Eurofarma Hemolenta

6,14mg/mL + 0,18596mg/mL, caixa com 1 bolsa de sistema fechado com 5000mL de solução para hemodiálise

Princípio ativo
:
Cloreto De Sódio + Sulfato De Magnésio Heptaidratado
Classe Terapêutica
:
Soluções Para Hemodiálise
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Dispensação Sob Prescrição Médica Restrito a Hospitais)
Categoria
:
Doenças Dos Olhos
Especialidade
:
Geriatria e Urologia

Bula do medicamento

Hemolenta, para o que é indicado e para o que serve?

Hemolenta é uma solução eletrolítica base para a composição da solução dialisante. Após a aditivação obrigatória da solução de Hemolenta com agente tamponante (preferencialmente o bicarbonato), sódio e cálcio (e se necessário, cloreto, magnésio, potássio e/ou glicose), esta solução deve ser utilizada em procedimentos de hemodiálise veno-venosa contínua (CVVHD).

Esta terapia é indicada para pacientes com lesão renal aguda, que estão hemodinamicamente instáveis (pacientes acidentados/traumatizados) e não toleram/suportam a hemodiálise convencional, devido ao quadro de hipotensão arterial acentuada e com a necessidade de remoção de grandes quantidades de líquidos em excesso, compostos nitrogenados (ureia e creatinina) e potássio de forma lenta.

Quais as contraindicações do Hemolenta?

Após a aditivação obrigatória de Hemolenta, não utilizar a solução se houver qualquer intolerância aos componentes presentes na fórmula.

Este medicamento não deve ser utilizado sem aditivação prévia.

Categoria C: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez.

Como usar o Hemolenta?

Antes de ser administrado, inspecionar o produto visualmente observando a presença de partículas, turvação, filamentos na solução, fissuras ou violações na embalagem primária. Ao retirar o lacre, antes da inserção do equipo, comprimir a embalagem primária com firmeza observando se ela está íntegra. Em caso de ruptura ou vazamentos, não utilizar. Após aberto, usar imediatamente devido caráter estéril do medicamento.

Após aberto e/ou posteriormente à aditivação, este medicamento deve ser utilizado imediatamente e não deve ser armazenado.

Hemolenta é uma solução eletrolítica base para a composição da solução dialisante, estéril e apirogênica. Após a sua aditivação obrigatória com agente tamponante (preferencialmente o bicarbonato), sódio e cálcio (e se necessário, cloreto, magnésio, potássio e/ou glicose), esta solução deve ser utilizada em condições assépticas apenas por profissionais médicos especializados em procedimentos de hemodiálise veno-venosa contínua (CVVHD).

A concentração do agente tamponante (bicarbonato), sódio e cálcio a ser adicionada à solução de Hemolenta, além da concentração de cloreto, magnésio, potássio e/ou glicose a serem adicionados (se necessário), ficará à critério do médico especialista de acordo com o estado clínico de cada paciente, considerando a especificação final da solução dialisante (conforme tabela apresentada nesta bula).

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Como o Hemolenta funciona?

A hemodiálise é um procedimento para a remoção de produtos nitrogenados resultantes do catabolismo proteico, de substâncias tóxicas e seus metabólitos, os quais são normalmente excretados pelos rins e pode ser utilizada para auxiliar na regulação dos fluidos e certos distúrbios eletrolíticos.

A hemodiálise veno-venosa contínua é um tipo de terapia de substituição renal contínua, recomendada para pacientes hemodinamicamente instáveis ou em quadro de choque instalado.

Para a utilização da solução dialisante nos procedimentos de hemodiálise veno-venosa contínua (CVVHD) é obrigatória a presença do agente tamponante (preferencialmente o bicarbonato) e dos íons sódio, cloreto e magnésio.

Sendo assim, é recomendada a aditivação da solução de Hemolenta (imediatamente antes do uso) com agente tamponante (bicarbonato), sódio e cálcio (ex: solução de bicarbonato de sódio a 3%, 8,4% e 10% e solução de gluconato de cálcio a 10%), porém sempre de acordo com a prescrição do médico especialista, de modo que a concentração final da solução dialisante esteja dentro da especificação recomendada, isto é, em concentrações similares aos níveis plasmáticos fisiológicos.

Se necessário, o médico especialista poderá prescrever a adição de cloreto, magnésio, potássio e/ou glicose à solução de Hemolenta, de acordo com o estado clínico de cada paciente, entretanto, não é uma condição obrigatória para todos os casos.

A solução dialisante (Hemolenta após aditivação) deve funcionar como uma extensão temporária do fluido extracelular do paciente, possibilitando a depuração e a manutenção do equilíbrio iônico do sangue.

Quais cuidados devo ter ao usar o Hemolenta?

Hemolenta não apresentará a eficácia desejada para a depuração e manutenção do equilíbrio iônico do sangue, se utilizada sem aditivação. Esta solução deve ser utilizada somente após aditivação prévia obrigatória (imediatamente antes do uso), de modo a compor a solução dialisante a ser utilizada em procedimentos de hemodiálise veno-venosa contínua (CVVHD).

Categoria C: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Hemolenta?

A solução de Hemolenta (após aditivação) pode causar os seguintes efeitos adversos:

  • <li>Altera&#xE7;&#xF5;es nas concentra&#xE7;&#xF5;es eletrol&#xED;ticas no sangue (dist&#xFA;rbios eletrol&#xED;ticos);</li> <li>Hipopotassemia (<a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipocalemia-sintomas-tratamento-causas-prevencao-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipocalemia</a>), principalmente se o m&#xE9;dico especialista optar pela n&#xE3;o adi&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio &#xE0; solu&#xE7;&#xE3;o.</li>

Os possíveis efeitos adversos provocados pelo processo de hemodiálise, agrupados de acordo com a frequência de ocorrência e o sistema acometido, são:

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns (&gt; 10%): <ul> <li>Cardiovascular: queda da press&#xE3;o arterial.</li> </ul> </li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns (entre 1 e 10%): <ul> <li>Hematol&#xF3;gico: sangramentos;</li> <li>Cardiovascular: arritmias card&#xED;acas;</li> <li>Geral: redu&#xE7;&#xE3;o da temperatura do corpo (<a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotermia-causas-sintomas-tratamento-tipos-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipotermia</a>).</li> </ul> </li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es com frequ&#xEA;ncia n&#xE3;o estabelecida: <ul> <li>Renal: altera&#xE7;&#xE3;o das concentra&#xE7;&#xF5;es de sais do corpo e do pH do sangue;</li> <li>End&#xF3;crino: queda ou eleva&#xE7;&#xE3;o da glicose no sangue;</li> <li>Gastrintestinal: n&#xE1;useas, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">v&#xF4;mitos</a>;</li> <li>Musculoesquel&#xE9;tico: c&#xE3;ibras;</li> <li>Hematol&#xF3;gico: forma&#xE7;&#xE3;o de co&#xE1;gulos no sistema de di&#xE1;lise;</li> <li>Cardiovascular: entrada de ar no sangue pelo sistema de di&#xE1;lise (embolia gasosa);</li> <li>Pele: infec&#xE7;&#xE3;o no local de entrada do cateter, com possibilidade de se estender &#xE0; corrente sangu&#xED;nea.</li> </ul> </li>

Informe ao seu médico ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

Atenção: este produto é um medicamento que possui nova associação farmacêutica no país, e embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Hemolenta?

A utilização deste medicamento será em ambiente hospitalar, orientado e executado por profissionais médicos especializados e não dependerá da conduta do paciente.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico.

Qual a composição do Hemolenta?

Cada 100 mL da solução com cloreto de sódio e sulfato de magnésio heptaidratado contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">Cloreto de s&#xF3;dio</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">0,6140g</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">Sulfato de magn&#xE9;sio heptaidratado</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">0,018596g</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\"><a href=\"https://consultaremedios.com.br/produtos-hospitalares/agua-para-injetaveis-diluentes/c\" target=\"_blank\">&#xC1;gua para injet&#xE1;veis</a> q.s.p.</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">100mL</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}
A solução contém em mEq por litro:
{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">S&#xF3;dio (Na<sup>+</sup>)</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">105,0</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">Cloreto (Cl<sup>-</sup>)</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">105,0</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">Magn&#xE9;sio (Mg<sup>2+</sup>)</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">1,5</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:219px\"> <p>Sulfato (SO4<sup>2-</sup>)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:219px\"> <p>1,5</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

pH: 5,0-7,5.

Osmolaridade: 211,5 mOsmol/L.

Composição de Hemolenta® antes da aditivação&nbsp;

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td colspan=\"1\" rowspan=\"2\" style=\"width:226px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Componentes</strong></p> </td> <td colspan=\"2\" rowspan=\"1\" style=\"text-align:center; width:218px\"><strong>Hemolenta<sup>&#xAE;</sup></strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:116px\"><strong>mmol/L</strong></td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>mEq/L</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:226px\"> <p style=\"text-align:center\">Cloreto (Cl<sup>-</sup>)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:116px\">105,0</td> <td> <p style=\"text-align:center\">105,0</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:226px\"> <p style=\"text-align:center\">Magn&#xE9;sio (Mg<sup>2+</sup>)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:116px\">0,75</td> <td> <p style=\"text-align:center\">1,5</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:226px\"> <p style=\"text-align:center\">S&#xF3;dio (Na<sup>+</sup>)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:116px\">105,0</td> <td> <p style=\"text-align:center\">105,0</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

O conteúdo das soluções de diálise deve ser individualizado, segundo as necessidades de cada paciente (condições pré-diálise). A composição do dialisato influencia significativamente a composição da solução de reposição a ser empregada.

A aditivação deve ser individualizada para cada paciente pois trata-se de pacientes críticos com variação dinâmica dos parâmetros clínicos e metabólicos.

Hemolenta® não contém cálcio. O cálcio não deve ser aditivado ao produto, e sua reposição deverá ser efetuada por acesso venoso distinto do empregado para a terapia dialítica.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Hemolenta maior do que a recomendada?

A volemia e o equilíbrio eletrolítico do sangue do paciente serão cuidadosamente monitorados, deste modo, é improvável que a taxa de fluxo de solução dialisante seja excessiva.

No caso de sobredose, o médico especialista deverá tomar as medidas corretivas necessárias e ajustar a dose (fluxo).

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Hemolenta com outros remédios?

Informe o seu médico se estiver tomando ou tiver tomado recentemente medicamentos. Isto se deve à redução potencial da concentração sanguínea de alguns destes medicamentos durante o procedimento de hemodiálise. O seu médico deverá aconselhá-lo sobre possíveis alterações no uso da medicação.

Se receber tratamento com medicamentos digitálicos devido à problemas cardíacos, a alteração da concentração de eletrólitos no sangue poderá levar a sintomas de sobrecarga digitálica. Isto acontece especialmente se o nível de digitálicos no sangue for superior ao normalmente previsto.

Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use este medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Hemolenta (Cloreto de Sódio + Sulfato de Magnésio Heptaidratado)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>A efic&#xE1;cia terap&#xEA;utica da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante (Cloreto de S&#xF3;dio + Sulfato de Magn&#xE9;sio Heptaidratado ap&#xF3;s aditiva&#xE7;&#xE3;o) &#xE9; registrada no meio cient&#xED;fico pelo seu uso e aplica&#xE7;&#xE3;o na pr&#xE1;tica farmac&#xEA;utica hospitalar, sendo observada pelo controle de eletr&#xF3;litos no plasma e do equil&#xED;brio &#xE1;cido-base e de fluidos.</p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <p>A hemodi&#xE1;lise &#xE9; um procedimento para a remo&#xE7;&#xE3;o de produtos nitrogenados resultantes do catabolismo proteico, de subst&#xE2;ncias t&#xF3;xicas e seus metab&#xF3;litos, os quais s&#xE3;o normalmente excretados pelos rins e pode ser utilizada para auxiliar na regula&#xE7;&#xE3;o dos fluidos e certos dist&#xFA;rbios eletrol&#xED;ticos.</p> <p>A hemodi&#xE1;lise veno-venosa cont&#xED;nua &#xE9; um tipo de terapia de substitui&#xE7;&#xE3;o renal cont&#xED;nua, recomendada para pacientes hemodinamicamente inst&#xE1;veis ou em quadro de choque instalado. Este procedimento &#xE9; realizado atrav&#xE9;s de uma m&#xE1;quina de terapia de substitui&#xE7;&#xE3;o renal cont&#xED;nua (por exemplo: Prismaflex<sup>&#xAE;</sup> da Gambro ou Diapact<sup>&#xAE;</sup> CRRT da B. Braun) que deve ser programada (conforme as instru&#xE7;&#xF5;es de cada equipamento) para a terapia de hemodi&#xE1;lise veno-venosa cont&#xED;nua (CVVHD) e utilizada conjuntamente com um kit espec&#xED;fico, contendo um circuito est&#xE9;ril pr&#xE9;-conectado (com dialisador de baixa permeabilidade hidr&#xE1;ulica, linhas, bolsas de coleta, conectores, entre outros itens). Como o fluxo sangu&#xED;neo durante este procedimento &#xE9; menor (mais lento), tornase necess&#xE1;ria a anticoagula&#xE7;&#xE3;o cont&#xED;nua. A escolha do agente <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/anticoagulante/c\" target=\"_blank\">anticoagulante</a> deve ser individualizada para cada paciente e relacionada ao caso cl&#xED;nico.</p> <p>O sangue do paciente &#xE9; obtido atrav&#xE9;s de um &#xFA;nico acesso vascular (veias jugulares internas por cateter de duplo l&#xFA;men, por&#xE9;m veias femorais ou veias subcl&#xE1;vias tamb&#xE9;m podem ser usadas) e impulsionado at&#xE9; o dialisador &#x201C;rim artificial&#x201D;, constitu&#xED;do por milhares de fibras capilares confeccionadas de finas membranas. No outro lado da membrana (em sentido contracorrente ao fluxo de sangue), existe o fluxo da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante para o qual passam as subst&#xE2;ncias indesej&#xE1;veis presentes no sangue.</p> <p>Deste modo, o sangue &#xE9; continuamente removido da veia, bombeado e devolvido &#xE0; veia, atrav&#xE9;s de um &#xFA;nico acesso.</p> <p>Para a utiliza&#xE7;&#xE3;o da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante nos procedimentos de hemodi&#xE1;lise veno-venosa cont&#xED;nua (CVVHD) &#xE9; obrigat&#xF3;ria a presen&#xE7;a do agente tamponante (preferencialmente o bicarbonato) e dos &#xED;ons s&#xF3;dio, cloreto e magn&#xE9;sio. Sendo assim, &#xE9; recomendada a aditiva&#xE7;&#xE3;o da solu&#xE7;&#xE3;o de Cloreto de S&#xF3;dio + Sulfato de Magn&#xE9;sio Heptaidratado (imediatamente antes do uso) com agente tamponante (bicarbonato), s&#xF3;dio e c&#xE1;lcio (ex: solu&#xE7;&#xE3;o de bicarbonato de s&#xF3;dio a 3%, 8,4% e 10% e solu&#xE7;&#xE3;o de gluconato de c&#xE1;lcio a 10%), por&#xE9;m, sempre de acordo com a prescri&#xE7;&#xE3;o do m&#xE9;dico especialista, de modo que a concentra&#xE7;&#xE3;o final da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante esteja dentro da especifica&#xE7;&#xE3;o recomendada, isto &#xE9;, em concentra&#xE7;&#xF5;es similares aos n&#xED;veis plasm&#xE1;ticos fisiol&#xF3;gicos.</p> <p>Se necess&#xE1;rio, o m&#xE9;dico especialista poder&#xE1; prescrever a adi&#xE7;&#xE3;o de cloreto, magn&#xE9;sio, pot&#xE1;ssio e/ou glicose &#xE0; solu&#xE7;&#xE3;o de Cloreto de S&#xF3;dio + Sulfato de Magn&#xE9;sio Heptaidratado, de acordo com o estado cl&#xED;nico de cada paciente, entretanto, n&#xE3;o &#xE9; uma condi&#xE7;&#xE3;o obrigat&#xF3;ria para todos os casos.</p> <p>A solu&#xE7;&#xE3;o dialisante (Cloreto de S&#xF3;dio + Sulfato de Magn&#xE9;sio Heptaidratado ap&#xF3;s aditiva&#xE7;&#xE3;o) deve funcionar como uma extens&#xE3;o tempor&#xE1;ria do fluido extracelular do paciente, possibilitando a depura&#xE7;&#xE3;o e a manuten&#xE7;&#xE3;o do equil&#xED;brio i&#xF4;nico do sangue.</p> <p>Na hemodi&#xE1;lise veno-venosa cont&#xED;nua (CVVHD), o fluxo sangu&#xED;neo &#xE9; menor (100-200 mL/min) do que o fluxo durante a hemodi&#xE1;lise intermitente (300-350 mL/min), portanto, &#xE9; uma t&#xE9;cnica mais recomendada para pacientes hemodinamicamente inst&#xE1;veis ou em quadro de choque instalado, j&#xE1; que &#xE9; eficiente para remo&#xE7;&#xE3;o de ureia e de outras mol&#xE9;culas pequenas. O <em>clearance</em>, a perda de volume e as esc&#xF3;rias s&#xE3;o lentas, o que leva ao aumento na dura&#xE7;&#xE3;o do procedimento.</p> <h3>Componentes da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante:</h3> <h4>Bicarbonato</h4> <p>Em pacientes com risco de alcalemia (ex: alcalose metab&#xF3;lica ou respirat&#xF3;ria), a utiliza&#xE7;&#xE3;o de um n&#xED;vel de bicarbonato de 35 mEq/L na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante pode causar ou exacerbar a alcalemia, resultando em hipoxemia, arritmia e at&#xE9; mesmo em &#xF3;bito. Para esses pacientes, o n&#xED;vel de bicarbonato na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante precisa ser reduzido, conforme orienta&#xE7;&#xE3;o do m&#xE9;dico especialista.</p> <h4>Lactato</h4> <p>&#xC9; metabolizado pela via ciclo de Cori em uma base equimolar ao bicarbonato, o qual &#xE9; requerido para corrigir a acidose metab&#xF3;lica.</p> <h4>S&#xF3;dio</h4> <p>A prescri&#xE7;&#xE3;o de 145 mEq/L &#xE9; geralmente aceita para pacientes que apresentam concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas de s&#xF3;dio pr&#xE9;-dial&#xED;ticas levemente reduzidas. Se houver hiper ou <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/hiponatremia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">hiponatremia</a> pr&#xE9;-dial&#xED;tica intensa, o n&#xED;vel de s&#xF3;dio da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante dever&#xE1; ser ajustado. As solu&#xE7;&#xF5;es de di&#xE1;lise com concentra&#xE7;&#xE3;o de s&#xF3;dio que seja muito inferior ao n&#xED;vel plasm&#xE1;tico (ex: em mais de 3-4 mEq/L) n&#xE3;o devem ser utilizadas, a menos que sejam absolutamente necess&#xE1;rias, porque o sangue dialisado retornando ao corpo ser&#xE1; hiponatr&#xEA;mico com rela&#xE7;&#xE3;o ao l&#xED;quido intersticial. A &#xE1;gua deixar&#xE1; o sangue hiponatr&#xEA;mico, deslocando-se para os espa&#xE7;os intersticial e intracelular, causando redu&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pida e aguda no volume sangu&#xED;neo, frequentemente resultando em hipotens&#xE3;o, mesmo que a taxa de ultrafiltra&#xE7;&#xE3;o seja baixa. A utiliza&#xE7;&#xE3;o de uma solu&#xE7;&#xE3;o dialisante com um n&#xED;vel de s&#xF3;dio muito inferior &#xE0; concentra&#xE7;&#xE3;o do plasma pode tamb&#xE9;m estar associada a c&#xE3;ibras durante a di&#xE1;lise e pode exacerbar a s&#xED;ndrome do desequil&#xED;brio, devido a aumentos no conte&#xFA;do de &#xE1;gua no c&#xE9;rebro. Por essas raz&#xF5;es, o valor de s&#xF3;dio na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante deve ser mantido no mesmo n&#xED;vel ou ligeiramente acima da concentra&#xE7;&#xE3;o plasm&#xE1;tica.</p> <h4>C&#xE1;lcio</h4> <p>Em solu&#xE7;&#xF5;es dialisantes com concentra&#xE7;&#xF5;es de c&#xE1;lcio na ordem de 3,5 mEq/L (correspondente a um c&#xE1;lcio s&#xE9;rico total de aproximadamente 12 mg/dL), o resultado &#xE9; um balan&#xE7;o positivo de c&#xE1;lcio na maioria das sess&#xF5;es de hemodi&#xE1;lise.</p> <p>O n&#xED;vel ideal de c&#xE1;lcio na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante, ainda &#xE9; controverso, por&#xE9;m, valores pr&#xF3;ximos de 2,5 mEq/L t&#xEA;m sido recomendados com a finalidade de permitir maior liberdade no manuseio de sais de c&#xE1;lcio como quelantes de f&#xF3;sforo, especialmente para pacientes com doen&#xE7;a &#xF3;ssea adin&#xE2;mica que, com freq&#xFC;&#xEA;ncia, mant&#xEA;m c&#xE1;lcio s&#xE9;rico elevado e n&#xED;veis s&#xE9;ricos de paratorm&#xF4;nio abaixo do desej&#xE1;vel.</p> <h5>Reposi&#xE7;&#xE3;o de C&#xE1;lcio</h5> <p>Em solu&#xE7;&#xF5;es dialisantes com concentra&#xE7;&#xF5;es de c&#xE1;lcio na ordem de 3,5 mEq/L (correspondente a um c&#xE1;lcio s&#xE9;rico total de aproximadamente 12 mg/dL), o resultado &#xE9; um balan&#xE7;o positivo de c&#xE1;lcio na maioria das sess&#xF5;es de hemodi&#xE1;lise. O n&#xED;vel ideal de c&#xE1;lcio na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante ainda &#xE9; controverso, por&#xE9;m, valores pr&#xF3;ximos de 2,5 mEq/L t&#xEA;m sido recomendados com a finalidade de permitir maior liberdade no manuseio de sais de c&#xE1;lcio como quelantes de f&#xF3;sforo, especialmente para pacientes com doen&#xE7;a &#xF3;ssea adin&#xE2;mica que, com frequ&#xEA;ncia, mant&#xEA;m c&#xE1;lcio s&#xE9;rico elevado e n&#xED;veis s&#xE9;ricos de paratorm&#xF4;nio abaixo do desej&#xE1;vel. O c&#xE1;lcio dever&#xE1; ser reposto por via venosa distinta da empregada no processo dial&#xED;tico.</p> <h4>Pot&#xE1;ssio</h4> <p>Pacientes que necessitam de di&#xE1;lise aguda apresentam um valor plasm&#xE1;tico para o pot&#xE1;ssio que est&#xE1; na varia&#xE7;&#xE3;o normal ou at&#xE9; mesmo abaixo dos valores normais. A corre&#xE7;&#xE3;o da acidose grave durante a di&#xE1;lise causa deslocamento do pot&#xE1;ssio para dentro das c&#xE9;lulas, reduzindo ainda mais o n&#xED;vel plasm&#xE1;tico do pot&#xE1;ssio, podendo resultar em hipopotassemia (hipocalemia) e arritmias. O n&#xED;vel plasm&#xE1;tico do pot&#xE1;ssio deve ser monitorado de hora em hora, e existe consider&#xE1;vel risco de arritmias, caso a concentra&#xE7;&#xE3;o plasm&#xE1;tica do pot&#xE1;ssio seja reduzida de maneira muito r&#xE1;pida.</p> <h4>Cloreto</h4> <p>Principal &#xE2;nion do espa&#xE7;o extracelular, com taxa de concentra&#xE7;&#xE3;o entre 95 e 105 mEq/L. As altera&#xE7;&#xF5;es do cloreto geralmente acompanham as do s&#xF3;dio.</p> <h4>Magn&#xE9;sio</h4> <p>As solu&#xE7;&#xF5;es dialisantes comercialmente dispon&#xED;veis apresentam n&#xED;veis entre 1,0-1,5 mEq/L de magn&#xE9;sio. De acordo com a literatura, esta faixa n&#xE3;o est&#xE1; bem estudada, mas tem sido clinicamente bem-sucedido o uso em pacientes sem hipermagnesemia significativa ou hipomagnesemia observada.</p> <h4>Acetato</h4> <p>&#xC9; um vasodilatador conhecido e seus n&#xED;veis no plasma durante a di&#xE1;lise comumente variam de 3-10 mM. Alguns pacientes que apresentam hipotens&#xE3;o frequente durante a di&#xE1;lise com acetato (especialmente mulheres e diab&#xE9;ticos) melhoram acentuadamente quando a terapia &#xE9; trocada para di&#xE1;lise com bicarbonato.</p> <h4>Glicose</h4> <p>A di&#xE1;lise sem glicose est&#xE1; associada &#xE0; perda desta mol&#xE9;cula (e est&#xED;mulo &#xE0; cetog&#xEA;nese e gliconeog&#xEA;nese), maior redu&#xE7;&#xE3;o na osmolaridade plasm&#xE1;tica durante a di&#xE1;lise, e eventualmente, sinais cl&#xED;nicos de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/hipoglicemia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">hipoglicemia</a>, especialmente em pacientes diab&#xE9;ticos ou que utilizam betabloqueadores do tipo <a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-propranolol/bula\" target=\"_blank\">propranolol</a>. Apesar da aus&#xEA;ncia de dados conclusivos, a di&#xE1;lise contra n&#xED;veis de glicose pr&#xF3;ximos aos valores normais &#xE9; intuitivamente mais fisiol&#xF3;gica.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1 - DAURGIDAS, J.T. &amp; ING, T.S, Manual de Di&#xE1;lise - 2&#xB0; Edi&#xE7;&#xE3;o; (5): p&#xE1;gs. 73-85, 1996.<br> 2 - Orlando Regional Healthcare, Education &amp; Development, Principles of Continuous Renal Replacement Therapy; p&#xE1;g.12, 2005.</br></span></p> </hr>"}

Como devo armazenar o Hemolenta?

Antes de ser administrado, inspecionar o produto visualmente observando a presença de partículas, turvação, filamentos na solução, fissuras ou violações na embalagem primária. Ao retirar o lacre, antes da inserção do equipo, comprimir a embalagem primária com firmeza observando se ela está íntegra. Em caso de ruptura ou vazamentos, não utilizar. Após aberto, usar imediatamente devido caráter estéril do medicamento.

A exposição de produtos farmacêuticos ao calor deve ser evitada. O produto deve ser armazenado em temperatura ambiente entre 15°C e 30°C.

Após aberto e/ou posteriormente à aditivação, este medicamento deve ser utilizado imediatamente e não deve ser armazenado.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

Hemolenta é apresentado sob a forma de um líquido límpido, incolor e isento de partículas visíveis a olho nu.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Hemolenta

Solução para Hemodiálise

Hemolenta é apresentado sob a forma de solução estéril com cloreto de sódio 0,6140% e sulfato de magnésio heptaidratado 0,018596%, em bolsa plástica de polipropileno transparente sistema fechado&nbsp;com 5.000 mL.

Solução - Sistema fechado Medflex®.

Solução estéril e apirogênica.

Via extracorpórea - Não injetável.

Uso adulto.

Dizeres Legais do Hemolenta

MS – 1.0043.1069

Farm. Resp. Subst.:
Dra. Ivanete A. Dias Assi
CRF-SP: 41.116

Fabricado por:
Eurofarma Laboratórios S.A.
Avenida Presidente Castello Branco, 1385
Ribeirão Preto – SP


Registrado por:
Eurofarma Laboratórios S.A.
Av. Vereador José Diniz, 3.465
São Paulo - SP
CNPJ: 61.190.096/0001-92
Indústria Brasileira




Uso restrito a hospitais.

Venda sob prescrição médica.

6,14mg/mL + 0,18596mg/mL, caixa com 1 bolsa de sistema fechado com 2850mL de solução para hemodiálise

Princípio ativo
:
Cloreto De Sódio + Sulfato De Magnésio Heptaidratado
Classe Terapêutica
:
Soluções Para Hemodiálise
Requer Receita
:
Sim, necessita de Receita
Tipo de prescrição
:
Branca Comum (Dispensação Sob Prescrição Médica Restrito a Hospitais)
Categoria
:
Doenças Dos Olhos
Especialidade
:
Geriatria e Urologia

Bula do medicamento

Hemolenta, para o que é indicado e para o que serve?

Hemolenta é uma solução eletrolítica base para a composição da solução dialisante. Após a aditivação obrigatória da solução de Hemolenta com agente tamponante (preferencialmente o bicarbonato), sódio e cálcio&nbsp;(e se necessário, cloreto, magnésio, potássio e/ou glicose), esta solução deve ser utilizada em procedimentos de hemodiálise veno-venosa contínua (CVVHD).

Esta terapia é indicada para pacientes com lesão renal aguda, que estão hemodinamicamente instáveis (pacientes acidentados/traumatizados) e não toleram/suportam a hemodiálise convencional, devido ao quadro de hipotensão arterial acentuada e com a necessidade de remoção de grandes quantidades de líquidos em excesso, compostos nitrogenados (ureia e creatinina) e potássio de forma lenta.

Quais as contraindicações do Hemolenta?

Após a aditivação obrigatória de Hemolenta, não utilizar a solução se houver qualquer intolerância aos componentes presentes na fórmula.

Este medicamento não deve ser utilizado sem aditivação prévia.

Categoria C: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez.

Como usar o Hemolenta?

Antes de ser administrado, inspecionar o produto visualmente observando a presença de partículas, turvação, filamentos na solução, fissuras ou violações na embalagem primária. Ao retirar o lacre, antes da inserção do equipo, comprimir a embalagem primária com firmeza observando se ela está íntegra. Em caso de ruptura ou vazamentos, não utilizar. Após aberto, usar imediatamente devido caráter estéril do medicamento.

Após aberto e/ou posteriormente à aditivação, este medicamento deve ser utilizado imediatamente e não deve ser armazenado.

Hemolenta é uma solução eletrolítica base para a composição da solução dialisante, estéril e apirogênica. Após a sua aditivação obrigatória com agente tamponante (preferencialmente o bicarbonato), sódio e cálcio (e se necessário, cloreto, magnésio, potássio e/ou glicose), esta solução deve ser utilizada em condições assépticas apenas por profissionais médicos especializados em procedimentos de hemodiálise veno-venosa contínua (CVVHD).

A concentração do agente tamponante (bicarbonato), sódio e cálcio a ser adicionada à solução de Hemolenta, além da concentração de cloreto, magnésio, potássio e/ou glicose a serem adicionados (se necessário), ficará à critério do médico especialista de acordo com o estado clínico de cada paciente, considerando a especificação final da solução dialisante (conforme tabela apresentada nesta bula).

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Como o Hemolenta funciona?

A hemodiálise é um procedimento para a remoção de produtos nitrogenados resultantes do catabolismo proteico, de substâncias tóxicas e seus metabólitos, os quais são normalmente excretados pelos rins e pode ser utilizada para auxiliar na regulação dos fluidos e certos distúrbios eletrolíticos.

A hemodiálise veno-venosa contínua é um tipo de terapia de substituição renal contínua, recomendada para pacientes hemodinamicamente instáveis ou em quadro de choque instalado.

Para a utilização da solução dialisante nos procedimentos de hemodiálise veno-venosa contínua (CVVHD) é obrigatória a presença do agente tamponante (preferencialmente o bicarbonato) e dos íons sódio, cloreto e magnésio.

Sendo assim, é recomendada a aditivação da solução de Hemolenta (imediatamente antes do uso) com agente tamponante (bicarbonato), sódio e cálcio (ex: solução de bicarbonato de sódio a 3%, 8,4% e 10% e solução de gluconato de cálcio a 10%), porém sempre de acordo com a prescrição do médico especialista, de modo que a concentração final da solução dialisante esteja dentro da especificação recomendada, isto é, em concentrações similares aos níveis plasmáticos fisiológicos.

Se necessário, o médico especialista poderá prescrever a adição de cloreto, magnésio, potássio e/ou glicose à solução de Hemolenta, de acordo com o estado clínico de cada paciente, entretanto, não é uma condição obrigatória para todos os casos.

A solução dialisante (Hemolenta após aditivação) deve funcionar como uma extensão temporária do fluido extracelular do paciente, possibilitando a depuração e a manutenção do equilíbrio iônico do sangue.

Quais cuidados devo ter ao usar o Hemolenta?

Hemolenta&nbsp;não apresentará a eficácia desejada para a depuração e manutenção do equilíbrio iônico do sangue, se utilizada sem aditivação. Esta solução deve ser utilizada somente após aditivação prévia obrigatória (imediatamente antes do uso), de modo a compor a solução dialisante a ser utilizada em procedimentos de hemodiálise veno-venosa contínua (CVVHD).

Categoria C: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Quais as reações adversas e os efeitos colaterais do Hemolenta?

A solução de Hemolenta (após aditivação) pode causar os seguintes efeitos adversos:

  • <li>Altera&#xE7;&#xF5;es nas concentra&#xE7;&#xF5;es eletrol&#xED;ticas no sangue (dist&#xFA;rbios eletrol&#xED;ticos);</li> <li>Hipopotassemia (<a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipocalemia-sintomas-tratamento-causas-prevencao-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipocalemia</a>), principalmente se o m&#xE9;dico especialista optar pela n&#xE3;o adi&#xE7;&#xE3;o de pot&#xE1;ssio &#xE0; solu&#xE7;&#xE3;o.</li>

Os possíveis efeitos adversos provocados pelo processo de hemodiálise, agrupados de acordo com a frequência de ocorrência e o sistema acometido, são:

  • <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns (&gt; 10%): <ul> <li>Cardiovascular: queda da press&#xE3;o arterial.</li> </ul> </li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es muito comuns (entre 1 e 10%): <ul> <li>Hematol&#xF3;gico: sangramentos;</li> <li>Cardiovascular: arritmias card&#xED;acas;</li> <li>Geral: redu&#xE7;&#xE3;o da temperatura do corpo (<a href="https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-hipotermia-causas-sintomas-tratamento-tipos-e-mais/" rel="noopener" target="_blank">hipotermia</a>).</li> </ul> </li> <li>Rea&#xE7;&#xF5;es com frequ&#xEA;ncia n&#xE3;o estabelecida: <ul> <li>Renal: altera&#xE7;&#xE3;o das concentra&#xE7;&#xF5;es de sais do corpo e do pH do sangue;</li> <li>End&#xF3;crino: queda ou eleva&#xE7;&#xE3;o da glicose no sangue;</li> <li>Gastrintestinal: n&#xE1;useas, <a href="https://consultaremedios.com.br/aparelho-digestivo/nauseas/c" target="_blank">v&#xF4;mitos</a>;</li> <li>Musculoesquel&#xE9;tico: c&#xE3;ibras;</li> <li>Hematol&#xF3;gico: forma&#xE7;&#xE3;o de co&#xE1;gulos no sistema de di&#xE1;lise;</li> <li>Cardiovascular: entrada de ar no sangue pelo sistema de di&#xE1;lise (embolia gasosa);</li> <li>Pele: infec&#xE7;&#xE3;o no local de entrada do cateter, com possibilidade de se estender &#xE0; corrente sangu&#xED;nea.</li> </ul> </li>

Informe ao seu médico ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

Atenção: este produto é um medicamento que possui nova associação farmacêutica no país, e embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Hemolenta?

A utilização deste medicamento será em ambiente hospitalar, orientado e executado por profissionais médicos especializados e não dependerá da conduta do paciente.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico.

Qual a composição do Hemolenta?

Cada 100 mL da solução com cloreto de sódio e sulfato de magnésio heptaidratado contém:

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">Cloreto de s&#xF3;dio</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">0,6140g</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">Sulfato de magn&#xE9;sio heptaidratado</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">0,018596g</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\"><a href=\"https://consultaremedios.com.br/produtos-hospitalares/agua-para-injetaveis-diluentes/c\" target=\"_blank\">&#xC1;gua para injet&#xE1;veis</a> q.s.p.</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">100mL</td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}
A solução contém em mEq por litro:
{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">S&#xF3;dio (Na<sup>+</sup>)</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">105,0</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">Cloreto (Cl<sup>-</sup>)</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">105,0</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:228px\">Magn&#xE9;sio (Mg<sup>2+</sup>)</td> <td style=\"text-align:center; width:219px\">1,5</td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:219px\"> <p>Sulfato (SO4<sup>2-</sup>)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:219px\"> <p>1,5</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

pH: 5,0-7,5.

Osmolaridade: 211,5 mOsmol/L.

Composição de Hemolenta® antes da aditivação&nbsp;

{"tag":"table","value":{"heading":["<table border=\"1\" cellpadding=\"1\" cellspacing=\"1\" style=\"width:100%\"> <tbody> <tr> <td colspan=\"1\" rowspan=\"2\" style=\"width:226px\"> <p style=\"text-align:center\"><strong>Componentes</strong></p> </td> <td colspan=\"2\" rowspan=\"1\" style=\"text-align:center; width:218px\"><strong>Hemolenta<sup>&#xAE;</sup></strong></td> </tr> <tr> <td style=\"text-align:center; width:116px\"><strong>mmol/L</strong></td> <td> <p style=\"text-align:center\"><strong>mEq/L</strong></p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:226px\"> <p style=\"text-align:center\">Cloreto (Cl<sup>-</sup>)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:116px\">105,0</td> <td> <p style=\"text-align:center\">105,0</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:226px\"> <p style=\"text-align:center\">Magn&#xE9;sio (Mg<sup>2+</sup>)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:116px\">0,75</td> <td> <p style=\"text-align:center\">1,5</p> </td> </tr> <tr> <td style=\"width:226px\"> <p style=\"text-align:center\">S&#xF3;dio (Na<sup>+</sup>)</p> </td> <td style=\"text-align:center; width:116px\">105,0</td> <td> <p style=\"text-align:center\">105,0</p> </td> </tr> </tbody> </table>"],"rows":[]}}

O conteúdo das soluções de diálise deve ser individualizado, segundo as necessidades de cada paciente (condições pré-diálise). A composição do dialisato influencia significativamente a composição da solução de reposição a ser empregada.

A aditivação deve ser individualizada para cada paciente pois trata-se de pacientes críticos com variação dinâmica dos parâmetros clínicos e metabólicos.

Hemolenta® não contém cálcio. O cálcio não deve ser aditivado ao produto, e sua reposição deverá ser efetuada por acesso venoso distinto do empregado para a terapia dialítica.

Superdose: o que acontece se tomar uma dose do Hemolenta maior do que a recomendada?

A volemia e o equilíbrio eletrolítico do sangue do paciente serão cuidadosamente monitorados, deste modo, é improvável que a taxa de fluxo de solução dialisante seja excessiva.

No caso de sobredose, o médico especialista deverá tomar as medidas corretivas necessárias e ajustar a dose (fluxo).

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Interação medicamentosa: quais os efeitos de tomar Hemolenta com outros remédios?

Informe o seu médico se estiver tomando ou tiver tomado recentemente medicamentos. Isto se deve à redução potencial da concentração sanguínea de alguns destes medicamentos durante o procedimento de hemodiálise. O seu médico deverá aconselhá-lo sobre possíveis alterações no uso da medicação.

Se receber tratamento com medicamentos digitálicos devido à problemas cardíacos, a alteração da concentração de eletrólitos no sangue poderá levar a sintomas de sobrecarga digitálica. Isto acontece especialmente se o nível de digitálicos no sangue for superior ao normalmente previsto.

Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use este medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Qual a ação da substância do Hemolenta (Cloreto de Sódio + Sulfato de Magnésio Heptaidratado)?

Resultados de Eficácia

{"tag":"hr","value":" <p>A efic&#xE1;cia terap&#xEA;utica da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante (Cloreto de S&#xF3;dio + Sulfato de Magn&#xE9;sio Heptaidratado ap&#xF3;s aditiva&#xE7;&#xE3;o) &#xE9; registrada no meio cient&#xED;fico pelo seu uso e aplica&#xE7;&#xE3;o na pr&#xE1;tica farmac&#xEA;utica hospitalar, sendo observada pelo controle de eletr&#xF3;litos no plasma e do equil&#xED;brio &#xE1;cido-base e de fluidos.</p> <h2>Caracter&#xED;sticas Farmacol&#xF3;gicas</h2> <hr> <p>A hemodi&#xE1;lise &#xE9; um procedimento para a remo&#xE7;&#xE3;o de produtos nitrogenados resultantes do catabolismo proteico, de subst&#xE2;ncias t&#xF3;xicas e seus metab&#xF3;litos, os quais s&#xE3;o normalmente excretados pelos rins e pode ser utilizada para auxiliar na regula&#xE7;&#xE3;o dos fluidos e certos dist&#xFA;rbios eletrol&#xED;ticos.</p> <p>A hemodi&#xE1;lise veno-venosa cont&#xED;nua &#xE9; um tipo de terapia de substitui&#xE7;&#xE3;o renal cont&#xED;nua, recomendada para pacientes hemodinamicamente inst&#xE1;veis ou em quadro de choque instalado. Este procedimento &#xE9; realizado atrav&#xE9;s de uma m&#xE1;quina de terapia de substitui&#xE7;&#xE3;o renal cont&#xED;nua (por exemplo: Prismaflex<sup>&#xAE;</sup> da Gambro ou Diapact<sup>&#xAE;</sup> CRRT da B. Braun) que deve ser programada (conforme as instru&#xE7;&#xF5;es de cada equipamento) para a terapia de hemodi&#xE1;lise veno-venosa cont&#xED;nua (CVVHD) e utilizada conjuntamente com um kit espec&#xED;fico, contendo um circuito est&#xE9;ril pr&#xE9;-conectado (com dialisador de baixa permeabilidade hidr&#xE1;ulica, linhas, bolsas de coleta, conectores, entre outros itens). Como o fluxo sangu&#xED;neo durante este procedimento &#xE9; menor (mais lento), tornase necess&#xE1;ria a anticoagula&#xE7;&#xE3;o cont&#xED;nua. A escolha do agente <a href=\"https://consultaremedios.com.br/sistema-cardiovascular-circulacao/anticoagulante/c\" target=\"_blank\">anticoagulante</a> deve ser individualizada para cada paciente e relacionada ao caso cl&#xED;nico.</p> <p>O sangue do paciente &#xE9; obtido atrav&#xE9;s de um &#xFA;nico acesso vascular (veias jugulares internas por cateter de duplo l&#xFA;men, por&#xE9;m veias femorais ou veias subcl&#xE1;vias tamb&#xE9;m podem ser usadas) e impulsionado at&#xE9; o dialisador &#x201C;rim artificial&#x201D;, constitu&#xED;do por milhares de fibras capilares confeccionadas de finas membranas. No outro lado da membrana (em sentido contracorrente ao fluxo de sangue), existe o fluxo da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante para o qual passam as subst&#xE2;ncias indesej&#xE1;veis presentes no sangue.</p> <p>Deste modo, o sangue &#xE9; continuamente removido da veia, bombeado e devolvido &#xE0; veia, atrav&#xE9;s de um &#xFA;nico acesso.</p> <p>Para a utiliza&#xE7;&#xE3;o da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante nos procedimentos de hemodi&#xE1;lise veno-venosa cont&#xED;nua (CVVHD) &#xE9; obrigat&#xF3;ria a presen&#xE7;a do agente tamponante (preferencialmente o bicarbonato) e dos &#xED;ons s&#xF3;dio, cloreto e magn&#xE9;sio. Sendo assim, &#xE9; recomendada a aditiva&#xE7;&#xE3;o da solu&#xE7;&#xE3;o de Cloreto de S&#xF3;dio + Sulfato de Magn&#xE9;sio Heptaidratado (imediatamente antes do uso) com agente tamponante (bicarbonato), s&#xF3;dio e c&#xE1;lcio (ex: solu&#xE7;&#xE3;o de bicarbonato de s&#xF3;dio a 3%, 8,4% e 10% e solu&#xE7;&#xE3;o de gluconato de c&#xE1;lcio a 10%), por&#xE9;m, sempre de acordo com a prescri&#xE7;&#xE3;o do m&#xE9;dico especialista, de modo que a concentra&#xE7;&#xE3;o final da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante esteja dentro da especifica&#xE7;&#xE3;o recomendada, isto &#xE9;, em concentra&#xE7;&#xF5;es similares aos n&#xED;veis plasm&#xE1;ticos fisiol&#xF3;gicos.</p> <p>Se necess&#xE1;rio, o m&#xE9;dico especialista poder&#xE1; prescrever a adi&#xE7;&#xE3;o de cloreto, magn&#xE9;sio, pot&#xE1;ssio e/ou glicose &#xE0; solu&#xE7;&#xE3;o de Cloreto de S&#xF3;dio + Sulfato de Magn&#xE9;sio Heptaidratado, de acordo com o estado cl&#xED;nico de cada paciente, entretanto, n&#xE3;o &#xE9; uma condi&#xE7;&#xE3;o obrigat&#xF3;ria para todos os casos.</p> <p>A solu&#xE7;&#xE3;o dialisante (Cloreto de S&#xF3;dio + Sulfato de Magn&#xE9;sio Heptaidratado ap&#xF3;s aditiva&#xE7;&#xE3;o) deve funcionar como uma extens&#xE3;o tempor&#xE1;ria do fluido extracelular do paciente, possibilitando a depura&#xE7;&#xE3;o e a manuten&#xE7;&#xE3;o do equil&#xED;brio i&#xF4;nico do sangue.</p> <p>Na hemodi&#xE1;lise veno-venosa cont&#xED;nua (CVVHD), o fluxo sangu&#xED;neo &#xE9; menor (100-200 mL/min) do que o fluxo durante a hemodi&#xE1;lise intermitente (300-350 mL/min), portanto, &#xE9; uma t&#xE9;cnica mais recomendada para pacientes hemodinamicamente inst&#xE1;veis ou em quadro de choque instalado, j&#xE1; que &#xE9; eficiente para remo&#xE7;&#xE3;o de ureia e de outras mol&#xE9;culas pequenas. O <em>clearance</em>, a perda de volume e as esc&#xF3;rias s&#xE3;o lentas, o que leva ao aumento na dura&#xE7;&#xE3;o do procedimento.</p> <h3>Componentes da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante:</h3> <h4>Bicarbonato</h4> <p>Em pacientes com risco de alcalemia (ex: alcalose metab&#xF3;lica ou respirat&#xF3;ria), a utiliza&#xE7;&#xE3;o de um n&#xED;vel de bicarbonato de 35 mEq/L na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante pode causar ou exacerbar a alcalemia, resultando em hipoxemia, arritmia e at&#xE9; mesmo em &#xF3;bito. Para esses pacientes, o n&#xED;vel de bicarbonato na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante precisa ser reduzido, conforme orienta&#xE7;&#xE3;o do m&#xE9;dico especialista.</p> <h4>Lactato</h4> <p>&#xC9; metabolizado pela via ciclo de Cori em uma base equimolar ao bicarbonato, o qual &#xE9; requerido para corrigir a acidose metab&#xF3;lica.</p> <h4>S&#xF3;dio</h4> <p>A prescri&#xE7;&#xE3;o de 145 mEq/L &#xE9; geralmente aceita para pacientes que apresentam concentra&#xE7;&#xF5;es plasm&#xE1;ticas de s&#xF3;dio pr&#xE9;-dial&#xED;ticas levemente reduzidas. Se houver hiper ou <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/hiponatremia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">hiponatremia</a> pr&#xE9;-dial&#xED;tica intensa, o n&#xED;vel de s&#xF3;dio da solu&#xE7;&#xE3;o dialisante dever&#xE1; ser ajustado. As solu&#xE7;&#xF5;es de di&#xE1;lise com concentra&#xE7;&#xE3;o de s&#xF3;dio que seja muito inferior ao n&#xED;vel plasm&#xE1;tico (ex: em mais de 3-4 mEq/L) n&#xE3;o devem ser utilizadas, a menos que sejam absolutamente necess&#xE1;rias, porque o sangue dialisado retornando ao corpo ser&#xE1; hiponatr&#xEA;mico com rela&#xE7;&#xE3;o ao l&#xED;quido intersticial. A &#xE1;gua deixar&#xE1; o sangue hiponatr&#xEA;mico, deslocando-se para os espa&#xE7;os intersticial e intracelular, causando redu&#xE7;&#xE3;o r&#xE1;pida e aguda no volume sangu&#xED;neo, frequentemente resultando em hipotens&#xE3;o, mesmo que a taxa de ultrafiltra&#xE7;&#xE3;o seja baixa. A utiliza&#xE7;&#xE3;o de uma solu&#xE7;&#xE3;o dialisante com um n&#xED;vel de s&#xF3;dio muito inferior &#xE0; concentra&#xE7;&#xE3;o do plasma pode tamb&#xE9;m estar associada a c&#xE3;ibras durante a di&#xE1;lise e pode exacerbar a s&#xED;ndrome do desequil&#xED;brio, devido a aumentos no conte&#xFA;do de &#xE1;gua no c&#xE9;rebro. Por essas raz&#xF5;es, o valor de s&#xF3;dio na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante deve ser mantido no mesmo n&#xED;vel ou ligeiramente acima da concentra&#xE7;&#xE3;o plasm&#xE1;tica.</p> <h4>C&#xE1;lcio</h4> <p>Em solu&#xE7;&#xF5;es dialisantes com concentra&#xE7;&#xF5;es de c&#xE1;lcio na ordem de 3,5 mEq/L (correspondente a um c&#xE1;lcio s&#xE9;rico total de aproximadamente 12 mg/dL), o resultado &#xE9; um balan&#xE7;o positivo de c&#xE1;lcio na maioria das sess&#xF5;es de hemodi&#xE1;lise.</p> <p>O n&#xED;vel ideal de c&#xE1;lcio na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante, ainda &#xE9; controverso, por&#xE9;m, valores pr&#xF3;ximos de 2,5 mEq/L t&#xEA;m sido recomendados com a finalidade de permitir maior liberdade no manuseio de sais de c&#xE1;lcio como quelantes de f&#xF3;sforo, especialmente para pacientes com doen&#xE7;a &#xF3;ssea adin&#xE2;mica que, com freq&#xFC;&#xEA;ncia, mant&#xEA;m c&#xE1;lcio s&#xE9;rico elevado e n&#xED;veis s&#xE9;ricos de paratorm&#xF4;nio abaixo do desej&#xE1;vel.</p> <h5>Reposi&#xE7;&#xE3;o de C&#xE1;lcio</h5> <p>Em solu&#xE7;&#xF5;es dialisantes com concentra&#xE7;&#xF5;es de c&#xE1;lcio na ordem de 3,5 mEq/L (correspondente a um c&#xE1;lcio s&#xE9;rico total de aproximadamente 12 mg/dL), o resultado &#xE9; um balan&#xE7;o positivo de c&#xE1;lcio na maioria das sess&#xF5;es de hemodi&#xE1;lise. O n&#xED;vel ideal de c&#xE1;lcio na solu&#xE7;&#xE3;o dialisante ainda &#xE9; controverso, por&#xE9;m, valores pr&#xF3;ximos de 2,5 mEq/L t&#xEA;m sido recomendados com a finalidade de permitir maior liberdade no manuseio de sais de c&#xE1;lcio como quelantes de f&#xF3;sforo, especialmente para pacientes com doen&#xE7;a &#xF3;ssea adin&#xE2;mica que, com frequ&#xEA;ncia, mant&#xEA;m c&#xE1;lcio s&#xE9;rico elevado e n&#xED;veis s&#xE9;ricos de paratorm&#xF4;nio abaixo do desej&#xE1;vel. O c&#xE1;lcio dever&#xE1; ser reposto por via venosa distinta da empregada no processo dial&#xED;tico.</p> <h4>Pot&#xE1;ssio</h4> <p>Pacientes que necessitam de di&#xE1;lise aguda apresentam um valor plasm&#xE1;tico para o pot&#xE1;ssio que est&#xE1; na varia&#xE7;&#xE3;o normal ou at&#xE9; mesmo abaixo dos valores normais. A corre&#xE7;&#xE3;o da acidose grave durante a di&#xE1;lise causa deslocamento do pot&#xE1;ssio para dentro das c&#xE9;lulas, reduzindo ainda mais o n&#xED;vel plasm&#xE1;tico do pot&#xE1;ssio, podendo resultar em hipopotassemia (hipocalemia) e arritmias. O n&#xED;vel plasm&#xE1;tico do pot&#xE1;ssio deve ser monitorado de hora em hora, e existe consider&#xE1;vel risco de arritmias, caso a concentra&#xE7;&#xE3;o plasm&#xE1;tica do pot&#xE1;ssio seja reduzida de maneira muito r&#xE1;pida.</p> <h4>Cloreto</h4> <p>Principal &#xE2;nion do espa&#xE7;o extracelular, com taxa de concentra&#xE7;&#xE3;o entre 95 e 105 mEq/L. As altera&#xE7;&#xF5;es do cloreto geralmente acompanham as do s&#xF3;dio.</p> <h4>Magn&#xE9;sio</h4> <p>As solu&#xE7;&#xF5;es dialisantes comercialmente dispon&#xED;veis apresentam n&#xED;veis entre 1,0-1,5 mEq/L de magn&#xE9;sio. De acordo com a literatura, esta faixa n&#xE3;o est&#xE1; bem estudada, mas tem sido clinicamente bem-sucedido o uso em pacientes sem hipermagnesemia significativa ou hipomagnesemia observada.</p> <h4>Acetato</h4> <p>&#xC9; um vasodilatador conhecido e seus n&#xED;veis no plasma durante a di&#xE1;lise comumente variam de 3-10 mM. Alguns pacientes que apresentam hipotens&#xE3;o frequente durante a di&#xE1;lise com acetato (especialmente mulheres e diab&#xE9;ticos) melhoram acentuadamente quando a terapia &#xE9; trocada para di&#xE1;lise com bicarbonato.</p> <h4>Glicose</h4> <p>A di&#xE1;lise sem glicose est&#xE1; associada &#xE0; perda desta mol&#xE9;cula (e est&#xED;mulo &#xE0; cetog&#xEA;nese e gliconeog&#xEA;nese), maior redu&#xE7;&#xE3;o na osmolaridade plasm&#xE1;tica durante a di&#xE1;lise, e eventualmente, sinais cl&#xED;nicos de <a href=\"https://minutosaudavel.com.br/hipoglicemia/\" rel=\"noopener\" target=\"_blank\">hipoglicemia</a>, especialmente em pacientes diab&#xE9;ticos ou que utilizam betabloqueadores do tipo <a href=\"https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-propranolol/bula\" target=\"_blank\">propranolol</a>. Apesar da aus&#xEA;ncia de dados conclusivos, a di&#xE1;lise contra n&#xED;veis de glicose pr&#xF3;ximos aos valores normais &#xE9; intuitivamente mais fisiol&#xF3;gica.</p> <p><strong>Refer&#xEA;ncias Bibliogr&#xE1;ficas:</strong></p> <p><span style=\"font-size:11px\">1 - DAURGIDAS, J.T. &amp; ING, T.S, Manual de Di&#xE1;lise - 2&#xB0; Edi&#xE7;&#xE3;o; (5): p&#xE1;gs. 73-85, 1996.<br> 2 - Orlando Regional Healthcare, Education &amp; Development, Principles of Continuous Renal Replacement Therapy; p&#xE1;g.12, 2005.</br></span></p> </hr>"}

Como devo armazenar o Hemolenta?

Antes de ser administrado, inspecionar o produto visualmente observando a presença de partículas, turvação, filamentos na solução, fissuras ou violações na embalagem primária. Ao retirar o lacre, antes da inserção do equipo, comprimir a embalagem primária com firmeza observando se ela está íntegra. Em caso de ruptura ou vazamentos, não utilizar. Após aberto, usar imediatamente devido caráter estéril do medicamento.

A exposição de produtos farmacêuticos ao calor deve ser evitada. O produto deve ser armazenado em temperatura ambiente entre 15°C e 30°C.

Após aberto e/ou posteriormente à aditivação, este medicamento deve ser utilizado imediatamente e não deve ser armazenado.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

Hemolenta é apresentado sob a forma de um líquido límpido, incolor e isento de partículas visíveis a olho nu.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentações do Hemolenta

Solução para Hemodiálise

Hemolenta é apresentado sob a forma de solução estéril com cloreto de sódio 0,6140% e sulfato de magnésio heptaidratado 0,018596%, em bolsa plástica de polipropileno transparente sistema fechado&nbsp;com 5.000 mL.

Solução - Sistema fechado Medflex®.

Solução estéril e apirogênica.

Via extracorpórea - Não injetável.

Uso adulto.

Dizeres Legais do Hemolenta

MS – 1.0043.1069

Farm. Resp. Subst.:
Dra. Ivanete A. Dias Assi
CRF-SP: 41.116

Fabricado por:
Eurofarma Laboratórios S.A.
Avenida Presidente Castello Branco, 1385
Ribeirão Preto – SP


Registrado por:
Eurofarma Laboratórios S.A.
Av. Vereador José Diniz, 3.465
São Paulo - SP
CNPJ: 61.190.096/0001-92
Indústria Brasileira




Uso restrito a hospitais.

Venda sob prescrição médica.

Fabricante: Eurofarma

© 2021 Medicamento Lab.