EMS Sigma Pharma Deflaimmun Comprimido

6mg, caixa com 20 comprimidos

Princípio ativo
:
Deflazacorte
Classe Terapêutica
:
Corticosteróides Orais Puros
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Anti-Inflamatórios
Especialidade
:
Dermatologia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Hematologia, Oftalmologia, Oncologia, Ortopedia e traumatologia, Pneumologia, Reumatologia e Neurologia

Bula do medicamento

Deflaimmun Comprimido, para o que é indicado e para o que serve?

Comprimido 6 mg e 30 mg

Este medicamento é destinado ao tratamento de:
Doenças reumáticas
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/artrite-reumatoide/" rel="noopener" target="_blank">Artrite reumatoide</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o cr&#xF4;nica das articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-ossos/artrite/c" target="_blank">artrite</a> psori&#xE1;sica [tipo de <a href="https://consultaremedios.com.br/b/artrite-inflamatoria" target="_blank">artrite inflamat&#xF3;ria</a> associada com <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/psoriase/c" target="_blank">psor&#xED;ase</a> (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria e cr&#xF4;nica da pele)], <a href="https://minutosaudavel.com.br/espondilite-anquilosante/" rel="noopener" target="_blank">espondilite anquilosante</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o da coluna e grandes articula&#xE7;&#xF5;es, como quadris, ombros e outras regi&#xF5;es), <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-ossos/gota/c" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/b/artrite-gotosa" target="_blank">artrite gotosa</a> aguda (inflama&#xE7;&#xE3;o da articula&#xE7;&#xE3;o associada &#xE0; gota), osteoartrite p&#xF3;s-traum&#xE1;tica (doen&#xE7;a que destr&#xF3;i lentamente a articula&#xE7;&#xE3;o e se inicia ap&#xF3;s um trauma), sinovite (inflama&#xE7;&#xE3;o da membrana que envolve as articula&#xE7;&#xF5;es) por osteoartrite (doen&#xE7;a que degenera as articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-bursite-no-ombro-quadril-remedios-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">bursite</a> aguda e subaguda [inflama&#xE7;&#xE3;o da bolsa sinovial (pequena bolsa que cont&#xE9;m l&#xED;quido e envolve as articula&#xE7;&#xF5;es)], <a href="https://minutosaudavel.com.br/tenossinovite-de-quervain-tratamento-sintomas-sinais-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">tenossinovite</a> aguda n&#xE3;o espec&#xED;fica (inflama&#xE7;&#xE3;o da membrana que recobre o tend&#xE3;o), epicondilite (inflama&#xE7;&#xE3;o dos tend&#xF5;es do cotovelo).</li>
Doenças do tecido conjuntivo
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/lupus/c" target="_blank">L&#xFA;pus eritematoso sist&#xEA;mico</a> [doen&#xE7;a multissist&#xEA;mica auto-imune (o sistema de defesa ataca o pr&#xF3;prio corpo)], dermatomiosite sist&#xEA;mica (polimiosite) (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria cr&#xF4;nica ou subaguda do m&#xFA;sculo, da pele e/ou do tecido respons&#xE1;vel pelo preenchimento dos espa&#xE7;os vazios e pela liga&#xE7;&#xE3;o entre &#xF3;rg&#xE3;os e tecidos), cardite reum&#xE1;tica aguda (inflama&#xE7;&#xE3;o das camadas do cora&#xE7;&#xE3;o), polimialgia reum&#xE1;tica (doen&#xE7;a caracterizada por dor intensa e rigidez nos m&#xFA;sculos do pesco&#xE7;o, dos ombros e quadris), poliarterite nodosa (inflama&#xE7;&#xE3;o das art&#xE9;rias), arterite temporal (inflama&#xE7;&#xE3;o dos vasos sangu&#xED;neos da cabe&#xE7;a), granulomatose de Wegener (doen&#xE7;a auto-imune).</li>
Doenças da pele
  • <li>P&#xEA;nfigo (doen&#xE7;a que causa o aparecimento de bolhas na pele e no tecido que reveste as cavidades do corpo), <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/dermatites/c" target="_blank">dermatite</a> herpetiforme bolhosa (forma&#xE7;&#xE3;o de grupos de pequenas bolhas, com sensa&#xE7;&#xE3;o de <a href="https://minutosaudavel.com.br/queimaduras/" rel="noopener" target="_blank">queimadura</a> intensa e coceira), eritema multiforme grave (S&#xED;ndrome de Stevens-Johnson) (forma grave de rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica caracterizada por bolhas em mucosas e grandes &#xE1;reas do corpo), dermatite esfoliativa (altera&#xE7;&#xE3;o da pele acompanhada de descama&#xE7;&#xE3;o), <a href="https://consultaremedios.com.br/antifungico/micose/c" target="_blank">micose</a> fungoide (<a href="https://consultaremedios.com.br/cancer/c" target="_blank">c&#xE2;ncer</a> de c&#xE9;lulas T da pele), psor&#xED;ase grave, <a href="https://minutosaudavel.com.br/dermatite-seborreica/" rel="noopener" target="_blank">dermatite seborreica</a> grave (caspa no couro cabeludo, face e outras partes do corpo).</li>
Estados alérgicos
  • <li>Controle de rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas graves ou incapacitantes que n&#xE3;o respondem a medicamentos n&#xE3;o esteroidais, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/rinite-alergica/c" target="_blank">rinite al&#xE9;rgica</a> sazonal ou perene (inflama&#xE7;&#xE3;o das membranas que revestem o nariz), <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/asma/c" target="_blank">asma</a> br&#xF4;nquica (<a href="https://consultaremedios.com.br/b/doenca-pulmonar" target="_blank">doen&#xE7;a pulmonar</a> caracterizada pela contra&#xE7;&#xE3;o das vias respirat&#xF3;rias ocasionando falta de ar), <a href="https://minutosaudavel.com.br/dermatite-de-contato/" rel="noopener" target="_blank">dermatite de contato</a> (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica da pele a determinadas subst&#xE2;ncias), <a href="https://minutosaudavel.com.br/dermatite-atopica/" rel="noopener" target="_blank">dermatite at&#xF3;pica</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o cr&#xF4;nica da pele), rea&#xE7;&#xF5;es de hipersensibilidade (alergia ou intoler&#xE2;ncia) a drogas, doen&#xE7;a do soro [rea&#xE7;&#xE3;o de hipersensibilidade tardia (ap&#xF3;s 14 dias) a determinados tipos de droga ou soro].</li>
Doenças respiratórias
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/sarcoidose-o-que-e-tipos-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">Sarcoidose</a> (ac&#xFA;mulo de c&#xE9;lulas inflamat&#xF3;rias em v&#xE1;rios &#xF3;rg&#xE3;os do corpo), s&#xED;ndrome de Loeffler (inflama&#xE7;&#xE3;o dos pulm&#xF5;es), <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c" target="_blank">pneumonia</a> al&#xE9;rgica ou por aspira&#xE7;&#xE3;o (inflama&#xE7;&#xE3;o ou infec&#xE7;&#xE3;o de causa al&#xE9;rgica ou por aspira&#xE7;&#xE3;o de comida, l&#xED;quido ou conte&#xFA;do g&#xE1;strico para os pulm&#xF5;es), fibrose pulmonar idiop&#xE1;tica (forma&#xE7;&#xE3;o de tecido fibroso no pulm&#xE3;o).</li>
Doenças dos olhos
  • <li>Inflama&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea (estrutura transparente que reveste o olho), uve&#xED;te posterior difusa [inflama&#xE7;&#xE3;o da &#xFA;vea (parte do olho)], coroidite [inflama&#xE7;&#xE3;o da coroide (parte do olho)], oftalmia simp&#xE1;tica (inflama&#xE7;&#xE3;o dos olhos), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/conjuntivite-alergica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-olhos/conjuntivite/c" target="_blank">conjuntivite</a> al&#xE9;rgica [inflama&#xE7;&#xE3;o ou infec&#xE7;&#xE3;o na conjuntiva (parte do olho)], <a href="https://minutosaudavel.com.br/ceratite-o-que-e-sintomas-tratamento-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">ceratite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea), coriorretinite (inflama&#xE7;&#xE3;o de partes do olho), neurite &#xF3;ptica (inflama&#xE7;&#xE3;o do nervo do&amp;nbsp;olho), irite [inflama&#xE7;&#xE3;o da &#xED;ris (parte do olho)], iridociclite [inflama&#xE7;&#xE3;o aguda ou cr&#xF4;nica da &#xED;ris e corpo ciliar (partes do olho)] e <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/herpes/c" target="_blank">herpes</a> zoster ocular (infec&#xE7;&#xE3;o do olho por um v&#xED;rus).</li>
Distúrbios hematológicos (referentes ao sangue)
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/purpura/" rel="noopener" target="_blank">P&#xFA;rpura</a> trombocitop&#xEA;nica idiop&#xE1;tica (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de c&#xE9;lulas respons&#xE1;veis pela coagula&#xE7;&#xE3;o do sangue), <a href="https://minutosaudavel.com.br/trombocitopenia/" rel="noopener" target="_blank">trombocitopenia</a> secund&#xE1;ria (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de c&#xE9;lulas respons&#xE1;veis pela coagula&#xE7;&#xE3;o do sangue), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-hemolitica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-do-sangue/anemia/c" target="_blank">anemia</a> hemol&#xED;tica autoimune (diminui&#xE7;&#xE3;o das c&#xE9;lulas vermelhas do sangue), eritroblastopenia (anemia causada pela aus&#xEA;ncia de produ&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas vermelhas do sangue), anemia hipopl&#xE1;stica cong&#xEA;nita (eritroide) (anemia causada pela aus&#xEA;ncia de produ&#xE7;&#xE3;o dos precursores dos gl&#xF3;bulos vermelhos).</li>
Doenças gastrintestinais
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/colite/" rel="noopener" target="_blank">Colite</a> ulcerativa (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria do intestino grosso), enterite regional (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria cr&#xF4;nica que pode atingir qualquer parte do sistema digestivo, mais comum em algumas partes do intestino), <a href="https://consultaremedios.com.br/infectologia/hepatite/c" target="_blank">hepatite</a> cr&#xF4;nica (inflama&#xE7;&#xE3;o do <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c" target="_blank">f&#xED;gado</a>).</li>
Doenças neoplásicas (câncer)
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cancer/leucemia/c" target="_blank">Leucemia</a> (tipo de c&#xE2;ncer que afeta as c&#xE9;lulas de defesa do organismo), linfomas (tipos de c&#xE2;ncer que atingem o sistema linf&#xE1;tico), mieloma m&#xFA;ltiplo (tipo de c&#xE2;ncer que afeta alguns tipos de c&#xE9;lulas de defesa do organismo).</li>
Doenças do sistema nervoso
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/esclerose-multipla/c" target="_blank">Esclerose m&#xFA;ltipla</a> (doen&#xE7;a autoimune do <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/c" target="_blank">sistema nervoso central</a>) em exacerba&#xE7;&#xE3;o.</li>
Doenças dos rins
  • <li>S&#xED;ndrome nefr&#xF3;tica (condi&#xE7;&#xE3;o caracterizada por perda maci&#xE7;a de <a href="https://minutosaudavel.com.br/proteinas/" rel="noopener" target="_blank">prote&#xED;nas</a> na urina).</li>
Doenças hormonais
  • <li>Insufici&#xEA;ncia suprarrenal prim&#xE1;ria ou secund&#xE1;ria (incapacidade da gl&#xE2;ndula suprarrenal em produzir seus horm&#xF4;nios) [a <a href="https://consultaremedios.com.br/hidrocortisona/bula" target="_blank">hidrocortisona</a> ou cortisona s&#xE3;o as drogas de escolha; o <a href="https://consultaremedios.com.br/deflazacorte/bula" target="_blank">deflazacorte</a>, devido aos seus poucos efeitos mineralocorticoides, deve ser usado em conjunto com um mineralocorticoide (horm&#xF4;nios que regulam o equil&#xED;brio de sais e l&#xED;quidos no corpo)], hiperplasia suprarrenal cong&#xEA;nita (dist&#xFA;rbio presente desde o nascimento caracterizado pela defici&#xEA;ncia da gl&#xE2;ndula adrenal em produzir cortisona e aldosterona e hiperprodu&#xE7;&#xE3;o de horm&#xF4;nios androg&#xEA;nios), tiroidite n&#xE3;o supurativa (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria da gl&#xE2;ndula <a href="https://consultaremedios.com.br/tireoide/c" target="_blank">tireoide</a>).</li>

Devido à propriedade protetora dos ossos, o deflazacorte pode ser a substância de escolha para pessoas que necessitam de tratamento com glicocorticoides (tipo de hormônio), especialmente aqueles que apresentam maior risco de osteoporose (doença que atinge os ossos, causando redução da massa óssea). Seus reduzidos efeitos diabetogênicos (que causam diabetes) tornam o deflazacorte o glicocorticoide sistêmico de escolha em pacientes diabéticos e pré-diabéticos.

Comprimido 7,5 mg

Deflaimmun® é um glicocorticóide com propriedades antiinflamatórias e imunossupressoras, utilizado terapeuticamente em uma grande variedade de doenças segundo orientação médica.

Quais as contraindicações do Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Deflaimmun® não deve ser utilizado nos seguintes casos:
  • <li>Pacientes com hipersensibilidade ao deflazacorte ou a qualquer um dos componentes da f&#xF3;rmula;</li> <li>Pacientes que estejam recebendo imuniza&#xE7;&#xE3;o (vacina de v&#xED;rus vivo) (possibilidade de dissemina&#xE7;&#xE3;o de v&#xED;rus vivos e/ou falha na resposta das c&#xE9;lulas de defesa).</li>

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Este medicamento é contraindicado a pacientes com hipersensibilidade conhecida a deflazacorte e/ou demais componentes da formulação.

Como usar o Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Você deve tomar os comprimidos com líquido, por via oral.

A dose necessária é variável e deve ser individualizada de acordo com a doença a ser tratada e a resposta do paciente.

Uso adulto
Dose inicial
  • <li>6 a 90 mg/dia, dependendo da gravidade dos sintomas.</li>
Uso em crianças
  • <li>0,22 a 1,65 mg/kg/dia ou em dias alternados.</li>

Assim como para outros glicocorticoides, a suspensão do tratamento deve ser feita reduzindo-se gradualmente a dose de deflazacorte.

Em doenças menos graves, doses mais baixas podem ser suficientes, enquanto que as graves podem requerer doses maiores. A dose inicial deve ser mantida ou ajustada até a obtenção de uma resposta clínica satisfatória. Se esta não ocorrer, o tratamento deve ser interrompido e substituído por outro. Depois de se alcançar uma resposta inicial favorável, a dose de manutenção adequada deve ser determinada pela diminuição da dose inicial em pequenas frações até alcançar a menor dose capaz de manter uma resposta clínica adequada.

Manutenção
  • <li>Os pacientes devem ser controlados cuidadosamente, identificando os sinais e sintomas que possam indicar a necessidade de se ajustar a dose, incluindo altera&#xE7;&#xF5;es no quadro cl&#xED;nico resultante da remiss&#xE3;o ou exacerba&#xE7;&#xE3;o da doen&#xE7;a, resposta individual &#xE0; droga e efeitos do <a href="https://minutosaudavel.com.br/estresse/" rel="noopener" target="_blank">estresse</a> (por ex.: cirurgia, infec&#xE7;&#xE3;o, traumatismo). Durante o estresse, pode ser necess&#xE1;rio aumentar temporariamente a dose.</li>

Não há estudos dos efeitos de Deflaimmun® administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via oral, conforme recomendado pelo médico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Para administração do medicamento, a dose de deflazacorte deve ser baseada nas características do paciente, diagnóstico e severidade da doença, resposta clínica e tolerabilidade do paciente. Deve ser utilizada a menor dose possível para minimizar os efeitos adversos potenciais da droga. A dosagem geral recomendada é de 6 a 18 mg/dia.

Assim como para outros glicocorticóides, a suspensão do tratamento deve ser feita reduzindo-se gradualmente a dose de deflazacorte.

Em doenças menos graves, doses mais baixas podem ser suficientes, enquanto que as graves podem requerer doses maiores. A dose inicial deve ser mantida ou ajustada até a obtenção de uma resposta clínica satisfatória. Se esta não ocorrer, o tratamento deve ser interrompido e substituído por outro.

Depois de se alcançar uma resposta inicial favorável, a dose de manutenção adequada deve ser determinada pela diminuição da dose inicial em pequenas frações até alcançar a menor dose capaz de manter uma resposta clínica adequada.

Manutenção
  • <li>Os pacientes devem ser controlados cuidadosamente, identificando os sinais e sintomas que possam indicar a necessidade de se ajustar a dose, incluindo altera&#xE7;&#xF5;es no quadro cl&#xED;nico resultante da remiss&#xE3;o ou exacerba&#xE7;&#xE3;o da doen&#xE7;a, resposta individual &#xE0; droga e efeitos do estresse (por ex: cirurgia, infec&#xE7;&#xE3;o, traumatismo). Durante o estresse, pode ser necess&#xE1;rio aumentar temporariamente a dose.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Como o Deflaimmun Comprimido funciona?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Deflaimmun® é um glicocorticoide que possui ação anti-inflamatória e imunossupressora.

Tempo médio de início de ação
  • <li>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o oral, deflazacorte &#xE9; bem absorvido e imediatamente convertido ao metab&#xF3;lito ativo, o qual alcan&#xE7;a concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas em 1,5 a 2 horas.</li>

Comprimido&nbsp;7,5 mg

O deflazacorte é um derivado oxazolínico da prednisolona com atividade antiinflamatória e imunossupressora. Tanto o tratamento a curto prazo (4 a 6 semanas) quanto a longo prazo (13 a 52 semanas), os estudos mostraram que o deflazacorte é tão eficaz quanto a prednisona ou metilprednisolona em pacientes com artrite reumatóide. É também tão eficaz quanto o prednisona em crianças com artrite crônica juvenil.

Quais cuidados devo ter ao usar o Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

A supressão da função hipotálamo-hipófise-adrenal (bloqueio da atividade de algumas glândulas localizadas no cérebro) induzida por glicocorticoides é dependente da dose e duração do tratamento.

O restabelecimento ocorre gradualmente após redução da dose e interrupção do tratamento. Entretanto, uma relativa insuficiência pode persistir por alguns meses depois da suspensão do tratamento; portanto, em qualquer situação estressante, o tratamento deve ser reinstituído.

Considerando que a secreção mineralocorticoide pode estar prejudicada, deve-se administrar concomitantemente sais e/ou mineralocorticoides.

Uma rápida redução na dose de corticosteroides após tratamento prolongado pode levar à insuficiência adrenal aguda que pode ser fatal. Após tratamento prolongado, a retirada dos glicocorticoides pode resultar em sintomas da síndrome de retirada, incluindo febre, mialgia (dor muscular), artralgia (dor articular) e mal estar. Isso pode ocorrer até em pacientes sem evidência de insuficiência adrenal.

Como o uso de deflazacorte requer cuidados especiais com algumas condições clínicas, informe seu médico caso você tenha as seguintes doenças:
  • <li>Cardiomiopatias (doen&#xE7;as que afetam o m&#xFA;sculo do cora&#xE7;&#xE3;o) ou <a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> congestiva (devido ao aumento da reten&#xE7;&#xE3;o de &#xE1;gua) (condi&#xE7;&#xE3;o em que o cora&#xE7;&#xE3;o &#xE9; incapaz de bombear sangue suficiente para satisfazer as necessidades do corpo), hipertens&#xE3;o (press&#xE3;o arterial elevada), manifesta&#xE7;&#xF5;es tromboemb&#xF3;licas (obstru&#xE7;&#xE3;o de um vaso sangu&#xED;neo por um co&#xE1;gulo de sangue na corrente sangu&#xED;nea).</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/gastrite/c" target="_blank">Gastrite</a> (<a href="https://consultaremedios.com.br/b/inflamacao-estomago" target="_blank">inflama&#xE7;&#xE3;o do est&#xF4;mago</a>) ou <a href="https://minutosaudavel.com.br/esofagite-erosiva-eosinofilica-e-de-refluxo-o-que-e-e-sintomas/" rel="noopener" target="_blank">esofagite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o do es&#xF4;fago), <a href="https://minutosaudavel.com.br/diverticulite/" rel="noopener" target="_blank">diverticulite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o do intestino grosso), colite ulcerativa, anastomose intestinal recente (jun&#xE7;&#xE3;o cir&#xFA;rgica entre segmentos do intestino), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/ulcera-peptica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/ulcera/c" target="_blank">&#xFA;lcera</a> p&#xE9;ptica ativa ou latente (les&#xE3;o localizada no est&#xF4;mago ou duodeno com destrui&#xE7;&#xE3;o da mucosa da parede destes &#xF3;rg&#xE3;os). Os glicocorticoides podem causar reten&#xE7;&#xE3;o de sal e &#xE1;gua e aumento da excre&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio. Pode ser necess&#xE1;rio adotar uma dieta com suplementa&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio e restri&#xE7;&#xE3;o de sal.</li> <li>Diabetes <em>mellitus</em>, osteoporose, miastenia grave [doen&#xE7;a que acomete os nervos e os m&#xFA;sculos (neuromuscular), cuja principal caracter&#xED;stica &#xE9; a <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-muscular-cronica-adrenal-etc-e-como-tratar/" rel="noopener" target="_blank">fadiga</a>], insufici&#xEA;ncia renal (redu&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o dos rins).</li> <li>Instabilidade emocional ou tend&#xEA;ncias psic&#xF3;ticas (altera&#xE7;&#xF5;es comportamentais): rea&#xE7;&#xF5;es adversas psiqui&#xE1;tricas graves podem ocorrer com esteroides sist&#xEA;micos. A maioria das rea&#xE7;&#xF5;es melhora ap&#xF3;s redu&#xE7;&#xE3;o da dose ou descontinua&#xE7;&#xE3;o do medicamento, embora tratamento espec&#xED;fico possa ser necess&#xE1;rio.</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-epilepsia-tipos-causas-sintomas-remedios-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">Epilepsia</a> (crises convulsivas).</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/tireoide/hipotireoidismo/c" target="_blank">Hipotireoidismo</a> (produ&#xE7;&#xE3;o insuficiente de horm&#xF4;nio pela gl&#xE2;ndula tireoide) e <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/cirrose/c" target="_blank">cirrose</a> (condi&#xE7;&#xE3;o em que o tecido fibroso invade qualquer &#xF3;rg&#xE3;o, geralmente f&#xED;gado e ves&#xED;cula biliar), condi&#xE7;&#xF5;es que podem aumentar os efeitos dos glicocorticoides.</li> <li> <em>Herpes simplex</em> ocular (infec&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea por um v&#xED;rus) devido &#xE0; poss&#xED;vel perfura&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea.</li> <li>O uso pedi&#xE1;trico prolongado pode suprimir o crescimento e o desenvolvimento.</li>

Considerando que as complicações do tratamento com glicocorticoides são dependentes da dose e duração do tratamento, deve-se definir a dose, duração do tratamento, bem como do tipo de terapia (diária ou intermitente) baseado na relação risco/benefício para cada paciente.

As seguintes reações são efeitos conhecidos dos glicocorticoides:
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/menstruacao-irregular/" rel="noopener" target="_blank">Menstrua&#xE7;&#xE3;o irregular</a>, leucocitose (aumento das c&#xE9;lulas brancas no sangue).</li>

Foi relatada miocardiopatia hipertrófica (aumento do coração) após a administração sistémica de glicocorticosteroides em recém-nascidos prematuros. Em recém-nascidos que estejam recebendo&nbsp;glicocorticoides sistêmicos, devem ser realizados ecocardiogramas (ultrassonografia do coração) para monitorizar a estrutura e a função do miocárdio (vide Reações Adversas).

Aplica-se a formulações sistêmicas

Na experiência pós-comercialização, a síndrome de lise tumoral (SLT) (reação de liberação de substancias na corrente sanguínea pela destruição acelerada de células tumorais) foi relatada em pacientes com neoplasias hematológicas (tumor de células sanguíneas) após o uso de deflazacorte isoladamente ou em combinação com outros agentes quimioterápicos. Pacientes com alto risco de SLT, como pacientes com alta taxa proliferativa, alta carga tumoral e alta sensibilidade a agentes citotóxicos, devem ser monitorados de perto e devem ser tomadas as devidas precauções.

Informe seu médico se você tiver problemas renais ou níveis elevados de ácido úrico no sangue antes de iniciar o tratamento com deflazacorte.

Gravidez e amamentação

O uso durante a gravidez ou amamentação deve ser feito somente quando os benefícios superarem os riscos potenciais de seu uso. Crianças cujas mães receberam glicocorticoides durante a gravidez devem ser cuidadosamente observadas em relação a possíveis sinais de hipoadrenalismo (redução da atividade normal das glândulas adrenais). Os glicocorticoides são excretados no leite materno e podem causar inibição do crescimento e hipoadrenalismo nos lactentes, portanto, mães tratadas com glicocorticoides devem ser advertidas para que não amamentem.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Este medicamento é indicado somente para uso oral.

O uso deste medicamento é contraindicado em caso de hipersensibilidade conhecida a deflazacorte e/ou demais componentes da formulação.

Informe ao seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

Também informe ao seu médico caso tenha problemas de:
  • <li>Cora&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Rim ou gastrintestinais;</li> <li>Diabetes;</li> <li>Infec&#xE7;&#xF5;es;</li> <li> <em>Herpes simplex</em> ocular;</li> <li>Miastenia grave;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">Press&#xE3;o alta</a>;</li> <li>Osteoporose;</li> <li>Problemas neurol&#xF3;gicos;</li> <li>Hipotiroidismo e/ou cirrose;</li> <li>Caso esteja estressado ou deva tomar alguma vacina em breve.</li>
Gravidez e lactação

Deflazacorte somente deve ser utilizado durante a gravidez e/ou lactação se os benefícios do tratamento esperados superarem os riscos potenciais de seu uso. Crianças cujas mães receberam glicocorticóides durante a gravidez devem ser cuidadosamente observadas em relação a&nbsp;possíveis sinais de hipoadrenalismo. Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.

Os glicocorticóides são excretados através do leite materno e podem causar supressão do crescimento e hipoadrenalismo nos lactentes, portanto, mães tratadas com glicocorticóides não devem amamentar.

Informe ao seu médico se está amamentando.

Pacientes idosos

Não constam na literatura relatos sobre advertências ou recomendações do uso adequado por pacientes idosos.

Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

Durante o tratamento podem ocorrer:
  • <li>Problemas gastrintestinais e visuais, agita&#xE7;&#xE3;o, incha&#xE7;o, altera&#xE7;&#xF5;es menstruais.</li>

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

Advertências do&nbsp;Deflaimmun Comprimido

{"tag":"hr","value":" <h3>Comprimido&amp;nbsp;6 mg e 30 mg</h3> <p>Em pacientes em tratamento com glicocorticoides submetidos a estresse n&#xE3;o usual, pode ser necess&#xE1;rio aumentar a dose de deflazacorte, antes, durante e a ap&#xF3;s a situa&#xE7;&#xE3;o de stress. Ocular, miastenia grave, press&#xE3;o alta, osteoporose, problemas neurol&#xF3;gicos, hipotireoidismo, cirrose, se est&#xE1; estressado e se vai tomar alguma vacina.</p> <p>Converse com seu m&#xE9;dico caso voc&#xEA; esteja com infec&#xE7;&#xF5;es ativas (virais, bacterianas ou mic&#xF3;ticas) ou apare&#xE7;am novas infec&#xE7;&#xF5;es durante o uso de Deflaimmun<sup>&#xAE;</sup>, pois o medicamento pode mascarar seus sinais.</p> <p>A <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/catapora/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">varicela</a> (catapora) &#xE9; particularmente importante, pois pode ser fatal em pacientes imunodeprimidos. Se voc&#xEA; estiver se tratando com deflazacorte ou recebeu o medicamento ou qualquer outro esteroide nos &#xFA;ltimos 3 meses, voc&#xEA; deve evitar o contato com pacientes portadores de varicela ou herpes zoster. Caso este contato ocorra, procure seu m&#xE9;dico imediatamente. Se o diagn&#xF3;stico de varicela for confirmado, cuidados especiais e tratamento urgente s&#xE3;o necess&#xE1;rios. O tratamento com deflazacorte n&#xE3;o dever&#xE1; ser interrompido e pode ser necess&#xE1;rio um aumento da dose.</p> <p>Converse com seu m&#xE9;dico caso voc&#xEA; tenha <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/tuberculose/c\" target=\"_blank\">tuberculose</a> ativa ou latente, pois nestes casos o uso de deflazacorte deve ser feito conjuntamente com antituberculoso adequado.</p> <p>e Deflaimmun<sup>&#xAE;</sup> for necess&#xE1;rio para tratar outras condi&#xE7;&#xF5;es em pacientes com tuberculose, ele deve ser utilizado com terapia antituberculosa adequada.</p> <p>O uso sist&#xEA;mico de glicocorticoides pode causar coriorretinopatia (caracterizado pelo deslocamento seroso da retina na regi&#xE3;o macular) que pode causar dist&#xFA;rbios visuais incluindo perda da vis&#xE3;o. O uso prolongado de glicocorticoides mesmo em dose baixa pode causar coriorretinopatia.</p> <p>O uso prolongado de glicocorticoides pode provocar <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/catarata-o-que-e-tipos-sintomas-cirurgia-tem-cura/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">catarata</a> posterior subcapsular (opacidade, parcial ou completa, de um ou ambos os olhos que prejudica a vis&#xE3;o ou causa cegueira) ou <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-glaucoma-sintomas-tratamento-causas-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">glaucoma</a> (aumento da press&#xE3;o intraocular). A terapia prolongada pode aumentar a possibilidade de infec&#xE7;&#xF5;es oculares secund&#xE1;rias por fungos e v&#xED;rus.</p> <p><a href=\"https://minutosaudavel.com.br/tendinite/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">Tendinite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o dos tend&#xF5;es) e ruptura de tend&#xE3;o s&#xE3;o efeitos conhecidos da classe dos glicocorticoides. O risco de tais rea&#xE7;&#xF5;es pode ser aumentado pela coadministra&#xE7;&#xE3;o com quinolonas.</p> <p>Foi reportada crise de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/feocromocitoma-tratamento-diagnostico-causas-sintomas-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">feocromocitoma</a> (tumor da gl&#xE2;ndula supra-renal), que pode ser fatal, ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o sist&#xEA;mica de corticosteroides. Corticosteroides s&#xF3; devem ser administrados em pacientes com suspeita de feocromocitoma ou identificada ap&#xF3;s avalia&#xE7;&#xE3;o apropriada do risco/benef&#xED;cio.&amp;nbsp;</p> <p>Caso voc&#xEA; apresente vis&#xE3;o turva ou outros dist&#xFA;rbios visuais, entre em contato com o seu m&#xE9;dico.</p> "}

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

As seguintes taxas de frequência CIOMS são utilizadas, quando aplicável:
  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Desconhecido (n&#xE3;o pode ser estimado a partir dos dados dispon&#xED;veis).</li>
Os glicocorticoides causam reações adversas, as quais são relacionadas com a dose e duração do tratamento, incluindo:
Distúrbios Endócrinos
  • <li>Comum: aumento de peso.</li> <li>Incomum: supress&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o hipotal&#xE2;mica-hip&#xF3;fise-adrenal, altera&#xE7;&#xF5;es corporais [distribui&#xE7;&#xE3;o cushingoide (distribui&#xE7;&#xE3;o irregular na gordura corporal), &quot;cara de lua cheia&quot;, hirsutismo (crescimento excessivo de pelos no corpo, com distribui&#xE7;&#xE3;o normal ou anormal), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-amenorreia-primaria-e-secundaria-sintomas-e-causas/" rel="noopener" target="_blank">amenorreia</a> (aus&#xEA;ncia de menstrua&#xE7;&#xE3;o) e Diabetes<em> mellitus</em>.</li> <li>Desconhecido: insufici&#xEA;ncia adrenal aguda ap&#xF3;s descontinua&#xE7;&#xE3;o do tratamento e diminui&#xE7;&#xE3;o do crescimento em crian&#xE7;as.</li>
Distúrbios Oculares
  • <li>Desconhecido: catarata posterior subcapsular, glaucoma (aumento da press&#xE3;o intraocular), coriorretinopatia (caracterizado pelo deslocamento seroso da retina na regi&#xE3;o macular), vis&#xE3;o turva.</li>
Distúrbios Gastrintestinais:
  • <li>Incomum: <a href="https://minutosaudavel.com.br/dispepsia-indigestao-o-que-e-sintomas-remedios-e-tipos/" rel="noopener" target="_blank">dispepsia</a> (m&#xE1; digest&#xE3;o), ulcera&#xE7;&#xE3;o p&#xE9;ptica, hemorragia e <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">n&#xE1;usea</a>.</li> <li>Desconhecido: perfura&#xE7;&#xE3;o da &#xFA;lcera p&#xE9;ptica e <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> aguda (inflama&#xE7;&#xE3;o do p&#xE2;ncreas), especialmente em crian&#xE7;as.</li>
Distúrbios Gerais e condições no local da administração
  • <li>Incomum: incha&#xE7;o.</li>
Distúrbios do Sistema Imunológico
  • <li>Incomum: rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas.</li>
Infecções e Infestações
  • <li>Incomum: aumento da suscetibilidade &#xE0;s infec&#xE7;&#xF5;es.</li>
Distúrbios de Metabolismo e Nutricionais
  • <li>Incomum: altera&#xE7;&#xF5;es do equil&#xED;brio hidroeletrol&#xED;tico (equil&#xED;brio das quantidades de sais e l&#xED;quidos no corpo) e <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipocalemia-sintomas-tratamento-causas-prevencao-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipocalemia</a> (redu&#xE7;&#xE3;o dos n&#xED;veis de pot&#xE1;ssio no sangue) quando coadministrado com agonistas beta-2 e xantinas.</li>
Formulação sistêmica
  • <li>Desconhecido: a s&#xED;ndrome de lise tumoral (rea&#xE7;&#xE3;o de libera&#xE7;&#xE3;o de subst&#xE2;ncias na corrente sangu&#xED;nea pela destrui&#xE7;&#xE3;o acelerada de c&#xE9;lulas tumorais) &#xE9; uma condi&#xE7;&#xE3;o grave, que pode causar a morte, revelada por altera&#xE7;&#xF5;es nos exames de sangue, como aumento dos n&#xED;veis de &#xE1;cido &#xFA;rico, pot&#xE1;ssio ou fosforo, e diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xED;vel de c&#xE1;lcio, dist&#xFA;rbio do ritmo card&#xED;aco; e pode resultar em sintomas como convuls&#xF5;es, insufici&#xEA;ncia renal&amp;nbsp;(quantidade reduzida ou escurecimento da urina) e batimentos card&#xED;acos irregulares. Se isso acontecer, informe seu m&#xE9;dico imediatamente.</li>
Distúrbios Músculoesqueléticos e do Tecido Conjuntivo
  • <li>Incomum: perda de massa &#xF3;ssea (fraturas).</li> <li>Raro: perda de massa muscular.</li> <li>Desconhecido: osteonecrose avascular (morte do osso por perda de suprimento sangu&#xED;neo), miopatia - doen&#xE7;a muscular (miopatia aguda pode ser precipitada por relaxantes musculares n&#xE3;o-despolarizantes), tendinite e ruptura de tend&#xE3;o quando coadministrado com quinolonas.</li>
Distúrbios do Sistema Nervoso
  • <li>Incomum: cefaleia (<a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/dor-de-cabeca-e-enxaqueca/c" target="_blank">dor de cabe&#xE7;a</a>) e vertigem (<a href="https://minutosaudavel.com.br/tontura-o-que-pode-ser/" rel="noopener" target="_blank">tontura</a>).</li> <li>Desconhecido: pseudotumor cerebral (doen&#xE7;a que simula um <a href="https://minutosaudavel.com.br/tumor-cerebral/" rel="noopener" target="_blank">tumor cerebral</a>, caracterizada pelo aumento da press&#xE3;o dentro do cr&#xE2;nio) em crian&#xE7;as.</li>
Distúrbios Psiquiátricos
  • <li>Incomum: dist&#xFA;rbios de sono, altera&#xE7;&#xE3;o de humor, <a href="https://minutosaudavel.com.br/depressao/" rel="noopener" target="_blank">depress&#xE3;o</a>, nervosismo e confus&#xE3;o.</li> <li>Desconhecido: <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/insonia/c" target="_blank">ins&#xF4;nia</a>, sonhos anormais, choro, dist&#xFA;rbio emocional, comportamento anormal, euforia (sentimento exagerado de bem-estar emocional e f&#xED;sico), inquieta&#xE7;&#xE3;o, hipomania (altera&#xE7;&#xE3;o de humor semelhante &#xE0; mania, por&#xE9;m com menor intensidade), <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/ansiedade/c" target="_blank">ansiedade</a>, agita&#xE7;&#xE3;o, neurose, desorienta&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/psicose/" rel="noopener" target="_blank">psicose</a> e alucina&#xE7;&#xE3;o.</li>
Distúrbios da Pele e Tecido Subcutâneo
  • <li>Incomum: <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/acne/c" target="_blank">acne</a> e <a href="https://minutosaudavel.com.br/estrias/" rel="noopener" target="_blank">estria</a>.</li> <li>Raro: fragilidade da pele.</li> <li>Desconhecido: afinamento da pele.</li>
Distúrbios Vasculares
  • <li>Raro: hematomas.</li> <li>Desconhecido: tromboembolismo em particular em pacientes com condi&#xE7;&#xF5;es de base associadas a tend&#xEA;ncia tromb&#xF3;tica aumentada.</li>
Distúrbios Endócrinos
  • <li>Desconhecido: Crise de feocromocitoma (tumor da gl&#xE2;ndula supra-renal).</li>
Aplicáveis a hidrocortisonas sistêmicas
Distúrbios Cardíacos

Miocardiopatia hipertrófica (aumento do coração) em bebês prematuros.

Outras reações observadas foram balanço negativo de nitrogênio, hipertensão intracraniana (aumento da pressão dentro do crânio), convulsões e atraso no processo de cicatrização.

Tem-se evidenciado uma menor incidência de reações adversas a nível ósseo e do metabolismo dos carboidratos com deflazacorte quando comparado a outros glicocorticoides.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

A incidência total de eventos adversos com deflazacorte (16.5%) é menor quando comparada com a prednisona (20.5%) e metilprednisolona (32.7%). Os sintomas gastrintestinais são os eventos adversos mais freqüentemente relatados em pacientes tratados com deflazacorte. Outros eventos adversos associados com o deflazacorte incluem desordens metabólicas e nutritivas, distúrbios de sistema nervoso central e periférico e desordens psiquiátricas.

Em geral, o deflazacorte parece ter menos efeito que a prednisona em parâmetros que podem estar associados com o desenvolvimento da osteoporose corticosteróide-induzida. Porém, o deflazacorte demonstrou ter menor impacto na taxa de crescimento em crianças com patologias que exigem terapia com corticosteróide.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Caso esqueça de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia.

Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico ou cirurgião-dentista.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Após tratamento prolongado, a interrupção do tratamento deve ser feita lenta e gradualmente, para evitar a síndrome de retirada, na qual podem ocorrer: febre, dor muscular, dor articular e mal estar geral. Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Somente o médico poderá avaliar a eficácia da terapia. A interrupção do tratamento pode ocasionar a não-obtenção dos resultados esperados.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

30mg, caixa com 10 comprimidos

Princípio ativo
:
Deflazacorte
Classe Terapêutica
:
Corticosteróides Orais Puros
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Anti-Inflamatórios
Especialidade
:
Dermatologia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Hematologia, Oftalmologia, Oncologia, Ortopedia e traumatologia, Pneumologia, Reumatologia e Neurologia

Bula do medicamento

Deflaimmun Comprimido, para o que é indicado e para o que serve?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Este medicamento é destinado ao tratamento de:
Doenças reumáticas
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/artrite-reumatoide/" rel="noopener" target="_blank">Artrite reumatoide</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o cr&#xF4;nica das articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-ossos/artrite/c" target="_blank">artrite</a> psori&#xE1;sica [tipo de <a href="https://consultaremedios.com.br/b/artrite-inflamatoria" target="_blank">artrite inflamat&#xF3;ria</a> associada com <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/psoriase/c" target="_blank">psor&#xED;ase</a> (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria e cr&#xF4;nica da pele)], <a href="https://minutosaudavel.com.br/espondilite-anquilosante/" rel="noopener" target="_blank">espondilite anquilosante</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o da coluna e grandes articula&#xE7;&#xF5;es, como quadris, ombros e outras regi&#xF5;es), <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-ossos/gota/c" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/b/artrite-gotosa" target="_blank">artrite gotosa</a> aguda (inflama&#xE7;&#xE3;o da articula&#xE7;&#xE3;o associada &#xE0; gota), osteoartrite p&#xF3;s-traum&#xE1;tica (doen&#xE7;a que destr&#xF3;i lentamente a articula&#xE7;&#xE3;o e se inicia ap&#xF3;s um trauma), sinovite (inflama&#xE7;&#xE3;o da membrana que envolve as articula&#xE7;&#xF5;es) por osteoartrite (doen&#xE7;a que degenera as articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-bursite-no-ombro-quadril-remedios-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">bursite</a> aguda e subaguda [inflama&#xE7;&#xE3;o da bolsa sinovial (pequena bolsa que cont&#xE9;m l&#xED;quido e envolve as articula&#xE7;&#xF5;es)], <a href="https://minutosaudavel.com.br/tenossinovite-de-quervain-tratamento-sintomas-sinais-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">tenossinovite</a> aguda n&#xE3;o espec&#xED;fica (inflama&#xE7;&#xE3;o da membrana que recobre o tend&#xE3;o), epicondilite (inflama&#xE7;&#xE3;o dos tend&#xF5;es do cotovelo).</li>
Doenças do tecido conjuntivo
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/lupus/c" target="_blank">L&#xFA;pus eritematoso sist&#xEA;mico</a> [doen&#xE7;a multissist&#xEA;mica auto-imune (o sistema de defesa ataca o pr&#xF3;prio corpo)], dermatomiosite sist&#xEA;mica (polimiosite) (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria cr&#xF4;nica ou subaguda do m&#xFA;sculo, da pele e/ou do tecido respons&#xE1;vel pelo preenchimento dos espa&#xE7;os vazios e pela liga&#xE7;&#xE3;o entre &#xF3;rg&#xE3;os e tecidos), cardite reum&#xE1;tica aguda (inflama&#xE7;&#xE3;o das camadas do cora&#xE7;&#xE3;o), polimialgia reum&#xE1;tica (doen&#xE7;a caracterizada por dor intensa e rigidez nos m&#xFA;sculos do pesco&#xE7;o, dos ombros e quadris), poliarterite nodosa (inflama&#xE7;&#xE3;o das art&#xE9;rias), arterite temporal (inflama&#xE7;&#xE3;o dos vasos sangu&#xED;neos da cabe&#xE7;a), granulomatose de Wegener (doen&#xE7;a auto-imune).</li>
Doenças da pele
  • <li>P&#xEA;nfigo (doen&#xE7;a que causa o aparecimento de bolhas na pele e no tecido que reveste as cavidades do corpo), <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/dermatites/c" target="_blank">dermatite</a> herpetiforme bolhosa (forma&#xE7;&#xE3;o de grupos de pequenas bolhas, com sensa&#xE7;&#xE3;o de <a href="https://minutosaudavel.com.br/queimaduras/" rel="noopener" target="_blank">queimadura</a> intensa e coceira), eritema multiforme grave (S&#xED;ndrome de Stevens-Johnson) (forma grave de rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica caracterizada por bolhas em mucosas e grandes &#xE1;reas do corpo), dermatite esfoliativa (altera&#xE7;&#xE3;o da pele acompanhada de descama&#xE7;&#xE3;o), <a href="https://consultaremedios.com.br/antifungico/micose/c" target="_blank">micose</a> fungoide (<a href="https://consultaremedios.com.br/cancer/c" target="_blank">c&#xE2;ncer</a> de c&#xE9;lulas T da pele), psor&#xED;ase grave, <a href="https://minutosaudavel.com.br/dermatite-seborreica/" rel="noopener" target="_blank">dermatite seborreica</a> grave (caspa no couro cabeludo, face e outras partes do corpo).</li>
Estados alérgicos
  • <li>Controle de rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas graves ou incapacitantes que n&#xE3;o respondem a medicamentos n&#xE3;o esteroidais, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/rinite-alergica/c" target="_blank">rinite al&#xE9;rgica</a> sazonal ou perene (inflama&#xE7;&#xE3;o das membranas que revestem o nariz), <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/asma/c" target="_blank">asma</a> br&#xF4;nquica (<a href="https://consultaremedios.com.br/b/doenca-pulmonar" target="_blank">doen&#xE7;a pulmonar</a> caracterizada pela contra&#xE7;&#xE3;o das vias respirat&#xF3;rias ocasionando falta de ar), <a href="https://minutosaudavel.com.br/dermatite-de-contato/" rel="noopener" target="_blank">dermatite de contato</a> (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica da pele a determinadas subst&#xE2;ncias), <a href="https://minutosaudavel.com.br/dermatite-atopica/" rel="noopener" target="_blank">dermatite at&#xF3;pica</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o cr&#xF4;nica da pele), rea&#xE7;&#xF5;es de hipersensibilidade (alergia ou intoler&#xE2;ncia) a drogas, doen&#xE7;a do soro [rea&#xE7;&#xE3;o de hipersensibilidade tardia (ap&#xF3;s 14 dias) a determinados tipos de droga ou soro].</li>
Doenças respiratórias
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/sarcoidose-o-que-e-tipos-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">Sarcoidose</a> (ac&#xFA;mulo de c&#xE9;lulas inflamat&#xF3;rias em v&#xE1;rios &#xF3;rg&#xE3;os do corpo), s&#xED;ndrome de Loeffler (inflama&#xE7;&#xE3;o dos pulm&#xF5;es), <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c" target="_blank">pneumonia</a> al&#xE9;rgica ou por aspira&#xE7;&#xE3;o (inflama&#xE7;&#xE3;o ou infec&#xE7;&#xE3;o de causa al&#xE9;rgica ou por aspira&#xE7;&#xE3;o de comida, l&#xED;quido ou conte&#xFA;do g&#xE1;strico para os pulm&#xF5;es), fibrose pulmonar idiop&#xE1;tica (forma&#xE7;&#xE3;o de tecido fibroso no pulm&#xE3;o).</li>
Doenças dos olhos
  • <li>Inflama&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea (estrutura transparente que reveste o olho), uve&#xED;te posterior difusa [inflama&#xE7;&#xE3;o da &#xFA;vea (parte do olho)], coroidite [inflama&#xE7;&#xE3;o da coroide (parte do olho)], oftalmia simp&#xE1;tica (inflama&#xE7;&#xE3;o dos olhos), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/conjuntivite-alergica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-olhos/conjuntivite/c" target="_blank">conjuntivite</a> al&#xE9;rgica [inflama&#xE7;&#xE3;o ou infec&#xE7;&#xE3;o na conjuntiva (parte do olho)], <a href="https://minutosaudavel.com.br/ceratite-o-que-e-sintomas-tratamento-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">ceratite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea), coriorretinite (inflama&#xE7;&#xE3;o de partes do olho), neurite &#xF3;ptica (inflama&#xE7;&#xE3;o do nervo do&amp;nbsp;olho), irite [inflama&#xE7;&#xE3;o da &#xED;ris (parte do olho)], iridociclite [inflama&#xE7;&#xE3;o aguda ou cr&#xF4;nica da &#xED;ris e corpo ciliar (partes do olho)] e <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/herpes/c" target="_blank">herpes</a> zoster ocular (infec&#xE7;&#xE3;o do olho por um v&#xED;rus).</li>
Distúrbios hematológicos (referentes ao sangue)
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/purpura/" rel="noopener" target="_blank">P&#xFA;rpura</a> trombocitop&#xEA;nica idiop&#xE1;tica (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de c&#xE9;lulas respons&#xE1;veis pela coagula&#xE7;&#xE3;o do sangue), <a href="https://minutosaudavel.com.br/trombocitopenia/" rel="noopener" target="_blank">trombocitopenia</a> secund&#xE1;ria (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de c&#xE9;lulas respons&#xE1;veis pela coagula&#xE7;&#xE3;o do sangue), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-hemolitica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-do-sangue/anemia/c" target="_blank">anemia</a> hemol&#xED;tica autoimune (diminui&#xE7;&#xE3;o das c&#xE9;lulas vermelhas do sangue), eritroblastopenia (anemia causada pela aus&#xEA;ncia de produ&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas vermelhas do sangue), anemia hipopl&#xE1;stica cong&#xEA;nita (eritroide) (anemia causada pela aus&#xEA;ncia de produ&#xE7;&#xE3;o dos precursores dos gl&#xF3;bulos vermelhos).</li>
Doenças gastrintestinais
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/colite/" rel="noopener" target="_blank">Colite</a> ulcerativa (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria do intestino grosso), enterite regional (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria cr&#xF4;nica que pode atingir qualquer parte do sistema digestivo, mais comum em algumas partes do intestino), <a href="https://consultaremedios.com.br/infectologia/hepatite/c" target="_blank">hepatite</a> cr&#xF4;nica (inflama&#xE7;&#xE3;o do <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c" target="_blank">f&#xED;gado</a>).</li>
Doenças neoplásicas (câncer)
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cancer/leucemia/c" target="_blank">Leucemia</a> (tipo de c&#xE2;ncer que afeta as c&#xE9;lulas de defesa do organismo), linfomas (tipos de c&#xE2;ncer que atingem o sistema linf&#xE1;tico), mieloma m&#xFA;ltiplo (tipo de c&#xE2;ncer que afeta alguns tipos de c&#xE9;lulas de defesa do organismo).</li>
Doenças do sistema nervoso
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/esclerose-multipla/c" target="_blank">Esclerose m&#xFA;ltipla</a> (doen&#xE7;a autoimune do <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/c" target="_blank">sistema nervoso central</a>) em exacerba&#xE7;&#xE3;o.</li>
Doenças dos rins
  • <li>S&#xED;ndrome nefr&#xF3;tica (condi&#xE7;&#xE3;o caracterizada por perda maci&#xE7;a de <a href="https://minutosaudavel.com.br/proteinas/" rel="noopener" target="_blank">prote&#xED;nas</a> na urina).</li>
Doenças hormonais
  • <li>Insufici&#xEA;ncia suprarrenal prim&#xE1;ria ou secund&#xE1;ria (incapacidade da gl&#xE2;ndula suprarrenal em produzir seus horm&#xF4;nios) [a <a href="https://consultaremedios.com.br/hidrocortisona/bula" target="_blank">hidrocortisona</a> ou cortisona s&#xE3;o as drogas de escolha; o <a href="https://consultaremedios.com.br/deflazacorte/bula" target="_blank">deflazacorte</a>, devido aos seus poucos efeitos mineralocorticoides, deve ser usado em conjunto com um mineralocorticoide (horm&#xF4;nios que regulam o equil&#xED;brio de sais e l&#xED;quidos no corpo)], hiperplasia suprarrenal cong&#xEA;nita (dist&#xFA;rbio presente desde o nascimento caracterizado pela defici&#xEA;ncia da gl&#xE2;ndula adrenal em produzir cortisona e aldosterona e hiperprodu&#xE7;&#xE3;o de horm&#xF4;nios androg&#xEA;nios), tiroidite n&#xE3;o supurativa (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria da gl&#xE2;ndula <a href="https://consultaremedios.com.br/tireoide/c" target="_blank">tireoide</a>).</li>

Devido à propriedade protetora dos ossos, o deflazacorte pode ser a substância de escolha para pessoas que necessitam de tratamento com glicocorticoides (tipo de hormônio), especialmente aqueles que apresentam maior risco de osteoporose (doença que atinge os ossos, causando redução da massa óssea). Seus reduzidos efeitos diabetogênicos (que causam diabetes) tornam o deflazacorte o glicocorticoide sistêmico de escolha em pacientes diabéticos e pré-diabéticos.

Comprimido 7,5 mg

Deflaimmun® é um glicocorticóide com propriedades antiinflamatórias e imunossupressoras, utilizado terapeuticamente em uma grande variedade de doenças segundo orientação médica.

Quais as contraindicações do Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Deflaimmun® não deve ser utilizado nos seguintes casos:
  • <li>Pacientes com hipersensibilidade ao deflazacorte ou a qualquer um dos componentes da f&#xF3;rmula;</li> <li>Pacientes que estejam recebendo imuniza&#xE7;&#xE3;o (vacina de v&#xED;rus vivo) (possibilidade de dissemina&#xE7;&#xE3;o de v&#xED;rus vivos e/ou falha na resposta das c&#xE9;lulas de defesa).</li>

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Este medicamento é contraindicado a pacientes com hipersensibilidade conhecida a deflazacorte e/ou demais componentes da formulação.

Como usar o Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Você deve tomar os comprimidos com líquido, por via oral.

A dose necessária é variável e deve ser individualizada de acordo com a doença a ser tratada e a resposta do paciente.

Uso adulto
Dose inicial
  • <li>6 a 90 mg/dia, dependendo da gravidade dos sintomas.</li>
Uso em crianças
  • <li>0,22 a 1,65 mg/kg/dia ou em dias alternados.</li>

Assim como para outros glicocorticoides, a suspensão do tratamento deve ser feita reduzindo-se gradualmente a dose de deflazacorte.

Em doenças menos graves, doses mais baixas podem ser suficientes, enquanto que as graves podem requerer doses maiores. A dose inicial deve ser mantida ou ajustada até a obtenção de uma resposta clínica satisfatória. Se esta não ocorrer, o tratamento deve ser interrompido e substituído por outro. Depois de se alcançar uma resposta inicial favorável, a dose de manutenção adequada deve ser determinada pela diminuição da dose inicial em pequenas frações até alcançar a menor dose capaz de manter uma resposta clínica adequada.

Manutenção
  • <li>Os pacientes devem ser controlados cuidadosamente, identificando os sinais e sintomas que possam indicar a necessidade de se ajustar a dose, incluindo altera&#xE7;&#xF5;es no quadro cl&#xED;nico resultante da remiss&#xE3;o ou exacerba&#xE7;&#xE3;o da doen&#xE7;a, resposta individual &#xE0; droga e efeitos do <a href="https://minutosaudavel.com.br/estresse/" rel="noopener" target="_blank">estresse</a> (por ex.: cirurgia, infec&#xE7;&#xE3;o, traumatismo). Durante o estresse, pode ser necess&#xE1;rio aumentar temporariamente a dose.</li>

Não há estudos dos efeitos de Deflaimmun® administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via oral, conforme recomendado pelo médico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Para administração do medicamento, a dose de deflazacorte deve ser baseada nas características do paciente, diagnóstico e severidade da doença, resposta clínica e tolerabilidade do paciente. Deve ser utilizada a menor dose possível para minimizar os efeitos adversos potenciais da droga. A dosagem geral recomendada é de 6 a 18 mg/dia.

Assim como para outros glicocorticóides, a suspensão do tratamento deve ser feita reduzindo-se gradualmente a dose de deflazacorte.

Em doenças menos graves, doses mais baixas podem ser suficientes, enquanto que as graves podem requerer doses maiores. A dose inicial deve ser mantida ou ajustada até a obtenção de uma resposta clínica satisfatória. Se esta não ocorrer, o tratamento deve ser interrompido e substituído por outro.

Depois de se alcançar uma resposta inicial favorável, a dose de manutenção adequada deve ser determinada pela diminuição da dose inicial em pequenas frações até alcançar a menor dose capaz de manter uma resposta clínica adequada.

Manutenção
  • <li>Os pacientes devem ser controlados cuidadosamente, identificando os sinais e sintomas que possam indicar a necessidade de se ajustar a dose, incluindo altera&#xE7;&#xF5;es no quadro cl&#xED;nico resultante da remiss&#xE3;o ou exacerba&#xE7;&#xE3;o da doen&#xE7;a, resposta individual &#xE0; droga e efeitos do estresse (por ex: cirurgia, infec&#xE7;&#xE3;o, traumatismo). Durante o estresse, pode ser necess&#xE1;rio aumentar temporariamente a dose.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Como o Deflaimmun Comprimido funciona?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Deflaimmun® é um glicocorticoide que possui ação anti-inflamatória e imunossupressora.

Tempo médio de início de ação
  • <li>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o oral, deflazacorte &#xE9; bem absorvido e imediatamente convertido ao metab&#xF3;lito ativo, o qual alcan&#xE7;a concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas em 1,5 a 2 horas.</li>

Comprimido&nbsp;7,5 mg

O deflazacorte é um derivado oxazolínico da prednisolona com atividade antiinflamatória e imunossupressora. Tanto o tratamento a curto prazo (4 a 6 semanas) quanto a longo prazo (13 a 52 semanas), os estudos mostraram que o deflazacorte é tão eficaz quanto a prednisona ou metilprednisolona em pacientes com artrite reumatóide. É também tão eficaz quanto o prednisona em crianças com artrite crônica juvenil.

Quais cuidados devo ter ao usar o Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

A supressão da função hipotálamo-hipófise-adrenal (bloqueio da atividade de algumas glândulas localizadas no cérebro) induzida por glicocorticoides é dependente da dose e duração do tratamento.

O restabelecimento ocorre gradualmente após redução da dose e interrupção do tratamento. Entretanto, uma relativa insuficiência pode persistir por alguns meses depois da suspensão do tratamento; portanto, em qualquer situação estressante, o tratamento deve ser reinstituído.

Considerando que a secreção mineralocorticoide pode estar prejudicada, deve-se administrar concomitantemente sais e/ou mineralocorticoides.

Uma rápida redução na dose de corticosteroides após tratamento prolongado pode levar à insuficiência adrenal aguda que pode ser fatal. Após tratamento prolongado, a retirada dos glicocorticoides pode resultar em sintomas da síndrome de retirada, incluindo febre, mialgia (dor muscular), artralgia (dor articular) e mal estar. Isso pode ocorrer até em pacientes sem evidência de insuficiência adrenal.

Como o uso de deflazacorte requer cuidados especiais com algumas condições clínicas, informe seu médico caso você tenha as seguintes doenças:
  • <li>Cardiomiopatias (doen&#xE7;as que afetam o m&#xFA;sculo do cora&#xE7;&#xE3;o) ou <a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> congestiva (devido ao aumento da reten&#xE7;&#xE3;o de &#xE1;gua) (condi&#xE7;&#xE3;o em que o cora&#xE7;&#xE3;o &#xE9; incapaz de bombear sangue suficiente para satisfazer as necessidades do corpo), hipertens&#xE3;o (press&#xE3;o arterial elevada), manifesta&#xE7;&#xF5;es tromboemb&#xF3;licas (obstru&#xE7;&#xE3;o de um vaso sangu&#xED;neo por um co&#xE1;gulo de sangue na corrente sangu&#xED;nea).</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/gastrite/c" target="_blank">Gastrite</a> (<a href="https://consultaremedios.com.br/b/inflamacao-estomago" target="_blank">inflama&#xE7;&#xE3;o do est&#xF4;mago</a>) ou <a href="https://minutosaudavel.com.br/esofagite-erosiva-eosinofilica-e-de-refluxo-o-que-e-e-sintomas/" rel="noopener" target="_blank">esofagite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o do es&#xF4;fago), <a href="https://minutosaudavel.com.br/diverticulite/" rel="noopener" target="_blank">diverticulite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o do intestino grosso), colite ulcerativa, anastomose intestinal recente (jun&#xE7;&#xE3;o cir&#xFA;rgica entre segmentos do intestino), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/ulcera-peptica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/ulcera/c" target="_blank">&#xFA;lcera</a> p&#xE9;ptica ativa ou latente (les&#xE3;o localizada no est&#xF4;mago ou duodeno com destrui&#xE7;&#xE3;o da mucosa da parede destes &#xF3;rg&#xE3;os). Os glicocorticoides podem causar reten&#xE7;&#xE3;o de sal e &#xE1;gua e aumento da excre&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio. Pode ser necess&#xE1;rio adotar uma dieta com suplementa&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio e restri&#xE7;&#xE3;o de sal.</li> <li>Diabetes <em>mellitus</em>, osteoporose, miastenia grave [doen&#xE7;a que acomete os nervos e os m&#xFA;sculos (neuromuscular), cuja principal caracter&#xED;stica &#xE9; a <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-muscular-cronica-adrenal-etc-e-como-tratar/" rel="noopener" target="_blank">fadiga</a>], insufici&#xEA;ncia renal (redu&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o dos rins).</li> <li>Instabilidade emocional ou tend&#xEA;ncias psic&#xF3;ticas (altera&#xE7;&#xF5;es comportamentais): rea&#xE7;&#xF5;es adversas psiqui&#xE1;tricas graves podem ocorrer com esteroides sist&#xEA;micos. A maioria das rea&#xE7;&#xF5;es melhora ap&#xF3;s redu&#xE7;&#xE3;o da dose ou descontinua&#xE7;&#xE3;o do medicamento, embora tratamento espec&#xED;fico possa ser necess&#xE1;rio.</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-epilepsia-tipos-causas-sintomas-remedios-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">Epilepsia</a> (crises convulsivas).</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/tireoide/hipotireoidismo/c" target="_blank">Hipotireoidismo</a> (produ&#xE7;&#xE3;o insuficiente de horm&#xF4;nio pela gl&#xE2;ndula tireoide) e <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/cirrose/c" target="_blank">cirrose</a> (condi&#xE7;&#xE3;o em que o tecido fibroso invade qualquer &#xF3;rg&#xE3;o, geralmente f&#xED;gado e ves&#xED;cula biliar), condi&#xE7;&#xF5;es que podem aumentar os efeitos dos glicocorticoides.</li> <li> <em>Herpes simplex</em> ocular (infec&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea por um v&#xED;rus) devido &#xE0; poss&#xED;vel perfura&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea.</li> <li>O uso pedi&#xE1;trico prolongado pode suprimir o crescimento e o desenvolvimento.</li>

Considerando que as complicações do tratamento com glicocorticoides são dependentes da dose e duração do tratamento, deve-se definir a dose, duração do tratamento, bem como do tipo de terapia (diária ou intermitente) baseado na relação risco/benefício para cada paciente.

As seguintes reações são efeitos conhecidos dos glicocorticoides:
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/menstruacao-irregular/" rel="noopener" target="_blank">Menstrua&#xE7;&#xE3;o irregular</a>, leucocitose (aumento das c&#xE9;lulas brancas no sangue).</li>

Foi relatada miocardiopatia hipertrófica (aumento do coração) após a administração sistémica de glicocorticosteroides em recém-nascidos prematuros. Em recém-nascidos que estejam recebendo&nbsp;glicocorticoides sistêmicos, devem ser realizados ecocardiogramas (ultrassonografia do coração) para monitorizar a estrutura e a função do miocárdio (vide Reações Adversas).

Aplica-se a formulações sistêmicas

Na experiência pós-comercialização, a síndrome de lise tumoral (SLT) (reação de liberação de substancias na corrente sanguínea pela destruição acelerada de células tumorais) foi relatada em pacientes com neoplasias hematológicas (tumor de células sanguíneas) após o uso de deflazacorte isoladamente ou em combinação com outros agentes quimioterápicos. Pacientes com alto risco de SLT, como pacientes com alta taxa proliferativa, alta carga tumoral e alta sensibilidade a agentes citotóxicos, devem ser monitorados de perto e devem ser tomadas as devidas precauções.

Informe seu médico se você tiver problemas renais ou níveis elevados de ácido úrico no sangue antes de iniciar o tratamento com deflazacorte.

Gravidez e amamentação

O uso durante a gravidez ou amamentação deve ser feito somente quando os benefícios superarem os riscos potenciais de seu uso. Crianças cujas mães receberam glicocorticoides durante a gravidez devem ser cuidadosamente observadas em relação a possíveis sinais de hipoadrenalismo (redução da atividade normal das glândulas adrenais). Os glicocorticoides são excretados no leite materno e podem causar inibição do crescimento e hipoadrenalismo nos lactentes, portanto, mães tratadas com glicocorticoides devem ser advertidas para que não amamentem.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Este medicamento é indicado somente para uso oral.

O uso deste medicamento é contraindicado em caso de hipersensibilidade conhecida a deflazacorte e/ou demais componentes da formulação.

Informe ao seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

Também informe ao seu médico caso tenha problemas de:
  • <li>Cora&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Rim ou gastrintestinais;</li> <li>Diabetes;</li> <li>Infec&#xE7;&#xF5;es;</li> <li> <em>Herpes simplex</em> ocular;</li> <li>Miastenia grave;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">Press&#xE3;o alta</a>;</li> <li>Osteoporose;</li> <li>Problemas neurol&#xF3;gicos;</li> <li>Hipotiroidismo e/ou cirrose;</li> <li>Caso esteja estressado ou deva tomar alguma vacina em breve.</li>
Gravidez e lactação

Deflazacorte somente deve ser utilizado durante a gravidez e/ou lactação se os benefícios do tratamento esperados superarem os riscos potenciais de seu uso. Crianças cujas mães receberam glicocorticóides durante a gravidez devem ser cuidadosamente observadas em relação a&nbsp;possíveis sinais de hipoadrenalismo. Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.

Os glicocorticóides são excretados através do leite materno e podem causar supressão do crescimento e hipoadrenalismo nos lactentes, portanto, mães tratadas com glicocorticóides não devem amamentar.

Informe ao seu médico se está amamentando.

Pacientes idosos

Não constam na literatura relatos sobre advertências ou recomendações do uso adequado por pacientes idosos.

Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

Durante o tratamento podem ocorrer:
  • <li>Problemas gastrintestinais e visuais, agita&#xE7;&#xE3;o, incha&#xE7;o, altera&#xE7;&#xF5;es menstruais.</li>

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

Advertências do&nbsp;Deflaimmun Comprimido

{"tag":"hr","value":" <h3>Comprimido&amp;nbsp;6 mg e 30 mg</h3> <p>Em pacientes em tratamento com glicocorticoides submetidos a estresse n&#xE3;o usual, pode ser necess&#xE1;rio aumentar a dose de deflazacorte, antes, durante e a ap&#xF3;s a situa&#xE7;&#xE3;o de stress. Ocular, miastenia grave, press&#xE3;o alta, osteoporose, problemas neurol&#xF3;gicos, hipotireoidismo, cirrose, se est&#xE1; estressado e se vai tomar alguma vacina.</p> <p>Converse com seu m&#xE9;dico caso voc&#xEA; esteja com infec&#xE7;&#xF5;es ativas (virais, bacterianas ou mic&#xF3;ticas) ou apare&#xE7;am novas infec&#xE7;&#xF5;es durante o uso de Deflaimmun<sup>&#xAE;</sup>, pois o medicamento pode mascarar seus sinais.</p> <p>A <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/catapora/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">varicela</a> (catapora) &#xE9; particularmente importante, pois pode ser fatal em pacientes imunodeprimidos. Se voc&#xEA; estiver se tratando com deflazacorte ou recebeu o medicamento ou qualquer outro esteroide nos &#xFA;ltimos 3 meses, voc&#xEA; deve evitar o contato com pacientes portadores de varicela ou herpes zoster. Caso este contato ocorra, procure seu m&#xE9;dico imediatamente. Se o diagn&#xF3;stico de varicela for confirmado, cuidados especiais e tratamento urgente s&#xE3;o necess&#xE1;rios. O tratamento com deflazacorte n&#xE3;o dever&#xE1; ser interrompido e pode ser necess&#xE1;rio um aumento da dose.</p> <p>Converse com seu m&#xE9;dico caso voc&#xEA; tenha <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/tuberculose/c\" target=\"_blank\">tuberculose</a> ativa ou latente, pois nestes casos o uso de deflazacorte deve ser feito conjuntamente com antituberculoso adequado.</p> <p>e Deflaimmun<sup>&#xAE;</sup> for necess&#xE1;rio para tratar outras condi&#xE7;&#xF5;es em pacientes com tuberculose, ele deve ser utilizado com terapia antituberculosa adequada.</p> <p>O uso sist&#xEA;mico de glicocorticoides pode causar coriorretinopatia (caracterizado pelo deslocamento seroso da retina na regi&#xE3;o macular) que pode causar dist&#xFA;rbios visuais incluindo perda da vis&#xE3;o. O uso prolongado de glicocorticoides mesmo em dose baixa pode causar coriorretinopatia.</p> <p>O uso prolongado de glicocorticoides pode provocar <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/catarata-o-que-e-tipos-sintomas-cirurgia-tem-cura/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">catarata</a> posterior subcapsular (opacidade, parcial ou completa, de um ou ambos os olhos que prejudica a vis&#xE3;o ou causa cegueira) ou <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-glaucoma-sintomas-tratamento-causas-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">glaucoma</a> (aumento da press&#xE3;o intraocular). A terapia prolongada pode aumentar a possibilidade de infec&#xE7;&#xF5;es oculares secund&#xE1;rias por fungos e v&#xED;rus.</p> <p><a href=\"https://minutosaudavel.com.br/tendinite/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">Tendinite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o dos tend&#xF5;es) e ruptura de tend&#xE3;o s&#xE3;o efeitos conhecidos da classe dos glicocorticoides. O risco de tais rea&#xE7;&#xF5;es pode ser aumentado pela coadministra&#xE7;&#xE3;o com quinolonas.</p> <p>Foi reportada crise de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/feocromocitoma-tratamento-diagnostico-causas-sintomas-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">feocromocitoma</a> (tumor da gl&#xE2;ndula supra-renal), que pode ser fatal, ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o sist&#xEA;mica de corticosteroides. Corticosteroides s&#xF3; devem ser administrados em pacientes com suspeita de feocromocitoma ou identificada ap&#xF3;s avalia&#xE7;&#xE3;o apropriada do risco/benef&#xED;cio.&amp;nbsp;</p> <p>Caso voc&#xEA; apresente vis&#xE3;o turva ou outros dist&#xFA;rbios visuais, entre em contato com o seu m&#xE9;dico.</p> "}

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

As seguintes taxas de frequência CIOMS são utilizadas, quando aplicável:
  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Desconhecido (n&#xE3;o pode ser estimado a partir dos dados dispon&#xED;veis).</li>
Os glicocorticoides causam reações adversas, as quais são relacionadas com a dose e duração do tratamento, incluindo:
Distúrbios Endócrinos
  • <li>Comum: aumento de peso.</li> <li>Incomum: supress&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o hipotal&#xE2;mica-hip&#xF3;fise-adrenal, altera&#xE7;&#xF5;es corporais [distribui&#xE7;&#xE3;o cushingoide (distribui&#xE7;&#xE3;o irregular na gordura corporal), &quot;cara de lua cheia&quot;, hirsutismo (crescimento excessivo de pelos no corpo, com distribui&#xE7;&#xE3;o normal ou anormal), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-amenorreia-primaria-e-secundaria-sintomas-e-causas/" rel="noopener" target="_blank">amenorreia</a> (aus&#xEA;ncia de menstrua&#xE7;&#xE3;o) e Diabetes<em> mellitus</em>.</li> <li>Desconhecido: insufici&#xEA;ncia adrenal aguda ap&#xF3;s descontinua&#xE7;&#xE3;o do tratamento e diminui&#xE7;&#xE3;o do crescimento em crian&#xE7;as.</li>
Distúrbios Oculares
  • <li>Desconhecido: catarata posterior subcapsular, glaucoma (aumento da press&#xE3;o intraocular), coriorretinopatia (caracterizado pelo deslocamento seroso da retina na regi&#xE3;o macular), vis&#xE3;o turva.</li>
Distúrbios Gastrintestinais:
  • <li>Incomum: <a href="https://minutosaudavel.com.br/dispepsia-indigestao-o-que-e-sintomas-remedios-e-tipos/" rel="noopener" target="_blank">dispepsia</a> (m&#xE1; digest&#xE3;o), ulcera&#xE7;&#xE3;o p&#xE9;ptica, hemorragia e <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">n&#xE1;usea</a>.</li> <li>Desconhecido: perfura&#xE7;&#xE3;o da &#xFA;lcera p&#xE9;ptica e <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> aguda (inflama&#xE7;&#xE3;o do p&#xE2;ncreas), especialmente em crian&#xE7;as.</li>
Distúrbios Gerais e condições no local da administração
  • <li>Incomum: incha&#xE7;o.</li>
Distúrbios do Sistema Imunológico
  • <li>Incomum: rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas.</li>
Infecções e Infestações
  • <li>Incomum: aumento da suscetibilidade &#xE0;s infec&#xE7;&#xF5;es.</li>
Distúrbios de Metabolismo e Nutricionais
  • <li>Incomum: altera&#xE7;&#xF5;es do equil&#xED;brio hidroeletrol&#xED;tico (equil&#xED;brio das quantidades de sais e l&#xED;quidos no corpo) e <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipocalemia-sintomas-tratamento-causas-prevencao-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipocalemia</a> (redu&#xE7;&#xE3;o dos n&#xED;veis de pot&#xE1;ssio no sangue) quando coadministrado com agonistas beta-2 e xantinas.</li>
Formulação sistêmica
  • <li>Desconhecido: a s&#xED;ndrome de lise tumoral (rea&#xE7;&#xE3;o de libera&#xE7;&#xE3;o de subst&#xE2;ncias na corrente sangu&#xED;nea pela destrui&#xE7;&#xE3;o acelerada de c&#xE9;lulas tumorais) &#xE9; uma condi&#xE7;&#xE3;o grave, que pode causar a morte, revelada por altera&#xE7;&#xF5;es nos exames de sangue, como aumento dos n&#xED;veis de &#xE1;cido &#xFA;rico, pot&#xE1;ssio ou fosforo, e diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xED;vel de c&#xE1;lcio, dist&#xFA;rbio do ritmo card&#xED;aco; e pode resultar em sintomas como convuls&#xF5;es, insufici&#xEA;ncia renal&amp;nbsp;(quantidade reduzida ou escurecimento da urina) e batimentos card&#xED;acos irregulares. Se isso acontecer, informe seu m&#xE9;dico imediatamente.</li>
Distúrbios Músculoesqueléticos e do Tecido Conjuntivo
  • <li>Incomum: perda de massa &#xF3;ssea (fraturas).</li> <li>Raro: perda de massa muscular.</li> <li>Desconhecido: osteonecrose avascular (morte do osso por perda de suprimento sangu&#xED;neo), miopatia - doen&#xE7;a muscular (miopatia aguda pode ser precipitada por relaxantes musculares n&#xE3;o-despolarizantes), tendinite e ruptura de tend&#xE3;o quando coadministrado com quinolonas.</li>
Distúrbios do Sistema Nervoso
  • <li>Incomum: cefaleia (<a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/dor-de-cabeca-e-enxaqueca/c" target="_blank">dor de cabe&#xE7;a</a>) e vertigem (<a href="https://minutosaudavel.com.br/tontura-o-que-pode-ser/" rel="noopener" target="_blank">tontura</a>).</li> <li>Desconhecido: pseudotumor cerebral (doen&#xE7;a que simula um <a href="https://minutosaudavel.com.br/tumor-cerebral/" rel="noopener" target="_blank">tumor cerebral</a>, caracterizada pelo aumento da press&#xE3;o dentro do cr&#xE2;nio) em crian&#xE7;as.</li>
Distúrbios Psiquiátricos
  • <li>Incomum: dist&#xFA;rbios de sono, altera&#xE7;&#xE3;o de humor, <a href="https://minutosaudavel.com.br/depressao/" rel="noopener" target="_blank">depress&#xE3;o</a>, nervosismo e confus&#xE3;o.</li> <li>Desconhecido: <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/insonia/c" target="_blank">ins&#xF4;nia</a>, sonhos anormais, choro, dist&#xFA;rbio emocional, comportamento anormal, euforia (sentimento exagerado de bem-estar emocional e f&#xED;sico), inquieta&#xE7;&#xE3;o, hipomania (altera&#xE7;&#xE3;o de humor semelhante &#xE0; mania, por&#xE9;m com menor intensidade), <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/ansiedade/c" target="_blank">ansiedade</a>, agita&#xE7;&#xE3;o, neurose, desorienta&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/psicose/" rel="noopener" target="_blank">psicose</a> e alucina&#xE7;&#xE3;o.</li>
Distúrbios da Pele e Tecido Subcutâneo
  • <li>Incomum: <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/acne/c" target="_blank">acne</a> e <a href="https://minutosaudavel.com.br/estrias/" rel="noopener" target="_blank">estria</a>.</li> <li>Raro: fragilidade da pele.</li> <li>Desconhecido: afinamento da pele.</li>
Distúrbios Vasculares
  • <li>Raro: hematomas.</li> <li>Desconhecido: tromboembolismo em particular em pacientes com condi&#xE7;&#xF5;es de base associadas a tend&#xEA;ncia tromb&#xF3;tica aumentada.</li>
Distúrbios Endócrinos
  • <li>Desconhecido: Crise de feocromocitoma (tumor da gl&#xE2;ndula supra-renal).</li>
Aplicáveis a hidrocortisonas sistêmicas
Distúrbios Cardíacos

Miocardiopatia hipertrófica (aumento do coração) em bebês prematuros.

Outras reações observadas foram balanço negativo de nitrogênio, hipertensão intracraniana (aumento da pressão dentro do crânio), convulsões e atraso no processo de cicatrização.

Tem-se evidenciado uma menor incidência de reações adversas a nível ósseo e do metabolismo dos carboidratos com deflazacorte quando comparado a outros glicocorticoides.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

A incidência total de eventos adversos com deflazacorte (16.5%) é menor quando comparada com a prednisona (20.5%) e metilprednisolona (32.7%). Os sintomas gastrintestinais são os eventos adversos mais freqüentemente relatados em pacientes tratados com deflazacorte. Outros eventos adversos associados com o deflazacorte incluem desordens metabólicas e nutritivas, distúrbios de sistema nervoso central e periférico e desordens psiquiátricas.

Em geral, o deflazacorte parece ter menos efeito que a prednisona em parâmetros que podem estar associados com o desenvolvimento da osteoporose corticosteróide-induzida. Porém, o deflazacorte demonstrou ter menor impacto na taxa de crescimento em crianças com patologias que exigem terapia com corticosteróide.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Caso esqueça de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia.

Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico ou cirurgião-dentista.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Após tratamento prolongado, a interrupção do tratamento deve ser feita lenta e gradualmente, para evitar a síndrome de retirada, na qual podem ocorrer: febre, dor muscular, dor articular e mal estar geral. Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Somente o médico poderá avaliar a eficácia da terapia. A interrupção do tratamento pode ocasionar a não-obtenção dos resultados esperados.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Deflaimmun Comprimido?

Cada comprimido de 6 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Deflazacorte</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">6 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p.</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">1 comprimido</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: celulose microcristalina, lactose monoidratada, amidoglicolato de sódio, amido, estearato de magnésio, dióxido de silício.

Cada comprimido de 7,5 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Deflazacorte</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">7,5 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p.</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">1 comprimido</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido, celulose microcristalina, amidoglicolato de sódio, dióxido de silício, estearato de magnésio.

Cada comprimido de 30 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Deflazacorte</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">30 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p.</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">1 comprimido</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: celulose microcristalina, lactose monoidratada, amidoglicolato de sódio, amido, estearato de magnésio, dióxido de silício.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Deflaimmun Comprimido maior do que a recomendada?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Sintomas

Relatos de superdose têm sido raros. Os relatos foram associados a sintomas consistentes com efeitos farmacológicos exagerados da substância ativa e não resultaram em morte.

Conduta

Na superdose aguda, recomenda-se tratamento de suporte sintomático. A DL 50 oral é maior que 4000 mg/kg em animais de laboratório.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Na superdosagem aguda, recomenda-se tratamento de suporte sintomático. A DL 50 oral é maior que 4000 mg/kg em animais de laboratório.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Deflaimmun Comprimido com outros remédios?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Embora não tenham sido detectadas interações medicamentosas significativas durante as investigações clínicas, deve-se tomar os mesmos cuidados que para outros glicocorticoides em relação a, por exemplo: diminuição dos níveis de salicilato; aumento do risco de hipocalemia (diminuição da concentração de potássio no sangue) com o uso concomitante de: digitálicos (medicamentos para o tratamento de doenças do coração), diuréticos (medicamentos que promovem o aumento na produção e na eliminação da urina), glicosídeos cardiotônicos, agonistas beta-2 e xantinas; anticolinesterásicos (inibidor da enzima colinesterase); substâncias que alteram o metabolismo dos glicocorticoides como: rifampicina, barbituratos, difenilhidantoína, fenitoína, eritromicina e estrógenos (um tipo de hormônio) (em pacientes recebendo estrógeno, a necessidade de corticosteroides pode ser reduzida). Os corticoides podem alterar os efeitos dos anticoagulantes (medicamentos usados para prevenir a formação de trombos sanguíneos) do tipo cumarínico. Relaxamento prolongado após administração de relaxantes musculares não-despolarizantes.

O tratamento concomitante com inibidores da CYP3A (enzima importante para metabolizar alguns medicamentos), incluindo produtos que contenham cobicistate, pode aumentar o risco de eventos adversos sistêmicos dos corticosteroides.

A combinação deve ser evitada a menos que o benefício supere o aumento do risco de tais eventos adversos, neste caso, os pacientes devem ser monitorados de perto.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Embora não tenham sido detectadas interações medicamentosas durante as investigações clínicas, deve-se tomar os mesmos cuidados que para outros glicocorticóides (ex: pode ocorrer diminuição dos níveis de salicilato, aumento do risco de hipocalemia com o uso concomitante com digitálicos ou diuréticos, anticolinesterásicos, substâncias que alteram o metabolismo dos glicocorticóides tais como rifampicina, barbituratos e difenilhidantoína). Eritromicina e estrógenos podem aumentar os efeitos dos corticosteróides. Os corticóides podem alterar os efeitos dos anticoagulantes do tipo cumarínico.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Qual a ação da substância do Deflaimmun Comprimido (Deflazacorte)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>Quarenta (40) pacientes de faixa et&#xE1;ria pedi&#xE1;trica apresentando s&#xED;ndrome nefr&#xF3;tica esteroide dependente foram acompanhados por um per&#xED;odo m&#xE9;dio de 5,5 anos. Receberam o tratamento por 1 ano, com Deflazacorte (n = 20) ou <a href=\"https://consultaremedios.com.br/prednisona/bula\" target=\"_blank\">prednisona</a> (n = 20). O n&#xFA;mero de recidivas foi significativamente menor no grupo recebendo Deflazacorte. Ap&#xF3;s 1 ano, 12 pacientes com Deflazacorte permaneceram em remiss&#xE3;o, ao passo que 2 pacientes com prednisona mantiveram a remiss&#xE3;o.</p> <p>A velocidade de crescimento n&#xE3;o foi diferente entre os 2 grupos. O conte&#xFA;do mineral &#xF3;sseo, avaliado por tomografia computadorizada de v&#xE9;rtebras L1L2 reduziu-se ap&#xF3;s 1 ano em 6% no grupo Deflazacorte versus 12% no grupo prednisona.</p> <p>O aumento m&#xE9;dio do peso corporal de +3,9 +/- 4,1kg foi maior no grupo prednisona que no grupo Deflazacorte +1,7 +/- 2,8kg (P = 0,06). Sintomas cushing&#xF3;ides tenderam a ser menores ap&#xF3;s 12 meses no grupo Deflazacorte. Em conclus&#xE3;o, o estudo mostra que Deflazacorte foi mais efetivo que a prednisona em limitar as recidivas em s&#xED;ndrome nefr&#xF3;tica esteroide dependente, e que os sintomas cushing&#xF3;ides, ganho de peso, decr&#xE9;scimo do conte&#xFA;do mineral &#xF3;sseo tendiam a ser menos intensos com Deflazacorte que com prednisona (Broyer et. al. 1997).</p> <p>Deflazacorte &#xE9; um medicamento com a&#xE7;&#xE3;o anti-inflamat&#xF3;ria e imunossupressora. Estudos de curto (4 a 6 semanas) e longo prazo (13 a 52 semanas) t&#xEA;m mostrado Deflazacorte como t&#xE3;o efetivo quanto a prednisona ou metilprednisolona em pacientes com artrite reumatoide. A droga foi pelo menos t&#xE3;o efetiva quanto a prednisona em crian&#xE7;as com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/artrite-cronica\" target=\"_blank\">artrite cr&#xF4;nica</a> juvenil, e tamb&#xE9;m tem mostrado alguma efic&#xE1;cia no tratamento para a s&#xED;ndrome nefr&#xF3;tica e outras complica&#xE7;&#xF5;es como Distrofia de Duchenne, l&#xFA;pus eritematoso, uve&#xED;te e transplante. A incid&#xEA;ncia geral de eventos adversos em pacientes recebendo Deflazacorte (16,5%) &#xE9; menor que a registrada nos pacientes recebendo prednisona (20,5%) ou metilprednisolona (32,7%) e similar &#xE0;quela dos pacientes com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/betametasona/bula\" target=\"_blank\">betametasona</a> (15,3%). Sintomas gastrintestinais s&#xE3;o os mais frequentemente reportados em pacientes com Deflazacorte; outros eventos adversos associados &#xE0;s drogas incluem altera&#xE7;&#xF5;es nutricionais e metab&#xF3;licas, dist&#xFA;rbios do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/c\" target=\"_blank\">sistema nervoso central</a> e perif&#xE9;rico, e altera&#xE7;&#xF5;es psiqui&#xE1;tricas. Em geral o Deflazacorte parece ter menos efeito que a prednisona sobre par&#xE2;metros que possam ser associados com o desenvolvimento da osteoporose induzida por cortic&#xF3;ides. Tamb&#xE9;m parece ter menos efeito negativo na taxa de crescimento das crian&#xE7;as com doen&#xE7;as que requerem corticoterapia (Markham &amp; Bryson 1995).</p> <p>Desde que os corticoides come&#xE7;aram a representar uma importante ferramenta no tratamento das uve&#xED;tes, foi avaliada sua efic&#xE1;cia cl&#xED;nica e o poss&#xED;vel aparecimento de efeitos colaterais de Deflazacorte versus prednisona em dosagens equivalentes. Em estudo aberto com seis pacientes com uve&#xED;te anterior aguda recorrente e/ou uve&#xED;te anterior cr&#xF4;nica utilizou-se Deflazacorte ou prednisona como alternativa. Considerando-se os par&#xE2;metros avaliados &#xE0; admiss&#xE3;o destes pacientes e durante o tratamento (efic&#xE1;cia cl&#xED;nica, par&#xE2;metros oftalmol&#xF3;gicos e ensaios hematol&#xF3;gicos), houve completa remiss&#xE3;o dos sinais cl&#xED;nicos e dos sintomas com ambos os tratamentos, sem diferen&#xE7;a estatisticamente significante entre os dois grupos estudados, encorajando posteriormente estudos controlados com o uso de Deflazacorte para o tratamento de uve&#xED;te (Cerqueti et. al. 1993).</p> <p>Em estudo aberto prospectivo para avaliar a efic&#xE1;cia e tolerabilidade de Deflazacorte em longo prazo em pacientes com polimialgia reum&#xE1;tica, a medica&#xE7;&#xE3;o foi utilizada na dose m&#xE9;dia inicial de 21,8mg/dia por um per&#xED;odo m&#xE9;dio de 19 meses em 40 pacientes. Esta conduta mostrou melhora cl&#xED;nica e laboratorial significativas em um m&#xEA;s ap&#xF3;s o in&#xED;cio da terapia. Esta melhora persistiu por todo o per&#xED;odo estudado, e os par&#xE2;metros laboratoriais de tolerabilidade estudados n&#xE3;o se alteraram durante o estudo. Efeitos colaterais leves a moderados relacionados aos corticoides ocorreram em 57,9% dos pacientes. Demonstrou-se que o Deflazacorte &#xE9; efetivo no tratamento da polimialgia reum&#xE1;tica e seu perfil de seguran&#xE7;a em longo prazo pode ser superior ao de outros cortic&#xF3;ides (Cimmino et. al. 1994).</p> <p>Um estudo avaliou um caso de p&#xEA;nfigo vulgar (PV) em uma menina de 13 anos de idade, com padr&#xF5;es cl&#xED;nicos de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/estomatite-aftosa-e-viral-tratamento-sintomas-e-causas/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">estomatite</a> cr&#xF4;nica. Os achados histol&#xF3;gicos e imunol&#xF3;gicos foram t&#xED;picos do diagn&#xF3;stico de PV, e bons resultados terap&#xEA;uticos foram obtidos com doses moderadas de Deflazacorte 1 mg/kg/dia, pouco a pouco reduzidas para 0,1 mg/kg em dias alternados. A paciente n&#xE3;o apresentou efeitos colaterais significativos (Fimiani et. al. 1991).</p> <p>O uso prolongado de esteroides, particularmente a prednisona, &#xE9; conhecido por induzir osteoporose, bem como inibi&#xE7;&#xE3;o do crescimento &#xF3;sseo e atraso na consolida&#xE7;&#xE3;o de fraturas. Deflazacorte foi desenvolvido para reduzir tais efeitos delet&#xE9;rios.</p> <p>Portanto, o estudo randomizado duplo cego envolveu 16 mulheres em pr&#xE9;-menopausa com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/artrite-reumatoide\" target=\"_blank\">Artrite Reumat&#xF3;ide</a> (AR), com idade m&#xE9;dia de 36,5 anos e dura&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia da doen&#xE7;a de 29 meses. As pacientes receberam c&#xE1;psulas de Deflazacorte ou prednisona, sendo instru&#xED;das a manterem adequada ingest&#xE3;o de c&#xE1;lcio. Os testes laboratoriais enfatizaram a densidade mineral &#xF3;ssea na coluna lombar, colo femoral e tri&#xE2;ngulo de Ward, al&#xE9;m de todo o conte&#xFA;do mineral corp&#xF3;reo. Sinovite persistente foi similar para as duas drogas, e os padr&#xF5;es sugestivos de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/sindrome-de-cushing/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">S&#xED;ndrome de Cushing</a> foram encontrados apenas no grupo de prednisona. A diferen&#xE7;a quanto ao conte&#xFA;do mineral corp&#xF3;reo entre Deflazacorte e prednisona falhou em encontrar signific&#xE2;ncia estat&#xED;stica. No grupo Deflazacorte, a diferen&#xE7;a entre o aumento n&#xE3;o significante da densidade mineral &#xF3;ssea no&amp;nbsp;colo femoral e o significante decr&#xE9;scimo no grupo prednisona provou ser estatisticamente significante. A &#xE1;rea do tri&#xE2;ngulo de Ward foi a mais sens&#xED;vel &#xE0;s altera&#xE7;&#xF5;es da densidade &#xF3;ssea mineral em pacientes recebendo prednisona, com uma diferen&#xE7;a intergrupos altamente significativa (p 0,01). Acredita-se ser este o primeiro estudo sobre a osteoporose induzida por corticoides, avaliado atrav&#xE9;s das medidas do conte&#xFA;do mineral corp&#xF3;reo em mulheres na pr&#xE9;-menopausa com AR de curto prazo, mostrando que Deflazacorte &#xE9; uma alternativa promissora em casos severos o bastante para exigirem terapia com esteroides (Messina et. al. 1992).</p> <p>Este estudo duplo-cego avaliou o efeito protetor de Deflazacorte na rea&#xE7;&#xE3;o inflamat&#xF3;ria que se segue ao teste de provoca&#xE7;&#xE3;o conjuntival al&#xE9;rgeno espec&#xED;fico, em 24 pacientes sofrendo rinoconjuntivite por Parietaria judaica. Ap&#xF3;s avalia&#xE7;&#xE3;o inicial os pacientes foram randomizados em 4 grupos de tratamento para receber Deflazacorte 6, 30 ou 60 mg, uma vez ao dia ou placebo, por 3 dias, durante a esta&#xE7;&#xE3;o com menos p&#xF3;len. A avalia&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica (prurido, hiperemia, lacrimejamento e edema palpebral), citol&#xF3;gica (n&#xFA;mero de c&#xE9;lulas inflamat&#xF3;rias, i.e., neutr&#xF3;filos, <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/eosinofilos/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">eosin&#xF3;filos</a> e linf&#xF3;citos obtidos em raspado conjuntival) e avalia&#xE7;&#xE3;o imunocitoqu&#xED;mica de CD54 (express&#xE3;o da mol&#xE9;cula de ades&#xE3;o intercelular-1 [ICAM-1]) em c&#xE9;lulas epiteliais foram realizadas no momento basal, ap&#xF3;s 30 minutos (rea&#xE7;&#xE3;o precoce) e ap&#xF3;s 6 e 24 horas (fase tardia), antes e ap&#xF3;s o tratamento. Nem a natureza ou severidade dos eventos cl&#xED;nicos ou o n&#xFA;mero total de c&#xE9;lulas inflamat&#xF3;rias mudou durante o tratamento com Deflazacorte. A severidade dos eventos cl&#xED;nicos, o n&#xFA;mero total de c&#xE9;lulas inflamat&#xF3;rias e a express&#xE3;o de CD54 foram significativamente reduzidas pelo Deflazacorte, 30 e 60 mg/dia comparados ao grupo placebo.</p> <p>Deflazacorte 6 mg/dia n&#xE3;o demonstrou altera&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica, celular ou imunocitoqu&#xED;mica significativas comparadas ao grupo placebo. Este estudo demonstra que Deflazacorte tem um alto efeito protetor sobre os eventos cl&#xED;nicos e celulares, al&#xE9;m de marcadamente reduzir a express&#xE3;o conjuntival de CD54 no epit&#xE9;lio conjuntivo (Ciprandi et. al. 1993).</p> <p>Uma paciente com 11 anos de idade, sexo feminino com hepatite autoimmune interrompeu o uso de prednisolona devido &#xE0; toxicidade, e permaneceu em remiss&#xE3;o cl&#xED;nica e bioqu&#xED;mica sob reposi&#xE7;&#xE3;o com Deflazacorte associado ao &#xE1;cido ursodeoxic&#xF3;lico. Uma <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/biopsia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">bi&#xF3;psia</a> realizada ap&#xF3;s 19 meses do tratamento com Deflazacorte e &#xE1;cido ursodeoxic&#xF3;lico mostrou remiss&#xE3;o histol&#xF3;gica (Bae et. al. 2006).</p> <p>Deflazacorte foi detectado, <em>in vitro</em>, como sendo duas vezes mais potente que prednisolona na inibi&#xE7;&#xE3;o da sobreviv&#xEA;ncia de eosin&#xF3;filos (Mullol et. al. 1995).</p> <p>Este autor sugeriu efic&#xE1;cia similar entre Deflazacorte e prednisolona na melhora da fun&#xE7;&#xE3;o pulmonar e na melhora cl&#xED;nica em asma moderada aguda em crian&#xE7;as (Gartner et. al. 1995).</p> <p>Deflazacorte parece ser t&#xE3;o efetivo quanto a prednisolona em suas propriedades imunomodulat&#xF3;rias para o tratamento da PTI nas suas formas aguda e cr&#xF4;nica (Mazzucconi et. al. 1980).</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1 &#x2013; Broyer, M.; et al. A controlled study of deflazacort in the treatment of idiopathic nephrotic syndrome. Pediatr Nephrol. 1997 Aug; 11(4): 418-22.<br> 2 &#x2013; Markham, A.; Bryson, H.M. Deflazacort. A review of its pharmacological properties and therapeutic efficacy. Drugs. 1995 Aug; 50(2): 317-33.<br> 3 &#x2013; Cerqueti, P.M.; et al. Deflazacort in the treatment of uveitis: a comparative study versus prednisone. Allergol Immunopathol (Madr.). 1993 May-Jun; 21 (3): 107-10.<br> 4 &#x2013; Cimmino, M.A.; et al. Long term treatment of polymyalgia rheumatica with deflazacort. Ann Rheum Dis. 1994; 53: 331-333.<br> 5 &#x2013; Fimiani, M.; et al. Juvenile pemphigus vulgaris: efficacy of moderate doses of deflazacort. Pediatr Dermatol. 1991 Sep; 8(3): 221-3.<br> 6 &#x2013; Messina, O.D.; et al. Effect of low doses of deflazacort vs prednisone on bone mineral content in premenopausal rheumatoid arthritis. J Rheumatol. 1992 Oct; 19(10): 1520-6. 7 &#x2013; CIPRANDI, G.; et al. Protective effects of deflazacort on allergen-specific conjunctival challenge. European Journal of Clinical Pharmacology. 45 (1), S35-S41.<br> 8 &#x2013; Bae, S.H.; et al. Deflazacort for Type-1 Autoimmune Hepatitis in a Korean Girl. J Korean Med Sci. 2006 August; 21(4): 758&#x2013;760.<br> 9 &#x2013; Mullol J.; et al. Comparative study of the effects of different glucocorticosteroids on eosinophil survival primed by cultured epithelial cell supernatants obtained from nasal mucosa and nasal polyps. Thorax. 1995; 50: 270-4.<br> 10 &#x2013; Gartner, S.; et al. Comparative efficacy of oral deflazacort versus oral prednisolone in children with moderate acute asthma. Ann Pediatr. 2004; 61: 207-12. 11 &#x2013; MAZZUCCONI, M.G.; et al. Deflazacort in thrombocytopenia: A comparison with prednisone. Int J Clin Pharmacol Ther Toxicol. 1980; 18: 538-42.</br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> "}

Apresentações do Deflaimmun Comprimido

  • <li>Comprimidos de 6 mg em embalagem contendo 4, 20, 30, 40, 70* e 80* comprimidos.</li> <li>Comprimido de 7,5mg em embalagem contendo 4, 20, 30, 40, 70* e 80* comprimidos.</li> <li>Comprimidos de 30 mg em embalagem contendo 4, 10, 20, 30, 70* e 80* comprimidos.</li>

* Embalagem fracionável.

Uso oral.

Uso adulto e pediátrico.

7,5mg, caixa com 20 comprimidos

Princípio ativo
:
Deflazacorte
Classe Terapêutica
:
Corticosteróides Orais Puros
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Categoria
:
Anti-Inflamatórios
Especialidade
:
Dermatologia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Hematologia, Oftalmologia, Oncologia, Ortopedia e traumatologia, Pneumologia, Reumatologia e Neurologia

Bula do medicamento

Deflaimmun Comprimido, para o que é indicado e para o que serve?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Este medicamento é destinado ao tratamento de:
Doenças reumáticas
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/artrite-reumatoide/" rel="noopener" target="_blank">Artrite reumatoide</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o cr&#xF4;nica das articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-ossos/artrite/c" target="_blank">artrite</a> psori&#xE1;sica [tipo de <a href="https://consultaremedios.com.br/b/artrite-inflamatoria" target="_blank">artrite inflamat&#xF3;ria</a> associada com <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/psoriase/c" target="_blank">psor&#xED;ase</a> (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria e cr&#xF4;nica da pele)], <a href="https://minutosaudavel.com.br/espondilite-anquilosante/" rel="noopener" target="_blank">espondilite anquilosante</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o da coluna e grandes articula&#xE7;&#xF5;es, como quadris, ombros e outras regi&#xF5;es), <a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-ossos/gota/c" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/b/artrite-gotosa" target="_blank">artrite gotosa</a> aguda (inflama&#xE7;&#xE3;o da articula&#xE7;&#xE3;o associada &#xE0; gota), osteoartrite p&#xF3;s-traum&#xE1;tica (doen&#xE7;a que destr&#xF3;i lentamente a articula&#xE7;&#xE3;o e se inicia ap&#xF3;s um trauma), sinovite (inflama&#xE7;&#xE3;o da membrana que envolve as articula&#xE7;&#xF5;es) por osteoartrite (doen&#xE7;a que degenera as articula&#xE7;&#xF5;es), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-bursite-no-ombro-quadril-remedios-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">bursite</a> aguda e subaguda [inflama&#xE7;&#xE3;o da bolsa sinovial (pequena bolsa que cont&#xE9;m l&#xED;quido e envolve as articula&#xE7;&#xF5;es)], <a href="https://minutosaudavel.com.br/tenossinovite-de-quervain-tratamento-sintomas-sinais-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">tenossinovite</a> aguda n&#xE3;o espec&#xED;fica (inflama&#xE7;&#xE3;o da membrana que recobre o tend&#xE3;o), epicondilite (inflama&#xE7;&#xE3;o dos tend&#xF5;es do cotovelo).</li>
Doenças do tecido conjuntivo
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/lupus/c" target="_blank">L&#xFA;pus eritematoso sist&#xEA;mico</a> [doen&#xE7;a multissist&#xEA;mica auto-imune (o sistema de defesa ataca o pr&#xF3;prio corpo)], dermatomiosite sist&#xEA;mica (polimiosite) (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria cr&#xF4;nica ou subaguda do m&#xFA;sculo, da pele e/ou do tecido respons&#xE1;vel pelo preenchimento dos espa&#xE7;os vazios e pela liga&#xE7;&#xE3;o entre &#xF3;rg&#xE3;os e tecidos), cardite reum&#xE1;tica aguda (inflama&#xE7;&#xE3;o das camadas do cora&#xE7;&#xE3;o), polimialgia reum&#xE1;tica (doen&#xE7;a caracterizada por dor intensa e rigidez nos m&#xFA;sculos do pesco&#xE7;o, dos ombros e quadris), poliarterite nodosa (inflama&#xE7;&#xE3;o das art&#xE9;rias), arterite temporal (inflama&#xE7;&#xE3;o dos vasos sangu&#xED;neos da cabe&#xE7;a), granulomatose de Wegener (doen&#xE7;a auto-imune).</li>
Doenças da pele
  • <li>P&#xEA;nfigo (doen&#xE7;a que causa o aparecimento de bolhas na pele e no tecido que reveste as cavidades do corpo), <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/dermatites/c" target="_blank">dermatite</a> herpetiforme bolhosa (forma&#xE7;&#xE3;o de grupos de pequenas bolhas, com sensa&#xE7;&#xE3;o de <a href="https://minutosaudavel.com.br/queimaduras/" rel="noopener" target="_blank">queimadura</a> intensa e coceira), eritema multiforme grave (S&#xED;ndrome de Stevens-Johnson) (forma grave de rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica caracterizada por bolhas em mucosas e grandes &#xE1;reas do corpo), dermatite esfoliativa (altera&#xE7;&#xE3;o da pele acompanhada de descama&#xE7;&#xE3;o), <a href="https://consultaremedios.com.br/antifungico/micose/c" target="_blank">micose</a> fungoide (<a href="https://consultaremedios.com.br/cancer/c" target="_blank">c&#xE2;ncer</a> de c&#xE9;lulas T da pele), psor&#xED;ase grave, <a href="https://minutosaudavel.com.br/dermatite-seborreica/" rel="noopener" target="_blank">dermatite seborreica</a> grave (caspa no couro cabeludo, face e outras partes do corpo).</li>
Estados alérgicos
  • <li>Controle de rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas graves ou incapacitantes que n&#xE3;o respondem a medicamentos n&#xE3;o esteroidais, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/rinite-alergica/c" target="_blank">rinite al&#xE9;rgica</a> sazonal ou perene (inflama&#xE7;&#xE3;o das membranas que revestem o nariz), <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/asma/c" target="_blank">asma</a> br&#xF4;nquica (<a href="https://consultaremedios.com.br/b/doenca-pulmonar" target="_blank">doen&#xE7;a pulmonar</a> caracterizada pela contra&#xE7;&#xE3;o das vias respirat&#xF3;rias ocasionando falta de ar), <a href="https://minutosaudavel.com.br/dermatite-de-contato/" rel="noopener" target="_blank">dermatite de contato</a> (rea&#xE7;&#xE3;o al&#xE9;rgica da pele a determinadas subst&#xE2;ncias), <a href="https://minutosaudavel.com.br/dermatite-atopica/" rel="noopener" target="_blank">dermatite at&#xF3;pica</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o cr&#xF4;nica da pele), rea&#xE7;&#xF5;es de hipersensibilidade (alergia ou intoler&#xE2;ncia) a drogas, doen&#xE7;a do soro [rea&#xE7;&#xE3;o de hipersensibilidade tardia (ap&#xF3;s 14 dias) a determinados tipos de droga ou soro].</li>
Doenças respiratórias
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/sarcoidose-o-que-e-tipos-sintomas-tratamento-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">Sarcoidose</a> (ac&#xFA;mulo de c&#xE9;lulas inflamat&#xF3;rias em v&#xE1;rios &#xF3;rg&#xE3;os do corpo), s&#xED;ndrome de Loeffler (inflama&#xE7;&#xE3;o dos pulm&#xF5;es), <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/pneumonia/c" target="_blank">pneumonia</a> al&#xE9;rgica ou por aspira&#xE7;&#xE3;o (inflama&#xE7;&#xE3;o ou infec&#xE7;&#xE3;o de causa al&#xE9;rgica ou por aspira&#xE7;&#xE3;o de comida, l&#xED;quido ou conte&#xFA;do g&#xE1;strico para os pulm&#xF5;es), fibrose pulmonar idiop&#xE1;tica (forma&#xE7;&#xE3;o de tecido fibroso no pulm&#xE3;o).</li>
Doenças dos olhos
  • <li>Inflama&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea (estrutura transparente que reveste o olho), uve&#xED;te posterior difusa [inflama&#xE7;&#xE3;o da &#xFA;vea (parte do olho)], coroidite [inflama&#xE7;&#xE3;o da coroide (parte do olho)], oftalmia simp&#xE1;tica (inflama&#xE7;&#xE3;o dos olhos), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/conjuntivite-alergica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-dos-olhos/conjuntivite/c" target="_blank">conjuntivite</a> al&#xE9;rgica [inflama&#xE7;&#xE3;o ou infec&#xE7;&#xE3;o na conjuntiva (parte do olho)], <a href="https://minutosaudavel.com.br/ceratite-o-que-e-sintomas-tratamento-cura-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">ceratite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea), coriorretinite (inflama&#xE7;&#xE3;o de partes do olho), neurite &#xF3;ptica (inflama&#xE7;&#xE3;o do nervo do&amp;nbsp;olho), irite [inflama&#xE7;&#xE3;o da &#xED;ris (parte do olho)], iridociclite [inflama&#xE7;&#xE3;o aguda ou cr&#xF4;nica da &#xED;ris e corpo ciliar (partes do olho)] e <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/herpes/c" target="_blank">herpes</a> zoster ocular (infec&#xE7;&#xE3;o do olho por um v&#xED;rus).</li>
Distúrbios hematológicos (referentes ao sangue)
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/purpura/" rel="noopener" target="_blank">P&#xFA;rpura</a> trombocitop&#xEA;nica idiop&#xE1;tica (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de c&#xE9;lulas respons&#xE1;veis pela coagula&#xE7;&#xE3;o do sangue), <a href="https://minutosaudavel.com.br/trombocitopenia/" rel="noopener" target="_blank">trombocitopenia</a> secund&#xE1;ria (diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xFA;mero de c&#xE9;lulas respons&#xE1;veis pela coagula&#xE7;&#xE3;o do sangue), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/anemia-hemolitica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/doencas-do-sangue/anemia/c" target="_blank">anemia</a> hemol&#xED;tica autoimune (diminui&#xE7;&#xE3;o das c&#xE9;lulas vermelhas do sangue), eritroblastopenia (anemia causada pela aus&#xEA;ncia de produ&#xE7;&#xE3;o de c&#xE9;lulas vermelhas do sangue), anemia hipopl&#xE1;stica cong&#xEA;nita (eritroide) (anemia causada pela aus&#xEA;ncia de produ&#xE7;&#xE3;o dos precursores dos gl&#xF3;bulos vermelhos).</li>
Doenças gastrintestinais
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/colite/" rel="noopener" target="_blank">Colite</a> ulcerativa (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria do intestino grosso), enterite regional (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria cr&#xF4;nica que pode atingir qualquer parte do sistema digestivo, mais comum em algumas partes do intestino), <a href="https://consultaremedios.com.br/infectologia/hepatite/c" target="_blank">hepatite</a> cr&#xF4;nica (inflama&#xE7;&#xE3;o do <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/figado/c" target="_blank">f&#xED;gado</a>).</li>
Doenças neoplásicas (câncer)
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/cancer/leucemia/c" target="_blank">Leucemia</a> (tipo de c&#xE2;ncer que afeta as c&#xE9;lulas de defesa do organismo), linfomas (tipos de c&#xE2;ncer que atingem o sistema linf&#xE1;tico), mieloma m&#xFA;ltiplo (tipo de c&#xE2;ncer que afeta alguns tipos de c&#xE9;lulas de defesa do organismo).</li>
Doenças do sistema nervoso
  • <li><a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/esclerose-multipla/c" target="_blank">Esclerose m&#xFA;ltipla</a> (doen&#xE7;a autoimune do <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/c" target="_blank">sistema nervoso central</a>) em exacerba&#xE7;&#xE3;o.</li>
Doenças dos rins
  • <li>S&#xED;ndrome nefr&#xF3;tica (condi&#xE7;&#xE3;o caracterizada por perda maci&#xE7;a de <a href="https://minutosaudavel.com.br/proteinas/" rel="noopener" target="_blank">prote&#xED;nas</a> na urina).</li>
Doenças hormonais
  • <li>Insufici&#xEA;ncia suprarrenal prim&#xE1;ria ou secund&#xE1;ria (incapacidade da gl&#xE2;ndula suprarrenal em produzir seus horm&#xF4;nios) [a <a href="https://consultaremedios.com.br/hidrocortisona/bula" target="_blank">hidrocortisona</a> ou cortisona s&#xE3;o as drogas de escolha; o <a href="https://consultaremedios.com.br/deflazacorte/bula" target="_blank">deflazacorte</a>, devido aos seus poucos efeitos mineralocorticoides, deve ser usado em conjunto com um mineralocorticoide (horm&#xF4;nios que regulam o equil&#xED;brio de sais e l&#xED;quidos no corpo)], hiperplasia suprarrenal cong&#xEA;nita (dist&#xFA;rbio presente desde o nascimento caracterizado pela defici&#xEA;ncia da gl&#xE2;ndula adrenal em produzir cortisona e aldosterona e hiperprodu&#xE7;&#xE3;o de horm&#xF4;nios androg&#xEA;nios), tiroidite n&#xE3;o supurativa (doen&#xE7;a inflamat&#xF3;ria da gl&#xE2;ndula <a href="https://consultaremedios.com.br/tireoide/c" target="_blank">tireoide</a>).</li>

Devido à propriedade protetora dos ossos, o deflazacorte pode ser a substância de escolha para pessoas que necessitam de tratamento com glicocorticoides (tipo de hormônio), especialmente aqueles que apresentam maior risco de osteoporose (doença que atinge os ossos, causando redução da massa óssea). Seus reduzidos efeitos diabetogênicos (que causam diabetes) tornam o deflazacorte o glicocorticoide sistêmico de escolha em pacientes diabéticos e pré-diabéticos.

Comprimido 7,5 mg

Deflaimmun® é um glicocorticóide com propriedades antiinflamatórias e imunossupressoras, utilizado terapeuticamente em uma grande variedade de doenças segundo orientação médica.

Quais as contraindicações do Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Deflaimmun® não deve ser utilizado nos seguintes casos:
  • <li>Pacientes com hipersensibilidade ao deflazacorte ou a qualquer um dos componentes da f&#xF3;rmula;</li> <li>Pacientes que estejam recebendo imuniza&#xE7;&#xE3;o (vacina de v&#xED;rus vivo) (possibilidade de dissemina&#xE7;&#xE3;o de v&#xED;rus vivos e/ou falha na resposta das c&#xE9;lulas de defesa).</li>

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Este medicamento é contraindicado a pacientes com hipersensibilidade conhecida a deflazacorte e/ou demais componentes da formulação.

Como usar o Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Você deve tomar os comprimidos com líquido, por via oral.

A dose necessária é variável e deve ser individualizada de acordo com a doença a ser tratada e a resposta do paciente.

Uso adulto
Dose inicial
  • <li>6 a 90 mg/dia, dependendo da gravidade dos sintomas.</li>
Uso em crianças
  • <li>0,22 a 1,65 mg/kg/dia ou em dias alternados.</li>

Assim como para outros glicocorticoides, a suspensão do tratamento deve ser feita reduzindo-se gradualmente a dose de deflazacorte.

Em doenças menos graves, doses mais baixas podem ser suficientes, enquanto que as graves podem requerer doses maiores. A dose inicial deve ser mantida ou ajustada até a obtenção de uma resposta clínica satisfatória. Se esta não ocorrer, o tratamento deve ser interrompido e substituído por outro. Depois de se alcançar uma resposta inicial favorável, a dose de manutenção adequada deve ser determinada pela diminuição da dose inicial em pequenas frações até alcançar a menor dose capaz de manter uma resposta clínica adequada.

Manutenção
  • <li>Os pacientes devem ser controlados cuidadosamente, identificando os sinais e sintomas que possam indicar a necessidade de se ajustar a dose, incluindo altera&#xE7;&#xF5;es no quadro cl&#xED;nico resultante da remiss&#xE3;o ou exacerba&#xE7;&#xE3;o da doen&#xE7;a, resposta individual &#xE0; droga e efeitos do <a href="https://minutosaudavel.com.br/estresse/" rel="noopener" target="_blank">estresse</a> (por ex.: cirurgia, infec&#xE7;&#xE3;o, traumatismo). Durante o estresse, pode ser necess&#xE1;rio aumentar temporariamente a dose.</li>

Não há estudos dos efeitos de Deflaimmun® administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via oral, conforme recomendado pelo médico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Para administração do medicamento, a dose de deflazacorte deve ser baseada nas características do paciente, diagnóstico e severidade da doença, resposta clínica e tolerabilidade do paciente. Deve ser utilizada a menor dose possível para minimizar os efeitos adversos potenciais da droga. A dosagem geral recomendada é de 6 a 18 mg/dia.

Assim como para outros glicocorticóides, a suspensão do tratamento deve ser feita reduzindo-se gradualmente a dose de deflazacorte.

Em doenças menos graves, doses mais baixas podem ser suficientes, enquanto que as graves podem requerer doses maiores. A dose inicial deve ser mantida ou ajustada até a obtenção de uma resposta clínica satisfatória. Se esta não ocorrer, o tratamento deve ser interrompido e substituído por outro.

Depois de se alcançar uma resposta inicial favorável, a dose de manutenção adequada deve ser determinada pela diminuição da dose inicial em pequenas frações até alcançar a menor dose capaz de manter uma resposta clínica adequada.

Manutenção
  • <li>Os pacientes devem ser controlados cuidadosamente, identificando os sinais e sintomas que possam indicar a necessidade de se ajustar a dose, incluindo altera&#xE7;&#xF5;es no quadro cl&#xED;nico resultante da remiss&#xE3;o ou exacerba&#xE7;&#xE3;o da doen&#xE7;a, resposta individual &#xE0; droga e efeitos do estresse (por ex: cirurgia, infec&#xE7;&#xE3;o, traumatismo). Durante o estresse, pode ser necess&#xE1;rio aumentar temporariamente a dose.</li>

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Como o Deflaimmun Comprimido funciona?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Deflaimmun® é um glicocorticoide que possui ação anti-inflamatória e imunossupressora.

Tempo médio de início de ação
  • <li>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o oral, deflazacorte &#xE9; bem absorvido e imediatamente convertido ao metab&#xF3;lito ativo, o qual alcan&#xE7;a concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas em 1,5 a 2 horas.</li>

Comprimido&nbsp;7,5 mg

O deflazacorte é um derivado oxazolínico da prednisolona com atividade antiinflamatória e imunossupressora. Tanto o tratamento a curto prazo (4 a 6 semanas) quanto a longo prazo (13 a 52 semanas), os estudos mostraram que o deflazacorte é tão eficaz quanto a prednisona ou metilprednisolona em pacientes com artrite reumatóide. É também tão eficaz quanto o prednisona em crianças com artrite crônica juvenil.

Quais cuidados devo ter ao usar o Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

A supressão da função hipotálamo-hipófise-adrenal (bloqueio da atividade de algumas glândulas localizadas no cérebro) induzida por glicocorticoides é dependente da dose e duração do tratamento.

O restabelecimento ocorre gradualmente após redução da dose e interrupção do tratamento. Entretanto, uma relativa insuficiência pode persistir por alguns meses depois da suspensão do tratamento; portanto, em qualquer situação estressante, o tratamento deve ser reinstituído.

Considerando que a secreção mineralocorticoide pode estar prejudicada, deve-se administrar concomitantemente sais e/ou mineralocorticoides.

Uma rápida redução na dose de corticosteroides após tratamento prolongado pode levar à insuficiência adrenal aguda que pode ser fatal. Após tratamento prolongado, a retirada dos glicocorticoides pode resultar em sintomas da síndrome de retirada, incluindo febre, mialgia (dor muscular), artralgia (dor articular) e mal estar. Isso pode ocorrer até em pacientes sem evidência de insuficiência adrenal.

Como o uso de deflazacorte requer cuidados especiais com algumas condições clínicas, informe seu médico caso você tenha as seguintes doenças:
  • <li>Cardiomiopatias (doen&#xE7;as que afetam o m&#xFA;sculo do cora&#xE7;&#xE3;o) ou <a href="https://minutosaudavel.com.br/insuficiencia-cardiaca/" rel="noopener" target="_blank">insufici&#xEA;ncia card&#xED;aca</a> congestiva (devido ao aumento da reten&#xE7;&#xE3;o de &#xE1;gua) (condi&#xE7;&#xE3;o em que o cora&#xE7;&#xE3;o &#xE9; incapaz de bombear sangue suficiente para satisfazer as necessidades do corpo), hipertens&#xE3;o (press&#xE3;o arterial elevada), manifesta&#xE7;&#xF5;es tromboemb&#xF3;licas (obstru&#xE7;&#xE3;o de um vaso sangu&#xED;neo por um co&#xE1;gulo de sangue na corrente sangu&#xED;nea).</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/gastrite/c" target="_blank">Gastrite</a> (<a href="https://consultaremedios.com.br/b/inflamacao-estomago" target="_blank">inflama&#xE7;&#xE3;o do est&#xF4;mago</a>) ou <a href="https://minutosaudavel.com.br/esofagite-erosiva-eosinofilica-e-de-refluxo-o-que-e-e-sintomas/" rel="noopener" target="_blank">esofagite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o do es&#xF4;fago), <a href="https://minutosaudavel.com.br/diverticulite/" rel="noopener" target="_blank">diverticulite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o do intestino grosso), colite ulcerativa, anastomose intestinal recente (jun&#xE7;&#xE3;o cir&#xFA;rgica entre segmentos do intestino), <a href="https://consultaremedios.com.br/b/ulcera-peptica" target="_blank"/><a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/ulcera/c" target="_blank">&#xFA;lcera</a> p&#xE9;ptica ativa ou latente (les&#xE3;o localizada no est&#xF4;mago ou duodeno com destrui&#xE7;&#xE3;o da mucosa da parede destes &#xF3;rg&#xE3;os). Os glicocorticoides podem causar reten&#xE7;&#xE3;o de sal e &#xE1;gua e aumento da excre&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio. Pode ser necess&#xE1;rio adotar uma dieta com suplementa&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio e restri&#xE7;&#xE3;o de sal.</li> <li>Diabetes <em>mellitus</em>, osteoporose, miastenia grave [doen&#xE7;a que acomete os nervos e os m&#xFA;sculos (neuromuscular), cuja principal caracter&#xED;stica &#xE9; a <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-fadiga-muscular-cronica-adrenal-etc-e-como-tratar/" rel="noopener" target="_blank">fadiga</a>], insufici&#xEA;ncia renal (redu&#xE7;&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o dos rins).</li> <li>Instabilidade emocional ou tend&#xEA;ncias psic&#xF3;ticas (altera&#xE7;&#xF5;es comportamentais): rea&#xE7;&#xF5;es adversas psiqui&#xE1;tricas graves podem ocorrer com esteroides sist&#xEA;micos. A maioria das rea&#xE7;&#xF5;es melhora ap&#xF3;s redu&#xE7;&#xE3;o da dose ou descontinua&#xE7;&#xE3;o do medicamento, embora tratamento espec&#xED;fico possa ser necess&#xE1;rio.</li> <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-epilepsia-tipos-causas-sintomas-remedios-tem-cura/" rel="noopener" target="_blank">Epilepsia</a> (crises convulsivas).</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/tireoide/hipotireoidismo/c" target="_blank">Hipotireoidismo</a> (produ&#xE7;&#xE3;o insuficiente de horm&#xF4;nio pela gl&#xE2;ndula tireoide) e <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/cirrose/c" target="_blank">cirrose</a> (condi&#xE7;&#xE3;o em que o tecido fibroso invade qualquer &#xF3;rg&#xE3;o, geralmente f&#xED;gado e ves&#xED;cula biliar), condi&#xE7;&#xF5;es que podem aumentar os efeitos dos glicocorticoides.</li> <li> <em>Herpes simplex</em> ocular (infec&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea por um v&#xED;rus) devido &#xE0; poss&#xED;vel perfura&#xE7;&#xE3;o da c&#xF3;rnea.</li> <li>O uso pedi&#xE1;trico prolongado pode suprimir o crescimento e o desenvolvimento.</li>

Considerando que as complicações do tratamento com glicocorticoides são dependentes da dose e duração do tratamento, deve-se definir a dose, duração do tratamento, bem como do tipo de terapia (diária ou intermitente) baseado na relação risco/benefício para cada paciente.

As seguintes reações são efeitos conhecidos dos glicocorticoides:
  • <li><a href="https://minutosaudavel.com.br/menstruacao-irregular/" rel="noopener" target="_blank">Menstrua&#xE7;&#xE3;o irregular</a>, leucocitose (aumento das c&#xE9;lulas brancas no sangue).</li>

Foi relatada miocardiopatia hipertrófica (aumento do coração) após a administração sistémica de glicocorticosteroides em recém-nascidos prematuros. Em recém-nascidos que estejam recebendo&nbsp;glicocorticoides sistêmicos, devem ser realizados ecocardiogramas (ultrassonografia do coração) para monitorizar a estrutura e a função do miocárdio (vide Reações Adversas).

Aplica-se a formulações sistêmicas

Na experiência pós-comercialização, a síndrome de lise tumoral (SLT) (reação de liberação de substancias na corrente sanguínea pela destruição acelerada de células tumorais) foi relatada em pacientes com neoplasias hematológicas (tumor de células sanguíneas) após o uso de deflazacorte isoladamente ou em combinação com outros agentes quimioterápicos. Pacientes com alto risco de SLT, como pacientes com alta taxa proliferativa, alta carga tumoral e alta sensibilidade a agentes citotóxicos, devem ser monitorados de perto e devem ser tomadas as devidas precauções.

Informe seu médico se você tiver problemas renais ou níveis elevados de ácido úrico no sangue antes de iniciar o tratamento com deflazacorte.

Gravidez e amamentação

O uso durante a gravidez ou amamentação deve ser feito somente quando os benefícios superarem os riscos potenciais de seu uso. Crianças cujas mães receberam glicocorticoides durante a gravidez devem ser cuidadosamente observadas em relação a possíveis sinais de hipoadrenalismo (redução da atividade normal das glândulas adrenais). Os glicocorticoides são excretados no leite materno e podem causar inibição do crescimento e hipoadrenalismo nos lactentes, portanto, mães tratadas com glicocorticoides devem ser advertidas para que não amamentem.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Este medicamento é indicado somente para uso oral.

O uso deste medicamento é contraindicado em caso de hipersensibilidade conhecida a deflazacorte e/ou demais componentes da formulação.

Informe ao seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

Também informe ao seu médico caso tenha problemas de:
  • <li>Cora&#xE7;&#xE3;o;</li> <li>Rim ou gastrintestinais;</li> <li>Diabetes;</li> <li>Infec&#xE7;&#xF5;es;</li> <li> <em>Herpes simplex</em> ocular;</li> <li>Miastenia grave;</li> <li><a href="https://consultaremedios.com.br/pressao-alta/c" target="_blank">Press&#xE3;o alta</a>;</li> <li>Osteoporose;</li> <li>Problemas neurol&#xF3;gicos;</li> <li>Hipotiroidismo e/ou cirrose;</li> <li>Caso esteja estressado ou deva tomar alguma vacina em breve.</li>
Gravidez e lactação

Deflazacorte somente deve ser utilizado durante a gravidez e/ou lactação se os benefícios do tratamento esperados superarem os riscos potenciais de seu uso. Crianças cujas mães receberam glicocorticóides durante a gravidez devem ser cuidadosamente observadas em relação a&nbsp;possíveis sinais de hipoadrenalismo. Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.

Os glicocorticóides são excretados através do leite materno e podem causar supressão do crescimento e hipoadrenalismo nos lactentes, portanto, mães tratadas com glicocorticóides não devem amamentar.

Informe ao seu médico se está amamentando.

Pacientes idosos

Não constam na literatura relatos sobre advertências ou recomendações do uso adequado por pacientes idosos.

Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

Durante o tratamento podem ocorrer:
  • <li>Problemas gastrintestinais e visuais, agita&#xE7;&#xE3;o, incha&#xE7;o, altera&#xE7;&#xF5;es menstruais.</li>

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

Advertências do&nbsp;Deflaimmun Comprimido

{"tag":"hr","value":" <h3>Comprimido&amp;nbsp;6 mg e 30 mg</h3> <p>Em pacientes em tratamento com glicocorticoides submetidos a estresse n&#xE3;o usual, pode ser necess&#xE1;rio aumentar a dose de deflazacorte, antes, durante e a ap&#xF3;s a situa&#xE7;&#xE3;o de stress. Ocular, miastenia grave, press&#xE3;o alta, osteoporose, problemas neurol&#xF3;gicos, hipotireoidismo, cirrose, se est&#xE1; estressado e se vai tomar alguma vacina.</p> <p>Converse com seu m&#xE9;dico caso voc&#xEA; esteja com infec&#xE7;&#xF5;es ativas (virais, bacterianas ou mic&#xF3;ticas) ou apare&#xE7;am novas infec&#xE7;&#xF5;es durante o uso de Deflaimmun<sup>&#xAE;</sup>, pois o medicamento pode mascarar seus sinais.</p> <p>A <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/catapora/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">varicela</a> (catapora) &#xE9; particularmente importante, pois pode ser fatal em pacientes imunodeprimidos. Se voc&#xEA; estiver se tratando com deflazacorte ou recebeu o medicamento ou qualquer outro esteroide nos &#xFA;ltimos 3 meses, voc&#xEA; deve evitar o contato com pacientes portadores de varicela ou herpes zoster. Caso este contato ocorra, procure seu m&#xE9;dico imediatamente. Se o diagn&#xF3;stico de varicela for confirmado, cuidados especiais e tratamento urgente s&#xE3;o necess&#xE1;rios. O tratamento com deflazacorte n&#xE3;o dever&#xE1; ser interrompido e pode ser necess&#xE1;rio um aumento da dose.</p> <p>Converse com seu m&#xE9;dico caso voc&#xEA; tenha <a href=\"https://consultaremedios.com.br/aparelho-respiratorio/tuberculose/c\" target=\"_blank\">tuberculose</a> ativa ou latente, pois nestes casos o uso de deflazacorte deve ser feito conjuntamente com antituberculoso adequado.</p> <p>e Deflaimmun<sup>&#xAE;</sup> for necess&#xE1;rio para tratar outras condi&#xE7;&#xF5;es em pacientes com tuberculose, ele deve ser utilizado com terapia antituberculosa adequada.</p> <p>O uso sist&#xEA;mico de glicocorticoides pode causar coriorretinopatia (caracterizado pelo deslocamento seroso da retina na regi&#xE3;o macular) que pode causar dist&#xFA;rbios visuais incluindo perda da vis&#xE3;o. O uso prolongado de glicocorticoides mesmo em dose baixa pode causar coriorretinopatia.</p> <p>O uso prolongado de glicocorticoides pode provocar <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/catarata-o-que-e-tipos-sintomas-cirurgia-tem-cura/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">catarata</a> posterior subcapsular (opacidade, parcial ou completa, de um ou ambos os olhos que prejudica a vis&#xE3;o ou causa cegueira) ou <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-glaucoma-sintomas-tratamento-causas-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">glaucoma</a> (aumento da press&#xE3;o intraocular). A terapia prolongada pode aumentar a possibilidade de infec&#xE7;&#xF5;es oculares secund&#xE1;rias por fungos e v&#xED;rus.</p> <p><a href=\"https://minutosaudavel.com.br/tendinite/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">Tendinite</a> (inflama&#xE7;&#xE3;o dos tend&#xF5;es) e ruptura de tend&#xE3;o s&#xE3;o efeitos conhecidos da classe dos glicocorticoides. O risco de tais rea&#xE7;&#xF5;es pode ser aumentado pela coadministra&#xE7;&#xE3;o com quinolonas.</p> <p>Foi reportada crise de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/feocromocitoma-tratamento-diagnostico-causas-sintomas-e-mais/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">feocromocitoma</a> (tumor da gl&#xE2;ndula supra-renal), que pode ser fatal, ap&#xF3;s administra&#xE7;&#xE3;o sist&#xEA;mica de corticosteroides. Corticosteroides s&#xF3; devem ser administrados em pacientes com suspeita de feocromocitoma ou identificada ap&#xF3;s avalia&#xE7;&#xE3;o apropriada do risco/benef&#xED;cio.&amp;nbsp;</p> <p>Caso voc&#xEA; apresente vis&#xE3;o turva ou outros dist&#xFA;rbios visuais, entre em contato com o seu m&#xE9;dico.</p> "}

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

As seguintes taxas de frequência CIOMS são utilizadas, quando aplicável:
  • <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Rea&#xE7;&#xE3;o muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento);</li> <li>Desconhecido (n&#xE3;o pode ser estimado a partir dos dados dispon&#xED;veis).</li>
Os glicocorticoides causam reações adversas, as quais são relacionadas com a dose e duração do tratamento, incluindo:
Distúrbios Endócrinos
  • <li>Comum: aumento de peso.</li> <li>Incomum: supress&#xE3;o da fun&#xE7;&#xE3;o hipotal&#xE2;mica-hip&#xF3;fise-adrenal, altera&#xE7;&#xF5;es corporais [distribui&#xE7;&#xE3;o cushingoide (distribui&#xE7;&#xE3;o irregular na gordura corporal), &quot;cara de lua cheia&quot;, hirsutismo (crescimento excessivo de pelos no corpo, com distribui&#xE7;&#xE3;o normal ou anormal), <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-amenorreia-primaria-e-secundaria-sintomas-e-causas/" rel="noopener" target="_blank">amenorreia</a> (aus&#xEA;ncia de menstrua&#xE7;&#xE3;o) e Diabetes<em> mellitus</em>.</li> <li>Desconhecido: insufici&#xEA;ncia adrenal aguda ap&#xF3;s descontinua&#xE7;&#xE3;o do tratamento e diminui&#xE7;&#xE3;o do crescimento em crian&#xE7;as.</li>
Distúrbios Oculares
  • <li>Desconhecido: catarata posterior subcapsular, glaucoma (aumento da press&#xE3;o intraocular), coriorretinopatia (caracterizado pelo deslocamento seroso da retina na regi&#xE3;o macular), vis&#xE3;o turva.</li>
Distúrbios Gastrintestinais:
  • <li>Incomum: <a href="https://minutosaudavel.com.br/dispepsia-indigestao-o-que-e-sintomas-remedios-e-tipos/" rel="noopener" target="_blank">dispepsia</a> (m&#xE1; digest&#xE3;o), ulcera&#xE7;&#xE3;o p&#xE9;ptica, hemorragia e <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">n&#xE1;usea</a>.</li> <li>Desconhecido: perfura&#xE7;&#xE3;o da &#xFA;lcera p&#xE9;ptica e <a href="https://minutosaudavel.com.br/pancreatite/" rel="noopener" target="_blank">pancreatite</a> aguda (inflama&#xE7;&#xE3;o do p&#xE2;ncreas), especialmente em crian&#xE7;as.</li>
Distúrbios Gerais e condições no local da administração
  • <li>Incomum: incha&#xE7;o.</li>
Distúrbios do Sistema Imunológico
  • <li>Incomum: rea&#xE7;&#xF5;es al&#xE9;rgicas.</li>
Infecções e Infestações
  • <li>Incomum: aumento da suscetibilidade &#xE0;s infec&#xE7;&#xF5;es.</li>
Distúrbios de Metabolismo e Nutricionais
  • <li>Incomum: altera&#xE7;&#xF5;es do equil&#xED;brio hidroeletrol&#xED;tico (equil&#xED;brio das quantidades de sais e l&#xED;quidos no corpo) e <a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipocalemia-sintomas-tratamento-causas-prevencao-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipocalemia</a> (redu&#xE7;&#xE3;o dos n&#xED;veis de pot&#xE1;ssio no sangue) quando coadministrado com agonistas beta-2 e xantinas.</li>
Formulação sistêmica
  • <li>Desconhecido: a s&#xED;ndrome de lise tumoral (rea&#xE7;&#xE3;o de libera&#xE7;&#xE3;o de subst&#xE2;ncias na corrente sangu&#xED;nea pela destrui&#xE7;&#xE3;o acelerada de c&#xE9;lulas tumorais) &#xE9; uma condi&#xE7;&#xE3;o grave, que pode causar a morte, revelada por altera&#xE7;&#xF5;es nos exames de sangue, como aumento dos n&#xED;veis de &#xE1;cido &#xFA;rico, pot&#xE1;ssio ou fosforo, e diminui&#xE7;&#xE3;o do n&#xED;vel de c&#xE1;lcio, dist&#xFA;rbio do ritmo card&#xED;aco; e pode resultar em sintomas como convuls&#xF5;es, insufici&#xEA;ncia renal&amp;nbsp;(quantidade reduzida ou escurecimento da urina) e batimentos card&#xED;acos irregulares. Se isso acontecer, informe seu m&#xE9;dico imediatamente.</li>
Distúrbios Músculoesqueléticos e do Tecido Conjuntivo
  • <li>Incomum: perda de massa &#xF3;ssea (fraturas).</li> <li>Raro: perda de massa muscular.</li> <li>Desconhecido: osteonecrose avascular (morte do osso por perda de suprimento sangu&#xED;neo), miopatia - doen&#xE7;a muscular (miopatia aguda pode ser precipitada por relaxantes musculares n&#xE3;o-despolarizantes), tendinite e ruptura de tend&#xE3;o quando coadministrado com quinolonas.</li>
Distúrbios do Sistema Nervoso
  • <li>Incomum: cefaleia (<a href="https://consultaremedios.com.br/dor-febre-e-contusao/dor-de-cabeca-e-enxaqueca/c" target="_blank">dor de cabe&#xE7;a</a>) e vertigem (<a href="https://minutosaudavel.com.br/tontura-o-que-pode-ser/" rel="noopener" target="_blank">tontura</a>).</li> <li>Desconhecido: pseudotumor cerebral (doen&#xE7;a que simula um <a href="https://minutosaudavel.com.br/tumor-cerebral/" rel="noopener" target="_blank">tumor cerebral</a>, caracterizada pelo aumento da press&#xE3;o dentro do cr&#xE2;nio) em crian&#xE7;as.</li>
Distúrbios Psiquiátricos
  • <li>Incomum: dist&#xFA;rbios de sono, altera&#xE7;&#xE3;o de humor, <a href="https://minutosaudavel.com.br/depressao/" rel="noopener" target="_blank">depress&#xE3;o</a>, nervosismo e confus&#xE3;o.</li> <li>Desconhecido: <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/insonia/c" target="_blank">ins&#xF4;nia</a>, sonhos anormais, choro, dist&#xFA;rbio emocional, comportamento anormal, euforia (sentimento exagerado de bem-estar emocional e f&#xED;sico), inquieta&#xE7;&#xE3;o, hipomania (altera&#xE7;&#xE3;o de humor semelhante &#xE0; mania, por&#xE9;m com menor intensidade), <a href="https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/ansiedade/c" target="_blank">ansiedade</a>, agita&#xE7;&#xE3;o, neurose, desorienta&#xE7;&#xE3;o, <a href="https://minutosaudavel.com.br/psicose/" rel="noopener" target="_blank">psicose</a> e alucina&#xE7;&#xE3;o.</li>
Distúrbios da Pele e Tecido Subcutâneo
  • <li>Incomum: <a href="https://consultaremedios.com.br/pele-e-mucosa/acne/c" target="_blank">acne</a> e <a href="https://minutosaudavel.com.br/estrias/" rel="noopener" target="_blank">estria</a>.</li> <li>Raro: fragilidade da pele.</li> <li>Desconhecido: afinamento da pele.</li>
Distúrbios Vasculares
  • <li>Raro: hematomas.</li> <li>Desconhecido: tromboembolismo em particular em pacientes com condi&#xE7;&#xF5;es de base associadas a tend&#xEA;ncia tromb&#xF3;tica aumentada.</li>
Distúrbios Endócrinos
  • <li>Desconhecido: Crise de feocromocitoma (tumor da gl&#xE2;ndula supra-renal).</li>
Aplicáveis a hidrocortisonas sistêmicas
Distúrbios Cardíacos

Miocardiopatia hipertrófica (aumento do coração) em bebês prematuros.

Outras reações observadas foram balanço negativo de nitrogênio, hipertensão intracraniana (aumento da pressão dentro do crânio), convulsões e atraso no processo de cicatrização.

Tem-se evidenciado uma menor incidência de reações adversas a nível ósseo e do metabolismo dos carboidratos com deflazacorte quando comparado a outros glicocorticoides.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

A incidência total de eventos adversos com deflazacorte (16.5%) é menor quando comparada com a prednisona (20.5%) e metilprednisolona (32.7%). Os sintomas gastrintestinais são os eventos adversos mais freqüentemente relatados em pacientes tratados com deflazacorte. Outros eventos adversos associados com o deflazacorte incluem desordens metabólicas e nutritivas, distúrbios de sistema nervoso central e periférico e desordens psiquiátricas.

Em geral, o deflazacorte parece ter menos efeito que a prednisona em parâmetros que podem estar associados com o desenvolvimento da osteoporose corticosteróide-induzida. Porém, o deflazacorte demonstrou ter menor impacto na taxa de crescimento em crianças com patologias que exigem terapia com corticosteróide.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Deflaimmun Comprimido?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Caso esqueça de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia.

Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico ou cirurgião-dentista.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Após tratamento prolongado, a interrupção do tratamento deve ser feita lenta e gradualmente, para evitar a síndrome de retirada, na qual podem ocorrer: febre, dor muscular, dor articular e mal estar geral. Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Somente o médico poderá avaliar a eficácia da terapia. A interrupção do tratamento pode ocasionar a não-obtenção dos resultados esperados.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Qual a composição do Deflaimmun Comprimido?

Cada comprimido de 6 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Deflazacorte</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">6 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p.</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">1 comprimido</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: celulose microcristalina, lactose monoidratada, amidoglicolato de sódio, amido, estearato de magnésio, dióxido de silício.

Cada comprimido de 7,5 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Deflazacorte</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">7,5 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p.</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">1 comprimido</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: lactose monoidratada, amido, celulose microcristalina, amidoglicolato de sódio, dióxido de silício, estearato de magnésio.

Cada comprimido de 30 mg contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Deflazacorte</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">30 mg</td> </tr> <tr> <td style=\"width:228px\"> <p style=\"text-align:center\">Excipiente q.s.p.</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:221px\">1 comprimido</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

Excipientes: celulose microcristalina, lactose monoidratada, amidoglicolato de sódio, amido, estearato de magnésio, dióxido de silício.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Deflaimmun Comprimido maior do que a recomendada?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Sintomas

Relatos de superdose têm sido raros. Os relatos foram associados a sintomas consistentes com efeitos farmacológicos exagerados da substância ativa e não resultaram em morte.

Conduta

Na superdose aguda, recomenda-se tratamento de suporte sintomático. A DL 50 oral é maior que 4000 mg/kg em animais de laboratório.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Na superdosagem aguda, recomenda-se tratamento de suporte sintomático. A DL 50 oral é maior que 4000 mg/kg em animais de laboratório.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Deflaimmun Comprimido com outros remédios?

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Embora não tenham sido detectadas interações medicamentosas significativas durante as investigações clínicas, deve-se tomar os mesmos cuidados que para outros glicocorticoides em relação a, por exemplo: diminuição dos níveis de salicilato; aumento do risco de hipocalemia (diminuição da concentração de potássio no sangue) com o uso concomitante de: digitálicos (medicamentos para o tratamento de doenças do coração), diuréticos (medicamentos que promovem o aumento na produção e na eliminação da urina), glicosídeos cardiotônicos, agonistas beta-2 e xantinas; anticolinesterásicos (inibidor da enzima colinesterase); substâncias que alteram o metabolismo dos glicocorticoides como: rifampicina, barbituratos, difenilhidantoína, fenitoína, eritromicina e estrógenos (um tipo de hormônio) (em pacientes recebendo estrógeno, a necessidade de corticosteroides pode ser reduzida). Os corticoides podem alterar os efeitos dos anticoagulantes (medicamentos usados para prevenir a formação de trombos sanguíneos) do tipo cumarínico. Relaxamento prolongado após administração de relaxantes musculares não-despolarizantes.

O tratamento concomitante com inibidores da CYP3A (enzima importante para metabolizar alguns medicamentos), incluindo produtos que contenham cobicistate, pode aumentar o risco de eventos adversos sistêmicos dos corticosteroides.

A combinação deve ser evitada a menos que o benefício supere o aumento do risco de tais eventos adversos, neste caso, os pacientes devem ser monitorados de perto.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Embora não tenham sido detectadas interações medicamentosas durante as investigações clínicas, deve-se tomar os mesmos cuidados que para outros glicocorticóides (ex: pode ocorrer diminuição dos níveis de salicilato, aumento do risco de hipocalemia com o uso concomitante com digitálicos ou diuréticos, anticolinesterásicos, substâncias que alteram o metabolismo dos glicocorticóides tais como rifampicina, barbituratos e difenilhidantoína). Eritromicina e estrógenos podem aumentar os efeitos dos corticosteróides. Os corticóides podem alterar os efeitos dos anticoagulantes do tipo cumarínico.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Qual a ação da substância do Deflaimmun Comprimido (Deflazacorte)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>Quarenta (40) pacientes de faixa et&#xE1;ria pedi&#xE1;trica apresentando s&#xED;ndrome nefr&#xF3;tica esteroide dependente foram acompanhados por um per&#xED;odo m&#xE9;dio de 5,5 anos. Receberam o tratamento por 1 ano, com Deflazacorte (n = 20) ou <a href=\"https://consultaremedios.com.br/prednisona/bula\" target=\"_blank\">prednisona</a> (n = 20). O n&#xFA;mero de recidivas foi significativamente menor no grupo recebendo Deflazacorte. Ap&#xF3;s 1 ano, 12 pacientes com Deflazacorte permaneceram em remiss&#xE3;o, ao passo que 2 pacientes com prednisona mantiveram a remiss&#xE3;o.</p> <p>A velocidade de crescimento n&#xE3;o foi diferente entre os 2 grupos. O conte&#xFA;do mineral &#xF3;sseo, avaliado por tomografia computadorizada de v&#xE9;rtebras L1L2 reduziu-se ap&#xF3;s 1 ano em 6% no grupo Deflazacorte versus 12% no grupo prednisona.</p> <p>O aumento m&#xE9;dio do peso corporal de +3,9 +/- 4,1kg foi maior no grupo prednisona que no grupo Deflazacorte +1,7 +/- 2,8kg (P = 0,06). Sintomas cushing&#xF3;ides tenderam a ser menores ap&#xF3;s 12 meses no grupo Deflazacorte. Em conclus&#xE3;o, o estudo mostra que Deflazacorte foi mais efetivo que a prednisona em limitar as recidivas em s&#xED;ndrome nefr&#xF3;tica esteroide dependente, e que os sintomas cushing&#xF3;ides, ganho de peso, decr&#xE9;scimo do conte&#xFA;do mineral &#xF3;sseo tendiam a ser menos intensos com Deflazacorte que com prednisona (Broyer et. al. 1997).</p> <p>Deflazacorte &#xE9; um medicamento com a&#xE7;&#xE3;o anti-inflamat&#xF3;ria e imunossupressora. Estudos de curto (4 a 6 semanas) e longo prazo (13 a 52 semanas) t&#xEA;m mostrado Deflazacorte como t&#xE3;o efetivo quanto a prednisona ou metilprednisolona em pacientes com artrite reumatoide. A droga foi pelo menos t&#xE3;o efetiva quanto a prednisona em crian&#xE7;as com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/artrite-cronica\" target=\"_blank\">artrite cr&#xF4;nica</a> juvenil, e tamb&#xE9;m tem mostrado alguma efic&#xE1;cia no tratamento para a s&#xED;ndrome nefr&#xF3;tica e outras complica&#xE7;&#xF5;es como Distrofia de Duchenne, l&#xFA;pus eritematoso, uve&#xED;te e transplante. A incid&#xEA;ncia geral de eventos adversos em pacientes recebendo Deflazacorte (16,5%) &#xE9; menor que a registrada nos pacientes recebendo prednisona (20,5%) ou metilprednisolona (32,7%) e similar &#xE0;quela dos pacientes com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/betametasona/bula\" target=\"_blank\">betametasona</a> (15,3%). Sintomas gastrintestinais s&#xE3;o os mais frequentemente reportados em pacientes com Deflazacorte; outros eventos adversos associados &#xE0;s drogas incluem altera&#xE7;&#xF5;es nutricionais e metab&#xF3;licas, dist&#xFA;rbios do <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-nervoso-central/c\" target=\"_blank\">sistema nervoso central</a> e perif&#xE9;rico, e altera&#xE7;&#xF5;es psiqui&#xE1;tricas. Em geral o Deflazacorte parece ter menos efeito que a prednisona sobre par&#xE2;metros que possam ser associados com o desenvolvimento da osteoporose induzida por cortic&#xF3;ides. Tamb&#xE9;m parece ter menos efeito negativo na taxa de crescimento das crian&#xE7;as com doen&#xE7;as que requerem corticoterapia (Markham &amp; Bryson 1995).</p> <p>Desde que os corticoides come&#xE7;aram a representar uma importante ferramenta no tratamento das uve&#xED;tes, foi avaliada sua efic&#xE1;cia cl&#xED;nica e o poss&#xED;vel aparecimento de efeitos colaterais de Deflazacorte versus prednisona em dosagens equivalentes. Em estudo aberto com seis pacientes com uve&#xED;te anterior aguda recorrente e/ou uve&#xED;te anterior cr&#xF4;nica utilizou-se Deflazacorte ou prednisona como alternativa. Considerando-se os par&#xE2;metros avaliados &#xE0; admiss&#xE3;o destes pacientes e durante o tratamento (efic&#xE1;cia cl&#xED;nica, par&#xE2;metros oftalmol&#xF3;gicos e ensaios hematol&#xF3;gicos), houve completa remiss&#xE3;o dos sinais cl&#xED;nicos e dos sintomas com ambos os tratamentos, sem diferen&#xE7;a estatisticamente significante entre os dois grupos estudados, encorajando posteriormente estudos controlados com o uso de Deflazacorte para o tratamento de uve&#xED;te (Cerqueti et. al. 1993).</p> <p>Em estudo aberto prospectivo para avaliar a efic&#xE1;cia e tolerabilidade de Deflazacorte em longo prazo em pacientes com polimialgia reum&#xE1;tica, a medica&#xE7;&#xE3;o foi utilizada na dose m&#xE9;dia inicial de 21,8mg/dia por um per&#xED;odo m&#xE9;dio de 19 meses em 40 pacientes. Esta conduta mostrou melhora cl&#xED;nica e laboratorial significativas em um m&#xEA;s ap&#xF3;s o in&#xED;cio da terapia. Esta melhora persistiu por todo o per&#xED;odo estudado, e os par&#xE2;metros laboratoriais de tolerabilidade estudados n&#xE3;o se alteraram durante o estudo. Efeitos colaterais leves a moderados relacionados aos corticoides ocorreram em 57,9% dos pacientes. Demonstrou-se que o Deflazacorte &#xE9; efetivo no tratamento da polimialgia reum&#xE1;tica e seu perfil de seguran&#xE7;a em longo prazo pode ser superior ao de outros cortic&#xF3;ides (Cimmino et. al. 1994).</p> <p>Um estudo avaliou um caso de p&#xEA;nfigo vulgar (PV) em uma menina de 13 anos de idade, com padr&#xF5;es cl&#xED;nicos de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/estomatite-aftosa-e-viral-tratamento-sintomas-e-causas/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">estomatite</a> cr&#xF4;nica. Os achados histol&#xF3;gicos e imunol&#xF3;gicos foram t&#xED;picos do diagn&#xF3;stico de PV, e bons resultados terap&#xEA;uticos foram obtidos com doses moderadas de Deflazacorte 1 mg/kg/dia, pouco a pouco reduzidas para 0,1 mg/kg em dias alternados. A paciente n&#xE3;o apresentou efeitos colaterais significativos (Fimiani et. al. 1991).</p> <p>O uso prolongado de esteroides, particularmente a prednisona, &#xE9; conhecido por induzir osteoporose, bem como inibi&#xE7;&#xE3;o do crescimento &#xF3;sseo e atraso na consolida&#xE7;&#xE3;o de fraturas. Deflazacorte foi desenvolvido para reduzir tais efeitos delet&#xE9;rios.</p> <p>Portanto, o estudo randomizado duplo cego envolveu 16 mulheres em pr&#xE9;-menopausa com <a href=\"https://consultaremedios.com.br/b/artrite-reumatoide\" target=\"_blank\">Artrite Reumat&#xF3;ide</a> (AR), com idade m&#xE9;dia de 36,5 anos e dura&#xE7;&#xE3;o m&#xE9;dia da doen&#xE7;a de 29 meses. As pacientes receberam c&#xE1;psulas de Deflazacorte ou prednisona, sendo instru&#xED;das a manterem adequada ingest&#xE3;o de c&#xE1;lcio. Os testes laboratoriais enfatizaram a densidade mineral &#xF3;ssea na coluna lombar, colo femoral e tri&#xE2;ngulo de Ward, al&#xE9;m de todo o conte&#xFA;do mineral corp&#xF3;reo. Sinovite persistente foi similar para as duas drogas, e os padr&#xF5;es sugestivos de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/sindrome-de-cushing/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">S&#xED;ndrome de Cushing</a> foram encontrados apenas no grupo de prednisona. A diferen&#xE7;a quanto ao conte&#xFA;do mineral corp&#xF3;reo entre Deflazacorte e prednisona falhou em encontrar signific&#xE2;ncia estat&#xED;stica. No grupo Deflazacorte, a diferen&#xE7;a entre o aumento n&#xE3;o significante da densidade mineral &#xF3;ssea no&amp;nbsp;colo femoral e o significante decr&#xE9;scimo no grupo prednisona provou ser estatisticamente significante. A &#xE1;rea do tri&#xE2;ngulo de Ward foi a mais sens&#xED;vel &#xE0;s altera&#xE7;&#xF5;es da densidade &#xF3;ssea mineral em pacientes recebendo prednisona, com uma diferen&#xE7;a intergrupos altamente significativa (p 0,01). Acredita-se ser este o primeiro estudo sobre a osteoporose induzida por corticoides, avaliado atrav&#xE9;s das medidas do conte&#xFA;do mineral corp&#xF3;reo em mulheres na pr&#xE9;-menopausa com AR de curto prazo, mostrando que Deflazacorte &#xE9; uma alternativa promissora em casos severos o bastante para exigirem terapia com esteroides (Messina et. al. 1992).</p> <p>Este estudo duplo-cego avaliou o efeito protetor de Deflazacorte na rea&#xE7;&#xE3;o inflamat&#xF3;ria que se segue ao teste de provoca&#xE7;&#xE3;o conjuntival al&#xE9;rgeno espec&#xED;fico, em 24 pacientes sofrendo rinoconjuntivite por Parietaria judaica. Ap&#xF3;s avalia&#xE7;&#xE3;o inicial os pacientes foram randomizados em 4 grupos de tratamento para receber Deflazacorte 6, 30 ou 60 mg, uma vez ao dia ou placebo, por 3 dias, durante a esta&#xE7;&#xE3;o com menos p&#xF3;len. A avalia&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica (prurido, hiperemia, lacrimejamento e edema palpebral), citol&#xF3;gica (n&#xFA;mero de c&#xE9;lulas inflamat&#xF3;rias, i.e., neutr&#xF3;filos, <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/eosinofilos/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">eosin&#xF3;filos</a> e linf&#xF3;citos obtidos em raspado conjuntival) e avalia&#xE7;&#xE3;o imunocitoqu&#xED;mica de CD54 (express&#xE3;o da mol&#xE9;cula de ades&#xE3;o intercelular-1 [ICAM-1]) em c&#xE9;lulas epiteliais foram realizadas no momento basal, ap&#xF3;s 30 minutos (rea&#xE7;&#xE3;o precoce) e ap&#xF3;s 6 e 24 horas (fase tardia), antes e ap&#xF3;s o tratamento. Nem a natureza ou severidade dos eventos cl&#xED;nicos ou o n&#xFA;mero total de c&#xE9;lulas inflamat&#xF3;rias mudou durante o tratamento com Deflazacorte. A severidade dos eventos cl&#xED;nicos, o n&#xFA;mero total de c&#xE9;lulas inflamat&#xF3;rias e a express&#xE3;o de CD54 foram significativamente reduzidas pelo Deflazacorte, 30 e 60 mg/dia comparados ao grupo placebo.</p> <p>Deflazacorte 6 mg/dia n&#xE3;o demonstrou altera&#xE7;&#xE3;o cl&#xED;nica, celular ou imunocitoqu&#xED;mica significativas comparadas ao grupo placebo. Este estudo demonstra que Deflazacorte tem um alto efeito protetor sobre os eventos cl&#xED;nicos e celulares, al&#xE9;m de marcadamente reduzir a express&#xE3;o conjuntival de CD54 no epit&#xE9;lio conjuntivo (Ciprandi et. al. 1993).</p> <p>Uma paciente com 11 anos de idade, sexo feminino com hepatite autoimmune interrompeu o uso de prednisolona devido &#xE0; toxicidade, e permaneceu em remiss&#xE3;o cl&#xED;nica e bioqu&#xED;mica sob reposi&#xE7;&#xE3;o com Deflazacorte associado ao &#xE1;cido ursodeoxic&#xF3;lico. Uma <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/biopsia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">bi&#xF3;psia</a> realizada ap&#xF3;s 19 meses do tratamento com Deflazacorte e &#xE1;cido ursodeoxic&#xF3;lico mostrou remiss&#xE3;o histol&#xF3;gica (Bae et. al. 2006).</p> <p>Deflazacorte foi detectado, <em>in vitro</em>, como sendo duas vezes mais potente que prednisolona na inibi&#xE7;&#xE3;o da sobreviv&#xEA;ncia de eosin&#xF3;filos (Mullol et. al. 1995).</p> <p>Este autor sugeriu efic&#xE1;cia similar entre Deflazacorte e prednisolona na melhora da fun&#xE7;&#xE3;o pulmonar e na melhora cl&#xED;nica em asma moderada aguda em crian&#xE7;as (Gartner et. al. 1995).</p> <p>Deflazacorte parece ser t&#xE3;o efetivo quanto a prednisolona em suas propriedades imunomodulat&#xF3;rias para o tratamento da PTI nas suas formas aguda e cr&#xF4;nica (Mazzucconi et. al. 1980).</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1 &#x2013; Broyer, M.; et al. A controlled study of deflazacort in the treatment of idiopathic nephrotic syndrome. Pediatr Nephrol. 1997 Aug; 11(4): 418-22.<br> 2 &#x2013; Markham, A.; Bryson, H.M. Deflazacort. A review of its pharmacological properties and therapeutic efficacy. Drugs. 1995 Aug; 50(2): 317-33.<br> 3 &#x2013; Cerqueti, P.M.; et al. Deflazacort in the treatment of uveitis: a comparative study versus prednisone. Allergol Immunopathol (Madr.). 1993 May-Jun; 21 (3): 107-10.<br> 4 &#x2013; Cimmino, M.A.; et al. Long term treatment of polymyalgia rheumatica with deflazacort. Ann Rheum Dis. 1994; 53: 331-333.<br> 5 &#x2013; Fimiani, M.; et al. Juvenile pemphigus vulgaris: efficacy of moderate doses of deflazacort. Pediatr Dermatol. 1991 Sep; 8(3): 221-3.<br> 6 &#x2013; Messina, O.D.; et al. Effect of low doses of deflazacort vs prednisone on bone mineral content in premenopausal rheumatoid arthritis. J Rheumatol. 1992 Oct; 19(10): 1520-6. 7 &#x2013; CIPRANDI, G.; et al. Protective effects of deflazacort on allergen-specific conjunctival challenge. European Journal of Clinical Pharmacology. 45 (1), S35-S41.<br> 8 &#x2013; Bae, S.H.; et al. Deflazacort for Type-1 Autoimmune Hepatitis in a Korean Girl. J Korean Med Sci. 2006 August; 21(4): 758&#x2013;760.<br> 9 &#x2013; Mullol J.; et al. Comparative study of the effects of different glucocorticosteroids on eosinophil survival primed by cultured epithelial cell supernatants obtained from nasal mucosa and nasal polyps. Thorax. 1995; 50: 270-4.<br> 10 &#x2013; Gartner, S.; et al. Comparative efficacy of oral deflazacort versus oral prednisolone in children with moderate acute asthma. Ann Pediatr. 2004; 61: 207-12. 11 &#x2013; MAZZUCCONI, M.G.; et al. Deflazacort in thrombocytopenia: A comparison with prednisone. Int J Clin Pharmacol Ther Toxicol. 1980; 18: 538-42.</br></br></br></br></br></br></br></br></span></p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <h3>Farmacodin&#xE2;mica</h3> <p>Os glicocorticoides possuem a&#xE7;&#xE3;o anti-inflamat&#xF3;ria e imunossupressora.</p> <h4>Comparado &#xE0; prednisona, em doses anti-inflamat&#xF3;rias equivalentes, Deflazacorte proporciona:</h4> <ul> <li>Menor inibi&#xE7;&#xE3;o da absor&#xE7;&#xE3;o intestinal de c&#xE1;lcio e um menor aumento na sua excre&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria.</li> <li>Redu&#xE7;&#xE3;o significativamente menor no volume &#xF3;sseo trabecular e conte&#xFA;do mineral &#xF3;sseo.</li> <li>Reduzidos efeitos diabetog&#xEA;nicos em pessoas normais, indiv&#xED;duos com hist&#xF3;rico familiar de diabetes e pacientes diab&#xE9;ticos.</li> </ul> <h3>Farmacocin&#xE9;tica</h3> <p>Ap&#xF3;s a administra&#xE7;&#xE3;o oral, Deflazacorte &#xE9; bem absorvido e imediatamente convertido pelas esterases plasm&#xE1;ticas ao metab&#xF3;lito farmacologicamente ativo (D21 OH). Este metab&#xF3;lito (D21 OH) alcan&#xE7;a o pico de concentra&#xE7;&#xE3;o plasm&#xE1;tica em 1,5 a 2 horas. O metab&#xF3;lito que possui liga&#xE7;&#xE3;o proteica de 40% n&#xE3;o possui afinidade com a globulina ligadora de corticosteroide (transcortina). A meia-vida plasm&#xE1;tica de D21 OH &#xE9; de 1,1 a 1,9 horas. A elimina&#xE7;&#xE3;o ocorre principalmente pelos rins; nas 8 primeiras horas 70% da dose administrada &#xE9; excretada pela urina. Os 30% restantes s&#xE3;o eliminados pelas fezes. O metabolismo do D21OH &#xE9; extenso; apenas 18% da excre&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria representa D21OH, enquanto que o metab&#xF3;lito Deflazacorte 6 beta OH representa um ter&#xE7;o da elimina&#xE7;&#xE3;o urin&#xE1;ria.</p> <h4>Carcinogenicidade</h4> <p>Dados de carcinogenicidade est&#xE3;o de acordo com os glicocorticoides.</p> <h4>Mutagenicidade</h4> <p>O Deflazacorte foi submetido a testes de mutagenicidade e foram obtidos resultados negativos, indicando n&#xE3;o haver potencial mutag&#xEA;nico.</p> </hr>"}

Como devo armazenar o Deflaimmun Comprimido?

Conservar em temperatura ambiente (temperatura entre 15 e 30º C). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do medicamento

Deflaimmun® 6 mg

É um comprimido na cor branca, circular e biconvexo.

Deflaimmun® 7,5 mg

É um comprimido na cor branca, circular, biconvexo e monossectado.

Deflaimmun® 30 mg

É um comprimido na cor branca, circular e biconvexo.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

Apresentações do Deflaimmun Comprimido

  • <li>Comprimidos de 6 mg em embalagem contendo 4, 20, 30, 40, 70* e 80* comprimidos.</li> <li>Comprimido de 7,5mg em embalagem contendo 4, 20, 30, 40, 70* e 80* comprimidos.</li> <li>Comprimidos de 30 mg em embalagem contendo 4, 10, 20, 30, 70* e 80* comprimidos.</li>

* Embalagem fracionável.

Uso oral.

Uso adulto e pediátrico.

Dizeres Legais do Deflaimmun Comprimido

Comprimido&nbsp;6 mg e 30 mg

Reg. MS: nº 1.3569.0594

Farm. Resp.:
Dr. Adriano Pinheiro Coelho
CRF/SP 22.883

Registrado por:
EMS Sigma Pharma Ltda&nbsp;
Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença, Km 8 – Chácara Assay
CEP: 13186-901 – Hortolândia/SP
CNPJ: 00.923.140/0001-31
Indústria Brasileira&nbsp;




Fabricado e embalado por:
EMS S/A
Hortolândia – SP

SAC:
0800-019 12 22

Venda sob prescrição médica.

Comprimido&nbsp;7,5 mg

Reg. MS: nº 1.3569.0594

Farm. Resp.:
Dr. Adriano Pinheiro Coelho
CRF/SP 22.883

Registrado por:
EMS Sigma Pharma Ltda&nbsp;
Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença, Km 08, Bairro Chácara Assay
CEP 13.186-901 - Hortolândia / SP
CNPJ: 00.923.140/0001-31
Indústria Brasileira&nbsp;




Fabricado e comercializado por:
EMS S/A
Hortolândia-SP

Ou

Registrado por:
EMS Sigma Pharma Ltda&nbsp;
Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença, Km 08, Bairro Chácara Assay
CEP 13.186-901 - Hortolândia / SP
CNPJ: 00.923.140/0001-31
Indústria Brasileira&nbsp;




Fabricado por:
Novamed Fabricação de Produtos Farmacêuticos Ltda
Manaus/AM

Embalado e comercializado por:
EMS S/A
Hortolândia-SP

Telefone do SAC:
0800- 019 12 22

Venda sob prescrição médica.

Fabricante: EMS Sigma Pharma

© 2021 Medicamento Lab.