Blau Efrinalin

1mg/mL, caixa com 100 ampolas com 1mL de solução de uso intravenoso

Princípio ativo
:
Epinefrina
Classe Terapêutica
:
Estimulantes Cardíacos Excluindo Agentes Dopaminérgicos.
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Doenças Do Sangue
Especialidade
:
Alergia e Imunologia e Psicologia

Bula do medicamento

Efrinalin, para o que é indicado e para o que serve?

Alívio do broncoespasmo; alívio das reações de hipersensibilidade devido a medicamentos e outros alérgenos. A epinefrina pode ser utilizada para restabelecer o ritmo cardíaco na parada cardíaca, mas não deve ser usada em insuficiência cardíaca ou choque cardiogênico, traumático ou hemorrágico. Também pode ser usada no alívio de sintomas da doença do soro, urticária e edema angioneurótico; para ressuscitação na parada cardíaca devido a acidente anestésico, no glaucoma simples (ângulo aberto); para o relaxamento e inibição da contração da musculatura uterina.

Quais as contraindicações do Efrinalin?

Glaucoma de ângulo fechado (congestivo), choque, durante anestesia com hidrocarbonetos halogenados ou ciclopropano e nas lesões cerebrais orgânicas. Também é contraindicada nas anestesias de certas áreas como dedos das mãos e pés devido à vasoconstrição que pode levar à gangrena no local; no trabalho de parto; em pacientes com dilatação cardíaca e na insuficiência coronariana.

Como usar o Efrinalin?

Efrinalin® é aplicado por via subcutânea ou intramuscular. Para ressuscitação cardíaca, Efrinalin® é aplicado por via intravenosa ou intracardíaca. A porção não utilizada deve ser desprezada.

Cuidados especiais de manuseio

Deve-se inspecionar visualmente, antes da administração, o conteúdo da ampola quanto à forma física, presença de material particulado, descoloração ou qualquer alteração no aspecto do medicamento. Não utilize o produto se houver mudança de coloração ou material particulado presente, ou qualquer outra alteração que possa comprometer a eficácia e a segurança do medicamento.

Posologia do Efrinalin

{"tag":"hr","value":" <p>A solu&#xE7;&#xE3;o injet&#xE1;vel de Efrinalin<sup>&#xAE;</sup> 1:1000 (1 mg/mL), deve ser dilu&#xED;da antes da administra&#xE7;&#xE3;o intracard&#xED;aca ou intravenosa.</p> <h3>Para administra&#xE7;&#xE3;o intravenosa</h3> <p>Na parada cardio-respirat&#xF3;ria 1 mg por via intravenosa em bolus a cada 3-5 minutos.</p> <h3>Para administra&#xE7;&#xE3;o via card&#xED;aca</h3> <p>A inje&#xE7;&#xE3;o intracard&#xED;aca direta tem sido limitada &#xE0; sala de cirurgia, durante a massagem card&#xED;aca direta, ou quando n&#xE3;o existe a possibilidade de se utilizar outras vias.</p> <p>A epinefrina injet&#xE1;vel quando administrada por via intracard&#xED;aca, somente deve ser feita por pessoal bem treinado para a t&#xE9;cnica.</p> <p>A administra&#xE7;&#xE3;o endotraqueal &#xE9; feita se o acesso venoso n&#xE3;o for estabelecido durante os procedimentos de reanima&#xE7;&#xE3;o c&#xE1;rdio-respirat&#xF3;ria. A dose &#xE9; de 2-2,5 mg para tratamento de fibrila&#xE7;&#xE3;o ventricular ou taquicardia ventricular sem pulso, em intervalos de 3 a 5 minutos. A administra&#xE7;&#xE3;o intra-arterial n&#xE3;o &#xE9; recomendada, pois a vasoconstri&#xE7;&#xE3;o pode resultar em gangrena.</p> <p>Repetidas inje&#xE7;&#xF5;es locais podem resultar em necrose no local da inje&#xE7;&#xE3;o por causa da constitui&#xE7;&#xE3;o vascular. Os locais das inje&#xE7;&#xF5;es devem ser rotativos.</p> <p>A inje&#xE7;&#xE3;o de epinefrina por via intramuscular nas n&#xE1;degas, deve ser evitada, pois a vasoconstri&#xE7;&#xE3;o produzida pela epinefrina reduz a tens&#xE3;o do oxig&#xEA;nio nos tecidos, permitindo que o anaer&#xF3;bio <em>Clostridium welchii</em>, que pode estar presente nas n&#xE1;degas, se multiplique e cause gangrena gasosa.</p> <h3>Adultos e Adolescentes</h3> <h4>Para rea&#xE7;&#xF5;es anafil&#xE1;ticas</h4> <p>Por via intramuscular ou subcut&#xE2;nea, inicialmente 0,3 - 0,5 mg (1:1.000) a cada 15 - 20 minutos, se necess&#xE1;rio.</p> <h4>Como adjuvante de anestesia local:</h4> <h5>Para uso com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/anestesicos/c\" target=\"_blank\">anest&#xE9;sicos</a> locais</h5> <p>Epinefrina 1:100.000 a 1:200.000 &#xE9; a concentra&#xE7;&#xE3;o usual geralmente empregada.</p> <h5>Para uso com anest&#xE9;sico intraespinhal</h5> <p>0,2 a 0,4 mL da solu&#xE7;&#xE3;o 1:1.000. No aux&#xED;lio cir&#xFA;rgico como anti-hemorr&#xE1;gico, descongestionante e midri&#xE1;trico: por via intracameral ou subconjuntiva, de 0,01% a 0,1% (base) em solu&#xE7;&#xE3;o de 1: 10.000 a 1: 1000.</p> <h5>Como anti-hemorr&#xE1;gico t&#xF3;pico</h5> <p>De 0,002% a 0,1% (base) em solu&#xE7;&#xE3;o de 1: 50.000 a 1: 1000.</p> <h3>Crian&#xE7;as</h3> <h4>Para rea&#xE7;&#xF5;es anafil&#xE1;ticas</h4> <p>Por via subcut&#xE2;nea ou intravenosa 0,001 mg por kg de peso corporal a cada 20 minutos. Para adjuvante de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/anestesico-local\" target=\"_blank\">anest&#xE9;sico local</a>, no aux&#xED;lio da cirurgia como antihemorr&#xE1;gico, descongestionante e midri&#xE1;trico e como anti-hemorr&#xE1;gico t&#xF3;pico, seguir as doses recomendadas para adultos e adolescentes.</p> <h4>Parada c&#xE1;rdio-respirat&#xF3;ria</h4> <ul> <li>Neonatos: 0,01 - 0,03 mg/kg (0,1 - 0,3 mL/Kg da solu&#xE7;&#xE3;o 1:10.000) intravenosa, a cada 3 - 5 minutos se necess&#xE1;rio.</li> <li>Crian&#xE7;as: 0,01 mg/kg (0,1 mL/kg da solu&#xE7;&#xE3;o 1:10.000) intravenosa, a cada 3 - 5 minutos se necess&#xE1;rio.</li> <li>Dose intratraqueal em crian&#xE7;as: 0,1 mg/kg (0,1 mL/kg da solu&#xE7;&#xE3;o 1:1.000) a cada 3 - 5 minutos (dose m&#xE1;xima 10 mg).&amp;nbsp;</li> </ul> "}

Quais cuidados devo ter ao usar o Efrinalin?

A porção restante na ampola, não utilizada, deve ser desprezada. Proteger da luz. Não utilizar se a solução estiver escurecida ou com precipitado. A epinefrina é rapidamente destruída por agentes alcalinos ou oxidantes (oxigênio, cloro, bromo, iodo, permanganatos, cromatos, nitratos e sais de metais facilmente redutíveis, especialmente ferro).

Administrar com cautela em pacientes geriátricos, nas doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes mellitus, hipertireoidismo, psiconeurose, asma brônquica de longa duração e enfisema com desenvolvimento de doença cardíaca degenerativa. A superdosagem ou a injeção intravenosa acidental pode causar hemorragia cérebro-vascular. Pode ocorrer edema pulmonar devido à constrição periférica e estimulação cardíaca produzidas. Nestes casos, a utilização imediata de vasodilatadores como nitritos ou agentes alfa-bloqueadores podem reduzir os fortes efeitos pressores da adrenalina.

Categoria de risco na gravidez: B.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Estudos de reprodução em animais não foram realizados com a epinefrina. Não se sabe também se a epinefrina pode causar dano ao feto quando administrada a uma mulher grávida ou afetar a capacidade reprodutiva.

A epinefrina deve ser administrada a mulheres grávidas apenas se for realmente necessário.

Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco

A epinefrina demonstrou ser eficaz em crianças e, nas doses eficazes, não provocou efeitos secundários ou outros problemas diferentes dos observados em adultos.

O produto pode ser utilizado por pacientes com idade acima de 65 anos, desde que se observem as precauções necessárias. Esses pacientes são mais sensíveis aos efeitos da dose utilizada para adultos.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Efrinalin?

Podem ocorrer efeitos adversos menores e passageiros, especialmente na presença de hipertireoidismo, como: ansiedade, fobias, cefaléia e palpitações. Injeções locais repetidas podem causar necrose devido à constrição vascular. O uso prolongado pode provocar tolerância.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificação em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Qual a composição do Efrinalin?

Cada mL da solução injetável contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:283px\"> <p style=\"text-align:center\">Hemitartarato de epinefrina</p> </td> <td style=\"width:233px\"> <p style=\"text-align:center\">1,82 mg</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:283px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipientes&amp;nbsp;q.s.p</p> </td> <td style=\"width:233px\"> <p style=\"text-align:center\">1,0 mL</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: bissulfito de sódio, cloreto de sódio, edetato dissódico, ácido clorídrico e água para injetáveis.

Apresentação do&nbsp;Efrinalin

{"tag":"hr","value":" <p>Solu&#xE7;&#xE3;o injet&#xE1;vel 1 mg/mL.</p> <p>Embalagem com 100 ampolas de 1 mL.</p> <p><strong>Via de administra&#xE7;&#xE3;o: subcut&#xE2;nea, intramuscular, intravenosa ou intracard&#xED;aca.</strong></p> <p><strong>Uso adulto e pedi&#xE1;trico.</strong></p> "}

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Efrinalin maior do que a recomendada?

A inativação dos efeitos da epinefrina no organismo é o tratamento primário de suporte, visto ser sua duração de ação menor do que 1 a 4 horas.

Para ansiedade, administrar sedativos.

Para contenção dos efeitos pressores, administrar um vasodilatador de ação rápida ou um bloqueador alfa-adrenérgico, se necessário. Entretanto se o efeito hipotensor se prolongar após essas medidas, pode ser necessário administrar outro agente pressor como a norepinefrina.

Para o tratamento de edema pulmonar induzido pela epinefrina, administrar um bloqueador alfa-adrenérgico de ação rápida como a fentolamina e/ou pressão positiva respiratória intermitente. Para arritmias, administrar um bloqueador beta-adrenérgico como o propranolol, entretanto em pacientes asmáticos os bloqueadores betaadrenérgicos como acebutalol, atenolol e metoprolol, podem ser mais apropriados. O betabloqueador deve ser usado com cuidado em pacientes asmáticos pois pode induzir a um broncoespasmo grave ou ataque asmático.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Efrinalin com outros remédios?

Não se recomenda o uso com doses elevadas de digitálicos, diuréticos mercuriais ou outros medicamentos que possam propiciar arritmias.

Na insuficiência coronariana pode ocorrer dor anginosa.

Os efeitos da epinefrina podem ser potencializados por antidepressivos tricíclicos; certos anti-histamínicos (difenidramina, tripelenamina, clorfeniramina) e tiroxina sódica.

Qual a ação da substância do Efrinalin (Epinefrina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>A Epinefrina subcut&#xE2;nea em solu&#xE7;&#xE3;o 1: 1000 &#xE9; efetiva na revers&#xE3;o da crise asm&#xE1;tica aguda grave, segundo evidenciaram Linet all. Os investigadores compararam os resultados obtidos com o uso parenteral da Epinefrina ou a administra&#xE7;&#xE3;o de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sulfato-de-terbutalina/bula\" target=\"_blank\">terbutalina</a> pela nebuliza&#xE7;&#xE3;o no desfecho da crise asm&#xE1;tica que atinge crian&#xE7;as. O grupo de crian&#xE7;as que recebeu Epinefrina 0,01mL/Kg na apresenta&#xE7;&#xE3;o 1:1000 cursou com melhores valores da satura&#xE7;&#xE3;o de oxig&#xEA;nio (p &lt; 0,001) e de volume expirat&#xF3;rio for&#xE7;ado de primeiro segundo (p = 0,027) em rela&#xE7;&#xE3;o aos que recebera terbutalina.</p> <p>Kitoet all realizaram um estudo com oitenta pacientes, estado f&#xED;sico ASA I ou ASA II, que iriam realizar cirurgia urol&#xF3;gica ou ginecol&#xF3;gica. Os pacientes foram distribu&#xED;dos aleatoriamente em quatro grupos de acordo com a mistura das drogas injetadas. Todos os grupos receberam 60mg de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/lidocaina/bula\" target=\"_blank\">lidoca&#xED;na</a> hiperb&#xE1;rica em 7,5% de solu&#xE7;&#xE3;o de dextrose com as seguintes associa&#xE7;&#xF5;es: grupo A (controle) - 0,6mL de solu&#xE7;&#xE3;o isot&#xF4;nica de cloreto de s&#xF3;dio; grupo B - Epinefrina (1: l000) 0,2mL (0,2mg) + solu&#xE7;&#xE3;o isot&#xF4;nica de cloreto de s&#xF3;dio 0,4mL; grupo C - Epinefrina 0,4mL (0,4mg) + solu&#xE7;&#xE3;o isot&#xF4;nica de cloreto de s&#xF3;dio 0,2mL e grupo D - Epinefrina 0,6mL (0,6mg). A adi&#xE7;&#xE3;o de Epinefrina (Grupos B, C, e D) prolongou o tempo para a regress&#xE3;o do n&#xED;vel analg&#xE9;sico para com os do grupo A (P &lt; 0,05), com maior prolongamento observado no grupo D. O uso do f&#xE1;rmaco na solu&#xE7;&#xE3;o 1: 1000 em associa&#xE7;&#xE3;o com o <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/lidocaina-anestesico\" target=\"_blank\">anest&#xE9;sico lidoca&#xED;na</a> resulta em maior dura&#xE7;&#xE3;o do efeito analg&#xE9;sico, sendo este tempo dependente diretamente da dose de Epinefrina empregada. Assim, a Epinefrina possibilita a posterga&#xE7;&#xE3;o da a&#xE7;&#xE3;o analg&#xE9;sica dos anest&#xE9;sicos aplicados nos segmentos lombossacro e tor&#xE1;cico da coluna vertebral.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">Kito K, Kato H, Shibata M, Adachi T, Nakao S, Mori K. The effect of varied doses of epinephrine on duration of lidocaine spinal anesthesia in the thoracic an lumbosacral dermatomes. AnesthAnalg. 1998 May; 86 (5):1018 - 22.<br> Lin YZ, Hsieh KH, Chang LF, Chu CY. Terbutaline nebulization and epinephrine injection in treating acute asthmatic children. PediatrAllergyImmunol. 1996 May; 7 (2): 95 - 9.</br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>A a&#xE7;&#xE3;o da Epinefrina assim como as demais subst&#xE2;ncias simpatomim&#xE9;ticas, correlaciona-se principalmente ao receptor ao qual se interage. Ap&#xF3;s a ocorr&#xEA;ncia dessa intera&#xE7;&#xE3;o, h&#xE1; uma altera&#xE7;&#xE3;o da permeabilidade da membrana celular, desencadeando uma s&#xE9;rie de rea&#xE7;&#xF5;es intracelulares, na depend&#xEA;ncia do tipo de receptor e tecido envolvido com o local onde se deu a liga&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>Especificamente, a Epinefrina interage-se com os receptores &#x3B1; e &#x3B2;, assim como com alguns de seus subtipos. Esses receptores localizam-se nas termina&#xE7;&#xF5;es nervosas pr&#xE9;-sin&#xE1;pticas e em algumas p&#xF3;s-sin&#xE1;pticas. Essas termina&#xE7;&#xF5;es podem sem observadas perifericamente, no tecido vascular e adiposo, assim como no cora&#xE7;&#xE3;o, pulm&#xF5;es, plaquetas, leuc&#xF3;citos, rins, entre outros.</p> <p>Existem dois subtipos de receptores &#x3B1;-adren&#xE9;rgicos (&#x3B1;1 e &#x3B1;2, sendo esses subdividos em outros tr&#xEA;s subtipos) e tr&#xEA;s subtipos de receptores &#x3B2;-adren&#xE9;rgicos (&#x3B2;1, &#x3B2;2 e &#x3B2;3). Ao serem ativados, observam-se os seguintes principais eventos:</p> <ul> <li>&#x3B1;1 &#x2013; adren&#xE9;rgico: vasoconstri&#xE7;&#xE3;o, relaxamento da musculatura do trato gastrintestinal, secre&#xE7;&#xE3;o salivar e glicogen&#xF3;lise hep&#xE1;tica.</li> <li>&#x3B1;2 &#x2013; adren&#xE9;rgico: inibi&#xE7;&#xE3;o da libera&#xE7;&#xE3;o de determinados transmissores (como a norepinefrina&amp;nbsp;e a acetilcolina pelo sistema nervoso aut&#xF4;nomo), agrega&#xE7;&#xE3;o plaquet&#xE1;ria, contra&#xE7;&#xE3;o da musculatura lisa vascular, inibi&#xE7;&#xE3;o da libera&#xE7;&#xE3;o de insulina.</li> <li>&#x3B2;1 &#x2013; adren&#xE9;rgico: aumento da contra&#xE7;&#xE3;o da musculatura mioc&#xE1;rdica e da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca.</li> <li>&#x3B2;2 &#x2013; adren&#xE9;rgico: dilata&#xE7;&#xE3;o br&#xF4;nquica, relaxamento da musculatura lisa visceral, glicogen&#xF3;lise hep&#xE1;tica e tremor.</li> <li>&#x3B2;3 &#x2013; adren&#xE9;rgico: lip&#xF3;lise.</li> </ul> <h3>Propriedades farmacocin&#xE9;ticas</h3> <p>Por via subcut&#xE2;nea, a Epinefrina apresenta uma absor&#xE7;&#xE3;o lenta, em decorr&#xEA;ncia da vasoconstri&#xE7;&#xE3;o local. Contudo, pela via muscular, sua absor&#xE7;&#xE3;o se d&#xE1; de forma mais r&#xE1;pida, tendo em vista a maior vasculariza&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>A Epinefrina atravessa pouco a barreira hematoencef&#xE1;lica, pois possui baixa lipossolubilidade, apresentando, portanto, poucos efeitos no enc&#xE9;falo. N&#xE3;o obstante, a Epinefrina &#xE9; capaz de atravessar a barreira placent&#xE1;ria e afetar a circula&#xE7;&#xE3;o fetal.</p> <p>A Epinefrina &#xE9; rapidamente metabolizada e inativada por processos que incluem difus&#xE3;o e degrada&#xE7;&#xE3;o enzim&#xE1;tica, tanto no <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a>, quanto nos tecidos em que atua nos s&#xED;tios de sua utiliza&#xE7;&#xE3;o neuronal.</p> <p>&#xC9; degradada pelas enzimas catecol-O-metiltransferase (COMT) e monoamino oxidase (MAO), presentes em grande quantidade no f&#xED;gado. De forma geral, a Epinefrina &#xE9; convertida em metanefrina, atrav&#xE9;s de uma rea&#xE7;&#xE3;o de metila&#xE7;&#xE3;o promovida pela COMT e, posteriormente, sofre um processo de oxida&#xE7;&#xE3;o, desempenhado pela MAO, gerando o &#xE1;cido 3-metoxi-4-hidroxifenilglicol (&#xE1;cido vanilmand&#xE9;lico &#x2013; VMA) ou ent&#xE3;o &#xE9; convertido, tamb&#xE9;m por essa enzima, em &#xE1;cido 3,4-dihidroximand&#xE9;lico. Este &#xFA;ltimo &#xE1;cido pode ser novamente metilado pela COMT e transformado, mais uma vez, em 3-metoxi-4-hidroxifenilglicol.</p> <p>Os produtos da convers&#xE3;o da Epinefrina s&#xE3;o eliminados principalmente pela urina em indiv&#xED;duos normais. Entretanto, na presen&#xE7;a de situa&#xE7;&#xF5;es patol&#xF3;gicas como o <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/feocromocitoma-tratamento-diagnostico-causas-sintomas-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">feocromocitoma</a> (um tumor da medula adrenal produtos de catecolaminas), pode-se observar uma elevada concentra&#xE7;&#xE3;o desses metab&#xF3;litos, como tamb&#xE9;m de Epinefrina e norepinefrina.</p> <p>O tempo de meia-vida da Epinefrina &#xE9; extremamente curto (cerca de 1 minuto).</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Efrinalin?

Efrinalin® deve ser conservado na embalagem original, em temperatura ambiente entre 15°C e 30ºC e proteger da luz.

Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas

Solução límpida, incolor a levemente amarelada, inodora, ligeiramente ácida e isenta de partículas visíveis.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Dizeres Legais do Efrinalin

M.S. n°: 1.1637.0081

Farm. Resp.:
Eliza Yukie Saito
CRF-SP n° 10.878

Registrado por:
Blau Farmacêutica S.A.
CNPJ 58.430.828/0001-60
Rodovia Raposo Tavares Km 30,5 n° 2833 - Prédio 100
CEP 06705-030 - Cotia SP
Indústria Brasileira




Fabricado por:
Blau Farmacêutica S.A.
CNPJ 58.430.828/0013-01
Rua Adherbal Stresser, 84
CEP 05566-000 - São Paulo&nbsp;SP
Indústria Brasileira




SAC:
0800-70163999
sac@blau.com.br

Venda sob prescrição médica.

Fabricante: Blau

© 2021 Medicamento Lab.