CSL Behring Beribumin

200mg/mL, caixa com 1 frasco-ampola com 50mL de solução de uso intravenoso (embalagem hospitalar)

Princípio ativo
:
Albumina Humana
Classe Terapêutica
:
Soluções De Proteinas >5%
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Dispensação Sob Prescrição Médica Restrito a Hospitais)
Categoria
:
Doenças Do Sangue
Especialidade
:
Hematologia e Clínica Médica

Bula do medicamento

Beribumin, para o que é indicado e para o que serve?

Este medicamento é indicado para:

  • <li>Aumento de press&#xE3;o onc&#xF3;tica em caso de defici&#xEA;ncia onc&#xF3;tica;</li> <li>Reposi&#xE7;&#xE3;o de volume isosm&#xF3;tico com efeito de longa dura&#xE7;&#xE3;o, na forma de solu&#xE7;&#xE3;o dilu&#xED;da a 4 - 5 %;</li> <li>Terapia de defici&#xEA;ncia de albumina.</li>

Quais as contraindicações do Beribumin?

Você não deve usar este medicamento se tiver hipersensibilidade (alergia) a preparações de albumina ou a qualquer excipiente do produto.

Como usar o Beribumin?

A albumina humana pode ser administrada por via intravenosa, não diluída ou após diluição em uma solução isotônica (por exemplo, glicose 5% ou cloreto de sódio 0,9%).

Soluções de albumina não devem ser diluídas com água para injeção, pois isso pode causar hemólise nos pacientes.

A taxa de infusão deve ser ajustada de acordo com a indicação e as circunstâncias individuais do paciente.

Na troca de plasma a taxa de infusão deve ser ajustada à taxa de remoção.

Se grandes volumes forem administrados, o produto deverá ser aquecido para temperatura ambiente ou para temperatura corporal antes do uso.

Durante a administração de Beribumin®, seu médico deverá medir com frequência os seguintes parâmetros:

  • <li>Press&#xE3;o arterial e pulsa&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Press&#xE3;o venosa central;</li> <li>Press&#xE3;o em cunha da art&#xE9;ria pulmonar;</li> <li>Produ&#xE7;&#xE3;o de urina;</li> <li>Eletr&#xF3;lito;</li> <li>Hemat&#xF3;crito / hemoglobina.&amp;nbsp;</li>

Beribumin® não deve ser misturado com outros medicamentos, incluindo o sangue e concentrados de hemácias, com exceção dos excipientes recomendados este item.

Posologia do Beribumin

{"tag":"hr","value":" <p>A concentra&#xE7;&#xE3;o da prepara&#xE7;&#xE3;o de albumina, dose e taxa de infus&#xE3;o deve ser ajustada de acordo com a indica&#xE7;&#xE3;o e as circunst&#xE2;ncias individuais do paciente.</p> <p>A dose necess&#xE1;ria depende do tamanho do paciente, da gravidade do trauma ou doen&#xE7;a e do fluido cont&#xED;nuo e perdas proteicas. As medidas de adequa&#xE7;&#xE3;o do volume circulante devem ser usadas, ao inv&#xE9;s dos n&#xED;veis de albumina, para determinar a dose necess&#xE1;ria.</p> <p>A decis&#xE3;o da sua dose &#xE9; responsabilidade do seu m&#xE9;dico.</p> <p><strong>Siga a orienta&#xE7;&#xE3;o de seu m&#xE9;dico, respeitando sempre os hor&#xE1;rios, as doses e a dura&#xE7;&#xE3;o do tratamento. N&#xE3;o interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m&#xE9;dico.</strong></p> "}

Como o Beribumin funciona?

A albumina humana representa quantitativamente mais da metade de proteínas totais no plasma, e cerca de 10% da atividade de síntese protéica no fígado.

A função fisiológica mais importante da albumina humana resulta da sua contribuição na manutenção da pressão osmótica do sangue e na função de transporte. A albumina humana estabiliza o volume sanguíneo circulante e é um transportador de hormônios, enzimas, medicamentos e toxinas.

Quais cuidados devo ter ao usar o Beribumin?

Se você tiver reações do tipo alérgicas ou anafiláticas, seu médico irá interromper imediatamente a infusão e lhe administrará tratamento apropriado. Se você apresentar choque, seu médico fará o tratamento médico padrão.

Beribumin® deve ser usado com cautela em condições nas quais a hipervolemia (volume excessivo de sangue) e suas consequências ou hemodiluição (diminuição da concentração do sangue) possam representar um risco especial para o paciente.

Exemplos de tais condições:

  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">Insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> descompensada;</li> <li>Hipertens&#xE3;o (<a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">press&#xE3;o alta</a>);</li> <li>Varizes no es&#xF4;fago;</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-edema-pulmonar-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">Edema pulmonar</a> (ac&#xFA;mulo excessivo de fluido extravascular no pulm&#xE3;o);</li> <li>Di&#xE1;tese hemorr&#xE1;gica (tend&#xEA;ncia anormal a sangramentos espont&#xE2;neos);</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-grave" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-do-sangue/anemia/c" target="_blank">Anemia</a> grave;</li> <li>An&#xFA;ria (diminui&#xE7;&#xE3;o ou aus&#xEA;ncia de urina) renal e p&#xF3;s-renal.</li>

O seu médico deverá assegurar que você está hidratado antes de começar a infusão, e irá cuidadosamente monitorar se você apresenta sobrecarga circulatória e hiperhidratação (excesso de água no corpo).

O seu médico deverá monitorar seu nível de eletrólitos e utilizar medidas adequadas para restaurar ou manter seu balanço eletrolítico.

Soluções de albumina não devem ser diluídas com água para injetáveis, pois pode causar hemólise nos pacientes.

Se volumes comparativamente grandes devem ser repostos, são necessários controles de coagulação e hematócrito. Deve-se tomar cuidado para garantir a substituição adequada de outros componentes do sangue (fatores de coagulação, eletrólitos, plaquetas e eritrócitos).

Se a dose e a taxa de infusão não forem ajustadas à situação circulatória do paciente, pode ocorrer hipervolemia. Aos primeiros sinais de sobrecarga cardiovascular (dor de cabeça, falta de ar, congestão da veia jugular), ou aumento da pressão sanguínea, aumento da pressão venosa ou edema pulmonar, a infusão deve ser interrompida imediatamente.

Beribumin® contém 125 mmol de sódio por litro. Isto deve ser levado em consideração por pacientes em dieta controlada de sódio.

Segurança viral

Algumas medidas são tomadas para prevenir infecções resultantes do uso de medicamentos preparados a partir de sangue humano: a seleção de doadores; o teste das doações quanto a marcadores de infecção; e a inclusão de etapas de produção para inativar e remover os vírus. Apesar disso, quando são administrados medicamentos preparados a partir de sangue humano, a possibilidade de transmissão de agentes infecciosos não pode ser totalmente excluída. Isto também se aplica a vírus desconhecidos ou emergentes e outros patógenos.

Não há relatos de transmissão viral com albumina fabricada de acordo com as especificações da Farmacopeia Europeia por processos estabelecidos.

É altamente recomendável que toda vez que Beribumin® for administrado a um paciente, o nome e o número do lote do produto sejam registrados, para manter uma rastreabilidade entre o paciente e o lote do produto.

Uso durante a gravidez e a amamentação

A segurança de Beribumin® para uso em mulheres grávidas ainda não foi estabelecida em estudos clínicos controlados. Entretanto, a experiência clínica com albumina não sugere nenhum efeito prejudicial ao feto, recém-nascido ou no curso da gravidez, uma vez que a albumina é um componente normal do sangue humano. Não foram conduzidos estudos de reprodução em animais com Beribumin®. Estudos experimentais em animais são insuficientes para avaliar a segurança com relação à reprodução, desenvolvimento do embrião ou feto, o curso da gestação e o desenvolvimento peri e pós-natal.

Categoria C: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Efeito na habilidade de dirigir veículos e operar máquinas

Não foram observados efeitos na habilidade de dirigir veículos e operar máquinas.

Doping

Atenção atletas: este medicamento contém albumina humana, que é considerada um agente mascarante do doping conforme lista de referência do Comitê Olímpico Internacional.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Beribumin?

As reações adversas a seguir são baseadas na experiência pós-comercialização e foram observados muito raramente (<1/10.000 incluindo casos únicos relatados):

Perturbações gerais e alterações no local de administração
  • <li>Calafrio, <a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/c" target="_blank">febre</a>, n&#xE1;usea, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">v&#xF4;mito</a>, dor de cabe&#xE7;a, mal-estar e rubor (vermelhid&#xE3;o).</li>
Doenças do sistema imunitário
  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es de hipersensibilidade ou rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgica-anafil&#xE1;tica como erup&#xE7;&#xF5;es cut&#xE2;neas, coceira, <a href="https://minutosaudavel.com.br/urticaria/" rel="noopener" target="_blank">urtic&#xE1;ria</a>, falta de ar, taquicardia (aumento dos batimentos do cora&#xE7;&#xE3;o), bradicardia (diminui&#xE7;&#xE3;o dos batimentos do cora&#xE7;&#xE3;o), press&#xE3;o baixa. Estas rea&#xE7;&#xF5;es podem, em casos isolados, levar ao choque com risco de morte.</li>

Reações amenas normalmente desaparecem rapidamente após a diminuição da velocidade de infusão ou interrupção da infusão. Em casos de reações severas (por exemplo, choque anafilático) a infusão deve ser imediatamente interrompida e um tratamento apropriado deve ser instituído.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Beribumin?

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Beribumin?

Cada frasco-ampola contém:

200&nbsp;mg/mL de&nbsp;albumina humana.

Excipientes: cloreto de sódio, acetilracetriptofano, caprilato de sódio, hidróxido de sódio ou ácido clorídrico (em pequenas quantidades para ajuste de pH) e água para injetáveis.

A solução é hiperoncótica.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Beribumin maior do que a recomendada?

Se doses e taxas de infusão forem altas demais, pode ocorrer hipervolemia (volume excessivo de sangue).

Ao primeiro sinal clínico de falência cardiovascular (dor de cabeça, falta de ar, congestão da veia jugular) ou aumento da pressão sangüínea, aumento da pressão venosa central ou edema pulmonar, a infusão deve ser descontinuada imediatamente e os parâmetros hemodinâmicos do paciente devem ser cuidadosamente monitorados.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Beribumin com outros remédios?

Não são conhecidos quaisquer tipos de interação medicamentosa.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Beribumin (Albumina Humana)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>Albumina Humana humana vem sendo usada na terapia de pacientes cr&#xED;ticos desde sua introdu&#xE7;&#xE3;o comercial na d&#xE9;cada de 1940.<sup>1</sup></p> <p>&#xC9; usada para expans&#xE3;o do volume plasm&#xE1;tico e reanima&#xE7;&#xE3;o com l&#xED;quidos no tratamento de emerg&#xEA;ncia de hipovolemia quando a restaura&#xE7;&#xE3;o urgente do volume de sangue &#xE9; indicada. Admite-se que o efeito ben&#xE9;fico da Albumina Humana para a reanima&#xE7;&#xE3;o com l&#xED;quidos &#xE9; resultado principalmente de sua contribui&#xE7;&#xE3;o para a press&#xE3;o osm&#xF3;tica coloidal (POC). A Albumina Humana humana &#xE9; respons&#xE1;vel quantitativamente por mais de metade do total de prote&#xED;na no plasma humano e por 75-80% do POC do soro ou plasma. Os efeitos fisiol&#xF3;gicos da Albumina Humana incluem, adicionalmente &#xE0; regula&#xE7;&#xE3;o da press&#xE3;o osm&#xF3;tica coloidal, a liga&#xE7;&#xE3;o e transporte de v&#xE1;rias subst&#xE2;ncias (horm&#xF4;nios, drogas) pelo sangue, propriedades antioxidantes, modula&#xE7;&#xE3;o de &#xF3;xido n&#xED;trico, capacidade tamp&#xE3;o e a&#xE7;&#xF5;es antiinflamat&#xF3;rias que podem ser particularmente importantes para pacientes cr&#xED;ticos.<sup>1,2</sup></p> <p>As caracter&#xED;sticas da Albumina Humana humana compreendem elevada reten&#xE7;&#xE3;o no espa&#xE7;o intravascular devido ao seu prolongado tempo de meia-vida e efetiva e r&#xE1;pida expans&#xE3;o do volume plasm&#xE1;tico.<sup>2,6</sup></p> <p>Hipoalbuminemia, uma condi&#xE7;&#xE3;o comum em pacientes cr&#xED;ticos com baixo n&#xED;vel s&#xE9;rico de Albumina Humana (n&#xED;veis de Albumina Humana &#x2264; 34 g/L3), &#xE9; associada com resultados cl&#xED;nicos desfavor&#xE1;veis. Em uma investiga&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica, cada redu&#xE7;&#xE3;o de 10 g/L na concentra&#xE7;&#xE3;o de Albumina Humana s&#xE9;rica foi associada com um aumento de 137% nas chances de morte, um aumento de 89% na morbidade, prolongamento na perman&#xEA;ncia na unidade de terapia intensiva e na hospitaliza&#xE7;&#xE3;o respectivamente de 28% e 71%, e aumento de 66%3 na utiliza&#xE7;&#xE3;o de recursos. An&#xE1;lises de dose-depend&#xEA;ncia em triagens controladas de terapia com Albumina Humana sugeriram que as taxas de complica&#xE7;&#xE3;o podem ser reduzidas quando o n&#xED;vel s&#xE9;rico de Albumina Humana atingido durante sua administra&#xE7;&#xE3;o 30 g/L.<sup>3</sup></p> <p>Em um estudo randomizado, duplo-cego, controlado &#x2013; estudo SAFE (<em>saline versus albumin fluid evaluation</em>) &#x2013; investigando 6997 pacientes de unidades de terapia intensiva (UTI) multidisciplinares de 16 hospitais,<br> verificou que Albumina Humana e solu&#xE7;&#xE3;o salina (NaCl 0.9%) produzem efeitos de tratamento semelhantes em toda a gama de concentra&#xE7;&#xF5;es de Albumina Humana.<sup>4,5 </sup></br></p> <p>Uma metan&#xE1;lise de 17 estudos randomizados, controlados, envolvendo 1977 pacientes com <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/sepse-septicemia-sintomas-tratamento-tipos-tem-cura/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">sepse</a>, comparando a solu&#xE7;&#xE3;o de Albumina Humana com outros fluidos na reanima&#xE7;&#xE3;o com l&#xED;quidos sugeriu que Albumina Humana pode estar associada com significante redu&#xE7;&#xE3;o da mortalidade nesta subpopula&#xE7;&#xE3;o de pacientes (OR, 0,82; IC 95%, 0,67 a 1,00; p=0.047).<sup>7</sup></p> <p>O estudo ALBIOS8, um estudo randomizado, aberto, controlado, comparou a efic&#xE1;cia da solu&#xE7;&#xE3;o de Albumina Humana com a da solu&#xE7;&#xE3;o salina de cristaloides em pacientes com sepse grave e choque s&#xE9;ptico de 100 UTIs. Em pacientes com sepse grave, a reposi&#xE7;&#xE3;o de Albumina Humana al&#xE9;m de cristaloides, quando comparada somente com a reposi&#xE7;&#xE3;o de cristaloides, apresentou uma taxa semelhante de sobreviv&#xEA;ncia nos dias 28 e 90.<sup>8</sup></p> <p>Os n&#xED;veis s&#xE9;ricos de Albumina Humana foram significantemente maiores no grupo da Albumina Humana do que no grupo de cristaloides desde o dia 1 ao dia 28 (p&lt;0.001). Durante os primeiros 7 dias, os pacientes tratados com a Albumina Humana apresentaram frequ&#xEA;ncia card&#xED;aca significantemente mais baixa (p=0.002) e press&#xE3;o arterial m&#xE9;dia mais elevada (p=0.03) do que os pacientes do grupo controle com cristaloides.<sup>8</sup></p> <p>A an&#xE1;lise combinada dos dados de mortalidade agrupados dos tr&#xEA;s maiores estudos sobre terapia vol&#xEA;mica com Albumina Humana humana na sepse &#x2013; estudos SAFE, ALBIOS e EARSS &#x2013; indicou que a administra&#xE7;&#xE3;o de Albumina Humana natural coloidal pode reduzir a mortalidade de forma significante em pacientes com sepse grave ou choque s&#xE9;ptico (RR = 0.92; 95% CI, 0.84 a 1.00; p=0.046).<sup>9 </sup>O custo-efic&#xE1;cia de Albumina Humana humana e a expectativa de vida foram analisados no estudo COASST em 11,137 pacientes com sepse grave e/ou choque s&#xE9;ptico admitidos em 35 UTIs durante 5 anos. A m&#xE9;dia da expectativa de vida dos 5,156 pacientes que deixaram o hospital vivos foi estimada em 9.78 anos. A an&#xE1;lisede custo-efic&#xE1;cia indicou que a infus&#xE3;o de Albumina Humana humana para sepse grave foi custo-efetiva.<sup>10</sup></p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1. Vincent J-L, Russell JA, Jacob M, et al. Albumin administration in the acutely ill: what is new and where next? Crit Care 2014;18(4):231, 10 pages.<br> 2. Wiedermann CJ, Joannidis M. Nephroprotective Potential of Human Albumin Infusion: A Narrative Review. Gastroenterol Res Pract 2015;2015: 912839, 8 pages.<br> 3. Vincent JL, Dubois MJ, Navickis RJ, Wilkes MM. Hypoalbuminemia in acute illness: is there a rationale for intervention? A meta-analysis of cohort studies and controlled trials. Ann Surg 2003;237:319-34.<br> 4. SAFE Study Investigators, Finfer S, Bellomo R, et al. Effect of baseline serum albumin concentration on outcome of resuscitation with albumin or saline in patients in intensive care units: analysis of data from the saline versus albumin fluid evaluation (SAFE) study. BMJ 2006;333(7577):1044.<br> 5. Finfer S, Bellomo R, Boyce N, et al. A comparison of albumin and saline for fluid resuscitation in the intensive care unit. N Engl J Med 2004;350:2247-56.<br> 6. Mendez CM, McClain CJ, Marsano LS. Albumin therapy in clinical practice. Nutr Clin Pract 2005;20(3):314-20.<br> 7. Delaney AP, Dan A, McCaffrey J, Finfer S. The role of albumin as a resuscitation fluid for patients with sepsis: a systematic review and meta-analysis. Crit Care Med 2011;39:386-91.<br> 8. Caironi P, Tognoni G, Masson S, et al. Albumin replacement in patients with severe sepsis or septic shock. N Engl J Med. 2014;370(15):1412-21.<br> 9. Wiedermann CJ, Joannidis M. &#x201C;Albumin Replacement in Severe Sepsis or Septic Shock&#x201D;- Letter to editor. N Engl J Med 2014;371(1): 83.<br> 10. Guidet B, Mosqueda GJ, Priol G, Aegerter P. The COASST study: cost-effectiveness of albumin in severe sepsis and septic shock. J Crit Care 2007;22:197-203.</br></br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Propriedades Farmacodin&#xE2;micas</h3> <p>A Albumina Humana humana representa quantitativamente mais da metade de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/proteinas/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">prote&#xED;nas</a> totais no plasma e cerca de 10% da atividade de s&#xED;ntese proteica no <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c\" target=\"_blank\">f&#xED;gado</a>.</p> <p>A fun&#xE7;&#xE3;o fisiol&#xF3;gica mais importante da Albumina Humana humana resulta da sua contribui&#xE7;&#xE3;o na manuten&#xE7;&#xE3;o da press&#xE3;o onc&#xF3;tica do sangue e na fun&#xE7;&#xE3;o de transporte de subst&#xE2;ncias de baixo peso molecular. A Albumina Humana humana estabiliza o volume sangu&#xED;neo circulante e &#xE9; um transportador de horm&#xF4;nios, enzimas, medicamentos e toxinas.</p> <h3>Propriedades Farmacocin&#xE9;ticas</h3> <p>Em condi&#xE7;&#xF5;es normais, a concentra&#xE7;&#xE3;o de Albumina Humana humana &#xE9; de 4-5 g/kg do peso corp&#xF3;reo, dos quais 40-45% est&#xE3;o presentes no espa&#xE7;o intravascular e 55-60% no espa&#xE7;o extravascular. O aumento da permeabilidade capilar alterar&#xE1; a cin&#xE9;tica da Albumina Humana e pode ocorrer uma distribui&#xE7;&#xE3;o anormal em condi&#xE7;&#xF5;es tais como <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/queimaduras/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">queimaduras</a> graves ou choque s&#xE9;ptico.</p> <p>Sob condi&#xE7;&#xF5;es normais a meia-vida da Albumina Humana humana &#xE9;, em m&#xE9;dia, cerca de 19 dias. O balan&#xE7;o entre a s&#xED;ntese e a quebra normalmente &#xE9; obtido por regula&#xE7;&#xE3;o por retroalimenta&#xE7;&#xE3;o. A elimina&#xE7;&#xE3;o &#xE9; predominantemente intracelular e realizada por meio de proteases lisoss&#xF4;micas. Em pessoas saud&#xE1;veis, menos que 10% da Albumina Humana humana infundida deixa o compartimento intravascular durante as primeiras 2 horas ap&#xF3;s a infus&#xE3;o.</p> <p>H&#xE1; uma varia&#xE7;&#xE3;o individual consider&#xE1;vel no efeito sobre o volume plasm&#xE1;tico. Em alguns pacientes o volume de plasma pode permanecer aumentado por algumas horas. Entretanto, em pacientes debilitados, a Albumina Humana pode extravasar do espa&#xE7;o vascular em quantidades substanciais a uma taxa n&#xE3;o previs&#xED;vel.</p> <h3>Seguran&#xE7;a pr&#xE9;-cl&#xED;nica</h3> <p>A Albumina Humana humana &#xE9; um constituinte normal do plasma humano e atua como a Albumina Humana fisiol&#xF3;gica.</p> <p>Em animais, testes de toxicidade de dose &#xFA;nica t&#xEA;m pouca import&#xE2;ncia e n&#xE3;o possibilitam a estimativa de doses t&#xF3;xicas ou letais ou uma rela&#xE7;&#xE3;o dose-efeito. Testes de toxicidade de doses repetidas s&#xE3;o impratic&#xE1;veis devido ao desenvolvimento de <a href=\"https://consultaremedios.com.br/anticorpos/bula\" target=\"_blank\">anticorpos</a> a prote&#xED;nas heter&#xF3;logas em animais de laborat&#xF3;rio. At&#xE9; a presente data n&#xE3;o existem relatos de Albumina Humana humana associada com toxicidade embrio-fetal, potencial oncog&#xEA;nico ou mutag&#xEA;nico.</p> <p><strong>N&#xE3;o foram descritos sinais de toxicidade aguda em modelos animais.</strong></p> </hr>"}

Como devo armazenar o Beribumin?

Beribumin® deve ser conservado em sua embalagem original, em temperatura ambiente (temperatura entre 15 e 30°C). Não congelar. Manter o frasco-ampola em sua embalagem secundária a fim de protegê-lo da luz. O prazo de validade é de 36 meses a partir da data de fabricação, quando armazenado.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Após a abertura do frasco-ampola, use o conteúdo imediatamente.

Aspectos físicos

Beribumin® é um líquido levemente viscoso; quase incolor, amarelo, âmbar ou verde.

Não use se a solução estiver turva ou contiver partículas, uma vez que isto pode indicar que a proteína está instável ou que a solução foi contaminada.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

O produto não utilizado ou os resíduos devem ser eliminados de acordo com as exigências locais.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Beribumin

Solução injetável 200 mg/mL

Embalagem com 1 frasco-ampola com 50 mL de solução injetável contendo 200 mg/mL de proteínas totais, das quais pelo menos 96% é albumina humana.

Via intravenosa.

Uso adulto e pediátrico.

Dizeres Legais do Beribumin

M.S -&nbsp;1.0151.0108

Farm. Resp.:
Cristina J. Nakai
CRF-SP 14.848

Fabricado por:
CSL Behring GmbH
Marburg – Alemanha

Importado por:
CSL Behring Comércio de Produtos Farmacêuticos Ltda
Rua Gomes de Carvalho, 1195 - conj. 32
CEP: 04547-004 - São Paulo - SP
CNPJ: 62.969.589/0001-98



Uso restrito a hospitais.

Venda sob prescrição médica.

Fabricante: CSL Behring

© 2021 Medicamento Lab.