Cristália Azicin

500mg, caixa com 1 frasco-ampola com pó para solução de uso intravenoso

Princípio ativo
:
Azitromicina
Classe Terapêutica
:
Macrolideos E Similares
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia, Ginecologia, Urologia e Clínica Médica

Bula do medicamento

Azicin, para o que é indicado e para o que serve?

Azicin é indicado para pacientes que precisam de tratamento intravenoso inicial nos seguintes casos

  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c" target="_blank">Pneumonia</a> adquirida na comunidade (infec&#xE7;&#xF5;es nos pulm&#xF5;es que n&#xE3;o tenham sido adquiridas em interna&#xE7;&#xE3;o hospitalar) causada por organismos sens&#xED;veis &#xE0; <a href="https://consultaremedios.com.br/azitromicina/bula" target="_blank">azitromicina</a>, incluindo infec&#xE7;&#xF5;es causadas pela <em>Legionella pneumophila</em>;</li> <li>Doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria p&#xE9;lvica (infec&#xE7;&#xE3;o dos &#xF3;rg&#xE3;os genitais internos) causada por organismos sens&#xED;veis &#xE0; azitromicina.</li>

Como o&nbsp;Azicin funciona?

A azitromicina di-hidratada é um antibiótico que age impedindo que as bactérias sensíveis à azitromicina produzam proteínas, que são a base do seu crescimento e reprodução. Não é conhecido o tempo exato do início de ação por administração oral ou intravenosa (dentro da veia).

Quais as contraindicações do Azicin?

A azitromicina di-hidratada é contraindicada se você tem hipersensibilidade (reações alérgicas) à azitromicina, à eritromicina, a qualquer antibiótico macrolídeo (classe de antibióticos a qual pertence a azitromicina), cetolídeo (como telitromicina e cetromicina) ou a qualquer componente da fórmula.

Como usar o Azicin?

O médico deve seguir a&nbsp;“Administração” descritas abaixo para administrar azitromicina di-hidratada.

Administração

A azitromicina di-hidratada é apresentada em frasco-ampola para uso único. O conteúdo do frasco deve ser reconstituído&nbsp;com 4,8 mL de água para injetáveis, para obtenção de uma solução contendo 100 mg/mL de azitromicina (ou seja, ao pó deve ser adicionada esta quantidade de água para injetáveis). Antes da administração, o volume da solução reconstituída deve ser adicionado a um diluente compatível para produzir uma solução de concentração final de azitromicina igual a 1 mg/mL ou 2 mg/mL.

A azitromicina di-hidratada após reconstituição e diluição destina-se à administração por infusão intravenosa (dentro da veia).

A azitromicina di-hidratada não deve ser administrada como uma injeção em “bolus” (sem diluir e de uma só vez na veia) ou injeção intramuscular (no músculo). A concentração da solução para infusão (após reconstituição e diluição) e a velocidade de infusão de azitromicina dihidratada deve ser equivalente a 1 mg/mL durante 3 horas, ou 2 mg/mL durante 1 hora. Uma dose intravenosa de 500 mg de azitromicina di-hidratada deve ser infundida em no mínimo 1 hora.

Reconstituição

A solução inicial de azitromicina di-hidratada deve ser preparada adicionando-se 4,8 mL de água para injetáveis ao frasco de 500 mg e agitando-se até completa dissolução. Uma vez que o frasco-ampola de azitromicina di-hidratada é embalado à vácuo, recomenda-se o uso de uma seringa convencional de 5 mL (não automática) para assegurar a aplicação da quantidade exata de 4,8 mL de água para injetáveis. Cada mL da solução reconstituída contém 100 mg de azitromicina.

A solução deve ser diluída imediatamente antes da administração de acordo com a&nbsp;“Diluição”.

Diluição

Para obter uma faixa de concentração de 1,0 - 2,0 mg/mL de azitromicina, deve-se transferir 5 mL da solução de azitromicina (100 mg/mL) para a quantidade apropriada de qualquer dos diluentes relacionados a seguir:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:557px\"><strong>Concentra&#xE7;&#xE3;o final da solu&#xE7;&#xE3;o para infus&#xE3;o (mg/mL)</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:548px\"><strong>Quantidade do diluente (mL)</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:557px\">1,0 mg/mL</td> <td style=\"text-align:center; width:548px\">500 mL</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:557px\">2,0 mg/mL</td> <td style=\"text-align:center; width:548px\">250 mL</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}
A solução reconstituída pode ser diluída em
  • <li>Solu&#xE7;&#xE3;o Salina Normal (<a href="https://consultaremedios.com.br/cloreto-de-sodio/bula" target="_blank">cloreto de s&#xF3;dio</a> a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o Salina Normal &#xBD; (cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%);</li> <li>Dextrose a 5% em &#xC1;gua;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de Ringer Lactato;</li> <li>Dextrose a 5% em Salina Normal &#xBD; (cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%) com 20 mEq de <a href="https://consultaremedios.com.br/cloreto-de-potassio/bula" target="_blank">cloreto de pot&#xE1;ssio</a>;</li> <li>Dextrose a 5% em Salina Normal &#xBD; (cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%).</li>

Os medicamentos para administração parenteral (no sangue) devem ser inspecionados visualmente quanto à presença de micropartículas antes da administração (para verificar se está turvo ou contém pequenos fragmentos). Se houver evidência de micropartículas nos líquidos reconstituídos, a solução deve ser descartada.

Incompatibilidades

Outras substâncias, aditivos ou medicações para administração intravenosa não devem ser adicionados a azitromicina di-hidratada, nem administrados simultaneamente por infusão na mesma linha intravenosa.

Posologia

Uso em Adultos

Para o tratamento de pacientes adultos com pneumonia (infecção nos pulmões) adquirida na comunidade (ou seja, que não tenha sido adquirida durante internação hospitalar), causada por organismos sensíveis, a dose recomendada de azitromicina di-hidratada é de 500 mg em dose única diária (1 vez ao dia), por via intravenosa durante, no mínimo, 2 dias. Se houver condições clínicas e indicação do médico, o tratamento endovenoso pode ser substituído por azitromicina di-hidratada via oral, em dose única diária de 500 mg até que o tempo total (endovenoso – na veia e oral) seja de 7 a 10 dias. A substituição do tratamento intravenoso ara o tratamento oral deve ser estabelecida a critério médico, de acordo com a resposta clínica.

Para o tratamento de pacientes adultos com doença inflamatória pélvica (infecção dos órgãos genitais internos) causada por organismos sensíveis, a dose recomendada de azitromicina di-hidratada é de 500 mg em dose única diária (uma vez ao dia), por via intravenosa, durante 1 ou 2 dias. Após avaliação médica, se as condições clínicas forem adequadas, o tratamento endovenoso pode ser substituído por azitromicina di-hidratada via oral.

Uso em Pacientes Idosos

Se você for idoso, pode fazer uso da mesma dose utilizada em pacientes adultos.

Uso em Pacientes com Insuficiência Renal

Se você tem insuficiência renal (diminuição da função dos rins) considerada leve a moderada não é necessário fazer ajuste de dose. No caso de insuficiência renal grave, azitromicina di-hidratada deve ser administrada com cautela.

Uso em Pacientes com Insuficiência Hepática

Se você tem insuficiência hepática (diminuição da função do fígado) leve a moderada, as mesmas doses que são administradas a pacientes com a função hepática normal podem ser utilizadas. Porém, se a insuficiência for considerada grave pelo seu médico, este deve fazer ajuste de doses.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o&nbsp;Azicin?

O plano de tratamento com azitromicina di-hidratada é definido pelo médico que acompanha o caso. Se você não receber uma dose deste medicamento, o médico deve redefinir a programação do tratamento. O esquecimento da dose pode comprometer a eficácia do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Quais cuidados devo ter ao usar o Azicin?

Apesar de raro, com o uso de azitromicina di-hidratada você pode desenvolver reações alérgicas graves como angioedema (inchaço das partes mais profundas da pele ou da mucosa, geralmente de origem alérgica) e anafilaxia (reação alérgica grave), raramente fatal, e reações dermatológicas incluindo Pustulose Exantemática Generalizada Aguda (PEGA) (reação alérgica grave extensa com formação de vesículas contendo pus em seu interior), Síndrome de Stevens&nbsp;Johnson (reação alérgica grave com bolhas na pele e mucosas), necrólise epidérmica tóxica (descamação grave da camada superior da pele) raramente fatal, reações adversas a medicamentos com eosinofilia e sintomas sistêmicos (DRESS - Drug Reaction with Eosinophilia and Systemic Symptoms) - (Reações adversas a medicamentos com resposta generalizada).

Se ocorrer alguma reação alérgica, o uso do medicamento deve ser descontinuado e deve ser administrado tratamento adequado. Os médicos devem estar cientes que os sintomas alérgicos podem reaparecer quando o tratamento sintomático é descontinuado.

Se você tiver algum problema grave de fígado, azitromicina di-hidratada deve ser utilizada com cuidado. Avise ao seu médico.

Foram relatadas alteração da função hepática (funcionamento anormal do fígado), hepatite (inflamação do fígado), icterícia colestática (coloração amarelada da pele e mucosas por acúmulo de pigmentos biliares, devido à obstrução), necrose hepática (morte de células hepáticas) e insuficiência hepática (falência da função do fígado), algumas das quais resultaram em morte. A azitromicina di-hidratada deve ser descontinuada imediatamente se ocorrerem sinais e sintomas de hepatite.

Exacerbações dos sintomas de miastenia gravis (doença que causa fraqueza muscular) foram relatadas em pacientes em tratamento com azitromicina.

Se você observar vômito ou irritação após a alimentação em recém-nascidos (até 42 dias de vida) que estejam em tratamento com azitromicina, entre em contato com o médico, pois pode ser um indicativo de estenose pilórica hipertrófica infantil.

Não utilize azitromicina di-hidratada juntamente com derivados do ergot (medicação com várias indicações incluindo analgesia, representados pela ergotamina).

Foi relatada diarreia associada à Clostridium difficile (tipo de bactéria) com a maioria dos agentes antibacterianos, incluindo azitromicina di-hidratada, que pode variar de diarreia leve a colite (inflamação do intestino grosso ou cólon) fatal.

Houve relatos de diarreia associada a C. difficile até 2 meses após a administração de agentes antibacterianos. É necessário cuidado médico nestas situações.

O uso de azitromicina di-hidratada foi associado à maior risco de desenvolvimento de arritmias cardíacas, incluindo prolongamento do intervalo QT, que pode ser fatal.

A azitromicina di-hidratada não deve ser administrada em conjunto com

Antiácidos, ergot e derivados do ergot. Deve-se monitorar (acompanhamento médico e exames de sangue avaliando niveis terapêuticos das medicações) pacientes que utilizam azitromicina di-hidratada conjuntamente com digoxina, zidovudina, anticoagulantes (medicação que inibe o processo de coagulação) orais do tipo cumarínicos e ciclosporina.

Não há necessidade de ajuste de dose quando azitromicina di-hidratada for utilizada com os seguintes fármacos

Cetirizina, didanosina, atorvastatina, carbamazepina, cimetidina, efavirenz, fluconazol, indinavir, metilprednisolona, midazolam, nelfinavir, rifabutina, sildenafila, terfenadina, teofilina, triazolam, trimetoprima/sulfametoxazol.

Dependendo da dose administrada, poderão surgir reações no local da infusão.

A azitromicina di-hidratada não deve ser usada por outra via de administração que não a intravenosa. Seu médico deve reconstituir o pó para solução para infusão antes da administração.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Azicin?

Apesar de azitromicina di-hidratada ser bem tolerada, apresentando baixa incidência de efeitos indesejáveis, ao utilizá-la sempre considere a possibilidade de ocorrer reações adversas, como dor e inflamação no local da infusão.

Foram relatados os seguintes efeitos indesejáveis

Sanguíneo e Linfático (um dos sistemas de defesa do corpo)

Episódios passageiros de leve redução na contagem de neutrófilos (células de defesa do sangue), trombocitopenia (diminuição das células de coagulação do sangue: plaquetas).

Infecções e Infestações

Monilíase (infecção causada pelo fungo do gênero Candida) e vaginite (inflamação na vagina).

Sistema imunológico

Anafilaxia (reação alérgica grave).

Metabolismo e Nutrição

Anorexia (falta de apetite).

Psiquiátrico

Reação agressiva, nervosismo, agitação e ansiedade.

Sistema Nervoso

Tontura, convulsões, cefaleia (dor de cabeça), hiperatividade, hipoestesia (diminuição da sensibilidade geral), parestesia (sensação anormal como ardor, formigamento e coceira, percebidos na pele e sem motivo aparente), sonolência e desmaio. Foram relatados casos raros de distúrbio e/ou perda do paladar e/ou olfato.

Ouvido e Labirinto

Vertigem (tontura), disfunções auditivas (funcionamento anormal da audição), incluindo perda de audição, surdez e/ou tinido (zumbido no ouvido).

Cardíaco

Palpitações e arritmias (alterações do ritmo do coração) incluindo taquicardia ventricular (aceleração dos batimentos cardíacos). Há raros relatos de prolongamento QT e Torsades de Pointes (alterações do ritmo cardíaco).

Vascular

Hipotensão (pressão baixa).

Gastrintestinal

Vômito/diarreia (raramente resultando em desidratação), dispepsia (dor e queimação na região do estômago e esôfago), constipação (prisão de ventre), colite pseudomembranosa (infecção do intestino por bactéria da espécie C. difficile), pancreatite (inflamação no pâncreas), raros relatos de descoloração da língua, náuseas (enjoo), fezes amolecidas, desconforto abdominal (dor/cólica), flatulência (excesso de gases no estômago ou intestinos).

Hepatobiliar

Hepatite (inflamação do fígado) e icterícia colestática (coloração amarelada da pele e mucosas por acúmulo de pigmentos biliares, devido a obstrução) foram relatadas, assim como casos raros de necrose hepática (morte de células do fígado) e insuficiência hepática a qual raramente resultou em morte.

Pele e tecido subcutâneo

Reações alérgicas incluindo prurido (coceira), rash (vermelhidão da pele), fotossensibilidade (sensibilidade exagerada da pele à luz), edema (inchaço), urticária (alergia da pele) e angioedema. Foram relatados casos raros de reações dermatológicas graves, incluindo eritema multiforme (manchas vermelhas, bolhas e ulcerações em todo o corpo), Pustulose Exantemática Generalizada Aguda (PEGA) (reação alérgica grave extensa com formação de vesículas contendo pus em seu interior), síndrome de Stevens-Johnson (reação alérgica grave com bolhas na pele e mucosas), necrólise epidérmica tóxica (descamação grave da camada superior da pele) e Reações Adversas a Medicamentos com Eosinofilia e Sintomas Sistêmicos (DRESS - Drug Reaction with Eosinophilia and Systemic Symptoms) - (Reações adversas a medicamentos com resposta generalizada).

Musculoesquelético e Tecido Conjuntivo

Artralgia (dor nas articulações).

Renal e urinário

Nefrite intersticial (tipo de inflamação nos rins) e disfunção renal aguda.

Geral

Foi relatado astenia (fraqueza), embora a relação causal não tenha sido estabelecida, cansaço e mal-estar.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Efeitos na habilidade de dirigir ou operar máquinas

Não há evidências de que azitromicina di-hidratada possa afetar a sua habilidade de dirigir ou operar máquinas.

Gravidez e lactação

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não use azitromicina di-hidratada durante a amamentação sem orientação médica.

Qual a composição do Azicin?

Cada frasco-ampola de Azicin contém:

Azitromicina di-hidratada 524,059 mg*.

*Equivalente a 500 mg de azitromicina base.

Excipientes: ácido cítrico e hidróxido de sódio.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Azicin maior do que a recomendada?

Caso ocorra superdose do medicamento, procure auxílio médico imediatamente. Os sintomas são semelhantes àqueles&nbsp;observados com as doses recomendadas.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Azicin com outros remédios?

Antiácidos

Um estudo de farmacocinética avaliou os efeitos da administração simultânea de antiácidos e Azitromicina Di-Hidratada, não sendo observado qualquer efeito na biodisponibilidade total; embora o pico de concentração plasmática fosse reduzido em aproximadamente 24%. Em pacientes que estejam recebendo Azitromicina Di-Hidratada e antiácidos, os mesmos não devem ser administrados simultaneamente.

Cetirizina

Em voluntários sadios, a coadministração de Azitromicina Di-Hidratada em um regime de 5 dias com 20 mg de cetirizina no estado de equilíbrio não resultou em interação farmacocinética nem em alterações significativas no intervalo QT.

Didanosina (dideoxinosina)

A coadministração de 1200 mg/dia de Azitromicina Di-Hidratada com 400 mg/dia de didanosina em 6 indivíduos HIV-positivos parece não ter afetado a farmacocinética do estado de equilíbrio da didanosina, quando esta foi comparada ao placebo.

Digoxina e colchicina

Tem sido relatado que a administração concomitante de antibióticos macrolídeos incluindo Azitromicina Di-Hidratada com substratos de P-glicoproteína, tais como digoxina e colchicina, resultam em um aumento dos níveis séricos do substrato P-glicoproteina. Portanto, se a Azitromicina Di-Hidratada e substratos P-gp, como digoxina, são administrados concomitantemente, deve ser considerada a possibilidade de elevadas concentrações de digoxina no soro. São necessárias a monitoração clínica dos níveis de digoxina no soro durante o tratamento com Azitromicina Di-Hidratada e após a sua descontinuação.

Ergô

Existe uma possibilidade teórica de interação entre Azitromicina Di-Hidratada e derivados do ergô.

Zidovudina

Doses únicas de 1000 mg e doses múltiplas de 1200 mg ou 600 mg de Azitromicina Di-Hidratada tiveram um pequeno efeito na farmacocinética plasmática ou na excreção urinária da zidovudina ou de seu metabólito glicuronídeo. Entretanto, a administração de Azitromicina Di-Hidratada aumentou as concentrações do metabólito clinicamente ativo, a zidovudina fosforilada, nas células mononucleares do sangue periférico. O significado clínico deste resultado ainda não foi elucidado, porém pode beneficiar os pacientes.

A Azitromicina Di-Hidratada não interage significativamente com o sistema do citocromo P450 hepático. Acredita-se que não há participação da Azitromicina Di-Hidratada nas interações farmacocinéticas medicamentosas como observado com a eritromicina e outros macrolídeos. A indução ou inativação do citocromo P450 hepático via complexo citocromo-metabólito não ocorre com a Azitromicina Di-Hidratada.

Foram conduzidos estudos farmacocinéticos entre a Azitromicina Di-Hidratada e os seguintes fármacos conhecidos por participarem significativamente no metabolismo mediado pelo citocromo P450:

Atorvastatina

A coadministração de atorvastatina (10 mg diários) e Azitromicina Di-Hidratada (500 mg diários) não alterou as concentrações plasmáticas da atorvastatina (baseado em testes de inibição de HMG-CoA redutase). No entanto, em experiência pós-comercialização tem sido relatados casos de rabdomiólise em pacientes recebendo Azitromicina Di-Hidratada com estatinas.

Carbamazepina

Em um estudo de interação farmacocinética em voluntários sadios, não foram observados efeitos significativos nos níveis plasmáticos da carbamazepina ou de seus metabólitos ativos em pacientes que receberam Azitromicina Di-Hidratada concomitantemente.

Cimetidina

Foi realizado um estudo de farmacocinética para avaliar os efeitos de dose única de cimetidina administrada duas horas antes da Azitromicina Di-Hidratada, neste estudo não foram observadas quaisquer alterações na farmacocinética da Azitromicina Di-Hidratada.

Anticoagulantes orais do tipo cumarínicos

Em um estudo de interação farmacocinética, a Azitromicina Di-Hidratada não alterou o efeito anticoagulante de uma dose única de 15 mg de varfarina, quando administrada a voluntários sadios. No período pós-comercialização foram recebidos relatos de potencialização da anticoagulação, subsequente à coadministração de Azitromicina Di-Hidratada e anticoagulantes orais do tipo cumarínicos. Embora uma relação causal não tenha sido estabelecida, deve-se levar em consideração a frequência com que é realizada a monitoração do tempo de protrombina quando a Azitromicina Di-Hidratada é utilizada em pacientes recebendo anticoagulantes orais do tipo cumarínicos.

Ciclosporina

Em um estudo de farmacocinética com voluntários sadios que receberam doses orais de 500 mg/dia de Azitromicina Di-Hidratada, por 3 dias e, então dose única oral de 10 mg/kg de ciclosporina, a Cmáx resultante de ciclosporina e a AUC0-5 foram considerados significativamente elevados. Consequentemente, deve-se ter cuidado antes de considerar o uso concomitante destes fármacos. Se for necessária a coadministração, os níveis de ciclosporina devem ser monitorados e a dose deve ser ajustada adequadamente.

Efavirenz

A coadministração de uma dose única de 600 mg de Azitromicina Di-Hidratada e 400 mg diários de efavirenz durante 7 dias não resultou em interações farmacocinéticas clinicamente significativas.

Fluconazol

A coadministração de uma dose única de 1200 mg de Azitromicina Di-Hidratada não alterou a farmacocinética de uma dose única de 800 mg de fluconazol. A exposição total e a meia-vida da Azitromicina Di-Hidratada não foram alteradas pela coadministração de fluconazol, porém foi observada uma diminuição clinicamente insignificante na Cmáx (18%) da Azitromicina Di-Hidratada.

Indinavir

A coadministração de uma dose única de 1200 mg de Azitromicina Di-Hidratada não produziu efeito clinicamente significativo na farmacocinética do indinavir quando administrado em doses de 800 mg, 3 vezes ao dia, durante 5 dias.metilprednisolona: em um estudo de interação farmacocinética em voluntários sadios, a Azitromicina Di-Hidratada não produziu efeito significativo na farmacocinética da metilprednisolona.

Midazolam

Em voluntários sadios, a coadministração de Azitromicina Di-Hidratada 500 mg/dia por 3 dias não causou alterações clinicamente significativas na farmacocinética e na farmacodinâmica de uma dose única de 15 mg de midazolam.

Nelfinavir

A coadministração de Azitromicina Di-Hidratada (1200 mg) e nelfinavir no estado de equilíbrio (750 mg, a cada 3 vezes ao dia) resultou num aumento da concentração de Azitromicina Di-Hidratada. Nenhum evento adverso clinicamente significativo foi observado e nenhum ajuste de dose foi necessário.

Rifabutina

A coadministração da Azitromicina Di-Hidratada com a rifabutina não afetou as concentrações séricas dos fármacos.

Foi observada neutropenia em indivíduos tratados com Azitromicina Di-Hidratada e rifabutina concomitantemente. Embora a neutropenia tenha sido relacionada ao uso da rifabutina, uma relação causal não foi estabelecida para o uso da combinação da rifabutina com a Azitromicina Di-Hidratada.

Sildenafila

Em voluntários masculinos normais e sadios não houve evidência de efeito da Azitromicina Di-Hidratada (500 mg diários por 3 dias) na AUC e na Cmáx da sildenafila ou do seu principal metabólito circulante.

Terfenadina

Estudos farmacocinéticos não demonstraram evidência de interação entre a Azitromicina Di-Hidratada e a terfenadina. Foram relatados raros casos em que a possibilidade dessa interação não poderia ser totalmente excluída; contudo, não existem evidências consistentes de que tal interação tenha ocorrido.

Teofilina

Não há evidência de interação farmacocinética clinicamente significativa quando a Azitromicina Di-Hidratada e a teofilina são coadministradas em voluntários sadios.

Triazolam

Em 14 voluntários sadios, a coadministração de Azitromicina Di-Hidratada 500 mg no dia 1 e 250 mg no dia 2 com 0,125 mg de triazolam no dia 2, não produziu efeito significativo em qualquer variável farmacocinética do triazolam comparada ao triazolam e placebo.

Trimetoprima/sulfametoxazol

A coadministração de trimetoprima e sulfametoxazol (160 mg/800 mg) durante 7 dias com 1200 mg de Azitromicina Di-Hidratada administrada no 7º dia de tratamento não produziu efeito significante nos picos de concentrações, na exposição total ou excreção urinária tanto de trimetoprima quanto de sulfametoxazol no 7° dia de tratamento. As concentrações séricas de Azitromicina Di-Hidratada foram similares àquelas observadas em outros estudos.

Qual a ação da substância do Azicin (Azitromicina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Comprimido revestido 500 mg</h3> <h4>Uso Pedi&#xE1;trico</h4> <p>A partir da perspectiva de avaliar ensaios cl&#xED;nicos pedi&#xE1;tricos, dados dos Dias 11-14 s&#xE3;o fornecidos para orienta&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica.</p> <p>Avalia&#xE7;&#xF5;es dos dias 24-32 foram consideradas o desfecho do teste prim&#xE1;rio de cura.</p> <h4>Otite m&#xE9;dia aguda</h4> <h5>Efic&#xE1;cia utilizando Azitromicina Di-Hidratada por 5 dias (10mg/kg no Dia 1 seguido por 5 mg/kg nos Dias 2 - 5)<sup>1</sup> </h5> <h6>Protocolo 01</h6> <p>Em um estudo controlado, duplo-cego, de otite m&#xE9;dia aguda realizado nos Estados Unidos, a Azitromicina Di-Hidratada (10 mg/kg no Dia 1, seguido por 5 mg/kg nos Dias 2-5) foi comparada a <a href=\"https://consultaremedios.com.br/amoxicilina/bula\" target=\"_blank\">amoxicilina</a>/clavulanato de pot&#xE1;ssio (4:1).</p> <p>Entre os 553 pacientes que foram avaliados quanto &#xE0; efic&#xE1;cia cl&#xED;nica, a taxa de sucesso cl&#xED;nico no Dia 11 foi de 88% para Azitromicina Di-Hidratada e de 88% para o agente controle. Entre os 521 pacientes avaliados na visita do Dia 30, a taxa de sucesso foi de 73% para Azitromicina Di-Hidratada e de 71% para o agente controle.</p> <h6>Protocolo 02</h6> <p>Em um estudo clinico e microbiol&#xF3;gico n&#xE3;o comparativo realizado nos Estados Unidos, onde foram encontradas taxas significativas de produ&#xE7;&#xE3;o de organismos beta-lactamase (35%), 131 pacientes foram avaliados para efic&#xE1;cia cl&#xED;nica. Na visita do dia 11, a taxa de&amp;nbsp;sucesso cl&#xED;nico combinado (ou seja, cura e melhoria) foi de 84% para Azitromicina Di-Hidratada. Para os 122 pacientes que foram avaliados no dia 30 da visita, a taxa de sucesso cl&#xED;nico foi de 70% para Azitromicina Di-Hidratada.</p> <p>As determina&#xE7;&#xF5;es microbiol&#xF3;gicas foram feitas na visita pr&#xE9;-tratamento. A microbiologia n&#xE3;o foi reavaliada em visitas posteriores.</p> <p><strong>As seguintes taxas de sucesso cl&#xED;nico foram obtidas a partir do grupo avaliado:</strong></p> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Pat&#xF3;geno</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td style=\"text-align:center\">-</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Dia 11</strong></td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Dia 30</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Azitromicina Di-Hidratada</strong></td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Azitromicina Di-Hidratada</strong></p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>S.</em> <em>pneumoniae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">61/74 (82%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">40/56 (71%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>H. influenzae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">43/54 (80%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">30/47 (64%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>M. catarrhalis</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">28/35 (80%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">19/26 (73%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>S.</em> <em>pyogenes</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">11/11 (100%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">7/7 (100%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">Total</p> </td> <td style=\"text-align:center\">177/217 (82%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">97/137 (73%)</p> </td> </tr> </tbody> </table> <h6>Protocolo 03</h6> <p>Em outro estudo cl&#xED;nico biol&#xF3;gico, comparativo, controlado de otite m&#xE9;dia realizado nos Estados Unidos, de Azitromicina Di-Hidratada (10 mg/kg no dia 1, seguido por 5 mg/kg nos dias 2-5) comparado com amoxicilina/clavulanato de pot&#xE1;ssio (4:1). Este estudo utilizou dois dos mesmos investigadores do Protocolo 02 (acima), e esses dois investigadores inscreveram 90% dos pacientes no Protocolo 03.</p> <p>Assim, o Protocolo 3 n&#xE3;o foi considerado um estudo independente. Foram encontrados resultados significativos de produ&#xE7;&#xE3;o de organismos beta-lactamase (20%). Noventa e dois pacientes foram avaliados para efic&#xE1;cia cl&#xED;nica e microbiol&#xF3;gica. A taxa de sucesso cl&#xED;nico combinado (ou seja, cura e melhora) dos pacientes com baseline pat&#xF3;gena na visita do dia 11 foi de 88% para Azitromicina Di-Hidratada versus 100% para o controle.</p> <p>Na visita do dia 30, a taxa de sucesso cl&#xED;nico foi de 82% para Azitromicina Di-Hidratada versus 80% para o grupo de controle.</p> <p>As determina&#xE7;&#xF5;es microbiol&#xF3;gicas foram feitas na visita de pr&#xE9;-tratamento. A microbiologia n&#xE3;o foi reavaliada em visitas posteriores.</p> <h6>Nos dias de visita 11 e 30, as seguintes taxas de sucesso cl&#xED;nico foram obtidas a partir do grupo avaliado:</h6> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:155px\">&amp;nbsp;</td> <td colspan=\"2\" rowspan=\"1\" style=\"text-align:center; width:529px\"><strong>Dia 11</strong></td> <td colspan=\"2\" rowspan=\"1\" style=\"text-align:center\"><strong>Dia 30</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"width:155px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Pat&#xF3;geno</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:324px\"> <p><strong>Azitromicina Di-Hidratada</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:200px\"><strong>Controle</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:308px\"> <p><strong>Azitromicina Di-Hidratada</strong></p> </td></tr></tbody></table>"}

500mg, caixa com 10 frascos-ampolas com pó para solução de uso intravenoso (embalagem hospitalar)

Princípio ativo
:
Azitromicina
Classe Terapêutica
:
Macrolideos E Similares
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca 2 vias (Antibiótico - Venda Sob Prescrição Médica mediante Retenção da Receita)
Categoria
:
Antibióticos
Especialidade
:
Infectologia, Ginecologia, Urologia e Clínica Médica

Bula do medicamento

Azicin, para o que é indicado e para o que serve?

Azicin é indicado para pacientes que precisam de tratamento intravenoso inicial nos seguintes casos

  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c" target="_blank">Pneumonia</a> adquirida na comunidade (infec&#xE7;&#xF5;es nos pulm&#xF5;es que n&#xE3;o tenham sido adquiridas em interna&#xE7;&#xE3;o hospitalar) causada por organismos sens&#xED;veis &#xE0; <a href="https://consultaremedios.com.br/azitromicina/bula" target="_blank">azitromicina</a>, incluindo infec&#xE7;&#xF5;es causadas pela <em>Legionella pneumophila</em>;</li> <li>Doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria p&#xE9;lvica (infec&#xE7;&#xE3;o dos &#xF3;rg&#xE3;os genitais internos) causada por organismos sens&#xED;veis &#xE0; azitromicina.</li>

Como o&nbsp;Azicin funciona?

A azitromicina di-hidratada é um antibiótico que age impedindo que as bactérias sensíveis à azitromicina produzam proteínas, que são a base do seu crescimento e reprodução. Não é conhecido o tempo exato do início de ação por administração oral ou intravenosa (dentro da veia).

Quais as contraindicações do Azicin?

A azitromicina di-hidratada é contraindicada se você tem hipersensibilidade (reações alérgicas) à azitromicina, à eritromicina, a qualquer antibiótico macrolídeo (classe de antibióticos a qual pertence a azitromicina), cetolídeo (como telitromicina e cetromicina) ou a qualquer componente da fórmula.

Como usar o Azicin?

O médico deve seguir a&nbsp;“Administração” descritas abaixo para administrar azitromicina di-hidratada.

Administração

A azitromicina di-hidratada é apresentada em frasco-ampola para uso único. O conteúdo do frasco deve ser reconstituído&nbsp;com 4,8 mL de água para injetáveis, para obtenção de uma solução contendo 100 mg/mL de azitromicina (ou seja, ao pó deve ser adicionada esta quantidade de água para injetáveis). Antes da administração, o volume da solução reconstituída deve ser adicionado a um diluente compatível para produzir uma solução de concentração final de azitromicina igual a 1 mg/mL ou 2 mg/mL.

A azitromicina di-hidratada após reconstituição e diluição destina-se à administração por infusão intravenosa (dentro da veia).

A azitromicina di-hidratada não deve ser administrada como uma injeção em “bolus” (sem diluir e de uma só vez na veia) ou injeção intramuscular (no músculo). A concentração da solução para infusão (após reconstituição e diluição) e a velocidade de infusão de azitromicina dihidratada deve ser equivalente a 1 mg/mL durante 3 horas, ou 2 mg/mL durante 1 hora. Uma dose intravenosa de 500 mg de azitromicina di-hidratada deve ser infundida em no mínimo 1 hora.

Reconstituição

A solução inicial de azitromicina di-hidratada deve ser preparada adicionando-se 4,8 mL de água para injetáveis ao frasco de 500 mg e agitando-se até completa dissolução. Uma vez que o frasco-ampola de azitromicina di-hidratada é embalado à vácuo, recomenda-se o uso de uma seringa convencional de 5 mL (não automática) para assegurar a aplicação da quantidade exata de 4,8 mL de água para injetáveis. Cada mL da solução reconstituída contém 100 mg de azitromicina.

A solução deve ser diluída imediatamente antes da administração de acordo com a&nbsp;“Diluição”.

Diluição

Para obter uma faixa de concentração de 1,0 - 2,0 mg/mL de azitromicina, deve-se transferir 5 mL da solução de azitromicina (100 mg/mL) para a quantidade apropriada de qualquer dos diluentes relacionados a seguir:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:557px\"><strong>Concentra&#xE7;&#xE3;o final da solu&#xE7;&#xE3;o para infus&#xE3;o (mg/mL)</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:548px\"><strong>Quantidade do diluente (mL)</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:557px\">1,0 mg/mL</td> <td style=\"text-align:center; width:548px\">500 mL</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:557px\">2,0 mg/mL</td> <td style=\"text-align:center; width:548px\">250 mL</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}
A solução reconstituída pode ser diluída em
  • <li>Solu&#xE7;&#xE3;o Salina Normal (<a href="https://consultaremedios.com.br/cloreto-de-sodio/bula" target="_blank">cloreto de s&#xF3;dio</a> a 0,9%);</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o Salina Normal &#xBD; (cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%);</li> <li>Dextrose a 5% em &#xC1;gua;</li> <li>Solu&#xE7;&#xE3;o de Ringer Lactato;</li> <li>Dextrose a 5% em Salina Normal &#xBD; (cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%) com 20 mEq de <a href="https://consultaremedios.com.br/cloreto-de-potassio/bula" target="_blank">cloreto de pot&#xE1;ssio</a>;</li> <li>Dextrose a 5% em Salina Normal &#xBD; (cloreto de s&#xF3;dio a 0,45%).</li>

Os medicamentos para administração parenteral (no sangue) devem ser inspecionados visualmente quanto à presença de micropartículas antes da administração (para verificar se está turvo ou contém pequenos fragmentos). Se houver evidência de micropartículas nos líquidos reconstituídos, a solução deve ser descartada.

Incompatibilidades

Outras substâncias, aditivos ou medicações para administração intravenosa não devem ser adicionados a azitromicina di-hidratada, nem administrados simultaneamente por infusão na mesma linha intravenosa.

Posologia

Uso em Adultos

Para o tratamento de pacientes adultos com pneumonia (infecção nos pulmões) adquirida na comunidade (ou seja, que não tenha sido adquirida durante internação hospitalar), causada por organismos sensíveis, a dose recomendada de azitromicina di-hidratada é de 500 mg em dose única diária (1 vez ao dia), por via intravenosa durante, no mínimo, 2 dias. Se houver condições clínicas e indicação do médico, o tratamento endovenoso pode ser substituído por azitromicina di-hidratada via oral, em dose única diária de 500 mg até que o tempo total (endovenoso – na veia e oral) seja de 7 a 10 dias. A substituição do tratamento intravenoso ara o tratamento oral deve ser estabelecida a critério médico, de acordo com a resposta clínica.

Para o tratamento de pacientes adultos com doença inflamatória pélvica (infecção dos órgãos genitais internos) causada por organismos sensíveis, a dose recomendada de azitromicina di-hidratada é de 500 mg em dose única diária (uma vez ao dia), por via intravenosa, durante 1 ou 2 dias. Após avaliação médica, se as condições clínicas forem adequadas, o tratamento endovenoso pode ser substituído por azitromicina di-hidratada via oral.

Uso em Pacientes Idosos

Se você for idoso, pode fazer uso da mesma dose utilizada em pacientes adultos.

Uso em Pacientes com Insuficiência Renal

Se você tem insuficiência renal (diminuição da função dos rins) considerada leve a moderada não é necessário fazer ajuste de dose. No caso de insuficiência renal grave, azitromicina di-hidratada deve ser administrada com cautela.

Uso em Pacientes com Insuficiência Hepática

Se você tem insuficiência hepática (diminuição da função do fígado) leve a moderada, as mesmas doses que são administradas a pacientes com a função hepática normal podem ser utilizadas. Porém, se a insuficiência for considerada grave pelo seu médico, este deve fazer ajuste de doses.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o&nbsp;Azicin?

O plano de tratamento com azitromicina di-hidratada é definido pelo médico que acompanha o caso. Se você não receber uma dose deste medicamento, o médico deve redefinir a programação do tratamento. O esquecimento da dose pode comprometer a eficácia do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Quais cuidados devo ter ao usar o Azicin?

Apesar de raro, com o uso de azitromicina di-hidratada você pode desenvolver reações alérgicas graves como angioedema (inchaço das partes mais profundas da pele ou da mucosa, geralmente de origem alérgica) e anafilaxia (reação alérgica grave), raramente fatal, e reações dermatológicas incluindo Pustulose Exantemática Generalizada Aguda (PEGA) (reação alérgica grave extensa com formação de vesículas contendo pus em seu interior), Síndrome de Stevens&nbsp;Johnson (reação alérgica grave com bolhas na pele e mucosas), necrólise epidérmica tóxica (descamação grave da camada superior da pele) raramente fatal, reações adversas a medicamentos com eosinofilia e sintomas sistêmicos (DRESS - Drug Reaction with Eosinophilia and Systemic Symptoms) - (Reações adversas a medicamentos com resposta generalizada).

Se ocorrer alguma reação alérgica, o uso do medicamento deve ser descontinuado e deve ser administrado tratamento adequado. Os médicos devem estar cientes que os sintomas alérgicos podem reaparecer quando o tratamento sintomático é descontinuado.

Se você tiver algum problema grave de fígado, azitromicina di-hidratada deve ser utilizada com cuidado. Avise ao seu médico.

Foram relatadas alteração da função hepática (funcionamento anormal do fígado), hepatite (inflamação do fígado), icterícia colestática (coloração amarelada da pele e mucosas por acúmulo de pigmentos biliares, devido à obstrução), necrose hepática (morte de células hepáticas) e insuficiência hepática (falência da função do fígado), algumas das quais resultaram em morte. A azitromicina di-hidratada deve ser descontinuada imediatamente se ocorrerem sinais e sintomas de hepatite.

Exacerbações dos sintomas de miastenia gravis (doença que causa fraqueza muscular) foram relatadas em pacientes em tratamento com azitromicina.

Se você observar vômito ou irritação após a alimentação em recém-nascidos (até 42 dias de vida) que estejam em tratamento com azitromicina, entre em contato com o médico, pois pode ser um indicativo de estenose pilórica hipertrófica infantil.

Não utilize azitromicina di-hidratada juntamente com derivados do ergot (medicação com várias indicações incluindo analgesia, representados pela ergotamina).

Foi relatada diarreia associada à Clostridium difficile (tipo de bactéria) com a maioria dos agentes antibacterianos, incluindo azitromicina di-hidratada, que pode variar de diarreia leve a colite (inflamação do intestino grosso ou cólon) fatal.

Houve relatos de diarreia associada a C. difficile até 2 meses após a administração de agentes antibacterianos. É necessário cuidado médico nestas situações.

O uso de azitromicina di-hidratada foi associado à maior risco de desenvolvimento de arritmias cardíacas, incluindo prolongamento do intervalo QT, que pode ser fatal.

A azitromicina di-hidratada não deve ser administrada em conjunto com

Antiácidos, ergot e derivados do ergot. Deve-se monitorar (acompanhamento médico e exames de sangue avaliando niveis terapêuticos das medicações) pacientes que utilizam azitromicina di-hidratada conjuntamente com digoxina, zidovudina, anticoagulantes (medicação que inibe o processo de coagulação) orais do tipo cumarínicos e ciclosporina.

Não há necessidade de ajuste de dose quando azitromicina di-hidratada for utilizada com os seguintes fármacos

Cetirizina, didanosina, atorvastatina, carbamazepina, cimetidina, efavirenz, fluconazol, indinavir, metilprednisolona, midazolam, nelfinavir, rifabutina, sildenafila, terfenadina, teofilina, triazolam, trimetoprima/sulfametoxazol.

Dependendo da dose administrada, poderão surgir reações no local da infusão.

A azitromicina di-hidratada não deve ser usada por outra via de administração que não a intravenosa. Seu médico deve reconstituir o pó para solução para infusão antes da administração.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Azicin?

Apesar de azitromicina di-hidratada ser bem tolerada, apresentando baixa incidência de efeitos indesejáveis, ao utilizá-la sempre considere a possibilidade de ocorrer reações adversas, como dor e inflamação no local da infusão.

Foram relatados os seguintes efeitos indesejáveis

Sanguíneo e Linfático (um dos sistemas de defesa do corpo)

Episódios passageiros de leve redução na contagem de neutrófilos (células de defesa do sangue), trombocitopenia (diminuição das células de coagulação do sangue: plaquetas).

Infecções e Infestações

Monilíase (infecção causada pelo fungo do gênero Candida) e vaginite (inflamação na vagina).

Sistema imunológico

Anafilaxia (reação alérgica grave).

Metabolismo e Nutrição

Anorexia (falta de apetite).

Psiquiátrico

Reação agressiva, nervosismo, agitação e ansiedade.

Sistema Nervoso

Tontura, convulsões, cefaleia (dor de cabeça), hiperatividade, hipoestesia (diminuição da sensibilidade geral), parestesia (sensação anormal como ardor, formigamento e coceira, percebidos na pele e sem motivo aparente), sonolência e desmaio. Foram relatados casos raros de distúrbio e/ou perda do paladar e/ou olfato.

Ouvido e Labirinto

Vertigem (tontura), disfunções auditivas (funcionamento anormal da audição), incluindo perda de audição, surdez e/ou tinido (zumbido no ouvido).

Cardíaco

Palpitações e arritmias (alterações do ritmo do coração) incluindo taquicardia ventricular (aceleração dos batimentos cardíacos). Há raros relatos de prolongamento QT e Torsades de Pointes (alterações do ritmo cardíaco).

Vascular

Hipotensão (pressão baixa).

Gastrintestinal

Vômito/diarreia (raramente resultando em desidratação), dispepsia (dor e queimação na região do estômago e esôfago), constipação (prisão de ventre), colite pseudomembranosa (infecção do intestino por bactéria da espécie C. difficile), pancreatite (inflamação no pâncreas), raros relatos de descoloração da língua, náuseas (enjoo), fezes amolecidas, desconforto abdominal (dor/cólica), flatulência (excesso de gases no estômago ou intestinos).

Hepatobiliar

Hepatite (inflamação do fígado) e icterícia colestática (coloração amarelada da pele e mucosas por acúmulo de pigmentos biliares, devido a obstrução) foram relatadas, assim como casos raros de necrose hepática (morte de células do fígado) e insuficiência hepática a qual raramente resultou em morte.

Pele e tecido subcutâneo

Reações alérgicas incluindo prurido (coceira), rash (vermelhidão da pele), fotossensibilidade (sensibilidade exagerada da pele à luz), edema (inchaço), urticária (alergia da pele) e angioedema. Foram relatados casos raros de reações dermatológicas graves, incluindo eritema multiforme (manchas vermelhas, bolhas e ulcerações em todo o corpo), Pustulose Exantemática Generalizada Aguda (PEGA) (reação alérgica grave extensa com formação de vesículas contendo pus em seu interior), síndrome de Stevens-Johnson (reação alérgica grave com bolhas na pele e mucosas), necrólise epidérmica tóxica (descamação grave da camada superior da pele) e Reações Adversas a Medicamentos com Eosinofilia e Sintomas Sistêmicos (DRESS - Drug Reaction with Eosinophilia and Systemic Symptoms) - (Reações adversas a medicamentos com resposta generalizada).

Musculoesquelético e Tecido Conjuntivo

Artralgia (dor nas articulações).

Renal e urinário

Nefrite intersticial (tipo de inflamação nos rins) e disfunção renal aguda.

Geral

Foi relatado astenia (fraqueza), embora a relação causal não tenha sido estabelecida, cansaço e mal-estar.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

População Especial

Efeitos na habilidade de dirigir ou operar máquinas

Não há evidências de que azitromicina di-hidratada possa afetar a sua habilidade de dirigir ou operar máquinas.

Gravidez e lactação

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não use azitromicina di-hidratada durante a amamentação sem orientação médica.

Qual a composição do Azicin?

Cada frasco-ampola de Azicin contém:

Azitromicina di-hidratada 524,059 mg*.

*Equivalente a 500 mg de azitromicina base.

Excipientes: ácido cítrico e hidróxido de sódio.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Azicin maior do que a recomendada?

Caso ocorra superdose do medicamento, procure auxílio médico imediatamente. Os sintomas são semelhantes àqueles&nbsp;observados com as doses recomendadas.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Azicin com outros remédios?

Antiácidos

Um estudo de farmacocinética avaliou os efeitos da administração simultânea de antiácidos e Azitromicina Di-Hidratada, não sendo observado qualquer efeito na biodisponibilidade total; embora o pico de concentração plasmática fosse reduzido em aproximadamente 24%. Em pacientes que estejam recebendo Azitromicina Di-Hidratada e antiácidos, os mesmos não devem ser administrados simultaneamente.

Cetirizina

Em voluntários sadios, a coadministração de Azitromicina Di-Hidratada em um regime de 5 dias com 20 mg de cetirizina no estado de equilíbrio não resultou em interação farmacocinética nem em alterações significativas no intervalo QT.

Didanosina (dideoxinosina)

A coadministração de 1200 mg/dia de Azitromicina Di-Hidratada com 400 mg/dia de didanosina em 6 indivíduos HIV-positivos parece não ter afetado a farmacocinética do estado de equilíbrio da didanosina, quando esta foi comparada ao placebo.

Digoxina e colchicina

Tem sido relatado que a administração concomitante de antibióticos macrolídeos incluindo Azitromicina Di-Hidratada com substratos de P-glicoproteína, tais como digoxina e colchicina, resultam em um aumento dos níveis séricos do substrato P-glicoproteina. Portanto, se a Azitromicina Di-Hidratada e substratos P-gp, como digoxina, são administrados concomitantemente, deve ser considerada a possibilidade de elevadas concentrações de digoxina no soro. São necessárias a monitoração clínica dos níveis de digoxina no soro durante o tratamento com Azitromicina Di-Hidratada e após a sua descontinuação.

Ergô

Existe uma possibilidade teórica de interação entre Azitromicina Di-Hidratada e derivados do ergô.

Zidovudina

Doses únicas de 1000 mg e doses múltiplas de 1200 mg ou 600 mg de Azitromicina Di-Hidratada tiveram um pequeno efeito na farmacocinética plasmática ou na excreção urinária da zidovudina ou de seu metabólito glicuronídeo. Entretanto, a administração de Azitromicina Di-Hidratada aumentou as concentrações do metabólito clinicamente ativo, a zidovudina fosforilada, nas células mononucleares do sangue periférico. O significado clínico deste resultado ainda não foi elucidado, porém pode beneficiar os pacientes.

A Azitromicina Di-Hidratada não interage significativamente com o sistema do citocromo P450 hepático. Acredita-se que não há participação da Azitromicina Di-Hidratada nas interações farmacocinéticas medicamentosas como observado com a eritromicina e outros macrolídeos. A indução ou inativação do citocromo P450 hepático via complexo citocromo-metabólito não ocorre com a Azitromicina Di-Hidratada.

Foram conduzidos estudos farmacocinéticos entre a Azitromicina Di-Hidratada e os seguintes fármacos conhecidos por participarem significativamente no metabolismo mediado pelo citocromo P450:

Atorvastatina

A coadministração de atorvastatina (10 mg diários) e Azitromicina Di-Hidratada (500 mg diários) não alterou as concentrações plasmáticas da atorvastatina (baseado em testes de inibição de HMG-CoA redutase). No entanto, em experiência pós-comercialização tem sido relatados casos de rabdomiólise em pacientes recebendo Azitromicina Di-Hidratada com estatinas.

Carbamazepina

Em um estudo de interação farmacocinética em voluntários sadios, não foram observados efeitos significativos nos níveis plasmáticos da carbamazepina ou de seus metabólitos ativos em pacientes que receberam Azitromicina Di-Hidratada concomitantemente.

Cimetidina

Foi realizado um estudo de farmacocinética para avaliar os efeitos de dose única de cimetidina administrada duas horas antes da Azitromicina Di-Hidratada, neste estudo não foram observadas quaisquer alterações na farmacocinética da Azitromicina Di-Hidratada.

Anticoagulantes orais do tipo cumarínicos

Em um estudo de interação farmacocinética, a Azitromicina Di-Hidratada não alterou o efeito anticoagulante de uma dose única de 15 mg de varfarina, quando administrada a voluntários sadios. No período pós-comercialização foram recebidos relatos de potencialização da anticoagulação, subsequente à coadministração de Azitromicina Di-Hidratada e anticoagulantes orais do tipo cumarínicos. Embora uma relação causal não tenha sido estabelecida, deve-se levar em consideração a frequência com que é realizada a monitoração do tempo de protrombina quando a Azitromicina Di-Hidratada é utilizada em pacientes recebendo anticoagulantes orais do tipo cumarínicos.

Ciclosporina

Em um estudo de farmacocinética com voluntários sadios que receberam doses orais de 500 mg/dia de Azitromicina Di-Hidratada, por 3 dias e, então dose única oral de 10 mg/kg de ciclosporina, a Cmáx resultante de ciclosporina e a AUC0-5 foram considerados significativamente elevados. Consequentemente, deve-se ter cuidado antes de considerar o uso concomitante destes fármacos. Se for necessária a coadministração, os níveis de ciclosporina devem ser monitorados e a dose deve ser ajustada adequadamente.

Efavirenz

A coadministração de uma dose única de 600 mg de Azitromicina Di-Hidratada e 400 mg diários de efavirenz durante 7 dias não resultou em interações farmacocinéticas clinicamente significativas.

Fluconazol

A coadministração de uma dose única de 1200 mg de Azitromicina Di-Hidratada não alterou a farmacocinética de uma dose única de 800 mg de fluconazol. A exposição total e a meia-vida da Azitromicina Di-Hidratada não foram alteradas pela coadministração de fluconazol, porém foi observada uma diminuição clinicamente insignificante na Cmáx (18%) da Azitromicina Di-Hidratada.

Indinavir

A coadministração de uma dose única de 1200 mg de Azitromicina Di-Hidratada não produziu efeito clinicamente significativo na farmacocinética do indinavir quando administrado em doses de 800 mg, 3 vezes ao dia, durante 5 dias.metilprednisolona: em um estudo de interação farmacocinética em voluntários sadios, a Azitromicina Di-Hidratada não produziu efeito significativo na farmacocinética da metilprednisolona.

Midazolam

Em voluntários sadios, a coadministração de Azitromicina Di-Hidratada 500 mg/dia por 3 dias não causou alterações clinicamente significativas na farmacocinética e na farmacodinâmica de uma dose única de 15 mg de midazolam.

Nelfinavir

A coadministração de Azitromicina Di-Hidratada (1200 mg) e nelfinavir no estado de equilíbrio (750 mg, a cada 3 vezes ao dia) resultou num aumento da concentração de Azitromicina Di-Hidratada. Nenhum evento adverso clinicamente significativo foi observado e nenhum ajuste de dose foi necessário.

Rifabutina

A coadministração da Azitromicina Di-Hidratada com a rifabutina não afetou as concentrações séricas dos fármacos.

Foi observada neutropenia em indivíduos tratados com Azitromicina Di-Hidratada e rifabutina concomitantemente. Embora a neutropenia tenha sido relacionada ao uso da rifabutina, uma relação causal não foi estabelecida para o uso da combinação da rifabutina com a Azitromicina Di-Hidratada.

Sildenafila

Em voluntários masculinos normais e sadios não houve evidência de efeito da Azitromicina Di-Hidratada (500 mg diários por 3 dias) na AUC e na Cmáx da sildenafila ou do seu principal metabólito circulante.

Terfenadina

Estudos farmacocinéticos não demonstraram evidência de interação entre a Azitromicina Di-Hidratada e a terfenadina. Foram relatados raros casos em que a possibilidade dessa interação não poderia ser totalmente excluída; contudo, não existem evidências consistentes de que tal interação tenha ocorrido.

Teofilina

Não há evidência de interação farmacocinética clinicamente significativa quando a Azitromicina Di-Hidratada e a teofilina são coadministradas em voluntários sadios.

Triazolam

Em 14 voluntários sadios, a coadministração de Azitromicina Di-Hidratada 500 mg no dia 1 e 250 mg no dia 2 com 0,125 mg de triazolam no dia 2, não produziu efeito significativo em qualquer variável farmacocinética do triazolam comparada ao triazolam e placebo.

Trimetoprima/sulfametoxazol

A coadministração de trimetoprima e sulfametoxazol (160 mg/800 mg) durante 7 dias com 1200 mg de Azitromicina Di-Hidratada administrada no 7º dia de tratamento não produziu efeito significante nos picos de concentrações, na exposição total ou excreção urinária tanto de trimetoprima quanto de sulfametoxazol no 7° dia de tratamento. As concentrações séricas de Azitromicina Di-Hidratada foram similares àquelas observadas em outros estudos.

Qual a ação da substância do Azicin (Azitromicina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Comprimido revestido 500 mg</h3> <h4>Uso Pedi&#xE1;trico</h4> <p>A partir da perspectiva de avaliar ensaios cl&#xED;nicos pedi&#xE1;tricos, dados dos Dias 11-14 s&#xE3;o fornecidos para orienta&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica.</p> <p>Avalia&#xE7;&#xF5;es dos dias 24-32 foram consideradas o desfecho do teste prim&#xE1;rio de cura.</p> <h4>Otite m&#xE9;dia aguda</h4> <h5>Efic&#xE1;cia utilizando Azitromicina Di-Hidratada por 5 dias (10mg/kg no Dia 1 seguido por 5 mg/kg nos Dias 2 - 5)<sup>1</sup> </h5> <h6>Protocolo 01</h6> <p>Em um estudo controlado, duplo-cego, de otite m&#xE9;dia aguda realizado nos Estados Unidos, a Azitromicina Di-Hidratada (10 mg/kg no Dia 1, seguido por 5 mg/kg nos Dias 2-5) foi comparada a <a href=\"https://consultaremedios.com.br/amoxicilina/bula\" target=\"_blank\">amoxicilina</a>/clavulanato de pot&#xE1;ssio (4:1).</p> <p>Entre os 553 pacientes que foram avaliados quanto &#xE0; efic&#xE1;cia cl&#xED;nica, a taxa de sucesso cl&#xED;nico no Dia 11 foi de 88% para Azitromicina Di-Hidratada e de 88% para o agente controle. Entre os 521 pacientes avaliados na visita do Dia 30, a taxa de sucesso foi de 73% para Azitromicina Di-Hidratada e de 71% para o agente controle.</p> <h6>Protocolo 02</h6> <p>Em um estudo clinico e microbiol&#xF3;gico n&#xE3;o comparativo realizado nos Estados Unidos, onde foram encontradas taxas significativas de produ&#xE7;&#xE3;o de organismos beta-lactamase (35%), 131 pacientes foram avaliados para efic&#xE1;cia cl&#xED;nica. Na visita do dia 11, a taxa de&amp;nbsp;sucesso cl&#xED;nico combinado (ou seja, cura e melhoria) foi de 84% para Azitromicina Di-Hidratada. Para os 122 pacientes que foram avaliados no dia 30 da visita, a taxa de sucesso cl&#xED;nico foi de 70% para Azitromicina Di-Hidratada.</p> <p>As determina&#xE7;&#xF5;es microbiol&#xF3;gicas foram feitas na visita pr&#xE9;-tratamento. A microbiologia n&#xE3;o foi reavaliada em visitas posteriores.</p> <p><strong>As seguintes taxas de sucesso cl&#xED;nico foram obtidas a partir do grupo avaliado:</strong></p> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Pat&#xF3;geno</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td style=\"text-align:center\">-</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Dia 11</strong></td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Dia 30</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Azitromicina Di-Hidratada</strong></td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Azitromicina Di-Hidratada</strong></p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>S.</em> <em>pneumoniae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">61/74 (82%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">40/56 (71%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>H. influenzae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">43/54 (80%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">30/47 (64%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>M. catarrhalis</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">28/35 (80%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">19/26 (73%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>S.</em> <em>pyogenes</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">11/11 (100%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">7/7 (100%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">Total</p> </td> <td style=\"text-align:center\">177/217 (82%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">97/137 (73%)</p> </td> </tr> </tbody> </table> <h6>Protocolo 03</h6> <p>Em outro estudo cl&#xED;nico biol&#xF3;gico, comparativo, controlado de otite m&#xE9;dia realizado nos Estados Unidos, de Azitromicina Di-Hidratada (10 mg/kg no dia 1, seguido por 5 mg/kg nos dias 2-5) comparado com amoxicilina/clavulanato de pot&#xE1;ssio (4:1). Este estudo utilizou dois dos mesmos investigadores do Protocolo 02 (acima), e esses dois investigadores inscreveram 90% dos pacientes no Protocolo 03.</p> <p>Assim, o Protocolo 3 n&#xE3;o foi considerado um estudo independente. Foram encontrados resultados significativos de produ&#xE7;&#xE3;o de organismos beta-lactamase (20%). Noventa e dois pacientes foram avaliados para efic&#xE1;cia cl&#xED;nica e microbiol&#xF3;gica. A taxa de sucesso cl&#xED;nico combinado (ou seja, cura e melhora) dos pacientes com baseline pat&#xF3;gena na visita do dia 11 foi de 88% para Azitromicina Di-Hidratada versus 100% para o controle.</p> <p>Na visita do dia 30, a taxa de sucesso cl&#xED;nico foi de 82% para Azitromicina Di-Hidratada versus 80% para o grupo de controle.</p> <p>As determina&#xE7;&#xF5;es microbiol&#xF3;gicas foram feitas na visita de pr&#xE9;-tratamento. A microbiologia n&#xE3;o foi reavaliada em visitas posteriores.</p> <h6>Nos dias de visita 11 e 30, as seguintes taxas de sucesso cl&#xED;nico foram obtidas a partir do grupo avaliado:</h6> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:155px\">&amp;nbsp;</td> <td colspan=\"2\" rowspan=\"1\" style=\"text-align:center; width:529px\"><strong>Dia 11</strong></td> <td colspan=\"2\" rowspan=\"1\" style=\"text-align:center\"><strong>Dia 30</strong></td> </tr> <tr> <td style=\"width:155px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Pat&#xF3;geno</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:324px\"> <p><strong>Azitromicina Di-Hidratada</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:200px\"><strong>Controle</strong></td> <td style=\"text-align:center; width:308px\"> <p><strong>Azitromicina Di-Hidratada</strong></p> </td> <td style=\"width:224px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Controle</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:155px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>S. pneumoniae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:324px\">25/29 (86%)</td> <td style=\"text-align:center; width:200px\">26/26 (100%)</td> <td style=\"text-align:center; width:308px\">22/28 (79%)</td> <td style=\"width:224px\"> <p style=\"text-align:center\">18/22 (82%)</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:155px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>H. influenzae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:324px\">9/11 (82%)</td> <td style=\"text-align:center; width:200px\">9/9 (100%)</td> <td style=\"text-align:center; width:308px\">8/10 (80%)</td> <td style=\"width:224px\"> <p style=\"text-align:center\">6/8 (75%)</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:155px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>M. catarrhalis</em></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:324px\">7/7 (100%)</td> <td style=\"text-align:center; width:200px\">5/5 (100%)</td> <td style=\"text-align:center; width:308px\">5/5 (100%)</td> <td style=\"width:224px\"> <p style=\"text-align:center\">2/3 (66%)</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:155px\"> <p style=\"text-align:center\"><em>S. pyogenes</em></p> </td> <td style=\"text-align:center; width:324px\">2/2 (100%)</td> <td style=\"text-align:center; width:200px\">5/5 (100%)</td> <td style=\"text-align:center; width:308px\">2/2 (1005)</td> <td style=\"width:224px\"> <p style=\"text-align:center\">4/4 (100%)</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:155px\"> <p style=\"text-align:center\">Total</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:324px\">43/49 (88%)</td> <td style=\"text-align:center; width:200px\">45/45 (100%)</td> <td style=\"text-align:center; width:308px\">37/45 (82%)</td> <td style=\"width:224px\"> <p style=\"text-align:center\">30/37 (81%)</p> </td> </tr> </tbody> </table> <h5>Efic&#xE1;cia utilizando Azitromicina Di-Hidratada por 3 dias (10 mg/kg/dia)<sup>2</sup> </h5> <h6>Protocolo 04</h6> <p>Em um estudo duplo-cego, controlado e randomizado de otite m&#xE9;dia aguda em crian&#xE7;as de 6 meses a 12 anos, Azitromicina Di-Hidratada (10 mg/kg por dia, durante 3 dias) foi comparada a amoxicilina/clavulanato de pot&#xE1;ssio (7:1) a cada 12 horas, por 10 dias. Cada crian&#xE7;a recebeu medica&#xE7;&#xE3;o e placebo para a compara&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>Entre os 366 pacientes avaliados, a taxa de efic&#xE1;cia cl&#xED;nica (por exemplo, cura e melhora) ap&#xF3;s 12 dias do tratamento, foi de 83% para Azitromicina Di-Hidratada e 88% para o agente controle. Entre os 362 pacientes avaliados ap&#xF3;s 24-28 dias de tratamento, a taxa de sucesso cl&#xED;nico foi de 74% para Azitromicina Di-Hidratada e 69% para o agente de controle.</p> <h5>Efic&#xE1;cia utilizando Azitromicina Di-Hidratada 30 mg/kg administrada em dose &#xFA;nica<sup>3</sup> </h5> <h6>Protocolo 05</h6> <p>Em um estudo duplo-cego, controlado e randomizado foi performado em nove centros cl&#xED;nicos. Pacientes pedi&#xE1;tricos de 6 meses a 12 anos de idade receberam em tratamento 1:1 com Azitromicina Di-Hidratada (fixado em 30 mg/kg como dose &#xFA;nica no Dia 1) ou amoxicilina/clavulanato de pot&#xE1;ssio (7:1) dividido a cada 12 horas, por 10 dias.</p> <p>Cada crian&#xE7;a recebeu medica&#xE7;&#xE3;o e placebo para a compara&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>A resposta cl&#xED;nica (cura, melhora, falha) foi avaliada ao final da terapia (Dia 12 &#x2013; 16) e teste de cura (Dia 28-32).</p> <p>A seguran&#xE7;a foi avaliada durante todo o andamento do estudo para todos os indiv&#xED;duos. Para os 321 indiv&#xED;duos que foram avaliados ao fim do tratamento, a taxa de sucesso cl&#xED;nico (cura e melhora) foi de 87% para Azitromicina Di-Hidratada e 88% para o controle. Para os 305 indiv&#xED;duos que foram avaliados no teste de cura, a taxa de sucesso cl&#xED;nico foi de 75% para ambos, Azitromicina Di-Hidratada e controle.</p> <h6>Protocolo 06</h6> <p>Em um estudo cl&#xED;nico microbiol&#xF3;gico n&#xE3;o comparativo, 248 pacientes a partir dos 6 meses de idade at&#xE9; 12 meses com otite m&#xE9;dia aguda documentada, foram dosados com uma dose oral &#xFA;nica de Azitromicina Di-Hidratada (30 mg/kg no dia 1).</p> <p>Para os 240 pacientes que foram avaliados para cl&#xED;nica modificada inten&#xE7;&#xE3;o de tratar (MITT), a taxa de sucesso cl&#xED;nico (ou seja, da cura e melhora) no dia 10 foi de 89% e para os 242 pacientes avaliados entre os dias 24 e 28, a taxa de sucesso cl&#xED;nico foi de 85%.</p> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td colspan=\"3\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Erradica&#xE7;&#xE3;o bacteriol&#xF3;gica presum&#xED;vel</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Dia 10</strong></td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Dias 24-28</strong></p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>S. pneumoniae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">70/76 (92%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">67/76 (88%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>H. influenzae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">30/42 (71%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">28/44 (64%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>M. catarrhalis</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">10/10 (100%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">10/10 (100%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">Total</p> </td> <td style=\"text-align:center\">110/128 (86%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">105/130 (81%)</p> </td> </tr> </tbody> </table> <h5>Faringite/Tonsilite<sup>4</sup> </h5> <p>Em tr&#xEA;s estudos controlados, duplo-cegos, conduzidos nos Estados Unidos, a Azitromicina Di-Hidratada (12 mg/kg, 1 vez ao dia, por 5 dias) foi comparada &#xE0; penicilina V (250 mg, 3 vezes ao dia, por 10 dias) no tratamento de faringite associada ao Grupo A streptococci beta-hemolitico (GABHS &#x2013; estreptococos beta-hemol&#xED;ticos do grupo A &#x2013; ou S. pyogenes). A Azitromicina Di-Hidratada foi estatisticamente superior clinicamente e micobiologicamente &#xE0; penicilina nos par&#xE2;metros cl&#xED;nico e microbiol&#xF3;gico no Dia 14 e Dia 30, com o seguinte sucesso cl&#xED;nico (por ex. Cura e melhora) e taxas de efic&#xE1;cia bacteriol&#xF3;gica (para a combina&#xE7;&#xE3;o de pacientes avaliada documentada na GABHS).</p> <h5>Tr&#xEA;s estudos americanos em faringite Azitromicina Di-Hidratada vs penicilina V&amp;nbsp;</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td colspan=\"3\" style=\"text-align:center\"> <p><strong>Tr&#xEA;s estudos americanos em faringite Azitromicina Di-Hidratada vs penicilina V - Resultados de efic&#xE1;cia</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Dia 14</strong></td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Dia 30</strong></p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Erradica&#xE7;&#xE3;o bacteriol&#xF3;gica</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td> <p style=\"text-align:center\">-</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">Azitromicina Di-Hidratada</p> </td> <td style=\"text-align:center\">323/340 (95%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">255/330 (77%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">Penicilina V</p> </td> <td style=\"text-align:center\">242/332 (73%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">206/325 (63%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Sucesso cl&#xED;nico (cura com melhora)</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center\">-</td> <td style=\"text-align:center\">-</td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">Azitromicina Di-Hidratada</p> </td> <td style=\"text-align:center\">336/343 (98%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">310/330 (94%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\">Penicilina V</p> </td> <td style=\"text-align:center\">284/338 (84%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">241/325 (74%)</p> </td> </tr> </tbody> </table> <p>Aproximadamente 1% de S. pyogenes Azitromicina Di-Hidratada-suscept&#xED;veis isolados foram resistentes &#xE0; Azitromicina Di-Hidratada no tratamento seguinte.</p> <h4>Uso Adulto</h4> <h5>Exacerba&#xE7;&#xE3;o bacterial aguda de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/dpoc/c\" target=\"_blank\"/><a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/doenca-pulmonar-obstrutiva\" target=\"_blank\">Doen&#xE7;a Pulmonar Obstrutiva</a> Cr&#xF4;nica (DPOC)</h5> <p>Em um estudo controlado, randomizado, duplo-cego de exacerba&#xE7;&#xE3;o bacteriana aguda de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/bronquite-cronica\" target=\"_blank\">bronquite cr&#xF4;nica</a>, Azitromicina Di-Hidratada (500 mg, 1 vez ao dia, por 3 dias) foi comparada &#xE0; <a href=\"https://consultaremedios.com.br/claritromicina/bula\" target=\"_blank\">claritromicina</a> (500 mg, 2 vezes ao dia, por 10 dias). O principal endpoint deste estudo foi a taxa de cura cl&#xED;nica do Dia 21-24. Entre os 304 pacientes analisados na Inten&#xE7;&#xE3;o de Tratar Modificada (<em>In The Modified Intent To Treat Analysis</em>) nas visitas do Dia 21-24, a taxa de cura cl&#xED;nica para 3 dias de Azitromicina Di-Hidratada foi 85% (125/147) comparado a 82% (129/157) para 10 dias de claritromicina.</p> <h5>Os seguintes dados foram as taxas de cura cl&#xED;nica nas visitas dos Dias 21-24 dos pacientes avaliados bacteriologicamente por pat&#xF3;geno:</h5> <table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>Pat&#xF3;geno</strong></p> </td> <td style=\"text-align:center\"><strong>Azitromicina Di-Hidratada (3 dias)</strong></td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>claritromicina (10 dias)</strong></p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>S. pneumoniae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">29/32 (91%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">21/27 (78%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>H. influenzae</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">12/14 (86%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">14/16 (88%)</p> </td> </tr> <tr> <td> <p style=\"text-align:center\"><em>M. catarrhalis</em></p> </td> <td style=\"text-align:center\">11/12 (92%)</td> <td> <p style=\"text-align:center\">12/15 (80%)</p> </td> </tr></tbody></table>"}

Fabricante: Cristália

© 2021 Medicamento Lab.