo cl&#xED;nico com 11 pacientes com infec&#xE7;&#xF5;es por microrganismos Gram-positivos, 10 foram tratados com sucesso: 5 com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por estafilococos produtores de penicilinase e 5 com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por enterococos.<sup>(1) </sup></p> <p>A Cefalotina foi utilizada em um estudo com adultos para profilaxia de substitui&#xE7;&#xE3;o de v&#xE1;lvula card&#xED;aca. Foi utilizada dose intraoperat&#xF3;ria de 2 g, que produziu atividade antimicrobiana adequada na corrente sangu&#xED;nea durante o per&#xED;odo de circula&#xE7;&#xE3;o extracorp&#xF3;rea.<sup>(2) </sup></p> <p>Em um estudo duplo-cego com 148 pacientes para avaliar a efetividade da Cefalotina na profilaxia de morbidade de pacientes submetidas &#xE0; cesariana, a administra&#xE7;&#xE3;o profil&#xE1;tica de Cefalotina produziu uma diminui&#xE7;&#xE3;o significativa na taxa de infec&#xE7;&#xE3;o p&#xF3;s-operat&#xF3;ria. O grupo que recebeu o antibi&#xF3;tico apresentou uma taxa de morbidade significativamente menor, 8,8%, quando comparada &#xE0; taxa do grupo placebo, 29,2%.<sup>(3) </sup></p> <p>Os resultados cl&#xED;nicos reportados por 8 pesquisadores que analisaram um total de 484 pacientes mostraram-se uniformemente favor&#xE1;veis em infec&#xE7;&#xF5;es causadas por microrganismos Gram-positivos e tamb&#xE9;m foram favor&#xE1;veis em algumas infec&#xE7;&#xF5;es causadas por bacilos Gram-negativos. Em 136 pacientes com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por estafilococos produtores de penicilinase, dos quais 31 apresentaram cultura sangu&#xED;nea positiva, o tratamento com Cefalotina mostrou-se positivo, 103 pacientes evolu&#xED;ram para cura da infec&#xE7;&#xE3;o, 19 apresentaram melhora e em 14 o tratamento falhou. Seis destes casos foram diagnosticados como <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-endocardite-endocardite-infecciosa-sintomas-e-tratamento/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">endocardite</a> estafiloc&#xF3;cica e todos foram curados ap&#xF3;s o tratamento com Cefalotina. De um total de 43 pacientes com infec&#xE7;&#xE3;o causada por <em>E. coli</em>, houve apenas 1 falha. Entre os casos tratados com sucesso, 6 apresentaram cultura de sangue positiva.<sup>(4) </sup></p> <p>Em um estudo randomizado, duplo-cego, com 307 pacientes com fratura da parte proximal do f&#xEA;mur, a administra&#xE7;&#xE3;o profil&#xE1;tica de Cefalotina reduziu significativamente a taxa de infec&#xE7;&#xE3;o de ferida no grupo tratado com Cefalotina (de 4,7% para 0,7%). Tamb&#xE9;m houve redu&#xE7;&#xE3;o da incid&#xEA;ncia de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-urinario/infeccao-urinaria/c\" target=\"_blank\">infec&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria</a> e da m&#xE9;dia da temperatura corporal m&#xE1;xima durante o p&#xF3;s-operat&#xF3;rio.<sup>(5)</sup></p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Steinbrunn W, Haemmerli UP. Clinical trials of cephalothin, a new antibiotic. German Medical Monthly. 1967 Abr; 12 (4): 170-174.<br> 2. Austin TW, Coles JC, McKechnie P, Sandoval W, Doctor A. Cephalothin prophylaxis and valve replacement. The Annals of Thoracic Surgery. 1977 Abr; 23 (4): 333-336.<br> 3. Moro M, Andrews M. Prophylatic antibiotics in cesarean section. Obstetrics and Gynecology. 1974 Nov; 44 (5): 688-692.<br> 4. Kirby WMM. Clinical status of cephalothin. Antimicrobial Agents and Chemotherapy. 1964; 10: 274-279.<br> 5. Burnett JW, Gustilo RB, Williams DN, Kind AC. Prophylactic antibiotics in hip fractures. The Journal of Bone and Joint Surgery. 1980 Abr; 62-A (3): 457-462.<br> 6. Handbook on Injectable Drugs, 8th Edition, 2007, Lawrence A. Trissel, American Society of Health-System Pharmacists.<br> 7. Drug Information for the Health Care Professional &#x2013; USP DI, 27th Edition, 2007, Thomson &#x2013; Micromedex.<br> 8. Martindale &#x2013; The Complete Drug Reference, 35th Edition, 2007.</br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Descri&#xE7;&#xE3;o</h3> <p>A Cefalotina &#xE9; uma cefalosporina semissint&#xE9;tica de primeira gera&#xE7;&#xE3;o de amplo espectro. Cada 1 g de Cefalotina &#xE9; tamponada com 30 mg de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/bicarbonato-de-sodio/bula\" target=\"_blank\">bicarbonato de s&#xF3;dio</a>, para se obter solu&#xE7;&#xF5;es que, quando reconstitu&#xED;das, tem pH variando entre 6 e 8,5. Nesta faixa de pH n&#xE3;o h&#xE1; forma&#xE7;&#xE3;o de Cefalotina &#xE1;cida livre, a solubilidade do produto &#xE9; melhorada e o congelamento exige temperaturas mais baixas.</p> <p>A Cefalotina cont&#xE9;m 2,8 mEq de s&#xF3;dio por grama.</p> <h3>Farmacocin&#xE9;tica</h3></hr>"}

1000mg, caixa com 1 frasco com pó para solução de uso intravenoso + 1 frasco com 5mL de diluente

Princípio ativo
:
Cefalotina Sódica
Classe Terapêutica
:
Cefalosporinas Injetáveis
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia e Clínica Médica

Bula do medicamento

Cefariston, para o que é indicado e para o que serve?

Cefariston é indicado para:

  • <li>Tratamento de infec&#xE7;&#xE3;o nos pulm&#xF5;es;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o da pele e tecidos moles;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-urinario/infeccao-urinaria/c" target="_blank">Infec&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria</a>;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o no sangue;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o gastrintestinal;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/infectologia/meningite/c" target="_blank">Meningite</a>;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o nas juntas, infec&#xE7;&#xE3;o nos ossos;</li> <li>Preven&#xE7;&#xE3;o de infec&#xE7;&#xE3;o durante cirurgia.</li>

Como o Cefariston funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Cefariston &#xE9; um antibacteriano da classe das cefalosporinas. Em doses adequadas promove a destrui&#xE7;&#xE3;o das bact&#xE9;rias. O tempo para cura da infec&#xE7;&#xE3;o pode variar de dias a meses, dependendo do local e do tipo de bact&#xE9;ria causadora da infec&#xE7;&#xE3;o e das condi&#xE7;&#xF5;es do paciente.</p> "}

Quais as contraindicações do Cefariston?

Cefariston não deve ser usado por pacientes com histórico de reação&nbsp;alérgica a penicilinas, derivados da penicilina, penicilamina ou a outras cefalosporinas.

Como usar o Cefariston?

Cefariston é de uso injetável, portanto deve ser administrado somente em serviços profissionais autorizados.

Atenção: o produto preparado em capela de fluxo unidirecional (laminar) validado pode ser armazenado pelos tempos descritos a seguir. Para produtos preparados fora desta condição, recomenda-se o uso imediato.

Com a finalidade de evitar o aparecimento de partículas de borracha após a inserção de agulha no frasco-ampola, proceder da seguinte forma

{"tag":"ol","value":" <li>Encaixar uma agulha de inje&#xE7;&#xE3;o de no m&#xE1;ximo 0,8 mm de calibre.</li> <li>Encher a seringa com o diluente apropriado.</li> <li>Segurar a seringa verticalmente &#xE0; borracha.</li> <li>Perfurar a tampa dentro da &#xE1;rea marcada, deixando o frasco-ampola firmemente na posi&#xE7;&#xE3;o vertical.</li> <li>&#xC9; recomendado n&#xE3;o perfurar mais de 4 vezes a &#xE1;rea demarcada (ISO 7864).</li> "}

Veja abaixo o procedimento:

Cefariston 1 g - via intramuscular / via intravenosa direta

Reconstituição
Diluente

Água para injetáveis.

Volume

5 mL.

Após reconstituição, o produto tem volume final de aproximadamente 5,7 mL e concentração de aproximadamente 175 mg/mL.

Aparência da solução reconstituída

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Estabilidade após reconstituição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

96 horas.

Administração Intramuscular

Injetar em grande massa muscular.

Em adultos, nas nádegas (quadrante superior externo); em crianças, na face lateral da coxa.

Administração Intravenosa Direta

Injetar direto na veia durante 3 a 5 minutos. A administração pode também ser feita diretamente através do tubo do equipo quando o paciente estiver recebendo soluções por via intravenosa.

Cefariston 1 g - infusão intravenosa

Reconstituição
Diluente

Água para injetáveis.

Volume

5 mL.

Após reconstituição, o produto tem volume final de aproximadamente 5,7 mL e concentração de aproximadamente 175 mg/mL.

Aparência da solução reconstituída

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Estabilidade após reconstituição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

96 horas.

Diluição

Diluente

Cloreto de Sódio 0,9% e Glicose 5%.

Volume

100 mL.

Após diluição, o produto tem concentração de aproximadamente 9,5 mg/mL.

Aparência da solução diluída

Incolor. A solução diluída pode sofrer uma ligeira alteração de cor (escurecer de incolor a levemente amarelada). Esta ligeira mudança de cor da solução não altera a potência do medicamento.

Estabilidade após diluição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

7 dias.

Administração

Infundir durante 30 minutos.

Incompatibilidades

Não se recomenda a mistura de cefalotina com outras medicações. A mistura de antibacterianos betalactâmicos (penicilinas e cefalosporinas) e aminoglicosídeos pode resultar em inativação de ambas as substâncias. Se clinicamente necessário, elas devem ser administradas separadamente (não misturá-las no mesmo frasco ou numa mesma bolsa intravenosa). Se estiver utilizando a técnica em Y, suspender temporariamente a administração de uma substância enquanto se administra a outra.

Posologia do&nbsp;Cefariston

{"tag":"hr","value":" <p><strong>Aten&#xE7;&#xE3;o:&amp;nbsp;</strong>as doses s&#xE3;o dadas em termos de cefalotina.</p> <h3>Adultos e Adolescentes</h3> <ul> <li><a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c\" target=\"_blank\">Pneumonia</a> n&#xE3;o complicada;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o do trato urin&#xE1;rio;</li> <li>Furunculose com <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/celulite-e-celulite-infecciosa-o-que-e-tratamento-remedios-e-cremes/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">celulite</a> - 500 mg a cada 6 horas, via intramuscular ou intravenosa.</li> </ul> <h3>Preven&#xE7;&#xE3;o de infec&#xE7;&#xE3;o em cirurgia (via intravenosa)</h3> <ul> <li>Antes da cirurgia - 2 g, 30 a 60 minutos antes do in&#xED;cio da cirurgia;</li> <li>Durante a cirurgia (procedimentos com dura&#xE7;&#xE3;o de 2 horas ou mais) - 2 g;</li> <li>Depois da cirurgia - 2 g a cada 6 horas, ap&#xF3;s a cirurgia, durante at&#xE9; 48 horas.</li> </ul> <h3>Outras infec&#xE7;&#xF5;es</h3> <p>500 mg a 2 g, a cada 4 a 6 horas, via intramuscular ou intravenosa.</p> <h3>Limite de dose para adultos</h3> <p>12 g por dia.</p> <h3>Adultos com diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o renal</h3> <p>Ap&#xF3;s uma dose inicial de 1 a 2 g por via intravenosa, pode ser necess&#xE1;rio o ajuste de dose de acordo com o esquema abaixo que considera o <em>clearance </em>de creatinina (ver Tabela 1).</p> <p><strong>Tabela 1: Ajuste de dose para adultos com diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o renal.</strong></p> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong><em>Clearance</em> de creatinina (mL/min)</strong></p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Dose</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">50 &#x2013; 80</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 2 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">25 &#x2013; 50</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 1,5 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">10 &#x2013; 25</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 1 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">2 &#x2013; 10</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 500 mg a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">&lt; 2</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:178px\">At&#xE9; 500 mg a cada 8 horas</td> </tr> </tbody> </table> <h3>Crian&#xE7;as</h3> <h4>Infec&#xE7;&#xF5;es bacterianas em geral</h4> <p>20 a 40 mg por kg de peso, a cada 6 horas, por via intramuscular ou intravenosa; ou 12 a 25 mg por kg de peso, a cada 4 horas, por via intramuscular ou intravenosa.</p> <h3>Idosos</h3> <p>Ver doses para Adultos e Adolescentes. Pacientes idosos t&#xEA;m maior probabilidade de ter a fun&#xE7;&#xE3;o renal diminu&#xED;da, por isso pode ser necess&#xE1;rio o ajuste de dose de acordo com o <em>clearance </em>de creatinina.</p> <h3>Dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento</h3> <p>A dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento ser&#xE1; determinada pelo m&#xE9;dico. Como na terapia com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/infeccoes/antibioticos/c\" target=\"_blank\">antibi&#xF3;ticos</a> em geral, o tratamento com Cefariston deve ser prolongado por um m&#xED;nimo de 48 a 72 horas ap&#xF3;s abaixar a temperatura do paciente, ou ap&#xF3;s a constata&#xE7;&#xE3;o da elimina&#xE7;&#xE3;o das bact&#xE9;rias causadoras da infec&#xE7;&#xE3;o.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o de seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento. </strong></p> <p><strong>N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m&#xE9;dico.</strong></p> <h2>O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Cefariston?</h2> <hr> <p>Se voc&#xEA; se esquecer de usar este medicamento, entre em contato com seu m&#xE9;dico.</p> <p>Deixar de tomar uma ou mais doses ou n&#xE3;o completar o tratamento pode comprometer o resultado.</p> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico, ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> </hr>"}

Quais cuidados devo ter ao usar o Cefariston?

Antes que o tratamento com Cefariston seja iniciado, informe ao seu médico se você já apresentou reações alérgicas anteriores a algum medicamento, especialmente à cefalotina, a outras cefalosporinas, às penicilinas ou à penicilamina.

Pacientes alérgicos a penicilinas podem ser alérgicos também à cefalotina. Se uma reação alérgica ocorrer, interrompa o tratamento com o medicamento.

O tratamento com cefalotina pode levar ao crescimento da bactéria Clostridium difficile, a principal causa de colite associada ao uso de antibiótico (caracterizada por dor na barriga e no estômago,&nbsp;cólica,&nbsp;diarreia aquosa, podendo conter sangue,&nbsp;febre).

É importante considerar este diagnóstico caso você apresente diarreia durante ou até dois meses após o uso de antibiótico.

Informe ao seu médico se você já apresentou doença gastrintestinal, particularmente colite.

Pacientes com diminuição da função renal podem precisar de doses menores que pacientes com a função renal normal. A administração de altas doses, especialmente nestes pacientes, pode provocar convulsões.

A administração de doses intravenosas de cefalotina maiores que 6 gramas por dia, por mais de 3 dias, poderá levar ao aparecimento de tromboflebite (inflamação da veia associada com a formação de trombos), devendo-se, por este motivo, usar as veias alternadamente.

O uso prolongado de cefalotina poderá resultar em crescimento excessivo de microrganismos resistentes. Se durante a terapia ocorrer uma superinfecção, devem-se tomar as medidas apropriadas.

Uso na amamentação

A cefalotina está presente em níveis muito baixos no leite materno. Entretanto não foram documentados problemas.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Cefariston?

Reações adversas raras

Alérgicas

Erupções na pele, urticária, reações semelhantes às da doença do soro (febre, dor nas juntas e urticária) e anafilaxia (urticária, coceira, diminuição grave da respiração e da pressão). Eosinofilia (aumento dos eosinófilos no sangue) e febre medicamentosa foram observadas associadas a outras reações alérgicas. Há maior probabilidade dessas reações ocorrerem em pacientes com história de alergia, particularmente à penicilina.

Reações Locais

Dor, endurecimento do tecido, sensibilidade e elevação da temperatura têm sido relatadas após injeções intramusculares repetidas. Há relatos de tromboflebite (inflamação da veia com formação de coágulo de sangue), geralmente associada a doses diárias acima de 6 gramas, administradas por infusão contínua por mais de 3 dias.

Gastrintestinais

Diarreia, náuseas e vômitos têm sido relatados raramente. Podem aparecer sintomas de colite pseudomembranosa (dor na barriga e no estômago; diarreia aquosa, podendo conter sangue; febre), durante ou após o tratamento.

Reações adversas muito raras

Sangue

Neutropenia (diminuição de neutrófilos no sangue), trombocitopenia (diminuição de plaquetas no sangue) e anemia hemolítica (diminuição das células vermelhas no sangue).

Fígado

Aumento passageiro de enzimas do fígado (aspartato aminotransferase – AST e fosfatase alcalina).

Rim

Aumento de nitrogênio ureico no sangue (BUN) e diminuição do clearance de creatinina, principalmente em pacientes que apresentaram insuficiência renal anterior.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Gravidez

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Idosos

Pacientes idosos têm maior probabilidade de ter a função renal diminuída, por isso recomenda-se a avaliação da função renal destes pacientes antes que se inicie a terapia com cefalotina.

Insuficiência renal

Para pacientes com diminuição na função renal pode ser necessário o ajuste de dose de acordo com o clearance de creatinina.

Uso em crianças

A segurança e eficácia em prematuros ainda não foram estabelecidas.

Qual a composição do Cefariston?

Cada frasco-ampola contém:

1055 mg de Cefalotina sódica (equivalente a 1000 mg de cefalotina base).

Cada frasco-ampola contém 30 mg de bicarbonato de sódio como tamponante.

Apresentação do Cefariston

{"tag":"hr","value":" <p>P&#xF3; injet&#xE1;vel. Embalagem com 100 frascos-ampola de 1000 mg de cefalotina base.</p> <p><strong>Via de administra&#xE7;&#xE3;o: intravenosa ou intramuscular.</strong></p> <p><strong>Uso adulto e pedi&#xE1;trico.</strong></p> <p><strong>Medicamento similar equivalente ao medicamento de refer&#xEA;ncia.</strong></p> "}

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Cefariston maior do que a recomendada?

Sinais e sintomas

Após uma superdose de cefalotina, o paciente pode apresentar dor, inflamação e flebite (inflamação da veia) no local da injeção.

A administração de grandes doses inadequadas de cefalosporinas por via injetável pode causar tontura, parestesia (formigamento) e cefaleia (dor de cabeça). Algumas cefalosporinas podem causar convulsões quando uma superdose é administrada, particularmente em pacientes com insuficiência renal.

Tratamento

Procurar um Hospital ou Centro de Controle de Intoxicações para tratamento dos sintomas. Se ocorrerem convulsões, a droga deve ser suspensa imediatamente e quando indicado, um tratamento com medicamento anticonvulsivante deve ser administrado. Os sinais vitais, a função respiratória e os eletrólitos no sangue devem ser monitorados.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Cefariston com outros remédios?

Aminoglicosídeos (ex.: amicacina, gentamicina, tobramicina)

Há maior chance de ocorrerem reações tóxicas para os rins com a administração conjunta de cefalotina e aminoglicosídeos. Não se recomenda a mistura de cefalotina com aminoglicosídeos, pois pode ocorrer inativação de ambas as substâncias.

Probenecida

A probenecida aumenta as concentrações de cefalotina e pode aumentar os riscos de reações tóxicas.

Interações com testes laboratoriais

A cefalotina pode alterar o resultado de exames que detectam glicose na urina através da solução de Benedict ou Fehling ou de comprimidos de Clinitest. A cefalotina também pode alterar o resultado da concentração de creatinina no soro e na urina, quando determinada pela reação de Jaffé. Pode ocorrer alteração dos resultados dos testes de Coombs diretos, realizados durante o tratamento com cefalotina.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Cefariston (Cefalotina Sódica)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>A Cefalotina &#xE9; altamente ativa contra estafilococos, incluindo os produtores de penicilinase; enterococos e<em> E. coli.</em> Em um estudo cl&#xED;nico com 11 pacientes com infec&#xE7;&#xF5;es por microrganismos Gram-positivos, 10 foram tratados com sucesso: 5 com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por estafilococos produtores de penicilinase e 5 com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por enterococos.<sup>(1) </sup></p> <p>A Cefalotina foi utilizada em um estudo com adultos para profilaxia de substitui&#xE7;&#xE3;o de v&#xE1;lvula card&#xED;aca. Foi utilizada dose intraoperat&#xF3;ria de 2 g, que produziu atividade antimicrobiana adequada na corrente sangu&#xED;nea durante o per&#xED;odo de circula&#xE7;&#xE3;o extracorp&#xF3;rea.<sup>(2) </sup></p> <p>Em um estudo duplo-cego com 148 pacientes para avaliar a efetividade da Cefalotina na profilaxia de morbidade de pacientes submetidas &#xE0; cesariana, a administra&#xE7;&#xE3;o profil&#xE1;tica de Cefalotina produziu uma diminui&#xE7;&#xE3;o significativa na taxa de infec&#xE7;&#xE3;o p&#xF3;s-operat&#xF3;ria. O grupo que recebeu o antibi&#xF3;tico apresentou uma taxa de morbidade significativamente menor, 8,8%, quando comparada &#xE0; taxa do grupo placebo, 29,2%.<sup>(3) </sup></p> <p>Os resultados cl&#xED;nicos reportados por 8 pesquisadores que analisaram um total de 484 pacientes mostraram-se uniformemente favor&#xE1;veis em infec&#xE7;&#xF5;es causadas por microrganismos Gram-positivos e tamb&#xE9;m foram favor&#xE1;veis em algumas infec&#xE7;&#xF5;es causadas por bacilos Gram-negativos. Em 136 pacientes com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por estafilococos produtores de penicilinase, dos quais 31 apresentaram cultura sangu&#xED;nea positiva, o tratamento com Cefalotina mostrou-se positivo, 103 pacientes evolu&#xED;ram para cura da infec&#xE7;&#xE3;o, 19 apresentaram melhora e em 14 o tratamento falhou. Seis destes casos foram diagnosticados como <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-endocardite-endocardite-infecciosa-sintomas-e-tratamento/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">endocardite</a> estafiloc&#xF3;cica e todos foram curados ap&#xF3;s o tratamento com Cefalotina. De um total de 43 pacientes com infec&#xE7;&#xE3;o causada por <em>E. coli</em>, houve apenas 1 falha. Entre os casos tratados com sucesso, 6 apresentaram cultura de sangue positiva.<sup>(4) </sup></p> <p>Em um estudo randomizado, duplo-cego, com 307 pacientes com fratura da parte proximal do f&#xEA;mur, a administra&#xE7;&#xE3;o profil&#xE1;tica de Cefalotina reduziu significativamente a taxa de infec&#xE7;&#xE3;o de ferida no grupo tratado com Cefalotina (de 4,7% para 0,7%). Tamb&#xE9;m houve redu&#xE7;&#xE3;o da incid&#xEA;ncia de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-urinario/infeccao-urinaria/c\" target=\"_blank\">infec&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria</a> e da m&#xE9;dia da temperatura corporal m&#xE1;xima durante o p&#xF3;s-operat&#xF3;rio.<sup>(5)</sup></p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Steinbrunn W, Haemmerli UP. Clinical trials of cephalothin, a new antibiotic. German Medical Monthly. 1967 Abr; 12 (4): 170-174.<br> 2. Austin TW, Coles JC, McKechnie P, Sandoval W, Doctor A. Cephalothin prophylaxis and valve replacement. The Annals of Thoracic Surgery. 1977 Abr; 23 (4): 333-336.<br> 3. Moro M, Andrews M. Prophylatic antibiotics in cesarean section. Obstetrics and Gynecology. 1974 Nov; 44 (5): 688-692.<br> 4. Kirby WMM. Clinical status of cephalothin. Antimicrobial Agents and Chemotherapy. 1964; 10: 274-279.<br> 5. Burnett JW, Gustilo RB, Williams DN, Kind AC. Prophylactic antibiotics in hip fractures. The Journal of Bone and Joint Surgery. 1980 Abr; 62-A (3): 457-462.<br> 6. Handbook on Injectable Drugs, 8th Edition, 2007, Lawrence A. Trissel, American Society of Health-System Pharmacists.<br> 7. Drug Information for the Health Care Professional &#x2013; USP DI, 27th Edition, 2007, Thomson &#x2013; Micromedex.<br> 8. Martindale &#x2013; The Complete Drug Reference, 35th Edition, 2007.</br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Descri&#xE7;&#xE3;o</h3> <p>A Cefalotina &#xE9; uma cefalosporina semissint&#xE9;tica de primeira gera&#xE7;&#xE3;o de amplo espectro. Cada 1 g de Cefalotina &#xE9; tamponada com 30 mg de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/bicarbonato-de-sodio/bula\" target=\"_blank\">bicarbonato de s&#xF3;dio</a>, para se obter solu&#xE7;&#xF5;es que, quando reconstitu&#xED;das, tem pH variando entre 6 e 8,5. Nesta faixa de pH n&#xE3;o h&#xE1; forma&#xE7;&#xE3;o de Cefalotina &#xE1;cida livre, a solubilidade do produto &#xE9; melhorada e o congelamento exige temperaturas mais baixas.</p> <p>A Cefalotina cont&#xE9;m 2,8 mEq de s&#xF3;dio por grama.</p> <h3>Farmacocin&#xE9;tica</h3> <p>Em volunt&#xE1;rios sadios, ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o intramuscular de uma dose de 500 mg de Cefalotina, o n&#xED;vel m&#xE1;ximo do antibi&#xF3;tico no soro, ap&#xF3;s 30 minutos, foi em m&#xE9;dia 10 mcg/mL e ap&#xF3;s uma dose de 1 g, a m&#xE9;dia foi de 20 mcg/mL.</p> <p>Ap&#xF3;s uma dose intravenosa &#xFA;nica de 1 g de Cefalotina, os n&#xED;veis sangu&#xED;neos atingiram aproximadamente 30 mcg/mL ap&#xF3;s 15 minutos, tendo variado de 3 a 12 mcg em 1 hora, declinando para cerca de 1 mcg ap&#xF3;s 4 horas.</p> <p>Com infus&#xE3;o cont&#xED;nua, na propor&#xE7;&#xE3;o de 500 mg por hora, os n&#xED;veis no soro foram de 14 a 20 mcg/mL. Doses de 2 g administradas por infus&#xE3;o intravenosa, durante um per&#xED;odo de 30 minutos, produziram concentra&#xE7;&#xF5;es no soro de 80 a 100 mcg/mL ap&#xF3;s 30 minutos, 10 a 40 mcg/mL ap&#xF3;s uma hora e 3 a 6 mcg/mL ap&#xF3;s duas horas, n&#xE3;o sendo mensur&#xE1;veis ap&#xF3;s 5 horas.</p> <p>Cerca de 60% a 70% de uma dose intramuscular s&#xE3;o excretados pelos rins nas primeiras 6 horas, resultando em altos n&#xED;veis urin&#xE1;rios. A probenecida retarda a excre&#xE7;&#xE3;o tubular e quase dobra os n&#xED;veis sangu&#xED;neos m&#xE1;ximos.</p> <p>Os n&#xED;veis no l&#xED;quido cefalorraquidiano variaram de 0,4 a 1,4 mcg/mL em crian&#xE7;as e de 0,15 a 5 mcg/mL em adultos com processos inflamat&#xF3;rios das meninges. O antibi&#xF3;tico passa rapidamente para outros l&#xED;quidos org&#xE2;nicos, como o pleural, sinovial e asc&#xED;tico. Estudos do l&#xED;quido amni&#xF3;tico e do sangue do cord&#xE3;o umbilical demonstraram a r&#xE1;pida passagem da Cefalotina atrav&#xE9;s da placenta. Ap&#xF3;s doses &#xFA;nicas intramusculares de 1 g de Cefalotina, foram encontrados n&#xED;veis m&#xE1;ximos nas m&#xE3;es entre 31 e 45 minutos ap&#xF3;s a inje&#xE7;&#xE3;o. Os n&#xED;veis m&#xE1;ximos nas crian&#xE7;as ocorreram cerca de 15 minutos mais tarde. O antibi&#xF3;tico tamb&#xE9;m foi encontrado na bile.</p> <h3>Microbiologia</h3> <p>Os testes <em>in vitro</em> demonstram que a a&#xE7;&#xE3;o bactericida das cefalosporinas resulta da inibi&#xE7;&#xE3;o da s&#xED;ntese da parede celular.</p> <h4>Os estudos<em> in vitro</em> t&#xEA;m demonstrado a suscetibilidade da maioria das seguintes cepas &#xE0; Cefalotina:</h4> <h5>Aer&#xF3;bicos Gram-positivos:</h5> <ul> <li> <em>Staphylococcus aureus,</em> incluindo cepas produtoras de betalactamase.</li> <li> <em>Staphylococcus epidermidis</em>, incluindo cepas produtoras de betalactamase.</li> <li><em>Streptococcus pneumoniae.</em></li> <li><em>Streptococcus pyogenes.</em></li> </ul> <h5>Aer&#xF3;bicos Gram-negativos:</h5> <ul> <li><em>Escherichia coli.</em></li> <li><em>Haemophilus influenzae.</em></li> <li><em>Klebsiella sp. </em></li> <li><em>Proteus mirabilis.</em></li> <li><em>Salmonella sp. </em></li> <li><em>Shigella sp.</em></li> </ul> <p>Os estafilococos meticilina-resistentes e a maioria das cepas de enterococos (<em>Enterococcus faecalis</em>, anteriormente <em>Streptococcus faecalis,</em> e <em>Enterococcus faecium</em>, anteriormente <em>Streptococcus faecium</em>) s&#xE3;o resistentes &#xE0; Cefalotina e a outras cefalosporinas. A Cefalotina n&#xE3;o &#xE9; ativa contra a maioria das cepas de <em>Enterobacter sp</em>., <em>Morganella morganii, Proteus vulgaris </em>e<em> Providencia rettgeri</em>. Tamb&#xE9;m n&#xE3;o &#xE9; ativa contra <em>Serratia sp., Pseudomonas sp. </em>e<em> Acinetobacter sp. </em></p> <h3>Testes de suscetibilidade</h3> <h4>T&#xE9;cnicas de difus&#xE3;o</h4> <p>M&#xE9;todos quantitativos baseados em medidas de di&#xE2;metros de halos de inibi&#xE7;&#xE3;o d&#xE3;o a estimativa mais precisa da suscetibilidade aos antibi&#xF3;ticos. O m&#xE9;todo recomendado pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) para testar a suscetibilidade dos microrganismos emprega discos com 30 mcg de Cefalotina.</p> <h5>Os resultados dos testes de suscetibilidade-padr&#xE3;o com disco &#xFA;nico contendo 30 mcg de Cefalotina devem ser interpretados de acordo com os seguintes crit&#xE9;rios:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Di&#xE2;metro do halo (mm)</strong></p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Interpreta&#xE7;&#xE3;o</strong></p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">&#x2265; 18</p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\">Suscet&#xED;vel</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">15 &#x2013; 17</p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\">Intermedi&#xE1;rio</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">&#x2264; 14</p></td></tr></tbody></table></hr>"}

1000mg, caixa com 100 frascos-ampola com pó para solução de uso intramuscular ou intravenoso

Princípio ativo
:
Cefalotina Sódica
Classe Terapêutica
:
Cefalosporinas Injetáveis
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia e Clínica Médica

Bula do medicamento

Cefariston, para o que é indicado e para o que serve?

Cefariston é indicado para:

  • <li>Tratamento de infec&#xE7;&#xE3;o nos pulm&#xF5;es;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o da pele e tecidos moles;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-urinario/infeccao-urinaria/c" target="_blank">Infec&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria</a>;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o no sangue;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o gastrintestinal;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/infectologia/meningite/c" target="_blank">Meningite</a>;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o nas juntas, infec&#xE7;&#xE3;o nos ossos;</li> <li>Preven&#xE7;&#xE3;o de infec&#xE7;&#xE3;o durante cirurgia.</li>

Como o Cefariston funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Cefariston &#xE9; um antibacteriano da classe das cefalosporinas. Em doses adequadas promove a destrui&#xE7;&#xE3;o das bact&#xE9;rias. O tempo para cura da infec&#xE7;&#xE3;o pode variar de dias a meses, dependendo do local e do tipo de bact&#xE9;ria causadora da infec&#xE7;&#xE3;o e das condi&#xE7;&#xF5;es do paciente.</p> "}

Quais as contraindicações do Cefariston?

Cefariston não deve ser usado por pacientes com histórico de reação&nbsp;alérgica a penicilinas, derivados da penicilina, penicilamina ou a outras cefalosporinas.

Como usar o Cefariston?

Cefariston é de uso injetável, portanto deve ser administrado somente em serviços profissionais autorizados.

Atenção: o produto preparado em capela de fluxo unidirecional (laminar) validado pode ser armazenado pelos tempos descritos a seguir. Para produtos preparados fora desta condição, recomenda-se o uso imediato.

Com a finalidade de evitar o aparecimento de partículas de borracha após a inserção de agulha no frasco-ampola, proceder da seguinte forma

{"tag":"ol","value":" <li>Encaixar uma agulha de inje&#xE7;&#xE3;o de no m&#xE1;ximo 0,8 mm de calibre.</li> <li>Encher a seringa com o diluente apropriado.</li> <li>Segurar a seringa verticalmente &#xE0; borracha.</li> <li>Perfurar a tampa dentro da &#xE1;rea marcada, deixando o frasco-ampola firmemente na posi&#xE7;&#xE3;o vertical.</li> <li>&#xC9; recomendado n&#xE3;o perfurar mais de 4 vezes a &#xE1;rea demarcada (ISO 7864).</li> "}

Veja abaixo o procedimento:

Cefariston 1 g - via intramuscular / via intravenosa direta

Reconstituição
Diluente

Água para injetáveis.

Volume

5 mL.

Após reconstituição, o produto tem volume final de aproximadamente 5,7 mL e concentração de aproximadamente 175 mg/mL.

Aparência da solução reconstituída

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Estabilidade após reconstituição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

96 horas.

Administração Intramuscular

Injetar em grande massa muscular.

Em adultos, nas nádegas (quadrante superior externo); em crianças, na face lateral da coxa.

Administração Intravenosa Direta

Injetar direto na veia durante 3 a 5 minutos. A administração pode também ser feita diretamente através do tubo do equipo quando o paciente estiver recebendo soluções por via intravenosa.

Cefariston 1 g - infusão intravenosa

Reconstituição
Diluente

Água para injetáveis.

Volume

5 mL.

Após reconstituição, o produto tem volume final de aproximadamente 5,7 mL e concentração de aproximadamente 175 mg/mL.

Aparência da solução reconstituída

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Estabilidade após reconstituição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

96 horas.

Diluição

Diluente

Cloreto de Sódio 0,9% e Glicose 5%.

Volume

100 mL.

Após diluição, o produto tem concentração de aproximadamente 9,5 mg/mL.

Aparência da solução diluída

Incolor. A solução diluída pode sofrer uma ligeira alteração de cor (escurecer de incolor a levemente amarelada). Esta ligeira mudança de cor da solução não altera a potência do medicamento.

Estabilidade após diluição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

7 dias.

Administração

Infundir durante 30 minutos.

Incompatibilidades

Não se recomenda a mistura de cefalotina com outras medicações. A mistura de antibacterianos betalactâmicos (penicilinas e cefalosporinas) e aminoglicosídeos pode resultar em inativação de ambas as substâncias. Se clinicamente necessário, elas devem ser administradas separadamente (não misturá-las no mesmo frasco ou numa mesma bolsa intravenosa). Se estiver utilizando a técnica em Y, suspender temporariamente a administração de uma substância enquanto se administra a outra.

Posologia do&nbsp;Cefariston

{"tag":"hr","value":" <p><strong>Aten&#xE7;&#xE3;o:&amp;nbsp;</strong>as doses s&#xE3;o dadas em termos de cefalotina.</p> <h3>Adultos e Adolescentes</h3> <ul> <li><a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c\" target=\"_blank\">Pneumonia</a> n&#xE3;o complicada;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o do trato urin&#xE1;rio;</li> <li>Furunculose com <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/celulite-e-celulite-infecciosa-o-que-e-tratamento-remedios-e-cremes/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">celulite</a> - 500 mg a cada 6 horas, via intramuscular ou intravenosa.</li> </ul> <h3>Preven&#xE7;&#xE3;o de infec&#xE7;&#xE3;o em cirurgia (via intravenosa)</h3> <ul> <li>Antes da cirurgia - 2 g, 30 a 60 minutos antes do in&#xED;cio da cirurgia;</li> <li>Durante a cirurgia (procedimentos com dura&#xE7;&#xE3;o de 2 horas ou mais) - 2 g;</li> <li>Depois da cirurgia - 2 g a cada 6 horas, ap&#xF3;s a cirurgia, durante at&#xE9; 48 horas.</li> </ul> <h3>Outras infec&#xE7;&#xF5;es</h3> <p>500 mg a 2 g, a cada 4 a 6 horas, via intramuscular ou intravenosa.</p> <h3>Limite de dose para adultos</h3> <p>12 g por dia.</p> <h3>Adultos com diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o renal</h3> <p>Ap&#xF3;s uma dose inicial de 1 a 2 g por via intravenosa, pode ser necess&#xE1;rio o ajuste de dose de acordo com o esquema abaixo que considera o <em>clearance </em>de creatinina (ver Tabela 1).</p> <p><strong>Tabela 1: Ajuste de dose para adultos com diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o renal.</strong></p> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong><em>Clearance</em> de creatinina (mL/min)</strong></p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Dose</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">50 &#x2013; 80</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 2 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">25 &#x2013; 50</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 1,5 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">10 &#x2013; 25</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 1 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">2 &#x2013; 10</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 500 mg a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">&lt; 2</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:178px\">At&#xE9; 500 mg a cada 8 horas</td> </tr> </tbody> </table> <h3>Crian&#xE7;as</h3> <h4>Infec&#xE7;&#xF5;es bacterianas em geral</h4> <p>20 a 40 mg por kg de peso, a cada 6 horas, por via intramuscular ou intravenosa; ou 12 a 25 mg por kg de peso, a cada 4 horas, por via intramuscular ou intravenosa.</p> <h3>Idosos</h3> <p>Ver doses para Adultos e Adolescentes. Pacientes idosos t&#xEA;m maior probabilidade de ter a fun&#xE7;&#xE3;o renal diminu&#xED;da, por isso pode ser necess&#xE1;rio o ajuste de dose de acordo com o <em>clearance </em>de creatinina.</p> <h3>Dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento</h3> <p>A dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento ser&#xE1; determinada pelo m&#xE9;dico. Como na terapia com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/infeccoes/antibioticos/c\" target=\"_blank\">antibi&#xF3;ticos</a> em geral, o tratamento com Cefariston deve ser prolongado por um m&#xED;nimo de 48 a 72 horas ap&#xF3;s abaixar a temperatura do paciente, ou ap&#xF3;s a constata&#xE7;&#xE3;o da elimina&#xE7;&#xE3;o das bact&#xE9;rias causadoras da infec&#xE7;&#xE3;o.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o de seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento. </strong></p> <p><strong>N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m&#xE9;dico.</strong></p> <h2>O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Cefariston?</h2> <hr> <p>Se voc&#xEA; se esquecer de usar este medicamento, entre em contato com seu m&#xE9;dico.</p> <p>Deixar de tomar uma ou mais doses ou n&#xE3;o completar o tratamento pode comprometer o resultado.</p> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico, ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> </hr>"}

Quais cuidados devo ter ao usar o Cefariston?

Antes que o tratamento com Cefariston seja iniciado, informe ao seu médico se você já apresentou reações alérgicas anteriores a algum medicamento, especialmente à cefalotina, a outras cefalosporinas, às penicilinas ou à penicilamina.

Pacientes alérgicos a penicilinas podem ser alérgicos também à cefalotina. Se uma reação alérgica ocorrer, interrompa o tratamento com o medicamento.

O tratamento com cefalotina pode levar ao crescimento da bactéria Clostridium difficile, a principal causa de colite associada ao uso de antibiótico (caracterizada por dor na barriga e no estômago,&nbsp;cólica,&nbsp;diarreia aquosa, podendo conter sangue,&nbsp;febre).

É importante considerar este diagnóstico caso você apresente diarreia durante ou até dois meses após o uso de antibiótico.

Informe ao seu médico se você já apresentou doença gastrintestinal, particularmente colite.

Pacientes com diminuição da função renal podem precisar de doses menores que pacientes com a função renal normal. A administração de altas doses, especialmente nestes pacientes, pode provocar convulsões.

A administração de doses intravenosas de cefalotina maiores que 6 gramas por dia, por mais de 3 dias, poderá levar ao aparecimento de tromboflebite (inflamação da veia associada com a formação de trombos), devendo-se, por este motivo, usar as veias alternadamente.

O uso prolongado de cefalotina poderá resultar em crescimento excessivo de microrganismos resistentes. Se durante a terapia ocorrer uma superinfecção, devem-se tomar as medidas apropriadas.

Uso na amamentação

A cefalotina está presente em níveis muito baixos no leite materno. Entretanto não foram documentados problemas.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Cefariston?

Reações adversas raras

Alérgicas

Erupções na pele, urticária, reações semelhantes às da doença do soro (febre, dor nas juntas e urticária) e anafilaxia (urticária, coceira, diminuição grave da respiração e da pressão). Eosinofilia (aumento dos eosinófilos no sangue) e febre medicamentosa foram observadas associadas a outras reações alérgicas. Há maior probabilidade dessas reações ocorrerem em pacientes com história de alergia, particularmente à penicilina.

Reações Locais

Dor, endurecimento do tecido, sensibilidade e elevação da temperatura têm sido relatadas após injeções intramusculares repetidas. Há relatos de tromboflebite (inflamação da veia com formação de coágulo de sangue), geralmente associada a doses diárias acima de 6 gramas, administradas por infusão contínua por mais de 3 dias.

Gastrintestinais

Diarreia, náuseas e vômitos têm sido relatados raramente. Podem aparecer sintomas de colite pseudomembranosa (dor na barriga e no estômago; diarreia aquosa, podendo conter sangue; febre), durante ou após o tratamento.

Reações adversas muito raras

Sangue

Neutropenia (diminuição de neutrófilos no sangue), trombocitopenia (diminuição de plaquetas no sangue) e anemia hemolítica (diminuição das células vermelhas no sangue).

Fígado

Aumento passageiro de enzimas do fígado (aspartato aminotransferase – AST e fosfatase alcalina).

Rim

Aumento de nitrogênio ureico no sangue (BUN) e diminuição do clearance de creatinina, principalmente em pacientes que apresentaram insuficiência renal anterior.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Gravidez

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Idosos

Pacientes idosos têm maior probabilidade de ter a função renal diminuída, por isso recomenda-se a avaliação da função renal destes pacientes antes que se inicie a terapia com cefalotina.

Insuficiência renal

Para pacientes com diminuição na função renal pode ser necessário o ajuste de dose de acordo com o clearance de creatinina.

Uso em crianças

A segurança e eficácia em prematuros ainda não foram estabelecidas.

Qual a composição do Cefariston?

Cada frasco-ampola contém:

1055 mg de Cefalotina sódica (equivalente a 1000 mg de cefalotina base).

Cada frasco-ampola contém 30 mg de bicarbonato de sódio como tamponante.

Apresentação do Cefariston

{"tag":"hr","value":" <p>P&#xF3; injet&#xE1;vel. Embalagem com 100 frascos-ampola de 1000 mg de cefalotina base.</p> <p><strong>Via de administra&#xE7;&#xE3;o: intravenosa ou intramuscular.</strong></p> <p><strong>Uso adulto e pedi&#xE1;trico.</strong></p> <p><strong>Medicamento similar equivalente ao medicamento de refer&#xEA;ncia.</strong></p> "}

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Cefariston maior do que a recomendada?

Sinais e sintomas

Após uma superdose de cefalotina, o paciente pode apresentar dor, inflamação e flebite (inflamação da veia) no local da injeção.

A administração de grandes doses inadequadas de cefalosporinas por via injetável pode causar tontura, parestesia (formigamento) e cefaleia (dor de cabeça). Algumas cefalosporinas podem causar convulsões quando uma superdose é administrada, particularmente em pacientes com insuficiência renal.

Tratamento

Procurar um Hospital ou Centro de Controle de Intoxicações para tratamento dos sintomas. Se ocorrerem convulsões, a droga deve ser suspensa imediatamente e quando indicado, um tratamento com medicamento anticonvulsivante deve ser administrado. Os sinais vitais, a função respiratória e os eletrólitos no sangue devem ser monitorados.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Cefariston com outros remédios?

Aminoglicosídeos (ex.: amicacina, gentamicina, tobramicina)

Há maior chance de ocorrerem reações tóxicas para os rins com a administração conjunta de cefalotina e aminoglicosídeos. Não se recomenda a mistura de cefalotina com aminoglicosídeos, pois pode ocorrer inativação de ambas as substâncias.

Probenecida

A probenecida aumenta as concentrações de cefalotina e pode aumentar os riscos de reações tóxicas.

Interações com testes laboratoriais

A cefalotina pode alterar o resultado de exames que detectam glicose na urina através da solução de Benedict ou Fehling ou de comprimidos de Clinitest. A cefalotina também pode alterar o resultado da concentração de creatinina no soro e na urina, quando determinada pela reação de Jaffé. Pode ocorrer alteração dos resultados dos testes de Coombs diretos, realizados durante o tratamento com cefalotina.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Cefariston (Cefalotina Sódica)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>A Cefalotina &#xE9; altamente ativa contra estafilococos, incluindo os produtores de penicilinase; enterococos e<em> E. coli.</em> Em um estudo cl&#xED;nico com 11 pacientes com infec&#xE7;&#xF5;es por microrganismos Gram-positivos, 10 foram tratados com sucesso: 5 com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por estafilococos produtores de penicilinase e 5 com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por enterococos.<sup>(1) </sup></p> <p>A Cefalotina foi utilizada em um estudo com adultos para profilaxia de substitui&#xE7;&#xE3;o de v&#xE1;lvula card&#xED;aca. Foi utilizada dose intraoperat&#xF3;ria de 2 g, que produziu atividade antimicrobiana adequada na corrente sangu&#xED;nea durante o per&#xED;odo de circula&#xE7;&#xE3;o extracorp&#xF3;rea.<sup>(2) </sup></p> <p>Em um estudo duplo-cego com 148 pacientes para avaliar a efetividade da Cefalotina na profilaxia de morbidade de pacientes submetidas &#xE0; cesariana, a administra&#xE7;&#xE3;o profil&#xE1;tica de Cefalotina produziu uma diminui&#xE7;&#xE3;o significativa na taxa de infec&#xE7;&#xE3;o p&#xF3;s-operat&#xF3;ria. O grupo que recebeu o antibi&#xF3;tico apresentou uma taxa de morbidade significativamente menor, 8,8%, quando comparada &#xE0; taxa do grupo placebo, 29,2%.<sup>(3) </sup></p> <p>Os resultados cl&#xED;nicos reportados por 8 pesquisadores que analisaram um total de 484 pacientes mostraram-se uniformemente favor&#xE1;veis em infec&#xE7;&#xF5;es causadas por microrganismos Gram-positivos e tamb&#xE9;m foram favor&#xE1;veis em algumas infec&#xE7;&#xF5;es causadas por bacilos Gram-negativos. Em 136 pacientes com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por estafilococos produtores de penicilinase, dos quais 31 apresentaram cultura sangu&#xED;nea positiva, o tratamento com Cefalotina mostrou-se positivo, 103 pacientes evolu&#xED;ram para cura da infec&#xE7;&#xE3;o, 19 apresentaram melhora e em 14 o tratamento falhou. Seis destes casos foram diagnosticados como <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-endocardite-endocardite-infecciosa-sintomas-e-tratamento/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">endocardite</a> estafiloc&#xF3;cica e todos foram curados ap&#xF3;s o tratamento com Cefalotina. De um total de 43 pacientes com infec&#xE7;&#xE3;o causada por <em>E. coli</em>, houve apenas 1 falha. Entre os casos tratados com sucesso, 6 apresentaram cultura de sangue positiva.<sup>(4) </sup></p> <p>Em um estudo randomizado, duplo-cego, com 307 pacientes com fratura da parte proximal do f&#xEA;mur, a administra&#xE7;&#xE3;o profil&#xE1;tica de Cefalotina reduziu significativamente a taxa de infec&#xE7;&#xE3;o de ferida no grupo tratado com Cefalotina (de 4,7% para 0,7%). Tamb&#xE9;m houve redu&#xE7;&#xE3;o da incid&#xEA;ncia de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-urinario/infeccao-urinaria/c\" target=\"_blank\">infec&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria</a> e da m&#xE9;dia da temperatura corporal m&#xE1;xima durante o p&#xF3;s-operat&#xF3;rio.<sup>(5)</sup></p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Steinbrunn W, Haemmerli UP. Clinical trials of cephalothin, a new antibiotic. German Medical Monthly. 1967 Abr; 12 (4): 170-174.<br> 2. Austin TW, Coles JC, McKechnie P, Sandoval W, Doctor A. Cephalothin prophylaxis and valve replacement. The Annals of Thoracic Surgery. 1977 Abr; 23 (4): 333-336.<br> 3. Moro M, Andrews M. Prophylatic antibiotics in cesarean section. Obstetrics and Gynecology. 1974 Nov; 44 (5): 688-692.<br> 4. Kirby WMM. Clinical status of cephalothin. Antimicrobial Agents and Chemotherapy. 1964; 10: 274-279.<br> 5. Burnett JW, Gustilo RB, Williams DN, Kind AC. Prophylactic antibiotics in hip fractures. The Journal of Bone and Joint Surgery. 1980 Abr; 62-A (3): 457-462.<br> 6. Handbook on Injectable Drugs, 8th Edition, 2007, Lawrence A. Trissel, American Society of Health-System Pharmacists.<br> 7. Drug Information for the Health Care Professional &#x2013; USP DI, 27th Edition, 2007, Thomson &#x2013; Micromedex.<br> 8. Martindale &#x2013; The Complete Drug Reference, 35th Edition, 2007.</br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Descri&#xE7;&#xE3;o</h3> <p>A Cefalotina &#xE9; uma cefalosporina semissint&#xE9;tica de primeira gera&#xE7;&#xE3;o de amplo espectro. Cada 1 g de Cefalotina &#xE9; tamponada com 30 mg de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/bicarbonato-de-sodio/bula\" target=\"_blank\">bicarbonato de s&#xF3;dio</a>, para se obter solu&#xE7;&#xF5;es que, quando reconstitu&#xED;das, tem pH variando entre 6 e 8,5. Nesta faixa de pH n&#xE3;o h&#xE1; forma&#xE7;&#xE3;o de Cefalotina &#xE1;cida livre, a solubilidade do produto &#xE9; melhorada e o congelamento exige temperaturas mais baixas.</p> <p>A Cefalotina cont&#xE9;m 2,8 mEq de s&#xF3;dio por grama.</p> <h3>Farmacocin&#xE9;tica</h3> <p>Em volunt&#xE1;rios sadios, ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o intramuscular de uma dose de 500 mg de Cefalotina, o n&#xED;vel m&#xE1;ximo do antibi&#xF3;tico no soro, ap&#xF3;s 30 minutos, foi em m&#xE9;dia 10 mcg/mL e ap&#xF3;s uma dose de 1 g, a m&#xE9;dia foi de 20 mcg/mL.</p> <p>Ap&#xF3;s uma dose intravenosa &#xFA;nica de 1 g de Cefalotina, os n&#xED;veis sangu&#xED;neos atingiram aproximadamente 30 mcg/mL ap&#xF3;s 15 minutos, tendo variado de 3 a 12 mcg em 1 hora, declinando para cerca de 1 mcg ap&#xF3;s 4 horas.</p> <p>Com infus&#xE3;o cont&#xED;nua, na propor&#xE7;&#xE3;o de 500 mg por hora, os n&#xED;veis no soro foram de 14 a 20 mcg/mL. Doses de 2 g administradas por infus&#xE3;o intravenosa, durante um per&#xED;odo de 30 minutos, produziram concentra&#xE7;&#xF5;es no soro de 80 a 100 mcg/mL ap&#xF3;s 30 minutos, 10 a 40 mcg/mL ap&#xF3;s uma hora e 3 a 6 mcg/mL ap&#xF3;s duas horas, n&#xE3;o sendo mensur&#xE1;veis ap&#xF3;s 5 horas.</p> <p>Cerca de 60% a 70% de uma dose intramuscular s&#xE3;o excretados pelos rins nas primeiras 6 horas, resultando em altos n&#xED;veis urin&#xE1;rios. A probenecida retarda a excre&#xE7;&#xE3;o tubular e quase dobra os n&#xED;veis sangu&#xED;neos m&#xE1;ximos.</p> <p>Os n&#xED;veis no l&#xED;quido cefalorraquidiano variaram de 0,4 a 1,4 mcg/mL em crian&#xE7;as e de 0,15 a 5 mcg/mL em adultos com processos inflamat&#xF3;rios das meninges. O antibi&#xF3;tico passa rapidamente para outros l&#xED;quidos org&#xE2;nicos, como o pleural, sinovial e asc&#xED;tico. Estudos do l&#xED;quido amni&#xF3;tico e do sangue do cord&#xE3;o umbilical demonstraram a r&#xE1;pida passagem da Cefalotina atrav&#xE9;s da placenta. Ap&#xF3;s doses &#xFA;nicas intramusculares de 1 g de Cefalotina, foram encontrados n&#xED;veis m&#xE1;ximos nas m&#xE3;es entre 31 e 45 minutos ap&#xF3;s a inje&#xE7;&#xE3;o. Os n&#xED;veis m&#xE1;ximos nas crian&#xE7;as ocorreram cerca de 15 minutos mais tarde. O antibi&#xF3;tico tamb&#xE9;m foi encontrado na bile.</p> <h3>Microbiologia</h3> <p>Os testes <em>in vitro</em> demonstram que a a&#xE7;&#xE3;o bactericida das cefalosporinas resulta da inibi&#xE7;&#xE3;o da s&#xED;ntese da parede celular.</p> <h4>Os estudos<em> in vitro</em> t&#xEA;m demonstrado a suscetibilidade da maioria das seguintes cepas &#xE0; Cefalotina:</h4> <h5>Aer&#xF3;bicos Gram-positivos:</h5> <ul> <li> <em>Staphylococcus aureus,</em> incluindo cepas produtoras de betalactamase.</li> <li> <em>Staphylococcus epidermidis</em>, incluindo cepas produtoras de betalactamase.</li> <li><em>Streptococcus pneumoniae.</em></li> <li><em>Streptococcus pyogenes.</em></li> </ul> <h5>Aer&#xF3;bicos Gram-negativos:</h5> <ul> <li><em>Escherichia coli.</em></li> <li><em>Haemophilus influenzae.</em></li> <li><em>Klebsiella sp. </em></li> <li><em>Proteus mirabilis.</em></li> <li><em>Salmonella sp. </em></li> <li><em>Shigella sp.</em></li> </ul> <p>Os estafilococos meticilina-resistentes e a maioria das cepas de enterococos (<em>Enterococcus faecalis</em>, anteriormente <em>Streptococcus faecalis,</em> e <em>Enterococcus faecium</em>, anteriormente <em>Streptococcus faecium</em>) s&#xE3;o resistentes &#xE0; Cefalotina e a outras cefalosporinas. A Cefalotina n&#xE3;o &#xE9; ativa contra a maioria das cepas de <em>Enterobacter sp</em>., <em>Morganella morganii, Proteus vulgaris </em>e<em> Providencia rettgeri</em>. Tamb&#xE9;m n&#xE3;o &#xE9; ativa contra <em>Serratia sp., Pseudomonas sp. </em>e<em> Acinetobacter sp. </em></p> <h3>Testes de suscetibilidade</h3> <h4>T&#xE9;cnicas de difus&#xE3;o</h4> <p>M&#xE9;todos quantitativos baseados em medidas de di&#xE2;metros de halos de inibi&#xE7;&#xE3;o d&#xE3;o a estimativa mais precisa da suscetibilidade aos antibi&#xF3;ticos. O m&#xE9;todo recomendado pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) para testar a suscetibilidade dos microrganismos emprega discos com 30 mcg de Cefalotina.</p> <h5>Os resultados dos testes de suscetibilidade-padr&#xE3;o com disco &#xFA;nico contendo 30 mcg de Cefalotina devem ser interpretados de acordo com os seguintes crit&#xE9;rios:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Di&#xE2;metro do halo (mm)</strong></p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Interpreta&#xE7;&#xE3;o</strong></p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">&#x2265; 18</p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\">Suscet&#xED;vel</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">15 &#x2013; 17</p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\">Intermedi&#xE1;rio</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">&#x2264; 14</p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\">Resistente</p> </td> </tr> </tbody> </table> <p>Um resultado &#x201C;suscet&#xED;vel&#x201D; indica que o pat&#xF3;geno provavelmente ser&#xE1; inibido pelos n&#xED;veis sangu&#xED;neos normalmente alcan&#xE7;ados. Um resultado &#x201C;intermedi&#xE1;rio&#x201D; sugere que o microrganismo deve ser suscet&#xED;vel se for usada alta dose ou se a infec&#xE7;&#xE3;o estiver confinada nos tecidos e l&#xED;quidos onde altos n&#xED;veis do antibi&#xF3;tico s&#xE3;o atingidos. Um resultado &#x201C;resistente&#x201D; indica que as concentra&#xE7;&#xF5;es alcan&#xE7;adas n&#xE3;o ser&#xE3;o suficientes para inibir o microrganismo e outra terapia deve ser selecionada.</p> <p>Os m&#xE9;todos de difus&#xE3;o requerem o uso de microrganismos de controle laboratorial para aferi&#xE7;&#xE3;o t&#xE9;cnica do procedimento.</p> <h5>O disco de Cefalotina com 30 mcg deve dar os seguintes halos de inibi&#xE7;&#xE3;o:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:312px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Microrganismo</strong></p> </td> <td style=\"width:185px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Di&#xE2;metro do Halo (mm)</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:312px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Escherichia coli </em><br> ATCC 25922</br></p> </td> <td style=\"width:185px\"> <p style=\"text-align:center\">17 - 22</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:312px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Staphylococcus aureus</em><br> ATCC 25923</br></p> </td> <td style=\"width:185px\"> <p style=\"text-align:center\">29 - 37</p> </td> </tr> </tbody> </table> <h4>T&#xE9;cnicas de dilui&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Usar o m&#xE9;todo de dilui&#xE7;&#xE3;o padronizado pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) (caldo ou &#xE1;gar) ou equivalente.</p> <h5>Os valores de Concentra&#xE7;&#xE3;o Inibit&#xF3;ria M&#xED;nima (CIM) obtidos devem ser interpretados de acordo com os seguintes crit&#xE9;rios:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:310px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>CIM (mcg/mL)</strong></p> </td> <td style=\"width:187px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Interpreta&#xE7;&#xE3;o</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:310px\"> <p style=\"text-align:center\">&#x2264; 8</p> </td> <td style=\"width:187px\"> <p style=\"text-align:center\">Suscet&#xED;vel</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:310px\"> <p style=\"text-align:center\">16</p> </td> <td style=\"width:187px\"> <p style=\"text-align:center\">Intermedi&#xE1;rio</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:310px\"> <p style=\"text-align:center\">&#x2265; 32</p> </td> <td style=\"width:187px\"> <p style=\"text-align:center\">Resistente</p> </td> </tr> </tbody> </table> <p>Um resultado &#x201C;suscet&#xED;vel&#x201D; indica que o pat&#xF3;geno provavelmente ser&#xE1; inibido pelos n&#xED;veis sangu&#xED;neos normalmente alcan&#xE7;ados. Um resultado &#x201C;intermedi&#xE1;rio&#x201D; sugere que o microrganismo deve ser suscet&#xED;vel se for usada alta dose ou se a infec&#xE7;&#xE3;o estiver confinada nos tecidos e l&#xED;quidos onde altos n&#xED;veis do antibi&#xF3;tico s&#xE3;o atingidos. Um resultado &#x201C;resistente&#x201D; indica que as concentra&#xE7;&#xF5;es alcan&#xE7;adas n&#xE3;o ser&#xE3;o suficientes para inibir o microrganismo e outra terapia deve ser selecionada.</p> <p>O m&#xE9;todo de dilui&#xE7;&#xE3;o requer o uso de microrganismos de controle laboratorial para aferi&#xE7;&#xE3;o t&#xE9;cnica do procedimento.</p> <h5>A Cefalotina-padr&#xE3;o deve fornecer os seguintes valores de CIM:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:308px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Microrganismo</strong></p> </td> <td style=\"width:189px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>CIM (mcg/mL)</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:308px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Staphylococcus aureus</em><br> ATCC 29213</br></p> </td> <td style=\"width:189px\"> <p style=\"text-align:center\">0,12 - 0,5</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:308px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Escherichia coli</em><br> ATCC 25922</br></p> </td> <td style=\"width:189px\"> <p style=\"text-align:center\">4 - 16</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:308px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Enterococcus faecalis</em><br> ATCC 29212</br></p> </td> <td style=\"width:189px\"> <p style=\"text-align:center\">8 - 32</p> </td> </tr> </tbody> </table> </hr>"}

Como devo armazenar o Cefariston?

Cefariston, antes da reconstituição, deve ser armazenado em temperatura ambiente entre 15ºC e 30ºC.

Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido.

Guarde-o em sua embalagem original.

Após reconstituição, manter em temperatura ambiente entre 15°C e 30°C por até 12 horas ou sob refrigeração entre 2°C e 8°C por até 96 horas.

Após diluição, manter em temperatura ambiente entre 15°C e 30°C por até 12 horas ou sob refrigeração entre 2°C e 8°C por até 7 dias.

Soluções refrigeradas podem precipitar, porém são facilmente redissolvidas quando colocadas em temperatura ambiente.

Características do medicamento

Aspecto físico do pó

Pó cristalino branco a quase branco, praticamente inodoro.

Características da solução após reconstituição

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Características da solução após diluição

Incolor a levemente amarelada.

A solução reconstituída pode sofrer ligeira alteração de cor (escurecer de incolor a levemente amarelada), especialmente quando armazenada em temperatura ambiente entre 15°C e 30°C, entretanto não há alteração da potência do medicamento.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Dizeres Legais do Cefariston

Reg. MS nº 1.1637.0110

Farm. Resp.:
Eliza Yukie Saito
CRF-SP n° 10.878

Registrado por:
Blau Farmacêutica S.A.
CNPJ 58.430.828/0001-60
Rodovia Raposo Tavares Km 30,5 - n° 2833 - Prédio 100
CEP 06705-030
Cotia – SP
Indústria Brasileira





Fabricado por:
Blau Farmacêutica S.A.
CNPJ 58.430.828/0013-01
Rua Adherbal Stresser, 84.
CEP 05566-000
São Paulo – SP
Indústria Brasileira





Venda sob prescrição médica.

Só pode ser vendido com retenção da receita.

1000mg, caixa com 50 frascos-ampola com pó para solução de uso intramuscular ou intravenoso + 50 frascos-ampola de vidro com 5mL de diluente

Princípio ativo
:
Cefalotina Sódica
Classe Terapêutica
:
Cefalosporinas Injetáveis
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia e Clínica Médica

Bula do medicamento

Cefariston, para o que é indicado e para o que serve?

Cefariston é indicado para:

  • <li>Tratamento de infec&#xE7;&#xE3;o nos pulm&#xF5;es;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o da pele e tecidos moles;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-urinario/infeccao-urinaria/c" target="_blank">Infec&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria</a>;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o no sangue;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o gastrintestinal;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/infectologia/meningite/c" target="_blank">Meningite</a>;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o nas juntas, infec&#xE7;&#xE3;o nos ossos;</li> <li>Preven&#xE7;&#xE3;o de infec&#xE7;&#xE3;o durante cirurgia.</li>

Como o Cefariston funciona?

{"tag":"hr","value":" <p>Cefariston &#xE9; um antibacteriano da classe das cefalosporinas. Em doses adequadas promove a destrui&#xE7;&#xE3;o das bact&#xE9;rias. O tempo para cura da infec&#xE7;&#xE3;o pode variar de dias a meses, dependendo do local e do tipo de bact&#xE9;ria causadora da infec&#xE7;&#xE3;o e das condi&#xE7;&#xF5;es do paciente.</p> "}

Quais as contraindicações do Cefariston?

Cefariston não deve ser usado por pacientes com histórico de reação&nbsp;alérgica a penicilinas, derivados da penicilina, penicilamina ou a outras cefalosporinas.

Como usar o Cefariston?

Cefariston é de uso injetável, portanto deve ser administrado somente em serviços profissionais autorizados.

Atenção: o produto preparado em capela de fluxo unidirecional (laminar) validado pode ser armazenado pelos tempos descritos a seguir. Para produtos preparados fora desta condição, recomenda-se o uso imediato.

Com a finalidade de evitar o aparecimento de partículas de borracha após a inserção de agulha no frasco-ampola, proceder da seguinte forma

{"tag":"ol","value":" <li>Encaixar uma agulha de inje&#xE7;&#xE3;o de no m&#xE1;ximo 0,8 mm de calibre.</li> <li>Encher a seringa com o diluente apropriado.</li> <li>Segurar a seringa verticalmente &#xE0; borracha.</li> <li>Perfurar a tampa dentro da &#xE1;rea marcada, deixando o frasco-ampola firmemente na posi&#xE7;&#xE3;o vertical.</li> <li>&#xC9; recomendado n&#xE3;o perfurar mais de 4 vezes a &#xE1;rea demarcada (ISO 7864).</li> "}

Veja abaixo o procedimento:

Cefariston 1 g - via intramuscular / via intravenosa direta

Reconstituição
Diluente

Água para injetáveis.

Volume

5 mL.

Após reconstituição, o produto tem volume final de aproximadamente 5,7 mL e concentração de aproximadamente 175 mg/mL.

Aparência da solução reconstituída

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Estabilidade após reconstituição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

96 horas.

Administração Intramuscular

Injetar em grande massa muscular.

Em adultos, nas nádegas (quadrante superior externo); em crianças, na face lateral da coxa.

Administração Intravenosa Direta

Injetar direto na veia durante 3 a 5 minutos. A administração pode também ser feita diretamente através do tubo do equipo quando o paciente estiver recebendo soluções por via intravenosa.

Cefariston 1 g - infusão intravenosa

Reconstituição
Diluente

Água para injetáveis.

Volume

5 mL.

Após reconstituição, o produto tem volume final de aproximadamente 5,7 mL e concentração de aproximadamente 175 mg/mL.

Aparência da solução reconstituída

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Estabilidade após reconstituição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

96 horas.

Diluição

Diluente

Cloreto de Sódio 0,9% e Glicose 5%.

Volume

100 mL.

Após diluição, o produto tem concentração de aproximadamente 9,5 mg/mL.

Aparência da solução diluída

Incolor. A solução diluída pode sofrer uma ligeira alteração de cor (escurecer de incolor a levemente amarelada). Esta ligeira mudança de cor da solução não altera a potência do medicamento.

Estabilidade após diluição
Temperatura ambiente entre 15°C e 30°C

12 horas.

Refrigeração entre 2°C e 8°C

7 dias.

Administração

Infundir durante 30 minutos.

Incompatibilidades

Não se recomenda a mistura de cefalotina com outras medicações. A mistura de antibacterianos betalactâmicos (penicilinas e cefalosporinas) e aminoglicosídeos pode resultar em inativação de ambas as substâncias. Se clinicamente necessário, elas devem ser administradas separadamente (não misturá-las no mesmo frasco ou numa mesma bolsa intravenosa). Se estiver utilizando a técnica em Y, suspender temporariamente a administração de uma substância enquanto se administra a outra.

Posologia do&nbsp;Cefariston

{"tag":"hr","value":" <p><strong>Aten&#xE7;&#xE3;o:&amp;nbsp;</strong>as doses s&#xE3;o dadas em termos de cefalotina.</p> <h3>Adultos e Adolescentes</h3> <ul> <li><a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c\" target=\"_blank\">Pneumonia</a> n&#xE3;o complicada;</li> <li>Infec&#xE7;&#xE3;o do trato urin&#xE1;rio;</li> <li>Furunculose com <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/celulite-e-celulite-infecciosa-o-que-e-tratamento-remedios-e-cremes/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">celulite</a> - 500 mg a cada 6 horas, via intramuscular ou intravenosa.</li> </ul> <h3>Preven&#xE7;&#xE3;o de infec&#xE7;&#xE3;o em cirurgia (via intravenosa)</h3> <ul> <li>Antes da cirurgia - 2 g, 30 a 60 minutos antes do in&#xED;cio da cirurgia;</li> <li>Durante a cirurgia (procedimentos com dura&#xE7;&#xE3;o de 2 horas ou mais) - 2 g;</li> <li>Depois da cirurgia - 2 g a cada 6 horas, ap&#xF3;s a cirurgia, durante at&#xE9; 48 horas.</li> </ul> <h3>Outras infec&#xE7;&#xF5;es</h3> <p>500 mg a 2 g, a cada 4 a 6 horas, via intramuscular ou intravenosa.</p> <h3>Limite de dose para adultos</h3> <p>12 g por dia.</p> <h3>Adultos com diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o renal</h3> <p>Ap&#xF3;s uma dose inicial de 1 a 2 g por via intravenosa, pode ser necess&#xE1;rio o ajuste de dose de acordo com o esquema abaixo que considera o <em>clearance </em>de creatinina (ver Tabela 1).</p> <p><strong>Tabela 1: Ajuste de dose para adultos com diminui&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o renal.</strong></p> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong><em>Clearance</em> de creatinina (mL/min)</strong></p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Dose</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">50 &#x2013; 80</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 2 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">25 &#x2013; 50</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 1,5 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">10 &#x2013; 25</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 1 g a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">2 &#x2013; 10</p> </td> <td style=\"width:178px\"> <p style=\"text-align:center\">At&#xE9; 500 mg a cada 6 horas</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:203px\"> <p style=\"text-align:center\">&lt; 2</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:178px\">At&#xE9; 500 mg a cada 8 horas</td> </tr> </tbody> </table> <h3>Crian&#xE7;as</h3> <h4>Infec&#xE7;&#xF5;es bacterianas em geral</h4> <p>20 a 40 mg por kg de peso, a cada 6 horas, por via intramuscular ou intravenosa; ou 12 a 25 mg por kg de peso, a cada 4 horas, por via intramuscular ou intravenosa.</p> <h3>Idosos</h3> <p>Ver doses para Adultos e Adolescentes. Pacientes idosos t&#xEA;m maior probabilidade de ter a fun&#xE7;&#xE3;o renal diminu&#xED;da, por isso pode ser necess&#xE1;rio o ajuste de dose de acordo com o <em>clearance </em>de creatinina.</p> <h3>Dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento</h3> <p>A dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento ser&#xE1; determinada pelo m&#xE9;dico. Como na terapia com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/infeccoes/antibioticos/c\" target=\"_blank\">antibi&#xF3;ticos</a> em geral, o tratamento com Cefariston deve ser prolongado por um m&#xED;nimo de 48 a 72 horas ap&#xF3;s abaixar a temperatura do paciente, ou ap&#xF3;s a constata&#xE7;&#xE3;o da elimina&#xE7;&#xE3;o das bact&#xE9;rias causadoras da infec&#xE7;&#xE3;o.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o de seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento. </strong></p> <p><strong>N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m&#xE9;dico.</strong></p> <h2>O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Cefariston?</h2> <hr> <p>Se voc&#xEA; se esquecer de usar este medicamento, entre em contato com seu m&#xE9;dico.</p> <p>Deixar de tomar uma ou mais doses ou n&#xE3;o completar o tratamento pode comprometer o resultado.</p> <p><strong>Em caso de d&#xFA;vidas, procure orienta&#xE7;&#xE3;o do farmac&#xEA;utico ou de seu m&#xE9;dico, ou cirurgi&#xE3;o-dentista.</strong></p> </hr>"}

Quais cuidados devo ter ao usar o Cefariston?

Antes que o tratamento com Cefariston seja iniciado, informe ao seu médico se você já apresentou reações alérgicas anteriores a algum medicamento, especialmente à cefalotina, a outras cefalosporinas, às penicilinas ou à penicilamina.

Pacientes alérgicos a penicilinas podem ser alérgicos também à cefalotina. Se uma reação alérgica ocorrer, interrompa o tratamento com o medicamento.

O tratamento com cefalotina pode levar ao crescimento da bactéria Clostridium difficile, a principal causa de colite associada ao uso de antibiótico (caracterizada por dor na barriga e no estômago,&nbsp;cólica,&nbsp;diarreia aquosa, podendo conter sangue,&nbsp;febre).

É importante considerar este diagnóstico caso você apresente diarreia durante ou até dois meses após o uso de antibiótico.

Informe ao seu médico se você já apresentou doença gastrintestinal, particularmente colite.

Pacientes com diminuição da função renal podem precisar de doses menores que pacientes com a função renal normal. A administração de altas doses, especialmente nestes pacientes, pode provocar convulsões.

A administração de doses intravenosas de cefalotina maiores que 6 gramas por dia, por mais de 3 dias, poderá levar ao aparecimento de tromboflebite (inflamação da veia associada com a formação de trombos), devendo-se, por este motivo, usar as veias alternadamente.

O uso prolongado de cefalotina poderá resultar em crescimento excessivo de microrganismos resistentes. Se durante a terapia ocorrer uma superinfecção, devem-se tomar as medidas apropriadas.

Uso na amamentação

A cefalotina está presente em níveis muito baixos no leite materno. Entretanto não foram documentados problemas.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Cefariston?

Reações adversas raras

Alérgicas

Erupções na pele, urticária, reações semelhantes às da doença do soro (febre, dor nas juntas e urticária) e anafilaxia (urticária, coceira, diminuição grave da respiração e da pressão). Eosinofilia (aumento dos eosinófilos no sangue) e febre medicamentosa foram observadas associadas a outras reações alérgicas. Há maior probabilidade dessas reações ocorrerem em pacientes com história de alergia, particularmente à penicilina.

Reações Locais

Dor, endurecimento do tecido, sensibilidade e elevação da temperatura têm sido relatadas após injeções intramusculares repetidas. Há relatos de tromboflebite (inflamação da veia com formação de coágulo de sangue), geralmente associada a doses diárias acima de 6 gramas, administradas por infusão contínua por mais de 3 dias.

Gastrintestinais

Diarreia, náuseas e vômitos têm sido relatados raramente. Podem aparecer sintomas de colite pseudomembranosa (dor na barriga e no estômago; diarreia aquosa, podendo conter sangue; febre), durante ou após o tratamento.

Reações adversas muito raras

Sangue

Neutropenia (diminuição de neutrófilos no sangue), trombocitopenia (diminuição de plaquetas no sangue) e anemia hemolítica (diminuição das células vermelhas no sangue).

Fígado

Aumento passageiro de enzimas do fígado (aspartato aminotransferase – AST e fosfatase alcalina).

Rim

Aumento de nitrogênio ureico no sangue (BUN) e diminuição do clearance de creatinina, principalmente em pacientes que apresentaram insuficiência renal anterior.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Gravidez

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Idosos

Pacientes idosos têm maior probabilidade de ter a função renal diminuída, por isso recomenda-se a avaliação da função renal destes pacientes antes que se inicie a terapia com cefalotina.

Insuficiência renal

Para pacientes com diminuição na função renal pode ser necessário o ajuste de dose de acordo com o clearance de creatinina.

Uso em crianças

A segurança e eficácia em prematuros ainda não foram estabelecidas.

Qual a composição do Cefariston?

Cada frasco-ampola contém:

1055 mg de Cefalotina sódica (equivalente a 1000 mg de cefalotina base).

Cada frasco-ampola contém 30 mg de bicarbonato de sódio como tamponante.

Apresentação do Cefariston

{"tag":"hr","value":" <p>P&#xF3; injet&#xE1;vel. Embalagem com 100 frascos-ampola de 1000 mg de cefalotina base.</p> <p><strong>Via de administra&#xE7;&#xE3;o: intravenosa ou intramuscular.</strong></p> <p><strong>Uso adulto e pedi&#xE1;trico.</strong></p> <p><strong>Medicamento similar equivalente ao medicamento de refer&#xEA;ncia.</strong></p> "}

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Cefariston maior do que a recomendada?

Sinais e sintomas

Após uma superdose de cefalotina, o paciente pode apresentar dor, inflamação e flebite (inflamação da veia) no local da injeção.

A administração de grandes doses inadequadas de cefalosporinas por via injetável pode causar tontura, parestesia (formigamento) e cefaleia (dor de cabeça). Algumas cefalosporinas podem causar convulsões quando uma superdose é administrada, particularmente em pacientes com insuficiência renal.

Tratamento

Procurar um Hospital ou Centro de Controle de Intoxicações para tratamento dos sintomas. Se ocorrerem convulsões, a droga deve ser suspensa imediatamente e quando indicado, um tratamento com medicamento anticonvulsivante deve ser administrado. Os sinais vitais, a função respiratória e os eletrólitos no sangue devem ser monitorados.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Cefariston com outros remédios?

Aminoglicosídeos (ex.: amicacina, gentamicina, tobramicina)

Há maior chance de ocorrerem reações tóxicas para os rins com a administração conjunta de cefalotina e aminoglicosídeos. Não se recomenda a mistura de cefalotina com aminoglicosídeos, pois pode ocorrer inativação de ambas as substâncias.

Probenecida

A probenecida aumenta as concentrações de cefalotina e pode aumentar os riscos de reações tóxicas.

Interações com testes laboratoriais

A cefalotina pode alterar o resultado de exames que detectam glicose na urina através da solução de Benedict ou Fehling ou de comprimidos de Clinitest. A cefalotina também pode alterar o resultado da concentração de creatinina no soro e na urina, quando determinada pela reação de Jaffé. Pode ocorrer alteração dos resultados dos testes de Coombs diretos, realizados durante o tratamento com cefalotina.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Cefariston (Cefalotina Sódica)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>A Cefalotina &#xE9; altamente ativa contra estafilococos, incluindo os produtores de penicilinase; enterococos e<em> E. coli.</em> Em um estudo cl&#xED;nico com 11 pacientes com infec&#xE7;&#xF5;es por microrganismos Gram-positivos, 10 foram tratados com sucesso: 5 com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por estafilococos produtores de penicilinase e 5 com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por enterococos.<sup>(1) </sup></p> <p>A Cefalotina foi utilizada em um estudo com adultos para profilaxia de substitui&#xE7;&#xE3;o de v&#xE1;lvula card&#xED;aca. Foi utilizada dose intraoperat&#xF3;ria de 2 g, que produziu atividade antimicrobiana adequada na corrente sangu&#xED;nea durante o per&#xED;odo de circula&#xE7;&#xE3;o extracorp&#xF3;rea.<sup>(2) </sup></p> <p>Em um estudo duplo-cego com 148 pacientes para avaliar a efetividade da Cefalotina na profilaxia de morbidade de pacientes submetidas &#xE0; cesariana, a administra&#xE7;&#xE3;o profil&#xE1;tica de Cefalotina produziu uma diminui&#xE7;&#xE3;o significativa na taxa de infec&#xE7;&#xE3;o p&#xF3;s-operat&#xF3;ria. O grupo que recebeu o antibi&#xF3;tico apresentou uma taxa de morbidade significativamente menor, 8,8%, quando comparada &#xE0; taxa do grupo placebo, 29,2%.<sup>(3) </sup></p> <p>Os resultados cl&#xED;nicos reportados por 8 pesquisadores que analisaram um total de 484 pacientes mostraram-se uniformemente favor&#xE1;veis em infec&#xE7;&#xF5;es causadas por microrganismos Gram-positivos e tamb&#xE9;m foram favor&#xE1;veis em algumas infec&#xE7;&#xF5;es causadas por bacilos Gram-negativos. Em 136 pacientes com infec&#xE7;&#xF5;es causadas por estafilococos produtores de penicilinase, dos quais 31 apresentaram cultura sangu&#xED;nea positiva, o tratamento com Cefalotina mostrou-se positivo, 103 pacientes evolu&#xED;ram para cura da infec&#xE7;&#xE3;o, 19 apresentaram melhora e em 14 o tratamento falhou. Seis destes casos foram diagnosticados como <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-endocardite-endocardite-infecciosa-sintomas-e-tratamento/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">endocardite</a> estafiloc&#xF3;cica e todos foram curados ap&#xF3;s o tratamento com Cefalotina. De um total de 43 pacientes com infec&#xE7;&#xE3;o causada por <em>E. coli</em>, houve apenas 1 falha. Entre os casos tratados com sucesso, 6 apresentaram cultura de sangue positiva.<sup>(4) </sup></p> <p>Em um estudo randomizado, duplo-cego, com 307 pacientes com fratura da parte proximal do f&#xEA;mur, a administra&#xE7;&#xE3;o profil&#xE1;tica de Cefalotina reduziu significativamente a taxa de infec&#xE7;&#xE3;o de ferida no grupo tratado com Cefalotina (de 4,7% para 0,7%). Tamb&#xE9;m houve redu&#xE7;&#xE3;o da incid&#xEA;ncia de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-urinario/infeccao-urinaria/c\" target=\"_blank\">infec&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria</a> e da m&#xE9;dia da temperatura corporal m&#xE1;xima durante o p&#xF3;s-operat&#xF3;rio.<sup>(5)</sup></p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Steinbrunn W, Haemmerli UP. Clinical trials of cephalothin, a new antibiotic. German Medical Monthly. 1967 Abr; 12 (4): 170-174.<br> 2. Austin TW, Coles JC, McKechnie P, Sandoval W, Doctor A. Cephalothin prophylaxis and valve replacement. The Annals of Thoracic Surgery. 1977 Abr; 23 (4): 333-336.<br> 3. Moro M, Andrews M. Prophylatic antibiotics in cesarean section. Obstetrics and Gynecology. 1974 Nov; 44 (5): 688-692.<br> 4. Kirby WMM. Clinical status of cephalothin. Antimicrobial Agents and Chemotherapy. 1964; 10: 274-279.<br> 5. Burnett JW, Gustilo RB, Williams DN, Kind AC. Prophylactic antibiotics in hip fractures. The Journal of Bone and Joint Surgery. 1980 Abr; 62-A (3): 457-462.<br> 6. Handbook on Injectable Drugs, 8th Edition, 2007, Lawrence A. Trissel, American Society of Health-System Pharmacists.<br> 7. Drug Information for the Health Care Professional &#x2013; USP DI, 27th Edition, 2007, Thomson &#x2013; Micromedex.<br> 8. Martindale &#x2013; The Complete Drug Reference, 35th Edition, 2007.</br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Descri&#xE7;&#xE3;o</h3> <p>A Cefalotina &#xE9; uma cefalosporina semissint&#xE9;tica de primeira gera&#xE7;&#xE3;o de amplo espectro. Cada 1 g de Cefalotina &#xE9; tamponada com 30 mg de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/bicarbonato-de-sodio/bula\" target=\"_blank\">bicarbonato de s&#xF3;dio</a>, para se obter solu&#xE7;&#xF5;es que, quando reconstitu&#xED;das, tem pH variando entre 6 e 8,5. Nesta faixa de pH n&#xE3;o h&#xE1; forma&#xE7;&#xE3;o de Cefalotina &#xE1;cida livre, a solubilidade do produto &#xE9; melhorada e o congelamento exige temperaturas mais baixas.</p> <p>A Cefalotina cont&#xE9;m 2,8 mEq de s&#xF3;dio por grama.</p> <h3>Farmacocin&#xE9;tica</h3> <p>Em volunt&#xE1;rios sadios, ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o intramuscular de uma dose de 500 mg de Cefalotina, o n&#xED;vel m&#xE1;ximo do antibi&#xF3;tico no soro, ap&#xF3;s 30 minutos, foi em m&#xE9;dia 10 mcg/mL e ap&#xF3;s uma dose de 1 g, a m&#xE9;dia foi de 20 mcg/mL.</p> <p>Ap&#xF3;s uma dose intravenosa &#xFA;nica de 1 g de Cefalotina, os n&#xED;veis sangu&#xED;neos atingiram aproximadamente 30 mcg/mL ap&#xF3;s 15 minutos, tendo variado de 3 a 12 mcg em 1 hora, declinando para cerca de 1 mcg ap&#xF3;s 4 horas.</p> <p>Com infus&#xE3;o cont&#xED;nua, na propor&#xE7;&#xE3;o de 500 mg por hora, os n&#xED;veis no soro foram de 14 a 20 mcg/mL. Doses de 2 g administradas por infus&#xE3;o intravenosa, durante um per&#xED;odo de 30 minutos, produziram concentra&#xE7;&#xF5;es no soro de 80 a 100 mcg/mL ap&#xF3;s 30 minutos, 10 a 40 mcg/mL ap&#xF3;s uma hora e 3 a 6 mcg/mL ap&#xF3;s duas horas, n&#xE3;o sendo mensur&#xE1;veis ap&#xF3;s 5 horas.</p> <p>Cerca de 60% a 70% de uma dose intramuscular s&#xE3;o excretados pelos rins nas primeiras 6 horas, resultando em altos n&#xED;veis urin&#xE1;rios. A probenecida retarda a excre&#xE7;&#xE3;o tubular e quase dobra os n&#xED;veis sangu&#xED;neos m&#xE1;ximos.</p> <p>Os n&#xED;veis no l&#xED;quido cefalorraquidiano variaram de 0,4 a 1,4 mcg/mL em crian&#xE7;as e de 0,15 a 5 mcg/mL em adultos com processos inflamat&#xF3;rios das meninges. O antibi&#xF3;tico passa rapidamente para outros l&#xED;quidos org&#xE2;nicos, como o pleural, sinovial e asc&#xED;tico. Estudos do l&#xED;quido amni&#xF3;tico e do sangue do cord&#xE3;o umbilical demonstraram a r&#xE1;pida passagem da Cefalotina atrav&#xE9;s da placenta. Ap&#xF3;s doses &#xFA;nicas intramusculares de 1 g de Cefalotina, foram encontrados n&#xED;veis m&#xE1;ximos nas m&#xE3;es entre 31 e 45 minutos ap&#xF3;s a inje&#xE7;&#xE3;o. Os n&#xED;veis m&#xE1;ximos nas crian&#xE7;as ocorreram cerca de 15 minutos mais tarde. O antibi&#xF3;tico tamb&#xE9;m foi encontrado na bile.</p> <h3>Microbiologia</h3> <p>Os testes <em>in vitro</em> demonstram que a a&#xE7;&#xE3;o bactericida das cefalosporinas resulta da inibi&#xE7;&#xE3;o da s&#xED;ntese da parede celular.</p> <h4>Os estudos<em> in vitro</em> t&#xEA;m demonstrado a suscetibilidade da maioria das seguintes cepas &#xE0; Cefalotina:</h4> <h5>Aer&#xF3;bicos Gram-positivos:</h5> <ul> <li> <em>Staphylococcus aureus,</em> incluindo cepas produtoras de betalactamase.</li> <li> <em>Staphylococcus epidermidis</em>, incluindo cepas produtoras de betalactamase.</li> <li><em>Streptococcus pneumoniae.</em></li> <li><em>Streptococcus pyogenes.</em></li> </ul> <h5>Aer&#xF3;bicos Gram-negativos:</h5> <ul> <li><em>Escherichia coli.</em></li> <li><em>Haemophilus influenzae.</em></li> <li><em>Klebsiella sp. </em></li> <li><em>Proteus mirabilis.</em></li> <li><em>Salmonella sp. </em></li> <li><em>Shigella sp.</em></li> </ul> <p>Os estafilococos meticilina-resistentes e a maioria das cepas de enterococos (<em>Enterococcus faecalis</em>, anteriormente <em>Streptococcus faecalis,</em> e <em>Enterococcus faecium</em>, anteriormente <em>Streptococcus faecium</em>) s&#xE3;o resistentes &#xE0; Cefalotina e a outras cefalosporinas. A Cefalotina n&#xE3;o &#xE9; ativa contra a maioria das cepas de <em>Enterobacter sp</em>., <em>Morganella morganii, Proteus vulgaris </em>e<em> Providencia rettgeri</em>. Tamb&#xE9;m n&#xE3;o &#xE9; ativa contra <em>Serratia sp., Pseudomonas sp. </em>e<em> Acinetobacter sp. </em></p> <h3>Testes de suscetibilidade</h3> <h4>T&#xE9;cnicas de difus&#xE3;o</h4> <p>M&#xE9;todos quantitativos baseados em medidas de di&#xE2;metros de halos de inibi&#xE7;&#xE3;o d&#xE3;o a estimativa mais precisa da suscetibilidade aos antibi&#xF3;ticos. O m&#xE9;todo recomendado pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) para testar a suscetibilidade dos microrganismos emprega discos com 30 mcg de Cefalotina.</p> <h5>Os resultados dos testes de suscetibilidade-padr&#xE3;o com disco &#xFA;nico contendo 30 mcg de Cefalotina devem ser interpretados de acordo com os seguintes crit&#xE9;rios:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Di&#xE2;metro do halo (mm)</strong></p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Interpreta&#xE7;&#xE3;o</strong></p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">&#x2265; 18</p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\">Suscet&#xED;vel</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">15 &#x2013; 17</p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\">Intermedi&#xE1;rio</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">&#x2264; 14</p> </td> <td> <p style=\"text-align:center\">Resistente</p> </td> </tr> </tbody> </table> <p>Um resultado &#x201C;suscet&#xED;vel&#x201D; indica que o pat&#xF3;geno provavelmente ser&#xE1; inibido pelos n&#xED;veis sangu&#xED;neos normalmente alcan&#xE7;ados. Um resultado &#x201C;intermedi&#xE1;rio&#x201D; sugere que o microrganismo deve ser suscet&#xED;vel se for usada alta dose ou se a infec&#xE7;&#xE3;o estiver confinada nos tecidos e l&#xED;quidos onde altos n&#xED;veis do antibi&#xF3;tico s&#xE3;o atingidos. Um resultado &#x201C;resistente&#x201D; indica que as concentra&#xE7;&#xF5;es alcan&#xE7;adas n&#xE3;o ser&#xE3;o suficientes para inibir o microrganismo e outra terapia deve ser selecionada.</p> <p>Os m&#xE9;todos de difus&#xE3;o requerem o uso de microrganismos de controle laboratorial para aferi&#xE7;&#xE3;o t&#xE9;cnica do procedimento.</p> <h5>O disco de Cefalotina com 30 mcg deve dar os seguintes halos de inibi&#xE7;&#xE3;o:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:312px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Microrganismo</strong></p> </td> <td style=\"width:185px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Di&#xE2;metro do Halo (mm)</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:312px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Escherichia coli </em><br> ATCC 25922</br></p> </td> <td style=\"width:185px\"> <p style=\"text-align:center\">17 - 22</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:312px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Staphylococcus aureus</em><br> ATCC 25923</br></p> </td> <td style=\"width:185px\"> <p style=\"text-align:center\">29 - 37</p> </td> </tr> </tbody> </table> <h4>T&#xE9;cnicas de dilui&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Usar o m&#xE9;todo de dilui&#xE7;&#xE3;o padronizado pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) (caldo ou &#xE1;gar) ou equivalente.</p> <h5>Os valores de Concentra&#xE7;&#xE3;o Inibit&#xF3;ria M&#xED;nima (CIM) obtidos devem ser interpretados de acordo com os seguintes crit&#xE9;rios:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:310px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>CIM (mcg/mL)</strong></p> </td> <td style=\"width:187px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Interpreta&#xE7;&#xE3;o</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:310px\"> <p style=\"text-align:center\">&#x2264; 8</p> </td> <td style=\"width:187px\"> <p style=\"text-align:center\">Suscet&#xED;vel</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:310px\"> <p style=\"text-align:center\">16</p> </td> <td style=\"width:187px\"> <p style=\"text-align:center\">Intermedi&#xE1;rio</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:310px\"> <p style=\"text-align:center\">&#x2265; 32</p> </td> <td style=\"width:187px\"> <p style=\"text-align:center\">Resistente</p> </td> </tr> </tbody> </table> <p>Um resultado &#x201C;suscet&#xED;vel&#x201D; indica que o pat&#xF3;geno provavelmente ser&#xE1; inibido pelos n&#xED;veis sangu&#xED;neos normalmente alcan&#xE7;ados. Um resultado &#x201C;intermedi&#xE1;rio&#x201D; sugere que o microrganismo deve ser suscet&#xED;vel se for usada alta dose ou se a infec&#xE7;&#xE3;o estiver confinada nos tecidos e l&#xED;quidos onde altos n&#xED;veis do antibi&#xF3;tico s&#xE3;o atingidos. Um resultado &#x201C;resistente&#x201D; indica que as concentra&#xE7;&#xF5;es alcan&#xE7;adas n&#xE3;o ser&#xE3;o suficientes para inibir o microrganismo e outra terapia deve ser selecionada.</p> <p>O m&#xE9;todo de dilui&#xE7;&#xE3;o requer o uso de microrganismos de controle laboratorial para aferi&#xE7;&#xE3;o t&#xE9;cnica do procedimento.</p> <h5>A Cefalotina-padr&#xE3;o deve fornecer os seguintes valores de CIM:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:308px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Microrganismo</strong></p> </td> <td style=\"width:189px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>CIM (mcg/mL)</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:308px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Staphylococcus aureus</em><br> ATCC 29213</br></p> </td> <td style=\"width:189px\"> <p style=\"text-align:center\">0,12 - 0,5</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:308px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Escherichia coli</em><br> ATCC 25922</br></p> </td> <td style=\"width:189px\"> <p style=\"text-align:center\">4 - 16</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:308px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>Enterococcus faecalis</em><br> ATCC 29212</br></p> </td> <td style=\"width:189px\"> <p style=\"text-align:center\">8 - 32</p> </td> </tr> </tbody> </table> </hr>"}

Como devo armazenar o Cefariston?

Cefariston, antes da reconstituição, deve ser armazenado em temperatura ambiente entre 15ºC e 30ºC.

Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido.

Guarde-o em sua embalagem original.

Após reconstituição, manter em temperatura ambiente entre 15°C e 30°C por até 12 horas ou sob refrigeração entre 2°C e 8°C por até 96 horas.

Após diluição, manter em temperatura ambiente entre 15°C e 30°C por até 12 horas ou sob refrigeração entre 2°C e 8°C por até 7 dias.

Soluções refrigeradas podem precipitar, porém são facilmente redissolvidas quando colocadas em temperatura ambiente.

Características do medicamento

Aspecto físico do pó

Pó cristalino branco a quase branco, praticamente inodoro.

Características da solução após reconstituição

Solução límpida levemente amarelada, isenta de partículas visíveis.

Características da solução após diluição

Incolor a levemente amarelada.

A solução reconstituída pode sofrer ligeira alteração de cor (escurecer de incolor a levemente amarelada), especialmente quando armazenada em temperatura ambiente entre 15°C e 30°C, entretanto não há alteração da potência do medicamento.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Fabricante: Blau

© 2021 Medicamento Lab.