Cristália Glya

75mg, caixa com 10 cápsulas duras

Princípio ativo
:
Pregabalina
Classe Terapêutica
:
Antiepilépticos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
C1 Branca 2 vias (Venda Sob Prescrição Médica - Este medicamento pode causar Dependência Física ou Psíquica)
Categoria
:
Sistema Nervoso
Especialidade
:
Psiquiatria e Neurologia

Bula do medicamento

Glya, para o que é indicado e para o que serve?

Glya (pregabalina) cápsulas duras é indicado para adultos para:

  • <li>Tratamento da dor neurop&#xE1;tica (dor devido &#xE0; les&#xE3;o e/ou mau funcionamento dos nervos e/ou do sistema nervoso) em adultos;</li> <li>Como terapia adjunta das crises epil&#xE9;ticas parciais (convuls&#xF5;es), com ou sem generaliza&#xE7;&#xE3;o secund&#xE1;ria em adultos;</li> <li>Tratamento do <a href="https://minutosaudavel.com.br/ansiedade-generalizada/" rel="noopener" target="_blank">Transtorno de </a><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/ansiedade/c" target="_blank">Ansiedade</a> Generalizada em adultos; controle de <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fibromialgia-sintomas-tratamentos-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">fibromialgia</a> (doen&#xE7;a caracterizada por dor cr&#xF4;nica em v&#xE1;rias partes do corpo, <a href="https://minutosaudavel.com.br/cansaco/" rel="noopener" target="_blank">cansa&#xE7;o</a> e altera&#xE7;&#xF5;es do sono) em adultos.</li>

Quais as contraindicações do Glya?

Glya não deve ser utilizado se você tem hipersensibilidade (alergia) conhecida à pregabalina ou a qualquer componente da fórmula.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Este medicamento contém lactose.

Como usar o Glya?

A pregabalina deve ser utilizada por via oral (engolir), com ou sem alimentos.

As doses recomendadas de pregabalina são:

Dor neuropática, Transtorno da Ansiedade Generalizada e Epilepsia
  • <li>150 a 600 mg/dia divididos em 2 doses.</li>
Fibromialgia
  • <li>150 a 450mg/dia divididos em 2 doses.</li>
Em todas as indicações a dose inicial recomendada é:
  • <li>75 mg, via oral, 2 vezes ao dia (150 mg/dia).</li> <li>Entretanto, com base na resposta individual e na tolerabilidade do paciente, a dose poder&#xE1; ser aumentada para 150 mg 2 vezes ao dia ap&#xF3;s um intervalo de 3 a 7 dias e, se necess&#xE1;rio, at&#xE9; uma dose m&#xE1;xima &#x2013; descrita acima por indica&#xE7;&#xE3;o &#x2013; 2 vezes ao dia ap&#xF3;s o mesmo intervalo. A efic&#xE1;cia de pregabalina foi observada j&#xE1; na primeira semana de tratamento. A decis&#xE3;o de aumentar ou diminuir a dose &#xE9; exclusiva do m&#xE9;dico, n&#xE3;o o fa&#xE7;a sem a orienta&#xE7;&#xE3;o dele.</li>

Pacientes com insuficiência ou algum comprometimento da função dos rins podem necessitar de ajustes na dosagem de pregabalina. Também em idosos recomenda-se avaliar a função dos rins para verificar se esses ajustes precisam ser feitos. A adequação da dosagem para estas situações deve ser instruída pelo seu médico (para pacientes com insuficiência renal, a dose inicial deve partir de 25 mg).

Recomenda-se que a descontinuação do tratamento com pregabalina seja feita gradualmente, ao longo de 1 semana. A descontinuação do tratamento deve ser feita sob indicação e supervisão do seu médico.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não pode ser partido, aberto ou mastigado.

Como o Glya funciona?

A pregabalina age regulando a transmissão de mensagens excitatórias entre as células nervosas. O início da ação do medicamento é, geralmente, percebido cerca de uma semana após o início do tratamento.

Quais cuidados devo ter ao usar o Glya?

Informe ao seu médico se você tiver:

  • <li>Problemas heredit&#xE1;rios (herdados da fam&#xED;lia) de intoler&#xE2;ncia a galactose, defici&#xEA;ncia de <a href="https://consultaremedios.com.br/lactase/bula" target="_blank">lactase</a> de Lapp ou m&#xE1;-absor&#xE7;&#xE3;o de alimentos; pois ele precisa avaliar se a pregabalina deve ser usada nessas situa&#xE7;&#xF5;es;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/diabetes/c" target="_blank">Diabetes</a>, pois pode haver necessidade de controlar&amp;nbsp;mais de perto seu peso e a dose das medica&#xE7;&#xF5;es para tratar a doen&#xE7;a;</li> <li>Doen&#xE7;as renais, pois a dose de pregabalina pode precisar de ajustes;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">Insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> congestiva (doen&#xE7;a em que o cora&#xE7;&#xE3;o n&#xE3;o consegue bombear o sangue adequadamente), pois houve casos de piora dos sintomas associado ao uso de pregabalina.</li>

O uso de pregabalina está associada com tontura e sonolência, que pode aumentar a ocorrência de acidentes (como por exemplo, quedas) em idosos. Você deve ter cuidado até que os efeitos potenciais de pregabalina lhe sejam familiares. Pelo mesmo motivo a habilidade de dirigir e operar máquinas pode estar prejudicada. É aconselhável não dirigir, operar máquinas complexas, nem exercer outras atividades potencialmente perigosas até que se saiba se este medicamento afeta a sua capacidade de realizar tais atividades.

Houve relatos no período pós-comercialização de reações de hipersensibilidade, incluindo casos de angioedema. A pregabalina deve ser descontinuada imediatamente se ocorrerem sintomas de angioedema, tais como inchaço na face, ao redor da boca e nas vias aéreas superiores.

Na experiência pós-comercialização, visão borrada transitória e outras alterações na capacidade visual foram reportadas por pacientes tratados com pregabalina. A descontinuação de pregabalina pode resultar na resolução ou melhora desses sintomas visuais.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não há dados suficientes sobre o uso de pregabalina em mulheres grávidas.

O risco potencial aos fetos humanos é desconhecido. Portanto, a pregabalina não deve ser utilizado durante a gravidez, a menos que o benefício à mãe justifique claramente o risco potencial ao feto, uma decisão que deve ser tomada em conjunto com seu médico; portanto se durante o tratamento com a pregabalina você engravidar comunique imediatamente a ele. Se você tem potencial de engravidar, deve utilizar métodos contraceptivos eficazes.

Não é recomendado que mulheres que estejam amamentando usem a pregabalina, pois a medicação é excretada (sai) no leite materno.

No momento da interrupção do uso de pregabalina foram observados em alguns pacientes a ocorrência de insônia, dor de cabeça, enjoos, ansiedade, aumento da sudorese (transpiração), diarreia, síndrome gripal, depressão, dor, convulsão e tontura.&nbsp;As convulsões, incluindo estado epilético e convulsões do tipo grande mal, podem ocorrer durante o uso ou logo após a descontinuação de pregabalina.

Se ocorrerem quaisquer sintomas relacionados ao uso deste medicamento, seu médico deve ser consultado.

Houve relatos de dificuldades respiratórias. Se você tem distúrbios do sistema nervoso (distúrbios no cérebro, medula espinhal, nervos e órgãos sensoriais), distúrbios respiratórios (redução da função do sistema respiratório que pode reduzir a quantidade de oxigênio no sangue e em todo corpo), insuficiência renal (diminuição da função dos rins) ou se você tem mais de 65 anos, o seu médico pode prescrever um regime posológico diferente. Entre em contato com o seu médico se tiver dificuldade em respirar ou respiração superficial.

Ao perceber sinais ou comportamentos suicidas (pensamento ou ideia de se matar) em pacientes usando a pregabalina, busque ajuda médica.

A segurança e eficácia da substância pregabalina não foram estabelecidas em pacientes adolescentes (12 a 17 anos) para as indicações aprovadas (incluindo epilepsia).

Foram relatados casos de encefalopatia, principalmente em pacientes pré-dispostos à encefalopatia.

Este medicamento contém lactose.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Glya?

As reações adversas mais frequentemente notificadas foram tontura e sonolência; em geral, elas foram de intensidade leve a moderada e estão listadas abaixo.

Reação Muito Comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Dor de cabe&#xE7;a*.</li>

Reação Comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Nasofaringite (inflama&#xE7;&#xE3;o da faringe ou garganta), aumento do apetite, euforia, confus&#xE3;o, irritabilidade, depress&#xE3;o, desorienta&#xE7;&#xE3;o, ins&#xF4;nia (dificuldade para <a href="https://minutosaudavel.com.br/dormir/" rel="noopener" target="_blank">dormir</a>), diminui&#xE7;&#xE3;o da libido (diminui&#xE7;&#xE3;o do desejo sexual), ataxia (dificuldade em coordenar os movimentos), coordena&#xE7;&#xE3;o anormal, tremores, <a href="https://minutosaudavel.com.br/disartria/" rel="noopener" target="_blank">disartria</a> (altera&#xE7;&#xE3;o da fala), amn&#xE9;sia (perda de mem&#xF3;ria), dificuldade de mem&#xF3;ria, dist&#xFA;rbios de aten&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/parestesia/" rel="noopener" target="_blank">parestesia</a> (formigamentos), hipoestesia (diminui&#xE7;&#xE3;o da sensibilidade), seda&#xE7;&#xE3;o (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xED;vel de vig&#xED;lia ou alerta), transtorno de equil&#xED;brio, letargia (lentid&#xE3;o), vis&#xE3;o turva, diplopia (vis&#xE3;o dupla), vertigem, v&#xF4;mitos, <a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">constipa&#xE7;&#xE3;o</a> (intestino preso), <a href="https://minutosaudavel.com.br/gases/" rel="noopener" target="_blank">flatul&#xEA;ncia</a> (excesso de gases), distens&#xE3;o abdominal, boca seca, <a href="https://minutosaudavel.com.br/caimbra/" rel="noopener" target="_blank">c&#xE3;ibra</a> muscular, artralgia (dor nas articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://minutosaudavel.com.br/lombalgia/" rel="noopener" target="_blank">dor lombar</a>, dor nos membros, espasmo cervical, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-tipos-cerebral-pulmonar-etc-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">edema</a> perif&#xE9;rico (incha&#xE7;o de extremidades), edema (incha&#xE7;o), marcha (caminhada) anormal, quedas, sensa&#xE7;&#xE3;o de embriaguez, sensa&#xE7;&#xE3;o anormal, cansa&#xE7;o, aumento de peso, n&#xE1;usea* (enjoo), diarreia*.</li>

Reação Incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Neutropenia (diminui&#xE7;&#xE3;o de um tipo de c&#xE9;lulas de defesa no sangue: neutr&#xF3;filos), <a href="https://minutosaudavel.com.br/anorexia/" rel="noopener" target="_blank">anorexia</a> (apetite diminu&#xED;do), <a href="https://minutosaudavel.com.br/hipoglicemia/" rel="noopener" target="_blank">hipoglicemia</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o da <a href="https://consultaremedios.com.br/glicose/bula" target="_blank">glicose</a> no sangue), alucina&#xE7;&#xF5;es, inquieta&#xE7;&#xE3;o, agita&#xE7;&#xE3;o, humor deprimido, humor elevado, mudan&#xE7;as de humor, despersonaliza&#xE7;&#xE3;o (mudan&#xE7;a na forma como a pessoa percebe a si mesma), sonhos anormais, dificuldade de encontrar palavras, aumento da libido (aumento do desejo sexual), anorgasmia (incapacidade de ter orgasmos), <a href="https://minutosaudavel.com.br/desmaio/" rel="noopener" target="_blank">s&#xED;ncope</a> (desmaio), mioclonia (contra&#xE7;&#xE3;o muscular), hiperatividade (agita&#xE7;&#xE3;o) psicomotora, discinesia, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotensao-pressao-baixa-sintomas-na-gravidez-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipotens&#xE3;o</a> postural (diminui&#xE7;&#xE3;o da press&#xE3;o arterial ao levantar), tremor de inten&#xE7;&#xE3;o (tremor que ocorre ao movimento), <a href="https://minutosaudavel.com.br/nistagmo/" rel="noopener" target="_blank">nistagmo</a> (movimento anormal dos olhos), transtornos cognitivos (dificuldade de compreens&#xE3;o), transtornos de fala, hiporreflexia (reflexos enfraquecidos), hiperestesia (aumento da sensibilidade), sensa&#xE7;&#xE3;o de queima&#xE7;&#xE3;o, perda da vis&#xE3;o perif&#xE9;rica, altera&#xE7;&#xE3;o visual, incha&#xE7;o ocular, defici&#xEA;ncia no campo visual, redu&#xE7;&#xE3;o da acuidade visual, dor ocular, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-ocular-sintomas-causas-tratamentos-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">astenopia</a> (cansa&#xE7;o visual), fotopsia (sensa&#xE7;&#xE3;o de ver luzes e cores cintilantes), olhos secos, aumento do lacrimejamento, irrita&#xE7;&#xE3;o ocular, hiperacusia (aumento da audi&#xE7;&#xE3;o), taquicardia (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca), bloqueio atrioventricular de primeiro grau (tipo de <a href="https://minutosaudavel.com.br/arritmia-cardiaca-o-que-e-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">arritmia card&#xED;aca</a>), bradicardia sinusal (diminui&#xE7;&#xE3;o dos batimentos card&#xED;acos), hipotens&#xE3;o arterial (press&#xE3;o baixa), hipertens&#xE3;o arterial (<a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">press&#xE3;o alta</a>), ondas de calor, rubores (vermelhid&#xF5;es), frio nas extremidades, dispneia (falta de ar), epistaxe (sangramento nasal), <a href="https://consultaremedios.com.br/gripes-e-resfriados/tosse/c" target="_blank">tosse</a>, congest&#xE3;o nasal, <a href="https://minutosaudavel.com.br/rinite/" rel="noopener" target="_blank">rinite</a>, ronco, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/refluxo-gastroesofagico/c" target="_blank">refluxo gastroesof&#xE1;gico</a> (retorno do conte&#xFA;do do est&#xF4;mago para o es&#xF4;fago), hipersecre&#xE7;&#xE3;o salivar, hipoestesia oral (diminui&#xE7;&#xE3;o da sensibilidade na boca), erup&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas papulares (pequenas eleva&#xE7;&#xF5;es na pele), <a href="https://minutosaudavel.com.br/urticaria/" rel="noopener" target="_blank">urtic&#xE1;ria</a> (<a href="https://minutosaudavel.com.br/alergia-na-pele/" rel="noopener" target="_blank">alergia na pele</a>), sudorese (transpira&#xE7;&#xE3;o), incha&#xE7;o articular, mialgia (dor muscular), <a href="https://minutosaudavel.com.br/espasmo-muscular/" rel="noopener" target="_blank">espasmo muscular</a> (contra&#xE7;&#xE3;o involunt&#xE1;ria dos m&#xFA;sculos), dor cervical, rigidez muscular, <a href="https://minutosaudavel.com.br/incontinencia-urinaria/" rel="noopener" target="_blank">incontin&#xEA;ncia urin&#xE1;ria</a> (dificuldade em controlar a urina), dis&#xFA;ria (dificuldade e dor para urinar), <a href="https://consultaremedios.com.br/saude-do-homem/disfuncao-eretil/c" target="_blank">disfun&#xE7;&#xE3;o er&#xE9;til</a> (dificuldade para enrijecer o p&#xEA;nis), disfun&#xE7;&#xE3;o sexual, retardo na ejacula&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/dismenorreia/" rel="noopener" target="_blank">dismenorreia</a>, edema (incha&#xE7;o) generalizado, aperto no peito, dor, pirexia (<a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c" target="_blank">febre</a>), sede, calafrio, astenia (fraqueza), aumento das enzimas: alanina aminotransferase, <a href="https://consultaremedios.com.br/fitness/ganho-de-massa/proteinas/creatina/c" target="_blank">creatina</a> fosfoquinase sangu&#xED;nea e aspartato aminotransferase, eleva&#xE7;&#xE3;o da glicose sangu&#xED;nea, diminui&#xE7;&#xE3;o da contagem de plaquetas, diminui&#xE7;&#xE3;o do pot&#xE1;ssio sangu&#xED;neo, diminui&#xE7;&#xE3;o de peso, hipersensibilidade*, perda de consci&#xEA;ncia*, preju&#xED;zo ps&#xED;quico*, incha&#xE7;o da face*, coceira*, mal-estar*, agressividade*.</li>

Reação Rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Crise de p&#xE2;nico, desinibi&#xE7;&#xE3;o, apatia (aus&#xEA;ncia de emo&#xE7;&#xE3;o), estupor, parosmia (dist&#xFA;rbio do olfato), hipocinesia (movimento diminu&#xED;do), ageusia (falta de paladar), disgrafia (dificuldade em escrever), oscilopsia (vis&#xE3;o oscilante), percep&#xE7;&#xE3;o visual de profundidade alterada, midr&#xED;ase (pupila dilatada), <a href="https://minutosaudavel.com.br/estrabismo-vesguice-o-que-e-tipos-cirurgia-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">estrabismo</a>, brilho visual, taquicardia sinusal, arritmia (irregularidade do batimento card&#xED;aco) sinusal, aperto na garganta, secura nasal, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ascite/" rel="noopener" target="_blank">ascite</a> (ac&#xFA;mulo de l&#xED;quido no abdome), <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o no p&#xE2;ncreas), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-disfagia-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">disfagia</a>&amp;nbsp;(dificuldade na degluti&#xE7;&#xE3;o), suor frio, <a href="https://minutosaudavel.com.br/rabdomiolise/" rel="noopener" target="_blank">rabdomi&#xF3;lise</a> (destrui&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas dos m&#xFA;sculos), insufici&#xEA;ncia renal (diminui&#xE7;&#xE3;o das fun&#xE7;&#xF5;es dos rins), olig&#xFA;ria (diminui&#xE7;&#xE3;o do volume de urina), dor mam&#xE1;ria (dor na mama), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-amenorreia-primaria-e-secundaria-sintomas-e-causas/" rel="noopener" target="_blank">amenorreia</a> (aus&#xEA;ncia de menstrua&#xE7;&#xE3;o), secre&#xE7;&#xE3;o mam&#xE1;ria, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ginecomastia/" rel="noopener" target="_blank">ginecomastia</a> (aumento da mama, geralmente sexo masculino), diminui&#xE7;&#xE3;o de leuc&#xF3;citos (gl&#xF3;bulos brancos), eleva&#xE7;&#xE3;o da creatinina sangu&#xED;nea, angioedema* (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica que cursa com incha&#xE7;o), rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica*, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ceratite-o-que-e-sintomas-tratamento-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">ceratite</a>* (inflama&#xE7;&#xE3;o na c&#xF3;rnea), insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca congestiva* (altera&#xE7;&#xE3;o na capacidade do cora&#xE7;&#xE3;o em bombear o sangue), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-pulmonar-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">edema pulmonar</a>* (reten&#xE7;&#xE3;o de l&#xED;quidos no pulm&#xE3;o), edema (incha&#xE7;o) de l&#xED;ngua*, reten&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria* (dificuldade em urinar), ginecomastia* (aumento da mama), idea&#xE7;&#xE3;o suicida* (pensamento ou ideia de se matar).</li>

Reação Desconhecida

  • <li>Depress&#xE3;o respirat&#xF3;ria.</li>

*Reações relatadas no período pós-comercialização.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Glya?

Caso você esqueça-se de tomar a pregabalina no horário estabelecido pelo seu médico, tome-o assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de tomar a próxima dose, pule a dose esquecida e tome a próxima, continuando normalmente o esquema de doses recomendado pelo seu médico. Neste caso, não tome o medicamento 2 vezes para compensar doses esquecidas. Se você&nbsp;esquecer uma dose você pode comprometer o resultado do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Glya?

Cada cápsula dura de 75 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Pregabalina</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">75 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Excipientes q.s.p</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">1 c&#xE1;psula dura</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido de milho e talco.

Cada cápsula dura de 150 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Pregabalina</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">150 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Excipientes q.s.p</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">1 c&#xE1;psula dura</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido de milho e talco.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Glya maior do que a recomendada?

Os eventos adversos mais comuns quando houve uma superdose de pregabalina incluem distúrbio afetivo, sonolência, confusão, depressão, agitação e inquietação. Convulsões também foram relatadas.

O tratamento da superdose com a pregabalina deve incluir medidas gerais de suporte, podendo ser necessária hemodiálise (filtração do sangue usando máquinas). No caso de superdose, procure um médico imediatamente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Glya com outros remédios?

Sempre avise ao seu médico todas as medicações que você toma quando ele for prescrever uma medicação nova.

O médico precisa avaliar se as medicações reagem entre si alterando a sua ação, ou da outra; isso se chama interação medicamentosa. A pregabalina pode potencializar o efeito da oxicodona (analgésico), bebidas alcoólicas e de lorazepam (tranquilizante). Quando usado com analgésicos opioides a pregabalina pode reduzir o funcionamento intestinal (por ex, obstrução intestinal, constipação – intestino preso ou prisão de ventre).

Em experiência pós-comercialização, houve relatos de insuficiência respiratória e coma em pacientes sob tratamento de pregabalina e outros medicamentos depressores do Sistema Nervoso Central, inclusive em pacientes que abusam da substância.

Aconselha-se precaução quando se prescreve pregabalina concomitantemente com opiáceos devido ao risco de depressão do SNC.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Glya (Pregabalina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Dor neurop&#xE1;tica</h3> <p>A efic&#xE1;cia da Pregabalina foi demonstrada em estudos em neuropatia diab&#xE9;tica e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-nevralgia-neuralgia-sintomas-tratamento-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">neuralgia</a> p&#xF3;s-herp&#xE9;tica. A efic&#xE1;cia n&#xE3;o foi estudada em outros modelos de dor neurop&#xE1;tica.</p> <p>A Pregabalina foi avaliada em 9 estudos cl&#xED;nicos controlados por at&#xE9; 13 semanas com esquema posol&#xF3;gico de 2 tomadas di&#xE1;rias e, ap&#xF3;s 8 semanas, com esquema posol&#xF3;gico de 3 vezes ao dia. No geral, o perfil de seguran&#xE7;a e efic&#xE1;cia para esquemas posol&#xF3;gicos de 2 e 3 vezes ao dia foi similar.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos de at&#xE9; 13 semanas, a redu&#xE7;&#xE3;o da dor foi observada na Semana 1 e mantida durante o per&#xED;odo de tratamento.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos controlados, 35% dos pacientes tratados com Pregabalina e 18% dos pacientes recebendo placebo apresentaram uma melhora de 50% no escore da dor. Para pacientes que n&#xE3;o apresentaram sonol&#xEA;ncia, tal melhora foi observada em 33% dos pacientes tratados com Pregabalina e 18% dos pacientes tratados com placebo.</p> <p>Para os pacientes que apresentaram sonol&#xEA;ncia as taxas de resposta foram 48% para Pregabalina e 16% para placebo.</p> <h3>Epilepsia</h3> <p>A Pregabalina foi avaliada em 3 estudos cl&#xED;nicos controlados de 12 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o, com esquema posol&#xF3;gico de 2 ou 3 vezes ao dia. As taxas de resposta (redu&#xE7;&#xE3;o de 50% na frequ&#xEA;ncia de crises parciais) variaram de 13% (50 mg/dia) a 54% (600 mg/dia) para Pregabalina e de 9% a 14% para placebo. No geral, o perfil de seguran&#xE7;a e&amp;nbsp;efic&#xE1;cia para ambos os esquemas foram similares. Uma redu&#xE7;&#xE3;o significativa na frequ&#xEA;ncia das crises foi observada na Semana 1.</p> <h3>Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)</h3> <p>A Pregabalina foi avaliada em 6 estudos controlados de 4-6 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o, um estudo em idosos com 8 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o e um estudo de preven&#xE7;&#xE3;o da recidiva a longo prazo, com fase de preven&#xE7;&#xE3;o da recidiva duplocego de 6 meses de dura&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>A redu&#xE7;&#xE3;o dos sintomas do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) avaliados pela Escala de Avalia&#xE7;&#xE3;o da Ansiedade de Hamilton (HAM-A) foi observada na primeira semana.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos controlados (4-8 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o), 52% dos pacientes tratados com Pregabalina e 38% dos pacientes tratados com placebo apresentaram no m&#xED;nimo 50% de melhora ao final do tratamento em rela&#xE7;&#xE3;o &#xE0; linha de base (pr&#xE9;-tratamento).</p> <h3>Fibromialgia</h3> <p>A monoterapia com Pregabalina foi estudada em 5 estudos controlados com placebo, tr&#xEA;s de 12 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o de dose fixa, uma de 7 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o de dose fixa e um estudo de 6 meses demonstrando a efic&#xE1;cia a longo prazo. O tratamento com Pregabalina em todos os estudos de dose fixas produziu redu&#xE7;&#xE3;o significativa na dor associada a fibromialgia em doses de 300 a 600 mg/dia (duas vezes ao dia).</p> <p>Nos tr&#xEA;s estudos de dose fixa de 12 semanas, 40% dos pacientes tratados com Pregabalina experimentaram 30% ou mais do alivio da escala da dor comparado a 28% dos pacientes tratados com placebo; 23% dos pacientes tratados experimentaram melhora 50% ou mais na escala da dor comparado com 15% dos pacientes tratados com placebo.</p> <p>A Pregabalina produziu taxas significativamente superiores de avalia&#xE7;&#xE3;o global, atrav&#xE9;s da escala de Impress&#xE3;o de Mudan&#xE7;a Global do Paciente (PGIC) nos tr&#xEA;s estudos de dose fixa 12 semanas, comparado com pacientes tratados com placebo (41% dos pacientes sentiram muito melhor ou melhor com Pregabalina contra 29% com placebo).</p> <p>Conforme medido atrav&#xE9;s do Question&#xE1;rio de Impacto da Fibromialgia (FIQ), a Pregabalina resultou em melhora estatisticamente significativa na fun&#xE7;&#xE3;o comparado com pacientes tratados com placebo em 2 dos 3 estudos de dose fixa nos quais foram avaliados. O tratamento com Pregabalina produziu melhora significantes em relatos de resultado de sono de pacientes nos 4 estudos de dose fixa conforme medido pelo <em>Medical Outcomes Study Sleep Scale </em>(MOS-SS) sub-escala de perturba&#xE7;&#xE3;o do sono, MOSSS o &#xED;ndice de problemas global com sono, e a qualidade do sono di&#xE1;rio.</p> <p>No estudo de 6 meses, a melhora da dor, a percep&#xE7;&#xE3;o de mudan&#xE7;a global (PGIC), fun&#xE7;&#xE3;o (FIQ escala total) e sono (MOS-SS subescala do dist&#xFA;rbio do sono) foram mantidos para os pacientes tratados com Pregabalina por per&#xED;odo significativamente mais longo comparado com pacientes tratados com placebo. A Pregabalina 600 mg/dia mostrou uma melhora adicional em pacientes que relataram problemas no sono em compara&#xE7;&#xE3;o com 300 e 450 mg/dia; efeitos m&#xE9;dios sobre a dor, avalia&#xE7;&#xE3;o global e FIQ foram similares em 450 e 600 mg/dia, embora a dose de 600 mg tenha sido bem menos tolerada.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1 -&amp;nbsp;BEYDOUN, A.; UTHMAN, B.M.; KUGLER, A.R.; GREINER M.J.; KNAPP, L.E.; GAROFALO, E.A.; and the Pregabalin 1008&#x2013;009 Study Group. Safety and efficacy of two pregabalin regimens for add-on treatment of partial epilepsy. Neurology, v. 64 (3), p.475-480, 2005.<br> 2 -&amp;nbsp;ARROYO, S., ANHUT, H., KUGLER, A.R., LEE, C.M., KNAPP, L.E., GAROFALO, E.A., MESSMER, S., and the Pregabalin 1008-011 International Study Group. Pregabalin Add-on Treatment: A Randomized, Double-blind, Placebo-controlled, Dose&#x2013;Response Study in Adults with Partial Seizures. Epilepsia, v. 45 (1): p. 20&#x2013;27, 2004. FRENCH, J.A.; KUGLER, A.R.; ROBBINS, J.L.; KNAPP, L.E.; and GAROFALO, E.A. Doseresponse trial of pregabalin adjunctive therapy in patients with partial seizures. Neurology; v. 60 (10): p. 1631-7, 2003.<br> 3 -&amp;nbsp;SABATOWSKI R, G&#xC1;LVEZ R, CHERRY DA, JACQUOT F, VINCENT E, MAISONOBE P, VERSAVEL M. Pregabalin reduces pain and improves sleep and mood disturbances in patients with post-herpetic neuralgia: results of a randomised, placebo-controlled clinical trial. Pain.; v 109(1-2): p 26-35, 2004.<br> 4 -&amp;nbsp;PANDE, A.C., CROCKATT, J.G., FELTNER, D.E., et al. Pregabalin in generalized anxiety disorder: a placebocontrolled trial. Am J Psychiatry; v 160: p. 533-540, 2003.<br> 5 -&amp;nbsp;PANDE AC, CROCKATT JG, FELTNER.DE, et al. Three randomised, placebo-controlled, doubleblind trials of pregabalin treatment of generalized anxiety disorder (GAD). Eur Neuropsychopharmacol; 10(Suppl 3): S344 (Abstr P.3.025), 2000.<br> 6 -&amp;nbsp;FELTNER, D.E., CROCKATT, J.G., DUBOVSKY, S.J., et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled, fixed-dose, multicenter study of pregabalin in patients with generalized anxiety disorder. J Clin Psychopharmacol; v. 23: p. 240-249, 2003.<br> 7 -&amp;nbsp;RICKELS, K., POLLACK, M.H., FELTNER, D.E., et al. Pregabalin for treatment of generalized anxiety disorder: a 4- week, multicenter, double-blind, placebo-controlled trial of pregabalin and <a href=\"https://consultaremedios.com.br/alprazolam/bula\" target=\"_blank\">alprazolam</a>. Arch Gen Psychiatry; v. 62: p. 1022- 1030, 2005.<br> 8 -&amp;nbsp;POHL RB, FELTNER DE, FIEVE RR, et al. Efficacy of pregabalin in the treatment of generalized anxiety disorder: double-blind, placebo-controlled comparison of BID versus TID dosing. J Clin Psychopharmacol; v. 25: p. 151-158, 2005.<br> 9 -&amp;nbsp;MONTGOMERY, S.A., TOBIAS, K., ZORNBERG, G.L., et al. Efficacy and safety of pregabalin in the treatment of generalized anxiety disorder: a 6-week, multicenter, randomized, double-blind, placebo-controlled comparison of pregabalin and venlafaxine. J Clin Psychiatry; v. 67: p. 771-782, 2006.<br> 10 -&amp;nbsp;MONTGOMERY S, CHATAMRA K, PAUER L, et al. Efficacy and safety of pregabalin in elderly people with generalised anxiety disorder. Bri J Psych; v. 193 (5): p. 389-394, 2008.<br> 11 -&amp;nbsp;CROFFORD LJ. Pain management in Fibromyalgia. Curr Opin Rheumatol. 20(3): p.246-50, 2008. HEYMANN RE, PAIVA ES, HELFENSTEIN M et al. Consenso brasileiro do tratamento da Fibromialgia. Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66.<br> 12 -&amp;nbsp;CROFFORD, L.J.; MEASE, P.J.; SIMPSON, S.L.; YOUNG, J.P. J.R.; MARTIN, S.A.; HAIG, G.M.; SHARMA, U. Fibromyalgia relapse evaluation and efficacy for durability of meaningful relief (FREEDOM): a 6-month, double-blind, placebo-controlled trial with pregabalin. Pain 2008; 136:419-431.<br> 13 -&amp;nbsp;MEASE PJ, RUSSELL IJ, ARNOLD LM, et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled, phase III trial of pregabalin in the treatment of patients with fibromyalgia. J Rheumatol 2008; 35:502-14.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>O ingrediente ativo, Pregabalina (&#xE1;cido (S)-3-(aminometil)-5-metil-hexan&#xF3;ico), &#xE9; um an&#xE1;logo do &#xE1;cido gamaaminobut&#xED;rico (GABA).</p> <h4>Mecanismo de a&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Estudos <em>in vitro </em>mostram que a Pregabalina liga-se a uma subunidade proteica auxiliar (&#x3B1;2-&#x3B4;) dos canais de c&#xE1;lcio voltagem-dependentes no <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/c\" target=\"_blank\">sistema nervoso central</a>.</p> <p>Evid&#xEA;ncias de modelos experimentais em animais, com indu&#xE7;&#xE3;o de les&#xE3;o nervosa, demonstram que a Pregabalina reduz a libera&#xE7;&#xE3;o na medula espinhal de neurotransmissores pr&#xF3;-nociceptivos dependentes de c&#xE1;lcio, possivelmente, pela interrup&#xE7;&#xE3;o do transporte de c&#xE1;lcio e/ou atrav&#xE9;s da redu&#xE7;&#xE3;o da corrente de c&#xE1;lcio para o interior da c&#xE9;lula. Evid&#xEA;ncias de outros modelos de les&#xE3;o nervosa em animais sugerem que a atividade antinociceptiva tamb&#xE9;m pode ser mediada pela intera&#xE7;&#xE3;o com vias descendentes noradren&#xE9;rgicas e serotonin&#xE9;rgicas.</p> <h3>Propriedades farmacocin&#xE9;ticas</h3> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina no estado de equil&#xED;brio &#xE9; semelhante em volunt&#xE1;rios sadios, pacientes com epilepsia recebendo antiepil&#xE9;pticos e em pacientes com dor cr&#xF4;nica.</p> <h4>Absor&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>A Pregabalina &#xE9; rapidamente absorvida quando administrada em jejum, com o pico das concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas ocorrendo dentro de 1 hora ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o tanto de doses &#xFA;nicas como m&#xFA;ltiplas. A biodisponibilidade oral da Pregabalina foi estimada em 90% ou mais, sendo independente da dose. Ap&#xF3;s repetidas administra&#xE7;&#xF5;es, o estado de equil&#xED;brio &#xE9; alcan&#xE7;ado dentro de 24 a 48 horas. O &#xED;ndice de absor&#xE7;&#xE3;o da Pregabalina &#xE9; reduzido quando administrado com alimentos, resultando numa diminui&#xE7;&#xE3;o da C<sub>m&#xE1;x</sub> de aproximadamente 25-30% e retardo do T<sub>m&#xE1;x</sub> em aproximadamente 2,5 horas. Entretanto, a administra&#xE7;&#xE3;o de Pregabalina com alimentos n&#xE3;o apresenta efeito clinicamente significativo sobre o grau de absor&#xE7;&#xE3;o deste medicamento.</p> <h4>Distribui&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Em estudos pr&#xE9;-cl&#xED;nicos, observou-se que a Pregabalina atravessa a barreira hematoencef&#xE1;lica em camundongos, ratos e macacos. O f&#xE1;rmaco demonstrou atravessar a placenta em ratas e est&#xE1; presente no leite de ratas lactantes.</p> <p>Em humanos, o volume aparente de distribui&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o oral &#xE9; de aproximadamente 0,56 L/kg. A Pregabalina n&#xE3;o se liga a prote&#xED;nas plasm&#xE1;ticas.</p> <h4>Metabolismo</h4> <p>A Pregabalina sofre metabolismo desprez&#xED;vel em humanos. Ap&#xF3;s uma dose radiomarcada, aproximadamente 98% da radioatividade recuperada na urina foram da Pregabalina inalterada. O derivado N-metilado da Pregabalina, o principal metab&#xF3;lito encontrado na urina, foi respons&#xE1;vel por 0,9% da dose. Em estudos pr&#xE9;-cl&#xED;nicos, n&#xE3;o houve indica&#xE7;&#xF5;es de racemiza&#xE7;&#xE3;o do enanti&#xF4;mero S em enanti&#xF4;mero R da Pregabalina.</p> <h4>Elimina&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>A Pregabalina &#xE9; eliminada da circula&#xE7;&#xE3;o sist&#xEA;mica principalmente por excre&#xE7;&#xE3;o renal como f&#xE1;rmaco inalterado.</p> <p>A meia-vida de elimina&#xE7;&#xE3;o da Pregabalina &#xE9; de 6,3 horas. O <em>clearance </em>plasm&#xE1;tico e o <em>clearance </em>renal s&#xE3;o diretamente proporcionais ao <em>clearance </em>de creatinina.</p> <p>&#xC9; necess&#xE1;rio o ajuste de dose em pacientes com fun&#xE7;&#xE3;o renal reduzida ou em pacientes submetidos &#xE0; hemodi&#xE1;lise.</p> <h4>Linearidade / N&#xE3;o-linearidade</h4> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina &#xE9; linear na faixa de doses di&#xE1;rias recomendadas. A variabilidade entre indiv&#xED;duos &#xE9; baixa (&lt;20%). A farmacocin&#xE9;tica das doses m&#xFA;ltiplas &#xE9; previs&#xED;vel a partir dos dados para dose &#xFA;nica. Portanto, n&#xE3;o h&#xE1; necessidade de monitora&#xE7;&#xE3;o de rotina das concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h4>Farmacocin&#xE9;tica em grupos especiais de pacientes</h4> <h5>Sexo</h5> <p>Estudos cl&#xED;nicos indicam que o sexo n&#xE3;o tem influ&#xEA;ncia clinicamente significativa sobre as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia renal</h5> <p>O <em>clearance </em>da Pregabalina &#xE9; diretamente proporcional ao <em>clearance </em>de creatinina. Al&#xE9;m disso, a Pregabalina &#xE9; removida do plasma por hemodi&#xE1;lise de modo eficaz (ap&#xF3;s 4 horas de hemodi&#xE1;lise, as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas de Pregabalina ficam reduzidas em aproximadamente 50%). Como a elimina&#xE7;&#xE3;o renal &#xE9; a principal via de excre&#xE7;&#xE3;o, &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose em pacientes com insufici&#xEA;ncia renal e suplementa&#xE7;&#xE3;o da dose ap&#xF3;s hemodi&#xE1;lise.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h5> <p>Nenhum estudo farmacocin&#xE9;tico espec&#xED;fico foi conduzido em pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica. Como a Pregabalina n&#xE3;o sofre metabolismo significativo, sendo excretada predominantemente como f&#xE1;rmaco inalterado na urina, a insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica n&#xE3;o deve alterar significativamente as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h5>Idosos (mais de 65 anos de idade)</h5> <p>O <em>clearance </em>da Pregabalina tende a diminuir com o avan&#xE7;o da idade. Esta diminui&#xE7;&#xE3;o no <em>clearance </em>da Pregabalina oral est&#xE1; relacionada com as redu&#xE7;&#xF5;es no <em>clearance</em> de creatinina associadas &#xE0; maior idade. Pode ser necess&#xE1;ria redu&#xE7;&#xE3;o na dose em pacientes com fun&#xE7;&#xE3;o renal comprometida devido &#xE0; idade.</p> <h5>Lactantes</h5> <p>A farmacocin&#xE9;tica de 150 mg de Pregabalina administrados a cada 12 horas (dose di&#xE1;ria de 300 mg) foi avaliada em 10 mulheres lactantes que estavam a pelo menos 12 semanas <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/periodo-pos-parto-puerperio/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">p&#xF3;s-parto</a>. A lacta&#xE7;&#xE3;o apresentou pouca ou nenhuma influ&#xEA;ncia na farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina. A Pregabalina foi excretada no leite materno com concentra&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia no estado de equil&#xED;brio de aproximadamente 76% da concentra&#xE7;&#xE3;o no plasma materno. A dose m&#xE9;dia di&#xE1;ria estimada de Pregabalina recebida pela crian&#xE7;a pelo leite materno (assumindo um consumo m&#xE9;dio de leite de 150 mL/kg/dia) foi 0,31 mg/kg/dia, a qual, em termos de mg/kg seria, aproximadamente, 7% da dose recebida pela m&#xE3;e.</p> <h3>Dados de seguran&#xE7;a pr&#xE9;-cl&#xED;nicos</h3> <p>Em estudos convencionais de seguran&#xE7;a farmacol&#xF3;gica em animais, a Pregabalina foi bem tolerada nas doses clinicamente relevantes. Em estudos de toxicidade das doses repetidas em ratos e macacos foram observados efeitos no SNC, incluindo hipoatividade, hiperatividade e ataxia. Foi comumente observado um aumento da incid&#xEA;ncia de atrofia retiniana em ratos albinos com idade avan&#xE7;ada, ap&#xF3;s exposi&#xE7;&#xF5;es prolongadas &#xE0; Pregabalina em doses &#x2265; 5 vezes a m&#xE9;dia de exposi&#xE7;&#xE3;o humana na dose cl&#xED;nica m&#xE1;xima recomendada.</p> <h4>Teratogenicidade</h4> <p>A Pregabalina n&#xE3;o foi teratog&#xEA;nica em camundongos, ratos ou coelhos. A toxicidade fetal em ratos e coelhos ocorreu somente com exposi&#xE7;&#xF5;es suficientemente acima da exposi&#xE7;&#xE3;o humana. Em estudos de toxicidade pr&#xE9;- e p&#xF3;s-natal, a Pregabalina induziu toxicidade no desenvolvimento da cria em ratos, com exposi&#xE7;&#xF5;es 2 vezes maiores que a exposi&#xE7;&#xE3;o m&#xE1;xima recomendada para humanos.</p> <h4>Mutagenicidade</h4> <p>A Pregabalina n&#xE3;o &#xE9; genot&#xF3;xica, com base nos resultados de uma bateria de testes <em>in vitro </em>e<em> in vivo</em>.</p> <h4>Carcinogenicidade</h4> <p>Estudos de carcinogenicidade de 2 anos com Pregabalina foram realizados com ratos e camundongos. Nenhum tumor foi observado em ratos expostos a at&#xE9; 24 vezes o valor m&#xE9;dio da exposi&#xE7;&#xE3;o humana na dose cl&#xED;nica m&#xE1;xima recomendada de 600 mg/dia. Em camundongos, n&#xE3;o houve aumento da incid&#xEA;ncia de tumores com exposi&#xE7;&#xF5;es semelhantes &#xE0; m&#xE9;dia da exposi&#xE7;&#xE3;o humana, mas observou-se um aumento da incid&#xEA;ncia de hemangiossarcoma com altas exposi&#xE7;&#xF5;es. O mecanismo n&#xE3;o-genot&#xF3;xico da Pregabalina, de indu&#xE7;&#xE3;o de forma&#xE7;&#xE3;o de tumores em camundongos, envolve altera&#xE7;&#xF5;es plaquet&#xE1;rias associadas &#xE0; prolifera&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas endoteliais. Estas altera&#xE7;&#xF5;es plaquet&#xE1;rias n&#xE3;o estavam presentes em ratos ou humanos com base em dados cl&#xED;nicos de curto prazo ou longo prazo limitado. N&#xE3;o h&#xE1; evid&#xEA;ncias sugerindo risco a humanos.</p> <p>Em ratos jovens a toxicidade n&#xE3;o diferiu qualitativamente da observada em ratos adultos.</p> <p>Entretanto, os ratos jovens foram mais sens&#xED;veis. Em exposi&#xE7;&#xF5;es terap&#xEA;uticas, houve evid&#xEA;ncia de sinais cl&#xED;nicos de hiperatividade do SNC e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/bruxismo/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">bruxismo</a> e algumas altera&#xE7;&#xF5;es no crescimento (supress&#xE3;o transit&#xF3;ria do ganho de peso corporal). Foi observado efeito sobre o ciclo estral com 5 vezes a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana. Efeitos neuro comportamentais/cognitivos foram observados em ratos jovens 1-2 semanas ap&#xF3;s uma exposi&#xE7;&#xE3;o 2 vezes maior (resposta ac&#xFA;stica de sobressalto) ou 5 vezes maior (aprendizado/mem&#xF3;ria) que a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana.</p> <p>Resposta ac&#xFA;stica de sobressalto reduzida foi observada em ratos jovens, 1-2 semanas ap&#xF3;s uma exposi&#xE7;&#xE3;o 2 vezes maior que a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana. Nove semanas ap&#xF3;s a exposi&#xE7;&#xE3;o, este efeito n&#xE3;o foi mais observado.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Glya?

Glya deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegido da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do produto

Glya 75 mg

Cápsula gelatinosa dura, contendo granulado branco. Corpo branco opaco e tampa vermelha opaca.

Glya 150 mg

Cápsula gelatinosa dura, contendo granulado branco. Corpo e tampa branco opaco.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Glya

Medicamento similar equivalente ao medicamento de referência.

Cápsula dura 75 mg e 150 mg

Embalagens contendo 10 e 30 cápsulas duras.

Uso oral.

Uso adulto.

Dizeres Legais do Glya

M.S - 1.0298.0525

Farm. Resp.:
Dr. José Carlos Módolo
CRF-SP Nº 10.446

Registrado por:
Cristália – Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda
Rod. Itapira-Lindóia, km 14
Itapira – SP
CNPJ 44.734.671/0001-51
Indústria Brasileira




SAC
0800 701 19 18

Venda sob prescrição médica. Só pode ser vendido sob retenção de receita.

150mg, caixa com 10 cápsulas duras

Princípio ativo
:
Pregabalina
Classe Terapêutica
:
Antiepilépticos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
C1 Branca 2 vias (Venda Sob Prescrição Médica - Este medicamento pode causar Dependência Física ou Psíquica)
Categoria
:
Sistema Nervoso
Especialidade
:
Psiquiatria e Neurologia

Bula do medicamento

Glya, para o que é indicado e para o que serve?

Glya (pregabalina) cápsulas duras é indicado para adultos para:

  • <li>Tratamento da dor neurop&#xE1;tica (dor devido &#xE0; les&#xE3;o e/ou mau funcionamento dos nervos e/ou do sistema nervoso) em adultos;</li> <li>Como terapia adjunta das crises epil&#xE9;ticas parciais (convuls&#xF5;es), com ou sem generaliza&#xE7;&#xE3;o secund&#xE1;ria em adultos;</li> <li>Tratamento do <a href="https://minutosaudavel.com.br/ansiedade-generalizada/" rel="noopener" target="_blank">Transtorno de </a><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/ansiedade/c" target="_blank">Ansiedade</a> Generalizada em adultos; controle de <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fibromialgia-sintomas-tratamentos-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">fibromialgia</a> (doen&#xE7;a caracterizada por dor cr&#xF4;nica em v&#xE1;rias partes do corpo, <a href="https://minutosaudavel.com.br/cansaco/" rel="noopener" target="_blank">cansa&#xE7;o</a> e altera&#xE7;&#xF5;es do sono) em adultos.</li>

Quais as contraindicações do Glya?

Glya não deve ser utilizado se você tem hipersensibilidade (alergia) conhecida à pregabalina ou a qualquer componente da fórmula.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Este medicamento contém lactose.

Como usar o Glya?

A pregabalina deve ser utilizada por via oral (engolir), com ou sem alimentos.

As doses recomendadas de pregabalina são:

Dor neuropática, Transtorno da Ansiedade Generalizada e Epilepsia
  • <li>150 a 600 mg/dia divididos em 2 doses.</li>
Fibromialgia
  • <li>150 a 450mg/dia divididos em 2 doses.</li>
Em todas as indicações a dose inicial recomendada é:
  • <li>75 mg, via oral, 2 vezes ao dia (150 mg/dia).</li> <li>Entretanto, com base na resposta individual e na tolerabilidade do paciente, a dose poder&#xE1; ser aumentada para 150 mg 2 vezes ao dia ap&#xF3;s um intervalo de 3 a 7 dias e, se necess&#xE1;rio, at&#xE9; uma dose m&#xE1;xima &#x2013; descrita acima por indica&#xE7;&#xE3;o &#x2013; 2 vezes ao dia ap&#xF3;s o mesmo intervalo. A efic&#xE1;cia de pregabalina foi observada j&#xE1; na primeira semana de tratamento. A decis&#xE3;o de aumentar ou diminuir a dose &#xE9; exclusiva do m&#xE9;dico, n&#xE3;o o fa&#xE7;a sem a orienta&#xE7;&#xE3;o dele.</li>

Pacientes com insuficiência ou algum comprometimento da função dos rins podem necessitar de ajustes na dosagem de pregabalina. Também em idosos recomenda-se avaliar a função dos rins para verificar se esses ajustes precisam ser feitos. A adequação da dosagem para estas situações deve ser instruída pelo seu médico (para pacientes com insuficiência renal, a dose inicial deve partir de 25 mg).

Recomenda-se que a descontinuação do tratamento com pregabalina seja feita gradualmente, ao longo de 1 semana. A descontinuação do tratamento deve ser feita sob indicação e supervisão do seu médico.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não pode ser partido, aberto ou mastigado.

Como o Glya funciona?

A pregabalina age regulando a transmissão de mensagens excitatórias entre as células nervosas. O início da ação do medicamento é, geralmente, percebido cerca de uma semana após o início do tratamento.

Quais cuidados devo ter ao usar o Glya?

Informe ao seu médico se você tiver:

  • <li>Problemas heredit&#xE1;rios (herdados da fam&#xED;lia) de intoler&#xE2;ncia a galactose, defici&#xEA;ncia de <a href="https://consultaremedios.com.br/lactase/bula" target="_blank">lactase</a> de Lapp ou m&#xE1;-absor&#xE7;&#xE3;o de alimentos; pois ele precisa avaliar se a pregabalina deve ser usada nessas situa&#xE7;&#xF5;es;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/diabetes/c" target="_blank">Diabetes</a>, pois pode haver necessidade de controlar&amp;nbsp;mais de perto seu peso e a dose das medica&#xE7;&#xF5;es para tratar a doen&#xE7;a;</li> <li>Doen&#xE7;as renais, pois a dose de pregabalina pode precisar de ajustes;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">Insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> congestiva (doen&#xE7;a em que o cora&#xE7;&#xE3;o n&#xE3;o consegue bombear o sangue adequadamente), pois houve casos de piora dos sintomas associado ao uso de pregabalina.</li>

O uso de pregabalina está associada com tontura e sonolência, que pode aumentar a ocorrência de acidentes (como por exemplo, quedas) em idosos. Você deve ter cuidado até que os efeitos potenciais de pregabalina lhe sejam familiares. Pelo mesmo motivo a habilidade de dirigir e operar máquinas pode estar prejudicada. É aconselhável não dirigir, operar máquinas complexas, nem exercer outras atividades potencialmente perigosas até que se saiba se este medicamento afeta a sua capacidade de realizar tais atividades.

Houve relatos no período pós-comercialização de reações de hipersensibilidade, incluindo casos de angioedema. A pregabalina deve ser descontinuada imediatamente se ocorrerem sintomas de angioedema, tais como inchaço na face, ao redor da boca e nas vias aéreas superiores.

Na experiência pós-comercialização, visão borrada transitória e outras alterações na capacidade visual foram reportadas por pacientes tratados com pregabalina. A descontinuação de pregabalina pode resultar na resolução ou melhora desses sintomas visuais.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não há dados suficientes sobre o uso de pregabalina em mulheres grávidas.

O risco potencial aos fetos humanos é desconhecido. Portanto, a pregabalina não deve ser utilizado durante a gravidez, a menos que o benefício à mãe justifique claramente o risco potencial ao feto, uma decisão que deve ser tomada em conjunto com seu médico; portanto se durante o tratamento com a pregabalina você engravidar comunique imediatamente a ele. Se você tem potencial de engravidar, deve utilizar métodos contraceptivos eficazes.

Não é recomendado que mulheres que estejam amamentando usem a pregabalina, pois a medicação é excretada (sai) no leite materno.

No momento da interrupção do uso de pregabalina foram observados em alguns pacientes a ocorrência de insônia, dor de cabeça, enjoos, ansiedade, aumento da sudorese (transpiração), diarreia, síndrome gripal, depressão, dor, convulsão e tontura.&nbsp;As convulsões, incluindo estado epilético e convulsões do tipo grande mal, podem ocorrer durante o uso ou logo após a descontinuação de pregabalina.

Se ocorrerem quaisquer sintomas relacionados ao uso deste medicamento, seu médico deve ser consultado.

Houve relatos de dificuldades respiratórias. Se você tem distúrbios do sistema nervoso (distúrbios no cérebro, medula espinhal, nervos e órgãos sensoriais), distúrbios respiratórios (redução da função do sistema respiratório que pode reduzir a quantidade de oxigênio no sangue e em todo corpo), insuficiência renal (diminuição da função dos rins) ou se você tem mais de 65 anos, o seu médico pode prescrever um regime posológico diferente. Entre em contato com o seu médico se tiver dificuldade em respirar ou respiração superficial.

Ao perceber sinais ou comportamentos suicidas (pensamento ou ideia de se matar) em pacientes usando a pregabalina, busque ajuda médica.

A segurança e eficácia da substância pregabalina não foram estabelecidas em pacientes adolescentes (12 a 17 anos) para as indicações aprovadas (incluindo epilepsia).

Foram relatados casos de encefalopatia, principalmente em pacientes pré-dispostos à encefalopatia.

Este medicamento contém lactose.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Glya?

As reações adversas mais frequentemente notificadas foram tontura e sonolência; em geral, elas foram de intensidade leve a moderada e estão listadas abaixo.

Reação Muito Comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Dor de cabe&#xE7;a*.</li>

Reação Comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Nasofaringite (inflama&#xE7;&#xE3;o da faringe ou garganta), aumento do apetite, euforia, confus&#xE3;o, irritabilidade, depress&#xE3;o, desorienta&#xE7;&#xE3;o, ins&#xF4;nia (dificuldade para <a href="https://minutosaudavel.com.br/dormir/" rel="noopener" target="_blank">dormir</a>), diminui&#xE7;&#xE3;o da libido (diminui&#xE7;&#xE3;o do desejo sexual), ataxia (dificuldade em coordenar os movimentos), coordena&#xE7;&#xE3;o anormal, tremores, <a href="https://minutosaudavel.com.br/disartria/" rel="noopener" target="_blank">disartria</a> (altera&#xE7;&#xE3;o da fala), amn&#xE9;sia (perda de mem&#xF3;ria), dificuldade de mem&#xF3;ria, dist&#xFA;rbios de aten&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/parestesia/" rel="noopener" target="_blank">parestesia</a> (formigamentos), hipoestesia (diminui&#xE7;&#xE3;o da sensibilidade), seda&#xE7;&#xE3;o (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xED;vel de vig&#xED;lia ou alerta), transtorno de equil&#xED;brio, letargia (lentid&#xE3;o), vis&#xE3;o turva, diplopia (vis&#xE3;o dupla), vertigem, v&#xF4;mitos, <a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">constipa&#xE7;&#xE3;o</a> (intestino preso), <a href="https://minutosaudavel.com.br/gases/" rel="noopener" target="_blank">flatul&#xEA;ncia</a> (excesso de gases), distens&#xE3;o abdominal, boca seca, <a href="https://minutosaudavel.com.br/caimbra/" rel="noopener" target="_blank">c&#xE3;ibra</a> muscular, artralgia (dor nas articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://minutosaudavel.com.br/lombalgia/" rel="noopener" target="_blank">dor lombar</a>, dor nos membros, espasmo cervical, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-tipos-cerebral-pulmonar-etc-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">edema</a> perif&#xE9;rico (incha&#xE7;o de extremidades), edema (incha&#xE7;o), marcha (caminhada) anormal, quedas, sensa&#xE7;&#xE3;o de embriaguez, sensa&#xE7;&#xE3;o anormal, cansa&#xE7;o, aumento de peso, n&#xE1;usea* (enjoo), diarreia*.</li>

Reação Incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Neutropenia (diminui&#xE7;&#xE3;o de um tipo de c&#xE9;lulas de defesa no sangue: neutr&#xF3;filos), <a href="https://minutosaudavel.com.br/anorexia/" rel="noopener" target="_blank">anorexia</a> (apetite diminu&#xED;do), <a href="https://minutosaudavel.com.br/hipoglicemia/" rel="noopener" target="_blank">hipoglicemia</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o da <a href="https://consultaremedios.com.br/glicose/bula" target="_blank">glicose</a> no sangue), alucina&#xE7;&#xF5;es, inquieta&#xE7;&#xE3;o, agita&#xE7;&#xE3;o, humor deprimido, humor elevado, mudan&#xE7;as de humor, despersonaliza&#xE7;&#xE3;o (mudan&#xE7;a na forma como a pessoa percebe a si mesma), sonhos anormais, dificuldade de encontrar palavras, aumento da libido (aumento do desejo sexual), anorgasmia (incapacidade de ter orgasmos), <a href="https://minutosaudavel.com.br/desmaio/" rel="noopener" target="_blank">s&#xED;ncope</a> (desmaio), mioclonia (contra&#xE7;&#xE3;o muscular), hiperatividade (agita&#xE7;&#xE3;o) psicomotora, discinesia, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotensao-pressao-baixa-sintomas-na-gravidez-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipotens&#xE3;o</a> postural (diminui&#xE7;&#xE3;o da press&#xE3;o arterial ao levantar), tremor de inten&#xE7;&#xE3;o (tremor que ocorre ao movimento), <a href="https://minutosaudavel.com.br/nistagmo/" rel="noopener" target="_blank">nistagmo</a> (movimento anormal dos olhos), transtornos cognitivos (dificuldade de compreens&#xE3;o), transtornos de fala, hiporreflexia (reflexos enfraquecidos), hiperestesia (aumento da sensibilidade), sensa&#xE7;&#xE3;o de queima&#xE7;&#xE3;o, perda da vis&#xE3;o perif&#xE9;rica, altera&#xE7;&#xE3;o visual, incha&#xE7;o ocular, defici&#xEA;ncia no campo visual, redu&#xE7;&#xE3;o da acuidade visual, dor ocular, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-ocular-sintomas-causas-tratamentos-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">astenopia</a> (cansa&#xE7;o visual), fotopsia (sensa&#xE7;&#xE3;o de ver luzes e cores cintilantes), olhos secos, aumento do lacrimejamento, irrita&#xE7;&#xE3;o ocular, hiperacusia (aumento da audi&#xE7;&#xE3;o), taquicardia (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca), bloqueio atrioventricular de primeiro grau (tipo de <a href="https://minutosaudavel.com.br/arritmia-cardiaca-o-que-e-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">arritmia card&#xED;aca</a>), bradicardia sinusal (diminui&#xE7;&#xE3;o dos batimentos card&#xED;acos), hipotens&#xE3;o arterial (press&#xE3;o baixa), hipertens&#xE3;o arterial (<a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">press&#xE3;o alta</a>), ondas de calor, rubores (vermelhid&#xF5;es), frio nas extremidades, dispneia (falta de ar), epistaxe (sangramento nasal), <a href="https://consultaremedios.com.br/gripes-e-resfriados/tosse/c" target="_blank">tosse</a>, congest&#xE3;o nasal, <a href="https://minutosaudavel.com.br/rinite/" rel="noopener" target="_blank">rinite</a>, ronco, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/refluxo-gastroesofagico/c" target="_blank">refluxo gastroesof&#xE1;gico</a> (retorno do conte&#xFA;do do est&#xF4;mago para o es&#xF4;fago), hipersecre&#xE7;&#xE3;o salivar, hipoestesia oral (diminui&#xE7;&#xE3;o da sensibilidade na boca), erup&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas papulares (pequenas eleva&#xE7;&#xF5;es na pele), <a href="https://minutosaudavel.com.br/urticaria/" rel="noopener" target="_blank">urtic&#xE1;ria</a> (<a href="https://minutosaudavel.com.br/alergia-na-pele/" rel="noopener" target="_blank">alergia na pele</a>), sudorese (transpira&#xE7;&#xE3;o), incha&#xE7;o articular, mialgia (dor muscular), <a href="https://minutosaudavel.com.br/espasmo-muscular/" rel="noopener" target="_blank">espasmo muscular</a> (contra&#xE7;&#xE3;o involunt&#xE1;ria dos m&#xFA;sculos), dor cervical, rigidez muscular, <a href="https://minutosaudavel.com.br/incontinencia-urinaria/" rel="noopener" target="_blank">incontin&#xEA;ncia urin&#xE1;ria</a> (dificuldade em controlar a urina), dis&#xFA;ria (dificuldade e dor para urinar), <a href="https://consultaremedios.com.br/saude-do-homem/disfuncao-eretil/c" target="_blank">disfun&#xE7;&#xE3;o er&#xE9;til</a> (dificuldade para enrijecer o p&#xEA;nis), disfun&#xE7;&#xE3;o sexual, retardo na ejacula&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/dismenorreia/" rel="noopener" target="_blank">dismenorreia</a>, edema (incha&#xE7;o) generalizado, aperto no peito, dor, pirexia (<a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c" target="_blank">febre</a>), sede, calafrio, astenia (fraqueza), aumento das enzimas: alanina aminotransferase, <a href="https://consultaremedios.com.br/fitness/ganho-de-massa/proteinas/creatina/c" target="_blank">creatina</a> fosfoquinase sangu&#xED;nea e aspartato aminotransferase, eleva&#xE7;&#xE3;o da glicose sangu&#xED;nea, diminui&#xE7;&#xE3;o da contagem de plaquetas, diminui&#xE7;&#xE3;o do pot&#xE1;ssio sangu&#xED;neo, diminui&#xE7;&#xE3;o de peso, hipersensibilidade*, perda de consci&#xEA;ncia*, preju&#xED;zo ps&#xED;quico*, incha&#xE7;o da face*, coceira*, mal-estar*, agressividade*.</li>

Reação Rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Crise de p&#xE2;nico, desinibi&#xE7;&#xE3;o, apatia (aus&#xEA;ncia de emo&#xE7;&#xE3;o), estupor, parosmia (dist&#xFA;rbio do olfato), hipocinesia (movimento diminu&#xED;do), ageusia (falta de paladar), disgrafia (dificuldade em escrever), oscilopsia (vis&#xE3;o oscilante), percep&#xE7;&#xE3;o visual de profundidade alterada, midr&#xED;ase (pupila dilatada), <a href="https://minutosaudavel.com.br/estrabismo-vesguice-o-que-e-tipos-cirurgia-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">estrabismo</a>, brilho visual, taquicardia sinusal, arritmia (irregularidade do batimento card&#xED;aco) sinusal, aperto na garganta, secura nasal, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ascite/" rel="noopener" target="_blank">ascite</a> (ac&#xFA;mulo de l&#xED;quido no abdome), <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o no p&#xE2;ncreas), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-disfagia-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">disfagia</a>&amp;nbsp;(dificuldade na degluti&#xE7;&#xE3;o), suor frio, <a href="https://minutosaudavel.com.br/rabdomiolise/" rel="noopener" target="_blank">rabdomi&#xF3;lise</a> (destrui&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas dos m&#xFA;sculos), insufici&#xEA;ncia renal (diminui&#xE7;&#xE3;o das fun&#xE7;&#xF5;es dos rins), olig&#xFA;ria (diminui&#xE7;&#xE3;o do volume de urina), dor mam&#xE1;ria (dor na mama), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-amenorreia-primaria-e-secundaria-sintomas-e-causas/" rel="noopener" target="_blank">amenorreia</a> (aus&#xEA;ncia de menstrua&#xE7;&#xE3;o), secre&#xE7;&#xE3;o mam&#xE1;ria, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ginecomastia/" rel="noopener" target="_blank">ginecomastia</a> (aumento da mama, geralmente sexo masculino), diminui&#xE7;&#xE3;o de leuc&#xF3;citos (gl&#xF3;bulos brancos), eleva&#xE7;&#xE3;o da creatinina sangu&#xED;nea, angioedema* (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica que cursa com incha&#xE7;o), rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica*, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ceratite-o-que-e-sintomas-tratamento-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">ceratite</a>* (inflama&#xE7;&#xE3;o na c&#xF3;rnea), insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca congestiva* (altera&#xE7;&#xE3;o na capacidade do cora&#xE7;&#xE3;o em bombear o sangue), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-pulmonar-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">edema pulmonar</a>* (reten&#xE7;&#xE3;o de l&#xED;quidos no pulm&#xE3;o), edema (incha&#xE7;o) de l&#xED;ngua*, reten&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria* (dificuldade em urinar), ginecomastia* (aumento da mama), idea&#xE7;&#xE3;o suicida* (pensamento ou ideia de se matar).</li>

Reação Desconhecida

  • <li>Depress&#xE3;o respirat&#xF3;ria.</li>

*Reações relatadas no período pós-comercialização.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Glya?

Caso você esqueça-se de tomar a pregabalina no horário estabelecido pelo seu médico, tome-o assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de tomar a próxima dose, pule a dose esquecida e tome a próxima, continuando normalmente o esquema de doses recomendado pelo seu médico. Neste caso, não tome o medicamento 2 vezes para compensar doses esquecidas. Se você&nbsp;esquecer uma dose você pode comprometer o resultado do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Glya?

Cada cápsula dura de 75 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Pregabalina</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">75 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Excipientes q.s.p</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">1 c&#xE1;psula dura</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido de milho e talco.

Cada cápsula dura de 150 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Pregabalina</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">150 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Excipientes q.s.p</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">1 c&#xE1;psula dura</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido de milho e talco.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Glya maior do que a recomendada?

Os eventos adversos mais comuns quando houve uma superdose de pregabalina incluem distúrbio afetivo, sonolência, confusão, depressão, agitação e inquietação. Convulsões também foram relatadas.

O tratamento da superdose com a pregabalina deve incluir medidas gerais de suporte, podendo ser necessária hemodiálise (filtração do sangue usando máquinas). No caso de superdose, procure um médico imediatamente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Glya com outros remédios?

Sempre avise ao seu médico todas as medicações que você toma quando ele for prescrever uma medicação nova.

O médico precisa avaliar se as medicações reagem entre si alterando a sua ação, ou da outra; isso se chama interação medicamentosa. A pregabalina pode potencializar o efeito da oxicodona (analgésico), bebidas alcoólicas e de lorazepam (tranquilizante). Quando usado com analgésicos opioides a pregabalina pode reduzir o funcionamento intestinal (por ex, obstrução intestinal, constipação – intestino preso ou prisão de ventre).

Em experiência pós-comercialização, houve relatos de insuficiência respiratória e coma em pacientes sob tratamento de pregabalina e outros medicamentos depressores do Sistema Nervoso Central, inclusive em pacientes que abusam da substância.

Aconselha-se precaução quando se prescreve pregabalina concomitantemente com opiáceos devido ao risco de depressão do SNC.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Glya (Pregabalina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Dor neurop&#xE1;tica</h3> <p>A efic&#xE1;cia da Pregabalina foi demonstrada em estudos em neuropatia diab&#xE9;tica e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-nevralgia-neuralgia-sintomas-tratamento-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">neuralgia</a> p&#xF3;s-herp&#xE9;tica. A efic&#xE1;cia n&#xE3;o foi estudada em outros modelos de dor neurop&#xE1;tica.</p> <p>A Pregabalina foi avaliada em 9 estudos cl&#xED;nicos controlados por at&#xE9; 13 semanas com esquema posol&#xF3;gico de 2 tomadas di&#xE1;rias e, ap&#xF3;s 8 semanas, com esquema posol&#xF3;gico de 3 vezes ao dia. No geral, o perfil de seguran&#xE7;a e efic&#xE1;cia para esquemas posol&#xF3;gicos de 2 e 3 vezes ao dia foi similar.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos de at&#xE9; 13 semanas, a redu&#xE7;&#xE3;o da dor foi observada na Semana 1 e mantida durante o per&#xED;odo de tratamento.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos controlados, 35% dos pacientes tratados com Pregabalina e 18% dos pacientes recebendo placebo apresentaram uma melhora de 50% no escore da dor. Para pacientes que n&#xE3;o apresentaram sonol&#xEA;ncia, tal melhora foi observada em 33% dos pacientes tratados com Pregabalina e 18% dos pacientes tratados com placebo.</p> <p>Para os pacientes que apresentaram sonol&#xEA;ncia as taxas de resposta foram 48% para Pregabalina e 16% para placebo.</p> <h3>Epilepsia</h3> <p>A Pregabalina foi avaliada em 3 estudos cl&#xED;nicos controlados de 12 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o, com esquema posol&#xF3;gico de 2 ou 3 vezes ao dia. As taxas de resposta (redu&#xE7;&#xE3;o de 50% na frequ&#xEA;ncia de crises parciais) variaram de 13% (50 mg/dia) a 54% (600 mg/dia) para Pregabalina e de 9% a 14% para placebo. No geral, o perfil de seguran&#xE7;a e&amp;nbsp;efic&#xE1;cia para ambos os esquemas foram similares. Uma redu&#xE7;&#xE3;o significativa na frequ&#xEA;ncia das crises foi observada na Semana 1.</p> <h3>Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)</h3> <p>A Pregabalina foi avaliada em 6 estudos controlados de 4-6 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o, um estudo em idosos com 8 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o e um estudo de preven&#xE7;&#xE3;o da recidiva a longo prazo, com fase de preven&#xE7;&#xE3;o da recidiva duplocego de 6 meses de dura&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>A redu&#xE7;&#xE3;o dos sintomas do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) avaliados pela Escala de Avalia&#xE7;&#xE3;o da Ansiedade de Hamilton (HAM-A) foi observada na primeira semana.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos controlados (4-8 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o), 52% dos pacientes tratados com Pregabalina e 38% dos pacientes tratados com placebo apresentaram no m&#xED;nimo 50% de melhora ao final do tratamento em rela&#xE7;&#xE3;o &#xE0; linha de base (pr&#xE9;-tratamento).</p> <h3>Fibromialgia</h3> <p>A monoterapia com Pregabalina foi estudada em 5 estudos controlados com placebo, tr&#xEA;s de 12 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o de dose fixa, uma de 7 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o de dose fixa e um estudo de 6 meses demonstrando a efic&#xE1;cia a longo prazo. O tratamento com Pregabalina em todos os estudos de dose fixas produziu redu&#xE7;&#xE3;o significativa na dor associada a fibromialgia em doses de 300 a 600 mg/dia (duas vezes ao dia).</p> <p>Nos tr&#xEA;s estudos de dose fixa de 12 semanas, 40% dos pacientes tratados com Pregabalina experimentaram 30% ou mais do alivio da escala da dor comparado a 28% dos pacientes tratados com placebo; 23% dos pacientes tratados experimentaram melhora 50% ou mais na escala da dor comparado com 15% dos pacientes tratados com placebo.</p> <p>A Pregabalina produziu taxas significativamente superiores de avalia&#xE7;&#xE3;o global, atrav&#xE9;s da escala de Impress&#xE3;o de Mudan&#xE7;a Global do Paciente (PGIC) nos tr&#xEA;s estudos de dose fixa 12 semanas, comparado com pacientes tratados com placebo (41% dos pacientes sentiram muito melhor ou melhor com Pregabalina contra 29% com placebo).</p> <p>Conforme medido atrav&#xE9;s do Question&#xE1;rio de Impacto da Fibromialgia (FIQ), a Pregabalina resultou em melhora estatisticamente significativa na fun&#xE7;&#xE3;o comparado com pacientes tratados com placebo em 2 dos 3 estudos de dose fixa nos quais foram avaliados. O tratamento com Pregabalina produziu melhora significantes em relatos de resultado de sono de pacientes nos 4 estudos de dose fixa conforme medido pelo <em>Medical Outcomes Study Sleep Scale </em>(MOS-SS) sub-escala de perturba&#xE7;&#xE3;o do sono, MOSSS o &#xED;ndice de problemas global com sono, e a qualidade do sono di&#xE1;rio.</p> <p>No estudo de 6 meses, a melhora da dor, a percep&#xE7;&#xE3;o de mudan&#xE7;a global (PGIC), fun&#xE7;&#xE3;o (FIQ escala total) e sono (MOS-SS subescala do dist&#xFA;rbio do sono) foram mantidos para os pacientes tratados com Pregabalina por per&#xED;odo significativamente mais longo comparado com pacientes tratados com placebo. A Pregabalina 600 mg/dia mostrou uma melhora adicional em pacientes que relataram problemas no sono em compara&#xE7;&#xE3;o com 300 e 450 mg/dia; efeitos m&#xE9;dios sobre a dor, avalia&#xE7;&#xE3;o global e FIQ foram similares em 450 e 600 mg/dia, embora a dose de 600 mg tenha sido bem menos tolerada.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1 -&amp;nbsp;BEYDOUN, A.; UTHMAN, B.M.; KUGLER, A.R.; GREINER M.J.; KNAPP, L.E.; GAROFALO, E.A.; and the Pregabalin 1008&#x2013;009 Study Group. Safety and efficacy of two pregabalin regimens for add-on treatment of partial epilepsy. Neurology, v. 64 (3), p.475-480, 2005.<br> 2 -&amp;nbsp;ARROYO, S., ANHUT, H., KUGLER, A.R., LEE, C.M., KNAPP, L.E., GAROFALO, E.A., MESSMER, S., and the Pregabalin 1008-011 International Study Group. Pregabalin Add-on Treatment: A Randomized, Double-blind, Placebo-controlled, Dose&#x2013;Response Study in Adults with Partial Seizures. Epilepsia, v. 45 (1): p. 20&#x2013;27, 2004. FRENCH, J.A.; KUGLER, A.R.; ROBBINS, J.L.; KNAPP, L.E.; and GAROFALO, E.A. Doseresponse trial of pregabalin adjunctive therapy in patients with partial seizures. Neurology; v. 60 (10): p. 1631-7, 2003.<br> 3 -&amp;nbsp;SABATOWSKI R, G&#xC1;LVEZ R, CHERRY DA, JACQUOT F, VINCENT E, MAISONOBE P, VERSAVEL M. Pregabalin reduces pain and improves sleep and mood disturbances in patients with post-herpetic neuralgia: results of a randomised, placebo-controlled clinical trial. Pain.; v 109(1-2): p 26-35, 2004.<br> 4 -&amp;nbsp;PANDE, A.C., CROCKATT, J.G., FELTNER, D.E., et al. Pregabalin in generalized anxiety disorder: a placebocontrolled trial. Am J Psychiatry; v 160: p. 533-540, 2003.<br> 5 -&amp;nbsp;PANDE AC, CROCKATT JG, FELTNER.DE, et al. Three randomised, placebo-controlled, doubleblind trials of pregabalin treatment of generalized anxiety disorder (GAD). Eur Neuropsychopharmacol; 10(Suppl 3): S344 (Abstr P.3.025), 2000.<br> 6 -&amp;nbsp;FELTNER, D.E., CROCKATT, J.G., DUBOVSKY, S.J., et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled, fixed-dose, multicenter study of pregabalin in patients with generalized anxiety disorder. J Clin Psychopharmacol; v. 23: p. 240-249, 2003.<br> 7 -&amp;nbsp;RICKELS, K., POLLACK, M.H., FELTNER, D.E., et al. Pregabalin for treatment of generalized anxiety disorder: a 4- week, multicenter, double-blind, placebo-controlled trial of pregabalin and <a href=\"https://consultaremedios.com.br/alprazolam/bula\" target=\"_blank\">alprazolam</a>. Arch Gen Psychiatry; v. 62: p. 1022- 1030, 2005.<br> 8 -&amp;nbsp;POHL RB, FELTNER DE, FIEVE RR, et al. Efficacy of pregabalin in the treatment of generalized anxiety disorder: double-blind, placebo-controlled comparison of BID versus TID dosing. J Clin Psychopharmacol; v. 25: p. 151-158, 2005.<br> 9 -&amp;nbsp;MONTGOMERY, S.A., TOBIAS, K., ZORNBERG, G.L., et al. Efficacy and safety of pregabalin in the treatment of generalized anxiety disorder: a 6-week, multicenter, randomized, double-blind, placebo-controlled comparison of pregabalin and venlafaxine. J Clin Psychiatry; v. 67: p. 771-782, 2006.<br> 10 -&amp;nbsp;MONTGOMERY S, CHATAMRA K, PAUER L, et al. Efficacy and safety of pregabalin in elderly people with generalised anxiety disorder. Bri J Psych; v. 193 (5): p. 389-394, 2008.<br> 11 -&amp;nbsp;CROFFORD LJ. Pain management in Fibromyalgia. Curr Opin Rheumatol. 20(3): p.246-50, 2008. HEYMANN RE, PAIVA ES, HELFENSTEIN M et al. Consenso brasileiro do tratamento da Fibromialgia. Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66.<br> 12 -&amp;nbsp;CROFFORD, L.J.; MEASE, P.J.; SIMPSON, S.L.; YOUNG, J.P. J.R.; MARTIN, S.A.; HAIG, G.M.; SHARMA, U. Fibromyalgia relapse evaluation and efficacy for durability of meaningful relief (FREEDOM): a 6-month, double-blind, placebo-controlled trial with pregabalin. Pain 2008; 136:419-431.<br> 13 -&amp;nbsp;MEASE PJ, RUSSELL IJ, ARNOLD LM, et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled, phase III trial of pregabalin in the treatment of patients with fibromyalgia. J Rheumatol 2008; 35:502-14.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>O ingrediente ativo, Pregabalina (&#xE1;cido (S)-3-(aminometil)-5-metil-hexan&#xF3;ico), &#xE9; um an&#xE1;logo do &#xE1;cido gamaaminobut&#xED;rico (GABA).</p> <h4>Mecanismo de a&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Estudos <em>in vitro </em>mostram que a Pregabalina liga-se a uma subunidade proteica auxiliar (&#x3B1;2-&#x3B4;) dos canais de c&#xE1;lcio voltagem-dependentes no <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/c\" target=\"_blank\">sistema nervoso central</a>.</p> <p>Evid&#xEA;ncias de modelos experimentais em animais, com indu&#xE7;&#xE3;o de les&#xE3;o nervosa, demonstram que a Pregabalina reduz a libera&#xE7;&#xE3;o na medula espinhal de neurotransmissores pr&#xF3;-nociceptivos dependentes de c&#xE1;lcio, possivelmente, pela interrup&#xE7;&#xE3;o do transporte de c&#xE1;lcio e/ou atrav&#xE9;s da redu&#xE7;&#xE3;o da corrente de c&#xE1;lcio para o interior da c&#xE9;lula. Evid&#xEA;ncias de outros modelos de les&#xE3;o nervosa em animais sugerem que a atividade antinociceptiva tamb&#xE9;m pode ser mediada pela intera&#xE7;&#xE3;o com vias descendentes noradren&#xE9;rgicas e serotonin&#xE9;rgicas.</p> <h3>Propriedades farmacocin&#xE9;ticas</h3> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina no estado de equil&#xED;brio &#xE9; semelhante em volunt&#xE1;rios sadios, pacientes com epilepsia recebendo antiepil&#xE9;pticos e em pacientes com dor cr&#xF4;nica.</p> <h4>Absor&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>A Pregabalina &#xE9; rapidamente absorvida quando administrada em jejum, com o pico das concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas ocorrendo dentro de 1 hora ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o tanto de doses &#xFA;nicas como m&#xFA;ltiplas. A biodisponibilidade oral da Pregabalina foi estimada em 90% ou mais, sendo independente da dose. Ap&#xF3;s repetidas administra&#xE7;&#xF5;es, o estado de equil&#xED;brio &#xE9; alcan&#xE7;ado dentro de 24 a 48 horas. O &#xED;ndice de absor&#xE7;&#xE3;o da Pregabalina &#xE9; reduzido quando administrado com alimentos, resultando numa diminui&#xE7;&#xE3;o da C<sub>m&#xE1;x</sub> de aproximadamente 25-30% e retardo do T<sub>m&#xE1;x</sub> em aproximadamente 2,5 horas. Entretanto, a administra&#xE7;&#xE3;o de Pregabalina com alimentos n&#xE3;o apresenta efeito clinicamente significativo sobre o grau de absor&#xE7;&#xE3;o deste medicamento.</p> <h4>Distribui&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Em estudos pr&#xE9;-cl&#xED;nicos, observou-se que a Pregabalina atravessa a barreira hematoencef&#xE1;lica em camundongos, ratos e macacos. O f&#xE1;rmaco demonstrou atravessar a placenta em ratas e est&#xE1; presente no leite de ratas lactantes.</p> <p>Em humanos, o volume aparente de distribui&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o oral &#xE9; de aproximadamente 0,56 L/kg. A Pregabalina n&#xE3;o se liga a prote&#xED;nas plasm&#xE1;ticas.</p> <h4>Metabolismo</h4> <p>A Pregabalina sofre metabolismo desprez&#xED;vel em humanos. Ap&#xF3;s uma dose radiomarcada, aproximadamente 98% da radioatividade recuperada na urina foram da Pregabalina inalterada. O derivado N-metilado da Pregabalina, o principal metab&#xF3;lito encontrado na urina, foi respons&#xE1;vel por 0,9% da dose. Em estudos pr&#xE9;-cl&#xED;nicos, n&#xE3;o houve indica&#xE7;&#xF5;es de racemiza&#xE7;&#xE3;o do enanti&#xF4;mero S em enanti&#xF4;mero R da Pregabalina.</p> <h4>Elimina&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>A Pregabalina &#xE9; eliminada da circula&#xE7;&#xE3;o sist&#xEA;mica principalmente por excre&#xE7;&#xE3;o renal como f&#xE1;rmaco inalterado.</p> <p>A meia-vida de elimina&#xE7;&#xE3;o da Pregabalina &#xE9; de 6,3 horas. O <em>clearance </em>plasm&#xE1;tico e o <em>clearance </em>renal s&#xE3;o diretamente proporcionais ao <em>clearance </em>de creatinina.</p> <p>&#xC9; necess&#xE1;rio o ajuste de dose em pacientes com fun&#xE7;&#xE3;o renal reduzida ou em pacientes submetidos &#xE0; hemodi&#xE1;lise.</p> <h4>Linearidade / N&#xE3;o-linearidade</h4> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina &#xE9; linear na faixa de doses di&#xE1;rias recomendadas. A variabilidade entre indiv&#xED;duos &#xE9; baixa (&lt;20%). A farmacocin&#xE9;tica das doses m&#xFA;ltiplas &#xE9; previs&#xED;vel a partir dos dados para dose &#xFA;nica. Portanto, n&#xE3;o h&#xE1; necessidade de monitora&#xE7;&#xE3;o de rotina das concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h4>Farmacocin&#xE9;tica em grupos especiais de pacientes</h4> <h5>Sexo</h5> <p>Estudos cl&#xED;nicos indicam que o sexo n&#xE3;o tem influ&#xEA;ncia clinicamente significativa sobre as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia renal</h5> <p>O <em>clearance </em>da Pregabalina &#xE9; diretamente proporcional ao <em>clearance </em>de creatinina. Al&#xE9;m disso, a Pregabalina &#xE9; removida do plasma por hemodi&#xE1;lise de modo eficaz (ap&#xF3;s 4 horas de hemodi&#xE1;lise, as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas de Pregabalina ficam reduzidas em aproximadamente 50%). Como a elimina&#xE7;&#xE3;o renal &#xE9; a principal via de excre&#xE7;&#xE3;o, &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose em pacientes com insufici&#xEA;ncia renal e suplementa&#xE7;&#xE3;o da dose ap&#xF3;s hemodi&#xE1;lise.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h5> <p>Nenhum estudo farmacocin&#xE9;tico espec&#xED;fico foi conduzido em pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica. Como a Pregabalina n&#xE3;o sofre metabolismo significativo, sendo excretada predominantemente como f&#xE1;rmaco inalterado na urina, a insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica n&#xE3;o deve alterar significativamente as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h5>Idosos (mais de 65 anos de idade)</h5> <p>O <em>clearance </em>da Pregabalina tende a diminuir com o avan&#xE7;o da idade. Esta diminui&#xE7;&#xE3;o no <em>clearance </em>da Pregabalina oral est&#xE1; relacionada com as redu&#xE7;&#xF5;es no <em>clearance</em> de creatinina associadas &#xE0; maior idade. Pode ser necess&#xE1;ria redu&#xE7;&#xE3;o na dose em pacientes com fun&#xE7;&#xE3;o renal comprometida devido &#xE0; idade.</p> <h5>Lactantes</h5> <p>A farmacocin&#xE9;tica de 150 mg de Pregabalina administrados a cada 12 horas (dose di&#xE1;ria de 300 mg) foi avaliada em 10 mulheres lactantes que estavam a pelo menos 12 semanas <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/periodo-pos-parto-puerperio/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">p&#xF3;s-parto</a>. A lacta&#xE7;&#xE3;o apresentou pouca ou nenhuma influ&#xEA;ncia na farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina. A Pregabalina foi excretada no leite materno com concentra&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia no estado de equil&#xED;brio de aproximadamente 76% da concentra&#xE7;&#xE3;o no plasma materno. A dose m&#xE9;dia di&#xE1;ria estimada de Pregabalina recebida pela crian&#xE7;a pelo leite materno (assumindo um consumo m&#xE9;dio de leite de 150 mL/kg/dia) foi 0,31 mg/kg/dia, a qual, em termos de mg/kg seria, aproximadamente, 7% da dose recebida pela m&#xE3;e.</p> <h3>Dados de seguran&#xE7;a pr&#xE9;-cl&#xED;nicos</h3> <p>Em estudos convencionais de seguran&#xE7;a farmacol&#xF3;gica em animais, a Pregabalina foi bem tolerada nas doses clinicamente relevantes. Em estudos de toxicidade das doses repetidas em ratos e macacos foram observados efeitos no SNC, incluindo hipoatividade, hiperatividade e ataxia. Foi comumente observado um aumento da incid&#xEA;ncia de atrofia retiniana em ratos albinos com idade avan&#xE7;ada, ap&#xF3;s exposi&#xE7;&#xF5;es prolongadas &#xE0; Pregabalina em doses &#x2265; 5 vezes a m&#xE9;dia de exposi&#xE7;&#xE3;o humana na dose cl&#xED;nica m&#xE1;xima recomendada.</p> <h4>Teratogenicidade</h4> <p>A Pregabalina n&#xE3;o foi teratog&#xEA;nica em camundongos, ratos ou coelhos. A toxicidade fetal em ratos e coelhos ocorreu somente com exposi&#xE7;&#xF5;es suficientemente acima da exposi&#xE7;&#xE3;o humana. Em estudos de toxicidade pr&#xE9;- e p&#xF3;s-natal, a Pregabalina induziu toxicidade no desenvolvimento da cria em ratos, com exposi&#xE7;&#xF5;es 2 vezes maiores que a exposi&#xE7;&#xE3;o m&#xE1;xima recomendada para humanos.</p> <h4>Mutagenicidade</h4> <p>A Pregabalina n&#xE3;o &#xE9; genot&#xF3;xica, com base nos resultados de uma bateria de testes <em>in vitro </em>e<em> in vivo</em>.</p> <h4>Carcinogenicidade</h4> <p>Estudos de carcinogenicidade de 2 anos com Pregabalina foram realizados com ratos e camundongos. Nenhum tumor foi observado em ratos expostos a at&#xE9; 24 vezes o valor m&#xE9;dio da exposi&#xE7;&#xE3;o humana na dose cl&#xED;nica m&#xE1;xima recomendada de 600 mg/dia. Em camundongos, n&#xE3;o houve aumento da incid&#xEA;ncia de tumores com exposi&#xE7;&#xF5;es semelhantes &#xE0; m&#xE9;dia da exposi&#xE7;&#xE3;o humana, mas observou-se um aumento da incid&#xEA;ncia de hemangiossarcoma com altas exposi&#xE7;&#xF5;es. O mecanismo n&#xE3;o-genot&#xF3;xico da Pregabalina, de indu&#xE7;&#xE3;o de forma&#xE7;&#xE3;o de tumores em camundongos, envolve altera&#xE7;&#xF5;es plaquet&#xE1;rias associadas &#xE0; prolifera&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas endoteliais. Estas altera&#xE7;&#xF5;es plaquet&#xE1;rias n&#xE3;o estavam presentes em ratos ou humanos com base em dados cl&#xED;nicos de curto prazo ou longo prazo limitado. N&#xE3;o h&#xE1; evid&#xEA;ncias sugerindo risco a humanos.</p> <p>Em ratos jovens a toxicidade n&#xE3;o diferiu qualitativamente da observada em ratos adultos.</p> <p>Entretanto, os ratos jovens foram mais sens&#xED;veis. Em exposi&#xE7;&#xF5;es terap&#xEA;uticas, houve evid&#xEA;ncia de sinais cl&#xED;nicos de hiperatividade do SNC e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/bruxismo/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">bruxismo</a> e algumas altera&#xE7;&#xF5;es no crescimento (supress&#xE3;o transit&#xF3;ria do ganho de peso corporal). Foi observado efeito sobre o ciclo estral com 5 vezes a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana. Efeitos neuro comportamentais/cognitivos foram observados em ratos jovens 1-2 semanas ap&#xF3;s uma exposi&#xE7;&#xE3;o 2 vezes maior (resposta ac&#xFA;stica de sobressalto) ou 5 vezes maior (aprendizado/mem&#xF3;ria) que a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana.</p> <p>Resposta ac&#xFA;stica de sobressalto reduzida foi observada em ratos jovens, 1-2 semanas ap&#xF3;s uma exposi&#xE7;&#xE3;o 2 vezes maior que a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana. Nove semanas ap&#xF3;s a exposi&#xE7;&#xE3;o, este efeito n&#xE3;o foi mais observado.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Glya?

Glya deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegido da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do produto

Glya 75 mg

Cápsula gelatinosa dura, contendo granulado branco. Corpo branco opaco e tampa vermelha opaca.

Glya 150 mg

Cápsula gelatinosa dura, contendo granulado branco. Corpo e tampa branco opaco.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Glya

Medicamento similar equivalente ao medicamento de referência.

Cápsula dura 75 mg e 150 mg

Embalagens contendo 10 e 30 cápsulas duras.

Uso oral.

Uso adulto.

Dizeres Legais do Glya

M.S - 1.0298.0525

Farm. Resp.:
Dr. José Carlos Módolo
CRF-SP Nº 10.446

Registrado por:
Cristália – Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda
Rod. Itapira-Lindóia, km 14
Itapira – SP
CNPJ 44.734.671/0001-51
Indústria Brasileira




SAC
0800 701 19 18

Venda sob prescrição médica. Só pode ser vendido sob retenção de receita.

150mg, caixa com 30 cápsulas duras

Princípio ativo
:
Pregabalina
Classe Terapêutica
:
Antiepilépticos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
C1 Branca 2 vias (Venda Sob Prescrição Médica - Este medicamento pode causar Dependência Física ou Psíquica)
Categoria
:
Sistema Nervoso
Especialidade
:
Psiquiatria e Neurologia

Bula do medicamento

Glya, para o que é indicado e para o que serve?

Glya (pregabalina) cápsulas duras é indicado para adultos para:

  • <li>Tratamento da dor neurop&#xE1;tica (dor devido &#xE0; les&#xE3;o e/ou mau funcionamento dos nervos e/ou do sistema nervoso) em adultos;</li> <li>Como terapia adjunta das crises epil&#xE9;ticas parciais (convuls&#xF5;es), com ou sem generaliza&#xE7;&#xE3;o secund&#xE1;ria em adultos;</li> <li>Tratamento do <a href="https://minutosaudavel.com.br/ansiedade-generalizada/" rel="noopener" target="_blank">Transtorno de </a><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/ansiedade/c" target="_blank">Ansiedade</a> Generalizada em adultos; controle de <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fibromialgia-sintomas-tratamentos-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">fibromialgia</a> (doen&#xE7;a caracterizada por dor cr&#xF4;nica em v&#xE1;rias partes do corpo, <a href="https://minutosaudavel.com.br/cansaco/" rel="noopener" target="_blank">cansa&#xE7;o</a> e altera&#xE7;&#xF5;es do sono) em adultos.</li>

Quais as contraindicações do Glya?

Glya não deve ser utilizado se você tem hipersensibilidade (alergia) conhecida à pregabalina ou a qualquer componente da fórmula.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Este medicamento contém lactose.

Como usar o Glya?

A pregabalina deve ser utilizada por via oral (engolir), com ou sem alimentos.

As doses recomendadas de pregabalina são:

Dor neuropática, Transtorno da Ansiedade Generalizada e Epilepsia
  • <li>150 a 600 mg/dia divididos em 2 doses.</li>
Fibromialgia
  • <li>150 a 450mg/dia divididos em 2 doses.</li>
Em todas as indicações a dose inicial recomendada é:
  • <li>75 mg, via oral, 2 vezes ao dia (150 mg/dia).</li> <li>Entretanto, com base na resposta individual e na tolerabilidade do paciente, a dose poder&#xE1; ser aumentada para 150 mg 2 vezes ao dia ap&#xF3;s um intervalo de 3 a 7 dias e, se necess&#xE1;rio, at&#xE9; uma dose m&#xE1;xima &#x2013; descrita acima por indica&#xE7;&#xE3;o &#x2013; 2 vezes ao dia ap&#xF3;s o mesmo intervalo. A efic&#xE1;cia de pregabalina foi observada j&#xE1; na primeira semana de tratamento. A decis&#xE3;o de aumentar ou diminuir a dose &#xE9; exclusiva do m&#xE9;dico, n&#xE3;o o fa&#xE7;a sem a orienta&#xE7;&#xE3;o dele.</li>

Pacientes com insuficiência ou algum comprometimento da função dos rins podem necessitar de ajustes na dosagem de pregabalina. Também em idosos recomenda-se avaliar a função dos rins para verificar se esses ajustes precisam ser feitos. A adequação da dosagem para estas situações deve ser instruída pelo seu médico (para pacientes com insuficiência renal, a dose inicial deve partir de 25 mg).

Recomenda-se que a descontinuação do tratamento com pregabalina seja feita gradualmente, ao longo de 1 semana. A descontinuação do tratamento deve ser feita sob indicação e supervisão do seu médico.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não pode ser partido, aberto ou mastigado.

Como o Glya funciona?

A pregabalina age regulando a transmissão de mensagens excitatórias entre as células nervosas. O início da ação do medicamento é, geralmente, percebido cerca de uma semana após o início do tratamento.

Quais cuidados devo ter ao usar o Glya?

Informe ao seu médico se você tiver:

  • <li>Problemas heredit&#xE1;rios (herdados da fam&#xED;lia) de intoler&#xE2;ncia a galactose, defici&#xEA;ncia de <a href="https://consultaremedios.com.br/lactase/bula" target="_blank">lactase</a> de Lapp ou m&#xE1;-absor&#xE7;&#xE3;o de alimentos; pois ele precisa avaliar se a pregabalina deve ser usada nessas situa&#xE7;&#xF5;es;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/diabetes/c" target="_blank">Diabetes</a>, pois pode haver necessidade de controlar&amp;nbsp;mais de perto seu peso e a dose das medica&#xE7;&#xF5;es para tratar a doen&#xE7;a;</li> <li>Doen&#xE7;as renais, pois a dose de pregabalina pode precisar de ajustes;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">Insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> congestiva (doen&#xE7;a em que o cora&#xE7;&#xE3;o n&#xE3;o consegue bombear o sangue adequadamente), pois houve casos de piora dos sintomas associado ao uso de pregabalina.</li>

O uso de pregabalina está associada com tontura e sonolência, que pode aumentar a ocorrência de acidentes (como por exemplo, quedas) em idosos. Você deve ter cuidado até que os efeitos potenciais de pregabalina lhe sejam familiares. Pelo mesmo motivo a habilidade de dirigir e operar máquinas pode estar prejudicada. É aconselhável não dirigir, operar máquinas complexas, nem exercer outras atividades potencialmente perigosas até que se saiba se este medicamento afeta a sua capacidade de realizar tais atividades.

Houve relatos no período pós-comercialização de reações de hipersensibilidade, incluindo casos de angioedema. A pregabalina deve ser descontinuada imediatamente se ocorrerem sintomas de angioedema, tais como inchaço na face, ao redor da boca e nas vias aéreas superiores.

Na experiência pós-comercialização, visão borrada transitória e outras alterações na capacidade visual foram reportadas por pacientes tratados com pregabalina. A descontinuação de pregabalina pode resultar na resolução ou melhora desses sintomas visuais.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não há dados suficientes sobre o uso de pregabalina em mulheres grávidas.

O risco potencial aos fetos humanos é desconhecido. Portanto, a pregabalina não deve ser utilizado durante a gravidez, a menos que o benefício à mãe justifique claramente o risco potencial ao feto, uma decisão que deve ser tomada em conjunto com seu médico; portanto se durante o tratamento com a pregabalina você engravidar comunique imediatamente a ele. Se você tem potencial de engravidar, deve utilizar métodos contraceptivos eficazes.

Não é recomendado que mulheres que estejam amamentando usem a pregabalina, pois a medicação é excretada (sai) no leite materno.

No momento da interrupção do uso de pregabalina foram observados em alguns pacientes a ocorrência de insônia, dor de cabeça, enjoos, ansiedade, aumento da sudorese (transpiração), diarreia, síndrome gripal, depressão, dor, convulsão e tontura.&nbsp;As convulsões, incluindo estado epilético e convulsões do tipo grande mal, podem ocorrer durante o uso ou logo após a descontinuação de pregabalina.

Se ocorrerem quaisquer sintomas relacionados ao uso deste medicamento, seu médico deve ser consultado.

Houve relatos de dificuldades respiratórias. Se você tem distúrbios do sistema nervoso (distúrbios no cérebro, medula espinhal, nervos e órgãos sensoriais), distúrbios respiratórios (redução da função do sistema respiratório que pode reduzir a quantidade de oxigênio no sangue e em todo corpo), insuficiência renal (diminuição da função dos rins) ou se você tem mais de 65 anos, o seu médico pode prescrever um regime posológico diferente. Entre em contato com o seu médico se tiver dificuldade em respirar ou respiração superficial.

Ao perceber sinais ou comportamentos suicidas (pensamento ou ideia de se matar) em pacientes usando a pregabalina, busque ajuda médica.

A segurança e eficácia da substância pregabalina não foram estabelecidas em pacientes adolescentes (12 a 17 anos) para as indicações aprovadas (incluindo epilepsia).

Foram relatados casos de encefalopatia, principalmente em pacientes pré-dispostos à encefalopatia.

Este medicamento contém lactose.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Glya?

As reações adversas mais frequentemente notificadas foram tontura e sonolência; em geral, elas foram de intensidade leve a moderada e estão listadas abaixo.

Reação Muito Comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Dor de cabe&#xE7;a*.</li>

Reação Comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Nasofaringite (inflama&#xE7;&#xE3;o da faringe ou garganta), aumento do apetite, euforia, confus&#xE3;o, irritabilidade, depress&#xE3;o, desorienta&#xE7;&#xE3;o, ins&#xF4;nia (dificuldade para <a href="https://minutosaudavel.com.br/dormir/" rel="noopener" target="_blank">dormir</a>), diminui&#xE7;&#xE3;o da libido (diminui&#xE7;&#xE3;o do desejo sexual), ataxia (dificuldade em coordenar os movimentos), coordena&#xE7;&#xE3;o anormal, tremores, <a href="https://minutosaudavel.com.br/disartria/" rel="noopener" target="_blank">disartria</a> (altera&#xE7;&#xE3;o da fala), amn&#xE9;sia (perda de mem&#xF3;ria), dificuldade de mem&#xF3;ria, dist&#xFA;rbios de aten&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/parestesia/" rel="noopener" target="_blank">parestesia</a> (formigamentos), hipoestesia (diminui&#xE7;&#xE3;o da sensibilidade), seda&#xE7;&#xE3;o (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xED;vel de vig&#xED;lia ou alerta), transtorno de equil&#xED;brio, letargia (lentid&#xE3;o), vis&#xE3;o turva, diplopia (vis&#xE3;o dupla), vertigem, v&#xF4;mitos, <a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">constipa&#xE7;&#xE3;o</a> (intestino preso), <a href="https://minutosaudavel.com.br/gases/" rel="noopener" target="_blank">flatul&#xEA;ncia</a> (excesso de gases), distens&#xE3;o abdominal, boca seca, <a href="https://minutosaudavel.com.br/caimbra/" rel="noopener" target="_blank">c&#xE3;ibra</a> muscular, artralgia (dor nas articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://minutosaudavel.com.br/lombalgia/" rel="noopener" target="_blank">dor lombar</a>, dor nos membros, espasmo cervical, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-tipos-cerebral-pulmonar-etc-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">edema</a> perif&#xE9;rico (incha&#xE7;o de extremidades), edema (incha&#xE7;o), marcha (caminhada) anormal, quedas, sensa&#xE7;&#xE3;o de embriaguez, sensa&#xE7;&#xE3;o anormal, cansa&#xE7;o, aumento de peso, n&#xE1;usea* (enjoo), diarreia*.</li>

Reação Incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Neutropenia (diminui&#xE7;&#xE3;o de um tipo de c&#xE9;lulas de defesa no sangue: neutr&#xF3;filos), <a href="https://minutosaudavel.com.br/anorexia/" rel="noopener" target="_blank">anorexia</a> (apetite diminu&#xED;do), <a href="https://minutosaudavel.com.br/hipoglicemia/" rel="noopener" target="_blank">hipoglicemia</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o da <a href="https://consultaremedios.com.br/glicose/bula" target="_blank">glicose</a> no sangue), alucina&#xE7;&#xF5;es, inquieta&#xE7;&#xE3;o, agita&#xE7;&#xE3;o, humor deprimido, humor elevado, mudan&#xE7;as de humor, despersonaliza&#xE7;&#xE3;o (mudan&#xE7;a na forma como a pessoa percebe a si mesma), sonhos anormais, dificuldade de encontrar palavras, aumento da libido (aumento do desejo sexual), anorgasmia (incapacidade de ter orgasmos), <a href="https://minutosaudavel.com.br/desmaio/" rel="noopener" target="_blank">s&#xED;ncope</a> (desmaio), mioclonia (contra&#xE7;&#xE3;o muscular), hiperatividade (agita&#xE7;&#xE3;o) psicomotora, discinesia, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotensao-pressao-baixa-sintomas-na-gravidez-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipotens&#xE3;o</a> postural (diminui&#xE7;&#xE3;o da press&#xE3;o arterial ao levantar), tremor de inten&#xE7;&#xE3;o (tremor que ocorre ao movimento), <a href="https://minutosaudavel.com.br/nistagmo/" rel="noopener" target="_blank">nistagmo</a> (movimento anormal dos olhos), transtornos cognitivos (dificuldade de compreens&#xE3;o), transtornos de fala, hiporreflexia (reflexos enfraquecidos), hiperestesia (aumento da sensibilidade), sensa&#xE7;&#xE3;o de queima&#xE7;&#xE3;o, perda da vis&#xE3;o perif&#xE9;rica, altera&#xE7;&#xE3;o visual, incha&#xE7;o ocular, defici&#xEA;ncia no campo visual, redu&#xE7;&#xE3;o da acuidade visual, dor ocular, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-ocular-sintomas-causas-tratamentos-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">astenopia</a> (cansa&#xE7;o visual), fotopsia (sensa&#xE7;&#xE3;o de ver luzes e cores cintilantes), olhos secos, aumento do lacrimejamento, irrita&#xE7;&#xE3;o ocular, hiperacusia (aumento da audi&#xE7;&#xE3;o), taquicardia (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca), bloqueio atrioventricular de primeiro grau (tipo de <a href="https://minutosaudavel.com.br/arritmia-cardiaca-o-que-e-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">arritmia card&#xED;aca</a>), bradicardia sinusal (diminui&#xE7;&#xE3;o dos batimentos card&#xED;acos), hipotens&#xE3;o arterial (press&#xE3;o baixa), hipertens&#xE3;o arterial (<a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">press&#xE3;o alta</a>), ondas de calor, rubores (vermelhid&#xF5;es), frio nas extremidades, dispneia (falta de ar), epistaxe (sangramento nasal), <a href="https://consultaremedios.com.br/gripes-e-resfriados/tosse/c" target="_blank">tosse</a>, congest&#xE3;o nasal, <a href="https://minutosaudavel.com.br/rinite/" rel="noopener" target="_blank">rinite</a>, ronco, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/refluxo-gastroesofagico/c" target="_blank">refluxo gastroesof&#xE1;gico</a> (retorno do conte&#xFA;do do est&#xF4;mago para o es&#xF4;fago), hipersecre&#xE7;&#xE3;o salivar, hipoestesia oral (diminui&#xE7;&#xE3;o da sensibilidade na boca), erup&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas papulares (pequenas eleva&#xE7;&#xF5;es na pele), <a href="https://minutosaudavel.com.br/urticaria/" rel="noopener" target="_blank">urtic&#xE1;ria</a> (<a href="https://minutosaudavel.com.br/alergia-na-pele/" rel="noopener" target="_blank">alergia na pele</a>), sudorese (transpira&#xE7;&#xE3;o), incha&#xE7;o articular, mialgia (dor muscular), <a href="https://minutosaudavel.com.br/espasmo-muscular/" rel="noopener" target="_blank">espasmo muscular</a> (contra&#xE7;&#xE3;o involunt&#xE1;ria dos m&#xFA;sculos), dor cervical, rigidez muscular, <a href="https://minutosaudavel.com.br/incontinencia-urinaria/" rel="noopener" target="_blank">incontin&#xEA;ncia urin&#xE1;ria</a> (dificuldade em controlar a urina), dis&#xFA;ria (dificuldade e dor para urinar), <a href="https://consultaremedios.com.br/saude-do-homem/disfuncao-eretil/c" target="_blank">disfun&#xE7;&#xE3;o er&#xE9;til</a> (dificuldade para enrijecer o p&#xEA;nis), disfun&#xE7;&#xE3;o sexual, retardo na ejacula&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/dismenorreia/" rel="noopener" target="_blank">dismenorreia</a>, edema (incha&#xE7;o) generalizado, aperto no peito, dor, pirexia (<a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c" target="_blank">febre</a>), sede, calafrio, astenia (fraqueza), aumento das enzimas: alanina aminotransferase, <a href="https://consultaremedios.com.br/fitness/ganho-de-massa/proteinas/creatina/c" target="_blank">creatina</a> fosfoquinase sangu&#xED;nea e aspartato aminotransferase, eleva&#xE7;&#xE3;o da glicose sangu&#xED;nea, diminui&#xE7;&#xE3;o da contagem de plaquetas, diminui&#xE7;&#xE3;o do pot&#xE1;ssio sangu&#xED;neo, diminui&#xE7;&#xE3;o de peso, hipersensibilidade*, perda de consci&#xEA;ncia*, preju&#xED;zo ps&#xED;quico*, incha&#xE7;o da face*, coceira*, mal-estar*, agressividade*.</li>

Reação Rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Crise de p&#xE2;nico, desinibi&#xE7;&#xE3;o, apatia (aus&#xEA;ncia de emo&#xE7;&#xE3;o), estupor, parosmia (dist&#xFA;rbio do olfato), hipocinesia (movimento diminu&#xED;do), ageusia (falta de paladar), disgrafia (dificuldade em escrever), oscilopsia (vis&#xE3;o oscilante), percep&#xE7;&#xE3;o visual de profundidade alterada, midr&#xED;ase (pupila dilatada), <a href="https://minutosaudavel.com.br/estrabismo-vesguice-o-que-e-tipos-cirurgia-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">estrabismo</a>, brilho visual, taquicardia sinusal, arritmia (irregularidade do batimento card&#xED;aco) sinusal, aperto na garganta, secura nasal, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ascite/" rel="noopener" target="_blank">ascite</a> (ac&#xFA;mulo de l&#xED;quido no abdome), <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o no p&#xE2;ncreas), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-disfagia-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">disfagia</a>&amp;nbsp;(dificuldade na degluti&#xE7;&#xE3;o), suor frio, <a href="https://minutosaudavel.com.br/rabdomiolise/" rel="noopener" target="_blank">rabdomi&#xF3;lise</a> (destrui&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas dos m&#xFA;sculos), insufici&#xEA;ncia renal (diminui&#xE7;&#xE3;o das fun&#xE7;&#xF5;es dos rins), olig&#xFA;ria (diminui&#xE7;&#xE3;o do volume de urina), dor mam&#xE1;ria (dor na mama), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-amenorreia-primaria-e-secundaria-sintomas-e-causas/" rel="noopener" target="_blank">amenorreia</a> (aus&#xEA;ncia de menstrua&#xE7;&#xE3;o), secre&#xE7;&#xE3;o mam&#xE1;ria, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ginecomastia/" rel="noopener" target="_blank">ginecomastia</a> (aumento da mama, geralmente sexo masculino), diminui&#xE7;&#xE3;o de leuc&#xF3;citos (gl&#xF3;bulos brancos), eleva&#xE7;&#xE3;o da creatinina sangu&#xED;nea, angioedema* (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica que cursa com incha&#xE7;o), rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica*, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ceratite-o-que-e-sintomas-tratamento-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">ceratite</a>* (inflama&#xE7;&#xE3;o na c&#xF3;rnea), insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca congestiva* (altera&#xE7;&#xE3;o na capacidade do cora&#xE7;&#xE3;o em bombear o sangue), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-pulmonar-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">edema pulmonar</a>* (reten&#xE7;&#xE3;o de l&#xED;quidos no pulm&#xE3;o), edema (incha&#xE7;o) de l&#xED;ngua*, reten&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria* (dificuldade em urinar), ginecomastia* (aumento da mama), idea&#xE7;&#xE3;o suicida* (pensamento ou ideia de se matar).</li>

Reação Desconhecida

  • <li>Depress&#xE3;o respirat&#xF3;ria.</li>

*Reações relatadas no período pós-comercialização.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Glya?

Caso você esqueça-se de tomar a pregabalina no horário estabelecido pelo seu médico, tome-o assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de tomar a próxima dose, pule a dose esquecida e tome a próxima, continuando normalmente o esquema de doses recomendado pelo seu médico. Neste caso, não tome o medicamento 2 vezes para compensar doses esquecidas. Se você&nbsp;esquecer uma dose você pode comprometer o resultado do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Glya?

Cada cápsula dura de 75 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Pregabalina</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">75 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Excipientes q.s.p</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">1 c&#xE1;psula dura</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido de milho e talco.

Cada cápsula dura de 150 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Pregabalina</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">150 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Excipientes q.s.p</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">1 c&#xE1;psula dura</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido de milho e talco.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Glya maior do que a recomendada?

Os eventos adversos mais comuns quando houve uma superdose de pregabalina incluem distúrbio afetivo, sonolência, confusão, depressão, agitação e inquietação. Convulsões também foram relatadas.

O tratamento da superdose com a pregabalina deve incluir medidas gerais de suporte, podendo ser necessária hemodiálise (filtração do sangue usando máquinas). No caso de superdose, procure um médico imediatamente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Glya com outros remédios?

Sempre avise ao seu médico todas as medicações que você toma quando ele for prescrever uma medicação nova.

O médico precisa avaliar se as medicações reagem entre si alterando a sua ação, ou da outra; isso se chama interação medicamentosa. A pregabalina pode potencializar o efeito da oxicodona (analgésico), bebidas alcoólicas e de lorazepam (tranquilizante). Quando usado com analgésicos opioides a pregabalina pode reduzir o funcionamento intestinal (por ex, obstrução intestinal, constipação – intestino preso ou prisão de ventre).

Em experiência pós-comercialização, houve relatos de insuficiência respiratória e coma em pacientes sob tratamento de pregabalina e outros medicamentos depressores do Sistema Nervoso Central, inclusive em pacientes que abusam da substância.

Aconselha-se precaução quando se prescreve pregabalina concomitantemente com opiáceos devido ao risco de depressão do SNC.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Glya (Pregabalina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Dor neurop&#xE1;tica</h3> <p>A efic&#xE1;cia da Pregabalina foi demonstrada em estudos em neuropatia diab&#xE9;tica e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-nevralgia-neuralgia-sintomas-tratamento-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">neuralgia</a> p&#xF3;s-herp&#xE9;tica. A efic&#xE1;cia n&#xE3;o foi estudada em outros modelos de dor neurop&#xE1;tica.</p> <p>A Pregabalina foi avaliada em 9 estudos cl&#xED;nicos controlados por at&#xE9; 13 semanas com esquema posol&#xF3;gico de 2 tomadas di&#xE1;rias e, ap&#xF3;s 8 semanas, com esquema posol&#xF3;gico de 3 vezes ao dia. No geral, o perfil de seguran&#xE7;a e efic&#xE1;cia para esquemas posol&#xF3;gicos de 2 e 3 vezes ao dia foi similar.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos de at&#xE9; 13 semanas, a redu&#xE7;&#xE3;o da dor foi observada na Semana 1 e mantida durante o per&#xED;odo de tratamento.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos controlados, 35% dos pacientes tratados com Pregabalina e 18% dos pacientes recebendo placebo apresentaram uma melhora de 50% no escore da dor. Para pacientes que n&#xE3;o apresentaram sonol&#xEA;ncia, tal melhora foi observada em 33% dos pacientes tratados com Pregabalina e 18% dos pacientes tratados com placebo.</p> <p>Para os pacientes que apresentaram sonol&#xEA;ncia as taxas de resposta foram 48% para Pregabalina e 16% para placebo.</p> <h3>Epilepsia</h3> <p>A Pregabalina foi avaliada em 3 estudos cl&#xED;nicos controlados de 12 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o, com esquema posol&#xF3;gico de 2 ou 3 vezes ao dia. As taxas de resposta (redu&#xE7;&#xE3;o de 50% na frequ&#xEA;ncia de crises parciais) variaram de 13% (50 mg/dia) a 54% (600 mg/dia) para Pregabalina e de 9% a 14% para placebo. No geral, o perfil de seguran&#xE7;a e&amp;nbsp;efic&#xE1;cia para ambos os esquemas foram similares. Uma redu&#xE7;&#xE3;o significativa na frequ&#xEA;ncia das crises foi observada na Semana 1.</p> <h3>Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)</h3> <p>A Pregabalina foi avaliada em 6 estudos controlados de 4-6 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o, um estudo em idosos com 8 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o e um estudo de preven&#xE7;&#xE3;o da recidiva a longo prazo, com fase de preven&#xE7;&#xE3;o da recidiva duplocego de 6 meses de dura&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>A redu&#xE7;&#xE3;o dos sintomas do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) avaliados pela Escala de Avalia&#xE7;&#xE3;o da Ansiedade de Hamilton (HAM-A) foi observada na primeira semana.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos controlados (4-8 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o), 52% dos pacientes tratados com Pregabalina e 38% dos pacientes tratados com placebo apresentaram no m&#xED;nimo 50% de melhora ao final do tratamento em rela&#xE7;&#xE3;o &#xE0; linha de base (pr&#xE9;-tratamento).</p> <h3>Fibromialgia</h3> <p>A monoterapia com Pregabalina foi estudada em 5 estudos controlados com placebo, tr&#xEA;s de 12 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o de dose fixa, uma de 7 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o de dose fixa e um estudo de 6 meses demonstrando a efic&#xE1;cia a longo prazo. O tratamento com Pregabalina em todos os estudos de dose fixas produziu redu&#xE7;&#xE3;o significativa na dor associada a fibromialgia em doses de 300 a 600 mg/dia (duas vezes ao dia).</p> <p>Nos tr&#xEA;s estudos de dose fixa de 12 semanas, 40% dos pacientes tratados com Pregabalina experimentaram 30% ou mais do alivio da escala da dor comparado a 28% dos pacientes tratados com placebo; 23% dos pacientes tratados experimentaram melhora 50% ou mais na escala da dor comparado com 15% dos pacientes tratados com placebo.</p> <p>A Pregabalina produziu taxas significativamente superiores de avalia&#xE7;&#xE3;o global, atrav&#xE9;s da escala de Impress&#xE3;o de Mudan&#xE7;a Global do Paciente (PGIC) nos tr&#xEA;s estudos de dose fixa 12 semanas, comparado com pacientes tratados com placebo (41% dos pacientes sentiram muito melhor ou melhor com Pregabalina contra 29% com placebo).</p> <p>Conforme medido atrav&#xE9;s do Question&#xE1;rio de Impacto da Fibromialgia (FIQ), a Pregabalina resultou em melhora estatisticamente significativa na fun&#xE7;&#xE3;o comparado com pacientes tratados com placebo em 2 dos 3 estudos de dose fixa nos quais foram avaliados. O tratamento com Pregabalina produziu melhora significantes em relatos de resultado de sono de pacientes nos 4 estudos de dose fixa conforme medido pelo <em>Medical Outcomes Study Sleep Scale </em>(MOS-SS) sub-escala de perturba&#xE7;&#xE3;o do sono, MOSSS o &#xED;ndice de problemas global com sono, e a qualidade do sono di&#xE1;rio.</p> <p>No estudo de 6 meses, a melhora da dor, a percep&#xE7;&#xE3;o de mudan&#xE7;a global (PGIC), fun&#xE7;&#xE3;o (FIQ escala total) e sono (MOS-SS subescala do dist&#xFA;rbio do sono) foram mantidos para os pacientes tratados com Pregabalina por per&#xED;odo significativamente mais longo comparado com pacientes tratados com placebo. A Pregabalina 600 mg/dia mostrou uma melhora adicional em pacientes que relataram problemas no sono em compara&#xE7;&#xE3;o com 300 e 450 mg/dia; efeitos m&#xE9;dios sobre a dor, avalia&#xE7;&#xE3;o global e FIQ foram similares em 450 e 600 mg/dia, embora a dose de 600 mg tenha sido bem menos tolerada.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1 -&amp;nbsp;BEYDOUN, A.; UTHMAN, B.M.; KUGLER, A.R.; GREINER M.J.; KNAPP, L.E.; GAROFALO, E.A.; and the Pregabalin 1008&#x2013;009 Study Group. Safety and efficacy of two pregabalin regimens for add-on treatment of partial epilepsy. Neurology, v. 64 (3), p.475-480, 2005.<br> 2 -&amp;nbsp;ARROYO, S., ANHUT, H., KUGLER, A.R., LEE, C.M., KNAPP, L.E., GAROFALO, E.A., MESSMER, S., and the Pregabalin 1008-011 International Study Group. Pregabalin Add-on Treatment: A Randomized, Double-blind, Placebo-controlled, Dose&#x2013;Response Study in Adults with Partial Seizures. Epilepsia, v. 45 (1): p. 20&#x2013;27, 2004. FRENCH, J.A.; KUGLER, A.R.; ROBBINS, J.L.; KNAPP, L.E.; and GAROFALO, E.A. Doseresponse trial of pregabalin adjunctive therapy in patients with partial seizures. Neurology; v. 60 (10): p. 1631-7, 2003.<br> 3 -&amp;nbsp;SABATOWSKI R, G&#xC1;LVEZ R, CHERRY DA, JACQUOT F, VINCENT E, MAISONOBE P, VERSAVEL M. Pregabalin reduces pain and improves sleep and mood disturbances in patients with post-herpetic neuralgia: results of a randomised, placebo-controlled clinical trial. Pain.; v 109(1-2): p 26-35, 2004.<br> 4 -&amp;nbsp;PANDE, A.C., CROCKATT, J.G., FELTNER, D.E., et al. Pregabalin in generalized anxiety disorder: a placebocontrolled trial. Am J Psychiatry; v 160: p. 533-540, 2003.<br> 5 -&amp;nbsp;PANDE AC, CROCKATT JG, FELTNER.DE, et al. Three randomised, placebo-controlled, doubleblind trials of pregabalin treatment of generalized anxiety disorder (GAD). Eur Neuropsychopharmacol; 10(Suppl 3): S344 (Abstr P.3.025), 2000.<br> 6 -&amp;nbsp;FELTNER, D.E., CROCKATT, J.G., DUBOVSKY, S.J., et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled, fixed-dose, multicenter study of pregabalin in patients with generalized anxiety disorder. J Clin Psychopharmacol; v. 23: p. 240-249, 2003.<br> 7 -&amp;nbsp;RICKELS, K., POLLACK, M.H., FELTNER, D.E., et al. Pregabalin for treatment of generalized anxiety disorder: a 4- week, multicenter, double-blind, placebo-controlled trial of pregabalin and <a href=\"https://consultaremedios.com.br/alprazolam/bula\" target=\"_blank\">alprazolam</a>. Arch Gen Psychiatry; v. 62: p. 1022- 1030, 2005.<br> 8 -&amp;nbsp;POHL RB, FELTNER DE, FIEVE RR, et al. Efficacy of pregabalin in the treatment of generalized anxiety disorder: double-blind, placebo-controlled comparison of BID versus TID dosing. J Clin Psychopharmacol; v. 25: p. 151-158, 2005.<br> 9 -&amp;nbsp;MONTGOMERY, S.A., TOBIAS, K., ZORNBERG, G.L., et al. Efficacy and safety of pregabalin in the treatment of generalized anxiety disorder: a 6-week, multicenter, randomized, double-blind, placebo-controlled comparison of pregabalin and venlafaxine. J Clin Psychiatry; v. 67: p. 771-782, 2006.<br> 10 -&amp;nbsp;MONTGOMERY S, CHATAMRA K, PAUER L, et al. Efficacy and safety of pregabalin in elderly people with generalised anxiety disorder. Bri J Psych; v. 193 (5): p. 389-394, 2008.<br> 11 -&amp;nbsp;CROFFORD LJ. Pain management in Fibromyalgia. Curr Opin Rheumatol. 20(3): p.246-50, 2008. HEYMANN RE, PAIVA ES, HELFENSTEIN M et al. Consenso brasileiro do tratamento da Fibromialgia. Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66.<br> 12 -&amp;nbsp;CROFFORD, L.J.; MEASE, P.J.; SIMPSON, S.L.; YOUNG, J.P. J.R.; MARTIN, S.A.; HAIG, G.M.; SHARMA, U. Fibromyalgia relapse evaluation and efficacy for durability of meaningful relief (FREEDOM): a 6-month, double-blind, placebo-controlled trial with pregabalin. Pain 2008; 136:419-431.<br> 13 -&amp;nbsp;MEASE PJ, RUSSELL IJ, ARNOLD LM, et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled, phase III trial of pregabalin in the treatment of patients with fibromyalgia. J Rheumatol 2008; 35:502-14.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>O ingrediente ativo, Pregabalina (&#xE1;cido (S)-3-(aminometil)-5-metil-hexan&#xF3;ico), &#xE9; um an&#xE1;logo do &#xE1;cido gamaaminobut&#xED;rico (GABA).</p> <h4>Mecanismo de a&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Estudos <em>in vitro </em>mostram que a Pregabalina liga-se a uma subunidade proteica auxiliar (&#x3B1;2-&#x3B4;) dos canais de c&#xE1;lcio voltagem-dependentes no <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/c\" target=\"_blank\">sistema nervoso central</a>.</p> <p>Evid&#xEA;ncias de modelos experimentais em animais, com indu&#xE7;&#xE3;o de les&#xE3;o nervosa, demonstram que a Pregabalina reduz a libera&#xE7;&#xE3;o na medula espinhal de neurotransmissores pr&#xF3;-nociceptivos dependentes de c&#xE1;lcio, possivelmente, pela interrup&#xE7;&#xE3;o do transporte de c&#xE1;lcio e/ou atrav&#xE9;s da redu&#xE7;&#xE3;o da corrente de c&#xE1;lcio para o interior da c&#xE9;lula. Evid&#xEA;ncias de outros modelos de les&#xE3;o nervosa em animais sugerem que a atividade antinociceptiva tamb&#xE9;m pode ser mediada pela intera&#xE7;&#xE3;o com vias descendentes noradren&#xE9;rgicas e serotonin&#xE9;rgicas.</p> <h3>Propriedades farmacocin&#xE9;ticas</h3> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina no estado de equil&#xED;brio &#xE9; semelhante em volunt&#xE1;rios sadios, pacientes com epilepsia recebendo antiepil&#xE9;pticos e em pacientes com dor cr&#xF4;nica.</p> <h4>Absor&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>A Pregabalina &#xE9; rapidamente absorvida quando administrada em jejum, com o pico das concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas ocorrendo dentro de 1 hora ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o tanto de doses &#xFA;nicas como m&#xFA;ltiplas. A biodisponibilidade oral da Pregabalina foi estimada em 90% ou mais, sendo independente da dose. Ap&#xF3;s repetidas administra&#xE7;&#xF5;es, o estado de equil&#xED;brio &#xE9; alcan&#xE7;ado dentro de 24 a 48 horas. O &#xED;ndice de absor&#xE7;&#xE3;o da Pregabalina &#xE9; reduzido quando administrado com alimentos, resultando numa diminui&#xE7;&#xE3;o da C<sub>m&#xE1;x</sub> de aproximadamente 25-30% e retardo do T<sub>m&#xE1;x</sub> em aproximadamente 2,5 horas. Entretanto, a administra&#xE7;&#xE3;o de Pregabalina com alimentos n&#xE3;o apresenta efeito clinicamente significativo sobre o grau de absor&#xE7;&#xE3;o deste medicamento.</p> <h4>Distribui&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Em estudos pr&#xE9;-cl&#xED;nicos, observou-se que a Pregabalina atravessa a barreira hematoencef&#xE1;lica em camundongos, ratos e macacos. O f&#xE1;rmaco demonstrou atravessar a placenta em ratas e est&#xE1; presente no leite de ratas lactantes.</p> <p>Em humanos, o volume aparente de distribui&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o oral &#xE9; de aproximadamente 0,56 L/kg. A Pregabalina n&#xE3;o se liga a prote&#xED;nas plasm&#xE1;ticas.</p> <h4>Metabolismo</h4> <p>A Pregabalina sofre metabolismo desprez&#xED;vel em humanos. Ap&#xF3;s uma dose radiomarcada, aproximadamente 98% da radioatividade recuperada na urina foram da Pregabalina inalterada. O derivado N-metilado da Pregabalina, o principal metab&#xF3;lito encontrado na urina, foi respons&#xE1;vel por 0,9% da dose. Em estudos pr&#xE9;-cl&#xED;nicos, n&#xE3;o houve indica&#xE7;&#xF5;es de racemiza&#xE7;&#xE3;o do enanti&#xF4;mero S em enanti&#xF4;mero R da Pregabalina.</p> <h4>Elimina&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>A Pregabalina &#xE9; eliminada da circula&#xE7;&#xE3;o sist&#xEA;mica principalmente por excre&#xE7;&#xE3;o renal como f&#xE1;rmaco inalterado.</p> <p>A meia-vida de elimina&#xE7;&#xE3;o da Pregabalina &#xE9; de 6,3 horas. O <em>clearance </em>plasm&#xE1;tico e o <em>clearance </em>renal s&#xE3;o diretamente proporcionais ao <em>clearance </em>de creatinina.</p> <p>&#xC9; necess&#xE1;rio o ajuste de dose em pacientes com fun&#xE7;&#xE3;o renal reduzida ou em pacientes submetidos &#xE0; hemodi&#xE1;lise.</p> <h4>Linearidade / N&#xE3;o-linearidade</h4> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina &#xE9; linear na faixa de doses di&#xE1;rias recomendadas. A variabilidade entre indiv&#xED;duos &#xE9; baixa (&lt;20%). A farmacocin&#xE9;tica das doses m&#xFA;ltiplas &#xE9; previs&#xED;vel a partir dos dados para dose &#xFA;nica. Portanto, n&#xE3;o h&#xE1; necessidade de monitora&#xE7;&#xE3;o de rotina das concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h4>Farmacocin&#xE9;tica em grupos especiais de pacientes</h4> <h5>Sexo</h5> <p>Estudos cl&#xED;nicos indicam que o sexo n&#xE3;o tem influ&#xEA;ncia clinicamente significativa sobre as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia renal</h5> <p>O <em>clearance </em>da Pregabalina &#xE9; diretamente proporcional ao <em>clearance </em>de creatinina. Al&#xE9;m disso, a Pregabalina &#xE9; removida do plasma por hemodi&#xE1;lise de modo eficaz (ap&#xF3;s 4 horas de hemodi&#xE1;lise, as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas de Pregabalina ficam reduzidas em aproximadamente 50%). Como a elimina&#xE7;&#xE3;o renal &#xE9; a principal via de excre&#xE7;&#xE3;o, &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose em pacientes com insufici&#xEA;ncia renal e suplementa&#xE7;&#xE3;o da dose ap&#xF3;s hemodi&#xE1;lise.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h5> <p>Nenhum estudo farmacocin&#xE9;tico espec&#xED;fico foi conduzido em pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica. Como a Pregabalina n&#xE3;o sofre metabolismo significativo, sendo excretada predominantemente como f&#xE1;rmaco inalterado na urina, a insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica n&#xE3;o deve alterar significativamente as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h5>Idosos (mais de 65 anos de idade)</h5> <p>O <em>clearance </em>da Pregabalina tende a diminuir com o avan&#xE7;o da idade. Esta diminui&#xE7;&#xE3;o no <em>clearance </em>da Pregabalina oral est&#xE1; relacionada com as redu&#xE7;&#xF5;es no <em>clearance</em> de creatinina associadas &#xE0; maior idade. Pode ser necess&#xE1;ria redu&#xE7;&#xE3;o na dose em pacientes com fun&#xE7;&#xE3;o renal comprometida devido &#xE0; idade.</p> <h5>Lactantes</h5> <p>A farmacocin&#xE9;tica de 150 mg de Pregabalina administrados a cada 12 horas (dose di&#xE1;ria de 300 mg) foi avaliada em 10 mulheres lactantes que estavam a pelo menos 12 semanas <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/periodo-pos-parto-puerperio/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">p&#xF3;s-parto</a>. A lacta&#xE7;&#xE3;o apresentou pouca ou nenhuma influ&#xEA;ncia na farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina. A Pregabalina foi excretada no leite materno com concentra&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia no estado de equil&#xED;brio de aproximadamente 76% da concentra&#xE7;&#xE3;o no plasma materno. A dose m&#xE9;dia di&#xE1;ria estimada de Pregabalina recebida pela crian&#xE7;a pelo leite materno (assumindo um consumo m&#xE9;dio de leite de 150 mL/kg/dia) foi 0,31 mg/kg/dia, a qual, em termos de mg/kg seria, aproximadamente, 7% da dose recebida pela m&#xE3;e.</p> <h3>Dados de seguran&#xE7;a pr&#xE9;-cl&#xED;nicos</h3> <p>Em estudos convencionais de seguran&#xE7;a farmacol&#xF3;gica em animais, a Pregabalina foi bem tolerada nas doses clinicamente relevantes. Em estudos de toxicidade das doses repetidas em ratos e macacos foram observados efeitos no SNC, incluindo hipoatividade, hiperatividade e ataxia. Foi comumente observado um aumento da incid&#xEA;ncia de atrofia retiniana em ratos albinos com idade avan&#xE7;ada, ap&#xF3;s exposi&#xE7;&#xF5;es prolongadas &#xE0; Pregabalina em doses &#x2265; 5 vezes a m&#xE9;dia de exposi&#xE7;&#xE3;o humana na dose cl&#xED;nica m&#xE1;xima recomendada.</p> <h4>Teratogenicidade</h4> <p>A Pregabalina n&#xE3;o foi teratog&#xEA;nica em camundongos, ratos ou coelhos. A toxicidade fetal em ratos e coelhos ocorreu somente com exposi&#xE7;&#xF5;es suficientemente acima da exposi&#xE7;&#xE3;o humana. Em estudos de toxicidade pr&#xE9;- e p&#xF3;s-natal, a Pregabalina induziu toxicidade no desenvolvimento da cria em ratos, com exposi&#xE7;&#xF5;es 2 vezes maiores que a exposi&#xE7;&#xE3;o m&#xE1;xima recomendada para humanos.</p> <h4>Mutagenicidade</h4> <p>A Pregabalina n&#xE3;o &#xE9; genot&#xF3;xica, com base nos resultados de uma bateria de testes <em>in vitro </em>e<em> in vivo</em>.</p> <h4>Carcinogenicidade</h4> <p>Estudos de carcinogenicidade de 2 anos com Pregabalina foram realizados com ratos e camundongos. Nenhum tumor foi observado em ratos expostos a at&#xE9; 24 vezes o valor m&#xE9;dio da exposi&#xE7;&#xE3;o humana na dose cl&#xED;nica m&#xE1;xima recomendada de 600 mg/dia. Em camundongos, n&#xE3;o houve aumento da incid&#xEA;ncia de tumores com exposi&#xE7;&#xF5;es semelhantes &#xE0; m&#xE9;dia da exposi&#xE7;&#xE3;o humana, mas observou-se um aumento da incid&#xEA;ncia de hemangiossarcoma com altas exposi&#xE7;&#xF5;es. O mecanismo n&#xE3;o-genot&#xF3;xico da Pregabalina, de indu&#xE7;&#xE3;o de forma&#xE7;&#xE3;o de tumores em camundongos, envolve altera&#xE7;&#xF5;es plaquet&#xE1;rias associadas &#xE0; prolifera&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas endoteliais. Estas altera&#xE7;&#xF5;es plaquet&#xE1;rias n&#xE3;o estavam presentes em ratos ou humanos com base em dados cl&#xED;nicos de curto prazo ou longo prazo limitado. N&#xE3;o h&#xE1; evid&#xEA;ncias sugerindo risco a humanos.</p> <p>Em ratos jovens a toxicidade n&#xE3;o diferiu qualitativamente da observada em ratos adultos.</p> <p>Entretanto, os ratos jovens foram mais sens&#xED;veis. Em exposi&#xE7;&#xF5;es terap&#xEA;uticas, houve evid&#xEA;ncia de sinais cl&#xED;nicos de hiperatividade do SNC e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/bruxismo/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">bruxismo</a> e algumas altera&#xE7;&#xF5;es no crescimento (supress&#xE3;o transit&#xF3;ria do ganho de peso corporal). Foi observado efeito sobre o ciclo estral com 5 vezes a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana. Efeitos neuro comportamentais/cognitivos foram observados em ratos jovens 1-2 semanas ap&#xF3;s uma exposi&#xE7;&#xE3;o 2 vezes maior (resposta ac&#xFA;stica de sobressalto) ou 5 vezes maior (aprendizado/mem&#xF3;ria) que a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana.</p> <p>Resposta ac&#xFA;stica de sobressalto reduzida foi observada em ratos jovens, 1-2 semanas ap&#xF3;s uma exposi&#xE7;&#xE3;o 2 vezes maior que a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana. Nove semanas ap&#xF3;s a exposi&#xE7;&#xE3;o, este efeito n&#xE3;o foi mais observado.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Glya?

Glya deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegido da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do produto

Glya 75 mg

Cápsula gelatinosa dura, contendo granulado branco. Corpo branco opaco e tampa vermelha opaca.

Glya 150 mg

Cápsula gelatinosa dura, contendo granulado branco. Corpo e tampa branco opaco.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Glya

Medicamento similar equivalente ao medicamento de referência.

Cápsula dura 75 mg e 150 mg

Embalagens contendo 10 e 30 cápsulas duras.

Uso oral.

Uso adulto.

Dizeres Legais do Glya

M.S - 1.0298.0525

Farm. Resp.:
Dr. José Carlos Módolo
CRF-SP Nº 10.446

Registrado por:
Cristália – Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda
Rod. Itapira-Lindóia, km 14
Itapira – SP
CNPJ 44.734.671/0001-51
Indústria Brasileira




SAC
0800 701 19 18

Venda sob prescrição médica. Só pode ser vendido sob retenção de receita.

75mg, caixa com 30 cápsulas duras

Princípio ativo
:
Pregabalina
Classe Terapêutica
:
Antiepilépticos
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
C1 Branca 2 vias (Venda Sob Prescrição Médica - Este medicamento pode causar Dependência Física ou Psíquica)
Categoria
:
Sistema Nervoso
Especialidade
:
Psiquiatria e Neurologia

Bula do medicamento

Glya, para o que é indicado e para o que serve?

Glya (pregabalina) cápsulas duras é indicado para adultos para:

  • <li>Tratamento da dor neurop&#xE1;tica (dor devido &#xE0; les&#xE3;o e/ou mau funcionamento dos nervos e/ou do sistema nervoso) em adultos;</li> <li>Como terapia adjunta das crises epil&#xE9;ticas parciais (convuls&#xF5;es), com ou sem generaliza&#xE7;&#xE3;o secund&#xE1;ria em adultos;</li> <li>Tratamento do <a href="https://minutosaudavel.com.br/ansiedade-generalizada/" rel="noopener" target="_blank">Transtorno de </a><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/ansiedade/c" target="_blank">Ansiedade</a> Generalizada em adultos; controle de <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fibromialgia-sintomas-tratamentos-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">fibromialgia</a> (doen&#xE7;a caracterizada por dor cr&#xF4;nica em v&#xE1;rias partes do corpo, <a href="https://minutosaudavel.com.br/cansaco/" rel="noopener" target="_blank">cansa&#xE7;o</a> e altera&#xE7;&#xF5;es do sono) em adultos.</li>

Quais as contraindicações do Glya?

Glya não deve ser utilizado se você tem hipersensibilidade (alergia) conhecida à pregabalina ou a qualquer componente da fórmula.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Este medicamento contém lactose.

Como usar o Glya?

A pregabalina deve ser utilizada por via oral (engolir), com ou sem alimentos.

As doses recomendadas de pregabalina são:

Dor neuropática, Transtorno da Ansiedade Generalizada e Epilepsia
  • <li>150 a 600 mg/dia divididos em 2 doses.</li>
Fibromialgia
  • <li>150 a 450mg/dia divididos em 2 doses.</li>
Em todas as indicações a dose inicial recomendada é:
  • <li>75 mg, via oral, 2 vezes ao dia (150 mg/dia).</li> <li>Entretanto, com base na resposta individual e na tolerabilidade do paciente, a dose poder&#xE1; ser aumentada para 150 mg 2 vezes ao dia ap&#xF3;s um intervalo de 3 a 7 dias e, se necess&#xE1;rio, at&#xE9; uma dose m&#xE1;xima &#x2013; descrita acima por indica&#xE7;&#xE3;o &#x2013; 2 vezes ao dia ap&#xF3;s o mesmo intervalo. A efic&#xE1;cia de pregabalina foi observada j&#xE1; na primeira semana de tratamento. A decis&#xE3;o de aumentar ou diminuir a dose &#xE9; exclusiva do m&#xE9;dico, n&#xE3;o o fa&#xE7;a sem a orienta&#xE7;&#xE3;o dele.</li>

Pacientes com insuficiência ou algum comprometimento da função dos rins podem necessitar de ajustes na dosagem de pregabalina. Também em idosos recomenda-se avaliar a função dos rins para verificar se esses ajustes precisam ser feitos. A adequação da dosagem para estas situações deve ser instruída pelo seu médico (para pacientes com insuficiência renal, a dose inicial deve partir de 25 mg).

Recomenda-se que a descontinuação do tratamento com pregabalina seja feita gradualmente, ao longo de 1 semana. A descontinuação do tratamento deve ser feita sob indicação e supervisão do seu médico.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não pode ser partido, aberto ou mastigado.

Como o Glya funciona?

A pregabalina age regulando a transmissão de mensagens excitatórias entre as células nervosas. O início da ação do medicamento é, geralmente, percebido cerca de uma semana após o início do tratamento.

Quais cuidados devo ter ao usar o Glya?

Informe ao seu médico se você tiver:

  • <li>Problemas heredit&#xE1;rios (herdados da fam&#xED;lia) de intoler&#xE2;ncia a galactose, defici&#xEA;ncia de <a href="https://consultaremedios.com.br/lactase/bula" target="_blank">lactase</a> de Lapp ou m&#xE1;-absor&#xE7;&#xE3;o de alimentos; pois ele precisa avaliar se a pregabalina deve ser usada nessas situa&#xE7;&#xF5;es;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/diabetes/c" target="_blank">Diabetes</a>, pois pode haver necessidade de controlar&amp;nbsp;mais de perto seu peso e a dose das medica&#xE7;&#xF5;es para tratar a doen&#xE7;a;</li> <li>Doen&#xE7;as renais, pois a dose de pregabalina pode precisar de ajustes;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">Insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> congestiva (doen&#xE7;a em que o cora&#xE7;&#xE3;o n&#xE3;o consegue bombear o sangue adequadamente), pois houve casos de piora dos sintomas associado ao uso de pregabalina.</li>

O uso de pregabalina está associada com tontura e sonolência, que pode aumentar a ocorrência de acidentes (como por exemplo, quedas) em idosos. Você deve ter cuidado até que os efeitos potenciais de pregabalina lhe sejam familiares. Pelo mesmo motivo a habilidade de dirigir e operar máquinas pode estar prejudicada. É aconselhável não dirigir, operar máquinas complexas, nem exercer outras atividades potencialmente perigosas até que se saiba se este medicamento afeta a sua capacidade de realizar tais atividades.

Houve relatos no período pós-comercialização de reações de hipersensibilidade, incluindo casos de angioedema. A pregabalina deve ser descontinuada imediatamente se ocorrerem sintomas de angioedema, tais como inchaço na face, ao redor da boca e nas vias aéreas superiores.

Na experiência pós-comercialização, visão borrada transitória e outras alterações na capacidade visual foram reportadas por pacientes tratados com pregabalina. A descontinuação de pregabalina pode resultar na resolução ou melhora desses sintomas visuais.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não há dados suficientes sobre o uso de pregabalina em mulheres grávidas.

O risco potencial aos fetos humanos é desconhecido. Portanto, a pregabalina não deve ser utilizado durante a gravidez, a menos que o benefício à mãe justifique claramente o risco potencial ao feto, uma decisão que deve ser tomada em conjunto com seu médico; portanto se durante o tratamento com a pregabalina você engravidar comunique imediatamente a ele. Se você tem potencial de engravidar, deve utilizar métodos contraceptivos eficazes.

Não é recomendado que mulheres que estejam amamentando usem a pregabalina, pois a medicação é excretada (sai) no leite materno.

No momento da interrupção do uso de pregabalina foram observados em alguns pacientes a ocorrência de insônia, dor de cabeça, enjoos, ansiedade, aumento da sudorese (transpiração), diarreia, síndrome gripal, depressão, dor, convulsão e tontura.&nbsp;As convulsões, incluindo estado epilético e convulsões do tipo grande mal, podem ocorrer durante o uso ou logo após a descontinuação de pregabalina.

Se ocorrerem quaisquer sintomas relacionados ao uso deste medicamento, seu médico deve ser consultado.

Houve relatos de dificuldades respiratórias. Se você tem distúrbios do sistema nervoso (distúrbios no cérebro, medula espinhal, nervos e órgãos sensoriais), distúrbios respiratórios (redução da função do sistema respiratório que pode reduzir a quantidade de oxigênio no sangue e em todo corpo), insuficiência renal (diminuição da função dos rins) ou se você tem mais de 65 anos, o seu médico pode prescrever um regime posológico diferente. Entre em contato com o seu médico se tiver dificuldade em respirar ou respiração superficial.

Ao perceber sinais ou comportamentos suicidas (pensamento ou ideia de se matar) em pacientes usando a pregabalina, busque ajuda médica.

A segurança e eficácia da substância pregabalina não foram estabelecidas em pacientes adolescentes (12 a 17 anos) para as indicações aprovadas (incluindo epilepsia).

Foram relatados casos de encefalopatia, principalmente em pacientes pré-dispostos à encefalopatia.

Este medicamento contém lactose.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Glya?

As reações adversas mais frequentemente notificadas foram tontura e sonolência; em geral, elas foram de intensidade leve a moderada e estão listadas abaixo.

Reação Muito Comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Dor de cabe&#xE7;a*.</li>

Reação Comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Nasofaringite (inflama&#xE7;&#xE3;o da faringe ou garganta), aumento do apetite, euforia, confus&#xE3;o, irritabilidade, depress&#xE3;o, desorienta&#xE7;&#xE3;o, ins&#xF4;nia (dificuldade para <a href="https://minutosaudavel.com.br/dormir/" rel="noopener" target="_blank">dormir</a>), diminui&#xE7;&#xE3;o da libido (diminui&#xE7;&#xE3;o do desejo sexual), ataxia (dificuldade em coordenar os movimentos), coordena&#xE7;&#xE3;o anormal, tremores, <a href="https://minutosaudavel.com.br/disartria/" rel="noopener" target="_blank">disartria</a> (altera&#xE7;&#xE3;o da fala), amn&#xE9;sia (perda de mem&#xF3;ria), dificuldade de mem&#xF3;ria, dist&#xFA;rbios de aten&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/parestesia/" rel="noopener" target="_blank">parestesia</a> (formigamentos), hipoestesia (diminui&#xE7;&#xE3;o da sensibilidade), seda&#xE7;&#xE3;o (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xED;vel de vig&#xED;lia ou alerta), transtorno de equil&#xED;brio, letargia (lentid&#xE3;o), vis&#xE3;o turva, diplopia (vis&#xE3;o dupla), vertigem, v&#xF4;mitos, <a href="https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre/" rel="noopener" target="_blank">constipa&#xE7;&#xE3;o</a> (intestino preso), <a href="https://minutosaudavel.com.br/gases/" rel="noopener" target="_blank">flatul&#xEA;ncia</a> (excesso de gases), distens&#xE3;o abdominal, boca seca, <a href="https://minutosaudavel.com.br/caimbra/" rel="noopener" target="_blank">c&#xE3;ibra</a> muscular, artralgia (dor nas articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://minutosaudavel.com.br/lombalgia/" rel="noopener" target="_blank">dor lombar</a>, dor nos membros, espasmo cervical, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-tipos-cerebral-pulmonar-etc-e-tratamento/" rel="noopener" target="_blank">edema</a> perif&#xE9;rico (incha&#xE7;o de extremidades), edema (incha&#xE7;o), marcha (caminhada) anormal, quedas, sensa&#xE7;&#xE3;o de embriaguez, sensa&#xE7;&#xE3;o anormal, cansa&#xE7;o, aumento de peso, n&#xE1;usea* (enjoo), diarreia*.</li>

Reação Incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Neutropenia (diminui&#xE7;&#xE3;o de um tipo de c&#xE9;lulas de defesa no sangue: neutr&#xF3;filos), <a href="https://minutosaudavel.com.br/anorexia/" rel="noopener" target="_blank">anorexia</a> (apetite diminu&#xED;do), <a href="https://minutosaudavel.com.br/hipoglicemia/" rel="noopener" target="_blank">hipoglicemia</a> (diminui&#xE7;&#xE3;o da <a href="https://consultaremedios.com.br/glicose/bula" target="_blank">glicose</a> no sangue), alucina&#xE7;&#xF5;es, inquieta&#xE7;&#xE3;o, agita&#xE7;&#xE3;o, humor deprimido, humor elevado, mudan&#xE7;as de humor, despersonaliza&#xE7;&#xE3;o (mudan&#xE7;a na forma como a pessoa percebe a si mesma), sonhos anormais, dificuldade de encontrar palavras, aumento da libido (aumento do desejo sexual), anorgasmia (incapacidade de ter orgasmos), <a href="https://minutosaudavel.com.br/desmaio/" rel="noopener" target="_blank">s&#xED;ncope</a> (desmaio), mioclonia (contra&#xE7;&#xE3;o muscular), hiperatividade (agita&#xE7;&#xE3;o) psicomotora, discinesia, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotensao-pressao-baixa-sintomas-na-gravidez-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipotens&#xE3;o</a> postural (diminui&#xE7;&#xE3;o da press&#xE3;o arterial ao levantar), tremor de inten&#xE7;&#xE3;o (tremor que ocorre ao movimento), <a href="https://minutosaudavel.com.br/nistagmo/" rel="noopener" target="_blank">nistagmo</a> (movimento anormal dos olhos), transtornos cognitivos (dificuldade de compreens&#xE3;o), transtornos de fala, hiporreflexia (reflexos enfraquecidos), hiperestesia (aumento da sensibilidade), sensa&#xE7;&#xE3;o de queima&#xE7;&#xE3;o, perda da vis&#xE3;o perif&#xE9;rica, altera&#xE7;&#xE3;o visual, incha&#xE7;o ocular, defici&#xEA;ncia no campo visual, redu&#xE7;&#xE3;o da acuidade visual, dor ocular, <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-ocular-sintomas-causas-tratamentos-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">astenopia</a> (cansa&#xE7;o visual), fotopsia (sensa&#xE7;&#xE3;o de ver luzes e cores cintilantes), olhos secos, aumento do lacrimejamento, irrita&#xE7;&#xE3;o ocular, hiperacusia (aumento da audi&#xE7;&#xE3;o), taquicardia (aumento da frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca), bloqueio atrioventricular de primeiro grau (tipo de <a href="https://minutosaudavel.com.br/arritmia-cardiaca-o-que-e-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">arritmia card&#xED;aca</a>), bradicardia sinusal (diminui&#xE7;&#xE3;o dos batimentos card&#xED;acos), hipotens&#xE3;o arterial (press&#xE3;o baixa), hipertens&#xE3;o arterial (<a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">press&#xE3;o alta</a>), ondas de calor, rubores (vermelhid&#xF5;es), frio nas extremidades, dispneia (falta de ar), epistaxe (sangramento nasal), <a href="https://consultaremedios.com.br/gripes-e-resfriados/tosse/c" target="_blank">tosse</a>, congest&#xE3;o nasal, <a href="https://minutosaudavel.com.br/rinite/" rel="noopener" target="_blank">rinite</a>, ronco, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/refluxo-gastroesofagico/c" target="_blank">refluxo gastroesof&#xE1;gico</a> (retorno do conte&#xFA;do do est&#xF4;mago para o es&#xF4;fago), hipersecre&#xE7;&#xE3;o salivar, hipoestesia oral (diminui&#xE7;&#xE3;o da sensibilidade na boca), erup&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas papulares (pequenas eleva&#xE7;&#xF5;es na pele), <a href="https://minutosaudavel.com.br/urticaria/" rel="noopener" target="_blank">urtic&#xE1;ria</a> (<a href="https://minutosaudavel.com.br/alergia-na-pele/" rel="noopener" target="_blank">alergia na pele</a>), sudorese (transpira&#xE7;&#xE3;o), incha&#xE7;o articular, mialgia (dor muscular), <a href="https://minutosaudavel.com.br/espasmo-muscular/" rel="noopener" target="_blank">espasmo muscular</a> (contra&#xE7;&#xE3;o involunt&#xE1;ria dos m&#xFA;sculos), dor cervical, rigidez muscular, <a href="https://minutosaudavel.com.br/incontinencia-urinaria/" rel="noopener" target="_blank">incontin&#xEA;ncia urin&#xE1;ria</a> (dificuldade em controlar a urina), dis&#xFA;ria (dificuldade e dor para urinar), <a href="https://consultaremedios.com.br/saude-do-homem/disfuncao-eretil/c" target="_blank">disfun&#xE7;&#xE3;o er&#xE9;til</a> (dificuldade para enrijecer o p&#xEA;nis), disfun&#xE7;&#xE3;o sexual, retardo na ejacula&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/dismenorreia/" rel="noopener" target="_blank">dismenorreia</a>, edema (incha&#xE7;o) generalizado, aperto no peito, dor, pirexia (<a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c" target="_blank">febre</a>), sede, calafrio, astenia (fraqueza), aumento das enzimas: alanina aminotransferase, <a href="https://consultaremedios.com.br/fitness/ganho-de-massa/proteinas/creatina/c" target="_blank">creatina</a> fosfoquinase sangu&#xED;nea e aspartato aminotransferase, eleva&#xE7;&#xE3;o da glicose sangu&#xED;nea, diminui&#xE7;&#xE3;o da contagem de plaquetas, diminui&#xE7;&#xE3;o do pot&#xE1;ssio sangu&#xED;neo, diminui&#xE7;&#xE3;o de peso, hipersensibilidade*, perda de consci&#xEA;ncia*, preju&#xED;zo ps&#xED;quico*, incha&#xE7;o da face*, coceira*, mal-estar*, agressividade*.</li>

Reação Rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • <li>Crise de p&#xE2;nico, desinibi&#xE7;&#xE3;o, apatia (aus&#xEA;ncia de emo&#xE7;&#xE3;o), estupor, parosmia (dist&#xFA;rbio do olfato), hipocinesia (movimento diminu&#xED;do), ageusia (falta de paladar), disgrafia (dificuldade em escrever), oscilopsia (vis&#xE3;o oscilante), percep&#xE7;&#xE3;o visual de profundidade alterada, midr&#xED;ase (pupila dilatada), <a href="https://minutosaudavel.com.br/estrabismo-vesguice-o-que-e-tipos-cirurgia-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">estrabismo</a>, brilho visual, taquicardia sinusal, arritmia (irregularidade do batimento card&#xED;aco) sinusal, aperto na garganta, secura nasal, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ascite/" rel="noopener" target="_blank">ascite</a> (ac&#xFA;mulo de l&#xED;quido no abdome), <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o no p&#xE2;ncreas), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-disfagia-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">disfagia</a>&amp;nbsp;(dificuldade na degluti&#xE7;&#xE3;o), suor frio, <a href="https://minutosaudavel.com.br/rabdomiolise/" rel="noopener" target="_blank">rabdomi&#xF3;lise</a> (destrui&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas dos m&#xFA;sculos), insufici&#xEA;ncia renal (diminui&#xE7;&#xE3;o das fun&#xE7;&#xF5;es dos rins), olig&#xFA;ria (diminui&#xE7;&#xE3;o do volume de urina), dor mam&#xE1;ria (dor na mama), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-amenorreia-primaria-e-secundaria-sintomas-e-causas/" rel="noopener" target="_blank">amenorreia</a> (aus&#xEA;ncia de menstrua&#xE7;&#xE3;o), secre&#xE7;&#xE3;o mam&#xE1;ria, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ginecomastia/" rel="noopener" target="_blank">ginecomastia</a> (aumento da mama, geralmente sexo masculino), diminui&#xE7;&#xE3;o de leuc&#xF3;citos (gl&#xF3;bulos brancos), eleva&#xE7;&#xE3;o da creatinina sangu&#xED;nea, angioedema* (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica que cursa com incha&#xE7;o), rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica*, <a href="https://minutosaudavel.com.br/ceratite-o-que-e-sintomas-tratamento-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">ceratite</a>* (inflama&#xE7;&#xE3;o na c&#xF3;rnea), insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca congestiva* (altera&#xE7;&#xE3;o na capacidade do cora&#xE7;&#xE3;o em bombear o sangue), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-pulmonar-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">edema pulmonar</a>* (reten&#xE7;&#xE3;o de l&#xED;quidos no pulm&#xE3;o), edema (incha&#xE7;o) de l&#xED;ngua*, reten&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria* (dificuldade em urinar), ginecomastia* (aumento da mama), idea&#xE7;&#xE3;o suicida* (pensamento ou ideia de se matar).</li>

Reação Desconhecida

  • <li>Depress&#xE3;o respirat&#xF3;ria.</li>

*Reações relatadas no período pós-comercialização.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Glya?

Caso você esqueça-se de tomar a pregabalina no horário estabelecido pelo seu médico, tome-o assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de tomar a próxima dose, pule a dose esquecida e tome a próxima, continuando normalmente o esquema de doses recomendado pelo seu médico. Neste caso, não tome o medicamento 2 vezes para compensar doses esquecidas. Se você&nbsp;esquecer uma dose você pode comprometer o resultado do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Glya?

Cada cápsula dura de 75 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Pregabalina</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">75 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Excipientes q.s.p</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">1 c&#xE1;psula dura</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido de milho e talco.

Cada cápsula dura de 150 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Pregabalina</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">150 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:226px\">Excipientes q.s.p</td> <td style=\"text-align:center; width:234px\">1 c&#xE1;psula dura</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido de milho e talco.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Glya maior do que a recomendada?

Os eventos adversos mais comuns quando houve uma superdose de pregabalina incluem distúrbio afetivo, sonolência, confusão, depressão, agitação e inquietação. Convulsões também foram relatadas.

O tratamento da superdose com a pregabalina deve incluir medidas gerais de suporte, podendo ser necessária hemodiálise (filtração do sangue usando máquinas). No caso de superdose, procure um médico imediatamente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Glya com outros remédios?

Sempre avise ao seu médico todas as medicações que você toma quando ele for prescrever uma medicação nova.

O médico precisa avaliar se as medicações reagem entre si alterando a sua ação, ou da outra; isso se chama interação medicamentosa. A pregabalina pode potencializar o efeito da oxicodona (analgésico), bebidas alcoólicas e de lorazepam (tranquilizante). Quando usado com analgésicos opioides a pregabalina pode reduzir o funcionamento intestinal (por ex, obstrução intestinal, constipação – intestino preso ou prisão de ventre).

Em experiência pós-comercialização, houve relatos de insuficiência respiratória e coma em pacientes sob tratamento de pregabalina e outros medicamentos depressores do Sistema Nervoso Central, inclusive em pacientes que abusam da substância.

Aconselha-se precaução quando se prescreve pregabalina concomitantemente com opiáceos devido ao risco de depressão do SNC.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Glya (Pregabalina)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <h3>Dor neurop&#xE1;tica</h3> <p>A efic&#xE1;cia da Pregabalina foi demonstrada em estudos em neuropatia diab&#xE9;tica e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-nevralgia-neuralgia-sintomas-tratamento-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">neuralgia</a> p&#xF3;s-herp&#xE9;tica. A efic&#xE1;cia n&#xE3;o foi estudada em outros modelos de dor neurop&#xE1;tica.</p> <p>A Pregabalina foi avaliada em 9 estudos cl&#xED;nicos controlados por at&#xE9; 13 semanas com esquema posol&#xF3;gico de 2 tomadas di&#xE1;rias e, ap&#xF3;s 8 semanas, com esquema posol&#xF3;gico de 3 vezes ao dia. No geral, o perfil de seguran&#xE7;a e efic&#xE1;cia para esquemas posol&#xF3;gicos de 2 e 3 vezes ao dia foi similar.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos de at&#xE9; 13 semanas, a redu&#xE7;&#xE3;o da dor foi observada na Semana 1 e mantida durante o per&#xED;odo de tratamento.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos controlados, 35% dos pacientes tratados com Pregabalina e 18% dos pacientes recebendo placebo apresentaram uma melhora de 50% no escore da dor. Para pacientes que n&#xE3;o apresentaram sonol&#xEA;ncia, tal melhora foi observada em 33% dos pacientes tratados com Pregabalina e 18% dos pacientes tratados com placebo.</p> <p>Para os pacientes que apresentaram sonol&#xEA;ncia as taxas de resposta foram 48% para Pregabalina e 16% para placebo.</p> <h3>Epilepsia</h3> <p>A Pregabalina foi avaliada em 3 estudos cl&#xED;nicos controlados de 12 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o, com esquema posol&#xF3;gico de 2 ou 3 vezes ao dia. As taxas de resposta (redu&#xE7;&#xE3;o de 50% na frequ&#xEA;ncia de crises parciais) variaram de 13% (50 mg/dia) a 54% (600 mg/dia) para Pregabalina e de 9% a 14% para placebo. No geral, o perfil de seguran&#xE7;a e&amp;nbsp;efic&#xE1;cia para ambos os esquemas foram similares. Uma redu&#xE7;&#xE3;o significativa na frequ&#xEA;ncia das crises foi observada na Semana 1.</p> <h3>Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)</h3> <p>A Pregabalina foi avaliada em 6 estudos controlados de 4-6 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o, um estudo em idosos com 8 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o e um estudo de preven&#xE7;&#xE3;o da recidiva a longo prazo, com fase de preven&#xE7;&#xE3;o da recidiva duplocego de 6 meses de dura&#xE7;&#xE3;o.</p> <p>A redu&#xE7;&#xE3;o dos sintomas do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) avaliados pela Escala de Avalia&#xE7;&#xE3;o da Ansiedade de Hamilton (HAM-A) foi observada na primeira semana.</p> <p>Em estudos cl&#xED;nicos controlados (4-8 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o), 52% dos pacientes tratados com Pregabalina e 38% dos pacientes tratados com placebo apresentaram no m&#xED;nimo 50% de melhora ao final do tratamento em rela&#xE7;&#xE3;o &#xE0; linha de base (pr&#xE9;-tratamento).</p> <h3>Fibromialgia</h3> <p>A monoterapia com Pregabalina foi estudada em 5 estudos controlados com placebo, tr&#xEA;s de 12 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o de dose fixa, uma de 7 semanas de dura&#xE7;&#xE3;o de dose fixa e um estudo de 6 meses demonstrando a efic&#xE1;cia a longo prazo. O tratamento com Pregabalina em todos os estudos de dose fixas produziu redu&#xE7;&#xE3;o significativa na dor associada a fibromialgia em doses de 300 a 600 mg/dia (duas vezes ao dia).</p> <p>Nos tr&#xEA;s estudos de dose fixa de 12 semanas, 40% dos pacientes tratados com Pregabalina experimentaram 30% ou mais do alivio da escala da dor comparado a 28% dos pacientes tratados com placebo; 23% dos pacientes tratados experimentaram melhora 50% ou mais na escala da dor comparado com 15% dos pacientes tratados com placebo.</p> <p>A Pregabalina produziu taxas significativamente superiores de avalia&#xE7;&#xE3;o global, atrav&#xE9;s da escala de Impress&#xE3;o de Mudan&#xE7;a Global do Paciente (PGIC) nos tr&#xEA;s estudos de dose fixa 12 semanas, comparado com pacientes tratados com placebo (41% dos pacientes sentiram muito melhor ou melhor com Pregabalina contra 29% com placebo).</p> <p>Conforme medido atrav&#xE9;s do Question&#xE1;rio de Impacto da Fibromialgia (FIQ), a Pregabalina resultou em melhora estatisticamente significativa na fun&#xE7;&#xE3;o comparado com pacientes tratados com placebo em 2 dos 3 estudos de dose fixa nos quais foram avaliados. O tratamento com Pregabalina produziu melhora significantes em relatos de resultado de sono de pacientes nos 4 estudos de dose fixa conforme medido pelo <em>Medical Outcomes Study Sleep Scale </em>(MOS-SS) sub-escala de perturba&#xE7;&#xE3;o do sono, MOSSS o &#xED;ndice de problemas global com sono, e a qualidade do sono di&#xE1;rio.</p> <p>No estudo de 6 meses, a melhora da dor, a percep&#xE7;&#xE3;o de mudan&#xE7;a global (PGIC), fun&#xE7;&#xE3;o (FIQ escala total) e sono (MOS-SS subescala do dist&#xFA;rbio do sono) foram mantidos para os pacientes tratados com Pregabalina por per&#xED;odo significativamente mais longo comparado com pacientes tratados com placebo. A Pregabalina 600 mg/dia mostrou uma melhora adicional em pacientes que relataram problemas no sono em compara&#xE7;&#xE3;o com 300 e 450 mg/dia; efeitos m&#xE9;dios sobre a dor, avalia&#xE7;&#xE3;o global e FIQ foram similares em 450 e 600 mg/dia, embora a dose de 600 mg tenha sido bem menos tolerada.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1 -&amp;nbsp;BEYDOUN, A.; UTHMAN, B.M.; KUGLER, A.R.; GREINER M.J.; KNAPP, L.E.; GAROFALO, E.A.; and the Pregabalin 1008&#x2013;009 Study Group. Safety and efficacy of two pregabalin regimens for add-on treatment of partial epilepsy. Neurology, v. 64 (3), p.475-480, 2005.<br> 2 -&amp;nbsp;ARROYO, S., ANHUT, H., KUGLER, A.R., LEE, C.M., KNAPP, L.E., GAROFALO, E.A., MESSMER, S., and the Pregabalin 1008-011 International Study Group. Pregabalin Add-on Treatment: A Randomized, Double-blind, Placebo-controlled, Dose&#x2013;Response Study in Adults with Partial Seizures. Epilepsia, v. 45 (1): p. 20&#x2013;27, 2004. FRENCH, J.A.; KUGLER, A.R.; ROBBINS, J.L.; KNAPP, L.E.; and GAROFALO, E.A. Doseresponse trial of pregabalin adjunctive therapy in patients with partial seizures. Neurology; v. 60 (10): p. 1631-7, 2003.<br> 3 -&amp;nbsp;SABATOWSKI R, G&#xC1;LVEZ R, CHERRY DA, JACQUOT F, VINCENT E, MAISONOBE P, VERSAVEL M. Pregabalin reduces pain and improves sleep and mood disturbances in patients with post-herpetic neuralgia: results of a randomised, placebo-controlled clinical trial. Pain.; v 109(1-2): p 26-35, 2004.<br> 4 -&amp;nbsp;PANDE, A.C., CROCKATT, J.G., FELTNER, D.E., et al. Pregabalin in generalized anxiety disorder: a placebocontrolled trial. Am J Psychiatry; v 160: p. 533-540, 2003.<br> 5 -&amp;nbsp;PANDE AC, CROCKATT JG, FELTNER.DE, et al. Three randomised, placebo-controlled, doubleblind trials of pregabalin treatment of generalized anxiety disorder (GAD). Eur Neuropsychopharmacol; 10(Suppl 3): S344 (Abstr P.3.025), 2000.<br> 6 -&amp;nbsp;FELTNER, D.E., CROCKATT, J.G., DUBOVSKY, S.J., et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled, fixed-dose, multicenter study of pregabalin in patients with generalized anxiety disorder. J Clin Psychopharmacol; v. 23: p. 240-249, 2003.<br> 7 -&amp;nbsp;RICKELS, K., POLLACK, M.H., FELTNER, D.E., et al. Pregabalin for treatment of generalized anxiety disorder: a 4- week, multicenter, double-blind, placebo-controlled trial of pregabalin and <a href=\"https://consultaremedios.com.br/alprazolam/bula\" target=\"_blank\">alprazolam</a>. Arch Gen Psychiatry; v. 62: p. 1022- 1030, 2005.<br> 8 -&amp;nbsp;POHL RB, FELTNER DE, FIEVE RR, et al. Efficacy of pregabalin in the treatment of generalized anxiety disorder: double-blind, placebo-controlled comparison of BID versus TID dosing. J Clin Psychopharmacol; v. 25: p. 151-158, 2005.<br> 9 -&amp;nbsp;MONTGOMERY, S.A., TOBIAS, K., ZORNBERG, G.L., et al. Efficacy and safety of pregabalin in the treatment of generalized anxiety disorder: a 6-week, multicenter, randomized, double-blind, placebo-controlled comparison of pregabalin and venlafaxine. J Clin Psychiatry; v. 67: p. 771-782, 2006.<br> 10 -&amp;nbsp;MONTGOMERY S, CHATAMRA K, PAUER L, et al. Efficacy and safety of pregabalin in elderly people with generalised anxiety disorder. Bri J Psych; v. 193 (5): p. 389-394, 2008.<br> 11 -&amp;nbsp;CROFFORD LJ. Pain management in Fibromyalgia. Curr Opin Rheumatol. 20(3): p.246-50, 2008. HEYMANN RE, PAIVA ES, HELFENSTEIN M et al. Consenso brasileiro do tratamento da Fibromialgia. Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66.<br> 12 -&amp;nbsp;CROFFORD, L.J.; MEASE, P.J.; SIMPSON, S.L.; YOUNG, J.P. J.R.; MARTIN, S.A.; HAIG, G.M.; SHARMA, U. Fibromyalgia relapse evaluation and efficacy for durability of meaningful relief (FREEDOM): a 6-month, double-blind, placebo-controlled trial with pregabalin. Pain 2008; 136:419-431.<br> 13 -&amp;nbsp;MEASE PJ, RUSSELL IJ, ARNOLD LM, et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled, phase III trial of pregabalin in the treatment of patients with fibromyalgia. J Rheumatol 2008; 35:502-14.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>O ingrediente ativo, Pregabalina (&#xE1;cido (S)-3-(aminometil)-5-metil-hexan&#xF3;ico), &#xE9; um an&#xE1;logo do &#xE1;cido gamaaminobut&#xED;rico (GABA).</p> <h4>Mecanismo de a&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Estudos <em>in vitro </em>mostram que a Pregabalina liga-se a uma subunidade proteica auxiliar (&#x3B1;2-&#x3B4;) dos canais de c&#xE1;lcio voltagem-dependentes no <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/c\" target=\"_blank\">sistema nervoso central</a>.</p> <p>Evid&#xEA;ncias de modelos experimentais em animais, com indu&#xE7;&#xE3;o de les&#xE3;o nervosa, demonstram que a Pregabalina reduz a libera&#xE7;&#xE3;o na medula espinhal de neurotransmissores pr&#xF3;-nociceptivos dependentes de c&#xE1;lcio, possivelmente, pela interrup&#xE7;&#xE3;o do transporte de c&#xE1;lcio e/ou atrav&#xE9;s da redu&#xE7;&#xE3;o da corrente de c&#xE1;lcio para o interior da c&#xE9;lula. Evid&#xEA;ncias de outros modelos de les&#xE3;o nervosa em animais sugerem que a atividade antinociceptiva tamb&#xE9;m pode ser mediada pela intera&#xE7;&#xE3;o com vias descendentes noradren&#xE9;rgicas e serotonin&#xE9;rgicas.</p> <h3>Propriedades farmacocin&#xE9;ticas</h3> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina no estado de equil&#xED;brio &#xE9; semelhante em volunt&#xE1;rios sadios, pacientes com epilepsia recebendo antiepil&#xE9;pticos e em pacientes com dor cr&#xF4;nica.</p> <h4>Absor&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>A Pregabalina &#xE9; rapidamente absorvida quando administrada em jejum, com o pico das concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas ocorrendo dentro de 1 hora ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o tanto de doses &#xFA;nicas como m&#xFA;ltiplas. A biodisponibilidade oral da Pregabalina foi estimada em 90% ou mais, sendo independente da dose. Ap&#xF3;s repetidas administra&#xE7;&#xF5;es, o estado de equil&#xED;brio &#xE9; alcan&#xE7;ado dentro de 24 a 48 horas. O &#xED;ndice de absor&#xE7;&#xE3;o da Pregabalina &#xE9; reduzido quando administrado com alimentos, resultando numa diminui&#xE7;&#xE3;o da C<sub>m&#xE1;x</sub> de aproximadamente 25-30% e retardo do T<sub>m&#xE1;x</sub> em aproximadamente 2,5 horas. Entretanto, a administra&#xE7;&#xE3;o de Pregabalina com alimentos n&#xE3;o apresenta efeito clinicamente significativo sobre o grau de absor&#xE7;&#xE3;o deste medicamento.</p> <h4>Distribui&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>Em estudos pr&#xE9;-cl&#xED;nicos, observou-se que a Pregabalina atravessa a barreira hematoencef&#xE1;lica em camundongos, ratos e macacos. O f&#xE1;rmaco demonstrou atravessar a placenta em ratas e est&#xE1; presente no leite de ratas lactantes.</p> <p>Em humanos, o volume aparente de distribui&#xE7;&#xE3;o ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o oral &#xE9; de aproximadamente 0,56 L/kg. A Pregabalina n&#xE3;o se liga a prote&#xED;nas plasm&#xE1;ticas.</p> <h4>Metabolismo</h4> <p>A Pregabalina sofre metabolismo desprez&#xED;vel em humanos. Ap&#xF3;s uma dose radiomarcada, aproximadamente 98% da radioatividade recuperada na urina foram da Pregabalina inalterada. O derivado N-metilado da Pregabalina, o principal metab&#xF3;lito encontrado na urina, foi respons&#xE1;vel por 0,9% da dose. Em estudos pr&#xE9;-cl&#xED;nicos, n&#xE3;o houve indica&#xE7;&#xF5;es de racemiza&#xE7;&#xE3;o do enanti&#xF4;mero S em enanti&#xF4;mero R da Pregabalina.</p> <h4>Elimina&#xE7;&#xE3;o</h4> <p>A Pregabalina &#xE9; eliminada da circula&#xE7;&#xE3;o sist&#xEA;mica principalmente por excre&#xE7;&#xE3;o renal como f&#xE1;rmaco inalterado.</p> <p>A meia-vida de elimina&#xE7;&#xE3;o da Pregabalina &#xE9; de 6,3 horas. O <em>clearance </em>plasm&#xE1;tico e o <em>clearance </em>renal s&#xE3;o diretamente proporcionais ao <em>clearance </em>de creatinina.</p> <p>&#xC9; necess&#xE1;rio o ajuste de dose em pacientes com fun&#xE7;&#xE3;o renal reduzida ou em pacientes submetidos &#xE0; hemodi&#xE1;lise.</p> <h4>Linearidade / N&#xE3;o-linearidade</h4> <p>A farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina &#xE9; linear na faixa de doses di&#xE1;rias recomendadas. A variabilidade entre indiv&#xED;duos &#xE9; baixa (&lt;20%). A farmacocin&#xE9;tica das doses m&#xFA;ltiplas &#xE9; previs&#xED;vel a partir dos dados para dose &#xFA;nica. Portanto, n&#xE3;o h&#xE1; necessidade de monitora&#xE7;&#xE3;o de rotina das concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h4>Farmacocin&#xE9;tica em grupos especiais de pacientes</h4> <h5>Sexo</h5> <p>Estudos cl&#xED;nicos indicam que o sexo n&#xE3;o tem influ&#xEA;ncia clinicamente significativa sobre as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia renal</h5> <p>O <em>clearance </em>da Pregabalina &#xE9; diretamente proporcional ao <em>clearance </em>de creatinina. Al&#xE9;m disso, a Pregabalina &#xE9; removida do plasma por hemodi&#xE1;lise de modo eficaz (ap&#xF3;s 4 horas de hemodi&#xE1;lise, as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas de Pregabalina ficam reduzidas em aproximadamente 50%). Como a elimina&#xE7;&#xE3;o renal &#xE9; a principal via de excre&#xE7;&#xE3;o, &#xE9; necess&#xE1;ria a redu&#xE7;&#xE3;o da dose em pacientes com insufici&#xEA;ncia renal e suplementa&#xE7;&#xE3;o da dose ap&#xF3;s hemodi&#xE1;lise.</p> <h5>Insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica</h5> <p>Nenhum estudo farmacocin&#xE9;tico espec&#xED;fico foi conduzido em pacientes com insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica. Como a Pregabalina n&#xE3;o sofre metabolismo significativo, sendo excretada predominantemente como f&#xE1;rmaco inalterado na urina, a insufici&#xEA;ncia hep&#xE1;tica n&#xE3;o deve alterar significativamente as concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas da Pregabalina.</p> <h5>Idosos (mais de 65 anos de idade)</h5> <p>O <em>clearance </em>da Pregabalina tende a diminuir com o avan&#xE7;o da idade. Esta diminui&#xE7;&#xE3;o no <em>clearance </em>da Pregabalina oral est&#xE1; relacionada com as redu&#xE7;&#xF5;es no <em>clearance</em> de creatinina associadas &#xE0; maior idade. Pode ser necess&#xE1;ria redu&#xE7;&#xE3;o na dose em pacientes com fun&#xE7;&#xE3;o renal comprometida devido &#xE0; idade.</p> <h5>Lactantes</h5> <p>A farmacocin&#xE9;tica de 150 mg de Pregabalina administrados a cada 12 horas (dose di&#xE1;ria de 300 mg) foi avaliada em 10 mulheres lactantes que estavam a pelo menos 12 semanas <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/periodo-pos-parto-puerperio/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">p&#xF3;s-parto</a>. A lacta&#xE7;&#xE3;o apresentou pouca ou nenhuma influ&#xEA;ncia na farmacocin&#xE9;tica da Pregabalina. A Pregabalina foi excretada no leite materno com concentra&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia no estado de equil&#xED;brio de aproximadamente 76% da concentra&#xE7;&#xE3;o no plasma materno. A dose m&#xE9;dia di&#xE1;ria estimada de Pregabalina recebida pela crian&#xE7;a pelo leite materno (assumindo um consumo m&#xE9;dio de leite de 150 mL/kg/dia) foi 0,31 mg/kg/dia, a qual, em termos de mg/kg seria, aproximadamente, 7% da dose recebida pela m&#xE3;e.</p> <h3>Dados de seguran&#xE7;a pr&#xE9;-cl&#xED;nicos</h3> <p>Em estudos convencionais de seguran&#xE7;a farmacol&#xF3;gica em animais, a Pregabalina foi bem tolerada nas doses clinicamente relevantes. Em estudos de toxicidade das doses repetidas em ratos e macacos foram observados efeitos no SNC, incluindo hipoatividade, hiperatividade e ataxia. Foi comumente observado um aumento da incid&#xEA;ncia de atrofia retiniana em ratos albinos com idade avan&#xE7;ada, ap&#xF3;s exposi&#xE7;&#xF5;es prolongadas &#xE0; Pregabalina em doses &#x2265; 5 vezes a m&#xE9;dia de exposi&#xE7;&#xE3;o humana na dose cl&#xED;nica m&#xE1;xima recomendada.</p> <h4>Teratogenicidade</h4> <p>A Pregabalina n&#xE3;o foi teratog&#xEA;nica em camundongos, ratos ou coelhos. A toxicidade fetal em ratos e coelhos ocorreu somente com exposi&#xE7;&#xF5;es suficientemente acima da exposi&#xE7;&#xE3;o humana. Em estudos de toxicidade pr&#xE9;- e p&#xF3;s-natal, a Pregabalina induziu toxicidade no desenvolvimento da cria em ratos, com exposi&#xE7;&#xF5;es 2 vezes maiores que a exposi&#xE7;&#xE3;o m&#xE1;xima recomendada para humanos.</p> <h4>Mutagenicidade</h4> <p>A Pregabalina n&#xE3;o &#xE9; genot&#xF3;xica, com base nos resultados de uma bateria de testes <em>in vitro </em>e<em> in vivo</em>.</p> <h4>Carcinogenicidade</h4> <p>Estudos de carcinogenicidade de 2 anos com Pregabalina foram realizados com ratos e camundongos. Nenhum tumor foi observado em ratos expostos a at&#xE9; 24 vezes o valor m&#xE9;dio da exposi&#xE7;&#xE3;o humana na dose cl&#xED;nica m&#xE1;xima recomendada de 600 mg/dia. Em camundongos, n&#xE3;o houve aumento da incid&#xEA;ncia de tumores com exposi&#xE7;&#xF5;es semelhantes &#xE0; m&#xE9;dia da exposi&#xE7;&#xE3;o humana, mas observou-se um aumento da incid&#xEA;ncia de hemangiossarcoma com altas exposi&#xE7;&#xF5;es. O mecanismo n&#xE3;o-genot&#xF3;xico da Pregabalina, de indu&#xE7;&#xE3;o de forma&#xE7;&#xE3;o de tumores em camundongos, envolve altera&#xE7;&#xF5;es plaquet&#xE1;rias associadas &#xE0; prolifera&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas endoteliais. Estas altera&#xE7;&#xF5;es plaquet&#xE1;rias n&#xE3;o estavam presentes em ratos ou humanos com base em dados cl&#xED;nicos de curto prazo ou longo prazo limitado. N&#xE3;o h&#xE1; evid&#xEA;ncias sugerindo risco a humanos.</p> <p>Em ratos jovens a toxicidade n&#xE3;o diferiu qualitativamente da observada em ratos adultos.</p> <p>Entretanto, os ratos jovens foram mais sens&#xED;veis. Em exposi&#xE7;&#xF5;es terap&#xEA;uticas, houve evid&#xEA;ncia de sinais cl&#xED;nicos de hiperatividade do SNC e <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/bruxismo/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">bruxismo</a> e algumas altera&#xE7;&#xF5;es no crescimento (supress&#xE3;o transit&#xF3;ria do ganho de peso corporal). Foi observado efeito sobre o ciclo estral com 5 vezes a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana. Efeitos neuro comportamentais/cognitivos foram observados em ratos jovens 1-2 semanas ap&#xF3;s uma exposi&#xE7;&#xE3;o 2 vezes maior (resposta ac&#xFA;stica de sobressalto) ou 5 vezes maior (aprendizado/mem&#xF3;ria) que a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana.</p> <p>Resposta ac&#xFA;stica de sobressalto reduzida foi observada em ratos jovens, 1-2 semanas ap&#xF3;s uma exposi&#xE7;&#xE3;o 2 vezes maior que a exposi&#xE7;&#xE3;o terap&#xEA;utica humana. Nove semanas ap&#xF3;s a exposi&#xE7;&#xE3;o, este efeito n&#xE3;o foi mais observado.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Glya?

Glya deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegido da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do produto

Glya 75 mg

Cápsula gelatinosa dura, contendo granulado branco. Corpo branco opaco e tampa vermelha opaca.

Glya 150 mg

Cápsula gelatinosa dura, contendo granulado branco. Corpo e tampa branco opaco.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Glya

Medicamento similar equivalente ao medicamento de referência.

Cápsula dura 75 mg e 150 mg

Embalagens contendo 10 e 30 cápsulas duras.

Uso oral.

Uso adulto.

Dizeres Legais do Glya

M.S - 1.0298.0525

Farm. Resp.:
Dr. José Carlos Módolo
CRF-SP Nº 10.446

Registrado por:
Cristália – Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda
Rod. Itapira-Lindóia, km 14
Itapira – SP
CNPJ 44.734.671/0001-51
Indústria Brasileira




SAC
0800 701 19 18

Venda sob prescrição médica. Só pode ser vendido sob retenção de receita.

Fabricante: Cristália

© 2021 Medicamento Lab.